Frente Al-Nusra reivindica sequestro de 45 soldados da ONU de Fiji na Síria

Membros da Força Observadora de Desengajamento da ONU usam binóculos para ver o lado sírio das Colinas de Golã no sábado (30) após rebeldes sírios tomarem um posto de controle. Forças de paz filipinas entraram em confronto com os rebeldes sírios (Foto: Ahmad Gharabli/AFP)

Membros da ONU usam binóculos para ver o lado sírio das Colinas de Golã no sábado (30) após rebeldes sírios tomarem um posto de controle (Foto: Ahmad Gharabli/AFP)

A Frente Al-Nusra, o braço sírio da Al-Qaeda, reivindicou o sequestro de 45 capacetes azuis de Fiji detidos há quatro dias nas Colinas de Golã na Síria, segundo o centro americano de vigilância de páginas islamitas SITE. Os soldados estavam encarregados de observar a zona entre Israel e Síria

O grupo, que luta contra o regime do presidente Bashar al-Assad na Síria, afirmou que os soldados estavam sendo bem tratados por meio de um comunicado reproduzido pelo SITE na noite de sábado (30).

A ONU indicou que 44 soldados foram capturados por grupos rebeldes, mas não especificou quais. Washington havia acusado a Frente Al-Nusra, que está em sua lista negra de “organizações terroristas estrangeiras”. O Conselho de Segurança da ONU também a incorporou à lista de grupos terroristas.

Em seu comunicado, a Frente Al-Nusra diz deter os capacetes azuis em represália pela cumplicidade da ONU com o regime criminoso de Bashar al-Assad, que trava uma guerra sem piedade contra os insurgentes há mais de três anos.

“Durante todos estes anos, as Nações Unidas está ao lado dos sírios em sua revolução e em sua luta contra o regime criminoso, mas não adotaram nem mesmo uma resolução para colocar fim a estes crimes”, indica o comunicado.

“Por outro lado, a ONU aprovou várias resoluções por unanimidade contra os jihadistas, impondo sanções à Frente Al-Nusra ou colocando-a na lista de organizações terroristas”, acrescenta o texto.

Os capacetes azuis foram capturados após violentos combates entre o exército e grupos insurgentes incluindo a Al-Nusra, perto de Quneutra, na zona tampão delimitada em 1974, onde a Força das Nações Unidas patrulha.

Outros 75 capacetes azuis, filipinos, que estavam bloqueados devido aos combates, estão agora sãos e salvos, segundo o governo filipino.

Um primeiro grupo de 35 soldados filipinos havia sido evacuado de sua posição no sábado (31) por veículos blindados da ONU, depois que rebeldes sírios atacaram seus companheiros que estavam a 4 km de distância, indicou o tenente-coronel Ramón Zagala.

Os outros 40 soldados enfrentaram os rebeldes sírios durante “um tiroteio que durou sete horas”, mas finalmente puderam, se aproveitando da escuridão da noite, chegar a pé a uma posição da ONU a 2 km de onde estavam, disse.

Posteriormente foram levados ao acampamento Ziuani, situado atrás das linhas da ONU, disse Zagala. “Não há mais confrontos. Todos estão em condições seguras”, acrescentou.

 

 

 

Da France Presse

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

contato@encartenoticias.com
jencartnoticias@gmail.com