Sete caçambas recolhem 50 m³ de lixo após rebeliões no presídio de Caruaru

Do G1 Caruaru

Foram recolhidos 50m³ de entulho no presídio de Caruaru (Foto: Divulgação/Assessoria)
Foram recolhidos 50m³ de entulho no presídio de Caruaru (Foto: Divulgação/Assessoria)

Cerca de 50m³ foram recolhidos na quarta-feira (27) da Penitenciária Juiz Plácido de Souza em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. De acordo com o Departamento de Limpeza da prefeitura, foram necessárias sete caçambas para transportar o material ao aterro sanitário do município.

Trabalho de recolhimento do entulho segue até sexta (29) (Foto: Divulgação/Assessoria)

Trabalho de recolhimento do entulho segue até sexta (29) (Foto: Divulgação/Assessoria)

Duas rebeliões acontecem na unidade, uma no sábado (23) e a outra na segunda-feira (25), deixando seis mortos e 21 feridos, segundo a Polícia Militar.

A assessoria informou ao G1 que foram recolhidos colchões, travesseiros, lençóis, móveis de madeira, utensílios pessoais, roupas, sapatos e papelões queimados. No entulho, também foi encontrado um freezer.

O trabalho de limpeza continua nesta quinta-feira (28) e deve se estender até a sexta-feira (29), conforme a assessoria. O trabalho do Departamento de Limpeza só pode ser feito na presença dos agentes penitenciários.

Advogados no presídio
Os advogados voltarão a ter acesso aos detentos no presídio de Caruaru a partir da sexta-feira (29). A seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Caruaru convocou advogados criminalistas com clientes na Penitenciária Juiz Plácido de Souza para uma reunião na tarde desta quinta-feira (28), na sede da Ordem.

Governo impede inspeção
Uma comitiva formada por entidades de Direitos Humanos foi proibida de entrar na Penitenciária Juiz Plácido de Souza. De acordo com a assessoria da Assembleia Legislativa, a comissão foi à unidade na quarta-feira (27) para inspecionar as “condições humanas e de segurança e infraestrutura dos detentos e agentes”.

Em nota, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, informou ao G1 que a entrada “não foi autorizada por razões de segurança”. Segundo a assessoria, a data para uma nova visita será agendada após “a rotina na unidade ser restabelecida”. A Secretaria disse que as denúncias de falta de comida e de água aos detentos não procede.

Cabeça encontrada no presídio
A cabeça de um dos detentos decapitados durante a rebelião na penitenciária de Caruaru foi encontrada. Ao G1, o diretor do presídio, Fábio Robson Duarte, confirmou que “a cabeça foi levada para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru. Ainda não temos como confirmar quantos presos foram decapitados”, disse.

Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) informou em nota que, durante o mutirão de limpeza, “agentes penitenciários e reeducandos encontraram uma cabeça de um homem que pode ser de um dos corpos já recolhidos ao IML no sábado (23)”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.