MP instaura inquérito para apurar ação de segurança que tentou impedir que cliente desse almoço para criança em shopping

Por G1 BA

Segurança de shopping tentou impedir que cliente pagasse almoço para o menino (Foto: Reprodução/ TV Bahia)

Segurança de shopping tentou impedir que cliente pagasse almoço para o menino (Foto: Reprodução/ TV Bahia)

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) informou, nesta terça-feira (12), que instaurou um inquérito civil para apurar a ação do segurança que tentou impedir que um cliente comprasse almoço para uma criança carente em um shopping de Salvador. O caso ocorreu na segunda-feira (11) e veio à tona após um vídeo que flagrou a situação ter viralizado nas redes sociais.

O MP disse que instaurou o inquérito civil para apurar a responsabilidade do Shopping da Bahia em possível prática de racismo institucional contra a criança negra.

O caso, conforme o órgão, também será apurado na área de proteção da criança e do adolescente, que já recebeu representações enviadas ao órgão pelo Juizado de Menores e por estudantes de Direito.

A coordenadora do Grupo de Atuação Especial de Proteção dos Direitos Humanos e Combate à Discriminação (Gedhdis), promotora de Justiça Lívia Vaz, informou que o Shopping da Bahia será oficiado para prestar esclarecimentos sobre o ocorrido em um prazo de dez dias.

“Depois de instruído (por meio da coleta de informações e depoimentos), o procedimento poderá resultar em uma recomendação, Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) ou até uma ação civil pública contra o Shopping, inclusive por eventuais danos morais individuais ou coletivos decorrentes da atuação do segurança”, afirmou, em nota enviada à imprensa.

Lívia Vaz explicou, ainda, que a investigação na esfera civil não afasta a responsabilização criminal.

Caso

Polêmica no Shopping da Bahia: segurança tenta impedir cliente de pagar almoço a criança

Polêmica no Shopping da Bahia: segurança tenta impedir cliente de pagar almoço a criança

As imagens do vídeo que foi parar nas redes sociais mostram um cliente se aproximando de um dos restaurantes do shopping acompanhado da criança, supostamente moradora de rua, que teria pedido ajuda para almoçar.

Ao chegarem no local, um segurança se aproxima e orienta que o funcionário do restaurante não venda o prato. O cliente mostra indignação com a abordagem do segurança e insiste na compra: “Ele vai comer, ele vai comer”, disse.

Em um dos momentos do vídeo, é possível ver que o segurança tenta tirar a criança à força da praça de alimentação. A situação gera revolta nos clientes que estavam no local e acompanhavam a abordagem. É possível ouvir uma senhora gritar: “Não faça isso não”.

O cliente, que estava disposto a pagar o almoço, impede que o segurança chegue perto do menino. A situação começou a ficar mais tranquila com a chegada de um supervisor do setor de segurança do shopping, que permitiu que o cliente pagasse a refeição para a criança.

Por meio de nota, o Shopping da Bahia pediu desculpas pela situação e disse que a postura adotada pelo segurança não condiz com o treinamento recebido pelos funcionários, “tanto que a atitude tomada pelo supervisor de segurança reforça o direito do cliente e o acolhimento com a criança”, afirmou.

O shopping ainda informou que “atua em alinhamento com órgãos de defesa dos direitos humanos, como o Conselho Tutelar e o Juizado de Menores”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.