Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Policial militar reage a assalto e atira em casal; mulher é baleada e morre em UPA e homem é preso após fugir

Segundo a Polícia Civil, os assaltantes tentaram roubar a moto da soldado no bairro do Curado, na Zona Oeste do Recife. Após ser preso, homem foi levado para o DHPP.

Por Bruno Marinho, g1 PE

Uma policial militar reagiu a um roubo e atirou contra um casal de assaltantes que tentou roubar a moto da soldado, no bairro do Curado, na Zona Oeste do Recife. Uma mulher de 25 anos foi baleada e socorrida para uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do bairro, onde morreu. Um homem de 29 anos fugiu do local do crime, mas foi preso em flagrante, em seguida.

Esse caso ocorreu na noite da quarta-feira (18) e foi divulgado pelas polícias nesta quinta-feira (19). Por meio de nota, a Polícia Militar (PM) informou que a soldado, de 37 anos, estava voltando para casa quando foi abordada pelo casal, que estava em uma moto, “anunciou o assalto e ameaçou [a policial] com uma arma de fogo”.

Após ser preso por roubo, o homem foi levado para o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife. Com ele, foram apreendidos um simulacro de arma de fogo e uma pistola de brinquedo, de acordo com a Polícia Civil.

Segundo a PM, a soldado também seguiu para a delegacia o DHPP para concluir os procedimentos. A Polícia Militar afirmou que o homem preso tem antecedentes criminais, mas não informou por quais crimes ele responde na Justiça ou já foi condenado.

Como o nome do homem preso não foi divulgado, não foi possível obter, junto com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), o resultado da audiência de custódia dele para saber se ele segue para o Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Arma de delegada é furtada dentro de delegacia no Grande Recife e dois homens são presos

Caso ocorreu nesta quarta (18), em Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes. Por nota, polícia disse que prendeu suspeito do furto e receptador.

Por g1 PE

Uma arma foi furtada de dentro de uma delegacia, nesta quarta (18), em Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Segundo informações repassadas ao g1, esse armamento pertencia a uma delegada.

O furto foi confirmado pela Polícia Civil, por meio de nota. No comunicado, a corporação disse que a arma tinha sido “recuperada pela Delegacia de Prazeres”. Além disso, a polícia informou que o suspeito do crime foi preso.

Segundo a Polícia Civil também foi preso um homem que seria o receptador da arma furtada. Os dois seguiram para a audiência de custódia, que vai decidir se eles ficarão detidos e ou se vão poder responder em liberdade. O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) disse que iria checar o resultado da audiência.

Ainda de acordo com informações repassadas ao g1, a arma furtada estava dentro da bolsa da delegada. O nome da policial, que tem pouco tempo de serviço na corporação, não foi divulgado.

O homem, que pegou a pistola funcional da Polícia Civil, segundo a informações, estava na delegacia para participar de algum procedimento policial.

O g1 perguntou para a Polícia Civil e para a Secretaria de Defesa Social (SDS) como aconteceu o furto. Na nota, a Polícia Civil informou que “um inquérito foi instaurado e está apurando as circunstâncias dessa ocorrência”. A SDS acrescentou que “essa dinâmica vai ser esclarecida” durante as investigações.

Core

Em janeiro de 2021, a polícia começou na investigar o “desaparecimento” de mais de 320 armas que estavam guardadas, sob custódia, na Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), no Recife.

Em setembro do mesmo ano, a polícia confirmou a participação de quatro policiais civis no roubo e revenda desses armamentos.

Entre as armas levadas do Core, havia 120 pistolas de calibre ponto 40, avaliadas em mais de R$ 500 mil e que pertenciam ao patrimônio do município de Ipojuca, no Grande Recife.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Aluna é agredida por colega com tapas e puxões de cabelo na saída de escola estadual no Recife

Confusão ocorreu nesta quarta (18), na frente da Escola Carmelo Dutra, em Afogados, na Zona Oeste do Recife.

Por g1 PE

Uma estudante foi agredida por uma colega na frente de uma escola da rede estadual no Recife, nesta quarta (18). Vídeos enviados para o WhatsApp da TV Globo mostram uma jovem, que estava fardada, deitada no chão. Ela leva tapas e puxões de cabelo. A outra aluna, também uniformizada, pratica as agressões em cima da vítima (veja vídeo acima).

A confusão ocorreu por volta do meio-dia, na saída do turno da manhã, na frente da Escola Estadual Carmelo Dutra, em Afogados, na Zona Oeste.

No vídeo, também é possível observar uma grande quantidade de alunos acompanhando as agressões. Alguns tentam tirar a agressora de cima da jovem que foi espancada.

Em entrevista ao g1, a mãe de uma jovem que estuda na escola contou que a filha acompanhou a confusão.

Preferindo não ser identificada, a mãe da garota contou que a briga envolveu duas garotas, que são menores de idade.

“Elas se desentenderam e uma ameaçou a outra. Na saída da aula, a menina pegou a outra na frente da escola”, disse.

Ainda segundo a mulher, a filha contou que a agressora prometeu mais violência. “Disse que vai pegar de novo. A menina saiu com o roso arranhado e sangrando”, relatou.

Preocupada, a mãe da aluna da Carmelo Dutra disse que está pensando em tirar a filha da instituição. “Conversei com a mãe de uma coleguinha da minha filha e ela também já está procurando outra escola”, declarou.

De acordo com a mãe da estudante, as brigas viraram rotina na escola. Ela se queixou da falta de providências da direção.

“Sempre tem confusão. As crianças estão com medo de ir para o colégio. Tem muito bullying e muito problema”, acrescentou.

Governo

Por meio de nota, a Secretaria de Educação e Esportes (SEE) informou que a “briga” aconteceu fora da unidade de ensino e após o expediente.

A instituição, disse o governo, “está identificando os alunos envolvidos para que os responsáveis sejam chamados para uma conversa com a gestão da escola, a fim de que sejam tomadas as medidas cabíveis”.

Também na nota, a secretaria afirmou que “repudia todo e qualquer tipo de agressão, seja ela física ou verbal, dentro das unidades de ensino”.

Disse, ainda, que “reitera que possui em sua proposta de política pedagógica a promoção de ações voltadas para a cultura de paz”.

A Escola Carmela Dutra, de acordo com o governo, conta com a parceria da Patrulha Escolar. “Uma palestra sobre bullying e melhor convivência na escola foi ministrada na última semana”, acrescentou.

g1 entrou em contato com a Polícia Civil para saber se foi registrado boletim de ocorrência, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

Outros casos

Estudante agride na saída de escola estadual em Igarassu, no Grande Recife

Em abril deste ano, vídeos flagraram duas confusões envolvendo alunos de escolas da rede estadual. A primeira delas aconteceu no dia 1º, em Igarassu, no Grande Recife.

Duas alunas brigaram após um desentendimento por causa da queixa de fumo na sala de aula. Nas imagens, é possível observar uma estudante sendo agredida na saída da instituição .

O segundo caso no mesmo mês aconteceu no dia 11, quando um estudante ameaçou com um facão o vice-diretor de uma escola estadual, na Zona Norte do Recife, após se recusar a parar de jogar futebol na quadra do colégio.

De acordo com a Secretaria de Educação e Esportes (SEE), o caso ocorreu na Escola Dona Maria Teresa Corrêa, no Alto José do Pinho, e a Polícia Militar foi acionada.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Medicamentos para tratar doenças respiratórias estão em falta em hospitais e farmácias de Pernambuco

Conselho de Farmácia disse que problema afeta redes pública e particular. Secretário de Saúde confirmou que alguns remédios faltaram, mas disse que problema é ‘pontual’.

Por Camila Torres e Priscila Aguiar, TV Globo e g1 PE

Com mais de 100 bebês e crianças na fila de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), por causa de doenças respiratórias, os pais e responsáveis precisam lidar também com a falta de medicamentos. Segundo o Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco, o estoque está baixo em farmácias de hospitais e da rede particular.

Nesta quarta (18), o secretário de Saúde, André Longo, confirmou que alguns municípios, Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e emergências tiveram problemas com a falta de medicamentos. Disse, no entanto, que a situação tem sido “pontual”.

“Infelizmente, a gente tem recebido alguns relatos de falta de alguns medicamentos. Isso tem sido pontual e tem sido buscado resolver com comprar emergenciais, com empréstimos, por vezes, de outras unidades”, disse.

André Longo citou medicamentos como dipirona, salbutamol e até o soro fisiológico entre os que faltaram em unidades, mas disse que problema foi “bem manuseado pelos serviços sem maiores repercussões até o momento”. O secretário também disse que está estimulando que se façam compras emergenciais.

“Isso não é uma realidade só da rede pública. Algumas vezes, a gente tem também pedidos da própria rede privada em relação a algumas medicações. É fato que a guerra [da Ucrânia], a questão do lockdown da China e outras coisas fizeram com que insumos ficassem mais escassos na sua circulação e que os custos de produção de alguns destes medicamentos aumentassem”, declarou.

Entre os remédios em falta ou com estoque baixo em hospitais, além dos citados por André Longo, estão furosemida (anti-hipertensivo) e contraste radiológico. Em farmácias, faltam dipirona xarope, amoxicilina, medicamentos para asma e antigripais.

Uma equipe da TV Globo esteve em várias farmácias e, em todas, faltavam remédios ou o estoque estava baixo. Em uma drogaria de Paratibe, em Paulista, no Grande Recife, não tem mais a dipirona xarope, que custava R$ 32.

Para dor e febre em criança, as opções são mudar de substância e levar paracetamol. O de laboratório sai por R$ 40. O genérico custa R$ 10.

A empregada doméstica Joelma Martins da Silva não imaginou que teria tanta dificuldade para conseguir remédio para gripe.

“A gente vai de farmácia em farmácia procurando e muitas não têm a medicação. Tem que ir em várias para encontrar um medicamento e, quando você encontra, está mais caro”, afirmou.

Outro lado do balcão

Dono de farmácia, Valmir Leão disse que nem no auge da pandemia de Covid-19 viu isso acontecer. “Mais de quatro meses que a gente não consegue ter esse produto. Nunca aconteceu. Inclusive, na [pandemia da] Covid, não foi tão difícil quanto dezembro para cá”, afirmou.

A explicação, segundo o conselheiro federal de farmácia de Pernambuco, Arimateia Filho, está na alta dos produtos usados na fabricação, que nem o reajuste autorizado pelo governo federal no mês passado cobriu.

Segundo eles, os problemas são a dificuldade da aquisição da matéria-prima, o aumento do preço, em função dessa falta, e a diminuição da capacidade de produção deles, por causa do aumento do custo da produção desses produtos.

“O governo teria que agir rapidamente em cima disso para estabelecer políticas que façam com que os laboratórios se sintam estimulados a voltar a produzir nos volumes que são necessários para que o mercado volte a ser competitivo e rápido no abastecimento”, disse.

Nas farmácias, o que mais preocupa é a falta de antibiótico para criança. Em uma unidade no bairro de Jardim Brasil 1, em Olinda, no Grande Recife, o estoque de amoxicilina em suspensão, que é líquida, está zerado.

“A gente passa isso para os clientes e, às vezes, eles não entendem. Passaram o dia ou durante a madrugada com as suas crianças no hospital e tendo que voltar novamente para lá para poder pedir a substituição desse antibiótico”, contou a farmacêutica Nailde Lima.

O Conselho dos Secretários Municipais de Saúde disse que pediu a prefeituras os nomes dos medicamentos que estão em falta e que esse levantamento vai ser enviado ao Ministério da Saúde. De acordo com o conselho, essa situação já foi repassada em reunião a representantes do ministério.

Por nota, o Ministério da Saúde disse que trabalha para “manter a rede de saúde abastecida com todos os medicamentos oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS)”.

Afirmou também que “está verificando com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e com os conselhos municipais e estaduais de saúde as causas do desabastecimento de alguns remédios”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Monitor da Violência: Pernambuco tem maior taxa de assassinatos do país no primeiro trimestre

Estado teve 10 mortes por 100 mil habitantes e é um dos cinco a registrar crescimento nos homicídios no período. Secretário diz que alta é causada pelo tráfico de drogas.

Por g1 PE

O número de assassinatos em Pernambuco registrou em alta em 2022, segundo o índice nacional de homicídios criado pelo g1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. O estado tem a maior taxa de crimes contra a vida do Brasil nos três primeiros meses: 10 mortes por cada 100 mil habitantes.

Em 2021, no primeiro trimestre, a taxa era de 8,6 para cada 100 mil habitantes, com o registro de 828 crimes contra a vida no período. Já em 2022, em números absolutos, o estado teve 963 assassinatos até o fim de março, uma alta de 16,3%.

Segundo o secretário estadual de Defesa Social, Humberto Freire, a alta foi puxada por crimes relacionados ao tráfico de drogas (veja mais abaixo).

No país, foram houve uma baixa de 6%. Além de Pernambuco, apenas Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Piauí e Rondônia registraram aumento de assassinatos.

Estão contabilizadas no número as vítimas de homicídios dolosos (incluindo os feminicídios), latrocínios (roubos seguidos de morte) e lesões corporais seguidas de morte.

O levantamento, que compila os dados mês a mês, faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do g1 com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Em março deste ano, um dos casos de maior repercussão foi o da garota Heloysa Gabrielly, de 6 anos, que levou um tiro durante uma operação da Polícia Militar, em Porto de Galinhas, em Ipojuca, no Grande Recife.

Tráfico como causa

Cruzes fincadas na praia de Boa Viagem, em 2021, para relembrar vítimas de assassinato — Foto: Sinpol/Divulgação

Cruzes fincadas na praia de Boa Viagem, em 2021, para relembrar vítimas de assassinato — Foto: Sinpol/Divulgação

Especialistas do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e do NEV-USP ouvidos pelo g1 apontaram que a diminuição dos homicídios no país tem como explicação, entre outros fatores, mudanças na dinâmica do mercado de drogas brasileiro; maior controle e influência dos governos sobre os criminosos e apaziguamento de conflitos entre facções.

Em Pernambuco, o secretário estadual de Defesa Social apontou que é o tráfico de drogas a principal causa do crescimento dos homicídios no primeiro trimestre, sendo responsável por cerca de 60% dos assassinatos no período.

“Pessoas envolvidas com o tráfico de drogas estão ou sendo autores ou vítimas desses crimes contra a vida. […] Esses homicídios a mais que estão acontecendo são exatamente o enfrentamento de grupos criminosos distintos”, apontou Freire.

O secretário afirmou que, em algumas áreas do estado, como Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca, no Grande Recife, 85% dos 74 homicídios da região têm ligação com o tráfico.

Aeronave apreendida pela Polícia Civil durante cumprimento de mandado da Operação Smurfing, que teve R$ 1,8 bilhão em bloqueio de bens e ativos — Foto: PCPE/Divulgação

Aeronave apreendida pela Polícia Civil durante cumprimento de mandado da Operação Smurfing, que teve R$ 1,8 bilhão em bloqueio de bens e ativos — Foto: PCPE/Divulgação

Entre as ações para combater a alta de homicídios, o secretário apontou as operações que agem contra a parte financeira de quadrilhas. Em março, houve o bloqueio de R$ 1,8 bilhão de ativos e bens, entre eles uma aeronave, de suspeitos de tráfico de drogas.

Segundo dados da SDS, no primeiro trimestre, os crimes de proximidade representaram 17% dos homicídios, totalizando 163 mortes por violência interpessoal. “Aí você tem briga de bar, entre vizinhos, questões ali banais, que levam a esse crime”, afirmou Freire.

“A gente trabalha mês a mês porque a gente precisa identificar qualquer aquecimento e onde está. […] A gente consegue reagir a tudo isso”, declarou.

G1 Monitor da Violência: Número de assassinatos diminuiu no país em 2022

Pacto pela Vida

Apesar da alta no começo do ano, o secretário afirmou que o programa Pacto pela Vida é uma política consistente e segue dando resultados. “Acho importante ser justo com os próprios números. Não é um aumento generalizado. Já identificamos quais são as áreas principais e tivemos um aquecimento menor em abril”, declarou.

No primeiro trimestre de 2022, houve redução de 35,7% no número de feminicídios. Foram 18 vítimas desse crime nesse intervalo e 28, no mesmo período de 2021.

Freire também apontou que houve redução nos estupros – foram 689, nos três primeiros meses de 2021, e 508 registros, em 2022. Além disso, as queixas de roubo também caíram, foram 12.049 casos no trimestre, menor que 13.239 registros do mesmo período do ano anterior.

Para o secretário, a expectativa é de chegar ao final do ano com um total de crimes contra a vida menor do que o ano anterior.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

‘Invasão’ de moscas tira sossego de moradores de Lagoa do Carro

Refeições em família têm sido ‘impossíveis’, segundo quem mora no local. Professora da UFRPE afirma que há um descontrole na área.

Por Juliana Nascimento e Katherine Coutinho, TV Globo e g1 PE

A grande quantidade de moscas tem sido um transtorno em Lagoa do Carro, na Zona da Mata de Pernambuco. Os moradores do bairro Recanto Carpina relataram que a “invasão” não tem hora e, mesmo durante a noite, os insetos invadem as casas, tirando o sossego deles.

“A gente quer conseguir conviver. […] Para fazer uma comemoração de aniversário, a gente tem que se deslocar para fora porque é impossível. É impossível um café da manhã em família, impossível um almoço em família, é impossível uma janta em família”, declarou a eletricista Conceição Sales.

O residencial em que a eletricista mora era o local de reunião da família. No entanto, com a grande quantidade de moscas, nem mesmo os churrascos de domingo são possíveis, relatou. “Está se tornando impossível conviver aqui e inabitável totalmente inabitável”, disse Conceição.

Os moradores disseram que já procuraram a prefeitura, mas a situação não é resolvida. O município explicou que monitora a situação através da Vigilância Sanitária (veja mais abaixo).

O problema com as moscas não é novo, segundo o casal de comerciantes Renato e Gheyseanne Barros, mas tem piorado. “A coisa, acredito, está fora de controle. Sempre existiu mosca acima da média, mas fugiu do controle”, disse Renato.

Para os moradores do bairro, o problema tem sido causado, principalmente, devido a existência de uma granja na localidade.

“Fizemos de tudo, falamos várias vezes com o pessoal da granja. Sempre nos atenderam, pediram paciência. No último ano, tivemos que falar frequentemente. […] A gente quer higiene, quer comer em paz”, declarou Gheyseanne.

Professora de engenharia ambiental na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Soraya Al Deir disse que a granja pode ser um dos fatores, bem como um possível desequilíbrio ambiental . “Aqui está havendo um descontrole”, apontou .

Segundo a especialista, possivelmente, uma falta de controle na questão da higiene pode estar contribuindo para o aumento dos insetos.

“Na hora em que você não tem um perfeito controle sanitário, e parece que é o que está acontecendo, dentro do ciclo da mosca, você vai ter momentos que vão ser muito favoráveis para essa proliferação”, apontou a professora.

Soraya explicou que, pelo que pode observar, existem ao menos duas ou três espécies distintas de mosca no bairro.

“A espécie que está mais presente aqui é aquela você tem contato quase todo dia, que é essa mosca preta. A gente chama até de mosca doméstica de tão comum. Ela é cosmopolita, está em boa parte do planeta”, declarou.

A higienização é um dos pontos de combate ao inseto, mas pode também ser um fator de atração. “Há determinados produtos que você usa que, pelo cheiro, acabam atraindo. Se você optar por usar outros produtos, digamos, vinagre de maçã ou qualquer tipo de vinagre misturado, vai dar um cheiro residual que vai tentar afugentar”, apontou.

A professora ressaltou que é importante agir na origem do problema, uma vez que moscas podem transmitir doenças.

“A consequência que nós vamos ter, em um segundo momento, é o aumento de algumas doenças, que atingem não só a população como também a gestão pública. Então, é dever sim da gestão pública intervir nessa questão”, apontou Soraya.

Resposta

Procurada pelo g1, a assessoria de comunicação da prefeitura informou que a Vigilância de Saúde do município tem monitorado a situação e disse que, todos os meses, fiscaliza e analisa quais medidas estão sendo realizadas pela granja Kunamoto para diminuição das moscas que chegam aos lares.

“Entre as ações realizadas pela granja estão limpeza constante das fezes, construção de galpões modernos automatizados e contratação de uma empresa de dedetização para combate das moscas no espaço”, apontou no texto.

A prefeitura afirmou, ainda, que a “eliminação total das moscas é impossível, no entanto, o controle da população para níveis que se considerem aceitáveis é possível” e orienta a população a não deixar lixo em locais abertos e fazer higienização dos locais de refeição. No entanto, não responderam que outras ações tomam.

g1 entrou em contato com a granja, que explicou que está passando por um processo de modernização e que contratou uma empresa para ajudar a controlar a situação das moscas.

Explicaram, ainda, que compraram secadores para as fezes, o que deve em breve diminuir a quantidade de moscas dentro da granja. No entanto, há também um problema com coleta de lixo na região, de outros imóveis, e que já acionaram a prefeitura para solucionar.

A granja afirmou que faz intervenções químicas, utiliza armadilhas de controle biológico, além da organização e limpeza de todas as áreas da empresa.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Motorista de transporte escolar preso por estuprar criança mostrou vídeo de sexo e praticou atos libidinosos em carro, diz polícia

Delegada que investigou caso disse que homem entrou no banco traseiro do veículo e colocou fones de ouvido na menina de 9 anos. Polícia apura se há mais vítimas.

Por Vítor Oliveira, g1 PE

Denúncia de estupro coletivo é investigada pela Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA) de Jaboatão — Foto: Reprodução/TV Globo

Denúncia de estupro coletivo é investigada pela Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA) de Jaboatão — Foto: Reprodução/TV Globo

motorista de transporte escolar que foi preso pelo estupro de uma estudante de 9 anos usou um vídeo de sexo para abordar a criança dentro do veículo. Segundo a Polícia Civil, o homem entrou no banco traseiro do carro, colocou fones de ouvido e, contra a vontade da vítima, fez ela ouvir o conteúdo tirado da internet. Em seguida, praticou atos libidinosos.

Os detalhes do crime foram divulgados, nesta terça (17), pela delegada Vilaneida Aguiar, responsável pelas investigações. O estupro de vulnerável, ocorrido em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, foi tema de entrevista coletiva concedida na capital.

O homem, de 54 anos, que não teve o nome divulgado, já tinha sido preso e processado outras vezes elo mesmo tipo de crime. “É um velho conhecido da delegacia. Ele já tinha sido processado por duas vezes e preso no ano passado por crimes sexuais contra crianças”, afirmou a policial.

Aguiar disse, ainda, que um dos casos anteriores ocorreu em 2013 e teve o inquérito encerrado e remetido para a Justiça. “O outro caso, de 2021, foi concluído. Eu representei pela prisão preventiva. Ele ficou preso, mas acabou sendo liberado pela Justiça”, acrescentou.

Ainda segundo Vilaneida Aguiar, a polícia chegou até o nome dele por meio dos boletos de pagamento pelo transporte escolar.

O homem foi contratado pelos pais dessa última vítima para fazer o serviço informalmente, já que o homem não usava veículos registrados oficialmente no município.

“Os pais buscaram esse serviço informal por causa da dificuldade de encontrar um transporte regular para o bairro em que moram”, disse a delegada.

A delegada contou também que, depois de ser liberado pelo Judiciário, o homem começou a fazer transporte escolar informal. “Ele ia até as escolas e entregava o cartão de visita, até para quem trabalha no transporte de escola regular”, ressaltou.

Os pais da menina disseram na delegacia que, no dia do crime, o motorista demorou a levar a menina para casa. Quando voltava da aula por outros meios, a garota costumava chegar à residência às 18h30. Os pais também perceberam que a criança estava angustiada e triste.

Os pais também disseram aos investigadores que a menina pediu para dormir na cama com a mãe e, chorando, contou o que aconteceu dentro do veículo de transporte coletivo.

Agora, a delegada investiga se há mais vítimas. “Estamos ainda no prazo do flagrante de dez dias. No carro dele encontramos fichas de alunos”, disse a delegada.

Vilaneida Aguiar afirmou também que começou a ouvir esses estudantes. Estão sendo chamadas, principalmente, as alunas.

“Todo o foco dele tem sido crianças do sexo feminino. Estamos chamando todos os alunos para serem ouvidos na delegacia, na escuta especializada que é feita e direcionada com todo um atendimento cuidadoso com crianças”, comentou.

O crime de estupro de vulnerável é caracterizado pelo ato de ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 anos. A pena prevista é de oito a 15 anos de reclusão.

Perfil

Na coletiva, a delegada traçou um perfil do homem que foi preso pelo estupro na quinta (12). VIlaneida Aguiar relatou que ele aparenta “ser muito tranquilo”.

Ela disse que quem não conhece o passado acha que ele “está acima de qualquer suspeita”. Ainda segundo a policial, ao ser preso ele questionou aos policiais “o que teria feito”.

“Ele negou, como em todas as três investigações, mas não há nenhum resquício de dúvida. Com certeza, ele praticou esse crime”, declarou.

A delegada relatou que o homem chegou a permitir a análise pericial do próprio celular. No aparelho, a polícia não encontrou fotos, “como se ele tivesse apagado”.

“Ele se esqueceu de apagar o histórico da internet. Quando ele foi confrontado, não conseguiu negar, ficou calado e não conseguiu nem argumentar”, afirmou Vilaneida.

Alerta

A delegada alertou pais e responsáveis para ficarem atentos a reações de crianças diante de possíveis crimes desse tipo.

“Aconselhamos que sempre tenha conversas em casa. Se notar um comportamento diferente, é preciso perguntar o que está acontecendo”, declarou.

Vilaneida Aguiar contou que a criança relatou ter ouvido frases libidinosas do motorista, antes ser vítima do estupro. “Ela se sentiu mal, mas não relatou para a mãe ou para o pai”, afirmou.

Além disso, Vilaneida Aguiar disse que os pais e responsáveis não “devem duvidar” de informações repassadas pelas crianças.

“A maioria dos casos acontece dentro de casa. Leve o caso para as delegacias especializadas”, acrescentou.

“Por fim, a policial ressaltou que o ideal é buscar apoio da polícia “o mais rápido possível”. “Assim, nós podemos fazer uma prisão em flagrante. O exagero nunca é demais, então vamos todos ficar em alerta”, afirmou.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Mais dois casos de hepatite em crianças com origem desconhecida são notificados em PE; número de investigações sobe para quatro

Novos registros são de meninas de Camaragibe, no Grande Recife, e Casinhas, no Agreste. Um dos casos notificados foi descartado, já que diagnóstico é de chikungunya.

Por g1 PE

Mais dois casos suspeitos de hepatite em crianças com origem desconhecida foram notificados, nesta terça (17), em Pernambuco. Com isso, subiu para cinco o número de registros feitos pelo governo. Quatro dessas ocorrências ainda em investigação no estado.

Um dos registros suspeitos feitos pela Secretária estadual de Saúde (SES-PE) está descartado. O diagnóstico do paciente foi de chikungunya.

Em 27 de abril, diante do misterioso surto de hepatite em crianças na Europa e nos Estados Unidos (EUA), o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde de Pernambuco (Cievs-PE) emitiu nota de alerta orientando toda a rede de saúde, incluindo unidades públicas e privadas.

Por meio de nota, a SES-PE informou que os dois novos casos foram notificados em pacientes de Camaragibe, no Grande Recife, e de Casinhas, no Agreste.

No caso de Casinhas, uma menina de 9 anos deu entrada no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), no Recife, na sexta (13). Ela apresentou quadro de vômito, icterícia, náusea e fadiga.

Na ocorrência de Camaragibe, uma garota de 11 anos chegou ao Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), no Recife, no sábado (14), com dor abdominal, vômito, icterícia, náusea e fadiga.

Ainda de acordo com a SES, as duas pacientes “seguem internadas e estão sendo acompanhadas pelas equipes multiprofissionais, realizando os exames necessários para a investigação dos casos”.

O governo informou que estão em investigação os casos do menino de 1 ano, morador de Toritama, no Agreste, que já recebeu alta, e da menina de 3 anos, de de Glória do Goitá, na Zona da Mata, ainda internada.

O caso descartado é o do adolescente de 14 anos que mora em Salgueiro, no Sertão. Ele está no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), no Recife, desde o dia 10 de maio.

A SES-PE disse, ainda, que “segue prestando apoio técnico aos municípios na realização de exames complementares para análise laboratorial das hepatites virais, agentes possivelmente relacionados a este tipo de hepatite e outras doenças”.

O governo informou que mantém contato com toda a rede de saúde e especialistas na área para monitoramento das ocorrências.

A Secretaria de Saúde se reuniu com representantes da Sociedade de Pediatria de Pernambuco (Sopepe) para discutir os casos e definir “fluxos assistenciais e de vigilância”.

Hepatite desconhecida

Hepatite: o que é? Veja sintomas da hepatite misteriosa — Foto: Arte/g1

Hepatite: o que é? Veja sintomas da hepatite misteriosa — Foto: Arte/g1

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou, na terça (10), que tinham sido registrados 348 casos prováveis de uma misteriosa hepatite em 20 países.

Doença afeta especialmente as crianças e foram aceleradas as análises sobre o seu possível vínculo com o adenovírus e a infecção por Covid-19. No Brasil, pelo menos 16 casos são investigados.

Cientistas investigam casos suspeitos de hepatite aguda infantil, com causa desconhecida

Segunda maior doença infecciosa letal do mundo, atrás apenas da tuberculose, a hepatite é a inflamação do fígado.

Além de Pernambuco, foram registrados casos no Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Santa Catarina.

Chikungunya

Pernambuco registrou, nos quatro primeiros meses de 2022, um aumento 45,9% nas notificações de casos suspeitos de pessoas com doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya, em comparação com o ano anterior (veja vídeo acima).

O estado teve um crescimento de 77,2% dos casos suspeitos de chikungunya e de 39,3% dos de dengue no período. Das três doenças, apenas zika teve queda das notificações em comparação com 2021.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Vídeo mostra irmãos sendo baleados enquanto caminhavam após sair da casa da mãe

Cársia Maria dos Santos, de 53 anos, morreu no local e Carlos Alberto dos Santos, de 46, na UPA para onde foi socorrido. Crime aconteceu na Rua Santa Elizabeth, em Cruz de Rebouças.

Por Katherine Coutinho e Elvys Lopes, g1 PE e TV Globo

Uma câmera de segurança flagrou o momento em que os irmãos Cársia Maria dos Santos, de 53 anos, e Carlos Alberto dos Santos, de 46, foram baleados na segunda-feira (16), no distrito de Cruz de Rebouças, em Igarassu, no Grande Recife.. Segundo a família, eles tinham acabado de sair da casa da mãe.

As imagens são distantes. Em primeiro plano, um homem caminha pela Rua Santa Elizabeth. Ao fundo, os dois irmãos estão passando por um carro branco, caminhando, quando surge um homem que atira contra eles. Cársia e Carlos Alberto caem no chão e o atirador foge, desaparecendo.

Tudo acontece rapidamente, não parece ter reação de nenhum deles. A mulher morreu no local e o homem foi socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Igarassu, mas não resistiu aos ferimentos.

Inicialmente, a família acreditou que o caso poderia ser um assalto, já que Cársia estava com um celular novo. No entanto, o aparelho permanecia no bolso dela, quebrado devido à queda, segundo a irmã dos dois, a dona de casa Maria de Fátima Vasconcelos.

“A carteira do meu irmão estava em casa, na mesa do computador. O celular estava no bolso. E minha irmã, tudo que estava na bolsa dela, constava”, relatou Maria de Fátima.

Segundo os parentes, os irmãos não bebiam, nem fumavam. “Meu pai era alcoólatra, mas sempre dizia para a gente ‘não provem, porque vocês podem gostar’. Por isso, nenhum de nós bebe”, explicou a dona de casa.

Os parentes também afirmaram que foram questionados pela polícia se os irmãos tinham feito algum empréstimo com agiota, mas Maria de Fátima e a filha de Cársia, Laís Andrade, negaram essa possibilidade.

A dona de casa contou que algumas pessoas também especularam que Carlos Alberto poderia ter reagido. “Ele era uma pessoa muito calma. Colegas de trabalho dele contaram que, quando sofreu um assalto, ele acalmou o ladrão para que não acontecesse nada”, relatou Maria de Fátima.

Irmãos foram baleados enquanto caminhavam por rua no distrito de Cruz de Rebouças, em Igarassu, no Grande Recife — Foto: Reprodução/WhatsApp

Irmãos foram baleados enquanto caminhavam por rua no distrito de Cruz de Rebouças, em Igarassu, no Grande Recife — Foto: Reprodução/WhatsApp

O crime aconteceu quando Carlos Alberto acompanhava a irmã para casa, depois de ela ter passado o dia cuidando da mãe, que é acamada. Segundo a família, ele sempre acompanhava irmãs e outros parentes no caminho para as residências.

A Polícia Civil informou que o caso foi registrado como homicídio através da Equipe de Força Tarefa de Homicídios Metropolitana Norte.

Não foram divulgadas as possíveis linhas de investigação. Em nota, a corporação disse que “as investigações foram iniciadas e seguem até elucidação do crime”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Quadrilha usa mensagens e exibe armas para extorquir e ameaçar comerciantes; ‘vamos descarregar na tua cara’

Segundo polícia, organização foi desarticulada em operação realizada no estado. Ao todo, seis mandados de prisão foram cumpridos.

Por Ricardo Novelino, g1 PE

Uma quadrilha que usava mensagens de áudio e vídeo para extorquir dinheiro de comerciantes foi desarticulada pela polícia, no Grande Recife. Em um dos vídeos, homens exibem pistolas e revólveres e fazem ameaças de morte. “Vamos descarregar na tua cara. Vamos tocar fogo na tua casa e no teu bar”, dizem.

A quadrilha foi desarticulada pela Operação Cooptare, realizada no Grande Recife. Ao todo, foram cumpridos seis mandados de prisão, em ItapissumaCamaragibe e Abreu e Lima, na Região Metropolitana, além de Paudalho, na Zona da Mata Norte.

Alguns alvos já estavam em unidades do sistema penitenciário. Nesta terça (17), os detalhes foram repassados durante entrevista coletiva concedida na capital.

Segundo a polícia, a ação recebeu esse nome, pois os envolvidos cooptavam parentes e amigos para usar as contas bancárias e depositar o dinheiro arrecadado com a extorsão.

A polícia estima que, em três meses, no fim de 2021, a quadrilha tenha movimentado mais de R$ 1,2 milhão nessas contas.

A investigação teve início em setembro do ano passado. Um homem que estava preso era responsável por recrutar as pessoas em liberdade para praticar as extorsões, segundo a polícia.

Ao todo, dez pessoas foram alvo das investigações. “Há pessoas que tiveram contas usadas para lavagem de dinheiro”, afirmou o delegado Paulo Gondim, um dos responsáveis pela apuração.

O policial disse que ao menos quatro comerciantes de Camaragibe receberam essas mensagens dos bandidos. “Um deles pagou R$ 2.500, por meio do PIX. Teve gente que não pagou. Esses comerciantes eram escolhidos de forma aleatória pela internet”, disse.

A maioria das vítimas é de Camaragibe, mas a quadrilha também agiu, segundo a polícia, em PaulistaCabo de Santo Agostinho, Jaboatão do Guararapes, no Grande Recife, além de Macaparana em Goiana, na Zona da Mata Norte.

O delegado alertou que as pessoas que receberem mensagens de áudio e vídeo com ameaças devem bloquear a pessoa que enviou, no telefone e no aplicativo.

“A pessoa deve gravar a imagens com a mensagem e levar para a delegacia. Também pode apresentar o áudio e o vídeo para registrar o boletim de ocorrência”, acrescentou o delegado.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.