O mercado de trabalho no Nordeste e as profissões do futuro em Pernambuco

O Brasil está terminando 2012, um ano que começou cheio de boas expectativas, com um crescimento quase inexpressivo do Produto Interno Bruto (PIB). O nosso “pibinho”, como está sendo apelidado, deve ter uma expansão pouco maior que 1%. O cenário atinge diretamente a geração nacional de empregos. Apesar de o momento ainda ser otimista, as empresas já esperam, para o início de 2013, um nível menor de contratação. O Nordeste, com destaque para Pernambuco, no entanto, vem traçando um caminho diferente. Por aqui, o PIB deve terminar o ano com um crescimento próximo de 2,5%. Algumas áreas profissionais têm conseguido alçar voos altos no mercado local, que conta com investimentos em Suape, nos polos automotivo e farmacoquímico e o forte consumo das famílias.

Entre os cargos mais demandados estão engenheiro civil, naval, eólica, mecânica e de produção, controller (controlador), gerente de produção, gerente de projeto (com destaque para área de óleo e gás), administrador de empresas, gerente de marketing e eventos, especialista em mobile marketing e analista de mídias sociais. Essas são algumas das profissões que devem continuar em alta nos próximos anos. Os salários são bem atrativos. Não ficam abaixo dos R$ 5 mil e podem ultrapassar R$ 20 mil, como é o caso de engenheiros de grandes empreendimentos.

Para Pedro Salles, manager da Michael Page em Pernambuco, o fosso entre Sudeste e Nordeste vem diminuindo. “Claro que temos uma dificuldade histórica, que marca a diferença entre as regiões. Mas, de dois anos para cá, começamos a ter uma menor dificuldade em encontrar pessoal mais bem preparado. E a tendência é essa. Quem se forma aqui não precisa mais ir para lá para alavancar a carreira. Pernambuco conta com grandes grupos, a exemplo da Ambev, Cornélio Brennand, Kraft, Fiat, para citar apenas alguns”, argumenta Salles.

A dificuldade local é mais de bagagem técnica, de vivência. “O Sudeste possui muitas empresas de capital aberto. Aqui ainda não incorporamos isso ao nosso DNA profissional. Mas o mercado está amadurecendo”, destaca. Entre as vantagens do nordestino, ele cita flexibilidade, a tomada de decisões mais intuitivas com menos elementos (sem que isso seja sinônimo de amadorismo, vale lembrar) e mais vontade de querer fazer.

Prova do crescimento da demanda local por novos talentos é a expansão da atuação da consultoria Hays, atualmente com quatro unidades no Brasil, que se prepara para abrir um escritório local. O Nordeste, principalmente Pernambuco e Bahia, já respondem por quase 30% das demandas da unidade do Rio de Janeiro.

“A região tem experimentado uma inserção muito forte no mercado de consumo. O Sudeste atualmente tem dificuldade em crescer e aí o Nordeste serve como uma grande oportunidade para muitas empresas. Grandes companhias que tinham estrutura mais profissionalizada no Sudeste e só uma área de apoio no Nordeste estão mudando completamente suas estratégias, levando profissionais de um lugar para outro, num fluxo migratório de retorno, e contratando e desenvolvendo novos talentos. É uma roda que gira: um gestor mais qualificado numa regional termina treinando todo o seu staff, e isso é ótimo para o desenvolvimento do mercado”, comenta Raphael Falcão, gerente da Hays no Rio de Janeiro.

Ele diz ainda que “São Paulo nunca vai deixar de ser o polo principal da indústria nacional. Quem define as estratégias macro das empresas continuará concentrado em São Paulo. Até mesmo no Rio é difícil encontrar esse pessoal. O que se vê é o aumento do volume de executivos regionais, capazes de pensar e desenvolver o mercado local”.

PERNAMBUCO -Pernambuco vive hoje um momento profissional predominantemente técnico, com a chegada de muitas empresas e o erguimento de vários empreendimentos. Mas, já partir de 2013, esse cenário vai começar a mudar. O mercado passará a ficar ávido por profissionais mais estratégicos, a exemplo de gente que atue em áreas financeira, comercial, de Tecnologia da Informação, de Recursos Humanos, de contabilidade, jurídica e de logística.

É uma prova da evolução do ambiente e da economia. É, sobretudo, um fator de adaptação do mercado, com o desenvolvimento de novas funções e a exigência de novos cérebros pensantes. “Essa é uma evolução natural, que deve começar nos próximos dois anos, quando muitos empreendimentos serão entregues, a exemplo da PetroquímicaSuape (2013) e da Refinaria Abreu e Lima (2014)”, comenta Pedro Salles, manager da Michael Page em Pernambuco. Segundo ele, essa será uma fase menos crítica, diferente do gap que vivenciamos atualmente para encontrar engenheiros, por exemplo.

Um exemplo da adaptação que já começa a ser vivenciada em Pernambuco é a multinacional Stericycle, especializada no gerenciamento de resíduos. A companhia ingressou no Brasil há cerca de três anos. Este ano, começou a se estruturar corporativamente, na busca de profissionais mais específicos. “Até ano passado, nossa sede corporativa ficava em São Paulo e estamos transferindo para Recife. Dentro dessa mudança, reorganizamos também todo o organograma da empresa, buscando, por exemplo, nova mão de obra para cargos de superintendência, de nível gerencial e analista”, conta Roberto Teixeira, diretor financeiro da Stericycle.

PERFIL – “Se eu fosse fazer raio x do Brasil hoje, diria que o mercado nordestino apresenta o maior números de oportunidades. É importante estar preparado para conseguir atender localmente essas demandas. É necessário mais escolas e mais universidades bem preparadas. A questão do idioma, por exemplo, tem que ser vista como prioridade para potencializar a mão de obra local”, defende Raphael Falcão, gerente da Hays no Rio de Janeiro.

Pedro Salles, manager da Michael Page em Pernambuco, reforça o perfil desse novo profissional. Segundo ele, o que as empresas buscam é uma boa formação acadêmica e pós-graduação. “Pós já deixou de ser diferencial. Assim como o inglês, tornou-se essencial”, alerta. A terceira língua mais exigida é o espanhol, inclusive pelo relacionamento com o Mercosul.

“Uma formação de primeira linha, ou seja, em instituições reconhecidas, bem conceituadas, faz todo a diferença. A educação é vista como um investimento”, lembra Salles.

Além disso, esse novo profissional precisa saber lidar com o mix de culturas que aporta por aqui, são empresas de diferentes nacionalidades. “É o cara camaleão, como costumamos brincar, que consegue se adaptar facilmente a diferentes ambientes e situações”, destaca.

Outros requisitos essenciais são proatividade, foco em resultados, eficiência. Salles explica que a tendência é que o mercado se torne mais frio, cada vez mais profissionalizado. “Não é mais um amigo da faculdade ou um parente que integra a equipe de trabalho das empresas. Inclusive as companhias tradicionalmente familiares estão começando a sentir essa diferença”.

 

 

Do Jornal do Commercio

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Dominguinhos coloca marca-passo e segue em estado grave, no Recife

O músico Dominguinhos, 71 anos, continua internado no Hospital Santa Joana, no Recife, em estado grave, de acordo boletim médico divulgado neste domingo (23). Na noite de sábado (22), foi necessária a colocação de um marca-passo cardíaco temporário, devido à intensificação da arritmia cardíaca. O sanfoneiro encontra-se estável, sedado, respirando com a ajuda de aparelhos. Ainda de acordo com a nota, o quadro pulmonar apresenta melhora discreta e os antimicrobianos estão sendo mantidos.

Dominguinhos recebe tratamento para infecção respiratória e arritmia cardíaca, que o levaram à internação, na segunda-feira (17). Ele luta contra um câncer de pulmão  há mais de seis anos e é portador de diabetes.

História
José Domingos de Morais, mais conhecido como Dominguinhos, é natural de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco. Conheceu Luiz Gonzaga com oito anos de idade. Aos 13 anos, morando no Rio de Janeiro, ganhou a primeira sanfona do Rei do Baião, que três anos mais tarde o consagrou como herdeiro artístico.

Instrumentista, cantor e compositor, em 2002 ganhou o Grammy Latino com o “CD Chegando de Mansinho”. Ao longo da carreira, fez parcerias de sucesso com Gilberto Gil, Chico Buarque, Anastácia, Djavan, entre outros. Atualmente, Dominguinhos é considerado o sanfoneiro mais importante do país.

 

 

 

G1 PE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Estudante de Engenharia é morto em abordagem policial no Grande Recife

Um estudante de Engenharia Civil de 19 anos foi morto durante uma abordagem policial na madrugada deste domingo (23), em São Lourenço da Mata, no Grande Recife. De acordo com a polícia, o jovem foi atingido por um tiro de espingarda calibre 12, por volta das 3h30, disparado por um policial do Grupo de Ações Táticas do Interior (Gati). Ainda segundo a investigação, o suspeito alegou que tropeçou e caiu no chão durante perseguição e arma disparou sozinha.

A delegada Gleide Ângelo, que está à frente do caso, informou que o jovem estava em um bar com sete amigos e, durante a madrugada, foi até uma localidade conhecida como Campo Várzea Fria, na Ponte Preta, também em São Lourenço da Mata. “Eu ouvi os amigos da vítima e eles confirmaram que foram fumar maconha, quando os policiais chegaram”, disse.

Segundo Gleide Ângelo, os policias informaram que foram realizar uma abordagem de rotina, quando os jovens teriam saído correndo do local. “O suspeito de atirar disse que, durante a perseguição, tropeçou, caiu no chão e a arma disparou sozinha”, falou.

O policial foi autuado em flagrante por homicídio doloso, quando há intenção de matar, e recolhido ao Centro de Reeducação da Polícia Militar de Pernambuco (Creed). Parentes da vítima contaram que ele chegou a ser socorrido pelos próprios policiais à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Caxangá, no Recife, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O enterro do jovem deve ocorrer às 16h deste domingo, no Cemitério de São Lourenço da Mata.

 

 

G1 PE

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Cheiro de Amor, Marreta You Planta e Asas da América vão animar o réveillon de Arcoverde

98bb61e9ef66dd8e3054b6c49e11f5d9.jpg

Essa será a 16° edição do evento
Foto: Divulgação evento

Do NE10Núcleo SJCC/Caruaru

Uma das cidades do interior de Pernambuco que promete ter uma das festas de réveillon mais animadas é o a cidade de Arcoverde, no Sertão do Estado. O Réveillon Fest vai promover três dias de festa.

O evento que tem como atrações as bandas Cheiro de Amor, Marreta You Planeta e Asas da América, promete levar para as avenidas de Arcoverde atrás de um trio elétrico, mais de quatro mil foliões nos três dias do evento, que acontecem entre os dias 29, 30 e 31 de dezembro de 2012.
Os kits para participar da festa já estão sendo vendidos na loja do centro de Arcoverde. O abadá norma custa R$ 50 e R$ 80 o abadá vip.

Confira a programação:

Sábado (29) – Cheiro de Amor

Domingo (30) – Marreta You Planeta

Segunda (31) – Asas da América

 

 

 

NE10

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Disque-denúncia do Agreste já recebeu 72 mil denúncias

CARUARU – O Disque-Denúncia do Agreste está comemorando dez anos de existência. Nesse período, o serviço de repasse de informações ajudou a reduzir a violência na região, com mais de 72 mil denúncias registradas. Somente este ano, 9.710 casos foram encaminhados à central de atendimento, que engloba também municípios do Sertão e Zona da Mata Sul.

Desde que o serviço foi inaugurado, no dia 20 de dezembro de 2002, as denúncias ajudaram a realizar 1.142 prisões, a retirar 2.066 armas de fogo de circulação, e ainda a apreensão de 205 máquinas de caça-níqueis. Além disso, 33 vítimas foram resgatadas. Hoje, a central recebe em média 27 ligações todos os dias.

Os dados do serviço indicam que a demanda vem crescendo a cada ano. Em 2012, por exemplo, o aumento no número de denúncias foi de 28,4%, em relação a 2011. “Temos muito o que comemorar. Conseguimos os resultados a partir da união entre a sociedade e polícia e com a instalação de uma cultura de paz”, diz o coordenador da central no interior, Alexandre Galindo.

Outro ponto destacado por Alexandre Galindo foi a implantação, em setembro deste ano, do sistema de denúncia pela internet, que somente no interior já recebeu mais de 500 denúncias.

Uma das vantagens desse meio é que ele permite que o usuário também envie arquivos, como fotos e vídeos. Segundo, a polícia esses documentos ajudam e aceleram o processo de investigação.

“Não queremos incentivar a população a realizar o trabalho da polícia, investigando os crimes. Mas, caso existam provas que confirmem a denúncia, o processo de investigação será facilitado”, explica o coordenador. Ele acrescenta que a garantia do anonimato é o que tem conquistado a confiança da população. O Disque-Denúncia do Agreste atende pelo telefone            (81) 3719-4545       ou via internet, no endereço www.disquedenuciape.com.br.

 

 

 

Jornal do Commercio

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Projeto combate DST e aids no Sertão

 / Divulgação

Divulgação

SALGUEIRO – As linguagens do teatro, música e literatura de cordel se uniram para comemorar, na última semana, os dez anos de criação do Centro de Orientação e Apoio Sorológico (Coas) em Salgueiro, no Sertão Central. O projeto informações sobre doenças sexualmente transmissíveis e é desenvolvido nas áreas urbanas e rurais. Além de Salgueiro, a Secretaria de Saúde do município também leva o serviço às cidades de Verdejante e Cabrobó, com distribuição de material de divulgação, panfletagens e palestras.

Nas atividades comemorativas, o estudante Gabriel Lavour apresentou o cordel A vaquejada DST. Depois, o grupo de atores jovens InTenda encenou a peça O auto da camisinha, enquanto a música entrou em cena com o cantor Alfredo Júnior. A médica Denise Ribeiro, que coordena o Coas há oito anos, ressaltou que nesses dez anos as atividades socioeducativas têm grande repercussão principalmente em grandes eventos festivos, como Carnaval e São João.

“O momento não é só para se comemorar, mas para refletir principalmente contra o preconceito que ainda é uma barreira entre as pessoas que apresentam sintomas das diversas doenças e temem buscar apoio”, disse Denise. Nos primeiros meses de instalação do centro, houve muita dificuldade de se expandir as ações na comunidade, principalmente quando se falava em HIV e aids. “Tivemos que quebrar essas barreiras, começando pela conscientização dos funcionários da saúde. Agora, podemos dizer do prazer que é ver esse belo projeto completar uma década”, acrescentou.

Na rotina de ações, o Coas faz várias atividades junto à comunidade, como aconselhamento, testes de HIV, sífilis, hepatite B e C, distribuição de preservativos, palestra nas escolas, presídios e empresas privadas. Para cada semestre, é montada uma agenda oficinas para a população vulnerável, professores e agentes comunitários de saúde.

Pelo relatório produzido pela coordenação do programa, entre os anos de 2002 e 2003 foram realizadas 800 testes e distribuídos 30 mil preservativos. Já em 2011-2012 foram feitos 5.075 testes de HIV, 2.450 testes para hepatite e distribuição de 20 mil preservativos.

Segundo a secretária de Saúde do município, Gorete Coelho, o Coas é um serviço de referência para o Sertão Central e Araripe. “Quando a gente viaja pela região, em algumas vezes é comum encontrar nos postos de gasolina caminhoneiros usando a camisa da campanha. É sinal de que a mensagem está indo longe e contabilizando resultados favoráveis”, disse.

Para a gerente da VII Geres, sediada em Salgueiro, Auxiliadora Veras, comemorar os dez anos do Coas é perceber o fortalecimento do centro com seu propósito de proteger a população. “Muito bom ter uma década de atividades contínuas, quando várias profissionais abraçaram essa causa e podemos dizer que são guerreiras.”

Para o próximo ano, o Coas pretende aumentar os índices de testes de HIV em 100%, reativar o projeto Sexo Legal, fortalecer o projeto saúde e prevenção nas escolas, ampliar a aquisição de preservativos femininos e gel lubrificante e manter o projeto Ultrapassando Fronteira, a parceria com as empresas que atuam nas obras da Transnordestina e Transposição e com a gerência regional prisional.

 

 

 

 

JC Online

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pernambuco registra queda no número de homicídios de negros

Pernambuco registrou queda nos números absolutos referentes a mortes de negros e de jovens negros, entre os anos de 2002 e 2010. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (29), no Mapa da Violência 2012 – A cor dos homicídios no Brasil, documento elaborado pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino Americanos (Cebela), a Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (Flacso) e a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidencia da República.

De acordo com o Mapa, os homicídios de negros em Pernambuco caíram 17,3%, entre 2002 e 2010, sendo o único estado do Nordeste que apresentou queda. Entre os jovens negros foi observada a mesma tendência, um pouco mais acentuada, com queda de 21,9%. A situação no estado, apesar de longe do ideal, vai no sentido contrário do que o Mapa mostra em relação ao Brasil: no país, a tendência geral desde 2002 é a queda do número absoluto de homicídios na população branca e de aumento nos números da população negra.

Ainda assim, Pernambuco é o 5º estado no ranking de taxas de homicídios de negros, com 54,6%, atrás de Alagoas (80,5%), Espírito Santo (65%), Paraíba (60,5%) e Pará (55,1%).

Outro ponto analisado pelo Mapa – e no qual Pernambuco não vai nada bem – é o índice de vitimização negra, que mede quanto os negros morrem mais do que os brancos. Essa conta é feita através da divisão do número de mortes de negros pelo número de mortes de brancos. O documento explica: “Se o índice é negativo, morrem proporcionalmente mais brancos que negros. Se for positivo, morrem mais negros que brancos. Assim, um índice nacional de vitimização de 65,4 no ano de 2002 indica que, nesse ano, morreram proporcionalmente 65,4% mais negros do que brancos”.

Em Pernambuco, o índice de vitimização negra passou de 324,6% em 2002 para 609,2% em 2010 mostrando que, apesar da queda, a população negra continua sendo mais vítima de homicídios do que a branca. Esse aumento no índice também pode ser explicado através da redução dos números absolutos de homicídios de brancos, que caiu 53,6% entre 2002 e 2010, no estado.

Esses dados fazem com que o estado seja o terceiro no ranking de taxas de vitimização de negros, tanto na população total quanto na população jovem (644,9% em 2010). Nos dois rankings, Paraíba e Alagoas ocupam a primeira e segunda colocações, respectivamente.

Quando o estudo afunila o levantamento, passando de estados para cidades, o problema da vitimização se mostra ainda mais grave – no Recife, essa taxa chega a 922%. Em números absolutos, a capital pernambucana (792) é a terceira cidade brasileira onde mais negros são assassinados, por ano, atrás de Salvador (1.659 casos) e Rio de Janeiro (1.078 casos).

 

 

G1 PE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Turistas estrangeiros são detidos por crime ambiental em Noronha

Um grupo de seis turistas estrangeiros foi detido no Arquipélago de Fernando de Noronha, em Pernambuco, após entrar irregularmente em uma área de proteção ambiental, no domingo (25). De acordo com a Polícia Federal (PF), eles teriam sido avisados, ao chegar à ilha, das regiões onde não seriam permitidas a prática de esportes náuticos e visitação.

O grupo era formado por um espanhol, um lituano, um estônio, um holandês, um inglês e um norte-irlandês. De acordo com a direção do Parque Nacional Marinho, a denúncia de que uma embarcação estrangeira estava dentro da Baía do Sancho, uma área proibida, chegou através do Instituto Chico Mendes (ICMBio) – órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. A entidade tem uma representação na ilha.

Após passar pela Baía do Sancho, o grupo ainda seguiu para a Baía dos Golfinhos, que também tem o acesso vetado a turistas. De acordo com o delegado Roger de Moura, que está em missão na ilha, uma equipe da Polícia Federal se dirigiu ao local e constatou um bote e uma moto aquática com o grupo. “Eles foram alertados e, ainda assim, continuaram no local. Depois, ainda tentaram fugir, mas foram impedidos até porque não tinham para onde ir”, contou. Os policiais chegaram a atirar para cima para impedir a fuga dos turistas.

O grupo assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e foi liberado em seguida. De acordo com a PF, o ICMBio ainda multou cada um dos seis turistas em R$ 10 mil, por infração ambiental. Eles têm 20 dias para efetuar o pagamento ou recorrer da decisão. Os turistas deixaram Fernando de Noronha ainda no domingo (25).

 

 

G1 PE

(Foto: Ana Clara Marinho / TV Globo)

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Segurança do trabalhador da construção civil é foco de seminário

A segurança do trabalho está em foco a partir desta segunda-feira (26), quando começa a Semana do Trabalho Seguro. Promovido pelo Grupo de Trabalho Interinstitucional do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (Getrin), o evento, que segue até sexta-feira (30), foca na construção civil em Pernambuco. A programação conta com atividades de arte-educadores e entrega de cartilhas em canteiros de obras, bem como fiscalizações.

De acordo com o Getrin, a construção civil foi o setor escolhido não só pela expansão de seus negócios, mas também pelos números de acidentes de trabalho divulgados pela Previdência Social, que apontam para uma morte de trabalhador da construção civil por dia.

O evento conta ainda com palestras mediadas pelo juiz do Trabalho, Sérgio Torres, que conversa com representantes e associados do Sindicato das Empresas da Construção Civil (Sinduscon-PE) e da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE), nesta segunda (26) e terça-feira (27).

Além disso, a Semana do Trabalho Seguro realiza um seminário aberto ao público, que acontece na quinta, no auditório da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), na Avenida João de Barros, 111, bairro da Soledade, centro do Recife. No encontro serão debatidos temas como boas práticas de saúde e segurança no trabalho, ações regressivas por acidente de trabalho, e ainda a Norma Regulamentadora 35 – que estabelece que todo trabalho executado em altura acima de dois metros do nível inferior, onde há risco de queda, deve ser encarado com o tratamento especial.

 

 

G1 PE

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Bagaço da cana-de-açúcar vira produto nobre e preço dobra em PE

Além do Agreste e Sertão, a seca também está fazendo estragos em uma das regiões mais prósperas de Pernambuco: a Zona da Mata. Lá, a produção de cana-de-açúcar caiu 35%. No ano passado, foram produzidos 7 milhões de toneladas de cana. Este ano, apenas 4,5 milhões. Esses números assustam os fornecedores locais, que conseguiram um novo jeito de lucrar: o produto da vez é o bagaço da cana-de-açúcar, que virou produto nobre, comercializado no Sertão do estado como fonte de alimentação para os animais.

Com a estiagem, o Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool no Estado de Pernambuco (Sindaçúcar) articulou a doação de pequenas quantidades do bagaço para os pecuaristas da sociedade nordestina. Mas a comercialização deste produto se intensificou e o preço do resíduo dobrou. Antes, os criadores não buscavam as sobras da cana com tanta frequência. Agora, com a estiagem prolongada, ele se tornou uma das principais fontes de alimentação para o gado no Agreste e no Sertão.

Atualmente, a tonelada deste resíduo chega a ser vendida por R$ 120 nas usinas e destilarias do interior do estado. Além da grande procura, a oferta não é das maiores: de acordo com o empresário Carlos Henrique Maranhão, o que sobra de bagaço é menos do que 5% do volume de produção. “O produto ficou mais caro. E o que sobra é muito pouco”, diz. Para se ter uma ideia, cada tonelada de cana-de-açúcar produz apenas 50 quilos de bagaço.

Paulo Guedes, vice-presidente da Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco, se incomoda com a situação: “É realmente estranho você ter um produto, que é basicamente um resíduo, valendo esse preço todo. Mas é mercado, procura e oferta”, diz.

Os empresários da região, já observando a movimentação financeira que envolve o bagaço da cana, querem incluir o valor do bagaço no preço pago pela cana-de-açúcar. “Essa receita que está sendo gerada com o bagaço, não chega um centavo nas mãos dos fornecedores de cana”, completa Paulo Guedes.

O presidente do Sindaçúcar, Renato Cunha, divulgou nota informando que o foco principal não é a alimentação animal, e sim a geração de energia para acionar o próprio parque industrial da Usina. A doação do bagaço é realizada por meio da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Pernambuco (Fetape).

 

 

G1 PE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

contato@encartenoticias.com
jencartnoticias@gmail.com