Cuidado ao baixar o aplicativo de auxílio emergencial da Caixa no Android

Renato Santino 07/04/2020 22h00Compartilhe com seus seguidoresAAA

Google Play está cheio de aplicativos que podem enganar usuário e que podem causar prejuízos às vítimas

Nesta terça-feira (7), a Caixa Econômica Federal lançou o aplicativo oficial para liberação do Auxílio Emergencial, a bolsa de apoio a quem perdeu sua renda com o isolamento provocado pelo coronavírus. No entanto, se você está usando o Android, achar esse aplicativo não é tão simples assim.

Já se sabe há bastante tempo que o Google não tem muito controle sobre os aplicativos que são publicados na Play Store, mas isso fica ainda mais evidente quando um app tão importante como o que a Caixa liberou nesta terça-feira. O app oficial fica completamente perdido se o usuário tenta pesquisar pelas palavras “auxílio emergencial”.

A pesquisa até retorna o aplicativo da Caixa corretamente no primeiro lugar. No entanto, há uma série de aplicativos desenvolvidos por terceiros, sem qualquer vínculo com o governo federal, que só servirão para confundir o usuário neste momento de crise. Muitos dos apps inclusive utilizam um esquema de cores similar aos do governo, o que pode induzir o usuário ao erro.

Não é possível cravar que todos os aplicativos tenham algum fim nefasto. Muitas vezes o desenvolvedor cria um app para orientar os usuários, trazendo dicas de como proceder para ter acesso ao auxílio emergencial, apesar de a prática cair zona moral nebulosa, já que se aproveita do desespero dos usuários para conseguir visualizações de anúncios. Ainda assim, o app pode não tentar roubar informações bancárias sensíveis de seus usuários, por exemplo.

O que não dá para garantir é que todos os aplicativos presentes no Google Play e que se aproveitam desse momento sejam tão inocentes assim, especialmente com a possibilidade de obter documentos como RG, CPF e dados bancários. Além disso, outros comportamentos danosos podem se manifestar posteriormente, como instalação de malware para monitoração das atividades do usuário, por exemplo.

Essa prática não é limitada ao Android. Quem procura pelo site da Caixa para buscar o auxílio emergencial também pode se deparar com armadilhas. Já há pelo menos 100 páginas falsas criadas unicamente com o intuito de enganar potenciais vítimas que procuram pelo apoio governamental.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Cientistas flagram com detalhes jato de plasma de supermassivo

Fabiana Rolfini 

Olhar Digital

Imagem possibilitará estudos sobre como os buracos negros lidam com toda a energia que consomem

Com a ajuda do projeto Event Horizon Telescope (EHT), que visa criar uma rede global de telescópios, cientistas da Universidade College London, no Reino Unido, foram capazes de observar o jato de plasma criado por um buraco negro supermassivo com uma precisão jamais vista. Com essa informação em mãos, eles poderão aprofundar seus estudos quanto a esses fenômenos ainda tão misteriosos.

Os supermassivos, que ficam no centro de galáxias consumindo imensas quantidades de energia e matéria, podem disparar plasma de seus polos magnéticos na velocidade da luz. Ainda que a reação aconteça tão rapidamente, o conjunto de telescópios foi capaz de fotografar esse momento.

Flagrado como um oval brilhante, o plasma foi expelido em direção à Terra, o que permitiu que os cientistas pudessem observá-lo por um ângulo vantajoso. Além disso, a câmera utilizada capturou o momento com infravermelho, medindo o quão quente é a matéria.

Tal jato de plasma é considerado um blazar, fonte de energia muito compacta associada a um supermassivo do centro de uma galáxia ativa e considerada um dos fenômenos mais violentos do universo. Para tamanha monstruosidade, o buraco negro canaliza toda a energia de seu disco de acreção e a dispara em uma velocidade impressionante – nesse caso, cerca de 0,995 vezes a velocidade da luz.

De acordo com Ziri Younsi, coautor do artigo que apresentou a imagem, o blazar em questão está sendo expelido em um ângulo estranho, o que pode indicar uma torção na base do jato.

Essas e outras informações continuam sendo um mistério a ser solucionado, mas a nova captura possibilitará que cientistas estudem mais sobre os supermassivos, desde como eles consomem energia até o porquê de alguns deles canalizarem toda a energia dos discos de acreção em seus polos.

Via: Engadget

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Quarentena no país: criminosos invadem dispositivos eletrônicos residenciais

Luiz Nogueira, editado por Fabiana Rolfini 

Olhar Digital

Investigação aponta que 141 equipamentos tiveram sua segurança comprometida; criminosos conseguiram acessar babás eletrônicas e câmeras IP para vigiar famílias

Polícia Federal, por meio de investigação da Unidade de Repressão a Crimes de Ódio e Pornografia Infantil, descobriu que criminosos invadiram dispositivos eletrônicos residenciais, como babás eletrônicas, em casas de todo o país.

Os invasores se aproveitaram do período de isolamento social em decorrência do novo coronavírus para quebrar a segurança de 141 equipamentos residenciais em 35 municípios. O acesso seria feito por meio da deepweb.

Informações da investigação apontam que os criminosos conseguem obter acesso às filmagens de dispositivos de vigilância, conhecidos como câmeras IP e até babás eletrônicas. Tudo em tempo real.

As imagens captadas podem ser usadas para os mais diversos fins. Seja para aprender a rotina da família e praticar furtos à residência, até extorsão por meio de imagens íntimas dos moradores.

A investigação, que ainda está em curso, trabalha com a possibilidade de que o número de famílias afetadas pode ser muito maior. Para continuar os trabalhos de identificação, a Polícia Federal trabalha com colaboração internacional de outras agências de segurança. Detalhes sobre os possíveis autores, modo de operação e novos casos não foram divulgados.

Via: Uol

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Cuidado: mais de 100 páginas falsas na web prometem auxílio emergencial

Nina Gattis, editado por Liliane Nakagawa 

Olhar Digital

Golpe já tem 6,7 milhões de compartilhamentos e acessos em todo o País

Com a liberação do cadastro para o recebimento do auxílio emergencial de R$ 600 que visa minimizar as consequências econômicas geradas pela pandemia do coronavíruscibercriminosos estão aproveitando para roubar dados de usuários desavisados. Os golpes já foram, juntos, compartilhados e acessados mais de 6,7 milhões de vezes.

De acordo com o dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, há cerca de 100 páginas falsas que trazem perguntas sobre dados pessoais e induzem os usuários a compartilhá-las para obterem o benefício.

Ainda que possa parecer difícil distinguir o site verdadeiro dos sites falsos, Emilio Simoni, diretor do laboratório, explica que basta se atentar ao endereço do link acessado para não ser enganado: se a página for oficial do governo, ela terá a terminação gov.br. “Para ter certeza de que está em um site oficial, procure o endereço desejado em um site buscador como Google”, completou Simoni.

Além disso, vale verificar de onde veio a informação sobre o site. No geral, o WhatsApp não é um canal confiável. “No caso de golpes envolvendo mensageiros e redes sociais, o criminoso envia mensagem para um grupo inicial e induz o usuário a compartilhar, e é aí que nós temos esse crescimento exponencial”, afirmou Simoni. “Normalmente, os golpistas sabem explorar o contexto. A pessoa conhece o contexto, precisa do dinheiro e se engana com o site, que é bem feito”.

Para que não restem dúvidas, a página oficial para o cadastramento da solicitação do auxílio é o www.auxilio.caixa.gov.br. O Olhar Digital também praparou um tutorial sobre como fazer esse cadastro.

Via: Estadão

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

França desenvolve aplicativo para notificar usuários que estiveram em contato com pacientes de Covid-19

Ideia é que as pessoas, voluntariamente, usem o smartphone para rastrear a aproximação com outras –se uma delas, posteriormente, souber que estava infectada, o aplicativo enviaria um aviso a quem esteve próximo.

Por Reuters

O governo da França está desenvolvendo um aplicativo de smartphone que pode avisar os usuários se eles entram em contato com uma pessoa que carrega o Sars-Cov-2, de acordo com informações dadas por ministros nesta quarta-feira (8).

Se de fato empregado, o aplicativo pode levantar questões a respeito de tecnologia de rastreamento e liberdades civis.

A França entrou na quarta semana de um confinamento imposto para desacelerar o surto de Covid-19, e explora as maneiras como poderia acabar com as restrições ao movimento, incluindo aplicativos que rastreiam contato.

“A tecnologia pode ajudar na luta contra o coronavírus. Nada será decidido sem um debate amplo”, disse o ministro júnior de tecnologia de tecnologia da França, Cedric O em entrevista ao “Le Monde”.

O nome do projeto em que a França trabalha é “StopCovid”.

Por ele, poderia-se usar um aplicativo que, com o bluetooth, rastreia a proximidade entre usuários, que usariam a tecnologia de forma voluntária –eles mesmos iriam registrar se estão ou não infectados com o vírus.

O aplicativo notificaria as pessoas que estiveram em contato próximo a uma pessoa com teste positivo para Covid-19 –e todas as que vierem a ter contato com ela.

“O aplicativo simplesmente informaria que você esteve em contato nos dias prévios com alguém cujo teste deu positivo”, disse o ministro júnior.

Ele afirmou que uma força tarefa trabalha com um protótipo há alguns dias, mas que a data de lançamento é incerta.

A lei francesa proíbe que o rastreamento de smartphones. É algo comum em países como China, Taiwan e Coreia do Sul.

Todos esses usam localização de smartphone para rastrear os contatos que as pessoas tiveram com infectados para reforçar o cumprimento de quarentena.

O tema levantou um debate entre os parlamentares franceses. Mesmo entre governistas, há quem se oponha à ideia.

O aplicativo francês usaria bluetooth, e não geolocalização. Os movimentos não seria rastreados, mas só os contatos. Os dados seriam anônimos, e deletados depois de um tempo.

A Alemanha e a Suíça trabalham com aplicativos semelhantes, disse o ministro júnior.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Privada tem sensor anal que identifica usuários e problemas de saúde

Rafael Rigues, editado por Fabiana Rolfini 

Olhar Digital

Protótipo possui câmeras internas que identificam uma pessoa pelo padrão de dobras na pele

Uma equipe de pesquisadores dos EUA, Coreia do Sul e Holanda desenvolveu um pacote de sensores capaz de transformar qualquer privada comum em um verdadeiro laboratório doméstico. O protótipo analisa urina e fezes para identificar vários problemas de saúde, entre eles disfunções metabólicas, obstruções hepáticas, infecções no trato urinário até mesmo alguns tipos de câncer.

O equipamento é capaz de medir o fluxo (urofluxometria) e composição (urinálise) da urina, bem como a cor, formato e consistência das fezes, comparando-as com a Escala de Bristol para identificar problemas digestivos. Além disso, é capaz de detectar níveis de glucose na urina, para diagnosticar diabetes, e glóbulos vermelhos nas fezes, para detectar anemia.

O sistema também registra a quantidade de vezes por dia que um usuário vai ao banheiro, e a duração de cada visita. Todos os dados são agregados e enviados a um portal na nuvem, onde o usuário pode obter relatórios completos sobre sua saúde.

Câmeras ‘invasivas’

O problema é que exames como a urofluxometria e análise das fezes são feitos usando câmeras instaladas dentro da privada, algo que certamente deixará os usuários desconfortáveis. Para piorar, os cientistas desenvolveram um método “engenhoso” para diferenciar os usuários com um sistema de autenticação em dois fatores: combinaram um sensor de impressões digitais no botão da descarga com um “sensor anal”, uma câmera que analisa imagens da região e identifica os usuários pelo padrão de dobras na pele.

Não, não estamos brincando. Um artigo detalhado descrevendo o sistema foi publicado na Nature, uma das revistas mais respeitadas no meio científico.

Não é supresa que os 11 voluntários (6 homens e 5 mulheres, com idades entre 19 e 41 anos) que participaram do estudo tenham se oposto a alguns aspectos do sistema. “A vasta maioria das preocupações dos participantes era relacionada à privacidade e segurança dos dados no sistema. Observamos uma preferência estatisticamente significativa pelos módulos sem câmeras. O mais aceito foi o de urinálise, e o menos aceito foi o sensor anal”, disseram os autores.

Por mais absurdo que o sistema possa parecer, alguns de seus componentes (como o módulo de urinálise) podem ser realmente úteis em produtos futuros. Só esperamos que seus criadores tenham um pouco mais de bom senso. Como está, o sistema é um bom exemplo do ditado: “não é porque uma tecnologia pode ser usada que ela deve ser usada”.

Fonte: The Next Web

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Superlua Rosa, a maior de 2020, estará mais brilhante entre hoje e quinta

Rafael Rigues, editado por Cesar Schaeffer 

Olhar Digital

Evento será visível entre terça e quinta-feira

Nesta semana você poderá observar a maior superlua de 2020. Apesar de ser chamada de “Super Pink Moon” (Superlua Rosa) nos EUA, ela não tem uma cor diferente. O nome foi dado por conta de uma planta selvagem dos EUA, a Phlox Subulata, que tem flores róseas e floresce nesta época do ano.

O fenômeno estará visível entre os dias 7 e 9 de abril (terça e quinta-feira), com seu ápice na quarta-feira (8), quando a Lua estará cheia em sua totalidade. Para observar, basta olhar para o leste desde o pôr do Sol.

O ideal é estar no ponto mais alto de sua cidade, ou em um local com uma visão livre do horizonte, já que o contraste com prédios, montanhas e árvores à frente faz a lua parecer muito maior do que de costume. Nada te impede de observar a superlua quanto ela estiver alta no céu, mas o efeito será menos impressionante.

Vai ter mais?

Segundo o astrólogo Richard Nolle, que cunhou o termo em 1979, uma “superlua” é qualquer lua cheia que ocorre enquanto a Lua está a 90% ou mais de sua maior aproximação da Terra, o chamado Perigeu. Isso faz com que ela pareça até 15% maior e 30% mais brilhante do que o de costume.

O perigeu acontece regularmente a cada 28 dias. Entretanto, a ocorrência da Lua cheia no momento exato é mais rara. Em 2020 ela já ocorreu duas vezes, em 9 de fevereiro e 9 de março, e ocorrerá também em 8 de abril e 7 de maio.

Depois disso, os eventos começam a se distanciar. Em junho, por exemplo, a Lua estará no perigeu no dia 3, mas só estará cheia no dia 5, quando já vai estar fora da posição “ideal”. Portanto, não é considerada uma superlua. Grande, talvez, mas não Super. O evento só voltará a ocorrer em 27 de abril de 2021.

Apps dão uma forcinha

Para saber o momento exato do pôr do Sol em sua cidade, basta perguntar ao Google: “OK Google, quando o sol vai se pôr hoje?”. Já para saber para onde olhar, basta usar um app de bússola.

Quem usa um iPhone não precisa de um app extra, basta usar o “Bússola”, que é parte do iOS. Para Android, uma boa opção é o “Apenas uma bússola”, da PixelProse SARL, que é bonito, simples, gratuito e, mais importante, sem anúncios.

Reprodução

Além da direção em que o celular está apontando, ele também indica o horário do nascer e do pôr do sol, sua altitude e até a intensidade do campo magnético próximo ao aparelho. Tudo isso em uma tela só. 

Dicas para fotografar

Se você quiser registrar o fenômeno, veja este artigo com nossas dicas para fotografar a superlua. É tudo questão de usar um tripé e encontrar o momento certo. 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Cápsula Dragon retorna à Terra e nova equipe embarca para a ISS

Renato Mota

Olhar Digital

Depois de um mês na Estação Espacial, a espaçonave da SpaceX retorna com equipamentos e experimentos nesta terça (7). Um novo trio de astronautas decola na quinta (9), tudo com transmissão pela Nasa

Com mais de 1,5 tonelada de carga, a cápsula Dragon, da SpaceX, deixará a Estação Espacial Internacional nesta terça (07), por volta das 10h12 (Horário de Brasília) em sua jornada de volta à Terra. A Nasa fará uma transmissão ao vivo da desacoplagem da espaçonave em seu site e canal no YouTube, a partir das 9h45.

A Dragon foi lançada no foguete Falcon 9 da SpaceX no último dia 6 de março, do Space Launch Complex 40, na Estação da Força Aérea em Cabo Canaveral, na Flórida, e chegou à estação espacial três dias depois. O engenheiro de voo da Nasa Andrew Morgan supervisionará a operação a partir de Houston, que será conduzida por robôs na ISS.

O controle da missão emitirá o comando de desacoplagem às 9:52 para liberar a Dragon usando o braço robótico Canadarm2 da estação. A cápsula então disparará seus propulsores para se mover a uma distância segura e, em seguida, executará uma aceleração para sair da órbita terrestre enquanto cai de paraquedas.

A espaçonave está prevista para pousar no Oceano Pacífico por volta das 15h40, trazendo de volta ratos vivos, células vegetais e outras amostras biológicas para análise na Terra. A Dragon também retorna com o equipamento da estação, incluindo componentes de traje espacial para manutenção e inspeção.

Enquanto uns saem, outros chegam. Nesta segunda (6) um foguete russo foi colocado em sua plataforma de lançamento enquanto uma nova tripulação se prepara para a decolagem para a Estação Espacial Internacional.

A Soyuz MS-16 já está em posição no Cazaquistão para o lançamento desta quinta-feira (9), às 10h05, levando o astronauta da Nasa Chris Cassidy e os cosmonautas da Roscosmos, Anatoly Ivanishin e Ivan Vagner. O novo trio irá atracar na porta traseira do módulo de serviço Zvezda para iniciar uma missão de 195 dias. A NASA TV transmitirá as atividades de lançamento e ancoragem ao vivo a partir das 9h.

Via: Nasa

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

WhatsApp limita reenvio de mensagens a 1 destinatário por vez em meio à crise do novo coronavírus

Mudança foi anunciada para evitar compartilhamento de informações falsas. Seta dupla indicará que mensagem não foi criada por quem a enviou.

Por G1

O WhatsApp informou nesta terça-feira (7) que adotou novas medidas para evitar o compartilhamento de informações falsas pela plataforma em meio à pandemia do novo coronavírus. Agora uma mensagem que não foi criada pela pessoa que irá reenviá-la só poderá ser encaminhada para um destinatário por vez.

Por meio de nota divulgada em seu site, o aplicativo informou que também passará a usar a sinalização de setas duplas para indicar que a mensagem recebida não foi criada por quem a enviou.

“Geralmente, as mensagens encaminhadas muitas vezes podem conter informações falsas e não são tão pessoais quanto as mensagens típicas enviadas pelos seus contatos no WhatsApp. Agora, atualizamos o limite de encaminhamento para que essas mensagens só possam ser encaminhadas para uma conversa por vez”, diz comunicado.

Segundo o WhatsApp, não é ruim que os usuários encaminhem informações úteis, vídeos divertidos, pensamentos ou orações. “Entretanto, temos visto um aumento significante na quantidade de mensagens encaminhadas que, de acordo com nossos usuários, podem contribuir para a disseminação de boatos e informações falsas.”

Redução do limite de reenvio em 2019

Em janeiro de 2019, o WhatsApp já tinha decidido mudar as regras de encaminhamento de mensagens. Na ocasião, caiu para cinco o total de destinatários por vez que poderiam receber uma mensagem encaminhada por alguém que a recebeu de outra pessoa.

“No ano passado, quando criamos o limite de encaminhamento para conter a disseminação de notícias falsas, ajudamos a diminuir em 25% o número de mensagens encaminhadas em todo o mundo”, diz a nota.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Anvisa suspende uso da plataforma Zoom devido a falhas de segurança

Victor Pinheiro, editado por Cesar Schaeffer 

Olhar Digital

Autarquia teme o acesso não autorizado a microfones e câmeras de usuários

A Anvisa (Agência Nacinal de Vigilância Sanitária) determinou nesta segunda-feira (6) o bloqueio da plataforma de videoconferências Zoom nos sistemas da autarquia. Em comunicado aos funcionários, o órgão apontou preocupações em relação a 

A agência teme o acesso não autorizado à câmera e ao microfone de usuários, o que poderia viabilizar o “roubo de credenciais e informações trocadas”.

Em meio ao isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus, a Zoom registrou um salto de 10 milhões de usuários diários em dezembro de 2019, para 200 milhões em março em 2020. No entanto, ao menos dois episódios reportados pela imprensa norte-americana expuseram a fragilidade do sistema de segurança da plataforma, incluindo o vazamento de milhares de videoconferências em um servidor desprotegido.

“A Gerência Geral de Tecnologia da Informação solicita que todos os usuários que utilizam Zoom desinstalem imediatamente dos seus computadores, celulares e/ou tablets, e alterem as senhas o quanto antes”, diz o comunicado.

De acordo com a Folha de São Paulo, a Anvisa disse, em nota, que deve aguardar as correções do software da Zoom para reavaliar o posicionamento. Enquanto isso, a autarquia vai utilizar o serviço do Microsoft Teams para reuniões e videoconferências.

Falhas no Zoom

Em entrevista ao The Wall Street Journal na sexta-feira (3), o CEO da Zoom, Eric Yuan, reconheceu os erros da companhia disse que a empresa desenvolve uma nova cultura para priorizar a privacidade e a segurança dos usuários. Ainda assim, grandes empresas estão abandonando a plataforma. Um exemplo é a SpaceX, do bilionário Elon Musk.

As críticas incidem principalmente sobre a falta de criptografia de ponta a ponta no sistema de segurança do Zoom. Além disso, especialistas de segurança digital ouvidos pelo The Wall Street Journal afirmam que o aplicativo pode transferir conteúdos para servidores localizados na China.

No fim de março, o escritório do FBI em Boston emitiu um comunicado que já alertava usuários para evitar o compartilhamento amplo de links de reuniões públicas. A recomendação foi publicada após relatos que dois usuários não identificados invadiram aulas virtuais de escolas.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.