Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Brasil registra média móvel de 116 mortes diárias por Covid; tendência é de alta pelo segundo dia

São 665.376 óbitos e 30.737.728 casos conhecidos registrados do novo coronavírus desde o início da pandemia, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa.

Por g1

O Brasil registrou nesta quarta-feira (18) 99 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 665.376 desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias é de 116. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +20%, indicando tendência dealta nos óbitos decorrentes da doença pelo segundo dia.

Brasil, 18 de maio

  • Total de mortes: 665.376
  • Registro de mortes em 24 horas: 99
  • Média de mortes nos últimos 7 dias: 116 (variação em 14 dias: +20%)
  • Total de casos conhecidos confirmados: 30.737.728
  • Registro de casos conhecidos confirmados em 24 horas: 12.789
  • Média de novos casos nos últimos 7 dias: 17.666 (variação em 14 dias: +17%)
Média móvel de óbitos por Covid no Brasil, a cada dia, nos últimos 14 dias. A variação percentual leva em conta a comparação entre os números das duas pontas do período — Foto: Editoria de Arte/g1

Média móvel de óbitos por Covid no Brasil, a cada dia, nos últimos 14 dias. A variação percentual leva em conta a comparação entre os números das duas pontas do período — Foto: Editoria de Arte/g1

Alagoas, Amazonas, Amapá, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Sergipe e Tocantins não registraram morte por Covid em 24 horas. No estado de Roraima, também não houve qualquer registro de novo caso conhecido no período.

No estado do Acre não foi divulgada atualização dos números de casos e mortes pela doença até o fechamento deste boletim.

O país também registrou 12.789 novos diagnósticos de Covid-19 em 24 horas, completando 30.737.728 casos conhecidos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de casos nos últimos 7 dias foi de 17.666, variação de +17%em relação a duas semanas atrás.

Curva da média móvel de novos casos conhecidos de Covid nas últimas duas semanas — Foto: Editoria de Arte/g1

Curva da média móvel de novos casos conhecidos de Covid nas últimas duas semanas — Foto: Editoria de Arte/g1

Em seu pior momento, a média móvel superou a marca de 188 mil casos conhecidos diários, no dia 31 de janeiro deste ano.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Curva de mortes nos estados

  • Em alta (7 estados): PI, BA, SP, PR, MS, MT, RS
  • Em estabilidade (7 estados e o DF): CE, SC, RJ, DF, ES, TO, RO, AM
  • Em queda (11 estados): PE, GO, MG, PA, SE, PB, RN, AL, AP, MA, RR
  • Não divulgou (1 estado): AC

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo g1 para analisar as tendências da pandemia).

Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os números de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados. Já a variação percentual para calcular a tendência (alta, estabilidade ou queda) leva em conta os números não arredondados.

Veja a situação nos estados

g1 exibe abaixo os gráficos de alguns estados na evolução de mortes por Covid e casos conhecidos da doença. Para ver a situação em todos os estados e no DF, além dos números nacionais, visite a página especial com mais detalhes e análises.

Médias móveis de mortes e casos nos estados — Foto: Editoria de Arte/g1

Médias móveis de mortes e casos nos estados — Foto: Editoria de Arte/g1

Consórcio de veículos de imprensa

Os dados sobre casos e mortes de coronavírus no Brasil foram obtidos após uma parceria inédita entre g1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho de 2020, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal (saiba mais).

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Piloto foi arremessado e passageiros ajudaram a ‘pousar’ balão após rajada de vento, diz vítima

Balão saiu de Boituva (SP) e fez pouso forçado em um canavial em Porto Feliz (SP); duas pessoas tiveram ferimentos graves. Polícia alega que balão não poderia ter decolado devido a alerta da Defesa Civil para ventos fortes na região.

Por Douglas Belan, TV TEM

Piloto foi arremessado e passageiros ajudaram a ‘pousar’ balão após rajada de vento

O piloto do balão envolvido em um acidente que deixou nove pessoas feridas em Porto Feliz, no interior de São Paulo, “voou” para fora do veículo durante a tentativa de pouso, segundo passageiros que estavam no passeio.

À TV TEM, um casal que participou do voo nesta terça-feira (11), em Boituva, contou que teve que ajudar a conduzir o balão após o piloto cair do veículo. Além dele, outras duas pessoas também foram arremessadas.

“O impacto foi muito forte na primeira vez [que pousamos]. Nós batemos com tudo no chão e três ou quatro pessoas voaram, se eu não me engano. Voou o piloto e voou mais um menino também, e depois o balão subiu. Nisso que o balão subiu de novo, meu marido ouviu o piloto gritando: ‘puxa a corda’. Aí foi um momento de terror”, relata a empresária Aline Stein.

O acidente foi registrado às margens da Rodovia Castello Branco (SP-280), na altura do km 104, em Porto Feliz. O balão havia saído de Boituva e as nove pessoas que estavam dentro dele, sendo o piloto, um fotógrafo e sete passageiros, foram socorridas.

Até a noite desta terça-feira (17), quatro pessoas seguiam internadas no Hospital São Luiz em Boituva e uma foi transferida de UTI móvel para a capital paulista. Pelo menos duas vítimas tiveram ferimentos graves.

Acidente

A empresária Aline Stein também contou que ela e o marido, Huldon Stein, compraram o passeio de balão durante as férias. Ela fez uma pesquisa na internet e escolheu uma empresa de balonismo considerada renomada em Boituva.

Segundo Aline, inicialmente o passeio estava marcado para segunda-feira (16), mas foi reagendado para terça (17) por causa das condições climáticas.

“Quando nós chegamos, nós percebemos que só tinha a gente para voar. Por aí eu já achei estranho porque eu já vi o céu de Boituva com muitos balões, mas imaginei que era porque era dia de semana”, conta Aline.

Aline Stein e o marido estavam em voo de balão em Porto Feliz  — Foto: Arquivo pessoal

Aline Stein e o marido estavam em voo de balão em Porto Feliz — Foto: Arquivo pessoal

A empresária disse ainda que o voo começou normalmente e, depois de algum tempo, o piloto avisou os passageiros para se prepararem para o pouso, sem dizer que era uma situação de emergência.

Segundo Aline, o balão desceu muito rápido e houve o primeiro impacto no solo, quando o piloto e dois passageiros foram arremessados. Na sequência, o veículo subiu novamente e a empresária, o marido e mais um passageiro puxaram a corda para o balão voltar ao chão.

“Aí ele desceu muito rápido, então o impacto foi forte. A gente caiu no chão, duas senhoras ficaram feridas. Todo mundo saiu com alguma lesão”, disse Aline.

De acordo com os bombeiros, o piloto contou que precisou fazer um pouso forçado após uma mudança brusca de vento (rajada).

A Confederação Brasileira de Balonismo confirmou que foram feitas duas tentativas de pouso e que, assim como relatado pelas testemunhas, três pessoas chegaram a cair do cesto do balão durante a descida.

Os bombeiros disseram ainda que essas vítimas também acabaram sendo atropeladas pelo cesto do balão, quando ele voltou a subir.

Balão não poderia voar

De acordo com a Polícia Civil, o balão envolvido no acidente em Porto Feliz não poderia ter decolado, uma vez que havia um alerta da Defesa Civil sobre ventos fortes no interior de São Paulo.

Bombeiros atendem ocorrência com balão tripulado às margens da rodovia Castello Branco, em Porto Feliz - Boituva — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Bombeiros atendem ocorrência com balão tripulado às margens da rodovia Castello Branco, em Porto Feliz – Boituva — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

De acordo com o alerta, uma instabilidade no oceano vai provocar fortes ventania nas regiões de Sorocaba e Campinas entre esta terça (17) e quarta-feira (18), com rajadas de vento intensas que podem chegar a 75 km/h.

Por causa disso, o delegado informou que o caso está sendo investigado como crime de lesão corporal e periclitação de vida (criar uma situação perigosa ou colocar alguém em perigo), e que a empresa de balonismo poderá ser responsabilizada pelos danos. O balão foi apreendido.

“A própria prática de balonismo já tem essa regra interna de que somente se pratica o esporte quando existem condições climáticas favoráveis, exatamente para não por em risco as pessoas que estão fazendo esse passeio”, relata o delegado Emerson Jesus Martins.

Conforme a Confederação Brasileira de Balonismo, das 30 empresas de balonismo que atuam em Boituva, apenas a envolvida no acidente tinha voos programados para esta terça-feira.

Apesar disso, a confederação e a empresa alegaram que, no momento da viagem, as condições meteorológicas estavam favoráveis para o passeio.

Nove pessoas ficam feridas em acidente com balão tripulado às margens de rodovia

“O balonismo não é um esporte para se voar com vento. Raramente acontece de entrar um vento forte pela manhã, a pressão atmosférica sempre está alta e a pessoa sempre averigua isso. Realmente, aqui foi um incidente”, afirma Ricardo Almeida, diretor técnico da confederação.

O diretor acrescentou ainda que existem análises que são feitas antes dos voos de balão, mas que a decisão de voar cabe ao piloto.

Em nota, a Aventurar Balonismo afirmou que o balão tinha capacidade para transportar 12 pessoas e estava com a documentação em dia. Disse ainda que está dando suporte às vítimas do acidente.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Dengue no Brasil: entenda como empobrecimento da população contribui para novo surto

Condições sociais impactam na possibilidade de manter ambientes livres de criadouros de mosquitos, explica especialista.

Por g1

O Brasil vive outro surto de dengue. Com mais de 700 mil casos só neste ano, a doença já registra um aumento de 151, 4% em comparação a 2021. Um cenário que deve permanecer desanimador, levando em conta as condições sociais e ambientais do país.

É o que explica a pesquisadora da Fiocruz Claudia Codeço, e a infectologista Melissa Duarte, no episódio #708 do podcast O Assunto. Em entrevista a Renata Lo Prete, as especialistas debatem as consequências de saúde pública e o que precisa ser feito para combater a doença.

Nesta segunda (16), o ministro da Saúde Marcelo Queiroga disse que o combate à dengue não depende só das autoridades sanitárias, mas também de cada cidadão.

Claudia Codeço, que também é coordenadora do Infodengue, explica por que o empobrecimento da população implica na maior transmissão de arboviroses, doenças transmitidas por vetores mosquitos.

“Está relacionado a capacidade que nós temos de manter o nosso ambiente livre de criadouros. Quando temos uma população mais empobrecida, que precisa acumular água e está em um ambiente que vai ter menor manutenção – não só do privado, mas do público também – isso favorece a transmissão das arboviroses.”

Diante desse cenário, as campanhas de conscientização precisam vir acompanhadas de melhorias em políticas públicas. É o que defende Melissa Duarte.

“O principal fator no qual o poder público pode influenciar é a infraestrutura do país. Então, a questão de saneamento básico, o crescimento desordenado das cidades, o abastecimento de água e a coleta de lixo são fatores primordiais para que o mosquito seja controlado.”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Jovem que adotou homeschooling defende projeto que regulariza ensino domiciliar: ‘Foco é diversidade’

Câmara dos Deputados pode votar nesta quarta-feira (18) requerimento de urgência para agilizar tramitação do projeto de lei que regulamenta a prática do ensino domiciliar.

Por Pâmela Ramos, g1 Sorocaba e Jundiaí

A jovem de Sorocaba (SP) Elisa Flemer, de 18 anos, que ficou conhecida por fazer homeschooling e ser proibida pela Justiça de cursar uma faculdade, contou ao g1 que está torcendo para a aprovação do projeto de lei que regulamenta a prática do ensino domiciliar.

A Câmara dos Deputados pode votar nesta quarta-feira (18) um requerimento de urgência para agilizar a tramitação do projeto. Se for aprovado, o texto poderá ser votado em plenário sem passar pela análise de uma comissão especial da Câmara.

Apesar de acreditar que a aprovação poderá ajudar famílias que já colocam em prática o método de ensino no país, ela discorda da exigência de um tutor ou de que um dos pais tenha ensino superior completo.

“Isso pode acabar prejudicando outras crianças que não têm condições e me incomoda um pouco. Com a tecnologia e materiais disponíveis, me incomoda privar as crianças cujos pais não tiveram oportunidade de estudar.”

Para Elisa, o ensino domiciliar deveria ser uma escolha. No caso dela, a decisão de sair da escola regular foi motivada por questões acadêmicas, por ela não se adaptar aos métodos tradicionais de ensino.

“O foco é a diversidade do ensino. Acho que qualquer método de ensino pode privar a criança se não for bem implementado, então tem que dar liberdade para as famílias, para que elas possam escolher e fazer isso de forma segura.”

Elisa passou em 5º lugar no curso de engenharia civil da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), no ano passado. Como não tinha o diploma do ensino médio, ela entrou na Justiça para conseguir fazer a matrícula, mas optou por desistir do processo depois.

Jovem que fez homeschooling criou canal com dicas de estudos — Foto: Arquivo pessoal

Jovem que fez homeschooling criou canal com dicas de estudos — Foto: Arquivo pessoal

Para Elisa, estudar em casa ajudou no processo de aprendizagem e, mesmo não estando em escola regular, ela buscou praticar esportes e fazer atividades que ajudassem no desenvolvimento pessoal e acadêmico.

“Eu consegui fazer sozinha, sem os meus pais ajudando, mas nem todo mundo consegue fazer. É um movimento de muitas famílias. A gente tem que lembrar que toda criança é única e as famílias estão comprometidas com esse propósito.”

Atualmente, Elisa estuda no Instituto de Tecnologia e Liderança (Inteli), em São Paulo (SP), onde conseguiu uma bolsa de estudos.

Projeto de lei

texto altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) para admitir o ensino domiciliar na educação básica (pré-escola, ensino fundamental e médio). A proposta exige que, assim como a educação escolar, o ensino domiciliar esteja vinculado ao mundo do trabalho e à prática social.

Conforme o projeto, “é admitida a educação básica domiciliar, por livre escolha e sob a responsabilidade dos pais ou responsáveis legais pelos estudantes”. O poder público deverá atuar, junto aos pais ou responsáveis, para garantir o desenvolvimento adequado da aprendizagem do estudante.

Proibição na Justiça

Elisa estudava seis horas por dia em casa e começou a fazer homeschooling no primeiro ano do ensino médio. Ela descobriu a modalidade pela internet, principalmente em sites em inglês.

Para saber se o método de estudo em casa tinha dado certo, ela começou a prestar vestibulares com 16 anos e as aprovações não pararam de chegar. Mas, sem diploma, ela não conseguia se matricular na faculdade. A família, então, recorreu à Justiça.

Em outubro de 2020, o Ministério Público foi favorável a conceder a liminar e permitir que a estudante entrasse na faculdade.

A promotora Maria do Carmo Purcini considerou que a jovem é portadora do espectro autista e tem um excepcional desempenho. O pedido de liminar para que ela entrasse na faculdade, no entanto, foi negado.

Estudante de Sorocaba foi proibida pela Justiça de cursar faculdade por fazer homeschooling — Foto: Reprodução/TV TEM

Estudante de Sorocaba foi proibida pela Justiça de cursar faculdade por fazer homeschooling — Foto: Reprodução/TV TEM

A juíza Erna Tecla Maria alegou que o homeschooling não estava previsto na legislação e não foi admitido como ensino apto para certificar o estudante. Contudo, a família da adolescente desistiu do processo contra a USP.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Fronteira Brasil/Paraguai já foi cenário de diversas mortes somente em 2022; relembre casos

A fronteira entre Ponta Porã (BR) e Pedro Juan Caballero (PY) registrou mortes violentas desde o início do ano.

Por g1 MS

Nesta terça-feira (17), o prefeito de Pedro Juan Caballero sofre um grave atentado e foi socorrido em estado grave. A cidade brasileira de Ponta Porã (MS) e Pedro Juan Caballero (PY) foram cenários de mortes violentas. Desde o início de 2022, diversas pessoas morreram na fronteira entre Brasil e Paraguai.

Relembre alguns casos registrados nas cidades.

Fevereiro

Em 22 de fevereiro, dois homens foram executados, em Ponta Porã (MS).

Por ordem cronológica dos óbitos, o empresário Joaquim Vinicius Miranda Borges, 33 anos, foi executado por pistoleiros, em um bairro residencial de Ponta Porã. Conforme apurado, os suspeitos metralharam completamente o carro de luxo que a vítima estava.

Após os tiros, a princípio de fuzil, o homem ainda saiu do carro e tentou correr, mas caiu sendo alcançado pelos pistoleiros e executado com vários tiros que atingiram, principalmente, a cabeça da vítima. 

Carro é metralhado e homem morre na região de fronteira entre Brasil e Paraguai

Após menos de três horas, mais um homem foi morto na fronteira com o Paraguai. Einer Miguel Pinazo foi executado a tiros dentro de um carro no Bairro Kamel Saad. De família ligada ao tráfico de drogas, Einer completou 34 anos na segunda-feira (21).

Conforme apurado, Miguel é suspeito de ter ligação com o tráfico de drogas e receptação de carretas roubadas. A polícia investiga se há alguma ligação entre as duas mortes.

Março

Cerca de um mês depois, em 21 de março, duas pessoas, 25 e 26 anos, foram executadas em Pedro Juan Caballero (PY), cidade paraguaia vizinha a Ponta Porã (MS), a 324 km de Campo Grande, em plena luz do dia. Conforme informações preliminares da polícia do país vizinho, os pistoleiros chegaram próximo ao carro e efetuaram diversos disparos.

Além do duplo homicídio, uma outra vítima, de 18 anos, que também estava no carro, foi encaminhada para um hospital, em estado grave, no Paraguai.

No dia seguinte, em 22 de março, um homem chamado Ramão Icasati da Costa foi encontrado morto na mesma cidade. O corpo dele estava em um matagal do bairro Ibirapeura.

Abril

No início de abril, no dia 5, quatro pessoas foram executadas a tiros, durante a realização de uma festa no bairro Boa Vista, em Ponta Porã (MS). Uma quinta vítima também teria sido baleada, mas sobreviveu.

Conforme informações da Secretaria Municipal de Segurança de Ponta Porã, pelo menos três pistoleiros participaram da chacina e chegaram em uma caminhonete. Os atiradores dispararam contra as pessoas que estavam no salão de eventos. Logo após os tiros, os pistoleiros fugiram.

Três dias depois, Romulo Calonga Medina, 34 anos, foi executado em uma oficina mecânica, em Pedro Juan Caballero, na sexta-feira (8)O homem morreu agachado em meio aos pneus e a cena chocou curiosos que passavam pelo local.

Nas imagens compartilhadas nas redes sociais, Romulo aparece de cócoras, em meio aos pneus. De acordo com a polícia paraguaia, a vítima chegava para trabalhar na oficina quando foi atingida.

No local foram encontradas pelo menos 27 cápsulas, de uma arma 9 mm. A polícia disse que os pistoleiros fugiram em um carro, após o crime.

Romulo é brasileiro e o corpo foi identificado pela família da vítima. A polícia nacional do Paraguai foi comunicada sobre o crime, que segue em investigação. O corpo passará por perícia técnica, feita por legista.

Em 26 de abril, Luana Gonçalves, 15 anos, foi encontrada morta, em uma vala, próximo a um shopping em Pedro Juan Caballero. Segundo a Polícia Civil, a adolescente teria saído, na sexta-feira (22), para uma festa com algumas amigas e não voltou para casa. O corpo da jovem foi encontrado quatro dias depois do desaparecimento, jogado em uma vala.

Luana morava em Ponta Porã (MS) com a família. A adolescente foi encontrada com ferimento no lado direito da cabeça. Conforme o médico forense, Cesar González Haiter, a lesão causou traumatismo craniano na vítima e o corpo já estava em decomposição e enrolado a sacos plásticos.

Maio

No domingo (15), o empresário Anderson Bambil Melgarejo foi morto a tiros, dentro do açougue dele, em Ponta Porã. De acordo com informações da polícia, dois homens chegaram ao comércio de Anderson pouco antes das 12h (de MS), em uma motocicleta, e o garupa desceu. Este pediu uma mercadoria para o empresário e ambos foram para os fundos. Lá, foram feitos os primeiros disparos.

Anderson ainda correu para o escritório, mas foi alcançado e atingido por mais tiros. O suspeito voltou para a moto e fugiu com o comparsa que o esperava em frente ao açougue.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

PF faz operação contra suspeitos de assaltos a carros-fortes; dois alvos foram mortos em ação policial em Varginha, em MG

Grupo é investigado por lavagem de dinheiro; segundo polícia, eles compravam imóveis, faziam viagens luxuosas e criavam empresas de fachada para dissimular origem do dinheiro. Mandados são cumpridos no DF, em GO e MG.

Por Wellington Hanna, TV Globo

A Polícia Federal começou a cumprir, nesta terça-feira (17), uma operação contra um grupo suspeito de lavar dinheiro obtido por meio de assaltos a empresas de valores e carros-fortes. Segundo a corporação, dois dos alvos da investigação estavam entre os 26 mortos em uma ação policial em Varginha (MG), no ano passado (veja mais abaixo).

Ao todo, foram expedidos seis mandados de busca e apreensão, a serem cumpridos no Distrito Federal, em Goiás e Minas Gerais. A operação é realizada em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado do Ministério Público do DF (Gaeco/MPDFT).

Segundo os investigadores, “os suspeitos adquiriam diversos imóveis de luxo em dinheiro vivo, faziam viagens para sofisticados resorts, criavam empresas de fechada e uma série de outros atos que tinham por objetivo ocultar e dissimular o patrimônio resultante de violentos assaltos pelo país”.

Ação em Varginha

A operação da PF desta terça ganhou o nome de “Restos da Maldade”. Ainda de acordo com a corporação, os dois principais alvos da investigação estavam entre os mortos na operação policial que combateu assaltantes em Varginha (MG).

Em 31 de outubro do ano passado, 26 pessoas foram mortas na ação. Segundo a Polícia Militar de Minas Gerais, elas integravam uma quadrilha especializada em crimes de roubo e alugaram uma chácara em Varginha, para preparar uma ação no município.

Ainda de acordo com a corporação, os investigados trocaram tiros com os policiais. Com eles, segundo a PMMG, foram encontrados explosivos, armas longas ponto 50 e 10 fuzis, além de outras armas, munições, granadas, coletes e 10 veículos roubados.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Jovem que descobriu novo asteroide vai fazer curso da Nasa e pode se tornar 1ª mulher brasileira no espaço

O início da ‘jornada nas estrelas’ será no dia 24 de maio. Em agosto do ano passado, Laysa Peixoto Sena Lage descobriu um asteroide analisando imagens do computador de casa.

Por Maria Lúcia Gontijo, g1 Minas — Belo Horizonte

Laysa recebeu roupa especial durante um curso que fez em Brasília, na Wogel SpaceLab — Foto: Arquivo pessoal

Laysa recebeu roupa especial durante um curso que fez em Brasília, na Wogel SpaceLab — Foto: Arquivo pessoal

Em agosto de 2021, Laysa Peixoto Sena Lage, de 18 anos, descobriu um asteroide analisando imagens do computador de casa, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Oito meses depois, ela está de malas prontas para participar de um treinamento para ser astronauta na NASA. A viagem para os Estados Unidos será no dia 24 de maio.

“Serei tripulante da Expedição 36 do curso Advanced Space Academy da NASA, em que serei treinada como astronauta. Esse é um grande passo na minha jornada até me tornar a primeira mulher brasileira a ir ao espaço, que é meu maior objetivo”, disse Laysa.

Descobrir um asteroide e ser medalhista de olimpíadas científicas ajudou Laysa a passar na seleção. Ela levou a prata na 23ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, em 2020, e chegou à final da Competição Internacional de Astronomia e Astrofísica, sendo contemplada com a de bronze.

“Estou muito animada para o treinamento. Estou me preparando para os desafios que fazem parte de uma missão espacial e nada é mais empolgante que isso”, contou ela.

Laysa vai ficar nos Estados Unidos por um mês, tempo em que vai fazer o curso e também conhecer outros complexos da NASA.

Laysa Peixoto Sena Lage recebeu roupa do embaixador da  NASA. — Foto: Arquivo pessoal

Laysa Peixoto Sena Lage recebeu roupa do embaixador da NASA. — Foto: Arquivo pessoal

Doações para despesas

No ano passado, ela criou uma “vaquinha” para para conseguir arcar com as despesas da viagem.

“Recebi ajuda de muitas pessoas que estão me apoiando nessa ‘jornada nas estrelas'”, disse Laysa.

Relembre a descoberta do asteroide

Jovem de 18 anos descobre novo asteroide no espaço durante pesquisa para Nasa na Grande BH

Laysa descobriu asteroides para a Nasa em agosto e o batizou de LPS 003, suas iniciais.

Ela se interessou pelo tema no início de 2021, quando viu no site da Nasa a campanha de “caça asteroides”. O projeto é realizado em parceria com a The International Astronomical Search Collaboration.

“Desde o início do ano, participo da caçada aos asteroides da Nasa. Eu vejo as imagens pelo telescópio e estudei o sistema solar do instituto no Havaí. Analiso pixel por pixel da imagem, percebo algumas características e valores. Aí fui enviando relatório para eles. Depois de um tempo, eles comprovaram que era um asteroide mesmo e, por enquanto, ele terá as iniciais do meu nome. Ganhei até certificado”, contou Laysa.

Jovem de 18 anos descobre novo asteroide no espaço durante pesquisa para Nasa, na Grande BH — Foto: Redes Sociais

Jovem de 18 anos descobre novo asteroide no espaço durante pesquisa para Nasa, na Grande BH — Foto: Redes Sociais

Na época, ela estava no 2º período de física da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Laysa estudou em uma escola pública e sempre foi apaixonada pelas estrelas.

“É uma experiência indescritível, sempre foi meu sonho poder contribuir com a física, com a ciência (…) sempre fui apaixonada pelas estrelas e o que me deixa mais feliz é que estudei a vida inteira em escola pública, então, independentemente de onde a pessoa estudou, ela pode realizar sonhos e conseguir o que quiser”, comemorou.

Meteoro encontrado pela mineira — Foto: Arquivo pessoal

Meteoro encontrado pela mineira — Foto: Arquivo pessoal

A “caçadora de asteroide” faz parte do Observatório Astronômico da UFMG.

Descoberta foi feita do computador de casa — Foto: Arquivo pessoal

Descoberta foi feita do computador de casa — Foto: Arquivo pessoal

Jovem de Contagem descobre novo asteroide durante pesquisa para NASA

Jovem de Contagem descobre novo asteroide durante pesquisa para NASA

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Morador encontra cobra dentro de guarda-roupa em apartamento de Goiânia

Ao chegar no apartamento, o Corpo de Bombeiros informou que se tratava de uma jiboia criada em cativeiro. Vídeo mostra momento em que animal é retirado de dentro de uma gaveta.

Por Gabriela Macêdo, g1 Goiás

Um morador do 16º andar de um condomínio localizado no Bairro Residencial Eldorado, em Goiânia, encontrou uma cobra jiboia dentro de seu guarda-roupa. Um vídeo mostra o momento em que Corpo de Bombeiros retira o animal de dentro de uma gaveta (assita acima). A esposa do morador que encontrou a cobra, que não quis se identificar, contou ao g1 que o medo foi instantâneo.

“Foi uma agonia, senti muito medo, porque desde quando essa cobra estava aqui em casa? Nós dormimos no quarto em que ela estava”, relata.

O caso aconteceu no domingo (15). Segundo a moradora, o quarto onde o animal foi encontrado ainda permanece trancado. A mulher conta que o marido encontrou o animal enquanto pegava uma camiseta dentro da gaveta.

“Ele viu algo cilíndrico de uma cor diferente, colocou a mão em cima e ela começou a se mexer. Ele me chamou para ver, nós trancamos tudo e chamamos os bombeiros”, conta.

Cobra é encontrada em guarda-roupa de apartamento em Goiânia — Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

Cobra é encontrada em guarda-roupa de apartamento em Goiânia — Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

Ao chegarem no apartamento, os bombeiros informaram a moradora que se tratava de uma cobra criada em cativeiro. Ela ainda conta que o animal pertence a um vizinho do mesmo condomínio e que a cobra já foi devolvida pelo Corpo de Bombeiros ao outro morador.

Para que o animal chegasse até o guarda-roupa do casal, a mulher ainda explica o longo trajeto que a cobra precisou fazer, “atravessando todo o apartamento”.

“Ela saiu pela janela, andou no parapeito de uma sacada para outra e entrou na minha casa. Andou pela sala, atravessou o apartamento todo e foi para o quarto, que estava com a porta do guarda-roupas aberto”, relembra.

A moradora ainda explica que o medo principal que sentiu ao descobrir a visita inusitada da cobra era em relação a cadela do casal, uma vez que o animal de estimação fica sozinho em casa enquanto ela e o marido saem para trabalhar durante o dia.

“Ela podia ter matado minha cachorrinha. Despachei minha cachorra para a casa dos meus pais por medo de ter mais cobras” , diz.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Cheia 2022: Amazonas já tem 26 municípios em situação de emergência

Situação de emergência é a classificação considerada de maior risco para a comunidade, segundo a Defesa Civil do Estado.

Por Karla Mendes, g1 AM

O Amazonas tem 26 municípios em situação de emergência por conta da cheia dos rios, de acordo com relatório mais recente da Defesa Civil, divulgado na segunda-feira (16). Situação de emergência é a classificação considerada de maior risco para a população, segundo a Defesa Civil do Estado.

De maneira geral, o acompanhamento, que é feito diariamente, tem três classificações: a de atenção, alerta e emergência.

Além dos 26 municípios em situação de emergência, o Amazonas também que tem dois municípios em situação de atenção e 31 em situação de alerta.

De acordo com a Defesa Civil, os 26 municípios em situação de emergência recebem o reconhecimento legal de que estão passando por uma situação anormal provocada por desastres, no caso do Amazonas, a cheia, causando danos à comunidade. Atualmente, os municípios incluídos nessa classificação são:

  • Calha do Juruá: Guajará, Ipixuna, Envira, Itamarati, Eirunepé, Juruá, Carauari.
  • Calha do Purus: Boca do Acre, Lábrea, Canutama.
  • Calha do Madeira: Borba, Nova Olinda do Norte.
  • Calha do Alto Solimões: Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, Santo Antônio do Içá.
  • Calha do Médio Solimões: Japurá, Tefé.
  • Calha do Baixo Solimões: Manacapuru, Careiro da Várzea, Caapiranga, Manaquiri, Anamã.
  • Calha do Médio Amazonas: Itacoatiara, Rio Preto da Eva, Boa Vista do Ramos.

No Estado, há dois os municípios em situação de atenção. A classificação é utilizada quando há risco de um evento meteorológico ou hidrológico significativo e que seja imprevisível, como a cheia. Para essas regiões, a Defesa Civil formula um plano de ação para a ameaça. No momento, os municípios em situação de atenção no Amazonas são:

  • Santa Isabel do Rio Negro.
  • São Gabriel da Cachoeira.

Já em situação de alerta são 31 municípios. Para a Defesa Civil, essa classificação tem como finalidade alertar sobre um perigo ou risco a curto prazo. Nesses lugares, o órgão faz o monitoramento em tempo real, por meio das estações que medem quantidade de chuva ou nível de um córrego ou rio.

  • Calha do Purus : Tapauá, Beruri, Pauini.
  • Calha do Alto Solimões: São Paulo de Olivença, Amaturá, Tonantins.
  • Calha do Médio Solimões: Jutaí, Fonte Boa, Maraã, Uarini, Alvarães, Coari.
  • Calha do Baixo Solimões: Codajás, Anori, Iranduba, Careiro Castanho.
  • Calha do Médio Amazonas: Presidente Figueiredo, Silves, Autazes,
  • Urucurituba, Itapiranga.
  • Calha do Baixo Amazonas: Barreirinha, Nhamundá, Urucará, S. Sebastião do
  • Uatumã, Parintins, Maués.
  • Calha do Rio Negro: Manaus, Novo Airão, Barcelos.
Casa alagada após temporal em Parintins em 2022.  — Foto: Reprodução

Casa alagada após temporal em Parintins em 2022. — Foto: Reprodução

Nível dos rios Negro e Solimões

Até essa segunda-feira (16), o Rio Negro media 29,24 metros , dentro da cota de inundação severa estabelecida pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM). A cota prevista pelo órgão para este ano foi de 29,40 metros. Veja as estatísticas esperadas para este ano:

  • Cota atual: 29,10 m.
  • Cota de inundação: 27,5 m.
  • Cota de inundação severa: 29 m.
  • Cota prevista para 2022: 29,40 m.

Já o Rio Solimões, na segunda-feira (16), ainda seguia na cota de inundação severa de 19 ,74 metros.

  • Cota atual: 19,65 m.
  • Cota de inundação: 18,20 m.
  • Cota de inundação severa: 19,60 m.

Famílias afetadas

Segundo informações colhidas do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres, do qual a Defesa Civil faz parte, 229.603 pessoas e 57.401 famílias já foram afetadas pela cheia.

Para tentar conter os danos, o Governo Estadual regulamentou um auxilio enchente, que destina R$ 300 para famílias afetadas diretamente pela cheia. O auxilio é direcionado somente aos 26 municípios que decretaram situação de emergência.

O benefício é destinado a pessoas com renda familiar de até dois salários mínimos, limitados a um contemplado por núcleo familiar.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Dólar abre em queda, negociado perto de R$ 5

Na segunda-feira, a moeda norte-americana recuou 0,14%, vendida a R$ 5,0501.

Por g1

dólar abriu em queda nesta terça-feira (17), negociado perto de R$ 5.

Às 9h08, a moeda norte-americana caía 0,92%, vendida a R$ 5,0038. Veja mais cotações.

Na segunda-feira, o dólar fechou em queda de 0,14%, a R$ 5,0501. Com o resultado, passou a acumular alta de 2,18% no mês. No ano, ainda tem queda de 9,41% frente ao real.

O que está mexendo com os mercados?

No exterior, os mercados esboçavam dia de alta nos mercados acionários, na esperança de que a demanda na China possa ser sustentada, uma vez que as autoridades podem relaxar as restrições da Covid-19 que começaram a pressionar a segunda maior economia do mundo.

Os preços do petróleo subiam nesta terça, com o barril de Brent negociado acima de US$ 115.

Na Europa, dados revisados mostraram que o crescimento econômico da zona do euro foi mais forte do que o anteriormente esperado no primeiro trimestre e que o emprego também aumentou, apesar da guerra na Ucrânia. O Produto Interno Bruto (PIB) dos 19 países que compartilham o euro subiu 0,3% no período de janeiro a março sobre os três meses anteriores.

Os investidores seguem monitorando pistas sobre o ritmo da elevação dos juros nas principais economias do mundo. Juros mais altos nos EUA tornam os investimentos em títulos do tesouro norte-americano (treasuries) mais rentáveis, valorizando o dólar frente a outras moedas e drenando liquidez de países emergentes como o Brasil.

Na cena doméstica, a FGV mostrou que o Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) desacelerou a alta para 0,10% em maio, ante 2,48% em abril, com alívio nos preços de commodities agrícolas e minerais.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.