Givanildo elogia postura do Náutico, mas critica falhas na finalização

Por Lucas LiausuRecife

A estreia do técnico Givanildo Oliveira no comando do Náutico não foi como os alvirrubros esperavam. Nem o treinador. O empate em 0 a 0 neste sábado, diante do Bahia, frustrou o comandante alvirrubro por um lado, mas o deixou com esperança de um futuro melhor. Principalmente porque, na visão dele, o Timbu foi um time aguerrido em campo.

– Fiquei satisfeito com algumas situações e com outras não. Pela maneira que aconteceu, com apenas três dias de trabalho, e pelo que soube de Kuki e Levi Gomes, foi uma diferença do que o time vinha jogando ultimamente. Pelo menos, pela entrega. Jogamos contra um time forte e só sofremos um risco de gol.

Entre os pontos lamentados por Givanildo Oliveira, está o fato de o Náutico não ter conseguido muitas finalizações apesar de, na opinião do treinado, ter criado bastante.

– O lado negativo foi que a gente tinha que ter mais precisão na hora de concluir. Chegamos à linha de fundo e não apareceu ninguém para colocar a bola para dentro. Tivemos que jogar com Bergson como atacante e ele lutou bastante.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.