Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Japão ordena abate de 42 mil frangos por causa de novo surto de gripe aviária

Da Agência Brasil

Em abril, ao menos 112 mil frangos foram abatidos em dois dias devido ao surto / Foto: ReproduçãoEm abril, ao menos 112 mil frangos foram abatidos em dois dias devido ao surtoFoto: Reprodução

As autoridades japonesas ordenaram nesta segunda-feira (29) o abate de cerca de 42 mil frangos no Oeste do país após a confirmação de um novo surto de gripe aviária, o segundo em menos de um mês. Testes de DNA confirmaram a presença da estirpe H5 do vírus em uma propriedade rural na cidade de Miyazaki, na Ilha de Kyushu, no Sudoeste do país, depois de o proprietário ter relatado ontem (28)  a morte de várias aves de maneira repentina, informou o governo local.

As autoridades iniciaram nesta segunda o abate e solicitaram às propriedades localizadas num raio de 10 quilômetros em torno da propriedade afetada para não transportarem as aves para fora daquela área geográfica.

Este caso surge cerca de duas semanas depois de o governo ter ordenado o abate de aproximadamente 4 mil frangos em uma propriedade em Miyazaki, local em que ocorreu o primeiro surto de gripe aviária no Japão desde abril.

Não há informações que indiquem uma eventual ligação entre o primeiro surto e o atual, de acordo com o Ministério da Agricultura, que informou que mais testes serão feitos por um instituto.

Em abril, ao menos 112 mil frangos foram abatidos em dois dias devido ao surto, também no Sudoeste do Japão.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Americano vende sem quer gato de estimação de sua namorada

Um morador de Michigan (EUA) vendeu sem quer o gato de estimação de sua namorada. Roy Dufek havia colocado à venda uma cama no site de classificados Craigslist, mas não percebeu que o felino chamado Camo estava escondido no móvel.

Morador de Michigan vendeu sem quer o gato de estimação de sua namorada (Foto: Reprodução/Reddit)
Morador de Michigan vendeu sem quer o gato de estimação de sua namorada (Foto: Reprodução/Reddit)

Roy Dufek afirmou que não tinha ideia de que o gato estava escondido na cama quando ele vendeu o móvel no Craigslist por US$100. Aparentemente, o felino gostava de se esconder em um buraco dentro do box sempre que ficava com medo.

Dufek acredita que o gato pode ter ficado assustado quando a pessoa veio buscar a cama e deve ter entrado em seu esconderijo favorito. Agora, Dufek e sua namorada, Crews Hayley, estão oferecendo uma recompensa de US$ 200 pela devolução de Camo.

 

Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Seul propõe a Pyongyang reabrir diálogo para reencontro de famílias

A Coreia do Sul anunciou nesta segunda-feira (29) que propôs a seu vizinho do Norte reabrir o diálogo para tratar o reencontro de famílias separadas pela Guerra da Coreia (1950-1953), assim como a possível reunificação da península coreana.

O ministro sul-coreano de Unificação, Ryoo Kihl-jae, disse que enviou uma mensagem ao delegado de Pyongyang para assuntos relacionados com Coreia do Sul, Kim Yang-gon, com o objetivo de organizar uma cúpula ministerial em janeiro.

“O Sul e o Norte devem se reunir e discutir as possíveis vias para uma reunificação pacífica”, afirmou Ryoo em declarações recolhidas pela agência local de notícias “Yonhap”.

O primeiro objetivo a curto prazo seria organizar em fevereiro outro reencontro de famílias separadas pela guerra, similar ao que os países acertaram no mesmo mês do ano passado e que foi o primeiro deste tipo desde 2011.

Em setembro passado, Pyongyang já rejeitou uma proposta de Seul de retomar esses históricos encontros bilaterais e lhe exigiu que suspenda seus exercícios militares anuais com os Estados Unidos e que acabe com as sanções econômicas e comerciais que impõe ao país comunista desde 2010.

Em outubro, as duas Coreias concordaram em realizar uma reunião em nível de vice-ministros durante uma visita de um alto cargo norte-coreano ao Sul, embora Pyongyang tenha cancelado sua participação devido ao envio de balões com propaganda contra o regime de Kim Jong-un por parte de ativistas sul-coreanos.

 

Da EFE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Duas crianças morrem em incêndio em Lima, no Peru

Duas crianças de 11 e sete anos morreram neste domingo (28) em um incêndio que atingiu o prédio onde viviam em uma região central de Lima, informou à imprensa local o comandante-geral do Corpo de Bombeiros voluntários da capital do Peru, Mario Casaretto.

O chefe dos bombeiros explicou que só puderam encontrar os corpos das crianças ‘totalmente carbonizados’ depois que extinguiram o incêndio, após três horas de trabalho, que precisaram da participação de 150 bombeiros de 18 companhias.

Casaretto disse que as crianças estavam em um quarto de aproximadamente seis metros quadrados onde viviam, já que o resto da edificação era usada como uma oficina de conserto de colchões, camas e bicicletas.

“Tínhamos a referência que faltavam duas crianças. Foi difícil chegar ao fundo do local por causa dos escombros”, explicou Casaretto.

“O trabalho foi árduo, e ainda não chegamos à investigação das causas, devido à grande quantidade de produtos que eram armazenados no local, como solventes químicos, tintas, acetileno e hidrocarbonetos, que alimentaram o fogo”, disse o chefe dos bombeiros.

As grandes proporções das chamas alcançaram os dois andares superiores do prédio e as altas temperaturas fizeram as estruturas metálicas colapsar, que caíram sobre o térreo, onde estavam as duas crianças.

 

Da EFE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Família de dez pessoas escapa de voo da AirAsia

Uma família indonésia de dez pessoas escapou milagrosamente do voo da AirAsia que desapareceu no domingo (28), pouco depois de decolar, porque não chegou a tempo ao aeroporto, indicou nesta segunda-feira uma de suas integrantes.

Christianawati, de 36 anos, afirmou que dez membros de sua família, entre eles sua mãe e seu irmão mais novo, haviam se dirigido ao aeroporto de Surabaya, no leste da ilha de Java, na Indonésia, para pegar o avião e comemorar o Ano Novo em Cingapura.

Os seis adultos haviam reservado inicialmente o voo de 07h30, mas a AirAsia os transferiu para o de 05h30. “Eles nos enviaram uma carta e telefonaram nos dias 15 e 16 de dezembro para nos informar que o horário de nosso voo havia mudado, mas nós não recebemos estas informações”, acrescentou Christianawati.

“Portanto, chegamos ao aeroporto para pegar o voo das 07h30, mas nos disseram que o horário de nosso voo havia sido adiantado para as 05h30 e que havíamos chegado tarde. Naturalmente, ficamos chateados”, afirmou ela.

“No momento em que estavam imprimindo as novas passagens, soubemos que o avião que havia partido pouco antes havia se acidentado, de modo que cancelamos imediatamente nosso voo”, acrescentou.

“Eu estava comovida com a notícia e chorei. Talvez Deus quis que minha família e eu não estivéssemos no avião. Foi uma bênção disfarçada”, afirmou.

 

Da France Presse

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Avião da AirAsia desaparecido pode estar no fundo do mar na Indonésia

Da AFP

Cingapura, Malásia e Austrália enviaram aviões e barcos para apoiar a Indonésia nos trabalhos de busca  / Foto: ReproduçãoCingapura, Malásia e Austrália enviaram aviões e barcos para apoiar a Indonésia nos trabalhos de buscaFoto: Reprodução

As operações de busca do avião da companhia malaia AirAsia, que desapareceu no domingo (28) entre Indonésia e Cingapura com 162 pessoas a bordo, foram retomadas nesta segunda-feira, mas as autoridades indonésias advertiram que a aeronave provavelmente está no fundo do mar.

Cingapura, Malásia e Austrália enviaram aviões e barcos para apoiar a Indonésia nos trabalhos de busca, enquanto os familiares dos desaparecidos esperavam ansiosamente por notícias dos ocupantes do Airbus A320-200, que decolou no domingo de Surabaya, no leste da Indonésia, em direção a Cingapura.

O avião desta companhia de baixo custo malaia desapareceu depois que os pilotos pediram permissão aos controladores de tráfego aéreo para se desviar do plano de voo devido ao mau tempo.

“Com base nas informações que temos e na avaliação do suposto local da queda (da aeronave) no mar, a hipótese é que o avião está no fundo do mar”, disse em uma coletiva de imprensa o chefe dos serviços de resgate indonésios, Bambang Soelistyo, embora tenha ressaltado que estas suspeitas iniciais podem evoluir com a análise dos resultados da busca.

Além disso, Soelistyo disse que a Indonésia não tinha as ferramentas adequadas, como submarinos, para recuperar o avião do fundo do mar, mas que pedirá ajuda a outros países se for necessário, em referência a Reino Unido, França e Estados Unidos, que ofereceram anteriormente sua ajuda.

A bordo da aeronave viajavam 155 indonésios, três sul-coreanos, um francês – o co-piloto -, um britânico, um malaio e um cingapuriano. No total, sete membros da tripulação e 155 passageiros, entre eles 16 crianças e um bebê.

A angústia aumenta

Os parentes dos desaparecidos passaram a noite em Surabaya com a esperança de obter notícias, enquanto a angústia aumenta.

Vicky afirmou que ainda mantinha as esperanças de encontrar seus dois irmãos, que pegaram o voo QZ8501, ao mesmo tempo em que considerou impróprias as declarações de uma autoridade indonésia, que disse compartilhar a tristeza das famílias. Para Vicky, isso quer dizer que os passageiros estão mortos.

Os controladores de tráfego aéreo perderam no domingo o contato com a aeronave uma hora após sua decolagem do aeroporto internacional Juanda em Surabaya (leste da ilha de Java) às 05h20 locais. Seu pouso estava previsto em Cingapura às 08h30 (22h30 de Brasília).

Pouco antes de desaparecer dos radares, o piloto havia solicitado subir 6.000 pés de altitude para alcançar os 38.000 com o objetivo de evitar as nuvens, indicou um funcionário do ministério dos Transportes, Djoko Murjatmodjo.

Os trabalhos de busca se concentram em águas das ilhas de Bangka e de Belitung, no mar da Java, em frente à costa oriental de Sumatra.

Ajuda internacional

A França anunciou o envio de dois investigadores, acompanhados de dois técnicos da Airbus, a Jacarta.

A Austrália também prometeu colaborar nas investigações e o governo americano mostrou sua disposição em ajudar, se for necessário, as autoridades locais. Já a China ofereceu meios náuticos e aéreos para colaborar na busca da aeronave.

A AirAsia Indonesia, uma filial da AirAsia, buscava o avião desaparecido. A sede desta empresa se localiza em Kuala Lumpur, capital da Malásia, onde a companhia aérea perdia 7,48% às 02h15 GMT (00h15 de Brasília) na bolsa.

O Airbus desaparecido foi revisado em 16 de novembro, indicou a AirAsia, uma empresa que nunca havia tido um acidente fatal até a data.

Mas o ministro indonésio de Transportes anunciou nesta segunda-feira que as autoridades de seu país controlarão o funcionamento da AirAsia na Indonésia.

O ano de 2014 foi ruim para a aviação malaia, com a perda de dois aviões da companhia nacional Malaysia Airlines.

Um Boeing 777-200 da Malaysia Airlines desapareceu no dia 8 de março pouco depois de decolar em Kuala Lumpur com 239 pessoas a bordo e quatro meses depois, em 17 de julho, outro Boeing 777 da mesma companhia foi derrubado por separatistas pró-russos no leste da Ucrânia.

A Indonésia, um arquipélago de 17.000 ilhas muito dependente do transporte aéreo, tem um dos piores balanços na Ásia em matéria de segurança aérea.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Incêndio em ferry no Mediterrâneo provoca difícil operação de resgate

ATENAS – Um grego morreu neste domingo em um ferry atingido por um incêndio no canal de Otranto, entre Grécia e Itália, em meio a uma difícil operação de resgate dos 478 passageiros e tripulantes a bordo, anunciou o ministério grego da Marinha Mercante e do Mar Um oficial informou que o corpo do grego foi recolhido por um barco patrulha para ser levado ao porto italiano de Brindisi, enquanto prosseguem os trabalhos de resgate, dificultados por péssimas condições climáticas.

O passageiro grego morreu quando escorregou e caiu na água com sua esposa. A mulher foi resgatada com vida e também seguiu para Brindisi.

Por volta das 18H30 GMT (16H30 Brasília), apenas 165 dos 478 passageiros e tripulantes a bordo do ferry haviam sido resgatados, mas a companhia de navegação grega Anek afirmou que a situação “está sob controle”.

“Há apenas fumaça (…) e vários barcos estão tentando se aproximar do ‘Norman Atlantic’ para resgatar os passageiros por meio de cabos”.

O ferry de bandeira italiana fretado pela Anek realizava o trajeto entre a cidade grega de Patras e a italiana Ancona.

A Marinha italiana revelou que o rebocador Marietta Barretta atracou no ferry, o que permitiu estabilizar o barco e acelerar a retirada das pessoas a bordo.

Um passageiro grego, Nikos Papatheodossiou, revelou ao canal de TV Mega que o ferry já estava sendo rebocado: “avançamos a duas ou três milhas por hora, mas há muita fumaça, não sabemos por quanto tempo vamos aguentar aqui”.

Segundo Papatheodossiou, todas as crianças a bordo (cerca de 40) foram evacuadas.

O ministro grego do Mar, Miltiadis Varvitsiotis, confirmou que o ferry estava sendo rebocado pelos italianos, mas que ignorava seu destino. Posteriormente, a Anek informou que a operação de reboque foi interrompida por um problema no cabo.

Uma grande operação de salvamento – que reúne barcos gregos e italianos e helicópteros – trabalhou em condições muito difíceis pela manhã, com ventos de 10 na escala de Beaufort (até 12), chuvas torrenciais, granizo e vagas de seis metros de altura, mas a situação melhorou durante a tarde.

A Marinha italiana enviou ao local três helicópteros, dois rebocadores equipados com dispositivos contra incêndios e quatro barcos patrulha, tendo o navio italiano “Europa” à frente das operações de salvamento.

 

AFP

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Desaparecimento de avião da Malaysia é um dos maiores mistérios da aviação

Da Folhapress

Logo após o acidente, equipes de vários países vasculharam a costa oeste da Austrália em busca de destroços do Boeing 777 da Malaysia, sem sucesso / Foto: Reprodução 

Logo após o acidente, equipes de vários países vasculharam a costa oeste da Austrália em busca de destroços do Boeing 777 da Malaysia, sem sucessoFoto: Reprodução

Depois de mais de 8 meses, ainda não há pistas sobre o avião da Malaysia Airlines que desapareceu no dia 8 de março deste ano. O voo 370, levando 239 pessoas de Kuala Lumpur, Malásia, para Pequim, capital da China, sumiu sem deixar rastros, apesar de múltiplas operações de busca no oceano Índico.

Logo após o acidente, equipes de vários países vasculharam a costa oeste da Austrália em busca de destroços do Boeing 777 da Malaysia, sem sucesso. Não encontraram nem um único pedaço da fuselagem. Depois de quatro meses de interrupção, as buscas foram retomadas em 4 de outubro com ajuda de equipamentos mais sofisticados, incluindo sonar, câmeras de vídeo e sensores de combustível de avião, instalados em três navios que irão passar até 1 ano em um trecho isolado do oceano a cerca de 1.800 quilômetros da costa oeste da Austrália.

É nessa região que os investigadores acreditam que o avião ficou sem combustível e caiu no mar, suposição baseada na análise das transmissões entre o avião e um satélite. Inicialmente, autoridades descartaram terrorismo, mas ainda circulam várias teorias conspiratórias. Enquanto os destroços não forem encontrados e analisados, será impossível determinar o que aconteceu exatamente. Trata-se de um dos maiores mistérios da aviação mundial.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Malásia vive piores inundações em 30 anos

Da AFP

Situação pode se agravar ainda mais se nos próximos dias chegar, como está anunciada, uma nova frente chuvosa / Foto: AFP
Situação pode se agravar ainda mais se nos próximos dias chegar, como está anunciada, uma nova frente chuvosaFoto: AFP

Regiões inteiras atingidas pela água e novas chuvas de monções à vista: na Malásia mais de 160 mil pessoas já foram afetadas pelas inundações que atingem o norte do país, as piores em 30 anos, que deixaram oito mortos e milhares de pessoas isoladas.

O primeiro-ministro do país, Najib Razak, anunciou neste domingo (28) uma ajuda suplementar de 500 milhões de ringits (118 milhões de euros) para socorrer os habitantes das províncias de Kelantan, Terengganu e Pahang, isoladas e privadas de alimentos e água potável.

O líder malaio foi muito criticado após a publicação na imprensa e nas redes sociais de fotos nas quais aparecia jogando golfe no Havaí junto com o presidente americano, Barack Obama, após o início do desastre. Finalmente, Razak suspendeu suas férias e viajou no sábado às regiões afetadas.

O último balanço é de oito mortos e 160.000 afetados em diversos graus, dos quais 8.000, no estado de Kalentan, estariam completamente isolados do mundo.

Observada a partir do céu, a capital do Estado, Kota Bharu, próxima à fronteira com a Tailândia, parecia um imenso lago. A cidade não tem eletricidade e os moradores precisaram recorrer aos saques das lojas para arranjar comida.

“O país precisa com urgência de helicópteros” para evacuar as localidades inundadas e fornecer mantimentos às populações necessitadas, anunciou o vice-ministro de Transportes, Aziz Kaprawi.

“Nossa casa está completamente inundada”, disse Ahmad Wajih Saifullah, um engenheiro de 25 anos que voltava de Kelantan para levar à capital Kuala Lumpur seus parentes idosos e doentes. “Minha mãe sofre de hipertensão e diabetes. Perdeu todos os medicamentos na fuga”, lamentava o jovem.

A situação pode se agravar ainda mais se nos próximos dias chegar, como está anunciada, uma nova frente chuvosa.

“Esperamos novas e grandes chuvas seguidas de vento forte” no início da semana, indicou à AFP um funcionário da agência meteorológica malaia.

Enquanto isso, a raiva cresce no país diante do que é visto como uma resposta lenta do governo à crise.

Motoristas de caminhão reclamam da escassez de diesel, já que muitos postos de combustível estão submersos, enquanto nos centros de socorro os trabalhadores lutam para lidar com os muitos desabrigados sem água potável suficiente e diante de condições insalubres.

O primeiro-ministro Najib, que enfrenta uma tempestade de críticas depois de ter sido fotografado jogando golfe com Obama, defendeu neste domingo sua “diplomacia do golfe”, ao afirmar ao jornal Sunday Star que “é difícil para mim recusar” um convite pessoal do chefe de Estado americano.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Cerimônia marca fim da missão de 13 anos da Otan no Afeganistão

Da AFP

Em seu auge, em 2011, as forças da Otan contaram com até 130.000 soldados procedentes de cinquenta países / Foto: AFPEm seu auge, em 2011, as forças da Otan contaram com até 130.000 soldados procedentes de cinquenta paísesFoto: AFP

As forças da Otan no Afeganistão (Isaf) celebraram neste domingo (28) com uma cerimônia oficial sua saída do país após 13 anos de combates, dias antes do fim efetivo de sua operação, previsto para 1º de janeiro. “Juntos tiramos o povo afegão das trevas do desespero e demos a ele esperança no futuro”, declarou o general John Campbell ante os soldados da Otan em uma cerimônia solene.

“Tornaram o Afeganistão mais forte e nossos países mais seguros”, acrescentou. A Aliança Atlântica comunicou os detalhes desta cerimônia no último minuto para evitar eventuais atentados por parte dos talibãs, que atacaram a capital afegã em várias ocasiões nos últimos anos e que ainda mantêm uma insurreição armada.

A missão “Apoio Decidido”, de ajuda e formação do exército afegão, assumirá o lugar no dia 1º de janeiro da missão de combate da Isaf, que perdeu 3.485 soldados desde 2001. Cerca de 12.500 militares continuarão, no entanto, no Afeganistão para ajudar os 350.000 efetivos das forças de segurança, que enfrentam sozinhos a partir de agora a insurreição talibã. Os talibãs dirigiram o país entre 1996 e 2001.

Em seu auge, em 2011, as forças da Otan contaram com até 130.000 soldados procedentes de cinquenta países. A cerimônia, realizada no quartel-general da força aliada em Cabul e na qual a bandeira da Otan em Cabul foi arriada, foi classificada de fracasso pelos talibãs.

“Os 13 anos de missão americana e da Otan foram um fracasso absoluto no Afeganistão. A cerimônia de hoje é seu fracasso”, declarou à AFP o porta-voz talibã, Zabihullah Mujahid.

Já o presidente americano, Barack Obama, declarou em seu discurso de Natal que “em poucos dias nossa missão de combate no Afeganistão terá terminado” e disse que “nossa guerra mais longa terminará de maneira responsável”.

Mas a recente violência, sobretudo em Cabul, coloca em evidência as dificuldades que a próxima força internacional enfrentará para ajudar na luta contra a insurreição dos talibãs.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.