Governo brasileiro vai ao Peru dar explicações sobre vaca louca

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento enviará técnicos a Lima na próxima segunda (19) ou terça-feira (20) para tentar reverter a suspensão às compras da carne bovina do Brasil, anunciada pelo Peru na semana passada. O país interrompeu as importações do produto oriundo de todo o território brasileiro por 180 dias, após a confirmação de um caso atípico de encefalopatia espongiforme bovina (EEB), popularmente conhecida como doença da vaca louca, no estado de Mato Grosso.

Por meio da assessoria de comunicação, a pasta confirmou, ainda, uma viagem ao Irã na próxima quarta (21), para averiguar dificuldades de embarque da carne brasileira para aquele mercado informadas pelo setor privado. Deve haver também uma visita ao Egito, que  suspendeu oficialmente as compras de carne de Mato Grosso por 180 dias. Ainda não está definida qual será a data.

Segundo o Ministério da Agricultura, a documentação de esclarecimento sobre o caso de EEB será enviada a todos os parceiros comerciais e alguns receberão missões brasileiras. A decisão de incluir o Irã na agenda de viagens foi tomada após a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec) informar que o país foi o terceiro a embargar a carne de Mato Grosso.

Saiba Mais
Laudo do Reino Unido aponta caso atípico de vaca louca em MT, diz Agricultura
Egito embarga carne bovina de Mato Grosso devido a caso de vaca louca
De acordo com a Abiec, além de dados comerciais apontarem uma suspensão, uma publicação na página do serviço veterinário oficial do Irã indica restrições à carne de Mato Grosso. O Ministério da Agricultura, entretanto, ressalta que uma ação do tipo só pode valer após comunicação formal ao governo brasileiro, o que não ocorreu. Segundo a assessoria, a pasta optou pela viagem ao país asiático para verificar o que está ocorrendo.

O presidente da Abiec, Antônio Jorge Camardelli, disse acreditar que a reação de alguns compradores da carne brasileira após a confirmação do caso mudará rapidamente. “Estamos muito confiantes de que se possa reverter [as suspensões] no curto prazo”, disse.

Fiscais do Ministério da Agricultura detectaram suspeita de um caso de vaca louca em 19 de março em um frigorífico da JBS/Friboi. A carne não chegou ao mercado de consumo. O ministério fez testes no Laboratório Nacional Agropecuário de Pernambuco (Lanagro-PE), que indicaram a doença. A pasta também iniciou uma investigação epidemiológica em campo, sacrificando e testando 49 bovinos contemporâneos do animal que desenvolveu a doença, mas os resultados deram negativo.

Para cumprir o protocolo da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e determinar o tipo de manifestação, o ministério encaminhou ainda amostras para o laboratório de referência da entidade no Reino Unido. Os resultados chegaram ao Brasil na sexta-feira (9) e apontaram um caso atípico (tipo H) de EEB, que costuma ocorrer em animais mais velhos. Trata-se de uma manifestação esporádica, não associada à ingestão de ração contaminada e que traz menos riscos.

A doença da vaca louca é causada por uma proteína chamada príon, que pode ser transmitida a bovinos e caprinos quando alimentados com ração de farinha contendo carne e ossos de animais contaminados. Além de causar a morte dos animais, a EEB pode infectar seres humanos.

No ano passado, após a confirmação de um caso de doença da vaca louca em um animal morto em 2010 em Sertanópolis (PR), vários países suspenderam a compra da carne brasileira, embora também se tratasse de EEB atípica.

Fonte: Agência Brasil

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Ataques de escorpiões aumentam no período das chuvas

O período de chuvas já chegou ao Grande Recife e com ele visitantes indesejáveis: os escorpiões. Só em 2013 foram registrados 820 casos de ataque de escorpião em todo o Estado. O acúmulo de lixo nos esgotos e galerias é o principal responsável pelo aumento na incidência de acidentes.

Basta chover para os esgotos e galerias entupidos de lixo transbordarem, expulsando os aracnídeos de seu habitat. Eles acabam migrando para as residência através das tubulações, oferecendo riscos aos moradores.

Os apartamentos mais altos não estão longe do problema. De acordo com o biólogo Pedro de Lima, do Centro de Assistência Toxicológica de Pernambuco (Ceatox-PE), a caixa de gordura dos edifícios sem manutenção adequada também viram porta de acesso, fazendo os escorpiões entrarem pelos ralos dos banheiros.

PREVENÇÃO – Limpeza continua sendo a melhor forma de prevenção, tanto das galerias, que são de responsabilidade da prefeitura, quanto das caixas de esgotos e fossas dentro das residências. Colocar veneno para prevenção não é indicado pelo Ministério da Saúde. O veneno não irá matar os escorpiões e sim as baratas (alimento dos aracnídeos), fazendo eles se deslocarem para outras casas.

Um fato curioso observado pelo Ceatox é que criar galinhas em casa evita o surgimento do aracnídeo, pois elas são predadores naturais. Porém, nos grandes centros são poucas as casas que têm local suficiente para criar aves.


TRATAMENTO
 – No caso de picada, a pessoa deve se dirigir ao posto de saúde ou UPA (Unidade de Pronto Atendimento) mais próximo. O tratamento utilizado em adultos e idosos é a administração de analgésicos e bolsa térmica no local da picada.

No caso das crianças, o atendimento precisa ser feito o mais rápido possível. A espécie de escorpião mais comum em Pernambuco, a Tityus sitgmurus possui um veneno que oferece risco de morte aos pequenos. Numa situação como essa, os pais ou responsáveis precisam levar diretamento ao Hospital da Restauração, local de referência no Recife e que possui o soro antiescorpiônico. No Estado ainda existem 26 pontos de atendimento que fazem a medicação com o soro.

HOSPITAIS EM PERNAMBUCO QUE POSSUEM SORO ANTIESCORPIÔNICO
Afogados da Ingazeira Hospital Regional Maria Emília Câmara
Afrânio Hospital Maria de Coelho Cavalcanti Rodrigues
Araripina Hospital e Maternidade Santa Maria
Arcoverde Hospital e Policlínica Rui de Barros Correia
Belém de São Francisco Hospital Dr. José Alventino de Lima
Betânia Unidade Mista Professor Alcides Ferreira Lima
Cabrobó Hospital Dr. Arnaldo Vasconcelos de Alencar
Caruaru Hospital Regional do Agreste
Custódia Unidade Mista Elizabete Barbosa
Floresta Hospital Álvaro Ferraz
Garanhuns Hospital Dom Moura
Limoeiro Hospital Regional de Limoeiro
Ouricuri Hospital Regional Fernando Bezerra
Palmares Hospital Regional de Palmares
Parnamirim Unidade Mista Raimunda de S.B cabral
Petrolina Hospital Universitário de Petrolina
Salgueiro Hospital Regional Inácio de Sá
Santa Maria da Boa Vista Hospital Monsenhor Antônio Sampaio
São José do Belmonte Unidade Mista Auta Magalhães
São José do Egito Unidade Mista Maria Rafael de Siqueira
Serra talhada Hospital Professor Agamenon Magalhães
Tabira Hospital Maria Gayão Pessoa Guerra

CAMPANHA EDUCATIVA – A Secretaria de Saúde de Pernambuco lançou nesta quarta-feira (7) o projeto “O Cordel Encantado a Prevenção”. A publicação terá cinco cartilhas em forma de cordel para orientar a população sobre acidentes com animais peçonhentos, inclusive escorpiões. O material de divulgação está disponível no site da secretaria.

Prevenção contra escorpiões ganhou cordel especial

Ainda neste mês, as cartilhas serão distribuídas nas escolas estaduais do Recife. A intenção é que os estudantes sejam mutiplicadores das informações em suas comunidades. O mesmo material também será utilizados para capacitar agentes comunitários de saúde (ACS), agentes de saúde ambiental e controle de endemias (Asaces), enfermeiros e médicos.

 

 

Do NE10

Foto: Internet

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

OMS: quase 90% da população urbana estão expostos à poluição do ar

Quase nove em cada dez habitantes das cidades do mundo estão sujeitos a níveis de poluição acima do aceitável segundo os padrões da Organização Mundial da Saúde (OMS), mostra relatório divulgado nesta quarta-feira (7).

O índice, que inclui 1.600 cidades de 91 países, conclui que a maioria das cidades do planeta não cumpre as diretrizes da OMS sobre níveis seguros de poluição do ar, ameaçando a saúde dos habitantes.

Com efeito, diz a organização, apenas 12% das pessoas que vivem nas cidades compreendidas no estudo respiram ar que respeita as diretrizes da OMS.

Cerca de metade da população urbana abrangida está exposta a níveis de poluição pelo menos 2,5 vezes mais altos do que a OMS recomenda.

Além disso, alerta a organização, na maioria das cidades com dados suficientes para uma comparação com anos anteriores, a situação está piorando.

Isso, apesar de haver cada vez mais cidades a monitorar a qualidade do ar, o que reflete crescente reconhecimento dos riscos da poluição do ar para a saúde.

A OMS atribui a deterioração da qualidade do ar à dependência dos combustíveis fósseis, como as centrais elétricas movidas a carvão, ao uso de veículos particulares motorizados, à ineficiência energética dos edifícios e ao uso de biomassa na cozinha e no aquecimento.

No entanto, o relatório destaca que algumas cidades têm feito melhorias significativas, demonstrando que a qualidade do ar pode ser melhorada com medidas como a proibição do uso de carvão para o aquecimento de edifícios, a utilização de combustíveis renováveis ou limpos para a produção de energia e a melhoria da eficiência dos motores dos veículos.

A OMS apela, por isso, aos países para que apliquem políticas de mitigação da poluição do ar e para que vigiem de perto a situação nas cidades de todo o mundo.

“Muitos centros urbanos estão hoje tão envolvidos em ar poluído que os seus horizontes são invisíveis, disse a diretora-geral adjunta da OMS para a Saúde da Família, Criança e Mulher, Flavia Bustreo.

Em abril, a OMS informou que a poluição do ar foi responsável pela morte de 3,7 milhões de pessoas com menos de 60 anos em 2012.

 

 

 

Fonte: Agência Brasil

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Anvisa suspende mais 14 marcas de tintas para tatuagem

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu nesta terça-feira (6) 14 marcas de tinta para tatuagem por falta de registro no país. São elas: Intenze, Eternal Ink, Suprema Collors, Solid Ink, Drawing Ink 700, Extrema Magic Collors, Master Ink, Kuro Sumi, Murano, Kactus, Kokkai Sumi Ink, Infinity Tattoo Ink, Korrai Sumi Ink e Bowery Ink.

De acordo com resolução publicada no Diário Oficial da União, a orientação da agência é que as vigilâncias sanitárias dos estados e municípios apreendam e inutilizem as unidades encontradas no mercado.

Outra medida também publicada hoje no Diário Oficial da União visa a impedir o uso da tinta Indian Ink em tatuagens. De acordo com a Anvisa, o produto tem registro, mas o próprio rótulo traz a informação que a tinta não deve ser utilizada para este fim. Neste caso, a orientação é que as vigilâncias sanitárias apreendam o produto quando ele for encontrado em estúdios e feiras de tatuagem.

A Anvisa já havia suspendido a marca de tinta para tatuagem Supreme, fabricada por Tseva Indústria e Comércio, em janeiro passado, após receber uma denúncia do Ministério Público do estado de São Paulo.

A pigmentação artificial permanente para pele, incluindo as tintas de tatuagem, é regulamentada pela Anvisa por meio da Resolução da Diretoria Colegiada de número 55 publicada em 2008, a RDC 55/2008. No país, há três marcas de tintas regulares para tatuagem: a Starbrite Colors, a Electric Ink e a Irons Work.

 

 

Fonte: Agência Brasil

Foto: FreeImages

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Novo tipo de vírus de gripe é descoberto em pinguins na Antártica

Um novo tipo de gripe aviária foi detectado pela primeira vez em pinguins na Antártica, embora o vírus pareça não estar afetando os animais, informaram nesta terça-feira (6) os pesquisadores. O vírus é diferente de qualquer outro conhecido pela ciência, cita artigo do mBio, um jornal da Sociedade Americana de Microbiologia.

“Isso levanta uma série de perguntas para as quais não há respostas”, disse Aeron Hurt, responsável pelo estudo e cientista sênior do Centro de Pesquisa da Gripe em Melbourne, na Austrália, que colabora com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O estudo é o primeiro a relatar um tipo de gripe das aves em pinguins, mas do tipo H11N2, até agora desconhecido, e não é claro que os vírus mais comuns e mais mortais possam chegar à Antártica.

As amostras, cerca de 300, foram recolhidas entre janeiro e fevereiro de 2013 e identificaram o vírus em oito amostras, embora os pinguins não demonstrassem sinais da doença.

Um dos tipos mais comuns de gripe das aves é o H5N1, que os especialistas acreditam ser disseminado por meio de patos.

De acordo com os dados da OMS, cerca de 650 pessoas foram infestadas com o vírus H5N1, das quais 60% morreram.

 

 

Fonte: Agência Brasil

Foto: Internet

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Alerta sobre poliomielite não preocupa Brasil, segundo Ministério da Saúde

Depois que a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou estado de emergência mundial devido à poliomielite, o Ministério da Saúde informou, em nota, que o Brasil não precisa de medidas adicionais contra a doença, já que não tem registros de casos desde 1990. O ministério acrescentou que o país recebe, anualmente, certificado da OMS pela eliminação da pólio.

A recomendação feita pelo Ministério da Saúde é que brasileiros mantenham a caderneta de vacinação atualizada antes de viajarem para o Afeganistão, Camarões, Guiné Equatorial, Etiópia, Israel, Nigéria, Paquistão, Somália e para a Síria, países que tiveram circulação do vírus registrada, nos últimos meses. A imunização contra a poliomielite é gratuita no Brasil.

Anualmente, a campanha de vacinação contra a poliomielite tem pelo menos 95% de imunização do público-alvo. O Ministério da Saúde ressaltou que monitora permanentemente a situação epidemiológica da doença em outros países.

 

 

Fonte: Agência Brasil

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

OMS decreta emergência sanitária em mais de 10 países por causa da poliomielite

A Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou nesta segunda-feira (5) emergência sanitária mundial devido ao aumento dos contágios por poliomielite nos últimos seis meses. No período, foram detectados casos em mais de dez países. A decisão foi tomada depois de várias reuniões do Comitê de Emergência da OMS, formado por especialistas no assunto, que recomendaram a declaração do estado de emergência porque os contágios podem representar uma ameaça a todo o mundo.

“Depois de discussões e deliberação sobre as informações fornecidas e no contexto da iniciativa global de erradicação da polio, o comitê entendeu que a propagação da polio em 2014 constitui um ‘evento extraordinário’ e um risco de saúde pública para outros Estados, para os quais uma resposta internacional coordenada é essencial”, informou a OMS.

Para a organização, se essa situação não for administrada, a proliferação da doença poderá significar a falha da erradicação da poliomelite no mundo, uma das doenças mais sérias que podem ser prevenidas por meio de vacinação. De acordo com dados da OMS, 60% dos casos de polio foram resultado de contaminação por poliovírus selvagem, facilitada pela proliferação por adultos em viagens. Constatou-se que, em 2014,  já houve a proliferação do vírus em três dos dez países contaminados – na Ásia Central (do Paquistão para o Afeganistão), no Oriente Médio (da Síria para o Iraque) e na África Central (de Camarões para  Guiné Equatorial).

“As consequências de mais proliferação internacional são particularmente agudas atualmente, dada a grande quantidade de Estados livres da polio, porém frágeis por conflitos que comprometeram severamente a rotina dos serviços de imunização e que têm alto risco de recontaminação. Esses países teriam extrema dificuldade em organizar uma resposta caso o vírus selvagem seja reintroduzido”, segundo a OMS.

Os dez países em que a organização considera que há contaminação por poliomielite são: Paquistão, Camarões, Síria, Afeganistão, Guiné Equatorial, Etiópia, Iraque, Israel, Somália e Nigéria.

 

 

Fonte: Agência Brasil

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Implante cerebral para restaurar memória é desenvolvido pelos EUA

Sonho de muitos mortais, apagar ou recuperar da memória uma recordação pode se tornar realidade graças a um grupo de pesquisadores militares que desenvolvem um implante cerebral capaz de restaurar recordações de soldados e pacientes com problemas neurológicos.

A Agência de Investigação de Projetos Avançados de Defesa (DARPA) desenvolve um plano de quatro anos para construir um sofisticado estimulador de memória. Caso tenha sucesso, a pesquisa poderá beneficiar, por exemplo, milhões de pessoas acometidas com o Mal de Alzheimer.

O projeto faz parte de um investimento de 100 milhões de dólares concedido pelo presidente Barack Obama, que visa fomentar pesquisas de aprofundamento na compreensão do cérebro humano.

A ciência nunca tentou tal façanha antes, e o tema levanta inúmeros questionamentos éticos, como por exemplo se a mente humana pode ser manipulada com o intuito de controlar feridas de guerra ou o envelhecimento do cérebro.

Assim como quem sofre de demência, as pesquisas poderão ajudar os cerca de 300.000 soldados norte-americanos que sofreram lesões cerebrais graves no Iraque e no Afeganistão.

“Se você ficou ferido no cumprimento de seu dever e não consegue se lembrar da sua família, queremos ser capazes de recuperar este tipo de função”, disse esta semana o gerente do programa do DARPA, Justin Sánchez, em conferência realizada em Washington, organizada pelo Centro de Saúde Cerebral da Universidade do Texas.

“Pensamos que podemos desenvolver dispositivos neuro-protésicos que possam interagir diretamente com o hipocampo para restaurar o primeiro tipo de recordação que apontamos, a memória declarativa”, disse.

A memória declarativa, também chamada de memória explicita, é uma forma de memória de longo prazo que armazena a identificação de pessoas, acontecimentos, feitos e números. Nenhuma pesquisa conseguiu mostrar como, uma vez perdidas, estas lembranças podem ser recuperadas.

COMO UM MARCAPASSO – O que os cientistas da área são capazes de fazer até o momento é ajudar a reduzir os tremores de pessoas que sofrem do Mal de Parkinson, controlar as convulsões de epilépticos e melhorar a memória de alguns pacientes com Alzheimer através de um processo chamado estimulação cerebral.

Estes dispositivos, inspirados nos marcapassos usados por pacientes que sofrem de problemas cardíacos, enviam sincronizadamente estímulos elétricos ao cérebro, mas não funcionam de maneira igual em todos os doentes.

Os especialistas garantem que é necessário desenvolver algo parecido para trabalhar na recuperação da memória. “A memória é um assunto de padrões e conexões”, explicou Robert Hampson, professor associado da universidade Wake Forest.

“Para desenvolvermos a prótese de memória, devemos primeiramente ter algo que nos mostre quais são os padrões específicos”, ressaltou Hampson, negando-se a falar explicitamente sobre a pesquisa do DARPA.

A investigação de Hampson em roedores e macacos tem demonstrado que os neurônios do hipocampo – zona do cérebro que processa a memória – se ativam de maneiras diferentes quando o sujeito vê a cor vermelha ou azul, ou quando é confrontado com uma fotografia de um rosto ou de um alimento.

Munido desta descoberta, Hampson e seus colegas puderam estender a memória de curto prazo dos animais usando próteses cerebrais para estimular o hipocampo.

Os pesquisadores também conseguiram que um macaco dopado agisse quase normalmente ao realizar uma tarefa de memória, e o confundiram manipulando o sinal para que ele escolhesse a imagem oposta da que ele se lembrava.

Assim, segundo Hampson, para restaurar uma lembrança humana específica, os cientistas necessitariam saber qual é exatamente o padrão, ou caminho, para aquela memória.

Outros cientistas da área consideram que podem melhorar a memória de uma pessoa ajudando o cérebro a trabalhar de forma similar à que trabalhava antes de sofrer a lesão cerebral.

PREOCUPAÇÕES ÉTICAS – É fácil prever que a manipulação das lembranças de uma pessoa abrirá um campo de batalha ético. Foi o que disse Arthur Caplan, médico especializado em ética do centro médico de la Universidade Langone, em Nova York.

“Quando você mexe com o cérebro, mexe com sua própria identidade”, disse Caplan, que presta consultoria à DARPA em assuntos de biologia sintética.

“O custo de alterar a mente é que se corre o risco de perder sua identidade,e este é um tipo de risco que nunca enfrentamos antes”.

No que diz respeito aos soldados, a possibilidade de que seja factível apagar memórias ou inocular novas recordações pode interferir nas técnicas de combate, fazer com que os soldados sejam mais violentos e menos escrupulosos, ou até mesmo manipular o andamento de investigações de crimes de guerra, advertiu Caplan.

“Se eu puder tomar uma pílula ou colocar um capacete para que algumas lembranças sejam apagadas, talvez eu não tenha que viver com as consequências do que faço”, disse.

A página da DARPA na internet assinala que, devido a seus “programas levarem a ciência até seus limites”, a agência “periodicamente consulta estudiosos com gabarito para aconselhar e discutir temáticas de relevância ética, legal e social”.

Uma das muitas perguntas sem resposta sobre o projeto é quem estará à frente dos primeiros testes em seres humanos, quais serão as primeiras cobaias.

Sánchez afirmou que os próximos passos da pesquisa serão anunciados dentro de poucos meses. “Temos alguns dos cientistas mais talentosos de nosso país trabalhando neste projeto. Então fiquem ligados: muitas coisas promissoras estão por vir num futuro muito próximo”.

 

 

Fonte: AFP

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Metade dos brasileiros tem excesso de peso

Pesquisa feita pelo Ministério da Saúde nas capitais brasileiras e no Distrito Federal mostra que metade (50,8%) dos brasileiros acima de 18 anos está com excesso de peso, e 17,5% são obesos. Embora o resultado seja preocupante, é a primeira vez em oito anos que os números permanecem estáveis. Desde que o trabalho começou a ser feito, em 2006, a média anual de crescimento dessa população era de 1,6%. Os dados são de 2013.

“É uma fotografia. É preciso aguardar os próximos anos para verificar se isso será uma tendência. Seja como for, é muito importante”, afirmou o ministro da Saúde. Arthur Chioro. O secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Jarbas Barbosa, atribui em parte a mudança à melhora na alimentação dos brasileiros.

O trabalho mostra que 23,6% dos entrevistados disseram comer pelo menos cinco porções de frutas e verduras por dia, em pelo menos cinco dias da semana.Em 2008, 20% afirmavam ter esse hábito saudável.

LANCHE – Ele considera essencial, no entanto, a redução do consumo de leite integral. “Há ainda a falsa impressão de que o consumo do produto integral é mais nutritivo”, comentou. Ano passado, 53,5% dos entrevistados disseram que consumiam leite integral. Outro ponto considerado preocupante é o hábito de brasileiros e trocar o jantar por um lanche.Dos entrevistados, 16,5% disseram manter essa prática.

Essa foi a primeira vez que pesquisadores perguntaram sobre o hábito. “Vamos acompanhar, agora, para ver quais resultados serão apresentados nos próximos anos”, disse Barbosa.

Os indicadores apresentados pelo Brasil de sobrepeso são maiores do que os apresentados pela China (25,4%) e Índia (11%), mas significativamente menores do que os registrados na Rússia (59 8%) e na África do Sul (65,4%). “Mas a melhor comparação é com nossos números”, avaliou Barbosa.

Além da melhora na alimentação, Barbosa citou o aumento da frequência de atividades físicas como um dos fatores que podem explicar a estabilização dos números de obesidade e sobrepeso. Ano passado, 33,8% dos entrevistados disseram praticar atividade física. Embora em 2012 os porcentuais tenham sido muito parecidos (33,5%), enxerga-se aí uma mudança importante. “Temos de considerar o período. Em 2009, o porcentual era de 30,8%. O fato é que a população hoje tem mais estímulo para praticar exercícios e se alimentar adequadamente do que há dez anos.”

CAPITAL – São Paulo foi a capital com menor porcentual de adultos que afirmam praticar atividade física no tempo livre. Dos entrevistados, 28% disseram ter esse hábito. Um indicador bem menor do que o primeiro colocado, Florianópolis. Nessa capital, 44% disseram praticar atividades físicas regulares. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

 

Fonte: Agência Estado

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

População de Belo Jardim reclama da falta de estrutura em hospital público

Em Belo Jardim, no Agreste pernambucano, uma das principais reclamações da população diz respeito ao Hospital Regional Júlio Alves de Lira (HJAL). Na unidade, a queixa da população é sobre a falta de estrutura, fato que também é confirmado por alguns funcionários que dizem faltar até material de primeiros socorros. Confira no vídeo da reportagem do quadro Fiscal do Povo do programaO Povo na TV da TV Jornal Caruaru.
 
Da TV Jornal

Foto: Reprodução TV Jornal

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

contato@encartenoticias.com
jencartnoticias@gmail.com