Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Exclusivo: coletivo Anonymous dá entrevista e conta os motivos do ciberativismo

Por Eduardo Sorrentino, editado por Jeniffer Cardoso 

Olhar Digital

Você considera que vivemos em uma democracia de verdade? Você acha que os governantes que elegemos nos representam e agem de acordo com nossos interesses? O Anonymous acha que não. E quer construir um Brasil — e um mundo — em que as coisas não sejam mais assim.

Recentemente, o coletivo de ciberativistas alcançou notoriedade outra vez, após vazar documentos da Fib Bank, investigada pela CPI da Covid-19. As informações obtidas pelos hackers agora fazem parte do inquérito da comissão. E agora, o Olhar Digital conseguiu conversar com o coletivo com exclusividade para entender: o que é o Anonymous? O que eles querem?

[Anonymous] “O Anonymous é uma ideia, não um grupo. Ela se materializa pela necessidade de um ideal coletivo, feito do povo para o povo, sem a intervenção e necessidades que atendem apenas a vontade do sistema. Nós somos ativistas que se identificam com a causa da liberdade em todas suas nuances.”

Para responder as nossas perguntas, o grupo realizou uma chamada coletiva, em conjunto, explicando que todas as opiniões que são emitidas fazem parte de um ideal: garantir um mundo livre. E que, na opinião dos Anonymous, está cada vez mais ameaçado.

[Anonymous] “Quando uma autoridade ou empresa passa a prejudicar a população, nós garantimos que ela não vai sair impune. Podemos fazer isso divulgando dados e informações, sequestrando seus sistemas ou apenas modificando sua tela inicial para chamar a atenção da população para um determinado assunto”.

Para defender a democracia e lutar por uma sociedade mais equilibrada, os hackers acreditam que vale tudo. Invadir sistemas, aplicar ataques de DdoS ou até mesmo raptar servidores. O arsenal dos cibercriminosos também faz parte das ferramentas dos ativistas virtuais. E eles garantem que não tem medo de usá-los.

[Anonymous] “Um objeto para destrancar uma porta pode ser usada por um ladrão ou por um chaveiro. O que determina se algo é ético ou não são as intenções de quem usa essas ferramentas.”

Hoje, essas ações estão concentradas nas operações #OpBrasil, #OpCovid19, #OpFIBBANK e #OpAnhanguá — esta última, voltada a defesa dos povos indígenas. E eles avisam: não irão parar.

[Anonymous] “Estamos apenas no começo. Aqueles que continuam lucrando com o sangue brasileiro devem nos esperar. Nós estamos em todo lugar.”

O Olhar Digital perguntou aos ativistas se eles tinham uma mensagem especial para nossos espectadores. E eles declararam que apenas juntos poderemos defender a democracia e criar um futuro melhor…

[Anonymous] Não existimos por estar tudo correto ou justo a todos. Nascemos pelas falhas dos governantes, das injustiças sociais, de dentro da boca faminta, dos olhos dos que esperam auxílio, dos gritos de quem está no escuro. Nos movemos, nos dedicamos, pois desejamos que seja igualmente seguro para cada cidadão se indignar contra os erros dos governantes. Portanto, organizem-se. Mobilizem-se. Os bons são a maioria. Com a organização popular em torno de um objetivo comum nós podemos mudar os rumos da nossa sociedade. A população não deve temer seu governo, o governo é que deve temer sua população.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.