Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

Suspeito de ataque a tiros na Califórnia frequentava salão de dança onde matou 11

O homem abriu fogo durante uma celebração do Ano Novo Lunar no Star Ballroom Dance Studio, popular na cidade predominantemente asiático-americana de Monterey Park, ao leste de Los Angeles. O número de mortos subiu para 11 nesta segunda-feira.

Por Reuters

Local de ataque na Califórnia recebe flores em homenagem às 10 vítimas do massacre

O suspeito de 72 anos responsável pelo atentado a tiros na noite de sábado que matou 11 pessoas em um salão de dança na área de Los Angeles costumava frequentar o local dando aulas informais, e conheceu lá sua ex-mulher, segundo amigos e reportagens da imprensa.

As autoridades dizem que Huu Can Tran abriu fogo durante uma celebração do Ano Novo Lunar no Star Ballroom Dance Studio, popular na cidade predominantemente asiático-americana de Monterey Park, ao leste de Los Angeles. O número de mortos subiu para 11 nesta segunda-feira.

O homem foi a outra boate, na cidade vizinha de Alhambra, logo após o massacre, disse a polícia, mas um cliente conseguiu tirar sua arma em um confronto físico, possivelmente impedindo um segundo ataque.

“Naquele momento, foi um instinto primitivo”, disse o homem, chamado Brandon Tsay, à mídia, dizendo que o atirador fugiu do local após uma briga de 90 segundos. “Algo aconteceu… não sei o que deu em mim.”

Cerca de 12 horas depois, policiais da cidade de Torrance abordaram uma van branca que Tran dirigia. Quando os policiais se aproximaram da van, eles ouviram um único tiro de dentro do veículo, quando Tran se matou.

É extremamente raro uma pessoa com mais de 70 anos realizar um atentado a tiros. Embora as autoridades não tenham identificado um motivo, alguns detalhes surgiram sobre o passado de Tran.

Adam Hood, que disse ser inquilino há anos em um imóvel de propriedade de Tran e que falava com ele com frequência, disse à Reuters que Tran era uma pessoa raivosa, agressiva e desconfiada, que não tinha muitos amigos, mas gostava de dança de salão, sua principal atividade social.

“Ele era um bom dançarino”, disse Hood, que conheceu Tran no início dos anos 2000 e disse que eles se aproximaram devido à experiência compartilhada como imigrantes chineses. “Mas ele desconfiava das pessoas no salão, zangado e desconfiado. Acho que ele se cansou e foi demais para ele.”

Tran reclamou que as pessoas do salão estavam falando dele pelas costas, disse Hood.

A CNN relatou, citando um amigo não identificado, que Tran reclamou que os instrutores de dança disseram “coisas ruins sobre ele” e que Tran era “hostil” com muitas pessoas no salão.

Em 7 e 9 de janeiro, Tran visitou o departamento de polícia em Hemet, onde morava, a cerca de 90 minutos de Monterey Park, para fazer “alegações anteriores de fraude, roubo e envenenamento envolvendo sua família” decorrentes de 10 a 20 anos atrás, segundo um comunicado do departamento na segunda-feira.

Ele disse que voltaria com a documentação, mas nunca voltou, disse a polícia. Um porta-voz do departamento disse que a polícia não está divulgando mais detalhes sobre suas reivindicações no momento.

A polícia em Monterey Park não teve nenhuma interação anterior com Tran, disse o chefe Scott Wiese em entrevista coletiva na segunda-feira.

Tran mudou-se em 2020 para uma casa móvel em uma comunidade privada para idosos com um campo de golfe de nove buracos em Hemet.

Ele conheceu sua ex-esposa no salão há cerca de duas décadas, disse ela à CNN em uma entrevista. Tran se apresentou a ela e ofereceu aulas gratuitas.

Embora Tran nunca tenha sido violento, ele ficava com raiva rapidamente, por exemplo, se ela errasse um passo enquanto dançava, disse ela à CNN. Eles se divorciaram em 2005.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.