A pergunta de quase cem anos sobre o mal de Parkinson que acaba de ser respondida

Mal de Parkinson atinge, em geral, pessoas com mais de 60 anos; no Brasil, estima-se que 200 mil pessoas sofram com a doença (Foto: Freeimages)

Mal de Parkinson atinge, em geral, pessoas com mais de 60 anos; no Brasil, estima-se que 200 mil pessoas sofram com a doença (Foto: Freeimages)

Uma equipe científica diz ter encontrado a primeira evidência direta de que o mal de Parkinson pode ser “autoimune”. Segundo cientistas, o sistema imunológico atacaria células do cérebro em pessoas que sofrem da doença.

Essa hipótese surgiu pela primeira vez há quase um século, mas até agora não havia informações suficientes para confirmá-la.

A descoberta foi publicada em detalhes na revista científica Nature e mostra que medicamentos indicados para o sistema imunológico podem ajudar a controlar a doença.

O mal de Parkinson causa danos progressivos no cérebro, que geram tremores e dificuldades de movimento. Em paralelo, o cérebro dos pacientes que sofrem da doença acumula níveis muito altos da proteína alfa-sinucleína.

Os pesquisadores do centro médico da Universidade Columbia e do Instituto de La Jolla para Alergia e Imunologia, nos EUA, descobriram que as células-T, que fazem parte do sistema imunológico, atacam a alfa-sinucleína.

Isso significa que o sistema imunológico de quem sofre do mal de Parkinson identifica essa proteína como um invasor estranho, como se fosse uma bactéria ou vírus, e ataca-a para defender o organismo.

Os cientistas acreditam que, nesse processo, o sistema imunológico acaba matando também células cerebrais boas que acumulam essas proteínas.

“A ideia é que uma falha no sistema imunológico contribui para o mal de Parkinson. Isso é algo que já se suspeitava havia quase cem anos”, disse à BBC David Sulzer, um dos pesquisadores da Universidade Columbia. “Até agora, porém, ninguém havia conseguido conectar os pontos”.

A pesquisa foi feita com análise do sangue de 67 pacientes com Parkinson para tentar encontrar evidências de autoimunidade.

Outras hipóteses

Sulzer acredita que esse estudo tem forte elo com outra hipótese sobre o mal de Parkinson: a de que a doença poderia ter início no intestino.

“Suspeitamos que as células-T primeiro identificam a alfa-sinucleína no sistema nervoso do intestino, o que não causa nenhum problema. O problema começa quando as células-T entram no cérebro”, explicou Sulzer.

“Nossos resultados sugerem a possibilidade de utilizar-se uma estratégia com imunoterapia para aumentar a tolerância do sistema imunológico com relação à alfa-sinucleína, o que poderia ajudar a melhorar ou prevenir o agravamento dos sintomas do mal de Parkinson”, agregou o médico Alessandro Sette, da La Jolla.

Para David Dexter, da organização beneficente Parkinson UK, a descoberta dá maior peso à ideia de que o mal de Parkinson pode envolver uma “falha” ou “confusão” do sistema imunológico, que acaba danificando células boas do cérebro para combater a proteína que identifica como invasora.

No entanto, ele faz uma ressalva. “Ainda temos que entender muito mais sobre como esse sistema imune pode estar envolvido na complexa cadeia de eventos que contribuem para o mal de Parkinson.”

“Essa descoberta apresenta uma nova via para explorar o desenvolvimento de novos tratamentos que podem amenizar ou até controlar o progresso da doença”, afirmou Dexter.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Nova tecnologia permite carregar o celular com a urina

Não estamos dependendo da natureza errática do vento ou do sol: se existe um produto cujo oferta é sem fim, esse produto é a urina

Não estamos dependendo da natureza errática do vento ou do sol: se existe um produto cujo oferta é sem fim, esse produto é a urina”, diz Ieropoulos, cientista-chefe do projeto (Foto: Bristol Robotics Laboratory)

“Transforme seu xixi em algo útil”, diziam os cartazes do banheiro especial instalado neste final de semana no Festival de Glastonbury, o principal evento do calendário europeu de shows de música ao vivo.

Nesse banheiro adaptado, os litros de cerveja vendidos aos 100 mil participantes do festival britânico viraram fonte de energia, graças a um projeto do Laboratório de Robótica de Bristol.

O chamado Pee Power funciona com uso de células de combustível revestidas de micro-organismos “comedores de dejetos”, que processam a urina e, como consequência, acabam gerando eletricidade capaz de carregar – por enquanto, lentamente – a bateria de um smartphone. Isso ao mesmo tempo em que produzem água limpa e fertilizante a partir das susbtâncias da urina.

De acordo com os cientistas de Bristol, o processo atual gera 40 miliwatts de energia com dois litros de urina, um salto considerável em relação aos 2,5 mW do protótipo apresentado em 2013.

Mas ainda bem aquém de um carregador de celular típico, que tem capacidade de 5 watts.

“Nossa proposta é usar a urina, um dejeto, para gerar eletricidade. Não estamos dependendo da natureza errática do vento ou do sol: se existe um produto cujo oferta é sem fim, esse produto é a urina”, diz Ioannis Ieropoulos, cientista que coordena o projeto.

Ieropoulos explica que as células microbiais atualmente geram energia suficiente para permitir o envio de mensagens de SMS, o uso de internet e o que definiu como um “curta” ligação. “Precisamos refinar o processo para sermos capazes de carregar completamente uma bateria”.

Segundo os cientistas, a eletricidade é um suproduto do ciclo de vida desses micróbios, o que basicamente implica que mais urina gerará mais eletricidade. Ieropoulos e sua equipe veem a utilização prática da tecnologia tanto em um futuro de conforto doméstico quanto para solucionar problemas em áreas mais carentes, como campos de refugiados, por exemplo, em que a geração de energia é um dos mais graves problemas.

 “As bactérias adoram se alimentar dos dejetos, é o prato favorito delas”, brinca Ieropoulos. “Usar um dejeto como fonte de energia elétrica é o que há de mais ecológico.”

O projeto foi selecionado pela Fundação de Bill e Melinda Gates como uma das propostas que podem ampliar o acesso a saneamento básico, cuja escassez afeta 2,5 bilhões de pessoas no mundo.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Polícia Federal diz que Temer incentivou ‘pagamentos ilegítimos’ a Eduardo Cunha

PF termina inquérito em que Temer é suspeito obstrução de justiça

PF termina inquérito em que Temer é suspeito obstrução de justiça

A Polícia Federal concluiu, no relatório final do inquérito no qual Michel Temer é investigado que o presidente “embaraçou” apuração de infração penal e “incentivou” a manutenção de “pagamentos ilegítimos”, pelo empresário Joesley Batista, dono do frigorífico JBS, ao ex-deputado Eduardo Cunha, preso em Curitiba pela Operação Lava Jato.

O delito, também conhecido como obstrução de Justiça, tem pena de 3 a 8 anos de prisão e multa.

Além do incentivo a pagamentos ilegítimos a Cunha, a PF também diz que Temer deixou de comunicar às autoridades suposta corrupção de juízes e de um procurador narrada por Joesley Batista, numa conversa registrada pelo empresário com um gravador escondido durante visita à residência oficial do presidente na noite do último dia 7 de março.

A assessoria da Presidência da República informou que não comentará. Até a última atualização desta reportagem, o G1 buscava contato com os advogados de Temer.

O relatório da PF, entregue nesta segunda-feira (26) ao Supremo Tribunal Federal, ajudará a embasar a denúncia contra Temer a ser enviada ao STF pela Procuradoria Geral da República. Junto com o relatório, a PF entregou a perícia na gravação de Joesley Batista, que, segundo a conclusão dos peritos, não sofreu edição.

Por lei, a PGR tem prazo de cinco dias para apresentar a denúncia porque um dos investigados no inquérito, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, está preso. Do contrário, não haveria prazo. Se a PGR não apresentar a denúncia até esta terça (27), último dos cinco dias, a defesa de Loures poderá pedir a libertação do cliente.

De acordo com o relatório, Temer cometeu “infração penal praticada por organização criminosa, na medida em que incentivou a manutenção de pagamentos ilegitimos a Eduardo Cunha pelo empresário Joesley Batista, ao tempo em que deixou de comunicar autoridades competentes de suposta corrupção de membros da Magistratura Federal e do Ministerio Publico Federal que Ihe fora narrada pela mesmo empresário”.

Além disso, o “relatório conclusivo” da PF sugere incluir Temer, como investigado, em outro inquérito já em tramitação no tribunal, que investiga a formação de uma organização criminosa formada por membros do PMDB da Câmara.

Na semana passada, a corporação já havia concluído que Temer cometeu crime de corrupção passiva a partir da investigação aberta com a delação da JBS. O relatório final, enviado nesta segunda, poderá gerar novas denúncias contra o presidente por parte da Procuradoria Geral da República.

Geddel Vieira Lima

Além de Temer, a PF também enquadra no crime de obstrução da Justiça o ex-ministro Geddel Vieira Lima, por supostamente ter manifestado interesse em manter pagamento de propina da JBS ao doleiro Lúcio Funaro para que evitasse fazer delação premiada.

Segundo a polícia, Geddel ficava “monitorando” junto a familiares de Funaro “seu ânimo para tai iniciativa”.

A PF também entende que um dos donos da JBS, Joesley Batista, também teria cometido obstrução de Justiça ao manter “pagamentos ilegítimos” a Funaro e ao ex-deputado Eduardo Cunha para mantê-los em silêncio e não ser citado por ambos em “fatos comprometedores” para si ou para sua empresa.

O acordo de colaboração de Joesley com o Ministério Público, porém, impede que ele seja denunciado pelos crimes que confessou, o que deve livrá-lo de punições neste caso.

Eduardo Cunha

O relatório da PF analisou o diálogo entre Temer e Joesley no encontro que tiveram no início de março no Palácio do Jaburu. Na conversa, o empresário diz que estava “de bem” com Eduardo Cunha, ao que o presidente responde: “Muito bem […]. Tem que manter isso, viu?”.

Para a PF, ainda que não sejam explícitos, os termos da conversa têm como “única interpretação possível” o entendimento, por Temer, de que o bom relacionamento mencionado por Joesley se referia apoio financeiro para Cunha, especialmente porque o empresário diz depois “todo mês”.

Os delegados ainda contestam a versão de Temer de que apenas teria recomendado a boa relação entre Joesley e Cunha. Para eles, essa interpretação “não se coaduna com o todo”.

“Atente-se para as expressões antecedentes ‘zerei tudo, o … o que tinha de alguma pendência daqui pra ali zerou, tai … ‘ e ‘liquidou tudo e ele foi firme em cima, ele já tava lá, veio, cobrou, taí, taí, taí, eu … ‘ e, especialmente, ao fechamento da ideia com a afirmação ‘todo o mês’.”, transcreve a PF.

“O conteúdo do dialogo ocorrido em 07/03/2017 sinaliza, efetivamente, que o exmo. sr. presidente da República, ao receber o relato de Joesley Batista, avalizou e aderiu à ação que estava em curso, recomendando sua continuidade, o que evidencia que sua excelência comungava dos mesmos temores externados pela empresário, dada a potencial revelação de fatos que pudessem envolver o grupo político ao qual é vinculado, notadamente Geddel Vieira Lima e Eduardo Cunha.”

Corrupção de juízes e procurador

A PF também entende haver obstrução da Justiça com a conduta de Temer diante da confissão, por Joesley Batista, de que estaria corrompendo juízes e um procurador da República nas investigações que enfrentava.

Os delegados dizem que a versão do presidente de que não acreditou no relato não o isentaria da obrigação de relatar o caso às autoridades, ainda que, em parte fosse mentira.

“Sua excelência, apesar de não ter estimulado a prática que lhe foi confessada, tendo apenas tomado ciência e concordado – sem ênfase – tinha, como qualquer agente do Estado tem, por força legal, a obrigação de levar às autoridades competentes as revelações de Joesley, as quais, reitere-se, frente ao contexto, não estavam desprovidas de verossimilhança. Ao contrário, soavam harmônicas com o avanço de diversas investigações que, pouco a pouco, vinham jogando luz em operações fraudulentas perpetradas pela Grupo J&F”, diz o relatório.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Anvisa determina a suspensão de 13 lotes de anticoncepcional

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a suspensão de 13 lotes do anticoncepcional Gynera após a farmacêutica Bayer, fabricante do medicamento, comunicar o recolhimento voluntário dos produtos.

O motivo do recolhimento foram os resultados insatisfatórios em testes de estabilidade, que determinaram um “risco à saúde de classe III”, que significa um alto risco.

O Gynera é um contraceptivo oral composto por dois hormônios, um estrogênio (etinilestradiol) e um progestógeno (gestodeno).

Lista dos lotes suspensos do contraceptivo Gynera

LOTE VALIDADE
BS01EN6 04/12/2017
BS01F2H 04/12/2017
BS01F2J 04/12/2017
BS01F4A 04/12/2017
BS01FCF 04/12/2017
BS01FJH 28/06/2018
BS01FSK 28/06/2018
BS01G1CC 28/06/2018
BS01G1D 25/08/2018
BS01GJS 25/08/2018
BS01GR4 25/08/2018
BS01GSS 26/10/2018
BS01H6F 26/04/2018

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Irmãos foram assassinados em Santa Cruz do Capibaribe

Irmãos foram assassinados dentro de um bar  (Foto: Ney Lima/Divulgação )

Irmãos foram assassinados dentro de um bar (Foto: Ney Lima/Divulgação )

Um duplo homicídio foi registrado na tarde do domingo (25) em Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco. A ação aconteceu em um bar na Rua São Pedro, que fica no Loteamento Oscarzão.

De acordo com informações da Polícia Civil, dois irmãos de 23 e 29 anos, foram assassinados a tiros. O mais velho foi morto dentro do bar, enquanto o de 23 anos foi executado na calçada. Ambos moravam no bairro Santo Augustinho, conforme explicou a polícia.

Segundo testemunha, as vítimas estavam bebendo no bar, quandos dois homens chegaram em uma moto e começaram a disparar. No local do crime, foram encontradas seis cápsulas de pistola 9 mm.

Até a publicação dessa reportagem ninguém foi preso e a Polícia Civil vai investigar o caso. Os corpos foram encaminhados para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Trio é detido suspeito de associação criminosa e roubo qualificado em Caruaru

Armas foram apreendidas com os suspeitos em Caruaru (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Armas foram apreendidas com os suspeitos em Caruaru (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Três homens, de 18, 25 e 29 anos, foram detidos na noite do domingo (25) suspeitos de associação criminosa e roubo qualificado em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar, com o trio foram apreendidos dois carros, revólveres e munições.

Ainda segundo a PM, os suspeitos tentaram fugir, mas foram encontrados próximo da BR-104 após um dos integrantes do trio colidir o carro contra uma moto da polícia. Os supostos criminosos também chegaram a trocar tiros com os policiais.

O homem de 25 anos ficou ferido e foi levado para o Hospital Regional do Agreste (HRA), onde está sob custódia da PM. Os outros dois foram levados para a Delegacia de Plantão da Polícia Civil, onde foram autuados em flagrante.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Presidente do PFC, Wenio, destitui diretoria e renuncia ao cargo

Informações chegaram ao nosso conhecimento, como também circulam nas redes sociais de Pesqueira, que o presidente do Pesqueira Futebol Clube Whênio, anunciou sua renuncia ao cargo de dirigente da Águia do Agreste e nesta segunda-feira 26/07, anunciara formalmente, alegando o mesmo que foi motivado a tomar essa decisão por motivos pessoais.

Whênio, que iniciou sua vida como admirador e participante assíduo do PFC, antes de assumir a presidência do PFC foi presidente de torcida e depois auxiliava as diretorias anteriores.

Há três anos e meio, assumiu a presidência da Águia.

Antes de anunciar seu afastamento do cargo que exercia, destituiu toda diretoria para então, divulgar sua renúncia.

Recentemente anunciou que o PFC participaria do Certame 2017 série A2.

Deixa o cargo que será assumido interinamente pelo Dr João. Sobrinho, presidente do Conselho Deliberativo.

 

EncartNoticias.com

Fonte: pesqueira em foco

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

FAB intercepta avião com cerca de 500 kg de cocaína em Jussara, GO

A Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou um avião bimotor neste domingo (25) que transportava aproximadamente 500 kg de cocaína em Jussara. Os ocupantes da aeronave fugiram após um pouso na área rural do município. A Polícia Militar fez a apreensão dos entorpecentes.

De acordo com o centro de comunicação social da Aeronáutica, o bimotor decolou de uma fazenda na cidade de Campo Novo do Parecis, no Mato Grosso, com destino a Santo Antônio Leverger, no mesmo estado.

Um avião da FAB começou a fazer o acompanhamento da aeronave e ordenou que o bimotor mudasse a rota e pousasse no aeródromo de Aragarças, em Goiás.

Segundo o comunicado, inicialmente o piloto do bimotor obedeceu às ordens, mas, ao invés de pousar, desviou o curso. Com isso, o avião da FAB “executou um tiro de aviso” para fazer a aeronave a cumprir as ordens. O órgão esclareceu ainda que o disparo não atingiu nenhuma parte do bimotor.

A aeronave, então, pousou na zona rural de Jussara. Na aterrisagem, o avião ficou danificado e parte da cauda quebrou. Os ocupantes fugiram do local. Um helicóptero do Grupo de Radiopatrulhamento Aéreo (Graer) da Polícia Militar foi acionado e faz buscas no local para tentar localizar o piloto e tripulantes da aeronave interceptada.

A droga foi apreendida pela PM e será levada para a Polícia Federal, em Goiânia.

Avião com 500 kg de cocaína é interceptado em Jussara (Foto: Divulgação/PM)

Avião com 500 kg de cocaína é interceptado em Jussara (Foto: Divulgação/PM)

Droga estava escondida em avião bimotor (Foto: Divulgação/PM)

Droga estava escondida em avião bimotor (Foto: Divulgação/PM)

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

‘Eu mantive o corpo da minha filha em casa por três semanas’

 (Foto: GILLI DAVIDSON)

(Foto: GILLI DAVIDSON)

Niamh Storey Davidson recebeu um diagnóstico de tumor de Wilms – um câncer raro de rim que afeta crianças – aos seis anos.

Ela enfrentou o tratamento por quase três anos, mas continuou piorando. Então a família recebeu a notícia que o estado dela era irreversível.

“Pensar que ela não estaria aqui era algo insuportável”, lembra Gilli.

“Ela morreu em casa às 13h30, ao meu lado e do pai dela.” Os outros filhos de Gilli – incluindo o irmão gêmeo de Niamh, Zach – estavam na escola ou na faculdade.

Mas em meio àquela tempestade de tristeza e chateação, Gilli tinha certeza de uma coisa: ela queria doar os olhos de Niamh, os únicos órgãos da garota que não tinham sido afetados pela doença.

Doação de órgãos é algo muito importante para a família de Gilli – quando era bebê, um dos irmãos de Niamh fez um transplante de coração após contrair uma grave infecção no peito.

A mãe precisava agir rápido. Por volta das 17h ela estava em contato com a Arka Original Funerals – uma empresa da cidade de Brighton, na Inglaterra, que integra um movimento no Reino Unido para retirar o caráter industrial e humanizar as questões que envolvem a morte.

Gilli Davidson com o caixão da filha Niamh na sala de casa (Foto: GILLI DAVIDSON)

Gilli Davidson com o caixão da filha Niamh na sala de casa (Foto: GILLI DAVIDSON)

Quando a diretora da firma Cara Mair chegou com sua colega Sarah Clarke-Kent para pegar o corpo de Niamh, não havia sacos funerários pretos e impessoais para colocá-lo.

Ela foi levada em uma maca com travesseiro, envolta em um lençol de algodão e uma fina cobertura de veludo com folhas.

“Para famílias é muito difícil testemunhar o corpo de um ente querido sendo retirado de casa”, afirma Cara.

“É importante ter algo bonito pela embalar os corpos. A pessoa pode ter morrido, mas ainda é sua armadura, seu receptáculo.”

Niamh foi levada rapidamente às instalações da Arka, onde os olhos foram removidos por um técnico médico naquela mesma noite.

Uma despedida diferente

“Sarah ficou com Niamh durante o procedimento”, conta a mãe, Gilli. “Foi um privilégio, porque sabia assim que o processo seria respeitoso. O homem que a operou disse que os olhos de Niamh eram lindos e estavam em ótima condição, então certamente seriam doados. Fiquei muito feliz de ouvir aquilo.”

No dia seguinte, Niamh foi levada de volta para casa. Manter um corpo em casa antes do funeral é raro no Reino Unido, mas não é ilegal.

A questão mais importante é a temperatura. Algumas funerárias oferecem unidades de ar condicionado no verão para manter os corpos na temperatura adequada, e cobertores elétricos frios também podem ser usados.

No caso de Niamh, a temperatura não foi um problema. Era novembro, mês frio no hemisfério Norte, então ela foi colocada em um quarto em casa com as janelas abertas.

“Ela ficou lá, deitada no sofá com seus cobertores e almofadas”, lembra Gilli.

“Eu não conseguiria tê-la deixado em outro lugar. Apenas não parecia a coisa certa. Ela tinha acabado de fazer nove anos – ainda parecia que era parte de mim.”

Niamh permaneceria em casa por quase três semanas, com os olhos fechados.

“Nós tentamos desacelerar as coisas para os familiares, para dar tempo de digerir a notícia de uma morte. Não temos um jeito padrão de fazer as coisas”, afirma Cara.

Nos dias em que Niamh ficou em casa, a mãe passou muito tempo com ela.

“Pude dar banho nela e colocar suas roupas favoritas. A principal coisa para mim era tornar sua morte real. Se ela tivesse simplesmente desaparecido da casa, depois colocada em um caixão para nunca mais ser vista, eu ainda a estaria procurando”, diz a mãe.

Niamh durante os anos de tratamento (Foto: GILLI DAVIDSON)

Niamh durante os anos de tratamento (Foto: GILLI DAVIDSON)

Gilli confiou em seus instintos ao conduzir a despedida da filha porque ela já havia sofrido a perda de dois filhos. Seu primeiro, Liam, morreu pouco após o nascimento, em 1990.

“Eu lembro de pedir para vê-lo antes do funeral, mas o capelão que cuidava do velório não permitiu. Então por anos depois costumava pensar que acreditaria se alguém batesse à porta e dissesse que a morte dele havia sido um terrível engano. Era como se eu não acreditasse que ele estava morto.”

Ela nunca esqueceu o fato de que não conseguiu ver o filho pela última vez. “Aquilo me fez pensar – por que? Por que estão querendo me enrolar? Você fica em um estado tão frágil e estranho após a morte de uma criança.”

No Reino Unido, não é comum que familiares e amigos vejam o corpo no caixão logo antes do enterro ou da cremação. Mas Cara Mair diz que isso é algo importante para alguns clientes.

“Quando o caixão é fechado, eles sabem que foram os últimos a ver aquela pessoa, então podem descansar com a certeza de que os corpos não foram manuseados de forma desrespeitosa”, afirma.

“Claro que isso não é igual para todos – isso pode deixar algumas pessoas desconfortáveis. Mas a chance de escolher precisa existir”, completa.

Lições do luto

Em 1998, Gilli perdeu um segundo filho, Robbie, ainda recém-nascido. Ela tinha aprendido algumas lições de seu primeiro processo de luto, mas ainda assim o serviço funerário pareceu muito equivocado.

“Foi muito longo para um pequeno bebê. E quem falou citou muitas coisas religiosas, que não tinham nada a ver comigo”, conta.

A mãe se recorda de uma conversa que teve com Niamh antes da morte da filha.

“Estávamos indo ao parque com o irmão dela, e ela disse que queria ser enterrada. Ela não gostava da ideia de fogo, e estava muito certa daquilo.”

Mas a mãe odiava a ideia de um cemitério – macabro e escuro e tão diferente de sua pequena e tímida filha.

A família decidiu fazer o enterro em uma área de bosque. Gilli não queria colocar a filha em um caixão, e a empresa disse que ela poderia ser enterrada apenas envolta em uma manta. Mas o pai mudou de ideia no último minuto e o corpo acabou sendo colocado em um caixão.

“Ela não mudou muito no período que passou em casa desde a morte”, lembra Sarah Clarke-Kent, da empresa funerária. “Ela parecia tão pequena e em paz.”

Niamh amava cães. No dia do enterro, sua rua ficou cheia de vizinhos, amigos, crianças e seus cachorros.

“Foi emocionante ver como a família se envolveu e se manteve no controle do funeral de Niamh. Foi um privilégio ajudá-los”, afirma Cara Mair.

Ela dirigiu lentamente o carro com o caixão pela rua, seguida por uma procissão de pessoas a pé. Balões foram soltados, então todos entraram em seus carros e foram até o local do enterro.

“Realmente sentimos que foi a coisa certa. O funeral é apenas o começo da despedida, mas é um começo muito importante – é o início do caminho para o próximo capítulo da vida, sem aquela pessoa. E se não lidamos com a morte de uma maneira boa, o luto fica preso, e pode afetar sua vida e de suas crianças”. afirma Gilli.

A família também teve uma reação muito positiva à decisão de doar os olhos de Niamh.

“Temos essa ideia cultural de que os olhos são a janela da alma, então é comum não autorizar a retirada. Muitas pessoas nos escreveram dizendo ter mudado de ideia após ouvir a história de Niamh.”

E quando Gilli soube que as córneas da filha tinham sido transplantadas, dando visão a um adolescente e a um jovem homem, ela ficou muito feliz.

“Significa que um pedacinho de Niamh viveu – esse é o legado dela.”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Menor é morto em Sanharó após meliante exigir celular.

A vítima segundo informações, não estava com celular.

 

Segundo informações, a vítima saiu de casa no sábado (24), para as festas juninas da cidade de Sanharó-PE, Agreste de Pernambuco e ao retornar foi vítima de esfaqueamento.

Ainda segundo informações, a vítima de 16 anos, ao retornar dos festejos, em direção para casa, já bem próximo à residência, foi abordado provavelmente por um meliante que exigiu a entrega do celular da vítima. De acordo os populares, a vítima não se encontrava com o celular e ao relatar que não estava com o aparelho ainda foi ferido com uma arma perfuro cortante (provavelmente faca peixeira), a vítima ainda correu ferido e ao chegar em casa a mãe ainda abriu a porta, vindo o menor a cair dentro de casa.

A polícia foi acionada e ao chegar ao local, fez o isolamento do local acionando a Polícia Civil, que fez a perícia e liberou o corpo para ser encaminhado ao IML de Caruaru.

O inquérito policial foi aberto pela polícia Civil, até o fechamento desta matéria não tivemos informação se o autor do crime foi preso.

 

EncartNoticias.com

Com Informações: Evanildo Márcio Rádio Jornal Pesqueira.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

[email protected]
[email protected]