Google anuncia compra de serviço de música online Songza

16nnnnuygr4387rtg3487vb308vo30v03vO Google anunciou nessa terça a aquisição do serviço gratuito de músicas online Songza, o que vai permitir o reforço do seu próprio serviço, o Google Play Music.

O preço da compra não foi divulgado, mas a imprensa americana estimou o valor em aproximadamente 15 milhões de dólares. “Estamos felizes de anunciar que fazemos parte do Google”, declarou o Songza em sua página oficial. “Não podemos pensar em uma empresa melhor para nos unir em nossa missão de oferecer a trilha sonora perfeita para qualquer momento”, acrescentou o site.

O serviço, que diz contar com 5,5 milhões de usuários, ressaltou que não estão previstas mudanças imediatas, além de tornar-se mais rápido, inteligente e “ainda mais divertido de usar”. De acordo com especialistas, não foi o catálogo ou o número de usuários do site que interessou o Google, mas sim sua maneira diferenciada de tratamento do conteúdo.

O Songza sugere listas de reprodução baseadas no lugar onde os usuários se encontram, seu estado de espírito ou a atividade que estão realizando, como trabalho ou exercícios. Atualmente o Google Play não oferece opção semelhante.

Os concorrentes do Songza – Pandora, Spotify e iTunes Radio – propõem músicas baseadas nos artistas e gêneros mais escutados por seus usuários. [Da AFP]

 

 

MundoBIT

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Orkut sairá do ar antes do final do ano

16ttttttt3ry4378yt8743tg083g3gtgghhjApós dar adeus ao serviço de mensagens instantâneas MSN (ou Windows Live Messenger), no ano passado, chegou a hora de os usuários da internet se despedirem de mais um serviço que fez parte da história de muitos. A Google do Brasil, responsável pelo site, decidiu que o fim da maior rede social do mundo até 2011, o Orkut, deve chegar até o final deste ano.

A justificativa da empresa é de que, ao longo da última década, outros sites como o Youtube, Blogger e Google+ tiveram um grande crescimento e, por isso, é hora de “concentrar nossas energias e recursos para tornar essas outras plataformas sociais ainda mais incríveis para todos os usuários”.

A data para que o site seja descontinuado é o dia 30 de setembro de 2014, mas a partir desta segunda, novos usuários não poderão mais ingressar na rede social. A informação já está disponível na Central de Ajuda do Orkut.

Até o dia 30 de setembro, no entanto, a notícia não terá impactos para as pessoas que ainda utilizam a rede social. Em outras palavras, eles poderão exportar as informações do seu perfil, mensagens de comunidades e fotos usando o Google Takeout (disponível até setembro de 2016).

Apesar da despedida do Orkut, as comunidades, que fizeram sucesso ao longo da história da rede social não irão sumir. Para preservar a memória, o Google fará um arquivo com todas as comunidades públicas, que ficarão online a partir do dia 30 de setembro. Se o usuário não quiser que seu nome ou posts sejam incluídos no arquivo, será necessário que ele remova o Orkut permanentemente da conta do Google.

Mesmo com a migração de muitos usuários para outras redes sociais, como o Facebook, algumas pessoas ainda utilizam o Orkut. Este é o caso do estudante de jornalismo Henrique Souza, de 23 anos. Apaixonado por futebol, Henrique encontrou na rede social o espaço para debates construtivos.

“Entrei no Orkut em 2005 e até hoje eu ainda tenho um perfil. Quando comecei a usar, lembro que tinha muita gente, as comunidades eram mais visitadas e comentadas. Hoje em dia muita gente saiu e, apesar de parecer algo ruim, para mim foi melhor. Agora só quem realmente está interessado em ter debates construtivos ficou”, declara o estudante.

Para ele, o fim da rede social é lamentável. “Por incrível que pareça, tem muita gente que acha o Orkut útil, como eu. Claro que para ter contatos e conversar com os amigos, por exemplo, o Facebook é bem mais eficiente. Mas o Orkut tem suas vantagens e vai deixar saudades”, completou.

Para os usuários como Henrique, a Google deixa o recado: “Foram 10 anos inesquecíveis. Pedimos desculpas para aqueles que ainda utilizam o Orkut regularmente. Esperamos que vocês encontrem outras comunidades online para alimentar novas conversas e construir ainda mais conexões, na próxima década e muito além”.

 

 

 

MundoBit

Foto: Reprodução/Internet

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Governo investe R$ 7 milhões em tecnologias voltadas para deficientes

16tttttcu234gr4387rtg082347gv03tv34y678io90A Finep quer incentivar tecnologias voltadas para pessoas com deficiência. Serão 7 milhões de reais este ano, investidos em projetos escolhidos em um edital.

Serão cinco projetos selecionados no edital de Tecnologia Assistiva, lançado em dezembro do ano passado. As propostas, que englobam pesquisa tecnológica e inovação, serão desenvolvidas por instituições de pesquisa científica e tecnológica (ICTs), públicas ou privadas sem fins lucrativos, em parceria com empresas brasileiras. Os recursos são do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – FNDCT.

As tecnologias vão atender pessoas com deficiência, idosas e com mobilidade reduzida. Os projetos aprovados incluem desenvolvimento de tecnologias prioritárias para as compras públicas de produtos assistivos dos ministérios da Saúde e da Educação, viabilizando sua fabricação em território nacional e com preço final compatível com o produto importado, contribuindo para a substituição das importações e para a ampliação do acesso aos recursos de tecnologia assistiva.

Serão apoiadas, ainda, soluções inovadoras e diferenciadas, que tragam vantagens técnicas e econômicas para o País.

 

 

 

 

MundoBIT

Foto: FreeImages/Reprodução.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Novo exoesqueleto motorizado será vendido nos Estados Unidos

16yyyyyy3crt4387rtv7439rtvv9O exoesqueleto motorizado (ReWalk) utilizado por Claire Lomas, durante sua histórica caminhada, em breve estará disponível para venda nos Estados Unidos. A medida foi autorizada pela US Food and Drug Administration (FDA).

Feito para auxiliar pessoas que sofreram danos na coluna, o exoesqueleto permite a quem o estiver usando ficar em pé, caminhar e subir escadas com assistência limitada. “Juntamente com a fisioterapia, treinamento e com a ajuda de um cuidador, essas pessoas poderão estar aptas a utilizar esse equipamento para voltar a andar em suas casas e em suas comunidades”, afirmou o diretor de Avaliação de Dispositivos da FDA em depoimento, Christy Foreman.

Antes de emitir a sua aprovação, a agência governamental submeteu o ReWalk ao seu novo processo de classificação. Além disso, o FDA revisou a durabilidade, o hardware, o software e o sistema de baterias do ReWalk, juntamente com os dados clínicos de 30 participantes. O exoesqueleto motorizado custa, em média, U$ 70.000, de acordo com o seu preço na Europa, onde ele já está disponível.

Experimento demorou dois anos até esta fase. (Foto: Reprodução/FIFA).

Brasileiro – Durante a cerimônia de abertura da Copa do Mundo, o chute inaugural foi dado pelo jovem paraplérgico Juliano Pinto, de 29 anos, vestindo um exoesqueleto robótico. O dispositivo foi desenvolvido pelo neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, responsável pelo projeto Andar de Novo. O exoesqueleto foi bastante aguardado por mais de dois anos e teve financiamento da Finep, no valor de R$ 33 milhões. [Via The Verge]

 

 

 

Mundo Bit

Foto: Divulgação/Argo Medical Technologies

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

CNN inicia pesquisa sobre uso de drones no jornalismo

16mmm4tt93vg39vb3v3O canal de jornalismo 24 horas CNN anunciou na segunda-feira (24) que está iniciando um projeto de pesquisas em conjunto com o Instituto Tecnológico da Geórgia (sul) sobre como a mídia pode usar drones (aviões não tripulados) para colher informações.

O estudo vai avaliar a tecnologia, o pessoal e a segurança necessários para operar de forma eficaz e compartilhará os resultados com a Administração Federal de Aviação (FAA), que considera criar normas para estes aparelhos aéreos controlados à distância.

“Temos a esperança de que, trabalhando em conjunto para compartilhar conhecimento, podemos acelerar o processo para que CNN e outros veículos integrem de forma segura esta nova tecnologia em seus planos de cobertura”, disse David Vigilante, o vice-presidente da CNN, em um comunicado.

O pesquisador em tecnologia da Geórgia Mike Heiges disse que os aviões não tripulados “têm uma variedade de usos que beneficiam a sociedade, como busca e resgate, resposta diante de catástrofes e o mapeamento na agricultura”, entre outros.

A decisão é anunciada em meio a um grande aumento de projetos relacionados aos drones, indo além dos fins militares e de inteligência. As autoridades americanas estudam novas regulações que poderiam permitir que os drones para uso civil compartilhem o espaço aéreo com aviões de porte.

Ao contrário de outros países, os Estados Unidos proíbem o uso de dispositivos aéreos controlados à distância para uso comercial, embora a FAA tenha feito exceções para o governo e a polícia.

No início deste ano, 16 empresas importantes de veículos de comunicação se uniram para acusar a FAA de afetar a liberdade de imprensa, ao impedir o uso de drones na cobertura informativa.

Em nota ao National Transportation Safety Board (NTSB), o grupo que incluiu veículos como o The New York Times e o The Washington Post, argumentou que o uso de drones era um assunto relacionado com a Primeira Emenda da Constituição.

A Universidade de Nebraska criou em 2011 um laboratório de jornalismo com drones para determinar como é possível usar o dispositivo com o objetivo de informar melhor o cidadão.

 

 

 

Da France Presse

Foto: Caio Kenji/G1

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Apagão no Facebook atingiu milhões de usuários em escala global

O Facebook sofreu uma interrupção de meia hora na madrugada desta quinta (19). O “blecaute” foi admitido pela empresa em um comunicado à imprensa.

A falha afetou milhões de usuários e aconteceu por volta das 5h da manha no Brasil. “Ontem à noite nos deparamos com um problema enquanto atualizávamos a configuração de um de nossos sistemas de software”, disse o porta-voz da empresa, Jay Nancarrow, no comunicado citado pela EFE. “Pouco após realizar as mudanças, alguns usuários começaram a ter dificuldades para acessar o Facebook. Rapidamente identificamos o problema e o solucionamos.”

A falha atingiu site e aplicativos como o Messenger. No Twitter a hashtag #FacebookDown chegou aos Trending Topics. É bastante raro um problema desses atingir o Facebook, mas com um número tão grande de usuários, essa repercussão é normal. A empresa não deu detalhes dos problemas, mas a rede entra na lista dos recentes serviços que tem apresentado falhas no acesso, como Deezer, Evernote, Feedly e Whatsapp.

 

 

MundoBit

Foto: AFP

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Apple prepara várias versões de seu relógio inteligente

17rrrrrr784y34t8y78vgy3vA Apple planeja diversas versões para o relógio inteligente, afirmaram pessoas com conhecimento do assunto. Segundo essas fontes, o novo aparelho incluirá mais de 10 sensores, que poderão desempenhar funções como monitorar a saúde e os exercícios.

Uma das pessoas disse que a Apple tenta contornar as críticas feitas aos relógios inteligentes que já estão no mercado, como a de que eles falham em oferecer funções significativamente diferentes daquelas desempenhadas por um smartphone. O relógio da Apple pode ser lançado em outubro, com o início da produção em dois a três meses pela Quanta Computer, uma manufatura de Taiwan que tem sido um fornecedor de computadores Mac há muito tempo, disseram as pessoas.

Uma das pessoas afirmou que o relógio virá com múltiplos tamanhos de tela, enquanto outra fonte em uma fornecedora de componentes informou que as estimativas para as embarcações giram entre 10 milhões a 15 milhões de unidades até o fim deste ano. As especificações exatas do produto ainda estão sendo finalizadas antes do início da produção em larga escala.

Mundo Bit

Da Agência Estado via Dow Jones Newswires

Foto: Divulgação

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Crimes de informática custam cerca US$ 500 bi para economia mundial

19llllllllll43vr823475894v67v6430vvfOs crimes de informática alimentam uma indústria global que já chega a aproximadamente 500 bilhões de dólares e segue em crescimento, segundo um estudo divulgado nesta segunda-feira (9).

O relatório do Center for Strategic and International Studies em parceria com a empresa de segurança McAfee estimou que o custo dos ciberataques para a economia global situa-se entre 375 bilhões de dólares e 575 bilhões de dólares, com uma perda de cerca de 350 mil empregos nos Estados Unidos e na Europa.

Mas os autores afirmam que esses números são conservadores, considerando-se a ausência de dados de muitas partes do mundo.

“Os crimes cibernéticos são uma indústria crescente. Os benefícios são altos e os riscos, baixos”, indica o documento.

Os custos dos crimes de informática incluem o impacto das informações pessoais roubadas de centenas de milhões de pessoas, 40 milhões delas nos Estados Unidos no ano passado, 54 milhões na Turquia, 20 milhões na Coreia do Sul, 16 milhões na Alemanha e mais de 20 milhões na China, de acordo com o informe.

“Uma estimativa situa o total em mais de 800 milhões de pessoas com informações pessoais roubadas em 2013”, acrescenta.

“Somente isso pode custar até 160 bilhões de dólares anuais. Os criminosos ainda têm dificuldades para obter benefícios financeiros com as informações roubadas, mas o fluxo constante de informações contribui com a sensação de que os crimes de informática estão fora de controle.”

Fonte: AFP

Foto: Internet

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Recife terá encontro de robôs da rede pública de ensino esta semana

Na próxima quarta (11), às vésperas da abertura da Copa do Mundo de Futebol, Recife recebe um encontro de robôs no ritmo do Mundial.

A Prefeitura do Recife e a Zoom Education for Life, que é representante da Lego Education no Brasil, realizam o encontro de Robôs da Rede de Ensino do Recife. Será no pátio coberto do Centro de Tecnologia na Educação e Cidadania do Município (CETEC), nos turnos manhã e tarde, a partir das 9h.

O encontro reunirá 40 escolas da rede municipal de ensino, sendo 20 de anos iniciais (1º ao 5º ano), 10 de anos finais (6º ao 9º ano) e 10 escolas de ensino infantil. No turno da manhã, participarão 20 escolas no horário das 9h às 12h. Já à tarde, a visita será das 14h às 17h para as outras 20 escolas. São esperados cerca de dois mil alunos.

A Prefeitura do Recife fechou recentemente uma parceria com a Lego Zoom para levar o ensino de robótica à rede pública. O programa vai contemplar mais de 80 mil alunos da educação infantil até o ensino fundamental, segundo dados da secretaria de Educação. O investimento foi de R$ 24 milhões.

Entre as atividades prevista para o encontro de robôs estão demonstrações e jogos com diversas montagens usando LEGO Mindstorms, acessórios (Joysticks) e sensores avançados: como o Braço mecânico controlado por Joystick PC, Mini Estação de Trânsito (Cockpit) e Mini campo de futebol com blocos programáveis, com destaque para o Robô Chutador Lego Mindstorms NXT.

 

 

Do Mundo Bit

Divulgação

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Google traz ao Brasil aparelho que leva conteúdo de apps e de PCs à TV

O Google passa a vender a partir desta quinta-feira (4) no Brasil um aparelho do tamanho de um pen-drive que transmite às TVs o conteúdo de aplicativos instalados em celulares ou tablets, além de mostrar o que está na tela de computadores e notebooks.

Com o Chromecast, o Google quer um espaço na sala de estar das pessoas. Na briga, estão o Xbox (Microsoft), Apple TV (Apple), PlayStation (Sony). A atenção dessas gigantes da tecnologia ocorre porque a TV é o aparelho que mais possui usuários em todo o mundo, a despeito do avanço dos celulares inteligentes e dos tablets. Segundo a consultoria KPCB, são 5,5 bilhões de usuários, à frente dos smartphones (1,6 bilhão), dos notebooks (790 milhões), dos desktops (743 milhões) e dos tablets (439 milhões).

Mais simples que seus rivais, o Chromecast transforma TVs em aparelhos conectados. Ainda assim, o Google diz que não deve competir com as TVs inteligentes, mas oferecer um dispositivo complementar a elas.

Na TV
O Chromecast deve ser conectado à entrada HDMI das TVs e ser configurado com um aplicativo, disponível por enquanto para iOS e Android. Feito isso, é possível exibir na TV o conteúdo dos aplicativos para smartphone ou do tablet que forem compatíveis –no alto da tela, um ícone similar a uma TV indica aqueles que possuem suporte. Já é possível fazer essa transmissão, por exemplo, com os apps do Netflix, YouTube e Rdio. Celulares e tablets passam a funcionar como controle remoto: aumentam o volume e escolhem outros vídeos.

Para os computadores, o Chromecast funciona como um espelho: mostra o que estiver sendo exibido no Chrome. Como basta ter o navegador instalado, o dispositivo é compatível com os sistemas Windows (a partir do 7), Mac OS (a partir do 10.7) e Chrome OS. Antes, é preciso instalar uma extensão no browser.

Chromecast leva para a tela da TV o conteúdo de aplicativos e de PCs. (Foto: Helton Simões Gomes/G1)
Chromecast leva para a tela da TV o conteúdo de
aplicativos e de PCs. (Foto: Helton Simões
Gomes/G1)

Enquanto ocorre a transmissão, os usuários podem mexer em outros aplicativos presentes no celular ou tablet sem que isso comprometa a execução do filme ou da música na TV. Nos computadores, apenas o conteúdo de uma aba selecionada irá para a TV, o que permite que outros programas e sites sejam acessados normalmente.

O Chromecast será vendido pelos sites Ponto Frio, Extra e Casas Bahia por R$ 200. O preço é duas vezes e meia mais caro do que o cobrado nos Estados Unidos, onde o dispositivo sai por US$ 35, o equivalente a R$ 80. Segundo a empresa, a diferença ocorre porque o aparelho é importado.

Aplicativos
Nem todos os aplicativos hospedados nas lojas de Google e Apple possuem suporte ao Chromecast. Isso ocorre porque a criação ou adaptação dos aplicativos para o Cast começou em fevereiro deste ano, quando o kit de desenvolvedores foi liberado. O ciclo de criação de um app adaptado ao aparelho leva, em média, três meses, diz a companhia. Para o lançamento, o Google vai mostrar uma seleção dos apps compatíveis. O primeiro app brasileiro da lista deve ser o da Galinha Pintadinha, segundo o Google.

Agora, o Google quer que os desenvolvedores pensem também nas TVs quando criarem apps para smartphones e tablets. “Assim como criamos o ecossistema do Android, queremos construir um ecossistema para o ‘Cast’”, diz o gerente de parcerias do Google, Newton Neto. Por enquanto, são 3 mil desenvolvedores.

Chromecast leva para a tela da TV o conteúdo de aplicativos e de PCs. (Foto: Helton Simões Gomes/G1)
Chromecast leva para a tela da TV o conteúdo de aplicativos
e de PCs. (Foto: Helton Simões Gomes/G1)
Do G1, em São Paulo
Foto: Helton Simões Gomes/G1

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.