Nove detentos fogem da cadeia pública de Capoeiras

Por G1 Caruaru — Caruaru, PE

Nove detentos fugiram neste sábado (22) da cadeia pública de Capoeiras, no Agreste de Pernambuco. Segundo a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), a fuga aconteceu durante a liberação da entrada dos familiares para a entrega de alimentos.

Os detentos têm entre 21 e 38 anos. A Seres informou que está investigando as circunstâncias da fuga. As buscas estão sendo realizadas pela Delegacia de Captura e a Gerência de Inteligência e Segurança Orgânica da Seres. Até a publicação desta matéria, nenhum detento foi capturado.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Adolescente é encontrado morto a tiros dois dias após sair de casa em Jaboatão dos Guararapes

Por G1 PE

Um adolescente de 15 anos de idade foi assassinado a tiros na manhã do sábado (22). O crime ocorreu no bairro de Santo Aleixo, no município de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife.

O nome da vítima do homicídio não foi divulgado pela Polícia Civil. De acordo com a corporação, o jovem saiu de casa na quinta-feira (20) e não havia retornado para a residência desde então.

Por meio de nota, a Polícia Civil afirmou que investiga essa ação criminosa. “Foi instaurado inquérito policial para apurar o caso, identificar o autor ou autores e a motivação do crime”, diz no texto.

Homicídios no estado

Entre janeiro e maio de 2019, Pernambuco contabilizou 1.505 homicídios. De acordo com a Secretaria de Defesa Social, esse número é 22,7% menor do que os 1.948 casos registrados no mesmo período de 2018.

Apenas em maio deste ano, foram 299 crimes desse tipo. O número é 16% menor que os 356 casos de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) ocorridos em maio de 2018.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Polícias Militar e Civil apreendem 69 quilos de maconha em Olinda

Por G1 PE

Os 69 tabletes de maconha, totalizando 69 quilos, foram encontrados em um carro abandonado pelos bandidos, em Olinda — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Os 69 tabletes de maconha, totalizando 69 quilos, foram encontrados em um carro abandonado pelos bandidos, em Olinda — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Uma operação das Polícias Militar e Civil resultou na apreensão de 69 quilos de maconha, em Olinda, no Grande Recife. O entorpecente estava acondicionado em 69 tabletes e cada um deles tinha um quilo. Na ação, de acordo com a PM, bandidos atiraram nas equipes e conseguiram fugir.

Ainda segundo a PM, a operação ocorreu na noite de sexta-feira (21), no bairro de Rio Doce. Os policiais militares receberam a informação sobre a movimentação de suspeitos que estavam em um veículo.

Por meio de nota, a PM informou que os homens perceberam a aproximação da patrulha e efetuaram disparos de arma de fogo. Na fuga, os bandidos abandonaram o carro, onde estava a maconha.

A PM disse, ainda, que fez buscas na área, mas não conseguiu prender ninguém. A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Plantão de Olinda.

Cocaína

Na tarde de sexta-feira (21), a 5receita federal apreendeu 808 quilos de cocaína no Porto de Suape. De acordo com a Alfândega, foi a maior apreensão da droga da história do complexo portuário, no Grande Recife.

Segundo o delegado da Alfândega, Carlos Eduardo Oliveira, por volta das 16h, fiscais vistoriavam três contêineres usados para exportar bananas para a Bélgica.

Durante a operação, um escâner apontou irregularidades em uma das cargas e, por causa disso, os agentes decidiram fazer uma inspeção mais minuciosa.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Quadrilha rouba caminhão de combustíveis e sequestra mulher; homem é preso

Por G1 PE

Caminhão com 43 mil litros de etanol foi roubado no Grande Recife — Foto: Secretaria Executiva de Ressocialização/Divulgação

Caminhão com 43 mil litros de etanol foi roubado no Grande Recife — Foto: Secretaria Executiva de Ressocialização/Divulgação

Uma quadrilha roubou um caminhão de combustíveis e sequestrou uma mulher na rodovia BR-101, em Igarassu, no Grande Recife, nesta quinta-feira (20). Segundo a Polícia Civil, o veículo, carregado com 43 mil litros de etanol, foi levado por cinco homens, que mantiveram a vítima refém. Um dos envolvidos foi preso por agentes penitenciários.

Ainda de acordo com a polícia, quando os criminosos passavam perto de uma praça em Abreu e Lima, no Grande Recife, um caminhoneiro pediu ajuda a agentes penitenciários que estavam na área.

Eles, então, abordaram os criminosos e conseguiram prender um dos homens. A mulher foi liberada com a chegada da equipe, segundo a Polícia Civil.

Wesley Santos Duraes, de 25 anos, foi preso em flagrante pelo crime de roubo. Ele seguiu para a Delegacia de Igarassu, onde foi aberto um inquérito para investigar o caso. Os outros envolvidos conseguiram fugir.

Os agentes penitenciários se deslocavam em uma viatura do Sistema Penitenciário de Pernambuco. Eles seguiam do Complexo Prisional de Itaquitinga, na Zona da Mata Norte do estado, para a Colônia Feminina de Abreu e Lima.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Demolição no Conjunto Muribeca é reiniciada após determinação da Justiça Federal

Por G1 PE

Demolição do Conjunto Muribeca foi retomada em Jaboatão, no Grande Recife — Foto: Gabriel Araújo/Reprodução/WhatsApp

Demolição do Conjunto Muribeca foi retomada em Jaboatão, no Grande Recife — Foto: Gabriel Araújo/Reprodução/WhatsApp

Por determinação da 5ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco, foi reiniciado o processo de demolição dos prédios do Conjunto Residencial Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Os problemas na infraestrutura surgiram em 1995 e algumas unidades foram derrubadas em 2015. Os procedimentos tiveram que ser interrompidos por causa de uma disputa judicial.

O Conjunto residencial Muribeca tem 69 blocos, cada um com 32 apartamentos. Eles foram foram entregues aos moradores em 1982.

Os problemas começaram quando um dos prédios apresentou rachaduras e foi interditado pela Defesa Civil, em 1995. Dez anos depois, em 2005, todos os 69 blocos do residencial foram interditados, mas nem todos os moradores deixaram os imóveis.

No dia 14 de junho deste ano, a juíza Nilcéa Maggi autorizou que a Caixa Econômica Federal, responsável pela obra, retomasse a demolição.

Por meio de nota, a Caixa informou que “foi iniciada na terça-feira (18) a demolição das edículas adjuntas, que são construções localizadas no entorno dos blocos.”

Na quarta-feira (19), começou a derrubada dos blocos e, segundo a Caixa, a demolição dos 11 prédios remanescentes na Quadra 2 do conjunto foi iniciada. A Caixa informa, ainda, que a previsão é que os serviços durem aproximadamente quatro meses.

Histórico de polêmicas

De acordo com a Justiça Federal, tramitaram na 5ª Vara Federal cinco ações civis públicas sobre falhas na construção dos 69 blocos do conjunto, que tornaram os edifícios impróprios para moradia.

A Caixa, então, foi condenada a reconstruir os imóveis, em sentenças proferidas em 2012 e 2013. As decisões foram mantidas em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), em 2014.

Os ex-moradores recebem auxílio-aluguel, pago pela Caixa, para residir em outros imóveis. O valor, atualmente, chega a R$ 907,25, para cada família.

Os trâmites para cumprir a decisão da Justiça começaram a ser realizados em 2014. Em 2015, foi iniciada a demolição dos blocos 129 e 155.

Houve resistência dos moradores em algumas ocasiões, mas, em outros momentos, a derrubada dos prédios ocorreu sem protestos de quem morava no local. Casas do entorno também foram demolidas.

Em 2017, quando os blocos já estavam interditados, foi contratada uma empresa para a demolição dos prédios, inclusive de construções irregulares no entorno do conjunto, mas houve resistência dos moradores.

Em novembro de 2018, quase todos os moradores das construções irregulares receberam apartamentos do programa Minha Casa Minha Vida.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Após prisão do prefeito de Camaragibe, vice assume gestão do município

Por Bruno Fontes, TV Globo

A vice-prefeita de Camaragibe, Nadegi Queiroz (DC), tomou posse na tarde desta quinta-feira (20) na Câmara dos Vereadores do município, localizado no Grande Recife. Ela assumiu o lugar de Demóstenes Meira (PTB), que foi preso, no início da manhã, por suspeita de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, fraudes em licitação e organização criminosa.

Nadegi, que já havia rompido com Meira desde janeiro de 2017, fica à frente da prefeitura por 180 dias. “Vamos fazer uma auditoria em todos os contratos contando com o apoio do Tribunal de Contas e da Polícia Civil, para que nada de errado aconteça mais nessa cidade, porque a cidade já está cansada de tantos problemas”, afirmou após a posse.

Nadegi Queiroz (DC) toma posse como prefeita interina de Camaragibe, no Grande Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Nadegi Queiroz (DC) toma posse como prefeita interina de Camaragibe, no Grande Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

A prefeita disse ainda que nenhum serviço que esteja sendo realizado na cidade vai ser suspenso. O decreto de situação de emergência na cidade, emitido após as fortes chuvas que causaram deslizamento de barreiras e sete mortes no Bairro dos Estados, também está mantido.

“Até que a gente faça uma avaliação real da Defesa Civil, do número de desabrigados, a situação real dos morros, esse decreto é mantido”, declarou a gestora. Nadegi Queiroz não adiantou se vai convocar novos secretários.

Prefeito investigado e preso

Operação Harpalo, do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco), começou em dezembro de 2018 e investiga o superfaturamento em contratos da prefeitura de Camaragibe. A primeira fase foi deflagrada em março de 2019.

Segundo a delegada Jéssica Ramos, que comanda as investigações, o rombo pode chegar a R$ 117 mil em um contrato de R$ 1,2 milhão para a manutenção de escolas municipais, em que houve dispensa de licitação. Após a deflagração da primeira fase, a delegada afirmou que dois funcionários públicos haviam sido ameaçados a mando de Meira por “saberem demais”.

A prisão preventiva e o afastamento cautelar do prefeito, ocorridos nesta quinta (20), fazem parte da segunda fase da operação e foram determinados pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), em decisão assinada pelo desembargador Mauro Alencar. Demóstenes Meira foi preso no apartamento onde mora, no bairro da Madalena, na Zona Oeste do Recife.

Outros quatro mandados de prisão preventiva foram cumpridos pela segunda fase da operação, que contou com a participação de 40 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. Segundo a delegada, foram presos dois casais sócios de duas construtoras que estariam envolvidos nas fraudes.

Confira os nomes dos cinco presos

  • Demóstenes Meira – prefeito de Camaragibe
  • Severino Ramos da Silva – empresário
  • Luciana Maria da Silva – esposa de Severino
  • Carlos Augusto Bezerra de Lima da Silva – empresário
  • Joelma Soares – esposa de Carlos

Os três homens presos foram encaminhados ao Centro de Observação e Triagem Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana. As duas mulheres presas foram levadas para a Colônia Penal Feminina Bom Pastor, no Recife.

Os advogados André Caúla e Ademar Rigueira, que defendem o prefeito afastado, dizem que não podem dar declarações porque estão se inteirando sobre o caso. Eles devem se pronunciar sobre a prisão “em momento oportuno”.

Os advogados dos outros quatro presos foram ao Draco, mas não falaram com a imprensa. O G1 entrou em contato com a prefeitura de Camaragibe e aguarda resposta.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Vídeo mostra homem roubando cliente de banco no Recife e policial atirando no assaltante

Por G1 PE

Imagens da tentativa de assalto a um cliente que saía da agência do banco Santander na Avenida Conselheiro Aguiar, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, foram divulgadas pela Polícia Civil nesta quinta (20). A “saidinha de banco”, ocorrida na quarta (19), teve tiroteio entre a polícia e assaltantes, deixando duas pessoas feridas e um dos criminosos preso.

As imagens mostram o cliente, de camisa azul clara, saindo do banco em direção ao estacionamento, onde coloca o capacete e sobe na moto. Nesse momento, um homem de camisa branca e usando boné atravessa a avenida, se aproxima e pega o dinheiro da vítima.

Vídeo mostra homem sendo roubado no Recife e policial atirando no assaltante

Vídeo mostra homem sendo roubado no Recife e policial atirando no assaltante

As câmeras registraram, ainda, o homem revistando o cliente, procurando se há mais dinheiro nos bolsos da calça da vítima. De repente, um policial aparece na imagem e atira no assaltante, que fica ferido e foge em seguida. As imagens mostram que o policial e a vítima perseguem o criminoso. Toda a ação dura menos de um minuto. (

De acordo com a polícia, o assaltante baleado é Rafael Martins de Assis, de 30 anos. Ele foi preso e levado para o Hospital da Restauração, no bairro do Derby, no Centro do Recife, onde passou por cirurgia e está sob custódia. Segundo a unidade de saúde, ele foi atingido por dois tiros, um no tórax e outro no abdômen, e tem quadro clínico estável.

Tentativa de assalto em frente a banco termina com pessoas feridas e uma prisãoNE200:00/02:36

Tentativa de assalto em frente a banco termina com pessoas feridas e uma prisão

Tentativa de assalto em frente a banco termina com pessoas feridas e uma prisão

Segundo a polícia, quatro pessoas estão envolvidas na tentativa de assalto. O motorista do carro usado pelos assaltantes foi identificado como João Marcelo de Souza Correia, de 40 anos.

O veículo foi encontrado com marcas de tiro na Rua dos Navegantes, em Boa Viagem. A polícia encontrou cápsulas de bala dentro do carro, que passou por perícia e foi levado à Delegacia de Boa Viagem.

Além dos dois homens identificados, a “saidinha de banco” contou com a participação de um homem que seria o “olheiro” e outro que fugiu de moto. Ambos não foram identificados pela polícia, que recebeu informações de que um grupo do Pará estava na capital pernambucana para fazer assaltos.

O delegado Alfredo Jorge disse que o homem baleado, Rafael Martins de Assis, é alvo de um mandado de prisão por causa de um latrocínio (roubo seguido de morte) expedido em 2014, no Pará.

“Ele foi preso na Delegacia de Boa Viagem, em outubro de 2018, com nome falso, se identificando como Antônio Carlos Correia da Silva. Ele tem mandado de prisão no Pará pela prática de latrocínio, durante uma saída bancária”, conta o delegado.

Segundo a polícia, a quadrilha age em todo o Norte e Nordeste. “Recebemos várias ligações, de vários estados. No Recife, a gente tem informações de assaltos e tudo indica que foram eles. Um no fim de março, outro no dia 3 de abril, e agora esse de Boa Viagem”, diz.

Outras denúncias chegaram até a delegacia, segundo Alfredo Jorge. “Recebemos informações de que no fim de maio eles praticaram assaltos em Fortaleza (CE) e balearam um agente penitenciário”, conta.

Comerciante ferido

Durante o tiroteio, um comerciante que trabalhava próximo à agência bancária foi atingido por uma bala perdida e foi levado pelo Serviço Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital da Restauração. Gildo Marcolino dos Santos, de 65 anos, passou por cirurgia na cabeça e tem quadro clínico estável.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Prefeito de Camaragibe é preso suspeito de lavagem de dinheiro, corrupção e fraude em licitação

Por G1 PE

O prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB), foi preso, nesta quinta-feira (20), em uma operação do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco). O gestor da cidade do Grande Recife é investigado pelos crimes de fraude em licitação, corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Ele foi afastado do cargo. (Veja vídeo acima)

Operação Harpalo começou em dezembro de 2018 e investiga o superfaturamento em contratos da prefeitura de Camaragibe. Segundo a delegada Jéssica Ramos, que comanda as investigações, o rombo pode chegar a R$ 117 mil em um contrato de R$ 1,2 milhão para a manutenção de escolas municipais, em que houve dispensa de licitação.

A prisão preventiva do prefeito e o afastamento cautelar dele, ocorridos nesta quinta (20), foram determinados pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), em decisão assinada pelo desembargador Mauro Alencar. Demóstenes Meira foi preso no bairro da Madalena, na Zona Oeste do Recife.

Outros quatro mandados de prisão preventiva foram cumpridos pela 2ª fase da operação. Segundo a delegada, foram presos dois casais sócios de duas construtoras que estariam envolvidos nas fraudes. (Veja vídeo abaixo)

Confira os nomes dos cinco presos

  • Demóstenes Meira – prefeito de Camaragibe
  • Severino Ramos da Silva – empresário
  • Luciana Maria da Silva – esposa de Severino
  • Carlos Augusto – empresário
  • Joelma Soares – esposa de Carlos

Os três homens presos foram encaminhados ao Centro de Observação e Triagem Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na região Metropolitana. As duas mulheres presas foram levadas para a Colônia Penal Feminina Bom Pastor, no Recife.

“O principal palco dos crimes era a prefeitura de Camaragibe. Meira era o líder da organização. Em nova análise das provas, houve a necessidade das prisões para interromper as ações”, afirma a delegada Pollyane Farias.

Ao todo, participam da operação 40 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. O G1 busca contato com a defesa dos cinco presos na operação. A reportagem entrou em contato com a prefeitura de Camaragibe e aguarda resposta.

Além dos crimes investigados pela Polícia Civil, a gestão de Meira também teve outras polêmicas. Em fevereiro deste ano, o prefeito exigiu a presença de servidores comissionados no show da noivadele, a cantora Taty Dantas, que também é secretária municipal de Assistência Social (Leia mais abaixo).

Por meio de nota, o presidente estadual do Partido Trabalhista Brasileiro, José Humberto Cavalcanti, informou que a “gestão de Camaragibe não era do PTB, mas de um prefeito filiado ao partido”. O PTB também disse estar acompanhando o caso e “espera que as denúncias sejam devidamente apuradas e que seja dado a ele [Meira] amplo direito de defesa”.

Procurados pela reportagem, os advogados André Caúla e Ademar Rigueira, que defendem o prefeito afastado, informaram que não podem dar declarações porque estão se inteirando sobre o caso. Eles devem se pronunciar sobre a prisão “em momento oportuno”.

Início das investigações

Na primeira fase da operação, deflagrada em março, a delegada Jéssica Ramos afirmou que, a mando de Meira, um vereador e uma servidora pública sofreram ameaças por “saberem demais”. A prisão do gestor foi solicitada nesse período, mas, segundo a Polícia Civil, foi negada pela Justiça.

Na época, a delegada Silvana Lélis, gestora do Draco, informou que o pedido foi negado porque o judiciário entendeu que não havia mais danos ao erário público por serem contratos de 2017.

Nesta quinta-feira (20), a delegada Pollyane Farias afirmou que a primeira fase proporcionou a apreensão de elementos importantes para a continuidade das investigações. Mesmo assim, os suspeitos teriam continuado a praticar fraudes e lavagem de dinheiro, segundo a polícia.

Exigência de servidores em show da noiva

Prefeito Demóstenes Meira e a noiva Taty Dantas chegaram ao desfile de bloco, em Camaragibe, no Grande Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Prefeito Demóstenes Meira e a noiva Taty Dantas chegaram ao desfile de bloco, em Camaragibe, no Grande Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Em fevereiro deste ano, Meira exigiu a presença de servidores comissionados no show da noiva dele, a cantora Taty Dantas. Na mensagem, o prefeito afirma que “quer ver todos os comissionados para dar força ao evento”. Meira também disse que iria “filmar e contar” a quantidade de funcionários presentes.

A repercussão do ato levou o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) a investigar o caso. A ação civil foi ingressada pela 2ª Promotoria de Justiça Cível de Camaragibe, que apura possíveis atos de improbidade administrativa. (

Em maio, Meira foi chamado para depor na Polícia Civil. Segundo a corporação, o gestor deveria ter prestado depoimento antes, mas a defesa alegou que ele estava com problemas de saúde.

Situação de emergência

Além de ter o prefeito preso e afastado, Camaragibe está em situação de emergência após as chuvas que causaram mortes e outros transtornos na cidade. No dia 13 de junho, uma barreira deslizou sobre três casas na Segunda Travessa Bom Jesus, no Bairro dos Estados, resultando na morte de sete pessoas, sendo cinco da mesma família.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Deputados aprovam aumento de salário para servidores e criação de cargos no Tribunal de Justiça

Por Danielle Fonseca, TV Globo

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou, nesta quarta-feira (19), um projeto que prevê reajuste nos salários dos servidores de Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). Além do aumento, foram aprovados outros quatro projetos, criando 239 funções gratificadas, 243 cargos comissionados e 24 funções gratificadas.

A proposição, de autoria do próprio Poder Judiciário, foi assinada pelo presidente do TJPE, Adalberto de Oliveira Melo. O aumento, aprovado em segunda votação, é de 1,2%, retroativo a maio de 2019, e de 2%, a partir de setembro.

Com a mudança, o gasto com a remuneração dos servidores aumenta em R$ 15,98 milhões, em 2019, e sobe R$ 31,35 milhões, em 2020. O projeto foi aprovado por unanimidade pelos 33 deputados presentes na Alepe.

Silvio Romero Beltrão, juiz assessor especial da presidência do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) — Foto: Reprodução/TV Globo

Silvio Romero Beltrão, juiz assessor especial da presidência do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) — Foto: Reprodução/TV Globo

O último reajuste nos salários dos servidores ocorreu em 2016, quando eles receberam 5,5%, com recursos que já estavam previstos pelo governo. O mesmo aconteceu com o aumento aprovado nesta quarta.

Segundo Silvio Romero Beltrão, juiz assessor especial da presidência do TJPE, o Judiciário é proibido por lei de conceder aumentos, caso o dinheiro não esteja disponível previamente.

“O reajuste vem de uma hipótese constitucional que é o repasse do duodécimo, que vem todo ano, do Executivo ao Judiciário. Esse dinheiro já existe, porque o TJPE não pode dar aumentos, criar projetos, fazer nada sem que haja prévia dotação orçamentária. Significa que somos proibidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) de dar qualquer aumento sem que tenhamos o dinheiro antes”, diz. (Veja vídeo abaixo)

Com pareceres favoráveis das comissões de Justiça, Finanças e Administração Pública da Alepe, o projeto foi aprovado por unanimidade também na primeira votação, na terça-feira (18). Depois da redação final, prevista para o dia 25 de junho, a proposta segue para sanção do governador.

Ainda segundo Silvio, a criação dos cargos é necessária para uma reestruturação do tribunal. O juiz justifica que o tribunal precisa de uma mudança por causa da extinção de processos físicos, prevista para o período de um ano.

“Todos os processos serão eletrônicos. As secretarias das varas serão extintas e vão ser criadas novas diretorias expandidas. Essa reestruturação importa em reestruturação e modificação dos cargos. O dinheiro, também do próprio duodécimo, pode vir das custas judiciais e emolumentos. Esse dinheiro já existe”, afirma o juiz.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Receita Federal apreende carga de garrafas de vinho avaliada em mais de R$ 100 mil no Porto de Suape

Por G1 PE

Carga com 346 garrafas de vinho foi encontrada dentro de contêiner no Porto de Suape — Foto: Divulgação/Receita Federal

Carga com 346 garrafas de vinho foi encontrada dentro de contêiner no Porto de Suape — Foto: Divulgação/Receita Federal

Receita Federal em Pernambuco encontrou uma carga de 346 garrafas de vinho, avaliadas em mais de R$ 100 mil. A mercadoria estava escondida dentro de um contêiner carregado com moldes e equipamentos para a fabricação de mesas e cadeiras plásticas.

De acordo com a Receita Federal, a mercadoria não declarada foi detectada após o desembarque. Através de uma análise feita por um escâner de raio x, foi encontrado no interior do contêiner cargas irregulares para os padrões alfandegários. A apreensão aconteceu sexta-feira (14), no Porto de Suape, no Grande Recife, mas só foi divulgada nesta quarta-feira (19).

Além das garrafas de vinho, a Receita Federal encontrou também 168 latas de polpa de tomate no interior do mesmo contêiner.

A importadora perde toda a mercadoria não declarada e incompatível com a atividade da empresa, segundo a Receita Federal. A empresa que importou os vinhos trabalha com produção de artefatos de material plástico.

Já a carga declarada passa por uma análise e pode ser liberada para a importação, caso não tenha contribuído para a ocultação das mercadorias irregulares que foram apreendidas.

A Receita diz ainda que a empresa pode responder processo junto ao Ministério Público Federal. Ela pode ser autuada pelo crime de descaminho, que é a tentativa de adentrar produtos no país sem o pagamento dos impostos devidos.

Ao final do processo, a carga apreendida é liberada para compor os leilões promovidos pela Receita Federal, com recursos revertidos para os cofres públicos.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.