Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

Uma pessoa morre afogada após carro cair em córrego em Mauá; cidade ficou debaixo d’água após forte chuva

Em Mauá, na Grande São Paulo, a Avenida Capitão João, em Guapituba, está com trechos intransitáveis.

Por Larissa Calderari, TV Globo — São Paulo

Ruas de Mauá, na Grande SP, estão debaixo d’água

Fortes chuvas provocaram alagamentos e deixaram trechos intransitáveis na tarde desta quarta-feira (23) em Mauá, na Grande São Paulo. Equipes do Corpo de Bombeiros estão na região e tiveram de içar um carro de dentro de um córrego na Rua do Britador com a Estrada do Carneiro e resgatar uma pessoa que estava no veículo e morreu afogada.

Segundo a prefeitura da cidade, havia dois homens no veículo. O segundo foi resgatado e levado consciente ao Hospital Nardini, onde segue em observação.

Em nota, a Prefeitura de Mauá informou que “durante a tarde desta quarta-feira (23/11), a chuva registrada em Mauá  foi de 70 mm em 40 minutos. O maior volume foi nas regiões do Jardim Itapeva, Vila São João e Jardim Elizabeth. Esses bairros estão localizados próximos ao Rio Tamanduateí, onde um veículo com dois homens caiu no leito no rio — um deles foi resgatado e levado consciente ao Hospital Nardini, onde segue estável e em atendimento, enquanto o outro infelizmente faleceu. Até o momento foram identificados dois deslizamentos de terra, sem vítimas, no Jardim Elizabeth e no Jardim Mauá”.

A Avenida Capitão João, em Guapituba, também em Mauá, está com trechos intransitáveis desde o meio da tarde. André Luiz, de 53 anos, circulava pela região quando a chuva começou. Ele ficou ilhado, dentro de um posto de gasolina, sem condições de poder deixar o estabelecimento .

Segundo ele, os alagamentos na cidade são frequentes. “Eu sou feirante. Estava voltando de uma feira em Ribeirão Pires por volta das 15h da tarde [para Santo André, no ABC Paulista, onde mora], mas estou aqui em pé com meu menino de 3 anos. Normalmente às 15h30 eu já estou em casa…”, desabafa.

Já são mais de quatro horas na região aguardando a água abaixar para que eles possam voltar para casa.

Todas as equipes da prefeitura seguem nas ruas, atuando nos efeitos das fortes chuvas e seguirão em alerta. Segundo a Coordenadoria de Defesa Civil, existe a previsão de mais de 20 mm de chuva até as 21h.

A cidade de São Paulo teve chuva forte com potencial para alagamentos, queda de granizo e rajadas de vento nas subprefeituras de Parelheiros e Capela do Socorro, na Zona Sul. Na Zona Leste não chove, porém permanece em atenção preventivamente devido a chuvas fortes que atuam nos municípios de Suzano e Poá.

Até as 17h40, houve registros das seguintes chamados para os bombeiros na região metropolitana, principalmente na região do ABC Paulista, por conta das chuvas:

  • 35 Chamados para queda/vistoria de árvores;
  • 6 Chamado para inundação/alagamento;
  • 5 Chamados para desmoronamento/desabamento.

As próximas horas seguem com tempo instável, com chuvas podendo atuar em outras regiões da cidade.

Bombeiros içam carro de córrego em Mauá, na Grande SP — Foto: Reprodução/TV Globo

Bombeiros içam carro de córrego em Mauá, na Grande SP — Foto: Reprodução/TV Globo

Medidas simples podem amenizar efeitos dos alagamentos

  • Evite transitar em ruas alagadas
  • Se a chuva causou inundações, não se aventure a enfrentar correntezas.
  • Fique em lugar seguro. Se precisar, peça ajuda;
  • Mantenha-se longe da rede elétrica e não pare debaixo de árvores. Abrigue-se em casas e prédios;
  • Planeje suas viagens, para que haja menor possibilidade de enfrentar engarrafamentos causados por ruas bloqueadas;
  • Em caso de dúvida sobre vias bloqueadas, ligue para a central de atendimento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) através do número 156 ou entre no site da CET para saber como está o trânsito nas principais vias.

Tendência para os próximos dias

A quinta-feira (24) promete ser chuvosa desde a madrugada. Ao longo do dia, as precipitações serão intermitentes com fraca a moderada intensidade. Atenção com o solo encharcado, pois há potencial para formação de alagamentos e principalmente deslizamentos de terra nas áreas de encosta. Os ventos passam a soprar do quadrante sul, o que vai diminuir a temperatura. Mínima de 17°C e máxima de 22°C.

Na sexta-feira (25), o sistema frontal se afasta, porém os ventos úmidos que sopram do mar facilitam a entrada de umidade. Com isso, o céu nublado predomina, e há potencial para garoa na madrugada. Os termômetros oscilam entre a mínima de 16°C na madrugada e a máxima de 21°C à tarde.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.