Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

No último dia no poder, governo das Filipinas manda fechar site de jornalista vencedora do Nobel da Paz

Crítico do governo, ‘Rappler’, portal de notícias da filipina Maria Ressa, recebeu ordem de encerrar atividades no último dia de Rodrigo Duterte deixar o poder. Filha de Duterte assumirá a vice-presidência no novo governo, comandado pelo filho do ex-ditador Ferdinand Marcos.

Por France Presse

O site de notícias Rappler, cofundado pela jornalista filipina e vencedora do Nobel da Paz de 2021 Maria Ressa, recebeu ordem para fechar, informou a empresa nesta quarta-feira (29), um dia antes do presidente Rodrigo Duterte – seu grande inimigo – deixar o poder.

Ressa tem sido uma crítica veemente de Duterte e da guerra mortal contra as drogas que ele iniciou ao assumir a presidência em 2016, o que rendeu à jornalista e ao site Rappler uma longa lista de denúncias, investigações e ataques no país.

A ordem de fechamento foi emitida pela Comissão da Valores Mobiliários das Filipinas. Em um comunicado, o órgão confirmou a “revogação dos certificados de incorporação” da Rappler por violar “restrições constitucionais e regulamentares à propriedade estrangeira nos meios de comunicação”.

O Rappler afirmou que a decisão “confirma efetivamente o fechamento” da empresa, mas informou que pretende recorrer contra a medida, ao descrever o processo como “muito irregular”. Ressa garantiu que o site continuará operacional durante a batalha legal. “Continuamos trabalhando, como sempre”, disse a jornalista.

Duterte deixa o poder na quinta-feira (30), depois de anos sendo duramente criticado sobre sua repressão e sua agressiva política de combate às drogas. No entanto, sua filha assumirá a vice-presidência do novo governo, que será comandando por Ferdinand Marcos Jr, filho do ex-ditador do país Ferdinand Marcos.

O site teve que lutar para sobreviver diante das denúncias do governo de que violou uma cláusula constitucional que proíbe a propriedade estrangeira para obter financiamento, evasão fiscal e difamação cibernética.

Duterte já chamou o Rappler de “site de notícias falsas”.

Maria Ressa, que também tem cidadania americana, e o jornalista russo Dmitri Muratov venceram em outubro o Nobel da Paz por seu esforço “para salvaguardar a liberdade de expressão”. O jornal de Muratov, Novaya Gazeta, suspendeu em março as operações na Rússia após a aprovação de uma lei para punir aqueles que criticam a invasão da Ucrânia.

Ressa enfrenta outros sete casos judiciais, incluindo um recurso contra uma condenação a seis anos de prisão por difamação.

O Centro Internacional para Jornalistas pediu ao governo que revogue a decisão.

“O assédio legal não custa apenas tempo, dinheiro e energia para o Rappler. Permite uma violência online concebida para calar o jornalismo independiente”, afirmou a organização no Twitter.

A ordem de fechamento do Rappler foi anunciada na véspera da saída de Rodrigo Duterte da presidência. Na quinta-feira ( acontecerá a cerimônia de posse de Ferdinand Marcos Jr, filho do falecido ditador de mesmo nome, cujo governo foi marcado por abusos e corrupção.

Os ativistas temem que sua presidência represente um momento ainda pior para os direitos humanos e a liberdade de expressão do país.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

O impressionante momento em que homem escapa de explosão sob seus pés

Câmera de segurança flagrou momento em que máquina para instalar postes atinge um cano de gás.

Por BBC

Um homem estava instalando postes em Derbyshire, na Inglaterra, quando sua máquina rompeu um cano de gás. O corpo de bombeiros local disse que ele escapou ileso, “apenas um pouco abalado”.

VEJA NO VÍDEO ACIMA.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Abortos podem ser retomados no Texas após juíza bloquear proibição anterior a decisão da Suprema Corte

Ordem de restrição temporária da juíza Christine Weems é uma tentativa de última hora de clínicas de aborto para retomar serviços após a Suprema Corte derrubar a decisão Roe v. Wade.

Por Reuters

Os abortos podem ser retomados no Texas, após uma juíza impedir nesta terça-feira (28) a entrada em vigor de uma proibição de quase um século que o gabinete do procurador-geral do Estado disse que estava novamente valendo depois que a Suprema Corte dos EUA reverteu nacionalmente o direito constitucional à interrupção da gravidez.

A ordem de restrição temporária da juíza Christine Weems, do Condado de Harris, é uma tentativa de última hora de clínicas de aborto para retomar os serviços após a Suprema Corte reverter na semana passada a decisão Roe v. Wade, de 1973, que garantia o direito da mulher de ter acesso ao aborto.

A ordem permite que as clínicas retomem os serviços, por enquanto, em um estado onde o aborto já foi restringido para apenas até seis semanas de gravidez, de acordo com uma lei do Texas que entrou em vigor em setembro e que a Suprema Corte se recusou a bloquear.

“Cada hora em que o aborto é acessível no Texas é uma vitória”, disse Marc Hearron, advogado do Centro pelos Direitos Reprodutivos, em um comunicado.

O procurador-geral do Texas, Ken Paxton, disse no Twitter que apelaria imediatamente da decisão “errada” da juíza, dizendo que as leis pré-Roe são “100% constitucionais e em vigor”. Outra audiência foi marcada para 12 de julho.

A decisão chegou em meio a uma enxurrada de processos em tribunais estaduais por grupos ativistas pelo direito ao aborto tentando desacelerar ou paralisar restrições à possibilidade da mulher de terminar a gravidez que agora estão entrando em vigor, ou devem fazê-lo, em 22 estados.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Menino desaparecido é encontrado no esgoto após 8 dias na Alemanha

Criança se perdeu em Oldenburg e foi encontrada depois que um transeunte ouviu um barulho vindo de uma tampa de bueiro.

Por BBC

Um menino de oito anos que estava desaparecido foi encontrado vivo depois de sobreviver por mais de uma semana em um ponto da rede de esgoto em Oldenburg, Alemanha.

Identificada apenas como Joe, a criança desapareceu do jardim de sua família em 17 de junho, provocando uma grande busca policial.

Ele foi finalmente descoberto na manhã de sábado (25), quando um transeunte ouviu um barulho vindo de uma tampa de bueiro. O menino estava a 300 metros de sua casa.

A polícia já descartou qualquer crime. Houve especulações sobre como o menino acabou no esgoto, mas a polícia disse nessa terça-feira que ele se arrastou em direção ao ponto e não conseguiu sair.

Depois que os bombeiros retiraram o menino do esgoto, ele foi levado ao hospital com hipotermia, mas não tinha ferimentos graves.

A polícia local deu a notícia no Twitter: “Joe, de oito anos, vive!”

“Graças a uma dica de morador, conseguimos encontrar Joe no sistema de esgoto”, disse o chefe de polícia Johann Kühme.

“O mais importante é que ele está vivo e foi imediatamente levado para um hospital onde está em boas mãos. Todos podemos respirar aliviados.”

O pai do menino disse à mídia local que Joe está “bem”, dadas as circunstâncias.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Caminhão com imigrantes no Texas: motorista está preso e mortes sobem para 51

Presidente Joe Biden atribuiu a tragédia a traficantes de pessoas.

Por g1

Famílias de imigrantes do México e da América Central esperam desesperadamente notícias de seus entes queridos nesta terça-feira (28) enquanto as autoridades americanas trabalham na sombria tarefa de identificar as pessoas que morreram depois de serem abandonadas em uma carreta sem ar condicionado no calor sufocante do Texas.

O número de mortos aumentou para 51 nesta terça, 39 homens e 12 mulheres, declararam as autoridades locais em coletiva de imprensa. O proceso de identificação levará dias. Entre os hospitalizados, há um adolescente em estado crítico.

O motorista do caminhão e outras duas pessoas foram presas, disse o deputado americano Henry Cuellar, do Texas, à agência Associated Press.

Ele disse que o caminhão passou por um posto de controle da Patrulha de Fronteira a nordeste de Laredo, Texas e que não sabia que havia imigrantes dentro do carreta quando passou por ali.

Promotores federais acusaram os cidadãos mexicanos Juan Francisco D’Luna-Bilbao e Juan Claudio D’Luna-Mendez de serem estrangeiros ilegais nos EUA com posse de armas de fogo, de acordo com documentos judiciais apresentados nesta terça num tribunal no Texas. Eles teriam ligação com o caso das mortes na carreta, mas não está claro se estão entre os presos citados pelo deputado Cuellar.

Os corpos foram descobertos na tarde de segunda-feira nos arredores de San Antonio, quando um funcionário da cidade ouviu um grito de socorro do caminhão estacionado em uma estrada deserta e encontrou a cena horrível de dezenas de corpos amontoados, disse o chefe de polícia William McManus.

Dezesseis pessoas – seus corpos quentes ao toque – foram levadas para hospitais, incluindo quatro crianças.

Quarenta e seis pessoas foram encontradas mortas no local, disseram as autoridades. Mais cinco morreram depois de serem levados para hospitais, informouo juiz do condado de Bexar, Nelson Wolff, o principal funcionário eleito do condado. A maioria dos mortos eram homens, disse ele.

A contagem de mortes foi a mais alta de todos os tempos em um incidente de contrabando de pessoas nos Estados Unidos, de acordo com Craig Larrabee, agente especial interino encarregado das Investigações de Segurança Interna em San Antonio.

“Este é um horror que supera qualquer coisa que já experimentamos antes”, disse o prefeito de San Antonio, Ron Nirenberg. “E, infelizmente, é uma tragédia evitável.”

O presidente Joe Biden chamou as mortes de “horríveis e de partir o coração”.

Biden lamenta morte imigrantes em caminhão no Texas

“Explorar indivíduos vulneráveis ​​com fins lucrativos é vergonhoso, assim como a arrogância política em torno da tragédia, e meu governo continuará a fazer todo o possível para impedir que contrabandistas e traficantes de seres humanos se aproveitem de pessoas que procuram entrar nos Estados Unidos entre os portos de entrada”, disse Biden em um comunicado.

A oposição não demorou a criticar o democrata por sua responsabilidade neste drama, um dos piores na história do país, acusando-o de não aplicar uma política firme na fronteira.

Depois de um dia com temperaturas que beiravam os 40 graus, “os pacientes que vimos estavam quentes ao toque, sofrendo de insolação, exaustão pelo calor, pois não havia indícios de água no veículo”, descreveu.

Segundo o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, 22 dos mortos são do México, sete da Guatemala e dois de Honduras. “É uma tremenda desgraça”, afirmou.

López Obrador acrescentou que o tema da migração será “central, básico” em sua reunião com Biden em 12 de julho. É uma “prova amarga” da necessidade de apoiar políticas que busquem o desenvolvimento para que as pessoas não precisem sair de seus locais de origem.

‘Indústria criminosa’

Segundo os primeiros elementos da investigação, “esta tragédia foi provocada por traficantes” que “exploram” os migrantes “sem respeito por suas vidas”, garantiu Biden em comunicado.

O presidente americano instou a fortalecer a luta contra “uma indústria criminosa multimilionária” e destacou que foram realizadas 2.400 detenções desde o lançamento, há três meses, de uma ação conjunta entre Estados Unidos e outros países da região.

Os republicanos não se convenceram. O governador do Texas, Greg Abbott, que defende a linha dura contra a migração, culpou as “mortais políticas de fronteiras abertas” do democrata pelo incidente. “Estas mortes estão na conta de Biden”, tuitou.

“Os traficantes de pessoas exploram as fronteiras abertas e os mais vulneráveis pagam com suas vidas”, disse o senador do Texas Ted Cruz.

A chegada de migrantes diminuiu durante a pandemia mas subiu consideravelmente após a eleição de Joe Biden. Muitos passam pela cidade de San Antonio, a 240 km da fronteira com o México.

Cerca de 60 socorristas foram mobilizados para se ocupar dos restos mortais e receberam apoio psicológico, informou seu chefe.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

EUA afirmam que mataram líder de grupo ligado à Al Qaeda na Síria

Os americanos afirmam que o alvo era Abu Hamzah, um iemenita que era líder do grupo Hurras al-Din, que teria ligações com a Al Qaeda.

Por g1

Os Estados Unidos fizeram um ataque em uma região da Síria nesta segunda-feira (27).

Os americanos afirmam que o alvo era Abu Hamzah al Yemeni, que era líder do grupo Hurras al-Din, que teria ligações com a Al Qaeda.

Segundo os americanos, Hamzah estava viajando sozinho em uma motocicleta quando foi atingido. Eles também dizem que não houve perdas civis.

O grupo Defesa Civil Síria, uma organização humanitária, disse que um homem foi morto pouco antes da meia-noite. A moto onde ele estava foi atingida com dois disparos, e o corpo dele seria transferido para a instituto médico legal da cidade de Idlib.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Dmitry Medvedev diz que ação de membros da Otan na Crimeia pode significar 3ª Guerra Mundial

Ex-presidente da Rússia é atual vice-presidente do Conselho de Segurança do país.

Por g1

Qualquer invasão na península da Crimeia por um estado-membro da Otan pode ser entendida como equivalente a uma declaração de guerra contra a Rússia, o que pode levar à “3ª Guerra Mundial”, disse o ex-presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, nesta segunda-feira (27).

“Para nós, a Crimeia é parte da Rússia. E isso significa para sempre. Qualquer tentativa de invadir a Crimeia é uma declaração de guerra contra nosso país”, disse Medvedev ao site de notícias Argumenty i Fakty.

“E se isso for feito por um estado membro da Otan, isso significa conflito com toda a aliança do Atlântico Norte; uma Terceira Guerra Mundial. Uma catástrofe completa.”

Medvedev, que atualmente é vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, um órgão que assessora o presidente Vladimir Putin em suas decisões sobre defesa, também disse que se a Finlândia e a Suécia se juntarem à Otan, a Rússia fortaleceria suas fronteiras e estaria “pronta para medidas de retaliação”, e isso poderia incluir a perspectiva de instalar mísseis hipersônicos Iskander “em seu limite”.

A Crimeia, que tem mais de 2,5 mil quilômetros de litoral, está unida ao resto do continente europeu somente pelo Istmo de Perekop, que tem aproximadamente oito quilômetros de extensão.

Além disso, a península está ligada desde maio de 2018 ao restante do território russo por uma ponte de aproximadamente 17 quilômetros de comprimento, que cruza o Estreito de Kerch.

O Kremlin considera que a Crimeia é território russo porque assim ficou decidido pelos cidadãos da península em um referendo realizado em 2014. Mas a Ucrânia, que deteve o controle da região entre 1954 e 2014, ainda tem pretensão de recuperá-la.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Trem descarrila com 243 a bordo nos EUA; há mortos, segundo polícia

Acidente aconteceu depois que a composição bateu num caminhão basculante no Missouri. Imprensa local cita que há mortos e feridos, mas ainda não houve comunicado oficial.

Por g1

Um trem descarrilou no estado do Missouri, nos Estados Unidos, nesta segunda-feira (27).

Segundo a rede americana CNN, há cerca de 50 feridos. Um patrulheiro rodoviário identificado como Justin Dunn informou à imprensa local que há pelo menos três mortos.

A empresa publicou um comunicado. Cerca de 243 passageiros viajavam na composição. “A Amtrak sabe do incidente com o trem 4, e está trabalhando com autoridades locais”.

O trem havia saído de Los Angeles e rumava para Chicago. O acidente aconteceu depois de uma batida com um caminhão basculante na cidade de Mendon, no Missouri. Um dos mortos estaria no caminhão e os outros dois estariam no trem.

Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram pelo menos cinco vagões tombados ao lado de uma plantação de milho, com os passageiros subindo pelas janelas e portas da composição.

Reprodução de vídeo mostra trem descarrilado no estado do Missouri, nos EUA — Foto: Reprodução

Reprodução de vídeo mostra trem descarrilado no estado do Missouri, nos EUA — Foto: Reprodução

O descarrilamento acontece um dia depois que outro trem operado pela Amtrak se chocou com um veículo de passageiros em um cruzamento ferroviário na Califórnia, deixando um saldo de três mortos.

O cruzamento envolvido não tinha cancelas, e um funcionário local dos bombeiros disse que não é muito comum que ocorram acidentes ali, informou a filial local da NBC.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Não se iluda: depois do aborto, a Suprema Corte deve cassar outros direitos de americanos

TOPO

Por Sandra Cohen

Do Blog da Sandra Cohen / g1

Especializada em temas internacionais, foi repórter, correspondente e editora de Mundo em ‘O Globo’

Juiz conservador Clarence Thomas expôs defesa da revogação de precedentes que asseguram o acesso a contraceptivos e o casamento entre homossexuais

Suprema Corte dos EUA derruba decisão que garantia direito ao aborto; entenda a mudança

derrubada do direito constitucional ao aborto pela Suprema Corte americana reforçou também o sentido da expressão “não há nada tão ruim que não possa piorar”. Os temores de que o tribunal, agora politizado em uma maioria conservadora, pode ir além de cassar um precedente em vigor há meio século ganharam intensidade com a opinião em separado, expressada pelo juiz Clarence Thomas:

“Em casos futuros, devemos reconsiderar todos os precedentes substantivos do devido processo desta corte, incluindo Griswold, Lawrence e Obergefel”, escreveu o magistrado, considerado o mais conservador entre nove que integram a Suprema Corte.

E outras palavras, os três precedentes citados por Thomas referem-se aos direitos de acesso a contraceptivos, garantida em 1965, ao sexo gay consensual, de 2003, e ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, de 2015.

Nomeado pelo então presidente Bush pai, durante a audiência de confirmação, em 1991, ele se mostrou cauteloso sobre sua posição sobre a decisão Roe x Wade, que em 1973 estabeleceu o direito à interrupção da gravidez. Ao longo das últimas três décadas, no entanto, manifestou em suas sentenças, profundas convicções conservadoras. Aos 74 anos, ele encontrou agora o terreno fértil para sinalizar a anulação de outros direitos assegurados à população.

A ameaça fez sentido 56% de entrevistados pela pesquisa NPR/PBS, preocupados com os outros alvos constitucionais. E foi corroborada pelos três juízes progressistas, agora em minoria no tribunal. O trio dissidente formado por Stephen Breyer, Sonia Sotomayor e Elena Kagan alertou sobre a vulnerabilidade de outras decisões tomadas pela corte e que estão vinculadas ao aborto.

“Ninguém deve ter a certeza de que esta maioria terminou o seu trabalho”, atestaram os magistrados, apresentando um argumento básico: esses direitos fazem parte do mesmo tecido constitucional que protege a autonomia sobre decisões mais pessoais da vida.

Há seis anos, a revogação da decisão Roe x Wade parecia improvável e soava como falácia. Tornou-se concreta a partir da nomeação de três juízes de raiz conservadora pelo então presidente Donald Trump para o mais alto tribunal do país.

Um deles, a magistrada Amy Coney Barrett, foi ratificada pelo Senado republicano numa manobra orquestrada pelo líder da maioria republicana, Mitch McConnell, no apagar das luzes do mandato presidencial. O efeito nefasto dessa politização para o país teve início na semana passada. E, certamente, não deve parar aí.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

‘Não se pode cair na armadilha de Putin’, diz Scholz

Na cúpula do G7, líder alemão afirma ser importante conversar com países que não se alinharam às sanções a Moscou. Convidados do encontro, Índia, África do Sul e Senegal se abstiveram de condenar a Rússia na ONU.

Por Deutsche Welle

O chanceler federal da Alemanha, Olaf Scholz, alertou nesta segunda-feira (27) que o mundo “não pode cair na armadilha” do presidente da Rússia, Vladimir Putin, que afirma haver uma divisão entre os países ocidentais e o resto do mundo por causa da guerra na Ucrânia.

“Em primeiro lugar, não devemos cair na armadilha de Putin de afirmar que o mundo está dividido entre o Ocidente global (…) e todos os outros”, disse ele à emissora pública de TV alemã ZDF no castelo de Elmau, no sul da Alemanha, onde está sendo realizada a cúpula do G7.

“Existem democracias em todo o mundo, e elas têm perspectivas muito semelhantes”, acrescentou, antes de argumentar que esse foi o motivo de a Alemanha ter convidado cinco países emergentes para a cúpula – Índia, Indonésia, África do Sul, Senegal e Argentina – cujos líderes participam do evento nesta segunda-feira.

Três dessas nações não se posicionaram claramente em relação à invasão da Ucrânia pela Rússia. Índia, Senegal e África do Sul se abstiveram no começo de março na Assembleia Geral da ONU durante a votação que condenou a guerra.

Scholz frisou ser importante conversar com esses países. “A guerra de agressão russa tem consequências para o mundo inteiro. Muitos países temem uma crise de fome, muitos temem um aumento maciço dos preços da energia”, argumentou. “Temos que estar juntos em solidariedade. Também queremos mostrar essa solidariedade aqui”, sublinhou Scholz.

Cúpula do G20

Entretanto, o chanceler federal alemão não falou se planeja participar da cúpula do G20, agendada para novembro na Indonésia, dizendo que isso será resolvido “pouco antes do embarque”. A Rússia, que faz parte do grupo, foi convidada para o encontro pelo país anfitrião, o que desagradou aos governos ocidentais.

“Uma coisa é clara: o G20 deve continuar desempenhando um papel”, ponderou Scholz, ressaltando que “há uma convicção comum de que não devemos torpedear o G20”, que inclui importantes potências econômica. O presidente da Indonésia, Joko Widodo, é um dos convidados do G7, enquanto organizador da próxima cúpula do G20.

Scholz destacou que, além de Putin, a Indonésia também convidou o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky. O chanceler enfatizou que ainda não está claro quem realmente participará da reunião.

Scholz voltou a defender sanções contra a Rússia, afirmando que elas contribuíram para que o país ficasse severamente enfraquecido. Ele disse, entretanto, que nenhum acordo conclusivo deve ser alcançado na cúpula do G7 sobre um embargo ao ouro exportado pela Rússia e que o assunto ainda precisa ser debatido na União Europeia.

Também numa entrevista à TV alemã, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, não descartou sentar-se com Putin na cúpula do G20. “Também é importante dizer na cara dele o que pensamos dele”, afirmou. Ela também se disse contra “paralisar” o G20 por causa da presença do presidente russo, afirmando que a cúpula é “importante demais para isso”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.