Forças egípcias matam doze pessoas por engano, incluindo turistas

A polícia e o Exército egípcios mataram neste domingo (13) 12 pessoas, incluindo turistas mexicanos, após atacar por engano seus veículos quando perseguiam jihadistas no oeste do Egito, anunciou o ministério do Interior.

“As forças conjuntas da polícia e do Exército, que perseguiam terroristas em Wahat, no deserto ocidental, abriram fogo por engano contra quatro ‘pickups’ que transportavam turistas mexicanos”, informou o ministério do Interior.

“Doze pessoas morreram e dez ficaram feridas. Entre as vítimas há turistas mexicanos e egípcios” que os acompanhavam.

O deserto do oeste do Egito, muito visitado por turistas, também é bastião de grupos jihadistas, entre eles a facção do Estado Islâmico que decapitou, em agosto, um jovem croata e executa atentados contra as forças de segurança em todo o país.

Reação mexicana
A chanceler do México, Claudia Ruiz Massieu,exigiu do embaixador do Egito no país uma investigação a fundo e explicação do incidente, informou a Chancelaria mexicana.

A Secretaria de Relações Exteriores (SRE) informou em comunicado que “até o momento, infelizmente foi confirmada a morte de dois cidadãos mexicanos produto deste incidente”. A Chancelaria está em processo de identificar e confirmar os nomes dos mortos, disse.

“A Secretaria de Relações Exteriores informa, em relação com o grave incidente ocorrido no Egito, em circunstâncias ainda não esclarecidas, que um grupo de turistas entre os quais há um número indeterminado de nacionais mexicanos foi atacado no deserto a sudoeste desse país”, informou o boletim.

Estado Islâmico
Durante a tarde, o Estado Islâmico no Egito emitiu um comunicado informando ter “resistido a uma operação do Exército no deserto ocidental” neste domingo, “provocando a fuga” de militares.

Os grupos ligados ao EI, como o Estado Islâmico no Egito, e as demais organizações jihadistas egípcias reivindicam com frequência ataques contra as forças da ordem, especialmente na península do Sinai.

No sábado, o Exército anunciou a morte de dois soldados e de 64 combatentes jihadistas em uma grande ofensiva contra o Estado Islâmico na região do Sinai.

 

Do G1, em São Paulo com AFP

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.