Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Autor de atentado contra João Paulo II aguarda ordem de expulsão da Itália

Da Agência Brasil

A ca visitou depositou dois maços de rosas brancas na capela onde se encontra o túmulo de João Paulo, santificado neste ano pelo papa Francisco / Foto: ReproduçãoA ca visitou depositou dois maços de rosas brancas na capela onde se encontra o túmulo de João Paulo, santificado neste ano pelo papa FranciscoFoto: Reprodução

O turco Mehmet Ali A ca, detido em uma delegacia de polícia nos arredores do Vaticano, deve receber nas próximas horas a ordem de expulsão da Itália. nas próximas horas. A ca, de 56 anos, foi o responsável por um atentado contra o papa João Paulo II, no dia 13 de maio de 1981, na Praça São Pedro.

Ele visitou, nesse sábado (27), a Basílica de São Pedro, no Vaticano, e depositou dois maços de rosas brancas na capela onde se encontra o túmulo de João Paulo, santificado neste ano pelo papa Francisco.

De acordo com o vice-diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, padre Ciro Benedettini, A ca pôde entrar na Basílica sem nenhum problema, pois não tem qualquer pendência judiciária com o Vaticano, mas a situação não é a mesma para o Estado italiano. Ele entrou no país sem o visto obrigatório e deve receber, na delegacia em que está detido, a ordem de expulsão.

Segundo o Vaticano, Ali A ca escolheu o dia 27 de dezembro para a visita ao túmulo do papa porque foi o dia em que recebeu a visita de João Paulo na prisão de Rebibbia, em 1983. Na ocasião, ele foi perdoado pelo papa, que, embora ferido com gravidade, sobreviveu ao atentado.

Agca cumpriu 19 anos de prisão pelo ataque ao papa, durante uma cerimônia pública na Praça São Pedro. O turco passou mais dez anos na cadeia, devido a uma condenação pelo homicídio de um jornalista.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Tripulante de voo sumido da AirAsia tinha lamentado queda de outro avião

O indonésio Oscar Desano, que era um dos tripulantes a bordo do voo QZ-8501, da AirAsia, que desapareceu neste domingo (28) com 162 pessoas, havia postado tuites depois de outro acidente aéreo, envolvendo o voo MH17 da Malaysia Airlines.

Oscar Desano (centro) seria um dos tripulantes a bordo do voo QZ-8501 (Foto: Reprodução/Facebook/Oscar Desano)
Oscar Desano (centro) seria um dos tripulantes a bordo do voo QZ-8501 (Foto: Reprodução/Facebook/Oscar Desano)

Segundo o jornal britânico “Daily Telegraph”, Desano publicou uma mensagem no Twitter em julho para as vítimas da tragédia do voo MH17, que foi atingido no dia 17 daquele mês por um míssil na Ucrânia, matando as 298 pessoas a bordo.

“Eu sinto muito pela perda do voo MH17, da Malaysia Airlines. Foram duas grandes catástrofes para a Malásia em 1 ano”, escreveu ele, lembrando também de outro acidente com avião da Malaysia Airlines, o voo MH370, que desapareceu em março.

Em julho, Oscar Desano havia comentado sobre queda de avião da Malaysia Airlines (Foto: Reprodução/Twitter/Oscar Desano)
Em julho, Oscar Desano havia comentado sobre queda de avião da Malaysia Airlines (Foto: Reprodução/Twitter/Oscar Desano)

O avião da companhia aérea de baixo custo malaia AirAsia decolou de Surabaia, em Java, às 5h20 (hora local), e deveria chegar em Cingapura às 8h30 (22h30 de domingo em Brasília).

Um porta-voz do Ministério de Transporte da Indonésia indicou que o piloto do avião, que voava a cerca de 32 mil pés de altura (9,76 quilômetros), pediu permissão para subir até os 38 mil (11,59 quilômetros) às 6h12.

A aeronave transportava 155 passageiros, incluindo 16 crianças e um bebê, e uma tripulação de dois pilotos, um mecânico e quatro comissários de bordo.

 

Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Airbus desaparecido na Indonésia saiu de fábrica em outubro de 2008

O fabricante aeronáutico europeu Airbus disse neste domingo (28) que o avião A320-200 da AirAsia desaparecido na Indonésia saiu de fábrica em outubro de 2008 e tinha acumulado cerca de 23 mil horas de voo.

Foto tirada em maio deste no aeroporto de Kuala Lumpur mostra Airbus A320-200 da AirAsia, similar ao que desapareceu (Foto: Joshua Pau/AP)
Foto tirada em maio deste no aeroporto de Kuala Lumpur mostra Airbus A320-200 da AirAsia, similar ao que desapareceu (Foto: Joshua Pau/AP)

O aparelho da companhia AirAsia, MSN 3648 registrado como PK-AXC, é equipado com motores CFM 56-5B, e tinha realizado ao redor de 13.600 voos desde que finalizou sua montagem há pouco mais de seis anos, informou a Airbus em comunicado.

O voo QZ8501 da companhia aérea malaia, no qual estavam 162 pessoas, perdeu esta manhã contato com os controladores aéreos quando cobria a rota entre Surabaia, na Indonésia, e Cingapura.

O construtor europeu, que lamentou a falta de notícias do A320-200 (um avião que em configuração de classe única pode transportar 180 passageiros), insistiu que em linha com as regras internacionais oferecerá “plena assistência à autoridade francesa de investigação em segurança, o BEA, e às autoridades a cargo da investigação”.

Atualmente há cerca de 6 mil unidades do A320 em serviço, operados por 300 companhias. Trata-se de um modelo cuja exploração comercial foi iniciada em março de 1988.

A AirAsia, a maior companhia aérea de baixo custo do sudeste asiático, é um dos principais clientes da Airbus.

O A320 presta serviços ao redor do mundo em trajetos que vão desde rotas curtas na Europa e na Ásia até voos transcontinentais através dos Estados Unidos.

Possui uma tecnologia avançada que inclui economia de peso, asa otimizada que é 20% mais eficiente que os modelos anteriores e uma mostra centralizada de avarias para a solução mais fácil de problemas, segundo dados do fabricante.

Além disso, é pioneiro nos controles de voo denominados “fly-by-wire”, que proporcionam uma proteção estrutural total do tráfico aéreo em torno, fuselagem para maior segurança e uma suavidade melhorada em voo e estabilidade.

O A320 também é precursor dos novos dispositivos de asa grande “Sharklets”, projetadas para melhorar o rendimento ecológico e que permite grande economia de combustível.

 

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

AirAsia corrige lista de passageiros de avião desaparecido na Indonésia

A companhia aérea AirAsia corrigiu a lista de nacionalidades das 162 pessoas que viajavam a bordo do Airbus 320-200 que desapareceu neste domingo (28) na Indonésia para incluir um cidadão francês.

A nova relação é esta: 149 indonésios, 3 sul-coreanos, 1 malaio, 1 cingapurense e 1 britânico.

Entre os tripulantes, as nacionalidades eram: 6 indonésios e 1 francês.

O avião, voo QZ8501, decolou de Surabaia, em Java, às 5h20 (19h20 de sábado, no horário de Brasília) com o propósito de aterrissar emCingapura às 8h30 (22h30 de sábado em Brasília).

A Indonésia perdeu o contato por radar com o aparelho quando este estava entre as ilhas de Bornéu e Belitung.

Nesse momento, havia más condições atmosféricas na região, de acordo com a agência meteorológica indonésia.

As autoridades do país, assistidas pela AirAsia, iniciaram uma operação de busca e resgate.

Um avião da companhia aérea Malaysia Airlines com 239 pessoas a bordo que viajava de Kuala Lumpur para Pequim desapareceu no dia 8 de março de 2014 e não se voltou a saber dele.

Os investigadores acreditam que o voo MH370 foi desviado de seu rumo e acabou caindo por falta de combustível em um lugar remoto do sul do oceano Pacífico.

Familiares de passageiros do voo QZ-8501 da AirAsia no Aeroporto Internacional de Juanda, em Surabaya, Java Oriental. (Foto: Juni Kriswanto / AFP Photo)
Familiares de passageiros do voo QZ-8501 da AirAsia no Aeroporto Internacional de Juanda, em Surabaya, Java Oriental. (Foto: Juni Kriswanto / AFP Photo)
Da EFE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Avião da AirAsia pode ter caído no mar, diz agência de resgate

O avião da AirAsia que desapareceu neste domingo (28) em território da Indonésia com 162 pessoas a bordo provavelmente caiu no mar próximo à ilha de Belitung, entre Sumatra e Bornéu, indicaram fontes da Agência Nacional de Busca e Resgate.

Familiares de passegeiros aguardam informações no aeroporto de  Surabaya (Foto: Beawiharta/Reuters)
Familiares de passageiros aguardam informações no aeroporto de Surabaia (Foto: Beawiharta/Reuters)

Um funcionário da agência disse ao jornal indonésio “Jakarta Post” que acreditam que o Airbus 320-200 caiu no mar a 03.22.46 latitude sul e 108.50.07 longitude leste.

Esse ponto está entre 148 e 185 quilômetros da ilha de Belitung.

Embora circulem na imprensa indonésia informações de que pelo menos um objeto que poderia ser um destroço da aeronave tenha sido localizado, as autoridades do país não confirmaram nem desmentiram a informação.

O avião da companhia aérea de baixo custo malaia AirAsia, voo QZ-8501, decolou de Surabaia, em Java, às 5h20 (hora local) e deveria chegar em Cingapura às 8h30 (local, 22h30 em Brasília).

Um porta-voz do Ministério de Transporte da Indonésia indicou que o piloto do avião, que voava a cerca de 32 mil pés de altura (9,76 quilômetros), pediu permissão para subir até os 38 mil (11,59 quilômetros) às 6h12.

A aeronave transportava 155 passageiros, incluindo 16 crianças e um bebê, e uma tripulação de dois pilotos, um mecânico e quatro comissários de bordo.

A AirAsia informou que os passageiros eram 156 indonésios, três coreanos, um francês, um malaio e um cingapurense.

Um Boeing da Força Aérea da Indonésia, três helicópteros e seis navios participam das operações de rastreamento, e Cingapura ajuda com outro avião, um C130.

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Indonésia interrompe buscas por avião desaparecido da AirAsia

A Indonésia interrompeu as buscas pelo avião da AirAsia que desapareceu neste domingo (28) com 162 a bordo porque anoiteceu no país. A operação será retomada às 6h desta segunda-feira (21h deste domingo, no horário de Brasília), afirmou a agência nacional de buscas e resgate.

Neste domingo, um Boeing da Força Aérea da Indonésia, três helicópteros e seis navios participaram das operações de rastreamento, enquanto Cingapura ajudou com outro avião, um C130.

O mau tempo dificultou as ações, realizadas em uma área de quase 200 quilômetros quadrados. A visibilidade no local, sergundo a Marinha, variou entre dois e 5 quilômetros.

Segundo porta-voz do Ministério dos Transportes da Indonésia, o Airbus A320-200 perdeu contato com o controle de tráfego aéreo de Jacarta às 6h17 (horário local; 20h17 de sábado, 27, no horário de Brasília). O avião desapareceu ao voar sobre as águas ao sudoeste da ilha de Bornéu.

A empresa malaia AirAsia informou que o piloto solicitou mudança na rota devido ao mau tempo. “O avião pediu um desvio devido às condições meteorológicas”, disse a companhia em um comunicado publicado em sua página no Facebook.

O voo QZ-8501 havia partido do Aeroporto Internacional Juanda, em Surabaia (Java Oriental), às 5h20 (19h20 no horário de Brasília), com previsão de pouso emCingapura às 8h20 (22h30 no horário de Brasília). O Airbus desapareceu cerca de 40 minutos após decolar.

“AirAsia Indonésia lamenta confirmar que a torre de controle de tráfego aéreo perdeu contato com o voo QZ-8501 [Surabaia a Cingapura] às 7h24 desta manhã”, disse a companhia em um comunicado.

A empresa informou que, entre os passageiros, havia 149 indonésios, três sul-coreanos, um cingapurense, um malaio e um britânico. Já entre os tripulantes, havia um francês e seis indonésios.

A Agência Nacional de Busca e Resgate acredita que o avião provavelmente caiu no mar próximo à ilha de Belitung, entre Sumatra e Bornéu.

No início do ano, em 8 de março, um avião da Malaysia Airlines com 239 pessoas a bordo, que viajava de Kuala Lumpur, na Malásia, para Pequim, na China, desapareceu. Os investigadores acreditam que o voo MH-370 saiu de curso e caiu por falta de combustível no Oceano Pacífico.

Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Navio mercante turco naufraga na Itália após bater em outra embarcação

Um navio mercante turco naufragou no litoral de Ravenna, no norte da Itália, após colidir com outra embarcação.

As autoridades portuárias da cidade italiana já estão na área do acidente, onde enviaram equipe de ajuda para atender os feridos.

Ainda não há informações sobre o número de pessoas a bordo.

As autoridades colocaram ambulâncias de prontidão à espera dos resgatados.

 

DA Agência Efe

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Chinês é flagrado andando com alpaca por calçada na China

Um chinês foi flagrado andando com uma alpaca por uma calçada de Pequim, na China, na quinta-feira (25). O animal estava sendo usado por um comerciante para alavancar as vendas de Natal, data que ganhou importância no país nos últimos anos.

Chinês foi flagrado andando com alpaca por calçada de Pequim (Foto: Wang Zhao/AFP)
Chinês foi flagrado andando com alpaca por calçada de Pequim (Foto: Wang Zhao/AFP)
Cena ocorreu na capital Pequim (Foto: Wang Zhao/AFP)
Cena ocorreu na capital Pequim (Foto: Wang Zhao/AFP)
Animal foi usado para alavancar vendas de Natal (Foto: Wang Zhao/AFP)
Animal foi usado para alavancar vendas de Natal (Foto: Wang Zhao/AFP)
Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Americano é preso enquanto raspava o cabelo para disfarçar aparência

Um jovem de 19 anos estava raspando a cabeça quando a polícia chegou para prendê-lo em Holland, no estado de Michigan (EUA). Codi James Antoniello acabou posando para a foto da polícia com parte do cabelo raspado.

 Codi James Antoniello tentou raspar o cabelo para disfarçar aparência (Foto: Ottawa County Sheriff's Office)
Codi James Antoniello tentou raspar o cabelo para disfarçar aparência (Foto: Ottawa County Sheriff’s Office)

Segundo a polícia, Antoniello tinha decidido raspar o cabelo em uma tentativa de disfarçar sua aparência. Ele e um adolescente de 16 anos são acusados de invasão e agressão. A dupla atacou um homem com uma picareta e um taco de beisebol.

A vítima de 21 anos chegou a ser hospitalizada, mas passa bem. De acordo com a polícia, Antoniello e o comparsa agrediram a jovem de 21 anos após uma discussão nas redes sociais por conta de uma mulher.

 

 

Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Refém brasileiro é libertado por guerrilha paraguaia

Arlan Fick voltou aos braços da família na noite de Natal. (Foto: Reprodução / Facebook de Arlan Fick )

Arlan Fick voltou aos braços da família na noite de Natal. (Foto: Reprodução / Facebook de Arlan Fick )

O Exército do Povo Paraguaio (EPP) libertou na noite desta quinta-feira (25), noite de Natal, o jovem brasileiro, de 17 anos, que foi sequestrado e era mantido como refém desde 2 de abril, informou o porta-voz da Força de Tarefa Conjunta (FTC), Víctor Urdapilleta.

Urdapilleta explicou que as autoridades já entraram em contato com Arlan e que unidades da FTC, que se dedica ao combate à guerrilha, estão a caminho de sua casa, onde agora se encontra.

O jovem brasileiro nem esperou a chegada de autoridades e publicou em seu perfil no Facebook imagens de sua volta para casa, após mais de oito meses de longo sequestro. Na rede social, ele agradeceu as orações de amigos e familiares.

As imagens mostram o rapaz ao lado de amigos e familiares, entre eles o pai, Álcido.

Rapaz é recebido por amigos e familiares. (Foto: Reprodução / Facebook de Arlan Fick)
Rapaz é recebido por amigos e familiares. (Foto: Reprodução / Facebook de Arlan Fick)

O procurador-geral do Estado, Javier Díaz Verón, expressou sua satisfação pela libertação de Arlan, segundo a imprensa local. “É uma grande notícia, sem dúvida é um passo muito grande para a conciliação do Paraguai. Falei com o Sr. Fick, que estava muito emocionado e me transmitiu sua felicidade e a de toda sua família. É um momento que esperávamos ansiosamente e que aconteceu em uma data muito especial para todos”, disse Verón, segundo um comunicado oficial.

“Sem dúvida é uma grande felicidade e agora esperamos a liberdade de Edelio e que isso não se repita. É um pedido que fazemos para aqueles que acreditam que conseguirão alcançar seus objetivos através dessas medidas”, destacou o procurador-geral.

O adolescente foi capturado na propriedade rural de sua família, de nacionalidade brasileira, na cidade de Paso Tuyá, no departamento de Concepción, no norte do país, um município onde vivem cerca de 75 famílias, a maioria imigrantes brasileiros dedicados à agricultura.

Foram 267 dias de drama longe da família.

Durante o sequestro, ocorreu um enfrentamento armado entre a guerrilha e as forças de segurança do Paraguai, que terminou com a morte de um militar e de dois integrantes do EPP, enquanto os guerrilheiros conseguiram escapar com o jovem.

Presidente do Paraguai, Horacio Cartes, falou sobre a libertação do brasileiro em seu perfil oficial no Twitter. (Foto: Reprodução / Horacio Cartes / Twitter)
Presidente do Paraguai, Horacio Cartes, falou sobre a libertação do brasileiro em seu perfil oficial no Twitter. (Foto: Reprodução / Horacio Cartes / Twitter)

“Estamos contentes com a libertação de Arlan Fick e seguiremos trabalhando até que Edelio Morínigo volte para sua família”, disse o presidente do Paraguai, Horacio Cartes, em seu perfil oficial do Twitter. O grupo guerrilheiro mantém o policial paraguaio Edelio Morínigo como refém desde o dia 5 de julho.

O governo paraguaio atribui 38 assassinatos – entre civis, militares e policiais – ao EPP desde o surgimento do grupo em 2008.

 

Da EFE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.