Marinha da Argentina rebate acusação de ministro sobre chamadas do submarino desaparecido

Por G1

A Marinha da Argentina rebateu na quarta-feira (6) a acusação do ministro da Defesa de que teria ocultado chamadas de emergência feitas pelo submarino ARA San Juan antes de desaparecer no Oceano Atlântico.

A empresa Tesacom, que audita as linhas de satélite de um dos sistemas usado pelo submarino, divulgou nesta terça que o ARA San Juan fez 8 chamadas antes de desaparecer. Após a divulgação da empresa, segundo o jornal “El Clarín”, o ministro da Defesa Oscar Aguad acusou a Marinha de ocultar que o submarino tenha reportado emergência e alertado problemas nessas chamadas, o que poderia ter gerado buscas mais rápidas.

No entanto, nesta quarta o porta-voz da Marinha, Enrique Balbi, disse que não foram chamadas de emergência, e que algumas delas, inclusive, não foram chamadas telefônicas, mas “tentativas de conexão com a internet”. Balbi já havia explicado que as chamadas divulgadas pela Tesacom englobam tanto chamadas de telefonia como de dados.

Balbi ressaltou que as principais informações foram divulgadas pela Marinha: “A respeito de todas essas comunicações, as principais foram informadas em tempo e em forma de Porto Belgrano às autoridades de Buenos Aires e ao Ministério da Defesas”, disse.

O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes a bordo no dia 15 de novembro, quando navegava pelo Golfo de São Jorge. O submarino havia zarpado no domingo 11 de novembro de Ushuaia para retornar a Mar del Plata, sua base habitual. Em sua última comunicação, informou que uma entrada de água pelo sistema de ventilação provocou um princípio de incêndio na casa de baterias.

Submarino argentino desaparece no oceano (Foto: Arte/G1)

Submarino argentino desaparece no oceano (Foto: Arte/G1)

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.