PF faz operação para desarticular quadrilha de sonegação tributária na fabricação e venda de cigarros

Por G1 SP — São Paulo

A Polícia Federal, o Ministério Público Federal (MPF) e a Receita Federal realizam na manhã desta sexta-feira (29) uma operação para desarticular uma organização criminosa que praticava sonegação tributária na fabricação e comercialização de cigarros, além de crimes contra a administração pública.

São cumpridos 31 mandados de busca e apreensão nos estados de São Paulo, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e no Distrito Federal.

Cerca de 130 policiais federais e 40 servidores da Receita Federal cumprem 15 mandados em São Paulo, 1 em São José do Rio Preto (interior de SP), 2 em Recife, 1 em Salvador, 3 no Rio de Janeiro e 9 em Brasília.

A operação Apate investiga a organização criminosa composta por advogados, contadores, operadores financeiros, doleiros, lobistas e ex-funcionários públicos, que prestam serviços ilícitos a diversas empresas nas esferas administrativa e judicial. Essa ação é um desdobramento da operação Fumo, realizada em 2017 em Pouso Alegre (MG).

A principal empresa investigada declarou débitos na Receita Federal, entre 2018 e 2019, de mais de R$ 118 milhões. No entanto, a mesma alega possuir um crédito de R$ 221 milhões, valor fraudulento.

A empresa alvo das apurações teve seu registro especial para a fabricação de cigarros concedido pela Receita Federal em 2014, de forma fraudulenta, a partir da atuação de um ex-auditor fiscal. De acordo com a PF, há provas do pagamento de pelo menos R$18 milhões em propina para diversos envolvidos.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.