Sexta de protesto contra o aumento das passagens de ônibus no Centro do Recife

Um grupo de estudantes e trabalhadores que utilizam o transporte público diariamente irá realizar um protesto, a partir das 7h30 desta sexta-feira (4), no Cais de Santa Rita, Centro do Recife, contra a proposta de aumento de 13% das passagens de ônibus da Região Metropolitana do Recife (RMR), apresentada pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE). O Grande Recife Consórcio vai apresentar uma contraposta de reajuste de 5,75% – índice correspondente ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado até a segunda quinzena de dezembro de 2012.

O ato contra o aumento das tarifas terá início com a distribuição de panfletos educativos e diálogos diretos com a população. Em paralelo, às 8h, o Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) estará analisando, durante reunião, as propostas do sindicato e do consórcio. Neste momento, os manifestantes seguirão em protesto para a frente do Grande Recife Consórcio, também no Cais de Santa Rita, onde acontecerá a reunião. O encontro do CSTM será fechado e a imprensa não vai poder acompanhar.

De acordo com Felipe Carvalho, 25 anos, militante da articulação de esquerda e professor de história, o objetivo da manifestação não é prejudicar o trânsito. “Não queremos complicar a vida das pessoas. A ideia é apenas chamar atenção e iniciar um diálogo com a sociedade”, garantiu. Na noite dessa quinta (3), cerca de 100 pessoas participaram de reunião no DCE da Unicap, onde foram traçadas as ações contra o aumento das passagens. O encontro foi combinado em evento do Facebook. “Amanhã iremos iniciar uma série de protestos, a população não ficará omissa”, enfatizou o militante. Em 2012 ocorreram seis protestos no início do ano.

Ainda segundo Felipe Carvalho, além do debate sobre o transporte coletivo, também está na pauta de discussão o projeto Novo Recife, a crise no sistema educacional e os possíveis transtornos sofridos por moradores que residem próximo a obras para a Copa do Mundo de 2014. “Iremos ampliar o debate para outras questões sociais”, adiantou.

Dentre as propostas do grupo está a estatização da rede de transporte coletivo. “Queremos o fim do Grande Recife Consórcio”, disse o militante complementando que o grupo irá articular, junto à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE), a solicitação de uma auditoria para analisar as contas da empresa. “O valor das tarifas aumentam, mas o transporte público não tem melhorias. Queremos saber onde o dinheiro é investido”, explicou Felipe.

AUMENTO – Caso o reajuste proposto pela Urbana-PE seja aprovado, a tarifa do Anel A sairá dos atuais R$ 2,15 para R$ 2,43. Com o reajuste proposto pelo governo, a passagem ficaria em R$ 2,27. De acordo com a assessoria de imprensa do sindicato, o reajuste com percentual de 13% é necessário por causa de gastos referentes a combustível, manutenção dos veículos, compras de pneus e pagamento da folha dos funcionários das empresas.

 

 

 

 

 

NE10

Foto: arquivo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

[email protected]
[email protected]