Salgueiro bate o Sport e agora espera pelo Flamengo

Salgueiro

SALGUEIRO (PE) – A vitória de 2×0 sobre o Sport dá uma boa vantagem para o Salgueiro na semifinal do Pernambucano, sem dúvidas. Mas acima de tudo o êxito da tarde deste domingo, no Cornélio de Barros, em Salgueiro, traz moral para o duelo contra o Flamengo, na próxima quarta-feira, pela Copa do Brasil, também em casa. É um confronto de Davi contra Golias, mas os sertanejos com certeza usarão a partida de hoje como exemplo para superar mais um rubro-negro. Rogério Paraíba marcou os gols do Carcará neste domingo, ambos de pênalti.

Com a vitória, o Salgueiro joga pelo empate e até por uma derrota por um gols de diferença no jogo de volta da semifinal do Estadual, na Arena Pernambuco, no próximo domingo. Caso perca por dois gols ainda terá a chance de se classificar para a decisão através dos pênaltis. É uma baita vantagem. Mas antes disso, os sertanejos irão pensar no Flamengo e na grande festa que será na quarta.

Rogério Paraíba, Salgueiro

Mesmo sem tanta posse de bola, Carcará voa alto no Sertão

Apesar de ser visitante, o Leão foi quem começou ditando as ações no Cornélio de Barros nesta tarde. Muito porque ficou mais tempo com a bola nos pés. Em muitos momentos, parecia que só havia um time jogando tamanha a quantidade de vezes que os rubro-negros tocavam a redonda. Os leoninos adiantaram a linha defensiva e encurralaram o Salgueiro no próprio campo no primeiro tempo. Restou ao Carcará dar o chutão e apostar na velocidade dos seus jogadores ou no vacilo do adversário, estratégia que não deu muito certo de início já que os zagueiros do Sport estavam atentos no gramado.

Apesar do domínio da posse de bola, os visitantes tiveram muitas dificuldades de chegar ao gol de Luciano. Muito porque o Carcará foi competente para se defender. A equipe de Sérgio China armou o ferrolho e impediu que o Leão chegasse pelo meio. Restou apostar nas laterais, mas como o campo do Cornélio de Barros é muito curto, a marcação salgueirense conseguiu se atencipar bem nos lances. Assim, um bom resumo da partida poderia ser o Sport com a posse de bola, mas sem efetividade para chegar à meta adversária. A redonda ficou indo e vindo nos pés rubro-negros sem um destino certo.

A apatia criativa leonina teve seu castigo na volta do intervalo. Isso porque o Salgueiro ousou mais no ataque e inverteu os papéis no segundo tempo. Foi quando o Carcará finalmente demonstrou que estava jogando em casa, diante de sua apaixonada torcida. A simbiose entre torcedores e time deu certo e os sertanejos ditaram o ritmo. Pressionaram e, ao contrário do adversário, souberam aproveitar as poucas chances para marcar. Após bombardeiro aéreo na grande área rubro-negra, o árbitro marcou pênalti para os donos da casa. Rogério Paraíba cobrou e colocou um sorriso no rosto dos salgueirenses. Uma justa recomenpensa pelo apoio da massa do Sertão e uma justiça no gramado para quem soube usar melhor as armas que teve em mãos. O prêmio ficou ainda maior quando houve outro pênalti no apagar das luzes. A cobrança foi mais uma vez convertida por Rogério e ampliou ainda mais a festa.

Um calor para cada um

Outro destaque para a partida foi o calor no Cornélio de Barros neste domingo. Foi um sol para cada jogador no gramado e nas arquibancadas. Tanto que a torcida, já esperta no assunto, ficou na sombra durante boa parte do primeiro tempo. Quando o sol finalmente baixou, o estádio foi preenchido pelos adeptos do Carcará.

Festa amarga

Todos os rubro-negros estão tristes, sem dúvidas, mas um deles deve estar ainda mais insatisfeito. Trata-se do goleiro Magrão, que foi vazado duas vezes justamente na semana que completa dez anos de Sport. Uma festa nada feliz para o ídolo leonino.

FICHA DA PARTIDA – SALGUEIRO 2X0 SPORT

Salgueiro: Luciano; Marcos Tamandaré, Ranieri, Rodolfo e Lúcio (Marlon); Rogério; Moreiândia, Vítor Caícó e Cássio; Alemão (Kanu) e Valdeir (Luis Eduardo). Técnico: Sérgio China.

Sport: Magrão; Vítor, Oswaldo, Durval e Renê; Rithely, Wendel (Régis), Neto Moura e Diego Souza; Felipe Azevedo (Joelinton) e Samuel (Mike). Técnico: Eduardo Baptista.

Pernambucano (semifinais). Local: Cornélio de Barros, em Salgueiro (PE). Árbitro: Emerson Luiz Sobral. Auxiliares: Clovis Amaral da Silva e Fernanda Colombo Uliana. Gols: Rogério Paraíba (SAL) aos 31 e aos 48 minutos do segundo tempo. Amarelos: Rodolfo Potiguar (SAL), Rogério Paraíba (SAL), Neto Moura (SPT), Magrão (SPT), Marcos Tamandaré (SAL), Rithely (SPT) e Oswaldo (SPT), Público: 9.307. Renda: R$ 137.660.

 

 

Blog do Torcedor

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.