Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

Microsoft irá demitir 10 mil funcionários hoje

Empresa esta passando por dificuldades econômicas e planeja demitir mais de 5% da sua força de trabalho atual

Por Fernanda Lopes Soldateli, editado por Adriano Camargo  

Olhar Digital

A Microsoft informou que irá desligar milhares de pessoas no dia de hoje (18), cortando cerca de 5% da sua força de trabalho atual. Como a empresa possui 220 mil funcionários, o número de desligamentos pode chegar a 10 mil pessoas. 

Segundo uma fonte do The Verge, é provável que a gigante de tecnologia anuncie os cortes nesta quarta-feira, antes de anunciar os ganhos trimestrais na próxima semana. As demissões são consideradas “significativamente maiores” do que o corte de 1% na força de trabalho da Microsoft no ano passado. Os desligamentos de empregos anteriores afetaram posições em consultoria e soluções para clientes e parceiros, além de áreas da engenharia.

A empresa é uma das mais renomadas no mercado de tecnologia, mas está enfrentando uma economia desafiadora. Os boatos sobre as demissões ocorreram logo após a big tech anunciar que seus funcionários teriam férias ilimitadas

“Os próximos dois anos provavelmente serão os mais desafiadores”, disse Satya Nadella, CEO da Microsoft. “Tivemos muita aceleração durante a pandemia e há uma certa normalização dessa demanda. E, além disso, há uma verdadeira recessão em algumas partes do mundo”.

Os cortes também ocorreram semanas depois que Nadella alertou sobre estes serem os dois anos mais desafiadores para a indústria de tecnologia. Em entrevista à CNBC, Nadella admitiu que a empresa não era “imune às mudanças globais” e falou sobre a necessidade de as empresas de tecnologia serem mais eficientes.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Jovem Pan sofre ataque hacker; vídeos no YouTube são removidos

O nome do canal foi alterado para “Tesla Event”; mais de 5.200 vídeos foram apagados

Por William Schendes, editado por Adriano Camargo 

Olhar Digital

Recentemente o canal da Jovem Pan no YouTube foi hackeado. Os invasores mudaram o nome do canal para “Tesla Event” e realizaram a retirada de vídeos. As alterações foram corrigidas pouco tempo após a invasão.

De acordo com o Portal dos Jornalistas, foram retirados mais de 5.200 vídeos do canal. Desses 3.600 vídeos do programa “3 em 1” e 77 do “Jovem Pan News” foram apagados. Boa parte das publicações foram recuperadas, mas cerca de 1.500 vídeos seguem indisponíveis.

Jovem Pan sofre ataque hacker
(Imagem: Reprodução/ Twitter)

“O Grupo Jovem Pan sofreu uma invasão em seus canais no YouTube no final da noite de terça-feira. Ainda estão sendo apuradas pela equipe de tecnologia da companhia e pela equipe de segurança do YouTube as condições que levaram ao ataque e a extensão dos danos”, disse a empresa em comunicado.

A empresa comunicou o YouTube para que medidas fossem tomadas e alertou autoridades sobre o incidente. A Jovem Pan disse que lamenta ataques como esses que buscam descredibilizar veículos de imprensa.

A invasão aconteceu poucos dias após o Ministério Público Federal (MPF), instaurar um inquérito para apurar divulgação de notícias falsas pela emissora sobre instituições brasileiras, especialmente aos três poderes e processos democráticos do país. O MPF ordenou que a Jovem Pan não fizesse alterações nos canais do YouTube.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Ataque cardíaco sofrido por astronauta na Lua foi omitido pela NASA

Nem o próprio astronauta foi informado, imediatamente, que havia sofrido um ataque cardíaco na Lua

Flavia Correia 

Olhar Digital

Até hoje, 12 homens pisaram na Lua, todos por meio de missões do Programa Apollo, da NASA. Cada uma dessas missões tem sua importância na história da exploração lunar – e também seus segredos. Uma delas, por exemplo, envolve até um ataque cardíaco (que foi omitido pela agência até mesmo da própria vítima – que nada sentiu).

Astronauta James Irwin saudando a bandeira dos EUA na Lua durante a missão Apollo 15. Imagem: NASA

Não é surpresa que a NASA esconde coisas – e isso não inclui a teoria da conspiração de que o ser humano não pisou na Lua, mas, sim, os sacrifícios que foram feitos para que essa conquista fosse possível.

Em 26 de julho de 1971, a missão Apollo 15 se tornou a quarta a pousar na Lua, com os astronautas David Scott e James Irwin permanecendo por 66 horas e 54 minutos em solo lunar. 

Os dois caminhavam pela superfície até que o controle da missão examinou os sinais vitais de Irwin e notificou que ele havia sofrido um ataque cardíaco. No entanto, em nenhum momento o astronauta sentiu dor no peito ou manifestou qualquer um dos sintomas habituais.

Apesar dessa anomalia preocupante, segundo o site Space.com, a NASA optou por não informar a ninguém da tripulação sobre o que havia acontecido, nem mesmo a Irwin. Demorou alguns minutos para que os batimentos cardíacos do astronauta normalizassem, enquanto a missão seguiu conforme planejada. 

Primeiro astronauta da Lua a morrer

Dois anos depois, Irwin teve o segundo ataque cardíaco de uma série ao longo dos anos, até que um foi fatal e o matou, em 1991. Ele tinha 61 anos e se tornou o primeiro e mais jovem “moonwalker” a falecer.

Segundo a NASA, a opção por não falar nada sobre o comportamento anormal do coração de Irwin foi para que a missão fosse concluída sem que um desespero por parte do astronauta colocasse tudo a perder.

Além disso, não houve preocupação por parte dos médicos e cientistas da agência porque Irwin já estava em uma espécie de UTI a bordo de seu traje espacial. Afinal, ele tinha oxigênio controlado, estava em baixa gravidade (o melhor estado para reduzir a pressão sobre o coração) e realizava manobras e esforços necessários para manter o coração controlado.

Privação de hidratação teria causado o ataque cardíaco 

Quando a situação veio a público, descobriram que o problema cardíaco de Irwin não foi uma coincidência. Um mau funcionamento dos dispositivos de água dos trajes resultou na privação de hidratação, principalmente no caso de Irwin, ao longo das três atividades extraveiculares (EVAs) de até sete horas cada.

Suando muito e com muita sede, Irwin perdeu 5% de seu peso em comparação com sua média pré-voo (indo de 74,3 para 70,8 kg). Segundo o site Megacurioso, essa desidratação teria intensificado o potencial para a elevação de renina-angiotensina (conjunto de peptídeos, enzimas e receptores envolvidos no controle do volume de líquido extracelular e na pressão arterial).

Havia uma predisposição para um déficit significativo de íons de magnésio, que poderia persistir por meses, podendo causar arritmias graves, déficits de potássio e potenciais lesões endoteliais de vasos periféricos e coronários.

Tudo isso compunha a chamada pelos médicos de “Síndrome do Espaço Apollo 15”, caracterizada por dedos inchados muito dolorosos, seguido por vasoespamos periféricos, que poderiam levar a um infarto do miocárdio. 

Além de Irwin, Scott também registrou irregularidades cardíacas na Lua, problema atribuído pelos médicos da NASA a uma deficiência de potássio na dieta alimentar. Em razão disso, os cientistas da agência enriqueceram a comida dos astronautas com o mineral em voos posteriores.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Nave da SpaceX pode ser ‘bote salva-vidas’ em caso de emergência com astronautas

A Rússia vai lançar uma nova nave para buscar os astronautas da missão MS-22, mas a cápsula SpaceX Endurance será adaptada para eventual necessidade

Flavia Correia  

Olhar Digital

Conforme noticiado pelo Olhar Digital, um grave vazamento foi identificado na cápsula Soyuz MS-22, da Rússia, no início de dezembro. Acontece que essa mesma espaçonave, atualmente acoplada na Estação Espacial Internacional (ISS), seria usada para trazer de volta à Terra os tripulantes que ela levou até lá. A NASA chegou a consultar a SpaceX sobre a possibilidade de a empresa de Elon Musk ajudar no resgate da tripulação. 

Autoridades russas haviam anunciado que a “decisão final” sobre isso seria revelada nas primeiras semanas de janeiro. Cumprindo o prometido, a forma como os cosmonautas Sergey Prokopyev e Dmitri Petelin, além do astronauta Frank Rubio, da NASA, vão voltar para casa foi divulgada no último dia 11.

De acordo com a agência de notícias AFP, a agência espacial russa Roscosmos vai enviar uma nova espaçonave Soyuz (por meio de uma missão batizada de MS-23) para buscar os tripulantes da missão MS-22. 

Isso está programado para acontecer no dia 20 de fevereiro, uma segunda-feira, conforme informado pelo chefe da agência, Yuri Borisov. A cápsula Soyuz MS-23, que será lançada como nave de carga, levando alguns suprimentos para a estação, voltará para a Terra com Prokopyev, Petelin e Rubio a bordo. 

Borisov enfatizou que a Roscosmos discutiu a decisão com a NASA, que concordou com o plano, descartando as opções oferecidas pela SpaceX: com os membros da missão MS-22 retornando à Terra em uma espaçonave Crew Dragon de backup ou, em vez disso, a adição de mais assentos à cápsula Endurance, que já está ancorada na ISS e que vai trazer para casa os tripulantes da missão Crew-5 no mês que vem.

Transferência de assentos entre a Soyuz e a SpaceX Dragon Endurance

Descartando, na verdade, não seria bem a palavra. Isso porque a participação da SpaceX não foi totalmente desconsiderada nos planos de resgate.

Em caso de ocorrência de qualquer situação de emergência no laboratório orbital que exija a evacuação de toda a tripulação antes da chegada da nova cápsula, Borisov havia dito que as autoridades espaciais verificariam se a Soyuz MS-22 poderia ser usada com segurança para esse propósito.

Ao que tudo indica, parece que não totalmente.

Segundo informado por um comunicado da NASA, a cápsula Endurance já está sendo modificada em órbita para transportar um astronauta extra de volta para a Terra, se necessário. Nesta quarta-feira (18), a NASA planeja começar a mover o assento do astronauta Frank Rubio da Soyuz MS-22 para o veículo da SpaceX.

Isso será útil caso as agências precisem, antes da chegada da missão MS-23 ao laboratório orbital, usar a espaçonave russa que sofreu o incidente por algum motivo. Se isso se fizer necessário, conforme destaca o site Space.com, é mais seguro para a cápsula MS-22 transportar apenas dois astronautas em vez de três, dado seu estado prejudicado. Rubio, então, voltaria de “carona” com a missão SpaceX Crew-5, na nave adaptada.

“A mudança permite uma maior proteção da tripulação, reduzindo a carga de calor dentro da espaçonave MS-22 para os cosmonautas Prokopyev e Petelin no caso de um retorno de emergência à Terra”, diz o comunicado da NASA.

Borisov revelou que as investigações sobre o vazamento na cápsula MS-22 apontam que ele foi causado pelo impacto de um micrometeoroide. A espaçonave danificada, se não for usada em caso de emergência, eventualmente será enviada de volta à Terra sem uma tripulação.

A nave Endurance foi lançada em outubro de 2022 com apenas quatro assentos instalados, já que a Crew-5 é composta por quatro astronautas – Nicole Mann e Josh Cassada, da NASA, Koichi Wakata, do Japão, e a russa Anna Kikina. Como as cápsulas Dragon são projetadas para transportar até sete pessoas, então há espaço para acomodar Rubio também, com o assento “emprestado” da nave russa.

Missão estendida

A missão MS-22 foi lançada para a ISS em setembro do ano passado para uma temporada planejada de seis meses. No entanto, Rubio, Prokopyev e Petelin provavelmente acabarão permanecendo em órbita pelo dobro do tempo. 

“O plano é que Frank, Dimitri e Sergey continuem a bordo por mais alguns meses até voltarem para casa, provavelmente no fim de setembro”, disse Dina Contella, gerente de integração de operações da ISS na NASA, durante uma coletiva de imprensa na terça-feira (17). 

E por que isso? Pelo fato de que, como dito, a próxima Soyuz será lançada sem tripulação para trazê-los para casa. Se Rubio, Prokopyev e Petelin retornassem à Terra em março nesse veículo, a ISS ficaria com falta de pessoal até que uma nova missão Soyuz tripulada pudesse ser preparada para a decolagem.

Embora a missão Crew-6, da SpaceX, deva ser lançada no próximo mês, levando mais quatro astronautas para a ISS, os tripulantes da Crew-5 retornarão à Terra alguns dias depois disso. 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

O que muda com a regulamentação das criptomoedas no Brasil?

País agora tem uma regulamentação das criptomoedas. Entenda o que muda com a nova lei em vigor, que deve trazer mais segurança para o setor

Por Breno Pessoa, editado por Layse Ventura  

Olhar Digital

Demorou um tanto, mas o país finalmente tem uma regulamentação específica para criptomoedas. Publicada no Diário Oficial do dia 22 de dezembro de 2022, a lei 14.478 estabelece diretrizes para a prestação de serviços de ativos virtuais. Mas, na prática, o que muda com a regulamentação das criptomoedas no Brasil? Entenda os principais pontos da nova lei, que passa a valer em 180 dias após a sua publicação.

Em linhas gerais, é possível dizer que a lei traz mais segurança e transparência para as transações realizadas com as moedas digitais no país. Assim como ocorre em outras operações financeiras, o mercado de criptomoedas será submetido a um órgão regulador.

Apesar de esse órgão regulador não estar citado nominalmente na lei, é dado como certo que será o Banco Central. O norma tem origem no projeto de lei 4.401/2021, do deputado Aureo Ribeiro, e incorpora também trechos do projeto de lei 4.207/2020, da senadora Soraya Thronicke.

Outra mudança que a lei traz é a permissão para órgãos e entidades da administração pública manterem contas em empresas do segmento e realizarem operações com ativos virtuais e derivados.

Definição de ativo virtual

A lei 14.478 define como ativo virtual uma representação digital de valor que pode ser negociada ou transferida por meios eletrônicos e utilizada para realização de pagamentos e/ou com a finalidade de investimento. Importante salientar que essa definição não inclui moedas tradicionais ou recursos em reais e similares mantidos no meio eletrônico.

Órgão regulador

A partir de agora, caberá ao órgão regulador autorizar e supervisionar o funcionamento e a transferência de controle das corretoras de criptomoedas, que precisarão ter representação no país. No entanto, a mudança não é aplicada imediatamente a partir da publicação da lei: as empresas terão prazo de até seis meses para se adequarem à nova legislação.

Segurança

Este talvez seja o ponto mais relevante para quem atua no mercado de criptomoedas, sobretudo pessoas menos experientes no assunto. A lei faz um acréscimo ao Códio Penal com um novo tipo de estelionato, com pena de quatro a oito anos de reclusão e multa para quem “gerir, ofertar ou distribuir carteiras ou intermediar operações que envolvam ativos virtuais, valores mobiliários ou quaisquer ativos financeiros com o fim de obter vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento”.

Também há acréscimos à Lei de Lavagem de Dinheiro, incluindo o uso de ativo virtual nesse crime. Além disso, as corretoras e demais empresas atuantes no mercado de criptomoedas deverão manter registros das transações. Com isso, será possível repasse de informações aos órgãos de fiscalização e combate ao crime organizado e à lavagem de dinheiro

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

James Webb descobre formação estelar em aglomerado massivo

Mesmo com grãos de poeira no Espaço sendo difíceis de se visualizar através, este não foi o caso

Rodrigo Mozelli  

Olhar Digital

A NGC 346, uma das regiões de formação de estrelas mais dinâmicas em galáxias próximas, é cheia de mistérios. Agora, é sabemos um pouco mais sobre ela com as novas descobertas do James Webb.

Essa formação está localizado na Pequena Nuvem de Magalhães (PNM), galáxia anã próxima à Via-Láctea. A PNM contém concentrações mais baixas de elementos mais pesados que o hidrogênio ou o hélio, que os astrônomos chamam de metais, em comparação com a Via-Láctea.

Como os grãos de poeira no Espaço são compostos principalmente de metais, os cientistas esperavam que houvesse pequenas quantidades de poeira e que seria difícil detectá-la. Porém, novos dados do Webb revelam o contrário.

Os astrônomos sondaram essa região porque as condições e a quantidade de metais dentro do SMC se assemelham às observadas em galáxias bilhões de anos atrás, durante era do universo conhecida como “meio-dia cósmico”, quando a formação estelar estava no auge.

Cerca de dois a três bilhões de anos após o Big-Bang, as galáxias estavam formando estrelas em ritmo furioso. Os “fogos de artifício” da formação de estrelas acontecendo naquela época ainda moldam as galáxias que vemos ao nosso redor hoje.

“Uma galáxia durante o meio-dia cósmico não teria uma NGC 346 como a Pequena Nuvem de Magalhães; teria milhares” de regiões de formação de estrelas como esta, disse Margaret Meixner, astrônoma da Associação Universitária de Pesquisa Espacial e investigadora principal da equipe de pesquisa. “Mas mesmo que o NGC 346 seja agora o único aglomerado massivo formando estrelas furiosamente em sua galáxia, ele nos oferece grande oportunidade de sondar as condições que existiam no meio-dia cósmico.”

Ao observar protoestrelas ainda em processo de formação, os pesquisadores podem saber se o processo de formação estelar na PNM difere do que observamos em nossa própria Via-Láctea.

Estudos infravermelhos anteriores da NGC 346 focaram em protoestrelas mais pesadas do que cerca de cinco a oito vezes a massa do Sol. “Com o Webb, podemos sondar protoestrelas de peso mais leve, tão pequenas quanto um décimo do nosso Sol, para ver se seu processo de formação é afetado pelo baixo teor de metal”, disse Olivia Jones, do Centro de Tecnologia de Astronomia do Reino Unido, Royal Observatory Edinburgh, co-investigadora do programa.

À medida que as estrelas se formam, elas acumulam gás e poeira, que podem parecer fitas nas imagens do James Webb, da nuvem molecular circundante. O material se acumula em disco de acreção que alimenta a protoestrela central.

Os astrônomos detectaram gás em torno de protoestrelas dentro da NGC 346, mas as observações no infravermelho próximo do Webb marcam a primeira vez que eles também detectaram poeira nesses discos.

“Estamos vendo os blocos de construção, não apenas de estrelas, mas também potencialmente de planetas. E como a Pequena Nuvem de Magalhães tem ambiente semelhante ao das galáxias durante o meio-dia cósmico, é possível que os planetas rochosos possam ter se formado mais cedo no universo do que pensávamos.”

Guido De Marchi, da Agência Espacial Europeia (ESA), coinvestigador da equipe de pesquisa

A equipe também tem observações espectroscópicas do instrumento NIRSpec do Webb que continuam analisando. Espera-se que esses dados forneçam novas informações sobre o material que se acumula em protoestrelas individuais, bem como o ambiente imediatamente ao redor da protoestrela.

Via NASA

Imagem destacada: NGC 346, mostrado em imagem da câmera de infravermelho próximo do James Webb (NIRCam) (Imagem: NASA, ESA, CSA, O. Jones (UK ATC), G. De Marchi (ESTEC) e M. Meixner (USRA). Processamento de imagens: A. Pagan (STScI), N. Habel (USRA), L. Lenkic (USRA) e L. Chu (NASA/Ames))

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Instagram copiando o Twitter? Meta pode trazer modo texto ao app

Recurso se assemelha ao que já existe no Facebook e WhatsApp

Rodrigo Mozelli  

Olhar Digital

Nos últimos anos, o Instagram tem aprimorado e lançado outros recursos que transcendem sua essência de rede social de fotos.

Após bater de frente com o TikTok com a criação do Reels, o app da Meta quer brigar com o Twitter e está prestes a lançar um modo texto, que vai se assemelhar ao mesmo recurso presente no WhatsApp e Facebook.

A informação foi vazada pelo desenvolvedor Alessandro Paluzzi, que destacou que a diferença entre a novidade e a ferramenta do Facebook é que o Instagram salvará a imagem gerada com texto. No Twitter, Paluzzi mostrou imagens que trazem detalhes do recurso, que permite escrever um texto e escolher a cor de fundo.

Percebe-se, na interface da nova ferramenta, que ela é muito semelhante ao recurso de texto nos Stories do WhatsApp. Apesar de hoje ser possível publicar com texto no Instagram, isso não é muito “fácil”, pois é preciso usar a ferramenta de Stories da rede social, salvar a foto com texto na galeria e, então, publicá-la.

Vale lembrar também que a novidade segue em testes, portanto, é possível tanto que ela seja lançada, como também que ela sequer seja liberada para o público.

Com informações de MacMagazine

Twitter divide página inicial entre categorias For You e Following

O Twitter deu um passo à frente em sua atualização na página inicial. Após alterar o feed na versão do aplicativo para o sistema operacional iOS, a divisão entre For You e Following chegou também na interface para a web da rede social.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

10 coisas que os astronautas não podem fazer no espaço

Saiba 10 coisas simples do cotidiano que os astronautas não podem fazer no espaço, ou precisam fazer de maneira bem mais limitada

Por Edson Kaique Lima, editado por Bruno Ignacio de Lima  

Olhar Digital

Viver no espaço é muito diferente do que viver em terra firme. Podemos começar pelo fato de não ser um lugar com as condições adequadas para abrigar a vida, sendo artificialmente preparado para tal. Mas, além disso, existem algumas coisas que os astronautas e cosmonautas não podem fazer de maneira alguma, sendo algumas delas inimagináveis para nós, que temos empregos normais.

ausência da gravidade faz com que atividades corriqueiras, que muitas vezes fazemos no automático e sequer nos damos conta de que estamos realizando, se tornem simplesmente impossíveis. Ficou curioso para saber mais? Confira essa lista de 10 coisas que um astronauta não pode fazer no espaço e depois nos diga se vale a pena se privar disso pelo progresso da ciência.

Saborear alimentos

Estar no espaço afeta de maneira substancial todos os cinco sentidos, principalmente o olfato e o paladar. Após um certo período de tempo, os fluidos do corpo humano passam a se mover de maneira diferente, indo para a cabeça e preenchendo as passagens nasais, o que impacta a capacidade de sentir cheiros e, consequentemente, de sentir o sabor dos alimentos.

Comer pães e usar sal

Os astronautas não podem comer pães por conta das migalhas que se soltam durante o consumo do alimento. Esses restos, que ficam flutuando pela Estação Espacial Internacional, podem chegar a equipamentos do posto avançado e danificá-los. O mesmo vale para condimentos em pó, como sal e pimenta. Para temperar a comida, os astronautas usam versões líquidas de temperos.

Beber álcool

Essa não é por nenhuma razão prática, mas apenas moral. Apenas os astronautas dos Estados Unidos não podem consumir bebidas alcoólicas. Os russos, por sua vez, são encorajados a consumir conhaque para melhorar seus sistemas imunológicos. A proibição para os americanos se dá por conta da opinião pública, que não aceita que os astronautas do país, sendo na maioria das vezes militares, bebam álcool no espaço.

Defecar em um vaso sanitário

A ISS não conta com banheiro ou vaso sanitário, por conta disso, os astronautas e cosmonautas que ficam hospedados na estação têm que fazer um grande esforço para defecar. A cabine para este fim é estreita e não tem portas, apenas uma cortina. Além disso, o buraco que precisa ser acertado é bem estreito, e ainda há o risco de que as fezes escapem e fiquem flutuando pela estação.

Escrever com uma caneta esferográfica

Aquela história antiga de que foi necessário um projeto caro e longo para desenvolver uma caneta especial para se escrever no espaço não é 100% lenda. As canetas esferográficas precisam da ação da gravidade para que a tinta desça até a ponta, por isso, para escrever no espaço, os astronautas precisam de uma caneta com cartucho pressurizado com nitrogênio, que permite a escrita em gravidade zero.

Ter um sono saudável

Muita gente tem problemas com insônia, mas no espaço, ter um sono saudável é uma tarefa quase impossível. Em 24 horas, a ISS dá cerca de 16 voltas completas na órbita da Terra, isso significa que os astronautas experimentam pelo menos 15 pores-do-sol enquanto a gente viu um só. Com isso, eles não podem depender dos padrões de luz para regular seu sono.

Ter relações sexuais

Essa é mais uma proibição que entra no rol das regras morais e de comportamento da Estação Espacial Internacional. Os astronautas não podem fazer sexo nas dependências da estação, mas, mesmo se pudessem, dificilmente teriam privacidade para conseguir, já que a rotina de trabalho dentro da ISS é bastante intensa.

Se masturbar

As mesmas regras morais que valem para relações sexuais também servem para a masturbação, já que é difícil ter um momento sozinho para isso e fazer o ato na frente dos colegas é, na melhor das hipóteses, vergonhoso, mas também pode ser classificado como assédio. Além disso, o ato de se masturbar libera fluidos corporais, que também podem chegar ao maquinário e danificá-lo.

Tomar banhos quentes

Assim como a tinta das canetas, a água dos chuveiros também precisa da força da gravidade para descer em direção ao solo, por isso, eles não foram sequer instalados na ISS. Além disso, a água precisa ser usada da maneira mais eficiente possível, o que faz com que os astronautas precisem tomar banhos de esponja usando água destilada da umidade do ar, lavagem de mãos e até urina.

Chorar

Se todas essas razões deixarem os astronautas tristes e os fizerem chorar, nem isso eles podem fazer. Os astronautas não podem chorar porque é necessário que a gravidade aja sobre as lágrimas para que elas caiam pelo rosto. Na gravidade zero, as lágrimas formam uma espécie de bolha, que vai crescendo gradativamente, até que fique grande o suficiente para se desprender dos olhos.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Não precisa colocar o pé no chão! Conheça a moto elétrica que se equilibra sozinha

Não adianta querer derrubar, pois as scooters Liger X e X+ contam com um sistema para se manterem equilibradas

Nick Ellis 

Olhar Digital

A Liger X é uma moto (ou scooter) elétrica com vários truques na manga, mas o principal deles é que ela se equilibra sozinha, sem que o piloto precise sequer colocar os pés no chão quando precisar parar. Ela também tem uma proteção contra impactos laterais, mesmo que alguém tente empurrar ela no chão, ela vai se manter em pé, firme e forte.

Outras vantagens dessa simpática moto é que ela conta com um modo ré, e assim pode sair sozinha da vaga atendendo a um comando de voz, facilitando a vida do usuários. Além disso, para quem estiver aprendendo a pilotar motos, ela também conta com um modo iniciante, que se mantém equilibrada com um limite de velocidade que torna o processo bem mais seguro. 

Moto que se equilibra sozinha vai ganhar novos recursos em atualizações

A Liger Mobility apresentou dois modelos no Auto Expo 2023 na Índia, a Liger X e a Liger X+. Essas scooters contam com velocidade máxima de 65 km/h, e um alcance de 60 km e 100 km, dependendo da versão.

Não adianta querer derrubar, as scooters Liger X e Liger X+ vão continuar em pé
Não adianta querer derrubar, Liger X e Liger X+ vão continuar equilibradas / Divulgação: Liger Mobility

Outro detalhe interessante é que a empresa promete liberar novos recursos e funcionalidades em atualizações OTA (over-the-air), melhorando a Liger X e a X+ com o tempo. 

Clique abaixo para ver o vídeo de apresentação das motos que se equilibram sozinhas.

Além disso, assista também ao vídeo abaixo, que revela mais detalhes sobre essa scooter, incluindo a proteção de impactos laterais.

Essa scooter é o resultado de dois anos de pesquisa e vários protótipos. Ainda não sabemos quanto vão custar as scooters, mas pelos vídeos de apresentação, dá para dizer que a tecnologia parece promissora.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Nada de talheres e pratos de plástico! Inglaterra proíbe poluentes descartáveis

Decisão de proibir itens de plástico foi tomada após consulta pública que começará a valer a partir de outubro deste ano

André Lucena  

Olhar Digital

A Inglaterra anunciou que uma variedade de plásticos poluentes descartáveis ​​será proibida no país a partir de outubro deste ano. Entre os itens estão:

  • Pratos de plástico de uso único
  • Bandejas
  • Tigelas
  • Talheres
  • Palitos de balão
  • Certos tipos de copos de poliestireno
  • Recipientes para alimentos

Todos nós conhecemos os impactos absolutamente devastadores que o plástico pode ter em nosso meio ambiente e na vida selvagem. Ouvimos o público e essas novas proibições de plásticos de uso único continuarão nosso trabalho vital para proteger o meio ambiente para as gerações futuras

Thérèse Coffey, secretária do Meio Ambiente da Inglaterra

Estimativas apontam que o país usa 2,7 bilhões de talheres descartáveis ​​– a maioria dos quais são de plástico – e 721 milhões de pratos descartáveis ​​por ano, mas apenas 10% são reciclados. Se 2,7 bilhões de talheres estivessem alinhados, eles dariam a volta ao mundo oito vezes e meia (com base em um talher de 15 cm).

“O plástico é um flagelo que destrói nossas ruas e belos campos e estou determinada a nos afastar de uma cultura de uso único”

Rebecca Pow, ministra do Meio Ambiente

O governo inglês explicou que mais de 95% dos que responderam à consulta pública feita no país foram a favor das proibições. “Tenho orgulho de nossos esforços nessa área: banimos as microesferas, restringimos o uso de canudos, mexedores e cotonetes e nossa cobrança de sacolas reduziu as vendas em mais de 97% nos principais supermercados”, completou Thérèse Coffey.

Para se ter uma ideia, os talheres de plástico estavam entre os 15 itens mais jogados no lixo na Inglaterra em 2020. “Ao introduzir uma proibição no final deste ano, estamos reforçando nosso compromisso de eliminar todos os resíduos plásticos evitáveis. Também continuaremos com nossos planos ambiciosos para um esquema de devolução de depósitos para recipientes de bebidas e coletas de reciclagem consistentes na Inglaterra”, finalizou Rebecca Pow.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.