Manifestantes marcam ato no Cais José Estelita

Grupo saiu em passeata pelas ruas da Zona Oeste esta manhã  / Foto: Mariana Dantas/NE10Grupo saiu em passeata pelas ruas da Zona Oeste esta manhãFoto: Mariana Dantas/NE10

Menos de uma hora após deixar – cumprindo ordem judicial – o jardim externo que faz parte do prédio onde mora o prefeito do Recife, Geraldo Julio, no bairro da Torre, os integrantes do Movimento Ocupe Estelita marcaram um novo ato para este domingo (10), a partir das 16h. O grupo, contrário às intervenções urbanísticas no Cais José Estelita, irá se reunir na Praça Abelardo Rijo, localizada perto dos galpões do cais.
A decisão foi tomada em assembleia realizada no início da tarde deste sábado, na praça do Mercado da Madalena. Após deixar o prédio, os manifestantes saíram em caminhada até a praça, onde participaram da assembleia e, em seguida, se dispersaram.”Cumprimos a decisão judicial. Em vez de dialogar, o prefeito preferiu mandar a polícia. Mas não vamos nos enfraquecer com conflitos desnecessários e por isso deixamos a rua, mas continuamos unidos”, disse Ernesto de Carvalho, integrantes do Ocupe Estelita.
Os manifestantes estavam acampados desde a última quinta-feira (7) em frente à casa do prefeito, na Rua Neto Campelo, para protestar contra a aprovação do Plano Urbanístico Específico para o Cais José Estelita, Cais de Santa Rita e Cabanga, que permite a implantação do projeto Novo Recife no Cais José Estelita.  O projeto foi aprovado por maioria na Câmara Municipal do Recife na segunda passada e sancionada no mesmo dia pelo prefeito Geraldo Julio.

As barracas dos manifestantes foram montadas no jardim que fica na área externa do edifício de Geraldo Julio. “O condomínio recuou o muro para aumentar a área verde do lado de fora do prédio. Mas o terreno pertence ao edifício, é privado. Por isso solicitamos a reintegração de posse”, explica a síndica Hildete Tenório. Ela disse que agora estava mais aliviada e que começaria a levantar os prejuízos causados pela ação dos jovens, acusados de quebrar uma câmera de vigilância e um refletor, além de pichar os muros do condomínio.

A ordem judicial determinando a saída dos manifestantes foi assinada pelo juiz Djalma Andrelino Nogueira Júnior, ainda na noite dessa sexta. Mas o documento só foi entregue pelo oficial de justiça Leonardo Figueiredo por volta das 9h30 deste sábado. “Conversamos com os representantes do movimento. O diálogo foi tranquilo”, disse Leronardo Figueiredo.

O oficial deu o prazo para saída do grupo até ao meio-dia, mas antes disto, por volta as 10h30, o acampamento estava desmontado. Quando faltavam dois minutos para o fim do prazo, às 11h58, os manifestantes deixaram a rua de mãos dadas e seguiram em caminhada até a praça do Mercado da Madalena.

 

NE10

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.