Vídeo mostra PMs agredindo torcedores do Sport na final do Pernambucano contra o Náutico

Por G1 PE

Um vídeo enviado ao WhatsApp da TV Globo mostra o momento em que policiais militares agridem integrantes de uma torcida organizada do Sport que assistiam à final do Campeonato Pernambucano de 2019 entre Sport e Náutico, na Ilha do Retiro, Zona Oeste do Recife, no domingo (21).

As imagens foram gravadas durante o Clássico dos Clássicos em que o Leão conquistou o título estadual após vencer nos pênaltis. Segundo a Polícia Militar (PM), os torcedores “estavam jogando cerveja e latas no efetivo, forçando os policiais a dispersar o grupo” (veja o complemento da resposta da PM mais abaixo).

No vídeo, é possível ver alguns torcedores agarrados à grade do estádio e outros que chegam pulando e cantando após alguns jogadores do Sport virem em sua direção para celebrar a vitória sobre o Náutico.

Nesse momento, policiais militares chegam e, com cassetetes, desferem golpes contra os torcedores, inclusive os que estavam parados na grade. Também é possível ouvir uma mulher reclamando da atitude dos policiais, que vestem o fardamento do Batalhão de Choque. O G1 tenta contato com o Sport para repercutir o caso.

Torcedores do Sport são agredidos por PMs no Recife — Foto: Reprodução/WhatsApp

Torcedores do Sport são agredidos por PMs no Recife — Foto: Reprodução/WhatsApp

Resposta da PM

Por meio de nota, a Polícia Militar também afirmou que os integrantes da torcida organizada do Sport “estavam cantando gritos de guerra da torcida, o que é proibido por lei”. Em seguida, a corporação retificou a informação, afirmando que “há uma decisão da Justiça estadual que impede o acesso da Torcida Jovem, como tal, aos estádios de futebol”.

Ainda no texto, a PM afirma que os integrantes “não podem entrar com vestimentas, materiais ou qualquer símbolo, assim como manifestações que remetam à torcida” e que “apesar de a entrada da torcida [organizada] nos estádios também ser impedida pela legislação, não há veto a seus membros individualmente, que se valem dessa brecha para acompanhar os jogos do clube, deixando para se reunir já nas arquibancadas”.

Por fim, a polícia afirma que “todas as pessoas que se sentirem lesadas por algum excesso cometido pelo policiamento pode procurar o comando do batalhão ou a Corregedoria Geral da SDS [Secretaria de Defesa Social] para formalizar uma queixa”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.