Polícia e MPPE investigam funcionários fantasmas e ocultação de documentos no Grande Recife

Por Bruno Fontes, TV Globo

Depois de o prefeito de São Loureço da Mata, Bruno Pereira (PTB), ter sido afastado da administração desse município localizado na Região Metropolitana do Recife na terça (26) por suspeita de fraudes e desvio de dinheiro público, a Polícia Civil e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) investigam a existência de funcionários fantasmas durante a gestão do político. As denúncias foram feitas ao MPPE por moradores e vereadores da cidade.

De acordo com o presidente da Câmara de São Lourenço da Mata, Denis Alves (PTN), foram encontradas irregularidades nos números divulgados pelo Portal da Transparência do município. Com isso, o desvio de dinheiro público pode ser maior do que R$ 20 milhões. Na terça (26), foram encontrados R$ 23 mil na casa do gestor municipal.

“Eu vinha acompanhando o dinheiro que entrava mês a mês. No final de julho, havia R$ 92 milhões. Quando comecei a falar na tribuna da Câmara que estava havendo desvio, eles retiraram os valores e baixou de R$ 92 milhões para R$ 64 milhões”, afirma o vereador. Ainda segundo Alves, o desvio da verba pública ocorria durante processos licitatórios feitos pelo município. “A licitação é feita, o dinheiro sai, mas o produto não entra no município”, afirma.

Durante a operação deflagrada na terça (26), o prefeito de São Lourenço da Mata e dois secretários municipais foram afastados dos cargos públicos por decisão judicial. A sede da prefeitura foi isolada, mas quando os policiais entraram na sala da Secretaria de Administração para apreender contratos de licitação, o armário estava vazio.

 Morador de São Lourenço da Mata flagrou caminhão carregado de documentos perto da sede da prefeitura antes da operação policial (Foto: Reprodução/TV Globo)

Morador de São Lourenço da Mata flagrou caminhão carregado de documentos perto da sede da prefeitura antes da operação policial (Foto: Reprodução/TV Globo)

Através de um vídeo enviado para o WhatsApp da TV Globo, é possível ver que há um caminhão parado na rua lateral da prefeitura com caixas com documentos e computadores 12 horas antes da operação da Polícia Civil. O conteúdo está sob análise da delegada responsável pelo caso, Patrícia Domingos.

A equipe de reportagem também encontrou uma funcionária fantasma que procurou o MPPE ao encontrar seu nome no Portal da Transparência do município. De acordo com os dados expostos na internet, ela seria médica contratada pela Secretaria de Saúde de São Lourenço, com salário de R$ 10 mil. “Formalizei a denúncia, fui ouvida no Ministério Público e estou com uma sensação de alma lavada por estar sendo investigado [sic] todos os crimes que a administração está cometendo aqui no município”, afirmou, sem preferir se identificar.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa de Bruno Pereira informou que irá agendar uma entrevista coletiva para comentar as denúncias.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.