Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Sem esperança de evitar queda, Roberto Fernandes pede para Santa Cruz projetar 2022

Treinador evita falar em permanência na Série C, aponta erros na temporada e pede para clube mirar a Copa do Nordeste; Tricolor precisa vencer jogos restantes e torcer contra dois rivais

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Falando como rebaixado, o técnico Roberto Fernandes culpou o planejamento errado no início do ano para a situação que o Santa Cruz está passando, com a iminência de queda para a Série D do Campeonato Brasileiro. Embora tenha assumido parcela da culpa, ele apontou a montagem do elenco como fator primordial para os resultados em campo.

– O trabalho que a gente desenvolveu foi dentro da melhor condição possível. Agora é muito claro que não deu liga. E não deu liga só o trabalho do Roberto, não deu liga a temporada. Eu sou o quarto ou o quinto treinador, né? Sessenta jogadores, né? A gente não conseguiu uma unidade. Enfim, é triste pela camisa, pela torcida, pela tradição de Santa Cruz.

O Tricolor está na lanterna do Grupo A da Série C e tem 11 pontos – sendo seis atrás da primeira equipe fora da zona de queda. O clube coral precisa vencer as duas partidas restantes – diante de Tombense e Botafogo-PB -, além de torcer contra Floresta e Jacuipense, que estão em 8º e 9º lugar.

Em nenhum momento da entrevista após a derrota para o Altos, Roberto Fernandes falou em esperança de se manter na Série C. Pelo contrário. Sinalizou para o clube começar a projetar a próxima temporada. Questionado se haveria a possibilidade de seguir no comando, respondeu:

– O foco estava inteiro em tentar reverter algo que a cada rodada se mostrava irreversível. E então não pensei no futuro. Agora é óbvio que o Santa Cruz tem que começar a pensar no futuro urgentemente, porque o futuro do Santa Cruz não é em 2022 não. Ele começa agora, na pré-Copa do Nordeste. Acredito que o primeiro jogo é nos próximos quinze, vinte dias… É fundamental que o Santa Cruz comece a próxima temporada tendo um calendário mais digno das suas tradições, da sua camisa, do da sua torcida.

Sobre a campanha coral, o treinador se disse envergonhado. E apontou a falta de força em casa como diferencial.

– A nossa campanha em casa é uma lástima, gente. Pelo amor de Deus, é vergonhosa. Eu tenho vergonha, sabe? Nós tivemos oito jogos em casa, quatro derrotas, três empates, apenas uma vitória. Como mandante nós fizemos seis gols em oito jogos. É muito pouco… Quando virou o turno, os nossos principais adversários nessa luta contra o rebaixamento eram Floresta, Jacuipense e Altos. O Floresta veio aqui e tirou dois pontos da gente, o Jacuipense veio aqui e tirou dois pontos da gente. O Alto tirou três pontos da gente. Eu me sinto envergonhado.

Em todos esses jogos, Roberto Fernandes comandou a equipe. Sobre a derrota do último sábado, o treinador apontou os gols perdidos como vilão.

– Faltou o gol, né? Faltou um gol com quinze segundos de jogo. Nós entramos dentro da área do adversário, com a bola trabalhada, a bola cai no pé do artilheiro do Santa Cruz, que é o cara que mais tem gols deste grupo. Nós tivemos duas grandes chances com ele e realmente essa bola teimou em entrar.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.