Terceirizados de hospitais públicos do Estado param atividades

Funcionários da empresa terceirizada Liber, que prestam serviço nos hospitais do Governo de Pernambuco, fizeram uma paralisação de advertência na manhã da segunda-feira (9) no Hospital da Restauração (HR), no Derby, área central do Recife, no Barão de Lucena, na Iputinga, Zona Oeste, e no Hospital Agamenon Magalhães, em Casa Amarela, Zona Norte.

Sem trabalhar, funcionários se reúnem do lado de fora do Barão de Lucena

Sem trabalhar, funcionários se reúnem do lado de fora do Barão de LucenaFoto: Cortesia

O motivo, de acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Asseio e Conservação de Pernambuco (Stealmoaic), Rinaldo Lima, é o atraso de quatro meses no ticket refeição dos funcionários, além do salário de janeiro, que ainda não foi recebido. “A empresa disse que não recebeu o repasse do Estado para pagar aos trabalhadores, eles vão parar até resolver a situação”, disse.

Segundo Lima, quase 2.100 empregados trabalham nos turnos da manhã e noite na Restauração e no Barão de Lucena, nos serviços de limpeza, lavanderia, maqueiro, recepcionistas e telefonistas. Neste último, a adesão seria total, ainda segundo o presidente do Stealmoaic. No HR, um grupo paralisou os serviços, mas alguns funcionários trabalham nas áreas “mais críticas”. A adesão geral ainda está sendo totalizada pelo sindicato.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou que “não está medindo esforços” junto à Secretaria da Fazenda para normalizar o repasse de verbas às empresas terceirizadas, e que a expectativa é que o pagamento seja feito “nos próximos dias”, não dando uma previsão exata.

A pasta informou ainda que a paralisação dos profissionais de serviços gerais não afetou a assistência aos pacientes nos hospitais.

 

Do NE10

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.