Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Juiz dos EUA autoriza envio de papéis de divórcio pelo Facebook

Facebook atualizou 'padrões da comunidade' para barrar discursos de ódio (Foto: Reprodução)

Facebook atualizou ‘padrões da comunidade’ para barrar discursos de ódio (Foto: Reprodução)

Um tribunal de Justiça de Nova York autorizou que uma enfermeira enviasse os papéis de divórcio ao seu esposo via mensagens doFacebook, segundo reportagem publicada pelo jornal “New York Daily News” nesta segunda-feira (6).

A decisão foi emitida pelo juiz Matthew Cooper, da Suprema Corte de Justiça de Manhattan, na semana passada. O pedido foi feito por Ellanora Baidoo, de 26 anos. Segundo o jornal, Cooper afirmou que a ela “foi concedida a permissão de notificar o réu sobre a citação no processo de divórcio usando mensagens privadas por meio do Facebook”.

O juiz chegou a especificar a frequência com que as mensagens deveriam ser enviadas. “Esse trâmite deve ser repetido pelo advogado da reclamante uma vez por semana durante três semanas ou até que o réu tome conhecimento”, afirmou Cooper, na decisão.

Baidoo e seu marido, Victor Blood-Dzraku, formalizaram a união em um casamento civil realizado em 2009. Segundo o advogado da enfermeira, Andrew Spinnell, o relacionamento degringolou quando o homem não cumpriu a promessa de terem um casamento tradicional de Gana, país natal dos dois. “Ela queria os familiares dela lá”, afirmou o advogado.

Devido a esse desentendimento, os dois nunca moraram juntos, segundo o advogado, e mesmo assim Blood-Dzraku não quer o divórcio. Como o último endereço fixo que Baidoo tem de seu marido é um apartamento que ele deixou em 2011, os dois só se comunicam por telefone e Facebook.

Segundo Spinnell, a enfermeira já até contratou um escritório de detetives particulares para achar o homem. “Ele também se negou a se tornar disponível para receber a notificação dos papéis do divórcio”, afirmou o juiz, justificando sua decisão. De acordo com o advogado, ainda não houve resposta dos contatos iniciados na semana passada.

 

Do G1, em São Paulo

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Telescópio Hubble completa 25 anos com prazo para se aposentar. Veja imagens

Foto:Divulgação.

O satélite Hubble completa 25 anos no próximo dia 24 de abril. O Telescópio Espacial foi lançado em 1990 pela Nasa na Estação Kennedy, na Ilha Merritt, nos Estados Unidos. Durante a missão, mais de 1 milhão de observações já foram registradas e serviram de fonte para a publicação de cerca de 12 mil artigos científicos. A Nasa anunciou planos de sua “aposentadoria”, que irá acontecer em 2030.

O Hubble é capaz de completar uma órbita ao redor da Terra em cerca de 95,5 minutos na velocidade média de 28 mil quilômetros por hora. Ou seja, o instrumento astronômico pode dar 14 voltas no planeta Terra dentro de 24 horas. O site SATVIEW exibe, em tempo real, o percurso do satélite e mostra dados de latitude, longitude, a distância entre o observador e o objeto, altitude, velocidade e, por fim, o azimute e a elevação – coordenadas necessárias para saber a posição do céu em que devemos olhar ou apontar uma antena. Para acompanhar a rota do telescópio, acesse este link.
Legado

Um dos marcos do Hubble é a medição precisa da distância das cefeidas – estrelas com luminosidades variáveis que determinam o ritmo de expansão do universo e sua idade. Verificou com precisão as propriedades das galáxias mais próximas e a massa dos buracos negros encontrados em seus núcleos.

A nebulosa M16, uma das maiores descobertas do Hubble. (Divulgação).

Histórico

Em 1994, o satélite captou um momento histórico no mundo da astronomia: a colisão do cometa Shoemaker-Levy 9 com Júpiter. Os registros do planeta foram os mais nítidos desde a passagem da nave robótica Voyager 2 em 1979. Recentemente, o telescópio descobriu a existência de água em Ganimedes, a lua de Júpiter. Além destes fatores, o objeto também ajudou na popularização da ciência, já que suas atividades são úteis para informar o público sobre os acontecimentos mais marcantes dos corpos celestes.

Até o lançamento do Hubble, o instrumento científico mais importante na astronomia era a luneta de Galileu Galilei. Da mesma forma que a invenção do século XVII proporcionou um avanço significativo para a civilização, o telescópio deu um salto ainda maior e trouxe uma nova visão do universo. Medindo 13,3 metros de comprimento, 2,4 metros de diâmetro e pesando 24.500 libras, o satélite gera cerca de 10 terabytes de dados por ano a 569 quilômetros acima da superfície da Terra. Seu objetivo é investigar as características físicas e dinâmicas dos corpos celestes, observar a estrutura das estrelas e galáxias e estudar a história da evolução do universo.

Nesses 25 anos, a Nasa já enviou cinco missões de reparos técnicos ao objeto, sendo a última em maio de 2009. Segundo Felicia Chou, relações-públicas da agência, Hubble continuará em órbita até 2030, aproximadamente. O motivo da desativação é o lançamento do telescópio sucessor James Webb, previsto para 2018. [Do Portal EBC]

veja mais imagens feitas pelo Hubble. Mais aqui.

hubble4

hubble3

hubble2

MundoBit

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

‘Super Doomed’n Damned’, feito por um só brasileiro, sairá para Xbox One

Desenvolvido por uma única pessoa, o brasileiro Claudio Lins, o game de plataforma “Super Doomed’n Damned” teve seu lançamento confirmado para Xbox One, Wii U e PC. A previsão de chegada é o segundo semestre de 2015.

Os jogadores mais velhos irão reconhecer o estilo de “Super Doomed’n Damned” de cara. O game lembra bem os clássicos mais cascudos do seu gênero, como “Ghosts’n Goblins” e os primeiros “Castlevania”, em que as fases são cheias de inimigos, os chefes ocupam toda a tela e uma única porrada pode decretar o fim da partida.

“A ideia era fazer um jogo moderno, com visual atual e tecnologia nova, mas seguindo o clima e o ‘gameplay’ dessa época do início dos [consoles] 16-bit”, diz Claudio, em conversa com o G1. “É um jogo de plataforma tradicional, com os níveis bastante inspirados nos anos 1990. Hoje em dia poucos games têm essa ‘vibe’ mais arcade”.

Nascido em Recife (PE) e ligado ao desenvolvimento de games desde 1999, Claudio conta que começou a trabalhar sozinho e em sua empresa, a Arc-Gen, quando se mudou para Helsinque, na Finlândia. Ele acompanhou a esposa, que aceitou uma proposta no país para ser game designer na Super Cell, criadora do hit de smartphones “Clash of Titans”.

'Super Doomed'n Damned' lembra clássicos 'Ghosts'n Goblins' e 'Castlevania', de alto nível de dificuldade (Foto: Divulgação/Arc-Gen)
‘Super Doomed’n Damned’ lembra clássicos ‘Ghosts’n Goblins’ e ‘Castlevania’, de alto nível de dificuldade (Foto: Divulgação/Arc-Gen)

Responsável sozinho pela arte, o código, a animação e “tudo mais” do game, o brasileiro diz que o fato de ser um exército de um homem só fez com que ele estudasse conhecimentos que não são da sua área de formação, que é o design.

“Eu sempre trabalhei em equipes com até 40 pessoas. A vantagem é que quando se tem mais recursos e profissionais com habilidades diferentes, você pode explorar mais as áreas. Quando se está trabalhando sozinho, você tem que otimizar tudo e nunca vai dar tempo”, conta.

“É uma experiência bem diferente, até porque eu tive que fazer muita coisa que não era da minha área, como programar. No final, é muito bom ter algo em que você tomou todas as decisões. Mas dá muito trabalho”.

'Super Doomed'n Damned' usa outro motor gráfico e tem um visual mais caprichado em relação ao game original (Foto: Divulgação/Arc-Gen Games)

‘Doomed’n Damned’ foi lançado originalmente só para PC e Mac (Foto: Divulgação/Arc-Gen Games)

Chegada aos consoles
Assim como algumas de suas musas inspiradoras, o “Super” de “Super Doomed’n Damned” não está no nome por acaso. O game de Xbox One e Wii U é uma edição turbinada de “Doomed’n Damned”, originalmente lançado apenas para PC e Mac.

A programação em HTML 5 do primeiro jogo foi substituída pelo motor gráfico Unity, e o visual ficou mais caprichado com um toque de profundidade.

“Essa é uma versão melhorada em tudo. O primeiro já era em HD, mas todo com cenários em 2D. E o motor gráfico não rodaria bem em consoles. Por isso, preferi mudar de ‘engine’, trabalhar melhor os planos de fundo em 3D e colocar mais efeitos visuais”, diz Claudio.

A ideia de aprimorar “Doomed’n Damned” surgiu enquanto o brasileiro aprovava seu jogo na loja virtual Steam e conversava com Nintendo e Microsoft para portá-lo para os videogames. Uma empresa de Barcelona, na Espanha, mostrou interesse no game e as partes fecharam um acordo para trabalhar na nova versão.

“O jogo original eu fiz sozinho, mas como esse era para PC e consoles, preferi ter ajuda para lançar mais rápido”, relata Claudio, que diz estar usando a forcinha extra na adaptação do código do game para “trabalhar melhor o design e arte do jogo”.

Claudio demonstrou seu game na A MAZE 2014, feira de games indie na Alemanha, e pretende levá-lo este ano à E3 2015, em Los Angeles (EUA). Seu desejo é lançar “Super Doomed’n Damned” para outras plataformas. “Eu estou falando com a Sony há algum tempo, mas ainda não rolou. Mas sim, quero lançar para PlayStation 4 e PS Vita eventualmente”.

'Doomed'n Damned' foi demonstrado na feira de games indie A MAZE, na Alemanha (Foto: Arquivo pessoal/Claudio Lins)
‘Doomed’n Damned’ foi demonstrado na feira de games indie A MAZE, na Alemanha (Foto: Arquivo pessoal/Claudio Lins)
Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Criador de site de ‘vingança pornô’ pega 18 anos de prisão nos EUA

Kevin Christopher Bollaert, de 28 anos, durante o pronunciamento de sua sentença no tribunal de San Diego, na sexta-feira (3) (Foto: AP)

Kevin Christopher Bollaert, de 28 anos, durante o pronunciamento de sua sentença no tribunal de San Diego, na sexta-feira (3) (Foto: AP)

Um homem de San Diego, na Califórnia (EUA), foi condenado a 18 anos de prisão por operar um site de “vingança pornô”, em que expunha imagens sensuais de mulheres e cobrava dinheiro para apagar as fotos. Kevin Bollaert havia sido condenado em fevereiro por roubar identidades e extorsão na Corte Superior de San Diego.

Segundo a promotoria, ele estava por trás do site ‘ugotposted.com’, onde pessoas postavam imagens de ex-parceiras nuas, que tinham que pagar a Bollaert para retirá-las. As cerca de 10 mil imagens custaram às vítimas seus empregos, relacionamentos e levaram a uma tentativa de suicídio. Segundo a promotoria, Bollaert ganhou cerca de US$ 30 mil com as extorsões.

O site “transformou a humilhação pública e a traição em uma mercadoria que pode destruir vidas”, afirmou a procuradora-geral da Califórnia, Kamala Harris. A página de Bollaert também continha os dados da pessoa, seu endereço e página no Facebook. Em outubro de 2013, o governador da Califórnia, Jerry Brown, promulgou uma lei que proíbe as páginas de “vingança pornô”.

 

Da Associated Press

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

O que fazer quando o seu celular fica lento?

G1 testou: veja as novidades do iOS 7, novo sistema do iPhone e do iPad (Foto: Reprodução/G1)

iOS 7, novo sistema do iPhone e do iPad (Foto: Reprodução/G1)

O que fazer quando o celular está tão lento que demora até para realizar as tarefas mais simples, como enviar uma mensagem de texto?

Independentemente do sistema operacional do aparelho, é possível adotar algumas medidas que ajudam o celular a funcionar mais rápido.

A BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC, compilou algumas delas:

Apagar, apagar, apagar
Pode não ser fácil, mas apagar arquivos – fotos, vídeos, músicas, mensagens de texto e voz, longas conversas registradas no WhatsApp, downloads feitos nos últimos meses (ou anos) – é um primeiro passo para agilizar o celular.

Aplicativos que não estão sendo usados também se incluem neste grupo. Muitas vezes instalamos apps, usamos uma ou duas vezes e esquecemos deles, mas eles ocupam espaço.

Reiniciar
Outra ação simples é reiniciar o aparelho. Se ele funciona com o sistema Android, a reiniciação pode ser feita com o mesmo botão usado para ligar e desligar.

No sistema iOS, é preciso desligar o celular pressionanto o botão no canto superior direito e voltar a ligá-lo.

Fechar apps que não estão sendo usados
Por esquecimento ou praticidade, muitas vezes deixamos os aplicativos abertos, mesmo sem usá-los.

Quando vários estão abertos, às vezes por dias ou semanas seguidas, o celular fica mais lento.

Tanto nos celulares iOS como nos Android, isso pode ser corrigido com um toque na tela sobre o aplicativo a ser fechado para, então, deslizar o dedo.

Para usuários do Android
A informação armazenada na memória “cache” do celular reduz o tempo que o dispositivo necessita para cumprir uma função, porque permite ao sistema acessar essa informação com facilidade. Sendo assim, é útil para acelerar o telefone.

No entanto, há aplicativos que armazenam dados que consumem espaço no telefone – e que, em alguns casos, podem afetar o bom funcionamento deles próprios.

Para resolver esse problema, Jerry Hildenbrand, colunista do site AndroidCentral, especializado no sistema operacional do Google, recomenda:

“No caso específico de um app, a memória ‘cache’ é eliminada seguindo as instruções de sua página de informação. Mas também pode-se fazer uma limpeza geral pela função ‘dados de cache’, na seção de armazenamento do dispositivo, nas configurações”, diz Hildrebrand.

Já Mark Wilson, colunista de outra publicação especializada, o AndroidPit, sugere “eliminar da tela os ‘widgets’ (espécie de aplicativo com funções limitadas) que não são usados com frequência”.

E agrega: “Se o ‘launcher’ (algum dos múltiplos desenhos usados na tela principal para organizar os ícones) tiver animações e efeitos especiais, vale a pena rever sua configuração porque eles desaceleram o telefone”.

Para usuários do iOS
David Price, da publicação especializada MacWorld, tem várias ideias para que os celulares Apple funcionem com rapidez:

– Atualizar o sistema operacional sempre que possível
– Desativar todas as funções automáticas oferecidas pelo dispositivo. Isso pode ser feito na seção de “configurações”; “iTunes e AppStore”; “apagar downloads automáticos” (isso é útil para usuários iOS7 e iOS8).
– Uma opção mais radical é “restaurar” o telefone a partir de uma cópia do back-up da informação armazenada no aparelho. Isso se consegue com a função “restaurar o back-up” no iTunes (com base no back-up mais recente que você tiver feito no computador), quando o celular estiver conectado a um computador Mac.

Lisa Eadicicco, do site Business Insider, dá mais uma sugestão: “Trate seu iPhone como se fosse um computador. Isso quer dizer que você tem que regularmente limpar o histórico do navegador, selecionando a função ‘limpeza de cookies’ no Safari. Você encontra isso na seção ‘configuração’.”

 

Da BBC

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Microsoft completa 40 anos neste sábado

Com informações do Estadão

Bill Gates enviou carta de aniversário da empresa a seus funcionários / Foto: AFPBill Gates enviou carta de aniversário da empresa a seus funcionáriosFoto: AFP

A empresa de tecnologia Microsoft, criada por Bill Gates e Paul Allen em 1975, completa neste sábado (4) 40 anos.

Bill Gates enviou uma carta para os funcionários pelo aniversário da empresa, e disse que deve pensar no futuro e não no passado. O texto diz que, daqui para frente, a Microsoft deve focar em conectar todas as pessoas e garantir o acesso de todos a dispositivos tecnológicos.

Segundo a revista Forbes, Bill Gates é o homem mais rico do mundo, com fortuna estimada em US$ 79,2 bilhões.

Confira na íntegra a carta que ele enviou aos funcionários:

“Amanhã é um dia especial: o aniversário de 40 anos da Microsoft

Inicialmente, Paul Allen e eu nos colocamos a meta de pôr um computador em cada escritório e em cada casa. Era uma ideia original e muitas pessoas achavam que nós estávamos fora de si por imaginar que isso seria possível. É maravilhoso pensar em quão longe a computação chegou desde então, e nós todos podemos nos sentir orgulhosos do papel que a Microsoft assumiu nessa revolução.

Hoje, no entanto, eu estou pensando muito mais no futuro da Microsoft do que no passado. Eu acredito que a computação vai evoluir mais rápido nos próximos 10 anos do que no passado. Nós já vivemos em um mundo multiplataforma e a computação vai se tornar ainda mais pervasiva. Estamos nos aproximando do ponto onde computadores e robôs estarão aptos a ver, se mover e interagir naturalmente, desbloqueando muitas novas aplicações e empoderando as pessoas ainda mais.

Sob a liderança de Satya Nadella, a Microsoft está melhor posicionada do que nunca para liderar esses avanços. Nós temos os recursos para conduzir e resolver problemas difíceis. Nós estamos engajados em cada faceta da computação moderna e temos o mais profundo compromisso com pesquisa na indústria. No meu papel de conselheiro técnico do Satya, eu participo da revisão de cada produto e estou impressionado com o talento e a visão que eu vejo. O resultado é evidente em produtos como Cortana, o Tradutor do Skype e as HoloLens – e estas são apenas algumas das muitas inovações que estão a caminho.

Nos próximos anos, a Microsoft terá a oportunidade de alcançar mais pessoas e organizações ao redor do mundo. A tecnologia ainda está fora do alcance para muitas pessoas, porque ela é complexa ou cara, ou porque elas simplesmente não têm acesso. Então eu espero que vocês pensem no que podem fazer para tornar o poder da tecnologia acessível para todos, para conectar as pessoas umas com as outras e tornar a computação pessoal disponível em todos os lugares ainda que as funções de um PC estejam hoje dentro de todos os aparelhos.

Nós temos conquistado muitas coisas juntos ao longo de 40 anos e empoderamos incontáveis negócios e pessoas que perceberam seu potencial. Mas o que importa agora é o que faremos depois. Obrigada a vocês por fazerem da Microsoft uma empresas fantástica agora e pelas décadas que virão.”

 

Do NE10

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Microsoft lança app de scanner para Android e iOS

Da Folhapress

Com app, é possível criar PDFs e arquivos DOC ou PPS (PowerPoint) usando a câmera do celular / Foto: Microsoft/DivulgaçãoCom app, é possível criar PDFs e arquivos DOC ou PPS (PowerPoint) usando a câmera do celularFoto: Microsoft/Divulgação

A Microsoft lançou na quinta-feira (2) o Office Lens, um aplicativo para digitalização de documentos, páginas de livros ou de superfícies como lousas em versão para Android e para iOS.

O app, que tem integração ao OneDrive (armazenamento em nuvem) e ao Word, ao Excel e demais programas do pacote Office, já tinha sido lançado para a plataforma da casa para celulares, o Windows Phone.

Com ele, é possível criar PDFs e arquivos DOC ou PPS (PowerPoint) usando a câmera do celular. Há ajuste automático de luminosidade, contraste e ângulo para deixar a digitalização impecável (ou, dependendo da qualidade da captura, menos indecente).

O app também tem a capacidade de interpretar detalhes de contato de um cartão de visitas.

Para usar a edição para Android, é preciso entrar na página dedicada ao programa, ainda em fase de teste público, clicar em “join community” e, depois, em “become a tester”. O download para iPhone é normal, pela App Store.

Na sua página de download na versão original, a enorme maioria dos usuários exalta o Office Lens: 1.433 avaliações dão média de 4,5 de 5 estrelas ao software.

Em janeiro, o Evernote lançou uma ferramenta parecida, o aplicativo Scannable para iPhone.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Lançado em meio a descrédito, Ipad comemora cinco anos

Da Folhapress

Tablet é usado para ler revistas, jornais e livros, assistir filmes e séries, atualizar as redes sociais, anotar recados e compromissos / Foto: DivulgaçãoTablet é usado para ler revistas, jornais e livros, assistir filmes e séries, atualizar as redes sociais, anotar recados e compromissosFoto: Divulgação

Lançado em 3 de abril de 2010 pelo então líder da Apple, Steve Jobs, o produto levantou uma questão: para que serviria aquilo?

A resposta, hoje, parece óbvia: o tablet é usado para ler revistas, jornais e livros, assistir filmes e séries, atualizar as redes sociais, anotar recados e compromissos.

“O iPad é um minicomputador cuja interface parece um iPhone expandido”, tentou explicar o próprio Jobs durante a cerimônia de apresentação para o público.

O termo “tablet” causou até discussões sobre que tradução seria mais apropriada na edição impressa. O termo em inglês acabou sendo o escolhido.

“IPHONE DE ITU” – A Folha de S.Paulo, na época, publicou uma análise chamando o tablet de iPhone de Itu e afirmando que a Apple estava voltando a 1989, quando tentou pela primeira vez criar um minicomputador, o “Macintosh Portable”.

“Não tem câmera, tampouco entrada USB. Não roda páginas em flash. Executa só uma tarefa por vez. Embora seja um portátil, não vem com GPS. A não ser que você use um macacão, não entrará no seu bolso”, pregava a crítica.

Outras piadas também foram feitas comparando a imagem de Steve Jobs segurando o iPad com a figura de Moisés levantando a tábua com os Dez Mandamentos.

Mas havia entusiastas que apostavam que o novo brinquedo do profeta hi-tech iria exterminar o mercado de eReaders e netbooks nos meses seguintes -ou pelo menos pautá-lo. De quebra, salvaria os conglomerados de mídia, que contariam com a renda das plataformas on-line para fechar as contas.

Uma enquete foi feita aos leitores, em janeiro de 2010, com a pergunta “o iPad vai repetir o sucesso do iPod, lançado em 2001?”. A maioria (67%) respondeu que “não”.

Porém, na primeira semana de distribuição do produto nos Estados Unidos, a Apple já anunciava que iria atrasar em um mês o lançamento internacional do tablet “devido às vendas acima do esperado nos mercado americano”.

Em dois meses, a Apple anunciou ter vendido mais de 2 milhões de unidades do iPad. E, em menos de um ano após o lançamento, os aplicativos já representam uma indústria que movimentava R$ 50 milhões por ano.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Justiça obriga operadoras a manter acesso à internet após fim da franquia no MA

Foto: AFP.

Um juiz no Maranhão determinou que as operadoras devem seguir fornecendo internet aos clientes mesmo após o fim da franquia de dados. A medida vem depois da polêmica política do mercado de acabar com a “internet ilimitada”, que permitia aos usuários continuar navegando, mas em velocidade reduzida, após o fim do contratado no plano.

O juiz Douglas de Melo Martins, titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, entendeu que a alteração do contrato, embora permitida pela Anatel, “é abusiva, conforme o Código de Defesa do Consumidor”. Segundo ele, os clientes têm direito a usar a internet mesmo após o fim da franquia.

A determinação tem caráter liminar e estipula multa diária de R$ 10 mil para as operadoras que não acatarem a decisão. O juiz acatou na sexta-feira (27) o pedido do Procon-MA (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor do Consumidor do Maranhão).

“As operadoras fizeram essa mudança com base em uma resolução da Anatel (Agência Nacional de Telefonia), que ‘permitia’ que elas alterassem o contrato firmado com seus clientes. Só que a prática de alterar o contrato é abusiva, conforme o Código de Defesa do Consumidor”, disse o juiz.

Outro lado

Procurada pelo NE10, a Claro disse por meio de sua assessoria de imprensa que não comenta decisões judiciais. A Tim disse que não foi informada da decisão, mas que “no entanto, reitera que está à disposição para prestar os esclarecimentos que forem necessários.”

Já a Telefônica Vivo informa que não foi citada na ação judicial mencionada pela reportagem. A Oi também disse que não foi notificada. E deu justificativas para a atual política de interrupção da conexão após o fim da franquia. “A companhia acrescenta que a prática de bloqueio de navegação após o consumo da franquia é usual em vários países do mundo, motivada pela melhora de experiência de uso não somente para o cliente que navega em velocidade reduzida, mas para todos os demais clientes que trafegam na rede”.

Veja a íntegra da nota: A companhia acrescenta que a prática de bloqueio de navegação após o consumo da franquia é usual em vários países do mundo, motivada pela melhora de experiência de uso não somente para o cliente que navega em velocidade reduzida, mas para todos os demais clientes que trafegam na rede. Isso ocorre pois em velocidade reduzida o cliente leva muito mais tempo para realizar uma atividade que muitas vezes não consegue concluir, e com isso fica com percepção negativa do uso da rede de dados. Além disso, como o cliente fica mais tempo conectado e tecnicamente a rede tem um limite de acessos simultâneos, outros clientes que não tenham esgotado sua franquia tem dificuldade para acessar a rede.

O aumento da navegação na internet foi potencializado pela acelerada penetração de smartphones e demanda por redes sociais, vídeos, aplicativos de mensagens (Ex. Whatsapp), etc. Nos 4 meses em que a Oi está adotando esse modelo no pré-pago e controle, já houve melhora significativa nos indicadores de qualidade de rede exigidos pela Anatel. A empresa acrescenta que, por liberalidade, aumentou a franquia dos seus pacotes semanais e mensais.

 

 

MundoBit

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Eclipse da Lua Sangrenta acontece nesta sexta, mas não poderá ser visto no Brasil

Foto: Divulgação.

Chamado popularmente de “Lua Sangrenta” ou “Lua de Sangue”, um eclipse lunar está previsto para a madrugada da sexta para sábado (4). O fenômeno em que a Lua é coberta pela sombra da Terra e acaba ficando avermelhada poderá ser visto da Ásia, região do Pacífico e América do Norte. Desta vez, os brasileiros não vão poder ver o eclipse.

De acordo com informações da Nasa, o eclipse total (em que a Lua é completamente encoberta) deve durar apenas 12 minutos. O eclipse parcial deve durar cerca de três horas e meia e a penumbra (como a sombra começa a atingir a Lua) deve durar quatro horas e cinquenta minutos.

 

MundoBit

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.