Justiça decreta ilegalidade da greve da Polícia Militar em Pernambuco

19iiiiiiiiierge5t5y65hyjuuj6_05-15-2014O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) decretou a ilegalidade da greve da Polícia Militar em Pernambuco, que começou na última terça (13). O decreto saiu na noite da quarta-feira (14). A multa prevista para a categoria será de R$ 100 mil por dia de paralisação, segundo o Governo de estado. A ordem é para que os policiais militares voltem ao trabalho imediatamente.

A ação pedindo a decretação de abusividade e ilegalidade da greve foi feita pela Procuradoria-Geral do estado e analisada pelo desembargador Frederico Neves, do TJPE. Ainda de acordo com o Governo, a partir das 10h, as tropas da Força Nacional de Segurança Pública estarão nas ruas doRecife e Região Metropolitana para fazer a segurança local. O Diário Oficial da União publicou uma portaria na quarta-feira (14) que autoriza o uso da Força Nacional em Pernambuco.

Entre o período da noite da quarta até a manhã da quinta (15), 15 pessoas foram detidas nos saques e invasões de lojas em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife, pela Central de Flagrantes da Polícia Civil. Outra pessoa foi detida porque portava uma arma sem autorização. O grupo está prestando depoimento na Central e será encaminhado ao Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), também em Abreu e Lima.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Companhia Independente de Operações e Sobrevivência na Área de Caatinga (Ciosac) e a Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), da Polícia Civil, foram os responsáveis pela prisão do grupo. Moradores do município afirmam que muitas casas foram saqueadas por pessoas da comunidade.

A Prefeitura de Abreu e Lima decretou ponto facultativo para os servidores durante esta quinta, por causa da insegurança causada pela greve dos PMs. Na quarta-feira, dia dos saques, a cidade comemorou 32 anos – foi feriado.

 

 

G1 PE

Foto: Elvys Lopes/TV Globo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.