Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Brasil se une à Coreia do Sul para trocar tecnologias de governo digital

Urna eletrônica_corte 690 (Foto: Nelson Jr./TSE)
Urna eletrônica usada nas eleições brasileiras (Foto: Nelson Jr./TSE)

O Brasil vai buscar na nação com a maior velocidade média de internet experiências em economia digital para acelerar a adoção de governo digital no país. Para isso, assinará um acordo com a Coreia do Sul nesta quinta-feira (23) durante o Seminário Internacional Brasil 100% Digital, em Brasília.

Com médias de conexão em torno de 22,2 Mbps, pouco mais de sete vezes a média do Brasil, segundo a Akamai, a Coreia do Sul é o parceiro ideal, na avaliação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. “[O país] tem um ambiente de redes muito avançados, além de aplicações muito desenvolvidas”, afirmou Virgílio de Almeida, secretário de política da pasta.

Tratado como colaboração tecnológica, o acordo visa incentivar a transferência entre empresas, universidades institutos de pesquisa dos dois país. O país asiático é lar de importantes empresas de alta tecnologia, como LG e a Samsung, que produz de celulares como o Galaxy S6 Edge a estaleiros e TVs de tela curva.

Já o Brasil tem a oferecer a escala de adoção de novas tecnologias. Almeida enumera entre os atrativos do Brasil o fato de ser o sexto maior mercado de tecnologia da informação do mundo, ter milhões de consumidores, além de ter aplicações próprias como a urna eletrônica e a declaração digital de imposto de renda.

Além desse acordo, o secretário conta que a Samsung assinará outro acordo com a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadoras (Anprotec), que reúne os grandes parques tecnológicos brasileiros.

Tops digitais
O seminário em que as duas parcerias serão firmadas tratará de ao redor do mundo de ações de governo eletrônico. O evento contará com representantes dos países líderes em governança digital, segundo índice da ONU. Além da Coreia, participarão membros dos governos de Austrália, Cingapura, Holanda e Estados Unidos.

Além deles, países que não despontam nesse ranking, mas também são fortes na digitalização de serviços públicos estarão presentes. Caso disso é a Estônia. “Lá, o cidadão resolve tudo com o governo pela internet. Ele possui uma identidade única na internet e offline. Reduziu totalmente a burocracia”, comenta Almeida.

Startup a serviço do governo
“O que a gente vê é que vários países avançaram e integraram essas aplicações”, diz o secretário, acrescentando que “a ideia é mostrar o estágio em que chegaram.” A partir das discussões expostas na conferência, o governo brasileiro pretende impulsionar a implantação de serviços públicos conectados.

“Temos visto que cada vez mais a possibilidade de usar essas tecnologias para oferecer novos serviços e as demandas da sociedade são algo em que o Brasil têm de investir e têm de explorar mais”, diz Almeida.

A ideia é lançar mão dos instrumentos já existentes para facilitar a migração do governo rumo ao mundo digital. Isso pode incluir um programa de startups para serviços do governo e usar os certificados de software nacional para empurrar o desenvolvimento de aplicações que venham a ser comprados pelo governo. A Casa Civil e o Tribunal de Contas da União também participarão dos debates, que também acontecem nesta sexta-feira (24).

Seminário Internacional Brasil 100% Digital
Onde
: Teatro do Hotel Royal Tulip, Brasília – DF
Quando: dias 23 e 24 de abril, das 8h30 às 18h30
Quanto: Gratuito, mas as vagas são limitadas (incrições encerradas)

 

Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Contra falta de espaço, Japão aposta em cemitérios high-tech

O projeto Stairway to Heaven, do fotógrafo Noriko Hayashi, explora a forma como o Japão lida com a falta de espaço, um problema tanto na vida como na morte (Foto: Noriko Hayashi/PANOS)

O projeto Stairway to Heaven, do fotógrafo Noriko Hayashi, explora a forma como o Japão lida com a falta de espaço, um problema tanto na vida como na morte (Foto: Noriko Hayashi/PANOS)

O projeto Stairway to Heaven, do fotógrafo Noriko Hayashi, explora a forma como o Japão lida com a falta de espaço, um problema tanto na vida como na morte.

Tóquio é uma das maiores metrópoles do mundo, com uma população de cerca de 36 milhões de pessoas. No cemitério Aoyama, por exemplo, uma sepultura pode custar mais de US$ 100 mil (quase R$ 303 mil). Veja galeria de fotos.

Os japoneses estão procurando alternativas para o enterro de entes queridos, como o prédio Shinjuku Rurikoin Byakurengedo, um ossário de vários andares projetado por Kiyoshi Takeyama.

O prédio usa uma tecnologia avançada de automação, desenvolvida pela Toyota, para facilitar o armazenamento e o acesso aos restos mortais.

O projeto Stairway to Heaven é parte da série criada pela Sony Global Imaging Ambassadors, o Futuro das Cidades (www.imagingambassadors.sony.net) e conta com uma exposição na Somerset House de Londres, que vai do dia 24 de abril a 10 de maio.

Os japoneses estão procurando alternativas para o enterro de entes queridos, como o prédio Shinjuku Rurikoin Byakurengedo, um ossário de vários andares projetado por Kiyoshi Takeyama (Foto: Noriko Hayashi/PANOS)
Os japoneses estão procurando alternativas para o enterro de entes queridos, como o prédio Shinjuku Rurikoin Byakurengedo, um ossário de vários andares projetado por Kiyoshi Takeyama (Foto: Noriko Hayashi/PANOS)
Da BBC

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Anvisa simplifica regras para importação de derivado da maconha

Da Folhapress

A partir de agora, pacientes que já obtiveram autorização para importar não precisarão informar a Anvisa a cada novo pedido feito aos fabricantes. / Foto: Fotos PublicasA partir de agora, pacientes que já obtiveram autorização para importar não precisarão informar a Anvisa a cada novo pedido feito aos fabricantes.Foto: Fotos Publicas

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou nesta quarta-feira (22) novos critérios para liberar a importação de produtos à base de canabidiol, um dos derivados da maconha, em casos de tratamentos de saúde.

A partir de agora, pacientes que já obtiveram autorização para importar não precisarão informar a Anvisa a cada novo pedido feito aos fabricantes. A autorização valerá por um ano.

Para isso, a agência reguladora passará a adotar uma lista de produtos para os quais a importação deve ser facilitada. Até agora, cinco deles fazem parte desta lista, os quais correspondem a 95% dos pedidos recebidos pela agência, de acordo com os diretores do órgão.

“Não se trata de uma lista de produtos autorizados ou analisados pela Anvisa, mas sim importados regularmente”, disse o diretor-presidente da agência, Jaime Oliveira.

Entram nesse rol produtos como cápsulas e óleos à base de canabidiol, mas que também possuem traços outros canabinóides, como o THC, que tem efeitos psicoativos. A Anvisa exige que o teor de THC seja inferior ao de canabidiol.

HOSPITAIS

Outra mudança que visa facilitar o processo é a possibilidade de indicação de um “intermediário” que irá efetivamente importar o produto ao paciente, como hospitais, prefeituras ou planos de saúde. Para a Anvisa, a possibilidade de compra por intermediários pode ajudar a reduzir os preços junto aos fabricantes.

O pedido de autorização, no entanto, ainda precisa ser feito pelo paciente ou seus familiares, os quais devem apresentar um laudo técnico sobre o caso, receita médica e termo de responsabilidade. Se obtido, dura até um ano.

A necessidade de autorização ainda ocorre porque, embora a agência tenha liberado em janeiro o canabidiol para uso medicinal, não há produtos à base da substância registrados no Brasil.

Famílias de pacientes reclamam da dificuldade em obter os medicamentos, o que faz com que muitos ainda recorram à compra clandestina. Além das taxas, um dos impasses é a necessidade de ter que retirar pessoalmente o produto nas agências nos aeroportos.

A Anvisa, porém, descarta a possibilidade de que os produtos à canabidiol sejam obtidos por remessa postal. Isso ocorre, segundo a agência, devido a dificuldades na fiscalização e ao risco de criar uma brecha para entrada de produtos ilegais.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Google lança serviço de telefonia móvel

Da AFP

Serviço é baseado em uma tecnologia capaz de detectar a rede mais rápida no local onde o usuário se encontra / Foto: AFPServiço é baseado em uma tecnologia capaz de detectar a rede mais rápida no local onde o usuário se encontraFoto: AFP

O gigante da internet Google anunciou nesta quarta-feira (22) o lançamento de um serviço de telefonia móvel, que só estará disponível por convite. “O Projeto Fi pretende colocá-lo na melhor rede, onde quer que vá”, explica o Google em seu blog oficial.

O serviço é baseado em uma tecnologia capaz de detectar a rede mais rápida no local onde o usuário se encontra e conectar-se a ela automaticamente. O usuário poderá escolher entre uma rede wi-fi gratuita que o Google considere estável ou uma rede de telefonia Móvel 4G LTE.

O Google fechou parceria com as operadoras Sprint e T-Mobile USA, terceira e quarta no mercado de telefonia móvel americano. “Uma vez conectado, criptografamos seus dados para torná-los seguros. Quando não estiver em uma rede wi-fi, vamos conectá-lo a redes de nossos parceiros que garantirem a maior velocidade”, explica a companhia.

A empresa oferece o serviço a um custo fixo de US$ 20 por mês para o serviço básico (chamadas, SMS e cobertura internacional em mais de 120 países), com um adicional de US$ 10 para cada Giga consumido. O serviço vai operar nesta primeira fase apenas no smartphone Nexus 6, fabricado pela Motorola. Os interessados ​​em experimentá-lo nos Estados Unidos poderão solicitar um convite no site fi.google.com.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Airbus vai começar a operar com drones ainda este ano

Foto: AFP.

A Airbus pretende assinar até ao verão um acordo conjunto com a Alemanha, a França e a Itália para a construção de aviões não tripulados, os drones.

Em um primeiro momento o projeto da Airbus para drones será usado por Alemanha, França e Itália, países que lideram o projeto. A ideia é que outros países, como Portugal, sejam incluídos ainda este ano.

O responsável da Airbus considerou que os aviões não tripulados, conhecidos como drones, serão “determinantes na próxima década”. Antonio Barberán afirmou ainda que o avião de transporte estratégico A400M voltará a ser apresentado a Portugal, que há alguns anos abandonou este projeto desenvolvido a nível europeu.

O espanhol se esquivou a falar sobre o KC390, avião da Embraer que Portugal já manifestou a intenção de comprar, e disse que estes dois equipamentos “não são concorrentes”. “O A400M tem por exemplo quase o dobro do tamanho e aplicações muito diferentes do KC390″, declarou. [Com Agência Lusa]

 

MundoBit

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

WhatsApp inclui função de chamadas de voz no app para iPhone

Atualização no Iphone está sendo liberada gradualmente / Foto: ReproduçãoAtualização no Iphone está sendo liberada gradualmenteFoto: Reprodução

O WhatsApp lançou nessa terça-feira (21) uma versão nova de seu aplicativo para o iPhone que inclui as chamadas de voz, lançada primeiramente no Android.

A empresa, que pertence ao Facebook, está liberando gradualmente a atualização (de número 2.12.1) para os usuários. Todos terão a função “nas próximas semanas”, anunciou a empresa.
A diferença entre usar o WhatsApp para ligar para um contato em vez da função telefônica do aparelho é o caminho que faz a voz: no app, assim como acontece no Skype, Hangouts, Viber e outros concorrentes, é transmitida por meio da conexão de internet em vez da rede celular convencional.
Dessa maneira, cobranças com chamadas telefônicas são contornadas, mas o plano de dados é consumido (o que pode também acarretar em pagamentos).
Por outro lado, a qualidade da ligação pode ser pior, caso a conexão seja lenta ou instável.
O WhatsApp diz ter 800 milhões de usuários ativos.
Do NE10

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Lucro da Yahoo despenca 93% no primeiro trimestre

Yahoo (Foto:  Justin Sullivan / Getty Images / AFP Photo )

Yahoo! lucra US$ 21,1 milhões no 1º trimestre (Foto: Justin Sullivan / Getty Images / AFP)

O grupo pioneiro de internet americano Yahoo divulgou nesta terça-feira (21) resultados decepcionantes para o primeiro trimestre do ano, com uma queda de 93% – de US$ 312 milhões para US$ 21,1 milhões – de seu lucro líquido com relação ao mesmo período no ano passado.

Referência em Wall Street, o lucro por ação, sem incluir elementos excepcionais, alcançou apenas 15 centavos, quando os analistas esperavam três centavos mais.

Apesar de o volume de negócios ter subido 8%, a US$ 1,230 bilhão, a cifra é menor do que o esperado pelo mercado.

 

Da France Presse

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Falsa promoção da Disney engana milhares de usuários no Facebook

A página falsa (acima), que copiou as fotos da página oficial (abaixo) (Foto: Reprodução/Facebook)
A página falsa (acima), que copiou as fotos da página oficial (abaixo) (Foto: Reprodução/Facebook)

Uma falsa promoção que promete uma viagem com tudo pago à Disney World está circulando no Facebook e enganando milhares de usuários. O post foi publicado em uma página criada recentemente com as mesmas fotos de capa e de perfil da página oficial da empresa.

A falsa promoção promete viagem à Disney e mais US$ 2 mil em dinheiro (Foto: Reprodução/Facebook)

A falsa promoção promete viagem à Disney e US$ 2 mil em dinheiro (Foto: Reprodução/Facebook)

Desde o último sábado (18), quando foi publicado, já teve mais de 88 mil compartilhamentos e 67 mil curtidas. A página falsa, chamada “Disney World.”, foi curtida por mais de 40 mil pessoas.

O texto em inglês com a falsa promoção diz que a Disney vai dar a 150 pessoas a chance de ganhar, cada uma, 5 passagens com hospedagem de 7 dias em um resort 5 estrelas do complexo, além de passes “fura-fila” para os brinquedos e US$ 2 mil dólares em dinheiro.

“Para participar, apenas curta e compartilhe. Comentários dobram as chances de ganhar”, afirma o post.

Procurada, a Disney confirmou ao G1 que a página não é oficial e que a promoção não existe. A página oficial do parque tem o selo de verificação conferido pelo Facebook a grandes marcas, empresas e celebridades (que pode ser identificado por um símbolo azul ao lado do nome da página).

 

Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Brasileira cria app que poupa água e ganha bolsa em universidade na Nasa

Mariana Vasconcelos, de 23 anos, criadora do Agrosmart (Foto: Divulgação/Agrosmart)
Mariana Vasconcelos, de 23 anos, criadora do Agrosmart (Foto: Divulgação/Agrosmart)

Um aplicativo que conecta o agricultor à sua plantação, reduzindo o consumo de água na irrigação, rendeu a uma brasileira de 23 anos uma bolsa para estudar em uma universidade na Califórnia ligada à Nasa (a agência espacial americana).

A administradora Mariana Vasconcelos, que mora em Itajubá (MG), foi selecionada entre mais de 500 pessoas para representar o Brasil como bolsista na Singularity University. A instituição, que funciona em um centro de pesquisa da Nasa no Vale do Silício, na Califórnia, selecionou empreendedores de 19 países para seu programa de imersão “Call to Innovation”.

Criada na fazenda do pai, Mariana desenvolveu em 2014 o Agrosmart, um aplicativo que promete tornar as plantações “mais inteligentes”.

A tecnologia utiliza sensores espalhados pelo campo, que avaliam a umidade do solo e a presença de pragas, entre outros parâmetros. Esses dados são interpretados pelo aplicativo, que indica ao agricultor os intervalos de irrigação e outras variáveis em tempo real.

Segundo Mariana, a tecnologia proporciona uma economia de água de até 60%. “A gente entende exatamente a necessidade hídrica da planta e calcula todo dia quanto deve irrigar. Às vezes, por desconhecimento, o agricultor utiliza uma quantidade de água muito acima do necessário”, explica.

No Brasil, cerca de 70% da água é utilizada na agricultura, segunda a Agência Nacional de Águas (ANA).

Economia de energia

Mariana com os sócios Raphael Pizzi e Thales Nicoleti (Foto: Divulgação/Agrosmart)
Mariana com os sócios Raphael Pizzi e Thales Nicoleti (Foto: Divulgação/Agrosmart)

Mariana afirma que, além da economia de água, o app também gera economia de energia elétrica e aumento da produtividade. Diz ainda que seu uso é simples. “Queria algo que falasse a linguagem do agricultor. Tenho contato constante com eles, sei de suas dificuldades diárias”, afirma ela, que tem mais três sócios no empreendimento e outros cinco funcionários.

Por enquanto, o Agrosmart está sendo usado em duas fazendas de Minas Gerais, como teste. Em maio deve começar sua comercialização, afirma Mariana. Sua meta é atingir outras dez fazendas até julho e 35 até o fim do ano.

Mariana vai para os EUA em junho. A bolsa custeia suas despesas com passagem, hospedagem e alimentação. Na volta, ela terá direito a fazer um MBA na faculdade de tecnologia Fiap, que representa o programa da Singularity no Brasil.

 

Do G1, em São Paulo

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Google passa a ‘esconder’ sites descalibrados com o mundo móvel

Páginas do Google exibidas no computador e no celular. (Foto: G1)
Páginas do Google exibidas no computador e no celular. (Foto: G1)

As páginas na internet não preparadas para smartphones e tablets estão prestes a escorregar para bem longe do topo de pesquisas feitas no Google. A gigante da tecnologia passa a considerar se um site é amigável a dispositivos móveis como um dos critérios para escondê-lo ou ranqueá-lo entre os primeiros resultados da pesquisa. A novidade vale a partir desta terça-feira (21).

“Essa mudança afetará as pesquisas móveis em todas as línguas ao redor do mundo e irá ter significantes impactes nos nossos resultados de busca”, informou o Google, em fevereiro. Ela é uma resposta da empresa à tendência cada vez maior de a navegação na rede migrar do computador de mesa para dispositivos móveis.

Desce

“Conforme mais pessoas usam dispositivos móveis para acessar a internet, nossos algoritmos têm de se adaptar a essa camada de uso”, comunica o Google. Os algoritmos da ferramenta de busca do Google consideram critérios para privilegiar certas páginas e não outras como relevância, disponibilidade (estar constantemente fora do ar não é bem visto) e balanceamento entre o conteúdo o buscado e o exibido pelo site (os “robozinhos” do Google são capazes de detectar se uma página exibe informações consistentes ou se apenas as reproduzem para se sobressair).

Passa a fazer parte dessa avaliação o chamado “design responsivo”, ou seja, a calibragem de uma página para ser mostrada nas telas de smartphones e tablets. Conta também a performance de conexão site. Se ela é leve o suficiente para carregar considerando as velocidades da internet móvel, menores que as do acesso fixo. O Google já realizou mudanças como essa em seu algoritmo para, por exemplo, “esconder” sites que ofereciam o download pirata de conteúdos.

Agora, a alteração tem forte potencial de mudar a vida de empresas com forte atuação no mundo digital. “Imagina uma loja de comércio eletrônico que não tenha um site móvel e precise do tráfego orgânico do Google. Esse site vai cair no ranking e isso pode gerar impacto na receita dessa empresa”, afirma Vinícius Agostini, gerente de marketing da Exceda, empresa que turbina a performance de serviços conectados.

Sobe
O caminho do Google até a completa adoção do chamado “design responsivo” como critério de ranqueamento foi construído aos poucos. No ano passado, começou a mostrar aos internautas quais eram os sites calibrados para o mundo móvel.

Para tornar a navegação mais próxima da rotina dos smartphones, a busca passou a informar não só páginas mas também aplicativos que pudesse contemplar as pesquisas. Ainda que seja um desafio, a mudança pode se tornar uma oportunidade. “Com essa mudança, se você fizer uma busca por ‘controle financeiro’, o Google vai mostrar apps que tratem desse tema”, afirma Agostini. Essa opção só vale se o usuário já tiver o aplicativo instalado. “Agora, o Google vai priorizar páginas de serviços q são bons para o meio que a pessoa está usando”, completa o executivo.

 

Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.