Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Finalista pelo Sport, Maidana vê boa fase da defesa determinante para a confiança do time

Decisivo na semifinal do Pernambucano, zagueiro está há seis partidas sem ser vazado e destaca a importância do bom momento do time rubro-negro para os desafios da temporada

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Gol do Sport! Iago Maidana cobra o pênalti e faz, aos 36 do 2ºT

Finalista no Pernambucano, o Sport vive um momento positivo na temporada depois de estrear com eliminações precoces nos campeonatos de 2021. Agora, muito além da condição de conquistar o título estadual, o Leão está há sete partidas sem perder e há cinco sem sofrer gols. Números que são vistos como determinantes para a confiança da equipe. É o que acredita o zagueiro Iago Maidana.

“É muito importante para ganhar confiança, principalmente antes de iniciar o Brasileiro. Bom para que a gente veja que temos condições, potencial, confiança, qualidade técnica. Isso a gente vem mostrando. Espero permanecer assim. Meu principal objetivo é não tomar gol, então fico muito contente com essa sequência.”

A sequência do zagueiro, inclusive, é ainda melhor do que a do Rubro-negro: são seis partidas sem ser vazado. Desde o empate por 0 a 0 com o Afogados, em abril, Maidana também enfrentou Vitória-PE, Sete de Setembro, Retrô, Náutico e Salgueiro sem sofrer gols – todos pelo Pernambucano.

A diferença existe porque o atleta estava fora da última partida em que o Sport foi vazado. Na ocasião, o empate por 2 a 2 com o Treze, pela Copa do Nordeste, o auxiliar César Lucena usou uma equipe alternativa porque o clube havia sido eliminado na rodada anterior.

Cabral Neto comenta sobre a final entre Sport x Náutico

Agora, o Sport tem só mais duas partidas antes da estreia na Série A do Brasileiro. Justamente as finais do Pernambucano, contra o Náutico, às 16h do domingo e depois no dia 23 de maio. O cenário faz com que os confrontos tenham um peso além do título, diz Maidana.

“Jogo importantíssimo para nós. Vamos disputar uma Série A e um clássico, novamente um divisor de águas. Foi assim no último e a gente conseguiu se impor para cima do Náutico. E agora é decisão. Falei no grupo que a gente precisa deixar um legado. Para isso, a gente precisa levantar títulos e essa é uma grande oportunidade para isso acontecer.”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Jean Carlos nega pressão por tabu, lembra golaço e vê Náutico pronto para final contra o Sport

Meia foi sucinto quando questionado sobre a escrita do Timbu não vencer o rival numa decisão desde 1968 e quer coroar a boa campanha alvirrubra no Estadual com o título

Por Rômulo Alcoforado — Recife

Globo Esporte

O tema acaba sendo recorrente no Náutico, às vésperas de uma final contra o Sport: o tabu de não ganhar uma decisão contra o rival desde 1968. Para o meia Jean Carlos, no entanto, a escrita não tem qualquer peso para o momento atual, em que Timbu e Leão voltam a se enfrentar numa disputa pelo título Pernambucano. As partidas acontecem às 16h do domingo e no dia 23 de maio.

Seco, o meia até pareceu demonstrar algum incômodo com o assunto, que tem sido muito falado na imprensa e em redes sociais nesta semana.

“Acredito que eu seja o terceiro a responder sobre isso nesta semana e não, a gente não está preocupado com nenhum tabu”, afirmou.

Na opinião do meia, o time tem o que é necessário para ser campeão, mas precisa se entregar ao máximo para levar a taça para casa.

– Estamos preparados para esse momento. Nossa expectativa é a melhor possível, estamos fazendo um grande campeonato. A gente vai dar a vida para poder coroar essa campanha com uma conquista.

Como forma de motivação, Jean Carlos lembra do jogo entre as duas equipes em 15 de fevereiro de 2020, pela Copa do Nordeste.

Naquela ocasião, nos Aflitos lotado, o camisa 10 alvirrubro marcou o segundo gol do Náutico e selou a vitória por 2 a 0. Foi um golaço de fora da área, no dia de seu aniversário.

“Como esquecer? Jogo importante, clássico, meu aniversário no dia, jogo em casa, casa cheia. Foi um dos gols mais bonitos que fiz aqui no Náutico e na minha carreira.”

Autor de dois gols no Pernambucano, Jean não se pressiona para voltar a marcar na final. Nem supervaloriza seu papel na equipe. O meia avalia que é mais uma engrenagem num mecanismo que vem funcionando bem.

– A gente que é meia-atacante quer sempre marcar gols, mas, se você olhar, nosso ataque é o melhor da competição. Temos Kieza como artilheiro, Erick e Vinícius são os vice-artilheiros da competição. Fico feliz por eles. Se eu puder ajudar com passes e com gols, fico feliz da mesma forma. O importante é a gente estar vencendo.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

“Acho que vem mais por aí… Eu avisei”: Íbis zoa Corinthians em goleada sofrida na Sul-Americana

Conhecido como pior time do mundo, clube pernambucano provoca Timão nas redes sociais durante e após a derrota paulista para o Peñarol

Por Redação do ge

Globo Esporte

“Acho que vem mais por aí”. “Eu avisei”. Irreverente nas redes sociais, como de hábito, o Íbis provocou o Corinthians durante (e após) a goleada sofrida diante do Peñarol, na última quinta-feira, pela Copa Sul-Americana.

Íbis provoca Corinthians durante e após a goleada sofrida pelo time paulista na Sul-Americana — Foto: Reprodução

Íbis provoca Corinthians durante e após a goleada sofrida pelo time paulista na Sul-Americana — Foto: Reprodução

Após o time paulista sofrer o segundo gol dos uruguaios, a conta do pior time do mundo brincou:

– Acho que vem mais por aí.

Após o time uruguaio marcar o quarto, que fechou a goleada, o Íbis voltou a brincar com um “eu avisei”.

A derrota deu fim às chances de classificação chances do Timão às oitavas de final da Copa Sul-Americana. Apenas o líder do Grupo E se classifica, e o Timão não pode mais alcançar o rival uruguaio.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Kieza se aproxima da sétima artilharia do Náutico no Pernambucano neste século

Kuki, três vezes, Geraldo, Elton e Ronaldo Alves foram goleadores máximos desde 2001; o atual camisa 9 do Timbu está a quatro gols dos concorrentes, com apenas duas partidas a disputar

Por Rômulo Alcoforado — Recife

Globo Esporte

Erick fala sobre parceria com Kieza no Náutico

O atacante do Náutico Kieza está disparado na liderança da artilharia do Campeonato Pernambucano de 2021.Com nove gols, tem quatro a mais do que os principais concorrentes (e companheiros), Erick e Vinícius, cinco do jogador rival mais próximo, Mikael, do Sport. Assim, o K-9 caminha para ser o sétimo goleador alvirrubro da competição neste século.

Desde 2001, o Náutico conseguiu seis artilharias. Três deles foram com Kuki, premiado em 2001, 2003 e 2005. Depois, o meia Geraldo ganhou a honraria em 2008, o atacante Elton em 2013 e o zagueiro Ronaldo Alves (que está no atual elenco), em 2016.

Com isso, o Náutico é o segundo time do estado que mais teve artilheiros do Pernambucano no Século 21. Fica atrás apenas do Santa Cruz, com nove. O Sport é o pior dos grandes nesse recorte: só teve quatro goleadores, dois deles empatados com jogadores tricolores e alvirrubros.

Do interior, apenas três equipes fizeram artilheiros: o Afogados (com Caxito, em 2018), o Porto (Paulista, em 2011) e o extinto Itacuruba (Kelson, em 2004).

Não arregue, não: quadro traz Kieza e Erick respondendo enquetes

Confira abaixo a lista completa dos artilheiros do Pernambucano neste século:

  • 2001 – Kuki (Náutico) e Rodrigo Gral (Sport) – 14 gols
  • 2002 – Júnior Amorim (Santa Cruz) – 12 gols
  • 2003 – Kuki (Náutico) – 16 gols
  • 2004 – Kelson (Itacuruba)- 14 gols
  • 2005 – Kuki (Náutico) – 17 gols
  • 2006 – Carlinhos Bala (Santa Cruz) – 20 gols
  • 2007 – Marcelo Ramos (Santa Cruz) – 15 gols
  • 2008 – Geraldo (Náutico) – 13 gols
  • 2009 – Marcelo Ramos (Santa Cruz) – 18 gols
  • 2010 – Ciro (Sport) – 13 gols
  • 2011 – Paulista (Porto) – 15 gols
  • 2012 – Dênis Marques (Santa Cruz) – 15 gols
  • 2013 – Elton (Náutico) – 17 gols
  • 2014 – Léo Gamalho (Santa Cruz) -12 gols
  • 2015 – Betinho (Santa Cruz) e Élber (Sport) – 5 gols*
  • 2016 – Ronaldo Alves (Náutico) – 6 gols*
  • 2017 – Everton Santos (Santa Cruz) – 6 gols*
  • 2018 – Caxito (Afogados) – 8 gols
  • 2019 – Hernane Brocador (Sport) – 9 gols
  • 2020 – Pipico (Santa Cruz) – 6 gols

*Em 2015, 2016 e 2017 a FPF considerou os jogos apenas do Hexagonal do Título, semifinais e finais para a soma da artilharia.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Um olho na final do Estadual e outro na Série A: Sport corre para qualificar o elenco

Rubro-negro enfrenta Náutico nos dias 16 e 23 de maio para definir título do Pernambucano e estreia no Brasileirão uma semana depois; clube tem chegada de dois reforços encaminhada

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Prestes a enfrentar o Náutico pela final do Pernambucano e com menos de três semanas até a estreia no Brasileiro, o Sport corre contra o tempo para conseguir qualificar o elenco. Principalmente porque, devido à proximidade das datas, o clube precisará conciliar os preparativos para a decisão com os do início da Série A 2021.

No Pernambucano, o Leão encara o Náutico às 16h do domingo pelo primeiro confronto da decisão e faz o segundo no dia 23 de maio para definir o campeão. Uma semana depois, a equipe estreia no Brasileiro contra o Internacional.

Contagem regressiva para a final do Campeonato Pernambucano 2021 entre Náutico e Sport

Em relação ao Campeonato Brasileiro, o Sport tem até o dia 24 de setembro para publicar contratos de novos atletas no BID da CBF. Serão permitidos o número máximo de 50 nomes – com até oito substituições nas duas semanas finais -, segundo o regulamento específico da competição.

Em processo de reestruturação desde a chegada do técnico Umberto Louzer, o Sport encaminhou a contratação de dois nomes nos últimos dias: o lateral-direito Hayner e o atacante Paulinho Moccelin.

A dupla chega para disputar a Série A e terá as próximas três semanas para assimilar o estilo do novo técnico, além de aguardar a burocracia contratual para ser regularizada no BID.

Até o momento, o Rubro-negro anunciou outros nove reforços para a temporada: o zagueiro Sabino, os volantes Zé Welison e Rentería, o meia Thiago Lopes, e os atacantes Maxwell, Toró, Everaldo, Neílton e Santiago Tréllez.

Em relação ao elenco para o Pernambucano, o Sport só tem como ganhar “reforços” saindo do departamento médico, uma vez que as inscrições foram encerradas. Deve ser o caso do meia-atacante Thiago Neves, que retomou os treinos na última quarta-feira após um mês como desfalque por conta de dores musculares.

O clube ainda tem o goleiro Carlos Eduardo, do volante João Igor e do atacante Leandro Barcia afastados por lesão, mas sem previsão de retorno.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Breno Calixto ressalta características necessárias para o Santa Cruz na Série C

Provável titular na defesa coral, zagueiro pede garra e foco aos companheiros e se diz preparado para atuar em campos ruins

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Eliminado do Pernambucano pelo Náutico, clube que defendeu entre 2017 e 2018, o zagueiro Breno Calixto tenta passar para os companheiros do Santa Cruz a experiência que adquiriu na Série C do Brasileiro. Provável titular na competição, o jogador fez um alerta sobre a postura com a qual a equipe precisa encarar o torneio. O Santa Cruz estreia no dia 30, fora de casa, diante do Manaus.

– Joguei três ou quatro vezes a Série C, conheço bem. Me adapto às competições e se a Série C me pede força e raça, que são características minhas, vou mostrar isso. E o Santa Cruz também pede essa garra. Temos que estar ligados 100% nos jogos, precisamos entender o que é o Santa Cruz – disse o defensor, relembrando as passagens por clubes como Treze, Caxias e Botafogo-PB.

Ainda de acordo com o jogador, o elenco coral não deve se apegar ao fato de encarar campos ruins ao longo da competição. Na avaliação de Calixto, a maior responsabilidade por ter de disputar jogos em cenários adversos é do próprio Santa Cruz.

“Na Série C não tem campo bom, campo bonitinho. Acho que o melhor campo é o nosso ao lado de mais uns dois ou três na nossa chave. Não é só qualidade, em relação às Séries A e B. Devemos ter o entendimento do quão errado é o Santa Cruz estar na Série C. Com essa consciência, vamos chegar ao acesso.”

Antes de desembarcar no Arruda, Breno Calixto foi titular do Madureira na campanha que levou a equipe às semifinais da Taça Rio, com dez jogos disputados.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Bryan vê Náutico focado para quebrar tabu em decisões contra Sport: “Sabemos da história”

Lateral afirmou que conhece escrita de que o Timbu não vence Leão em decisões desde 1968 e acha que grupo vai com concentração máxima para fazer história a partir do próximo domingo

Por Rômulo Alcoforado — Recife

Globo Esporte

O tabu é longo: o Náutico não vence o Sport em finais desde 1968, quando conquistou o Pernambucano diante do rival. O lateral Bryan não esconde o problema e acredita que o elenco do Timbu está focado para quebrar a escrita na final do Estadual de 2021, que começa a ser disputada no próximo domingo.

– A gente sabe a importância que é um clássico, ainda mais em uma final. A gente sabe de toda essa história. Sem dúvida, a gente vai o mais focado e concentrado possível.

O jogador também opinou sobre onde prefere jogar a segunda partida da decisão, se nos Aflitos ou na Arena de Pernambuco – já que o Náutico levou a semifinal para o estádio de São Lourenço da Mata. Para Bryan, o melhor é jogar em casa.

– Os Aflitos é os Aflitos. Jogar nos Aflitos é bom demais. A gente sente o espírito dos Aflitos. Se fosse para escolher, escolheria os Aflitos, mas em qualquer campo a gente vai jogar, vai fazer o melhor.

O jogador deve ser titular na final, mas não atuando em sua posição de origem (a lateral-direita). Como ele foi bem diante do Santa Cruz na semifinal, é provável que Hélio dos Anjos o escale novamente no lado oposto, na lateral-esquerda.

Bryan não se intimida por jogar improvisado numa final. O jogador diz estar adaptado à posição e afirma gostar do status de “coringa” do elenco, já que, além das laterais, também atua nos dois lados do ataque.,

– Me sinto muito feliz com o atual momento que a gente está vivendo. Me sinto muito confortável. Desde o ano passado, na Série B, fiz essa posição. Sempre deixei bem claro que estou aqui pra ajudar, me sinto muito confortável, espero continuar jogando bem, dando meu melhor para ajudar o Náutico.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Magrão no banco, Guto Ferreira e Série B… O que mudou no Sport desde última final contra Náutico

Equipes se enfrentam às 16h domingo no primeiro confronto da decisão do Pernambucano pouco mais de dois anos após duelo que deu ao Rubro-negro o título estadual de 2019

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Magrão buscava o 10º título da carreira pelo Sport, só que sentado no banco de reservas. Em uma Ilha do Retiro abarrotada de torcedores, o ídolo rubro-negro assistiu a equipe vencer o Náutico nos pênaltis sob o comando do técnico Guto Ferreira, numa temporada focada na Série B do Brasileiro. Traços da realidade do Leão na última final do Pernambucano entre os clubes, em 2019. Neste ano, eles voltam a se encontrar pela decisão estadual.

Classificado após vencer o Salgueiro na última segunda-feira, o Sport entra em campo num contexto diferente daquele vivido há pouco mais de dois anos.

A começar pelo fato de que a Ilha do Retiro recebeu 27 mil torcedores e teve uma bilheteria de R$ 940 mil naquela noite: a segunda maior da história do estádio. Ficou apenas R$ 6 mil atrás do recorde do clube, caso de Sport 1 x 0 Palmeiras, pelas oitavas de final da Libertadores 2009.

Em relação ao time, só três atletas seguem na escalação titular: Mailson, Adryelson e Sander.

O zagueiro Thyere e o volante Ronaldo ainda estão no elenco, mas como reservas. Enquanto Hernane Brocador treina separado do plantel desde o fim de fevereiro, quando terminou o último contrato registrado na Ilha do Retiro. Além do trio, o Sport ainda tinha o volante João Igor no banco – ele está agora na transição física por lesão.

Brocador, inclusive, aparecia como principal nome do elenco naquele período, ao lado do companheiro Guilherme – com quem brigou pela artilharia naquele ano. Agora, o Leão tem Thiago Neves como destaque, só que tenta a recuperação do meia-atacante por conta de dores musculares. O artilheiro, por sua vez, é o prata da casa Mikael.

  • Time titular em 2019: Mailson; Norberto, Rafael Thyere, Adryelson, Sander; Ronaldo, Charles; Guilherme, Ezequiel, Hernane Brocador e Luan.
  • Entraram saindo do banco o meia Leandrinho, e os atacantes Juninho e Elton. Outros reservas: Magrão, Renato Oliveira, Sammir, Guilherme Lazaroni, Hyuri, Raul Prata, Alisson Farias, Walber e João Igor.
  • Time titular em 2021 (último utilizado): Mailson; Patric, Adryelson, Maidana, Sander; Marcão, Júnior Tavares e Thiago Lopes; Neilton, Toró e Mikael.

Naquele período, o Rubro-negro estava em processo de reformulação e demorou a engrenar até por conta da falta de calendário: fez 12 partidas até as finais. Mas a troca do técnico – de Milton Cruz para Guto Ferreira – melhorou o time.

Guto passou a utilizar Mailson como titular e colocou Magrão no banco por conta da má fase e sequência de falhas em campo. O ídolo do Rubro-negro, inclusive, aposentou-se do futebol pouco depois. Mailson defendeu dois pênaltis na decisão e oscilou na titularidade, mas agora está no time principal mais uma vez.

Naquele ano, Guto Ferreira conquistou o título pelo Sport, só que tinha uma prioridade ainda maior na temporada: o acesso à Série A do Brasileiro. Isso porque o clube havia recém-estourado uma crise financeira e estava focado em deixar para trás as cotas inferiores da Série B. Algo conquistado pela equipe ainda com o mesmo treinador.

Ainda no gramado da Ilha do Retiro, Guto Ferreira fala sobre final e título do Sport

Guto Ferreira comandou o Sport por 12 meses antes de ser demitido do clube. Desde a final com o Náutico, em abril de 2019, o Rubro-negro teve mais três treinadores, foram eles:

  • Guto Ferreira (20/02/2019 a 13/02/2020) – 12 meses
  • Daniel Paulista (16/02/2020 a 24/08/2020) – 6 meses
  • Jair Ventura (24/08/2020 a 05/04/2021) – 7 meses
  • Umberto Louzer (19/04/2021 até agora) – 24 dias

Ainda com histórico recente na Ilha do Retiro, Louzer tem três partidas pelo Leão – sendo três vitórias, sobre Retrô, Náutico e Salgueiro. Agora, o treinador prepara a equipe para o primeiro duelo da final, que acontecerá às 16h do domingo. O confronto de volta será no dia 23 de maio.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Adriano Napão retorna do Salgueiro e fica à disposição de Bolívar no Santa Cruz

Atacante de 20 tem contrato com o Tricolor e estava emprestado ao Carcará, clube pelo qual marcou dois gols no Campeonato Pernambucano

Por Alexandre Ricardo — Recife

Globo Esporte

Cria das categorias de base do Santa Cruz, o atacante Adriano Napão está de volta ao clube. Após oito meses de empréstimo ao Salgueiro, o jogador de 20 anos retorna ao Arruda e fica à disposição do técnico Bolívar para a sequência da temporada.

Destaque do sub-20 coral em 2018, Adriano Napão foi emprestado ao Coritiba e disputou competições de base no clube paranaense entre as temporadas 2019 e 2020. Em setembro do ano passado, chegou ao Salgueiro para a disputa da Série D do Campeonato Brasileiro.

Ao todo, o centroavante foi acionado em 12 partidas com a camisa do Carcará. No Campeonato Pernambucano deste ano, marcou dois gols de pênalti. Porém, não atuou nos jogos eliminatórios – contra o Vera Cruz nas quartas de final e diante do Sport na semifinal.

Adriano Napão marcou o primeiro gol da vitória do Salgueiro sobre o Sete de Setembro, pela 6ª rodada

A expectativa é de que Adriano se junte ao elenco comandado pelo técnico Bolívar ainda nesta semana. Para a função de camisa 9, as opções são Pipico, Léo Gaúcho e o recém-contratado Adriano. No mercado para reforçar o elenco visando a Série C, a diretoria do Santa estuda a contratação de até seis jogadores.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Com dois gols em clássico, Kieza dispara na artilharia do estadual e se aproxima de números de 2020

Atacante chegou aos nove gols na competição, quase o dobro dos dois mais próximos na lista, seus companheiros de ataque Erick e Vinícius, ambos com cinco

Por Rômulo Alcoforado — Recife

Globo Esporte

O atacante Kieza começou a temporada 2021 muito bem – e consolidou a boa fase no clássico do último domingo, contra o Santa Cruz, pelo Campeonato Pernambucano. Autor dos dois gols que classificaram o Timbu, ele chegou a nove na competição e disparou na artilharia. Além disso, está perto da marca de gols que teve no ano passado.

Em relação à lista de goleadores do estadual, Kieza tem quase o dobro de gols que seus dois principais correntes na disputa, seus companheiros Erick e Vinícius, ambos com cinco gols.

A marca foi obtida em 10 partidas, o que lhe rende a média de 0,9 gol por duelo, também a melhor da competição. Ao chegar aos nove gols, Kieza também igualou as marcas dos artilheiros das edições de 2019 (Hernane Brocador, pelo Sport) e de 2014 (Léo Gamalho, pelo Santa Cruz).

Para encontrar alguém que fez mais gols que Kieza nos últimos Pernambucanos, só recuando a 2013, quando Élton, do Náutico, anotou 17. Mas cabe lembrar que a competição tinha, àquela época, outro formato. O Timbu, por exemplo, disputou 21 partidas na edição de 2013, que contou com dois turnos, além de semifinais e final. Neste ano, o Timbu fará apenas 12 partidas.

Os nove gols também representam uma evolução pessoal para Kieza em relação à última temporada. Em 2020, o atacante marcou 11 gols em 36 partidas, crescendo de produção na reta final. No último Pernambucano, só marcou dois gols – e anotou um na Copa do Nordeste, competição que o Timbu não disputou neste ano.

Se chegou a 11, número ainda relativamente modesto para um centroavante, foi porque teve melhor desempenho na Série B, quando marcou oito gols em 26 partidas.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.