Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

18 elefantes são achados mortos na Índia; raio pode ter sido a causa

Animais foram encontrados na reserva florestal de Kandali, no nordeste do país. Uma investigação sobre a causa das mortes foi aberta.

Por France Presse

Mulher ao lado das carcaças de elefantes encontrados mortos na Índia. Eles possivelmente morreram por causa de um raio, no sopé da reserva Kundoli, em 14 de maio de 2021. — Foto: Anuwar Hazarika/Reuters

Mulher ao lado das carcaças de elefantes encontrados mortos na Índia. Eles possivelmente morreram por causa de um raio, no sopé da reserva Kundoli, em 14 de maio de 2021. — Foto: Anuwar Hazarika/Reuters

Ao menos 18 elefantes foram encontrados mortos no estado de Assam, no nordeste da Índia, anunciaram autoridades locais nesta sexta-feira (14). Uma investigação sobre a causa das mortes foi aberta, e acredita-se que os animais podem ter sido vítimas de um raio.

O ministro das Florestas de Assam, Parimal Suklabaidya, expressou seu profundo pesar pela morte dos animais e disse que eles podem ter sido mortos por um raio que atingiu a reserva florestal de Kandali, no distrito de Nagaon, na noite de quarta-feira (12).

“É muito doloroso ver elefantes morrerem assim. Mas temos que esperar pelo relatório post-mortem para saber a causa exata”, disse Suklabaidya à imprensa no local da tragédia, que fica a cerca de 150 km a sudeste de Guwahati, a capital do estado.

O primeiro-ministro de Assam, Himanta Biswa Sarma, disse em comunicado estar preocupado com a morte de “tantos elefantes”.

Cerca de 30 mil elefantes vivem na Índia, o equivalente a 60% da população de elefantes selvagens da Ásia.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Explosão em mesquita deixa mortos no Afeganistão durante cessar-fogo com o Talibã

Ao menos 12 pessoas morreram, inclusive o imã da mesquita, e 15 ficaram feridas. Talibã negou qualquer relação com o ataque, e ninguém assumiu a responsabilidade até o momento.

Por G1

Ao menos 12 pessoas morreram e 15 ficaram feridas em uma explosão em uma mesquita na periferia de Cabul, a capital do Afeganistão, nesta sexta-feira (14). Entre os mortos está o imã da mesquita.

A explosão ocorre durante o cessar-fogo de três dias entre o governo afegão e o Talibã, que entrou em vigor ontem, quinta-feira (13). Ninguém assumiu a responsabilidade pelo atentado até o momento.

O porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, negou qualquer ligação com o ataque, condenando a explosão e acusando a agência de inteligência do Afeganistão de estar por trás do atentado.

Tanto o Talibã quanto o governo afegão costumam culpar um ao outro pelos ataques, e raramente os culpados são identificados e o resultado das investigações é divulgado.

O quarto cessar-fogo em quase duas décadas de confrontos foi feito devido ao Aid al Fitr, festividade muçulmana do fim do Ramadã, e em meio a uma onda violência que varreu o país nas últimas semanas.

Na semana passada, mais de 50 pessoas, a maioria estudantes adolescentes, morreram em uma série de explosões nas imediações de uma escola de meninas da capital.

EUA no Afeganistão

Os ataques começaram depois que os Estados Unidos anunciaram a retirada suas tropas do Afeganistão até 11 de setembro, quando se completarão 20 anos do ataque às Torres Gêmeas.

Biden vai retirar todas as tropas americanas do Afeganistão

O ataque ocorre dois dias após soldados americanos deixarem a sua segunda maior base militar no Afeganistão, a de Kandahar.

A informação foi confirmada nesta sexta-feira (14) por Khoja Yaya Alawi, porta-voz do exército afegão em Kandahar. “A base não foi devolvida oficialmente, mas posso confirmar que eles deixaram a base na quarta-feira”.

A transferência oficial da base acontecerá depois do Eid al Fitr. Kandahar é um reduto Talibã e nos últimos meses registrou um aumento da violência e dos ataques dos insurgentes.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Terremoto de magnitude 6,6 atinge ilha indonésia de Sumatra

Não há relatos de vítimas ou grandes danos materiais até o momento. Tremor de magnitude 9,1 em dezembro de 2004 em Sumatra desencadeou um tsunami que matou mais de 230 mil.

Por G1

Um terremoto de magnitude 6,6 atingiu nesta sexta-feira (14) a costa oeste da ilha indonésia de Sumatra, segundo o Centro Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês).

A agência de meteorologia e geofísica da Indonésia (BMKG) estima a magnitude do terremoto em 7,2 e profundidade de 19 km, mas disse que não há potencial para desencadear um tsunami.

Um terremoto de magnitude 9,1 na costa noroeste de Sumatra, em 26 de dezembro de 2004, desencadeou um tsunami que matou mais de 230 mil pessoas na Indonésia e em mais 12 países.

O tremor aconteceu às 12h30 (horário local, 3h30 em Brasília), perto da ilha de Nias, e provocou pânico entre a população.

Até o momento, no entanto, não foram registradas vítimas ou grandes danos materiais, afirmou o porta-voz do serviço de emergência de Nias, Agus Wibisono.

“Entrei em contato com os socorristas no sul e oeste de Nias e estão bem. Não há vítimas ou danos”, disse Wibisono à agência de notícias France Presse.

O arquipélago indonésio fica em uma zona de grande atividade sísmica, o denominado “Anel de Fogo do Pacífico”, devido ao choque de placas tectônicas.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Após colisão no ar, piloto pousa sem perceber avião quase partido ao meio em Denver, nos EUA

Áudio de conversa com torre de controle mostra pedido de autorização para pouso de emergência por ‘falha no motor’. Piloto de outra aeronave acionou paraquedas e conseguiu chegar ao solo em segurança com passageiro; ninguém ficou ferido.

Por Associated Press

Avião da Key Lime Air já em solo após sofrer colisão no ar, em Denver, na quarta-feira (12) — Foto: CBS Denver via AP

Avião da Key Lime Air já em solo após sofrer colisão no ar, em Denver, na quarta-feira (12) — Foto: CBS Denver via AP

O piloto de um avião que colidiu com outro em pleno voo, próximo a Denver, nos EUA, solicitou um pouso de emergência por falha no motor, sem perceber que sua aeronave estava quase partida ao meio, segundo áudio do controle de tráfego aéreo. Milagrosamente, os dois aviões pousaram e ninguém ficou ferido, disseram as autoridades.

Os aviões estavam se preparando para pousar em um pequeno aeroporto regional em um subúrbio de Denver na quarta-feira (12) quando colidiram, de acordo com o Conselho Nacional de Segurança de Transporte e Bombeiros Metropolitanos.

O piloto que solicitou o pouso de emergência era a única pessoa a bordo de um Fairchild Metroliner bimotor que pousou no Aeroporto Centennial, apesar dos grandes danos à cauda. O avião é propriedade da Key Lime Air, com sede no Colorado, que opera aeronaves de carga.

“Parece que o motor direito falhou, então vou continuar pousando aqui”, disse o piloto em um trecho do áudio do controle de tráfego aéreo.

O segundo avião, um monomotor Cirrus SR22 2016, foi alugado pela Independence Aviation, disse a empresa em um comunicado. Seu piloto ativou com sucesso um sistema de paraquedas de fuselagem projetado pela Cirrus Aircraft para retardar a descida da aeronave após uma colisão.

O avião Cirrus tinha um piloto e um passageiro a bordo quando o piloto lançou um paraquedas vermelho e branco e pousou em um terreno seguro perto de casas no Parque Estadual de Cherry Creek, disse o xerife do condado de Arapahoe, John Bartmann.

“Cada um desses pilotos precisa comprar um bilhete de loteria agora mesmo”, disse Bartmann. “Não me lembro de nada assim – especialmente de todo mundo saindo ileso. Essa é a parte incrível disso”.

Christopher T. O’Neil, porta-voz do Conselho Nacional de Segurança de Transporte , uma agência federal que investiga a colisão, disse que espera ter uma atualização nesta quinta-feira sobre o incidente.

June Cvelbar disse à estação de TV KUSA que testemunhou a colisão enquanto caminhava em um parque estadual.

“Eu vi dois aviões no céu. Eu vi um avião verde maior, que pensei ser um reboque, junto com o que pensei ser um planador sendo rebocado por ele. Eu ouvi um barulho, mas não percebi que os dois aviões haviam colidido”, ela disse à KUSA por e-mail.

Cvelbar disse que viu o avião verde voar e logo depois viu o avião menor abrir seu paraquedas. Ela disse que inicialmente pensou que era um exercício de treinamento.

“Quando percebi que o pequeno avião estava caindo, corri em sua direção. O piloto e seu passageiro já estavam de pé”, disse Cvelbar.

Shelly Whitehead disse à KCNC-TV que estava em sua cozinha quando ouviu um grande estrondo que parecia um foguete. Ela correu para seu quintal e viu o avião que ativou o paraquedas caindo no campo atrás de sua casa.

“Eu pensei: ‘É alguém simplesmente pulando de um avião?’ E então percebi que o paraquedas estava preso a um avião”, disse ela. “Eu tinha certeza de que eles não conseguiriam sair de lá”.

Tanto a Key Lime Air, uma empresa de fretamento de passageiros e cargas, quanto a Independence Aviation, uma escola de voo e empresa de aluguel de aeronaves proprietária do avião Cirrus, estão localizadas fora do Aeroporto Centennial, um dos aeroportos de aviação geral mais movimentados do Colorado.

As autoridades não identificaram imediatamente as pessoas que estavam nos aviões.

“No momento, estamos permitindo que o NTSB e a FAA conduzam suas investigações”, disse um comunicado emitido por Derek Severns do Cirrus Platinum Training Center, um centro de treinamento de pilotos.

O Conselho Nacional de Segurança de Transporte disse no Twitter que estava enviando uma equipe para investigar. A Key Lime Air vai cooperar com a investigação, disse a empresa em um comunicado.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Autoridade de saúde dos EUA decide que pessoas vacinadas contra Covid-19 podem ficar sem máscara em ambientes abertos e fechados

Nova recomendação vale para pessoas ‘totalmente’ vacinadas, ou seja, que tomaram as duas doses ou a dose única, dependendo do tipo de imunizante. Para quem não tomou vacina, alerta sobre o grave risco da Covid-19 e necessidade de usar máscara permanecem.

Por G1

Nos EUA, vacinados não são mais obrigados a usar máscaras em lugares fechados

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), autoridade federal de saúde dos EUA, atualizou nesta quinta-feira (13) suas recomendações sobre a Covid-19, permitindo a partir de agora que pessoas que já tenham tomado todas as doses da vacina permaneçam sem máscara em ambientes abertos ou fechados.

Para estas pessoas já plenamente imunizadas, também deixa de ser obrigatório manter o distanciamento social. A nova diretriz só não vale quando há alguma regra específica dizendo o contrário (por exemplo, uma lei estadual diferente ou uma norma do local de trabalho).

Como informa “The New York Times”, até esta quarta-feira (12), cerca de 154 milhões de pessoas haviam recebido pelo menos uma dose da vacina Covid-19, mas apenas cerca de um terço da população, ou 117,6 milhões de pessoas, tiveram a imunização plena (com duas doses ou com dose única, dependendo do tipo de vacina). No Brasil, onde não há mudança na orientação sobre máscaras, esse índice não chega a 9%.

Os EUA atualmente utilizam as vacinas Pfizer/BioNTech, Moderna e Janssen (Johnson & Johnson).

Passo marcante

O anúncio é um divisor de águas na pandemia nos EUA, já que sinaliza um começo do retorno “ao normal”. As máscaras geraram polêmica no país, deixando a população parcialmente dividida a respeito de seu uso. A possibilidade de deixar de usá-las após se vacinar pode servir de incentivo para que cidadãos reticentes decidam se imunizar a partir de agora.

Os CDC dizem que foi a ciência permitiu essa mudança. A diretora Rochelle Walensky citou três pesquisas — uma de Israel e duas dos EUA — demonstrando eficácia das vacinas aplicadas nos americanos. E também citou outras sobre a eficácia contra variantes.

O estudo israelense, que foi publicado no “Journal of the American Medical Association”, mostrou que a vacina foi 97% eficaz contra o Covid-19 sintomático e 86% eficaz contra a infecção assintomática em mais de 5 mil profissionais de saúde.

A ciência é clara, também, para pessoas não vacinadas, alertou Walensky : “Você continua sob risco de uma doença leve ou grave, de morte ou de espalhar a doença para outras pessoas. Você ainda deve botar a máscara e deve se vacinar imediatamente.”

A exigência de usar máscaras durante as viagens — em ônibus, trens, aviões e transporte público — continua, disse Walensky. As orientações para viagens devem ser atualizadas quando a ciência proporcionar evidências sobre novas formas de agir nessas situações.

Houve relatos de um pequeno número de infecções entre pessoas vacinadas nos Estados Unidos. Walensky observou, no entanto, que “é mais provável que a infecção resultante tenha uma carga viral mais baixa, com uma duração mais curta e provavelmente menos risco de transmissão a outras pessoas”.

“O ano passado nos mostrou que esse vírus pode ser imprevisível, então, se as coisas piorarem, sempre haverá a chance de precisarmos fazer uma alteração nessas recomendações”, alertou a diretora.

As pessoas que desenvolverem os sintomas do Covid-19, mesmo as vacinadas, devem colocar a máscara novamente e fazer o teste.

Eric Topol, fundador do centro de estudos médicos Scripps Research Translational Institute, afirma que a decisão dos CDC foi possível porque “está bastante claro, agora, pelo menos com vacinas de mRNA, que a transmissão é rara”. “Há alguns estudos recentes de PCR, infecção, todos com (índices) menores que 1%”, comentou em rede social.

As vacinas da Pfizer e da Moderna, que estão sendo amplamente utilizadas nos EUA, são de mRNA, ou RNA mensageiro, que leva para o nosso organismo uma cópia de apenas uma parte do código genético do vírus. É uma espécie de uma receita para que nosso corpo produza uma proteína do vírus. A presença dessa proteína desencadeia a produção de anticorpos e de memória imunológica. 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Número de mortos em Gaza sobe para 83; Israel anuncia envio ‘massivo’ de forças de segurança para conter violência

Ministro da Defesa de Israel afirmou que vai mobilizar forças em cidades de Israel onde também há população árabe. Conselho de Segurança da ONU vai fazer uma terceira reunião em uma semana para discutir os conflitos.

Por G1

O número total de palestinos falecidos nos bombardeios israelenses nos últimos dias em Gaza subiu para 83, anunciou nesta quinta-feira (13) o ministério da Saúde da Faixa de Gaza, governada pelo movimento Hamas.

Entre as vítimas fatais estão 17 menores de idade. Os ataques também deixaram 487 feridos, de acordo com o ministério.

Fontes militares de Israel afirmaram que o país bombardeou Gaza mais de 600 vezes desde segunda-feira.

Os movimentos palestinos lançaram, a partir da Faixa de Gaza, mais de 1.600 foguetes contra o território de Israel.

Desde o início da semana, sete pessoas morreram em Israel, incluindo um menino de seis anos, e centenas ficaram feridas.

Ministro da Defesa ordena mobilização

O ministro israelense da Defesa, Benny Gantz, ordenou, nesta quinta-feira, a mobilização “massiva” de forças de segurança para cidades onde coabitam israelenses e palestinos com cidadania israelense, de modo a combater a violência interna registrada nos últimos dias.

“Estamos em uma situação de emergência e agora é necessário reforçar maciçamente as forças no terreno”, disse o ministro em um comunicado.

Ele informou ainda que convocará oficiais da reserva da guarda fronteiriça, que normalmente opera na Cisjordânia, território ocupado por Israel.

Conflito chega a cidades israelenses

A escalada da violência acontece em duas frentes: além da Faixa de Gaza, há distúrbios nas cidades habitadas por judeus e árabes.

Israel acionou os alertas de foguetes em diversas regiões do país, inclusive em Tel Aviv, pela primeira vez desde o início da escalada na segunda-feira. Todos os voos com destino ao aeroporto internacional desta cidade foram desviados.

Durante a madrugada, cinco pessoas ficaram feridas na explosão de um projétil que caiu em um complexo residencial perto de Tel Aviv.

Ao mesmo tempo, a aviação israelense bombardeou posições do grupo Hamas na Faixa de Gaza, um território palestino com dois milhões de habitantes sob bloqueio de Israel.

Entre os alvos há locais que eram usados em operações de “contraespionagem” do grupo islamita e a residência de um dos comandantes do Hamas, Iyad Tayeb.

O grupo islamita anunciou na quarta-feira a morte do comandante de seu braço militar para a cidade de Gaza. O serviço de inteligência israelense informou que outros dirigentes do Hamas morreram nos bombardeios.

A aviação israelense destruiu um edifício de mais de 10 andares que abrigava os escritórios da rede de televisão Al Aqsa, criada pelo Hamas.

Em represália, o Hamas lançou na quarta-feira à noite mais de 100 foguetes contra Israel. Muitos foram interceptados pelo sistema antimísseis Cúpula de Ferro.

Esplanada das Mesquitas em Jerusalém

A situação na Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém, onde a violência começou na semana passada, parecia mais calma nesta quinta-feira. Várias cidades de Israel registram distúrbios noturnos, no entanto.

Militantes de extrema-direita saíram às ruas em todo o país e provocaram confrontos com as forças de segurança e, em alguns casos, com árabes israelenses. Incidentes violentos foram registrados em várias cidades, em particular, Lod, Acre e Haifa.

O país ficou abalado com a transmissão, ao vivo pela televisão, do linchamento de um homem, considerado árabe por seus agressores, perto de Tel Aviv.

As imagens mostram um homem que foi retirado à força de seu veículo e chutado no chão por uma multidão, até perder a consciência.

“O que está acontecendo nos últimos dias nas cidades de Israel é insuportável. Nada justifica este linchamento de árabes pelos judeus e nada justifica o linchamento de judeus pelos árabes”, declarou Benjamin Netanyahu, antes de afirmar que Israel enfrenta um “combate em duas frentes”.

Conselho de Segurança da ONU fará terceira reunião

Com a intensificação dos combates, o Conselho de Segurança da ONU terá uma nova reunião na sexta-feira, a terceira em uma semana.

Durante as duas primeiras videoconferências, os representantes dos Estados Unidos não aceitaram uma declaração conjunta para pedir o fim dos confrontos, por considerá-la “contraproducente” neste momento, segundo fontes diplomáticas.

Washington, no entanto, anunciou o envio de um emissário a Israel e aos Territórios Palestinos ocupados para estimular uma “desescalada”, enquanto Moscou pediu uma reunião do Quarteto para o Oriente Médio (União Europeia, Rússia, EUA, ONU).

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que conversou por telefone com o presidente americano, Joe Biden, disse que pretende seguir bombardeando para enfraquecer a capacidade militar do Hamas.

O presidente palestino, Mahmud Abbas, está na Cisjordânia. Ele conversou com o chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, para pedir ajude a para acabar com “os ataques israelenses”.

Blinken expressou a “necessidade de acabar com os ataques de foguetes e reduzir as tensões”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Peixe gigante das profundezas do oceano é encontrado em praia na Califórnia

Peixe-futebol do Pacífico costuma viver a mais de 900 metros de profundidade e raramente chega intacto a uma praia. Fêmea pode ter até sete metros e usa estrutura que possui na frente da cabeça e emite luminosidade para atrair presas na escuridão.

Por G1

Um peixe gigante que vive apenas em águas profundas do oceano foi encontrado em uma praia de Orange Couty, na Califórnia, na segunda-feira (10).

Peixe-futebol do Pacífico encontrado em praia de Orange County, na Califórnia — Foto: Reprodução/Facebook/Crystal Cove State Park

Peixe-futebol do Pacífico encontrado em praia de Orange County, na Califórnia — Foto: Reprodução/Facebook/Crystal Cove State Park

A região onde o peixe apareceu faz parte de uma área de proteção do Parque Estadual Crystal Cove, que explicou em seu perfil em uma rede social que é muito raro que eles apareçam em praias, já que vivem abaixo de 900 metros de profundeza, e mais ainda que cheguem à margem ainda intactos.

O animal encontrado era uma fêmea de peixe-futebol do Pacífico, que pode chegar até mais de 7 metros. Já o macho dessa mesma espécie costuma ter apenas 30 centímetros e age como uma espécie de parasita, cuja única função é auxiliar a fêmea a se reproduzir, segundo os especialistas.

O peixe-futebol do Pacífico pertence a ordem dos Lophiiformes, peixes ósseos que possuem em sua maioria uma estrutura na frente da cabeça que emite luminosidade para atrair presas na escuridão da profundeza dos oceanos onde vivem.

Peixe-futebol do Pacífico encontrado em praia de Orange County, na Califórnia — Foto: Reprodução/Facebook/Crystal Cove State Park

Peixe-futebol do Pacífico encontrado em praia de Orange County, na Califórnia — Foto: Reprodução/Facebook/Crystal Cove State Park

Seus dentes são afiados e pontiagudos como cacos de vidro e sua boca é capaz de sugar e engolir presas do tamanho de seu próprio corpo, segundo a publicação do parque estadual.

Um peixe do tipo aparece na animação “Procurando Nemo”, quando Merlin e sua amiga Dory são atraídos por uma pequena luz, na verdade parte da cabeça de um predador.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Dois alpinistas morrem no Everest

Um americano e um suíço são as primeiras vítimas da temporada deste ano.

Por G1

Dois alpinistas morreram no Everest, anunciaram os organizadores da expedição no Nepal nesta quinta-feira (13). Um americano e um suíço são as primeiras vítimas da temporada deste ano.

“Dois montanhistas morreram na quarta-feira (12)”, disse Mingma Sherpa, da agência Seven Summit Treks.

O alpinista suíço “sofreu exaustão” após atingir o cume (8.848,86 m), disse Chhang Dawa, da mesma organização.

O montanhista americano perdeu a visão no cume e, exausto, teve muita dificuldade em retornar, disseram os organizadores. Ele chegou ao acampamento 4, onde morreu pouco depois.

O mau tempo atualmente impede que os corpos dos montanhistas sejam recuperados para repatriação, acrescentou Thaneshwor Guragain do Seven Summit Treks.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Maduro se diz disposto a conversar com Guaidó com mediação internacional

Líder oposicionista propôs negociação para pedir eleições “livres” em troca da “suspensão progressiva” das sanções contra Venezuela. Noruega mediou negociações fracassadas entre representantes dos dois em 2019, e novas tentativas de diálogo nunca foram adiante.

Por France Presse

O presidente da VenezuelaNicolás Maduro, disse nesta quarta-feira (12) que está “pronto” para conversar, com mediação internacional, com o líder oposicionista Juan Guaidó, que propôs uma negociação para pedir eleições “livres” em troca da “suspensão progressiva” das sanções contra os país.

“Agora o Guaidó quer sentar comigo. O que acham? (…) Concordo, com a ajuda da União Europeia, do governo da Noruega, do Grupo de Contato, quando quiserem, onde quiserem e como quiserem, estou disposto a me reunir com toda a oposição para ver o que sai de lá, se sai algo de bom e eles abandonam o caminho da guerra, da invasão, dos ataques, do golpe, e vêm para o caminho eleitoral”, declarou o mandatário venezuelano.

Guaidó, reconhecido em janeiro de 2019 como presidente interino da Venezuela pelos Estados Unidos e cinquenta países, mas sem ter conseguido tirar Maduro do poder, propôs na terça-feira a negociação após meses de recusa e o estabelecimento de um cronograma, que inclui eleições presidenciais, com possibilidade de revisão das sanções.

“Acabou, Guaidó, acabou sua Presidência. Você é uma piada de um líder da oposição, agora você tem que falar com Maduro”, disse ironicamente o governante socialista em um ato transmitido pela televisão estatal.

A Noruega mediou negociações fracassadas entre os delegados de Maduro e Guaidó em 2019, congeladas quando os Estados Unidos intensificaram suas sanções financeiras contra a Venezuela.

Por sua vez, o Grupo Internacional de Contato, órgão criado para buscar alternativas à crise venezuelana e formado por vários países da América e da Europa, tem defendido sem sucesso novas abordagens.

Na terça-feira, após a proposta de Guaidó, Maduro reagiu convidando o opositor a participar dos diálogos iniciados com outros setores da oposição após o fracasso das negociações realizadas a pedido do governo norueguês.

“Que ele (Guaidó) seja incorporado aos diálogos que já existem, que ele não se ache o líder supremo de um país que não o reconhece”, declarou Maduro.

A Venezuela marcou eleições para governadores e prefeitos para este ano, com data a ser definida, depois que Guaidó liderou um boicote aos principais partidos políticos da oposição contra as eleições presidenciais de 2018 e parlamentares de 2020, denunciando-as como fraudulentas.

Maduro descartou categoricamente, em várias ocasiões, a possibilidade de repetir as eleições presidenciais.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Governo de Ohio, nos EUA, fará sorteios milionários para moradores do estado que se vacinarem contra a Covid-19

Serão cinco prêmios no valor de US$ 1 milhão cada. Casa Branca quer ter vacinado 70% da população adulta com ao menos uma dose até 4 de julho

Por G1

O governo estadual de Ohio, nos Estados Unidos, vai fazer cinco sorteios com prêmio de US$ 1 milhão cada com pessoas que tomarem a vacina contra a Covid-19, anunciou nesta quarta-feira (12) o governador Mike DeWine.

Esses sorteios serão feitos semanalmente às quartas-feiras a partir de 26 de maio. Para participar, o interessado deve morar em Ohio, ter mais de 18 anos e ter se vacinado com ao menos uma dose antes da data do sorteio. O governador anunciou também o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras.

“Eu sei que alguns de vocês dirão ‘DeWine, você está louco! Essa sua ideia de sorteio milionário é um desperdício de dinheiro'”, afirmou o governador, em mensagem nas redes sociais.

“Mas, na verdade, o verdadeiro desperdício neste momento da pandemia — quando a vacina já está disponível a qualquer um que queira — é uma vida perdida para a Covid-19”, emendou.

Medidas para incentivar a vacinação contra o coronavírus têm sido tomadas por mais estados americanos, como Nova Jersey: o governador local anunciou a distribuição de cervejas a quem se vacinar.

Biden quer 70% dos EUA vacinados até julho

Biden pretende vacinar 70% dos adultos até 4 de julho; Casa Branca planeja enviar US$ 20 mi ao Brasil

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, quer vacinar com ao menos uma dose 70% da população adulta do país até 4 de julho, o Dia da Independência americana. A ideia do democrata é que as comemorações possam ocorrer sem maiores restrições.

Os EUA adotam três vacinas aprovadas na campanha contra a Covid-19: Pfizer/BioNTech, Moderna e Johnson & Johnson (Janssen) — essa última, a única a ser adotada em regime de dose única. Na segunda-feira, a agência reguladora americana autorizou o uso da vacina Pfizer para adolescentes com idades entre 12 e 15 anos.

Apesar de mais da metade do público alvo ter recebido ao menos uma dose, a Casa Branca vê com preocupação a queda no ritmo das imunizações. Biden anunciou um novo site ligado ao governo americano que indica às pessoas os locais de vacinação contra o coronavírus e dá outras informações. Assim, o presidente também também disse que vai formar parceria com lojas para incentivar as pessoas que a se vacinarem, com descontos e promoções.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.