Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

O menino que arriscou a vida de 40 mil pessoas ao montar um reator nuclear caseiro

O garoto, que ficou conhecido como “Escoteiro Radioativo”, era fascinado por ciência desde a infância e passou a estuda química aos 10 anos.

Por Isabela Valukas Gusmão, editado por Lucas Soares  

Olhar Digital

O norte-americano David Hahn, de 17 anos, tentou criar um reator nuclear no quintal de sua casa, em 1995, nos EUA. Na época, ele utilizou filtros de café e potes de picles para manusear produtos radioativos, o que colocou em risco a vida de quase 40 mil pessoas.

As autoridades locais de Commerce Township, em Michigan, precisaram intervir na situação para que o desfecho não fosse trágico. O garoto, que ficou conhecido como “Escoteiro Radioativo” era fascinado por ciência desde a infância. Ele passou a estudar química com apenas 10 anos, e aos 14, chegou a fabricar nitroglicerina, um composto altamente explosivo.

A paixão do jovem fez com que ele danificasse o seu quarto com seus experimentos. Diante disso, seus pais mandaram que ele transferisse seu “laboratório” para o galpão no quintal. Foi alojado nesse espaço que Hahn começou a construir um reator nuclear caseiro.

Para isso, três elementos químicos acessíveis foram coletados para concretizar o plano. O jovem coletou tório (retirado de lanternas); rádio (retirado de relógios); trítio (retirado de miras noturnas para armas); e lítio (que ele conseguiu ao comprar mil dólares em pilhas). Além disso, ele contou com o auxílio de filtros de café e potes de picles para manusear produtos químicos perigosos e potencialmente mortais.

Com todos os elementos, Hahn criou uma fonte de nêutrons rudimentar, porém incapaz de produzir combustível fissionável na taxa de outros reatores. Entretanto, o que o jovem não contava -ou talvez contasse- era que o dispositivo já estava espalhando radiação detectável em uma área que cobria várias casas da vizinhança.

As autoridades encontraram o garoto e o galpão

Por acaso, a polícia localizou o galpão de Hahn depois de parar o carro do adolescente e ele ter confessado que carregava no porta-malas do carro material radioativo. O caso se expandiu e as autoridades federais foram acionadas, o que levou a Agência de Proteção Ambiental à porta da família do garoto.

Felizmente, o material foi coletado, descartado e enterrado como lixo radioativo de baixo nível em Utah. Em 2007, o David Hahn voltou a ser investigado pelo FBI por suspeita de tentar construir um novo reator. Na ocasião, ele chegou a ser preso por roubar detectores de fumaça para adquirir amerício, um elemento radioativo. Em 2016, Hahn morreu de overdose aos 39 anos, após sofrer de depressão e abusar de drogas.

Via History

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.