Jovem é morto a tiros ao se envolver em discussão para defender mulher em bar em Jaboatão

Por G1 PE

Um jovem de 20 anos foi morto a tiros na madrugada deste domingo (28), após se envolver em uma confusão em um bar no bairro de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Segundo a Polícia Civil, uma mulher de 21 anos começou a discutir com um desconhecido e a vítima se envolveu para defendê-la, sendo baleada. A mulher levou um tiro de raspão na perna.

Socorrida para uma unidade de saúde, a jovem contou aos policiais da Força Tarefa de Homicídios que não conhecia o autor dos disparos. Durante a discussão, um outro homem, que ela também desconhecia, foi tirar satisfações com o autor do crime, que fez diversos disparos.

Atingida pelos tiros, o jovem, identificado pelos policiais como Denilson do Nascimento Gomes, chegou a ser socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Imbiribeira, na Zona Sul do Recife. Ainda segundo a Polícia Civil, ele chegou à unidade de saúde sem vida.

O corpo do jovem foi levado ao Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro, no Centro do Recife. As investigações, segundo a corporação, ocorrem sob sigilo até a elucidação do crime.

Homicídios em Pernambuco

No mês de março, o estado registrou 316 homicídios, número 14,36% menor que os 369 assassinatos registrados pelo governo estadual no mesmo período de 2018. Ao longo de 2019, foram registrados 896 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) em, Pernambuco, 27,56% a menos do que o mesmo período de 2018, quando foram registrados 1.237 assassinatos.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Protesto contra prisão de suspeito de envolvimento na morte de empresário em Aldeia interdita trecho da BR-101

Por G1 PE

Um protesto interditou os dois sentidos da BR-101, no bairro da Guabiraba, no Recife, neste domingo (28). Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o ato teve início às 9h40 e terminou pouco depois das 11h, e foi realizado devido à prisão de um homem suspeito de participar do assassinato de um empresário em Aldeia na terça-feira (23).

Nas proximidades do Centro de Treinamento do Náutico, os participantes do protesto queimaram pneus e madeira. “Eu estava vindo da Paraíba e seguindo no sentido Boa Viagem [Zona Sul do Recife], quando vi algumas pessoas derrubando bambus e árvores para queimar na pista”, conta o economista e fotógrafo Anízio Lopes, que passou pelo local.

Segundo o motorista, o protesto causou engarrafamento na via. “Muitos carros tiveram que seguir pela contramão porque não dava para passar de jeito nenhum”, conta Lopes.

Segundo a PRF, duas viaturas da corporação e uma viatura do Corpo de Bombeiros seguiram para o trecho da manifestação. A PRF espera que, com a liberação do trecho, o trânsito possa fluir sem retenções.

Entenda o caso

O assassinato do empresário Mário Gouveia Júnior, de 78 anos, ocorreu na madrugada da terça-feira (23), na casa em que ele morava com a esposa, no quilômetro 17 da Estrada de Aldeia, em Paudalho. No terreno, também funcionava o Parque Aquático Águas Finas, de que ele era dono.

Segundo testemunhas, cerca de 15 homens encapuzados entraram na casa durante a madrugada em busca do empresário. Dono de uma coleção de armas, Mário chegou a trocar tiro com os criminosos. O empresário foi atingido pelos disparos e em seguida foi socorrido pelo piloto de helicóptero Rodrigo Nogueira, funcionário de Mário, mas não resistiu.

Um suspeito do crime, segundo a Polícia Civil, foi encontrado baleado e foi internado no Hospital Otávio de Freitas. O homem de 22 anos faleceu na noite da terça (23).

Até este domingo (28), quatro pessoas foram presas por suspeita de participação no crime e tiveram a prisão preventiva decretada após audiência de custódia. Duas delas, segundo a defesa, trabalhavam fazendo a segurança da propriedade de Mário e tinham entrada gratuita no parque aquático. A Polícia Civil, por sua vez, constatou durante as investigações que os criminosos visitaram a casa dois dias antes do homicídio.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pernambuco tem maior superlotação carcerária do Brasil, com quase três presos para cada vaga

Por Pedro Alves, G1 PE

Pernambuco tem a maior superlotação carcerária do Brasil. Isso significa que o estado possui o maior número de presos proporcionalmente ao número de vagas. Atualmente, são 11.767 lugares nas 23 unidades prisionais, onde estão 32.781 presos em regime fechado. Considerando todos os regimes, são 40.190 detentos.

Em média, com base nas vagas disponíveis e no número de presos no regime fechado, há 2,78 pessoas para cada lugar. A quantidade de detentos é 178,6% maior que a capacidade dos presídios e penitenciárias.

Os números fazem parte de um novo levantamento feito pelo Monitor da Violência. O trabalho é uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Em 2018, esse índice era de 181% em Pernambuco. O percentual, apesar da redução, continua sendo o maior entre as 27 unidades federativas do país.

O déficit total é de 21.014 vagas. Entre 2018 e 2019, o estado chegou a aumentar em 926 vagas a capacidade do sistema prisional, que passou a comportar de 10.841 para 11.767 detentos. Apesar disso, o número de presos também aumentou, passando de 30.447 para 32.781.

Presídio de Itaquitinga, na Zona da Mata de Pernambuco — Foto: Reprodução/TV Globo

Presídio de Itaquitinga, na Zona da Mata de Pernambuco — Foto: Reprodução/TV Globo

Ou seja, o aumento de 8,54% na quantidade de vagas nos presídios e penitenciárias não foi suficiente para reduzir de forma incisiva o déficit carcerário, já que a população presa aumentou 7,66%.

O número de presos que trabalham nas unidades prisionais, considerando todos os regimes, representa 6% do total. O trabalho desenvolvido pelos reeducandos na prisão é considerado um dos pontos principais para a ressocialização, porque além de permitir que o preso receba remuneração, dá o direito de diminuição da pena. No Brasil, o estado fica na sexta pior posição no ranking de percentual de presos desenvolvendo atividades laborais.

Quanto aos presos que estudam, no entanto, o estado chega a 15,2% da população carcerária, acima dos 12,6% da média nacional. São 6.126 estudantes entre os 40.190 reeducandos de todos os regimes. Assim, Pernambuco fica com o oitavo melhor resultado do país.

Direitos humanos

Pesquisadora da Justiça Global, órgão de defesa aos direitos humanos que atua como peticionário da Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), Monique Cruz afirma que muitas violações de direitos humanos são registradas nos presídios de Pernambuco por causa da superlotação.

“Isso ocasiona condições muito ruins de alojamento, saneamento básico, ventilação e a incidência de crimes nas unidades prisionais. O que ocorre em Pernambuco é uma execução da pena de forma antijurídica, porque ultrapassa a garantia de direitos humanos como camas e acesso a banhos de sol”, diz Monique.

A situação de Pernambuco, para a CIDH, é peculiar por ser o único estado em que detentos atuam como chaveiros (presos que tomam conta das celas). Segundo Monique, esse é um dos pontos principais citados por uma resolução divulgada no fim de 2018 pela Corte, pedindo que o estado proíba a entrada de novos detentos no Complexo Prisional do Curado, na Zona Oeste do Recife.

“Uma chave, num presídio, significa muita coisa e, por isso, nenhuma pessoa privada de liberdade pode atuar como agente disciplinar. São pessoas com domínio de abrir e fechar certos portões e isso é uma resposta à falta de agentes penitenciários. A figura do chaveiro vai muito além disso. Tem a ver, inclusive, com a entrada de armamento e crimes no presídio”, diz.

No estado, segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários do estado (Sindasp-PE), há 1.488 profissionais em atuação e outros 157 devem tomar posse até junho. A média é de 22 presos por agente. Em 2018, a situação era a pior do Brasil, com uma média de 20,1 presos por agente.

Para Monique, a falta de agentes penitenciários também afeta diretamente a garantia de direitos constitucionais dos reeducandos. Consequentemente, todo o processo de ressocialização acaba sendo comprometido. A falta de informações sobre a população encarcerada também contribui para o quadro, segundo ela.

“Os agentes são responsáveis pela função privativa, pela circulação dos presos e seu acesso à Justiça, saúde, até comida. Se falta agente, esses direitos não são cumpridos. Isso para falar do mais simples, porque a segurança das unidades fica precária. Como o estado mantém o controle de um presídio com milhares de detentos com quatro agentes por plantão?”, questiona a pesquisadora.

Vista aérea do Complexo Prisional do Curado, no bairro do Sancho, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Vista aérea do Complexo Prisional do Curado, no bairro do Sancho, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Complexo Prisional do Curado

O Complexo Prisional do Curado, na Zona Oeste do Recife, é um símbolo do que se tornou a situação prisional em Pernambuco. Nele, estão localizados três presídios, os únicos voltados a homens na capital pernambucana.

O histórico de rebeliões, mortes e violações de direitos humanos é antigo, desde quando, no local, funcionava o Presídio Aníbal Bruno, construído em 1979, justamente para tentar acabar com a superlotação. A decisão de dividi-lo em três presídios foi tomada em 2012, no governo de Eduardo Campos (2007 a 2013), mas os problemas não foram resolvidos.

Segundo a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), 5.500 homens dividem, atualmente, um espaço construído para 1.819 pessoas. No fim de 2018, junto com a proibição de novos reeducandos no local, a CIDH pediu que o governo criasse uma equipe de especialistas para analisar a situação dos presos do complexo, entre eles psicólogos e assistentes sociais.

Comitivas da Organização de Estados Americanos (OEA) também fizeram visitas ao Complexo do Curado e constataram problemas como superlotação e entrada de armas. Também foram convocadas audiências para explicar a onda de violência e rebeliões dentro dos presídios, em 2015.

Em janeiro de 2017, o Governo de Pernambuco recebeu uma notificação para apresentar ao Ministério Público Federal (MPF) um programa de reestruturação dos setores do Complexo Prisional do Curado.

Secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, pasta à qual a Seres está vinculada, Pedro Eurico informou que respeita as orientações da Corte e que algumas das recomendações foram atendidas, mas que o fechamento do Complexo do Curado para novos presos é impossível, justamente por causa do déficit de vagas no sistema prisional como um todo.

“Fizemos uma muralha externa e recuperamos boa parte dos pavilhões, mas se fosse para tirar o Complexo do Curado, teríamos que construir dez novos presídios. Se cada um custa R$ 40 milhões, seriam R$ 400 milhões. Esse dinheiro não existe. Estamos reduzindo gradativamente a entrada e fazendo transferências do local, mas proibir a entrada de vez é sonho de uma noite de verão”, afirma Pedro Eurico.

Ainda segundo Pedro Eurico, o estado pretende, até o fim do mandato do governador Paulo Câmara (PSB), construir seis mil novas vagas no sistema prisional.

“Estamos construindo o Complexo de Araçoiaba, com 2.700 vagas; Temos Itaquitinga 2, com mil vagas; concluímos Itaquitinga 1, com outras mil; estamos construindo um novo pavilhão de segurança máxima com 90 vagas em Igarassu“, afirmou.

Eurico enumerou também ações em outras cidades do interior. “Concluímos, agora, a cadeia de Garanhuns (Agreste), com 200 vagas, e estamos com construções em Palmares (Mata Sul), com 176 vagas, e Caruaru (Agreste), com 700 vagas”, declara.

Judiciário

Para Monique Cruz, as alternativas para uma melhoria no sistema prisional vão além das grades dos presídios e penitenciárias. Ela afirma que uma opção é que o Judiciário adote outras formas de punição, para além da reclusão.

“No Brasil, cerca de 41% das pessoas presas não têm condenação e, em Pernambuco, isso gira em torno de 51%. A gente pode tentar trabalhar por aí. Isso é um efeito do Judiciário escolher como primeira opção o encarceramento, quando há penas alternativas. A construção de presídios não é uma opção. Temos possibilidades concretas de tirar as pessoas da prisão”, afirma.

Para o professor de direito penitenciário Adeildo Nunes, que durante 15 anos atuou como juiz de execução penal em Pernambuco, o aumento de prisões nos anos 2000 e a falta de novas unidades agravaram o problema.

Ele cita o programa Pacto pela Vida, criado na gestão do falecido ex-governador Eduardo Campos, como um dos causadores da superlotação.

“O Pacto pela Vida só se preocupou em efetivar prisões, sem demonstrar preocupação com a criação de vagas nos presídios. Em 2000, o estado tinha 6 mil presos e, em 2010, eles já eram 25 mil. Até hoje, o policial que prende, recebe uma gratificação. Erros na parceria publico-privada para a construção do presídio de Itaquitinga, ainda hoje inacabado, deram causa ao caos penitenciários”, diz.

Adeildo também afirma que penas alternativas podem ser utilizadas para diminuir a população carcerária. Segundo ele, medidas substitutivas da prisão existem desde 2011 e não são usadas pelos juízes e tribunais.

“Pena é a perda da liberdade, não da dignidade. Para a caótica situação carcerária, seriam oportunos o cumprimento da lei de execução penal; a punição para autoridades públicas que descumprissem a lei que trata dos direitos do preso; escolas, trabalho, assistência jurídica e reaproximação familiar para os presos e o uso das alternativas penais para crimes de até 6 anos de prisão”, afirma.

Para Adeildo, a redução da criminalidade está na certeza da punição, mas aumentar penas e criar novos tipos penais agravam o quadro da criminalidade.

“O estado e a sociedade querem mais que a restrição de liberdade e, se possível, o uso dos castigos físico, moral e mental. ‘Bandido bom é bandido morto’, dizem os analfabetos sociais. Este pensamento desumano faz com que queiramos antecipar a pena com o uso abusivo das prisões preventivas, que se eternizam. O Congresso só aprova novos crimes, aumenta penas, quer reduzir a maioridade penal, sem se preocupar com a classe prisional, que já atingiu os 800 mil reclusos”, declara.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Passagem do Metrô do Recife aumenta 150% e chega a R$ 4 em 2020

Por G1 PE

Metrô do Recife tem aumento de 150% até 2020 — Foto: Reprodução/TV Globo

Metrô do Recife tem aumento de 150% até 2020 — Foto: Reprodução/TV Globo

aumento da tarifa do metrôdo Recife será de 150% e ocorrerá de forma escalonada. O índice do reajuste autorizado pela Justiça é maior do que o valor solicitado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), que era de 87,5%. A passagem, que hoje custa R$ 1,60, sobe para R$ 4, em 2020.

Segundo o anúncio feito pela empresa, nesta quinta-feira (25), o reajuste ocorre em seis parcelas. A primeira delas entra em vigor no dia 5 de maio de 2019 e a última, em 7 de março do ano seguinte.

De acordo com a CBTU Recife, com o primeiro aumento, em maio de 2019, a passagem sobe para R$2,10. A segunda parcela do aumento escalonado entra em vigor no dia 7 de julho, passando a valer R$ 2,60.

Ainda de acordo com a empresa, no dia 8 de setembro entra em vigor a tarifa de R$ 3. A parcela seguinte, de R$ 3,40, começa a valer em 3 de novembro. No dia 5 de janeiro de 2020, os passageiros passam a pagar R$ 3,70. O escalonamento termina em março, quando a tarifa chega a R$ 4.

Na capital pernambucana, segundo a CBTU, o valor da passagem não sofria aumento há seis anos. Por meio de nota, a empresa afirmou, nesta quinta (25), que “reforça a necessidade de equilíbrio tarifário, tendo em vista anos de congelamento dos preços das tarifas, que acarretaram avançada defasagem ante aos custos operacionais.”

O aumento foi autorizado pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), na segunda-feira (22), e divulgado na terça-feira (23).

O reajuste teve que ser decidido na Justiça por causa de uma ação movida em Minas Gerais. Além do Recife, houve aumento em Belo Horizonte (BH), João Pessoa (PB), Maceió (AL) e Natal (RN).

Sistema

O Sistema de Trens Urbanos do Recife transporta cerca de 400 mil passageiros por dia. São três linhas, sendo duas eletrificadas e uma operada por composições diesel, totalizando 71 quilômetros de trilhos.

O Metrô do Recife conta com 37 estações e passa pelas cidades do Recife, Jaboatão dos GuararapesCamaragibe e Cabo de Santo Agostinho.

Datas e valores

2019

  • 5 de maio – R$ 2,10
  • 7 de julho – R$ 2,60
  • 8 de setembro – R$ 3
  • 3 de novembro – 3,40

2020

  • 5 de janeiro – R$ 3,70
  • 7 de março – 4,00

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Buraco aberto para obra vira ‘piscina’ no meio da rua no Recife

Por G1 PE

O buraco aberto para uma obra em um cano na Rua Querência do Norte, no Curado, Zona Oeste do Recife, virou uma “piscina” para os moradores, que mergulharam no local, nesta quinta-feira (25). A obra começou na noite da quarta-feira (24), mas precisou ser interrompida. A chuva da madrugada e o vazamento encheram a cratera de água.

Segundo Wellington Ferreira, que mora na rua há 33 anos, o buraco foi aberto pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) para realizar o reparo em um cano. “Tinha uma casa aqui na rua que estava recebendo a água bem fraquinha. Foram ver no cano qual era o problema, por isso abriram aquela parte”, explica.

Na manhã desta quinta-feira (25), a empresa voltou ao Curado para dar continuidades à obra, mas não conseguiu, segundo os moradores, porque o volume de água era maior do que o esperado. Os vizinhos de Wellington aproveitaram o buraco para se refrescar na “piscina”.

Entre cambalhotas e mergulhos, o rapaz garante que a brincadeira é segura. “Não tem perigo não. A água é limpa”, respondeu ao ser questionado sobre o perigo da água turva.

Em nota, a Compesa explicou que tentou executar o conserto de um vazamento na rua, mas constatou que o problema era mais complexo do que o planejado. A companhia apontou, ainda, que “não fechou os registros da área em função da rede abastecer um presídio na região”.

Questionada pelo G1, na tarde desta quinta (25), a Compesa informou que o buraco foi fechado.

Buraco para realização de obra, no Curado, virou piscina para moradores — Foto: Elvys Lopes/TV Globo

Buraco para realização de obra, no Curado, virou piscina para moradores — Foto: Elvys Lopes/TV Globo

‘Piscina’ em São Lourenço

Em novembro de 2018, um buraco gigante também virou uma piscina para moradores, mas em São Lourenço da Mata, no Grande Recife. A cratera, localizada na Rua São Bernardo, no Loteamento São Pedro e São Paulo, foi usada por jovens da comunidade, que usavam para tomar banho, praticar saltos mortais e pular com bicicletas.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Bebê de 1 ano é internado no HR após se queimar com café

Por TV Jornal

Um bebê de 1 ano e 11 meses está internado no Hospital da Restauração (HR), no bairro do Derby, área central do Recife, com várias queimaduras pelo corpo. A mãe da criança contou que ele puxou uma xícara de café, que estava em cima da mesa.

O caso aconteceu no Loteamento Real, em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata de Pernambuco. Primeiro, o menino foi socorrido para o Hospital João Murilo e depois transferido para o HR, onde está em observação.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Motoristas com IPVA em atraso podem ter veículo retido e ficar com nome sujo

Por TV Globo e G1 PE

Motoristas que devem o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) entre os anos de 2015 e 2018 estão sendo notificados pelo governo estadual a partir deste mês. Caso não se regularizem, os proprietários vão ficar com o nome sujo e os veículos podem ser retidos até que o débito seja pago. Segundo a Secretaria Estadual da Fazenda, estão sendo enviadas cartas para mais de 167 mil devedores.

Ao receber a carta, o proprietário do veículo tem 15 dias para resolver o pagamento do IPVA. A regularização deve ser feita em qualquer unidade do Detran ou nas agências da Receita Estadual da Sefaz. Se, após os 15 dias de aviso, o devedor não quitar a dívida, ele pode ser notificado e multado.

“Acabou o prazo e não fez o pagamento? A dívida duplica”, alerta o coordenador da administração tributária do Estado, Anderson de Alencar Freire, para a multa de 100% em cima da dívida.

A Sefaz afirma que está planejando uma ação conjunta com o Detran, com blitz dirigidas para essa ação. “Quem não apresentar o IPVA pago, vai ter o carro retido para regularização. Deve optar por aplicativos de mobilidade para não ficar sem o veículo”, afirma Freire.

Por último, se a dívida ainda não tiver sido quitada, o devedor é inscrito na Dívida Ativa do Estado e o nome vai para o Serasa. O atendimento ao contribuinte notificado será realizado pelas Agências da Receita Estadual e nas unidades do Detran.

O contribuinte também pode emitir o Documento de Arrecadação Estadual (DAE) da Notificação de Débitos do IPVA para parcelamento ou liquidação à vista, no e-Fisco, através do site da Sefaz.

Outras informações podem ser obtidas através do TeleSefaz, nos números 0800.285.1244 ou (81) 3183-6401. Ainda é possível entrar em contato com o Detran-PE pelo telefone (81) 3453-8202

IPVA 2019

prazo para o pagamento da última parcela do IPVA 2019 ainda está em aberto para veículos com placas terminadas em 9 e 0. A cota única venceu em fevereiro.

De acordo com o governo, o imposto mais barato é de uma moto, que custa R$ 72. Já o mais caro é o de um Lamborghini, que sai por R$ 153,848,84. Em 2019, o governo do estado determinou uma redução média de 3,18% do valor do IPVA.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Polícia prende 88 pessoas e apreende 10 adolescentes foragidos da Justiça no estado durante operação nacional

Por G1 PE

A Polícia Civil prendeu 88 pessoas e apreendeu 10 adolescentes considerados foragidos da Justiça em Pernambuco, nesta quarta-feira (24), durante a operação nacional #PC27. Ela foi realizada nas 27 unidades federativas do Brasil para prender pessoas que cometeram roubos, homicídio, estupro e participação no crime organizado.

No estado, foram mobilizados 311 policiais civis e 90 viaturas para cumprir os mandados de prisão, que são de sentença condenatória, prisão preventiva e prisão temporária. Do total de prisões, 22 foram em flagrante. Também foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão.

Foram realizadas prisões em todas as regiões do estado. O nome da operação faz referência à integração das polícias civis de todas as unidades federativas.

Mais procurados

Entre os presos, está Carlos André Cardoso Nunes, de 28 anos, um dos criminosos mais procurados do estado por um homicídio cometido em Goiana, no Grande Recife. Policiais receberam informações de que ele estava no município do Conde, na Paraíba.

Carlos André é proprietário de uma borracharia, onde foi encontrado e preso após algumas horas de campana realizada em uma operação conjunta entre a Delegacia de Condado e a 16ª Delegacia de Homicídios de Goiana. O homem foi levado à Cadeia Pública da Comarca do município.

#PC27

Mais de mil mandados de prisão foram expedidos pela Justiça no Distrito Federal e nos 26 estados e mais de 600 pessoas foram presas pelas polícias civis. Cada uma das polícias civis fez levantamento de inteligência para a operação, que é coordenada pelo Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil. Foram mobilizados mais de 12 mil policiais e 4 mil viaturas, segundo a entidade.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Aumento de R$ 2 milhões no valor anual de emendas parlamentares por deputado estadual é aprovado em primeira votação na Alepe

Por Antonio Coelho, TV Globo

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou, em primeira votação nesta quarta-feira (24), um aumento no valor das emendas parlamentares, que passaram de um R$ 1,5 milhão para R$ 3,5 milhões, por ano. A emenda parlamentar é uma verba pública que cada deputado recebe do orçamento do governo do estado para aplicar em sua área de atuação.

Os deputados destinam esse dinheiro para obras como calçamento, praças, postos de saúde, hospitais. A sessão, prevista para começar às 15h, teve início com mais de uma hora de atraso e chegou a ser interrompida para reuniões das lideranças da Casa.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) é de autoria do deputado Alberto Feitosa (Solidariedade) e foi votada por 41 dos 49 parlamentares. Foram 30 votos a favor e seis contra, além de cinco abstenções. A segunda votação não tem data definida para acontecer, segundo a Alepe.

Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou aumento nas emendas parlamentares me primeira votação — Foto: Reprodução/TV Globo

Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou aumento nas emendas parlamentares me primeira votação — Foto: Reprodução/TV Globo

Segundo Alberto Feitosa, mesmo com o aumento, as contas públicas não devem ser afetadas. “Não vai haver nenhum aumento de gastos nas contas públicas do estado de Pernambuco. O que vai haver é a maior autonomia do deputado em assistir aos seus prefeitos, em assistir aos seus vereadores, em assistir, como consequência, as populações mais necessitadas dos municípios”, diz.

De acordo com a Alepe, a PEC fixa em 0,8% do orçamento estadual o percentual para as emendas parlamentares individuais e em 0,4% o das emendas de comissão da Assembleia Legislativa. Esse modelo segue o que já é praticado para os deputados federais.

Líder do governo, o deputado Isaltino Nascimento (PSB) não quis comentar o projeto. O líder da oposição, Marco Aurélio (PRTB), afirma que é a favor do projeto.

“O que a Casa toda quer, independente de ser oposição ao governo, é que nós, deputados, tenhamos mais autonomia dentro do orçamento, de dizer ‘eu quero que o dinheiro que eu tenho direito vá, por exemplo, para o Hospital Otávio de Freitas [na Zona Oeste do Recife] e o governador é obrigado a fazer. Isso é bom, nos dá autonomia”, declara.

A Secretaria Estadual de Imprensa informou que o governo do estado não vai comentar o assunto por se tratar de uma decisão do Poder Legislativo.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Adolescente de 16 anos é morto com ao menos cinco tiros e irmão gêmeo fica ferido

Por G1 PE

Um jovem de 16 anos foi assassinado e o irmão gêmeo dele ficou ferido em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata de Pernambuco, distante 50 quilômetros do Recife. De acordo com a Polícia Civil, o adolescente que morreu levou ao menos cinco tiros e o outro foi atingido por dois disparos de arma de fogo.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, O crime foi praticado por dois homens que estavam em uma moto preta, na noite de terça-feira (23). O rapaz ferido deu entrada no Hospital da Restauração (HR), segundo informações repassadas, nesta quarta (24), pelo posto policial da unidade.

A corporação informou, por meio de nota, que informações preliminares apontam que os dois teriam envolvimento com drogas. O caso está sendo investigado pela 17ª Delegacia de Polícia de Homicídios (DHP), do Departamento de Homicídios em Proteção à Pessoa (DHPP).

Estatísticas

Em março deste ano, Pernambuco teve 316 homicídios, segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS). O número é 14,36% menor que os 369 assassinatos registrados pelo governo estadual no mesmo período de 2018.

Nos dois primeiros meses de 2019, foram registrados em Pernambuco 580 homicídios. Na comparação com os dados dos dois primeiros meses de 2018, quando houve 868 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), o estado teve uma queda de 33,2%, a terceira maior redução do Brasil.

Esses dados estão na primeira parcial deste ano do índice nacional de homicídios criado pelo G1, a partir de números oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. O levantamento faz parte do Monitor da Violência, uma parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Comparando os meses de janeiro de 2018 e de 2019, Pernambuco teve, respectivamente, 452 e 305 homicídios, o que representa uma baixa de 32,5%. No mês de fevereiro, foram 416 casos no ano passado, contra 275 deste ano. O índice é 33,9% menor em 2019.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.