Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Medidas restritivas para conter a Covid-19 são prorrogadas pela 3ª vez em Fernando de Noronha

Restrições passam a valer até o dia 23 de maio. Com isso, seguem proibidas as atividades não essenciais das 22h às 5h, inclusive nos finais de semana.

Por Ana Clara Marinho

A Administração de Fernando de Noronha prorrogou, pela 3ª vez, as medidas restritivas para conter a Covid-19. As restrições, que valiam até o domingo (9), continuam em vigor até o dia 23 de maio. Com isso, permanece proibido o funcionamento das atividades não essenciais, das 22h às 5h, inclusive nos finais de semana.

Na ilha, também não podem ocorrer festas, shows, eventos sociais, corporativos ou institucionais de qualquer tipo, com ou sem comercialização de ingressos, em ambientes fechados ou abertos, públicos ou privados.

A utilização de som na faixa de areia das praias e em bares, lanchonetes, restaurantes e estabelecimentos similares continua proibida em Noronha.

O governo local informou que segue em vigor o protocolo para a entrada de visitantes na ilha, com a exigência da apresentação de exames para identificação do novo coronavírus, realizados 48 horas antes do embarque.

Em Noronha, é obrigatório o uso de máscara de proteção contra Covid-19. O desrespeito a essa regra pode ser punido com multa, com valor inicial de R$ 500.

Covid-19 na ilha

De acordo com a Administração de Fernando de Noronha, até sexta-feira (7), foram registrados 661 casos da Covid-19 na ilha, desde o início da pandemia, em março de 2020.

Desse total, 650 pessoas estão recuperadas da doença e três óbitos foram confirmados. Há, ainda, oito pacientes em isolamento domiciliar, cumprindo quarentena na ilha.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Após ficar 50 dias em coma por causa da Covid, mulher celebra Dia das Mães com filhos: ‘vai ficar na história’, diz

Evellyn Oliveira estava grávida quando foi infectada. Com complicações em decorrência da doença, não viu a filha mais nova nascer, pois teve que ser intubada.

Por Priscilla Aguiar, G1 PE

Evellyn conseguiu pegar filha no colo pela primeira vez apenas 45 dias após o nascimento

A designer de interiores Evellyn Oliveira enfrentou inúmeros desafios para conseguir passar o Dia das Mães com os filhos Bento e Maria Alice, neste domingo (9). Ela estava grávida quando foi infectada pela Covid-19. Com complicações em decorrência da doença, encontrava-se intubada e desacordada quando a filha nasceu, no fim de 2020.

Foram 67 dias internada, 50 deles em coma. Uma luta pela vida com final feliz. “Quando acordei lembro de um enfermeiro me contando o que tinha acontecido.

Evellyn passou 67 dias internada, 50 deles em coma. Hoje vai passar o Dia das Mães ao lado dos filhos — Foto: Reprodução/WhatsApp

Evellyn passou 67 dias internada, 50 deles em coma. Hoje vai passar o Dia das Mães ao lado dos filhos — Foto: Reprodução/WhatsApp

‘Você precisou ser intubada, a sua filhinha nasceu, ela está bem. Está na UTI neonatal, mas só ganhando peso. O pior já passou. Você é uma vencedora’ ele disse”, lembrou.

Hoje Maria Alice está com quatro meses e o irmão mais velho com 1 ano e seis meses. Evellyn lembra aliviada de tudo que passou.

“Quando completei as 29 semanas de gestação fizeram o parto. Escolheram um dia em que eu estava estável, conseguiram me levar para o bloco cirúrgico e minha filha nasceu, comigo intubada”, disse.

Ela posou com fotos dos filhos nas mãos no dia que despertou do coma  — Foto: WhatsApp/Reprodução

Ela posou com fotos dos filhos nas mãos no dia que despertou do coma — Foto: WhatsApp/Reprodução

Depois do parto, no dia 28 de dezembro, o quadro de saúde piorou bastante. Evellyn precisou se submeter a uma traqueostomia.

E depois, com 100% do pulmão comprometido, teve que utilizar uma terapia que se assemelha ao uso de um pulmão artificial, o ECMO [Oxigenação por Membrana Extracorpórea].

“O que me contaram desse tempo que eu fiquei inconsciente foi que foi muito difícil, muitas notícias ruins. Passei 20 dias na ECMO para tentar descansar esse pulmão. E além disso sempre tinha outros fatores. Algumas infecções que apareceram”, contou.

Foram tantos dias hospitalizada que Evellyn completou 25 anos quando estava internada, no dia que precisou ser intubada — Foto: Reprodução/WhatsApp

Foram tantos dias hospitalizada que Evellyn completou 25 anos quando estava internada, no dia que precisou ser intubada — Foto: Reprodução/WhatsApp

“É um momento que vai ficar para sempre na minha memória. A gente ter os filhos no braço é um presente, principalmente depois dessa trajetória tão difícil, tanto minha quanto dela”, observou.

Foram tantos dias hospitalizada que Evellyn completou 25 anos quando estava internada. E no mesmo dia precisou ser intubada. Apenas 45 dias após o nascimento da filha ela conseguiu pegar Maria Alice no colo pela primeira vez.

O reencontro com Bento demorou 67 dias para acontecer e também foi com muita emoção. Quando ouviu a voz do filho, ainda do elevador, as lágrimas já começaram a cair. O filho olhava para o rosto dela, repetia mamãe sem parar e dava vários sorrisos.

“Foi um alívio. Eu disse ‘ele lembra de mim, ele não me esqueceu’. E uma alegria de voltar para casa e ter esse reencontro de novo com ele. E Alice também, que já estava em casa”, afirmou.

Reencontro de Evellyn com Bento, de um ano e seis meses, foi com muita emoção

O Dia das Mães, Evellyn não tem dúvidas, de que será especial. “Com certeza virão outros, se Deus quiser, mas esse vai ser o melhor, vai ser o que vai ficar na história. Os dois filhos no braço. Depois das batalhas que enfrentamos, eu e Maria Alice, passarmos juntas vai ser um presente de Deus”, comemorou.

Andrey enviava mensagens para a esposa todos os dias, mesmo quando ela estava desacordada — Foto: Reprodução/TV Globo

Andrey enviava mensagens para a esposa todos os dias, mesmo quando ela estava desacordada — Foto: Reprodução/TV Globo

O marido, o corretor de seguros Andrey Cavalcanti, cuidava tudo em casa para que ela se recuperasse e enviava mensagens para a esposa todos os dias, mesmo quando ela estava desacordada e não podia ler.

Evellyn Oliveira estava entubada e em coma quando a filha nasceu — Foto: Reprodução/TV Globo

Evellyn Oliveira estava entubada e em coma quando a filha nasceu — Foto: Reprodução/TV Globo

“Quando ela ficou internada a princípio, antes de ser intubada, me recordo de uma frase que ela mandou dizendo ‘cuida bem dele’, se referindo ao nosso filho. Então eu sempre ia atualizando ela de como estavam as coisas”, lembrou.

Andrey conta que tinha medo de perder a companheira e ter que cuidar dos filhos sozinho — Foto: Reprodução/TV Globo

Andrey conta que tinha medo de perder a companheira e ter que cuidar dos filhos sozinho — Foto: Reprodução/TV Globo

Nos primeiros dias, Andrey conta que o medo de perder a companheira e ter que cuidar dos filhos sozinho era enorme.

“Nos dez primeiros dias eu tive medo, mas depois que o tempo foi passando o meu sentimento foi de saudade. Quando ela acordou foi a melhor emoção da minha vida. Eu acredito que ainda não vai ter outra”, disse.

 Evellyn Oliveira no Dia das Mães com os filhos Bento e Maria Alice — Foto: WhatsApp/Reprodução

Evellyn Oliveira no Dia das Mães com os filhos Bento e Maria Alice — Foto: WhatsApp/Reprodução

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Motorista perde controle em pista molhada, bate em outro carro, derruba poste e fecha parte de BR

Segundo Polícia Rodoviária Federal (PRF), colisão ocorreu na manhã deste domingo (9), na BR-101, no bairro do Curado, na Zona Oeste do Recife. Engarrafamento chegou a três quilômetros de extensão.

Por G1 PE

Poste foi derrubado em acidente entre dois carros na BR-101, no Recife, e provocou a interdição de uma faixa da rodovia, neste domingo (9) — Foto: PRF/Divulgação

Poste foi derrubado em acidente entre dois carros na BR-101, no Recife, e provocou a interdição de uma faixa da rodovia, neste domingo (9) — Foto: PRF/Divulgação

Um acidente entre dois veículos provocou a queda de um poste na BR-101, na Zona Oeste do Recife, neste domingo (9). Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), por causa da batida, na pista molhada, a rodovia ficou parcialmente fechada. O engarrafamento chegou a três quilômetros de extensão.

Ainda seguindo a PRF, o acidente aconteceu por volta das 10h30, no quilômetro 70 da BR, no bairro do Curado, no sentido capital/Paulista. A polícia disse que não houve feridos na colisão.

Um dos veículos envolvidos no acidente ficou com a parte traseira danificada, na BR-101, no Curado, na Zona Oeste do Recife, neste domingo (9) — Foto: PRF/Divulgação

Um dos veículos envolvidos no acidente ficou com a parte traseira danificada, na BR-101, no Curado, na Zona Oeste do Recife, neste domingo (9) — Foto: PRF/Divulgação

A corporação informou que a pista estava molhada no momento da colisão. “O motorista aquaplanou, perdeu o controle, atingiu outro carro e bateu no poste, que caiu sobre a rodovia”, relatou a PRF, por meio de nota.

No comunicado, a polícia informou também que uma passageira foi levada para o Hospital da HapVida, no Recife. Ela não teve ferimentos na colisão, mas apresentava suspeita de Acidente Vascular Cerebral (AVC).

O motorista realizou o teste do bafômetro e o resultado foi normal Ou seja, não houve consumo de bebida alcoólica.

O poste ficou caído na faixa da esquerda da rodovia. A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) para fazer reparos no local. A pista foi liberada às 14h, segundo a PRF.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Prefeito de Itaquitinga, na Zona da Mata de Pernambuco, morre em acidente de carro

Segundo assessores, Pablo Moraes, de 38 anos, estava sozinho no veículo, nesta sábado (8), quando saiu da cidade para Carpina, na mesma região.

Por G1 PE

Pablo Moraes, de 38 anos, morreu em acidente de carro, neste sábado (8) — Foto: Reprodução/Redes sociais

Pablo Moraes, de 38 anos, morreu em acidente de carro, neste sábado (8) — Foto: Reprodução/Redes sociais

O prefeito de Itaqutinga, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, morreu, neste sábado (8), em um acidente de carro. Segundo assessores, Pablo Moraes (PSB) de 38 anos, estava sozinho no veículo.

De acordo com Djair Anderson, um dos assessores de comunicação da prefeitura de Itaquitinga, Moraes estava saindo da cidade para ir até Carpina, na mesma região.

“A batida aconteceu no fim de tarde, na rodovia que liga Itaquitinga a Nazaré da Mata [PE_52]”, contou o assessor. Ele informou, ainda, que o prefeito chegou a ser levado para o hospital, mas não resistiu.

Anderson não soube informar o que teria provocado o acidente. Ele disse que o enterro deve ocorrer no domingo (9), em Itaquitinga, mas não divulgou o horário.

Pablo Moraes estava no segundo mandato de prefeito. Ele comandou o Executivo municipal entre 2013 e 2016 e e venceu as últimas eleições, em 2020.

Repercussão

Por meio de nota. o governador Paulo Câmara (PSB) lamentou a morte do prefeito de Itaquitinga. Segundo ele, Pablo Moraes “vem de uma família dedicada à política na Mata Norte”. O gestor prestou solidariedade aparentes e amigos.

Também por meio de nota, a a Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) “externou com muito pesar o falecimento precoce do prefeito de Itaquitinga.”

A entidade confortou os familiares e amigos do gestor que morreu, “neste momento de tanta dor”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Delegado Bruno Bezerra assume delegacia de Brejo da Madre de Deus

Policial civil ficou no lugar do delegado Anderson Liberato, morto a tiros durante mandado de prisão.

Por G1 Caruaru

Delegado Bruno Bezerra — Foto: TV Asa Branca/Divulgação

Delegado Bruno Bezerra — Foto: TV Asa Branca/Divulgação

O delegado Bruno Bezerra assumiu a Delegacia de Polícia Civil de Brejo da Madre de Deus, no Agreste de Pernambuco. O policial civil está no lugar do delegado Anderson Liberato, de 32 anos, morto a tiros enquanto cumpria dois mandados de prisão contra um casal suspeito de homicídio em Jataúba.

Bruno Bezerra estava à frente Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (Adeppe), e já trabalhou em diversas delegacias do Estado.

Morte do delegado Anderson Liberato

O delegado Anderson Liberato foi morto a tiros no dia 17 de abril, ao cumprir mandados de prisão contra um casal suspeito de homicídio. Um dos alvos era o suspeito de atirar contra o delegado, segundo a Polícia Civil.

A médica Solange Ferreira de Almeida, que atendeu Anderson na Unidade Mista Ana Argemira Correia, em Jataúba, disse que o delegado levou 3 tiros.

Liberato era titular da Delegacia de Polícia Civil de Brejo da Madre de Deus. Ele tinha 32 anos e ingressou na corporação em 29 de janeiro de 2018.

_


_

Publicidades:

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Homem rouba carro, é baleado em tiroteio com a polícia, faz família refém dentro de casa e é preso em flagrante no Recife

Caso ocorreu na manhã desta quinta-feira (6), entre os bairros do Ibura e Jordão, na Zona Sul. Ex-presidiário de 25 anos está sob custódia em hospital na capital.

Por G1 PE

Carro roubado por jovem que  fez família refém e foi baleado, no Recife, atingiu poste e derrubou fios, nesta quinta (6) — Foto: PM/Divulgação

Carro roubado por jovem que fez família refém e foi baleado, no Recife, atingiu poste e derrubou fios, nesta quinta (6) — Foto: PM/Divulgação

Um assalto a um motorista terminou em perseguição, troca de tiros e acidente de trânsito envolvendo um jovem de 25 anos. Ex-presidiário, o suspeito ficou ferido em confronto com a Polícia Militar (PM), invadiu uma casa, fez uma família refém e foi preso em flagrante, na manhã desta quinta-feira (6), na Zona Sul do Recife.

O caso teve início por volta das 8h, no bairro do Ibura, na Zona Sul da capital pernambucana. A ação foi encerrada no fim da manhã, com o registro da ocorrência.

Segundo o comandante do 19º Batalhão da PM, major Eliel Thomaz, dois homens estavam em um carro e assaltaram o motorista de uma picape na Rua Xingu, uma das mais movimentadas do bairro.

O motorista assaltado, disse o oficial da PM, não reagiu, entregou a chave do veículo e ligou para o telefone 190, de emergência policial.

Em seguida, uma equipe do Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati) do batalhão, que estava na região, começou a procurar o carro roubado. Ao chegar ao bairro do Jordão, vizinho ao Ibura, a equipe da PM encontrou o homem que estava dirigindo o veículo roubado.

Picape ficou com marca de bala perto da maçaneta da porta depois de tiroteio entre policiais militares e jovens, no Recife, nesta quinta (6) — Foto: PM/Divulgação

Picape ficou com marca de bala perto da maçaneta da porta depois de tiroteio entre policiais militares e jovens, no Recife, nesta quinta (6) — Foto: PM/Divulgação

“Ele começou a atirar e a equipe revidou. Ele foi baleado, perdeu o controle da picape, bateu em um poste e derrubou vários fios”, contou o major Eliel Thomaz.

Mesmo ferido, acrescentou o oficial, o rapaz, que não teve o nome divulgado, conseguiu escapar ao primeiro cerco policial.

“Ele pulou muros e telhados de várias residências e entrou em uma casa, onde estavam um idoso, uma mulher e uma jovem”, comentou.

Essa família, disse o PM, ficou sob a mira de um revólver durante cerca de 20 minutos. “Na casa, o homem estava ferido e sangrando. Ele deitou em uma cama ainda fingiu ser parente das pessoas que moravam na residência, tentando despistar a polícia, que fazia rondas na área”, contou.

Em um determinado momento, acrescentou Thomaz, o jovem ferido perdeu o controle da situação. A jovem saiu de casa, foi para a rua e chamou a polícia, confirmando que o suspeito estava no local.

Detido em flagrante, o homem ferido foi levado para a Policlínica Arnaldo Marques, no Ibura. Com um ferimento na barriga, teve que ser transferido para o Hospital da Restauração (HR), no Derby, na área central do Recife, onde ficou internado sob custódia policial.

“O rapaz ferido já tinha passagem pela polícia por assaltos e tráfico de drogas. Ele deixou o presídio em fevereiro deste ano e já estava na rua, praticando outros crimes”, afirmou o major da PM. A equipe do Gati informou que apreendeu a arma usada pelo suspeito.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

PE recebe mais 165 mil doses de vacina contra Covid para imunizar pessoas com doenças pré-existentes

A nova remessa da AstraZeneca chegou ao Recife, nesta quinta-feira (6). De acordo com o governo, esse lote vai ser utilizado para a imunização de pessoas com comorbidades.

Por G1 PE

Um novo lote com 165.100 doses da vacina da Astrazeneca/Fiocruz contra a Covid-19 chegou a Pernambuco, nesta quinta-feira (6). A nova remessa, de acordo com o governo, vai ser utilizada para a imunização de pessoas com doenças pré-existentes.

Os 18 volumes foram desembarcados no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes Gilberto Freyre às 16h20, na Zona Sul do Recife, e seguiram para armazenamento e divisão entre os municípios no Programa Estadual de Imunização.

De acordo com o secretário de Saúde, André Longo, o estado ainda espera o envio de novas doses da Coronavac, para assegurar a segunda dose dos idosos, além de nova remessa da Pfizer.

Com a nova remessa, chega a 3.095.180 o número de doses de vacinas contra a Covid-19 recebidas por Pernambuco.

Foram desembarcadas, desde janeiro de 2021, 1.789.560 da Coronavac/Butantan, 1.288.070 da Astrazeneca/Fiocruz e 17.550 da Pfizer/BioNTech.

Grávidas e puérperas

De acordo com a Secretaria de Saúde do Recife, até agora foram aplicadas 1.554 das 10.890 doses da vacina Pfizer recebidas pelo município.

A capital começou a usar o imunizante na quarta-feira (5) para vacinar as grávidas e puérperas que moram na cidade.

Ainda há 9.336 doses em estoque e foram feitos agendamentos prévios para a vacinação de 3.492 pessoas deste grupo prioritário. O cadastro e agendamento é totalmente digital, por meio do Conecta Recife.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Sindicato denuncia falta de UTIs e material para intubar crianças com Covid; promotora determina inspeção em hospital

Entidade que representa médicos aponta falta de tubos, respiradores e outros equipamentos no Hospital Barão de Lucena, na Zona Oeste do Recife. MPPE deu prazo de 48 horas para o estado se pronunciar.

Por G1 PE

O Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) denunciou, nesta quinta (6), a falta de insumos e a espera por leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para crianças, no Hospital Barão de Lucena, na Iputinga, Zona Oeste do Recife. Segundo a entidade, faltam materiais para intubação de pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), respiradores e outros equipamentos.

Também nesta quinta, a Promotoria de Justiça em Saúde do Ministério Público de Pernambuco determinou uma inspeção no local. O MPPE enviou um ofício para a Secretaria Estadual de Saúde (SES) e para a direção do hospital, para que se pronunciem sobre o caso em 48 horas.

Os problemas no Barão de Lucena, segundo o Simepe, são recorrentes. O local é referência de atendimento pediátrico para crianças com sintomas respiratórios e, em março, foram relatados, inclusive, pacientes aguardando por atendimento dentro de ambulâncias.

Cerca de 500 crianças são atendidas no local, mensalmente. Atualmente, em todo o estado, há cerca de 170 leitos dedicados a crianças com sintomas de Covid, sendo 62 de UTI.

“Em março, tivemos exatamente a mesma situação. Crianças mal assistidas, falta de equipamentos, fila de espera para UTIs. Na sexta-feira (30), havia cinco crianças intubadas e duas com indicação de intubação, mas não tinha respirador mecânico, o circuito completo. O sindicato falou com os gestores e removeram de um suporte de reserva para intubar as esses pacientes”, afirmou a presidente do Simepe, Cláudia Beatriz Andrade.

Em março, de acordo com o Simepe, uma denúncia foi aberta na Promotoria de Saúde do Ministério Público e no Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). Nesta quinta, novas diligências devem ser feitas pelo sindicato para avaliar a situação no hospital.

“Recebemos a notícia de que está faltando tubo para os pacientes. Não são todos, mas tamanhos específicos, como de 3,5 e 4 milímetros. A demanda continua crescendo e, mesmo superlotado, serviço continua aberto à Central de Regulação. Todo ano a gente tem o mesmo problema”, disse.

De acordo a promotora Helena Capela, que atua na Defesa da Saúde da Capital, um representante do MPPE está verificando a situação pessoalmente e vai elaborar um relatório.

Ela também ressaltou que, nos últimos dias, a promotoria não vem recebendo a lista de espera de UTIs em Pernambuco.

“Não recebi ontem e nem hoje a lista de espera para UTIs no estado. Eles alegaram que estão com problema no sistema, mas exigimos essa informação, nem que seja uma lista manual”, afirmou.

A preocupação, segundo a promotora, é que nos meses de abril e maio já há naturalmente um aumento da procura por leitos pediátricos por conta de doenças respiratórias sazonais.

“A lista de espera da UTI para criança vem aumentando. A gente acha que um fator motivador é essa flexibilização maior, com maior trânsito de pessoas”.

Medicamentos

A promotora Helena Capela afirmou que já tem um procedimento aberto que acompanha o abastecimento de medicamentos, com uma falta nacional.

Ela participou de uma audiência com o secretário estadual de Saúde, André Longo, e representante de todas as unidades com UTI Covid, inclusive o Barão de Lucena.

“Eles informaram que essas unidades tem estoque para um período que variava de 40 a 60 dias, mas que estavam com dificuldade de comprar. Por isso, notifiquei todos os fabricantes para uma audiência”, disse.

Resposta

Procurada pelo G1, a SES informou que a unidade “está abastecida dos materiais e medicamentos necessários para fazer a intubação de pacientes pediátricos suspeitos ou confirmados da Covid-19, inclusive os tubos orotraqueal das numerações entre 3 e 5”.

A SES afirmou que não houve falta nos últimos dias e que “cada setor faz pedidos semanais de suas necessidades, contudo, caso seja preciso de mais insumos, é indispensável o contato com a central de abastecimento da unidade para que haja a regularização de imediato”.

A secretaria disse que “não tem registro de falta de respiradores para os pacientes que necessitam desse tipo de suporte terapêutico” e que nos últimos dias, o hospital recebeu mais cinco respiradores para reforçar a assistência na unidade.

“Sobre a emergência pediátrica, foi reforçada a escala de trabalho para atender a demanda. Com isso, a escala, que era feita com quatro profissionais, passou a ser feita com seis, além de mais um médico evolucionista”, disse o governo.

“Enquanto aguarda transferência para leito de UTI, um processo dinâmico, o paciente conta com a devida assistência, com suporte ventilatório, quando necessário, e acompanhamento de equipe multiprofissional, inclusive com fisioterapeutas”, afirmou a nota da SES.

“A SES reforça que a positividade para Covid-19 entre o público pediátrico é baixa e que essa população representa 1,6% dos casos graves provocados pelo novo coronavírus no estado. Lembra, ainda, que entre março e junho há a sazonalidade de vírus respiratórios, causando as viroses comuns neste período do ano”, afirmou o governo, por meio de nota.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Duas agentes ficam feridas após jovens tentarem fugir de unidade da Funase no Cabo de Santo Agostinho

Dois internos do Case de Pirapama foram impedidos de fugir por agentes socioeducativos. Uma das agentes levou um corte na orelha e foi atendida no hospital, segundo a Funase.

Por G1 PE

Case de Pirapama, no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, em foto antes da inauguração — Foto: Funase/Divulgação

Case de Pirapama, no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, em foto antes da inauguração — Foto: Funase/Divulgação

Dois internos do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Pirapama, no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, foram impedidos de fugir na quinta-feira (6). Duas das agentes que ajudaram na contenção ficaram feridas, segundo a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase).

Uma das servidoras teve um corte na orelha, foi encaminhada ao Hospital Mendo Sampaio, no mesmo município, recebeu atendimento e foi liberada logo em seguida, ainda de acordo com a fundação. A outra agente socioeducativa teve ferimentos leves e não precisou de atendimento hospitalar.

“Não houve tumulto ou participação de outros socioeducandos no caso”, informou a fundação em nota. Os dois internos envolvidos foram colocados à disposição da Polícia Civil, autuados e levados para a Unidade de Atendimento Inicial (Uniai) da Funase.

Outros casos

Em maio de 2020, 11 jovens fugiram do Case de Pirapama. Na ocasião, dois adolescentes também ficaram feridos. Houve um incêndio, que foi controlado pelos agentes socioeducativos.

Além dessa unidade, há uma outra, mais antiga, também localizada no Cabo de Santo Agostinho, em que foi registrado o resgate de três jovens infratores em 2019.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Vigilância aponta que frutos do mar podem ter causado intoxicação alimentar após festival em Noronha

Resultado preliminar da investigação foi divulgado nesta quinta (6).Segundo a Vigilância Epidemiológica de Pernambuco, o número de pessoas que passaram mal em pousada subiu de 16 para 37.

Por Ana Clara Marinho

A Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa) e a Vigilância Epidemiológica Estadual divulgaram, nesta quinta (6), dados preliminares sobre a investigação de casos de intoxicação alimentar após um festival gastronômico em Fernando de Noronha. Segundo as equipes, frutos do mar podem ter provocado o problema. O número de pessoas afetadas subiu de 16 para 37.

caso ocorreu em 28 de abril, após um festival gastronômico ocorrido na Pousada Zé Maria. A intoxicação alimentar atingiu principalmente turistas.

Inicialmente, a Administração da ilha havia divulgado que 16 pessoas tinham ficado doentes. A Vigilância informou, agora, que foram 37 intoxicados.

A equipe da Vigilância Epidemiológica do estado é formada por cinco profissionais. Eles chegaram ao arquipélago, na segunda-feira (3). O grupo se juntou aos servidores da Vigilância Sanitária da ilha.

“Nós ouvimos pessoas que tiveram doentes e quem não teve problemas para saber qual alimento consumido. Enviamos amostras de alimentos e amostras clínicas das pessoas para análise laboratorial. A suspeita principal é que o problema tenha ocorrido com frutos do mar”, informou o gerente do Núcleo de Vigilância e Resposta em Saúde Pública, George Dimech.

Segundo Dimech, são investigados o transporte, o armazenamento até a preparação do alimento. O levantamento já ouviu 70 pessoas.

Os clientes que passaram mal foram diagnosticados com gastroenterite. O restaurante da pousada está interditado.

A investigação apontou que os produtos consumidos no festival foram adquiridos em uma outra empresa, que pertencente ao mesmo grupo da Pousada Zé Maria. Essa empresa também foi interditada.

“Encontramos algumas não conformidades nessa empresa, que não estão relacionadas com o problema, mas neste local há o armazenamento de frutos do mar, produtos que estão na linha de investigação. Até termos a certeza de como esses produtos participaram diretamente do surto, esses alimentos ficam interditados cautelarmente”, afirmou o gerente geral da Apvisa, Josimeison Bezerra.

Um relatório parcial da investigação vai ser concluído na sexta-feira (7). Em caso de comprovação das causas do surto, as empresas podem ser penalizadas.

“As empresas estão sujeitas a multas, interdição ou até perder a concessão das atividades. Temos muitas variáveis para analisar, que chamamos de dosimetria da pena”, declarou Josimeison Bezerra.

A direção da pousada foi procurado pelo G1 para falar sobre o assunto. A diretora da pousada, Ana Cláudia Sultanum, informou, por meio de mensagem, que a investigação continua em curso.

Ela afirmou, ainda, que a investigação não foi concluída que e “a Pousada Zé Maria está, como desde o início, não só colaborando com os órgãos competentes, como revisando e elevando o padrão de qualidade de seus serviços prestados a mais de 30 anos”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.