Conselho Tutelar e PM resgatam três crianças abandonadas em casa pela mãe sujas e com fome em Olinda

Por G1 PE

Sujeira e pratos de comida foram encontrados na casa onde estavam as crianças, segundo o Conselho Tutelar de Peixinhos, em Olinda — Foto: Eurico Guedes/ Divulgação

Sujeira e pratos de comida foram encontrados na casa onde estavam as crianças, segundo o Conselho Tutelar de Peixinhos, em Olinda — Foto: Eurico Guedes/ Divulgação

Três irmãos menores de idade, deixados sozinhos, sujos e com fome em casa pela mãe, foram resgatadas pelo Conselho Tutelar e pela Polícia Militar, nesta quarta-feira (26), em Águas Compridas, em Olinda. Segundo Eurico Guedes, conselheiro tutelar de Peixinhos, na mesma cidade, entre as vítimas do abandono estão um bebê, de cinco meses, e dois meninos, de 4 anos e 12 anos.

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que foi acionada para a ocorrência às 15h. No endereço, os policiais confirmaram o abandono das crianças e encaminharam as vítimas para o Conselho Tutelar. Ainda segundo a PM, a mulher seria alcoólatra.

Em entrevista ao G1, por telefone, o conselheiro Eurico Guedes informou que os meninos foram levados para um abrigo em Olinda, nesta quarta. A mãe, de 27 anos, que não teve o nome divulgado, era aguardada pelo conselho até o fim da tarde.

“Vamos prestar queixa na quinta-feira (27) e fazer um boletim de ocorrências na Delegacia de Peixinhos por abandono de incapaz. Primeiro, providenciamos o acolhimento dessas crianças. Demos banho e alimentação para elas”, afirmou.

O conselheiro tutelar disse que encontrou as crianças a partir de denúncias anônimas. Segundo Guedes, há relatos de que a mãe já saiu de casa e deixou as crianças sozinhas outras vezes. “A Polícia Militar chegou ao local antes do conselho. A residência estava suja, com comida cheia de bichos. Havia fezes também”, disse.

Ainda de acordo com o conselheiro tutelar, não relatos de que a mulher use drogas. Guedes informou que ela tem, ao todo, sete filhos, mas quatro residiriam no local. “Eu encontrei três crianças. Não sabemos quem são os pais, mas alguns são filhos de homens diferentes”, declarou o conselheiro.

Guedes disse que ainda precisa localizar uma quarta criança, que segundo relatos, viveria na casa com a mãe. “Informaram que um menino de 8 anos, que tem necessidades especiais, viveria lá, mas não localizamos. Fomos até a casa de parentes e também não conseguimos encontrá-lo”, afirmou.

Os outros três filhos da mulher, segundo o conselheiro, vivem com parentes. “Tem uma menina de 3 anos que foi levada pelo pai, esta semana. O homem soube da situação e foi até a casa para pegar a criança”, declarou.

Um menino de 13 anos, disse Guedes, mora com a avó e outro, de 10, que também tem necessidades especiais, vive com uma ex-mulher do pai. “O pai estava com a criança, mas se separou da mulher e o menino ficou lá”, disse.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Atraso em pagamento de bolsas afeta 555 alunos do Ganhe o Mundo; governo diz ter resolvido problema

Por G1 PE

Alunos da Rede Estadual de Ensino de Pernambuco que participam do Programa Ganhe o Mundorelataram ter enfrentado atraso de pagamento de bolsas de intercâmbio no exterior custeadas pelo governo. A Secretaria de Educação informou que foram afetados 555 estudantes, sendo 482 que estão no Canadá e 73, no Chile. O estado disse que resolveu o problema nesta quarta (26).

O atraso no pagamento de junho foi relatado pelos jovens por meio de redes sociais. Segundo informações de estudantes, o dinheiro ficou disponível nesta quarta, mas demorou até duas semanas para ser depositado. As bolsas, previstas pela iniciativa, são de R$ 719.

O Ganhe o Mundo oferece vagas para intercâmbio em países de línguas estrangeiras. Os estudantes podem escolher cursos na Argentina, Chile, EspanhaColômbia, Canadá, Estados UnidosNova Zelândia e Austrália. Os alunos, que devem estudar na rede estadual, passam por uma seleção. O número de oportunidades varia de acordo com a edição do programa.

Segundo o governo, o atraso das bolsas de junho ocorreu por causa de um problema da empresa 2G Turismo e Eventos, responsável pelo pagamento para os estudantes no Canadá e Chile. Ainda segundo o estado, as bolsas mensais devem ser pagas no início de cada mês, dependendo da data da viagem do aluno.

Em nota, a empresa “assegura a todos que cumprirá as suas obrigações perante o Estado de Pernambuco, fornecedores e parceiros, sem que haja nenhum tipo de prejuízo para quem quer que seja, especialmente, para os estudantes intercambistas” (veja mais da resposta da empresa no fim desta matéria).

Quem deixou o Brasil no dia 1º de um determinado mês, por exemplo, recebe sempre no primeiro dia do mês seguinte. O aluno que saiu do país no dia 10, ganha a bolsa até o início do mês subsequente.

O governo disse, ainda, que antes da viagem do grupo de estudantes, a empresa vendedora de cada lote da licitação do programa recebe a dotação orçamentária integral e fica obrigada de fazer os repasses mensais.

A bolsa de R$ 719, de acordo com a secretaria, é concedida para que os estudantes paguem algumas despesas extras, já que a estadia, a alimentação e os estudos são quitados antes mesmo de o jovem chegar ao país estrangeiro.

Prejudicada

A estudante Emylle Monik estudava na Escola de Referência em Ensino Médio de Paulista, no Grande Recife. Ela viajou para o Chile em março de 2019, depois de ter se inscrito no edital de 2017 do programa.

Segundo ela, a bolsa era depositada, normalmente, nas contas dos estudantes no dia 10 de cada mês. O valor referente a junho, no entanto, chegou com duas semanas de atraso.

“Quem tem boa condição de vida pode fazer um cartão para mandar dinheiro para o filho, mas para quem não tem, é bem complicado. A gente passou mais de 15 dias sem dinheiro. Atrasar três ou quatro dias é uma coisa, mas esse tempo todo, é outra. Ficar pedindo dinheiro aos anfitriões dá muita vergonha”, afirma a estudante.

Emylle diz que, por causa do atraso da bolsa, ficou sem ter como comprar produtos de higiene e material escolar. A viagem de volta para o Brasil está marcada para o dia 16 de julho. Agora, ela tem medo de que o problema ocorra novamente.

“Conversamos com nossos coordenadores locais, aqui, e eles informaram que entraram em contato com a agência, que disse que estava esperando o governo mandar o dinheiro. O governo, no entanto, diz que já foi repassado. Fica um jogando para o outro. Ouvi relatos de pessoas que foram para o Canadá e receberam o dinheiro um dia antes de voltar”, declara a jovem.

Nota

Por meio de nota, a Secretaria de Educação e Esportes do Estado informou que os custos do intercâmbio do Programa Ganhe o Mundo, como hospedagem, alimentação, acomodação e estudos, são custeados pelo governo e foram pagos antes do embarque dos estudantes.

As bolsas mensais, segundo o governo, são para despesas extras, como passeios, diversão e compras. O atraso, afirma a administração estadual, ocorreu na parcela do mês de junho e o problema foi regularizado.

A pasta informa, ainda, que “o intercâmbio dos estudantes aconteceu normalmente como previsto no contrato” e que “os estudantes, inclusive, estão concluindo o intercâmbio e retornando ao Brasil.”

Resposta da empresa

Em nota, a 2G Turismo & Eventos afirma que realiza, desde 2012, o embarque de estudantes da rede pública de ensino para participar de programas de intercâmbio, tendo enviado quase dois mil alunos de Pernambuco, da Paraíba e do Espírito Santo.

“A execução desses serviços é sempre precedida de processo de contratação pública, conforme determina a Lei de Licitações que estabelece, entre tantas exigências, melhor preço e comprovação da habilitação técnica econômico-financeira. A 2G Turismo & Eventos sempre se empenhou no cumprimento das obrigações, atendendo a todas as determinações, prazos e demandas estabelecidas nesses processos de contratação”, diz no texto.

Sobre o problema ocorrido com os estudantes pernambucanos, a empresa afirma que “os preços praticados na execução das últimas remessas de estudantes ao exterior se revelaram insuficientes para fazer frente às inúmeras obrigações decorrentes dos contratos firmados com o Estado de Pernambuco”.

Também na nota, a empresa lista outros motivos que acentuaram o caso. “Essa situação se agravou pela persistência da crise econômico-financeira que assola o país e da alta do dólar, moeda pela qual estão atrelados a maior parte dos custos contratuais. Ainda assim, a 2G decidiu dar seguimento à execução do contrato, enviando todos os alunos para os destinos contratualmente previstos”, declara.

Para tentar solucionar a situação, a empresa afirma ter feito um plano de adequação, junto aos fornecedores do Canadá, para ampliar os prazos para pagamento.

“Determinado fornecedor do Canadá se insurgiu contra o acordo que já havia sido firmado e vinha sendo regularmente cumprido. Além disso, os valores apontados por tal fornecedor correspondem, aproximadamente, ao dobro do montante efetivamente devido pela 2G e, ao contrário do afirmado, a empresa vem cumprindo rigorosamente suas demais obrigações contratuais, especialmente quanto ao pagamento das bolsas relativas à ajuda de custos para a manutenção dos estudantes no exterior”, traz o texto.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Homem preso por matar a mulher após jogá-la de sacada já tinha sido indiciado por violência doméstica

Por G1 PE

Rua onde ocorreu o femincídio fica em Água Fria, na Zona Norte do Recife  — Foto: Reprodução/Google Street View

Rua onde ocorreu o femincídio fica em Água Fria, na Zona Norte do Recife — Foto: Reprodução/Google Street View

O homem que foi preso após matar a mulher, jogando a vítima da sacada do apartamento onde o casal morava, no Recife, tem histórico de violência doméstica e passagem pela polícia. Segundo a corporação, Fábio Lourenço da Silva, de 35 anos, atuado pelo feminicídio de Márcia Araújo da Silva, de 44 anos, chegou a ser indiciado, em 2018, após crimes relatados por uma ex-companheira.

A morte de Márcia ocorreu na madrugada da segunda-feira (24), no bairro de Água Fria, na Zona Norte da capital pernambucana. Ao dar entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Descoberta, na mesma região, a vítima conseguiu informar que tinha sido jogada da sacada pelo companheiro, de acordo com a polícia.

Segundo a corporação, Fábio está preso no Centro de Triagem e Observação Criminológica (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife. Segundo o Tribunal de Justiça (TJPE), o flagrante dele foi convertido em prisão preventiva, em audiência de custódia realizada na segunda-feira (24).

Nesta quarta-feira (26), a polícia realizou uma entrevista coletiva, no Recife, para detalhar o caso e falar sobre o histórico de violência doméstica de Fábio.

“Uma ex-companheira prestou queixa contra ele por ameaça, injúria e violação de domicílio. Márcia também foi vítima de um ciclo de agressões físicas e verbais”, afirma a delegada Ana Elisa Sobreira, que atua na Delegacia da Mulher do Recife.

Na coletiva, o delegado Sérgio Ricardo ressaltou que Márcia chegou a relatar a parentes que Fábio quebrou o braço dela depois de uma briga.

“Ela não costumava admitir que era vítima do companheiro. Quando bebia, no entanto, dizia aos parentes que ele tinha praticado agressões. Quando perguntavam o que tinha acontecido, ala afirmava que havia sofrido um acidente de moto”, declara.

A delegada Ana Elisa Sobreira acrescentou que Márcia também chegou a afirmar que já tinha sido agredida com um capacete.

“Ela teve uma oportunidade de procurar ajuda para quebrar esse ciclo de violências física e verbal. Infelizmente, o caso chegou ao ponto em que a gente mais teme, que é o feminicídio”, diz.

Segundo a delegada, é preciso entender as atitudes das mulheres que vivem em ciclos de violência doméstica. “Não podemos julgar. É preciso ajudar e mostrar que existem exemplos de mulheres que conseguiram superar isso”, afirma.

Vítima do feminicídio foi levada à UPA de Nova Descoberta, no Recife — Foto: Reprodução/Google Street View

Vítima do feminicídio foi levada à UPA de Nova Descoberta, no Recife — Foto: Reprodução/Google Street View

Crime

Durante a coletiva, a polícia detalhou como aconteceu o feminicídio no apartamento localizado na Rua Aníbal Benévolo. O delegado Sérgio Ricardo afirmou que o crime teve um motivo banal.

“Fábio e um irmão dele estavam bebendo no apartamento e consumindo maconha também. O agressor ficou com raiva no momento em que a vítima pediu ajuda ao irmão dele para comprar mais bebidas”, diz.

Por causa disso, afirma o policial, começou uma discussão, que terminou com agressões físicas. “Houve arremesso de garrafas e quebradeira de móveis”, declara.

O delegado Sérgio Ricardo disse, ainda, que depois de jogar a mulher da sacada, Fábio e o irmão foram para outro local e continuaram bebendo.

Quando eles voltaram para o local do crime, a vítima estava sendo socorrida. Ela chegou a ser levada para uma unidade de saúde, mas morreu”, afirma.

Prisão

De acordo com a polícia, Fábio Lourenço foi preso cerca de duas horas depois do crime, na casa da mãe dele. “Passamos uma hora e meia procurando Fábio. Na prisão, ele mostrou ser frio e dissimulado, chorou e negou o crime”, diz o delegado.

Sérgio Ricardo contou também que o próprio irmão de Fábio, ao ser ouvido de forma separada, informou aos agentes que o agressor teria admitido a ele que “tinha feito uma besteira”.

“Ele chegou a dizer que a mulher tinha se jogado, mas o irmão deu outras informações e negou essa versão”, declara o delgado.

Estatísticas

De janeiro a maio de 2019, foram 19 feminicídios contabilizados em todo o estado, de acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS). Esse tipo de crime ocorre quando a vítima é morta pelo fato de ser mulher.

Um dos casos recentes ocorreu em 25 de maio, quando um policial militar de 46 anos foi preso pelo feminicídio da esposa, de 42 anos, em uma academia de ginástica no Janga, em Paulista, no Grande Recife.

Cleodenice Maria da Silva foi atingida por tiros e foi levada a uma unidade de saúde por alunos da academia, que estava aberta no momento do crime. A vítima, no entanto, não resistiu aos ferimentos.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Adolescentes torturam e matam garota por causa de ciúmes, divulgam vídeo e são apreendidas

Por G1 PE

Adolescentes filmaram tortura a menor em Paulista, no Grande Recife — Foto: Reprodução/WhatsApp

Adolescentes filmaram tortura a menor em Paulista, no Grande Recife — Foto: Reprodução/WhatsApp

Duas adolescentes foram apreendidas pela Polícia Civil, nesta terça-feira (25), por terem torturado e matado uma garota de 14 anos, na Praia de Maria Farinha, em Paulista, no Grande Recife. As jovens, que têm 15 anos, segundo a Polícia Civil, registraram as agressões com o celular e publicaram as imagens nas redes sociais. O crime foi motivado por ciúmes.

As duas garotas, segundo a polícia, agrediram a vítima com socos e pontapés, deram golpes de faca, e tentam afogá-la no mar. O delegado Augusto Cunha afirmou que a vítima é ex-namorada de uma das garotas, a que filmou a agressão.

“A outra, que aparece no vídeo praticando a maioria das agressões, seria atual da outra agressora. Essas informações são preliminares”, diz o policial, que fez a primeira investigação no local do crime.

Nas imagens divulgadas pela internet, é possível ver a vítima sendo espancada. A garota está vestida com roupas da Rede Municipal de Ensino do Recife. A blusa dela está ensanguentada, por causa das agressões sofridas.

As adolescentes foram levadas à Delegacia de Maria Farinha, onde foram ouvidas pelo delegado Álvaro Muniz. O caso, segundo a polícia, ocorreu pela manhã e as duas garotas foram apreendidas durante a tarde. As duas garotas foram autuadas em flagrante por ato infracional equiparado a homicídio.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Deputado usa tribuna da Alepe para se defender de acusação de agressão feita pela mulher

Por TV Globo e G1 PE

O deputado estadual Marco Aurélio (PRTB) usou, nesta terça-feira (24), a tribuna da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), no Recife, para se defender de acusações de agressão feitas pela esposa. A mulher, que preferiu não ser identificada, prestou queixa na delegacia e disse ter sido vítima de agressões físicas e verbais, na noite do domingo (23).

Esta foi a segunda vez que o deputado se defendeu das acusações. Na segunda-feira (24), a assessoria do parlamentar emitiu uma nota para negar as acusações. Ele também gravou um vídeo para a TV Globo.

Marco Aurélio foi eleito deputado estadual com 26.783 votos nas eleições de 2018. Ele é o líder da oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

Nesta terça-feira, agradeceu as palavras de colegas, que prestaram solidariedade, diante da repercussão da acusação. “Se tem alguém que quer isso mais rapidamente esclarecido sou eu”, declara.

Ele disse também que foi agredido pela mulher e que tinha dito a ela que se isso voltase a acontecer deixaria a casa. “Eu saí de casa no domingo, dizendo que não voltaria mais. Disse que o advogado procuraria ela para resolver as questões”, afirma.

Deputado Marco Aurélio se defendeu de acusações de agressão feitas pela mulher, em pronunciamento na tribuna da Alepe — Foto: Reprodução/TV Globo

Deputado Marco Aurélio se defendeu de acusações de agressão feitas pela mulher, em pronunciamento na tribuna da Alepe — Foto: Reprodução/TV Globo

O parlamentar afirmou que foi surpreendido “com tudo o que aconteceu” na segunda-feira (24), fazendo referência ao depoimento da mulher. Ela alegou que sofria violências “incontáveis”, ao longo de três anos de relação. Na segunda, ela relatou ter machucados as costas.

Ainda no pronunciamento, o deputado disse que não está sendo fácil ser acusado. “Não quero ser o bonzinho nem dizer que minha ex-mulher é a ruim da história. Estou querendo dizer que houve o fim de uma relação e que eu saí respeitosamente da minha casa dizendo ’não quero mais viver com você’”, afirma.

Marco Aurélio deu sua versão sobre uma suposta briga após a visita a um restaurante, que teria sido o motivo do início das agressões, de acordo com a acusação feita pela esposa do deputado. “Eu fui, sim, a um restaurante, com meu filho e com um amigo. Tomei água mineral”, diz.

Por fim, o parlamentar afirmou que só vai voltar a falar sobre o caso depois da conclusão do inquérito. “Tenho duas ex-mulheres e elas ligaram para mim e disseram que serão testemunhas. Uma delas queria até gravar um vídeo eu não quis. Isso me fez muito mal”, declara.

Depois da sessão no plenário da Alepe, Marco Aurélio disse à TV Globoque confia na polícia. “A verdade vai prevalecer”, afirma.

Esposa do deputado Marco Aurélio (PRTB) prestou queixa contra agressões físicas e psicológicas contra o marido — Foto: Reprodução/TV Globo

Esposa do deputado Marco Aurélio (PRTB) prestou queixa contra agressões físicas e psicológicas contra o marido — Foto: Reprodução/TV Globo

Acusações

Em entrevista à TV Globo ao G1, na segunda, a mulher do deputado disse que foi para a delegacia depois de uma confusão ocorrida no dia anterior. Ela contou que questionou o gasto em um restaurante, mas não queria brigar. Ela afirma que o parlamentar a xingou e a empurrou, provocando a queda no chão.

A esposa do deputado disse que machucou a cabeça e as costas, na área das nádegas. Em outros casos, ela alegou que teve hematomas nos braços e no colo.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Mãe esfaqueia adolescente e expulsa filhas de casa no Recife

Por G1 PE

Jovem foi levada ao Departamento de Polícia da criança e do Adolescente (DPCA), na Zona Oeste do Recife — Foto: Reprodução/Google Street View

Jovem foi levada ao Departamento de Polícia da criança e do Adolescente (DPCA), na Zona Oeste do Recife — Foto: Reprodução/Google Street View

Uma adolescente de 17 anos foi ferida pela mãe, na madrugada desta terça-feira (25), no bairro de Santo Amaro, no Centro do Recife. De acordo com a Polícia Civil, a mulher esfaqueou a filha dentro de casa, na Rua Mário de Albuquerque Cavalcante.

O caso está sendo acompanhado pela conselheira tutelar Viviane Conceição, a quem a garota relatou o crime. Segundo a conselheira, durante a ouvida, a menor de idade chegou a passar mal e desmaiar, de tão abatida que ficou após a agressão.

“A mãe agrediu a filha na frente do pai, dos três irmãos da menina e da tia. Ela é usuária de drogas e álcool e, segundo a vítima, tem muito ciúme do pai e acaba descontando nos filhos. A garota tem uma irmã de 16 anos, que foi expulsa de casa junto com a de 17 anos pela mãe”, afirma a conselheira.

Após serem expulsas, as adolescentes buscaram refúgio no Conselho Tutelar da Rua Gervásio Pires, na Boa Vista, na área central da cidade. A garota ferida pela mãe, segundo a conselheira, não chegou a ser socorrida e foi atingida nas costas, numa região perto da axila esquerda.

“Acolhemos as meninas e o filho da jovem ferida, que tem 3 anos”, declara Viviane. Segundo a Polícia Civil, o caso foi encaminhado à Delegacia dos Crimes Contra as Crianças e Adolescentes, que abriu um inquérito.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pernambucanos denunciam ter sofrido calote de agência de intercâmbio; polícia investiga

Por Wagner Sarmento e Bianka Carvalho, TV Globo

Pernambucanos que contrataram uma agência de intercâmbio de São Paulo denunciam ter sofrido calote após a empresa anunciar o encerramento das atividades por dificuldades financeiras. Em Pernambuco, ao menos 13 famílias dizem ter sido prejudicadas pela Time2 Travel (T2T) e contam que, no país, são mais de 900 embarques para o exterior pendentes. A Polícia Civil investiga o caso. (

O grupo foi, na manhã desta terça-feira (25), à Delegacia de Repressão ao Estelionato, no bairro de Afogados, na Zona Oeste do Recife, para registrar boletim de ocorrência. Por meio de nota, a Polícia Civil afirma que a investigação do caso é realizada pelo delegado Fauzer Palitot. A empresa declarou falência. (Veja resposta no fim da matéria)

Entre as pessoas prejudicadas, está uma professora recifense de 53 anos que prefere não ser identificada. Ela trabalha na rede pública de ensino e juntou as economias para investir no futuro da filha de 26 anos, graduada em relações internacionais.

“Minha filha viajaria no dia 5 de agosto para a Irlanda e passaria oito meses lá. Pagamos quase R$ 37 mil para essa empresa e aí recebemos essa notícia. Não sabemos o que fazer”, afirmou.

Segundo a mulher, o contrato previa passagens aéreas, três semanas de hospedagem, curso em uma escola de Dublin, seguro de vida e seguro-saúde. De acordo com ela, apenas as passagens foram compradas pela T2T.

“Formamos um grupo das pessoas lesadas no país. Pelos nossos cálculos, são mais de 2 milhões de euros que a empresa recebeu e não prestou o serviço. Há inclusive intercambistas que estão na Irlanda sem moradia, sem nada. Isso é estelionato”, diz.

Em nota nas redes sociais, a empresa pediu desculpas pela demora em responder aos e-mails dos clientes e disse que a equipe de apoio não está dando conta de atender a todos. No site da agência, um texto explica as dificuldades econômicas da empresa e afirma que tudo está sendo feito para garantir o cumprimento dos programas contratados.

Um dos denunciantes foi Rafael Costa, que gastou quase R$ 15 mil, as economias que ele tinha. Para algumas pessoas, o prejuízo foi ainda maior, porque a empresa sugeria a abertura de uma conta na Irlanda e o envio de euros e sugeria que tudo fosse fechado com eles. Há relatos de pessoas que investiram mais de R$ 35 mil.

“Vendi meu carro e o valor integral foi revertido para esse sonho, para poder seguir viagem e foi tudo desperdiçado”, afirma.

Para Anne Lima, foi como se seu sonho fosse cancelado em uma semana. “Desde o dia 17 começaram os rumores de que a empresa ia quebrar e que eles não iam conseguir. Eles divulgaram uma nota bem aleatória, cancelaram as redes sociais e deixaram a gente na mão”, diz.

A agência

A T2T se apresenta como uma agência de viagens e de programa de intercâmbio criada em 2011 com o objetivo de proporcionar aos clientes “a melhor experiência de suas vidas”. A empresa, registrada no nome de Fábio Martins da Silva Maestri, conta com escritórios em São Paulo, Belo HorizonteRio de Janeiro e Florianópolis.

No dia 17 de junho, a Time2 Travel anunciou, em sua página no Facebook, que estava encerrando as atividades por dificuldades financeiras. “Estamos em contato com parceiros educacionais, outras agências e órgãos para fazer o que for possível para que o projeto do seu intercâmbio continue de pé”, disse a empresa no texto.

Dois dias depois, diante da reclamação de contratantes que não conseguiam respostas no e-mail e telefone indicados, a T2T divulgou outro comunicado afirmando que os problemas da empresa impediam “a operacionalização e cumprimento das obrigações assumidas com nossos clientes”. Também no texto, falava em “minimizar os prejuízos”.

Resposta

Por meio de nota, a empresa afirma que o número de 900 embarques diz respeito aos contratos vigentes, sendo “boa parte deles” de unidades do exterior, “que já foram absolvidas por outras agências sem nenhum prejuízo aos alunos”, mas que não dispõe de número exato de serviços pendentes com os clientes, nem de quanto é o prejuízo.

A empresa diz, ainda, que a maioria dos pagamentos era parcelada, o que “facilita o remanejamento e absorção” dos alunos por agencias parceiras. A principal dificuldade enfrentada, segundo a empresa, “são os bloqueios judiciais dos ativos financeiros da empresa e do socio”.

Questionada sobre possíveis reembolsos, a empresa diz que trabalha, primeiramente, com a absorção dos estudantes por outras agências. Sobre os intercambistas que estão em outros países, a empresa disse que vai se pronunciar em breve, mas que “nenhum deles viajou sem o intercâmbio pago” e que os casos em aberto são de “pessoas que estavam adquirindo um curso de renovação ou algum produto extra da agência”.

Sobre o porquê de ter declarado falência, a empresa diz que a medida foi tomada por causa de fatores externos e internos, da política cambial e do “momento em que o país passa”. A dívida atual, segundo a empresa, só poderá ser dimensionada após o remanejamento dos alunos.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Incêndio atinge fosso de elevador de prédio em Boa Viagem

Por G1 PE

Bombeiros foram acionados para apagar incêndio na madrugada desta terça (25), em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife — Foto: Reprodução/WhatsApp

Bombeiros foram acionados para apagar incêndio na madrugada desta terça (25), em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife — Foto: Reprodução/WhatsApp

Um incêndio atingiu o fosso do elevador de um edifício localizado na Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, na madrugada desta terça (25). O Corpo de Bombeiros enviou cinco viaturas para o local, que fica próximo à Pracinha de Boa Viagem. As causas do incêndio não foram divulgadas.

Por meio de nota, a corporação informou que o incêndio aconteceu por volta das 2h e “gerou uma grande quantidade de fumaça, que se alastrou por todos os pavimentos”.

Por conta da inalação de fumaça, cerca de 30 pessoas receberam atendimento pré-hospitalar no local, mas nenhuma pessoa precisou ser levada para uma unidade de saúde. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi ao local para atender as vítimas.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as equipes que foram ao local atuaram no rescaldo do incêndio, na retirada dos moradores do edifício e no socorro às vítimas. A ocorrência foi finalizada por volta das 5h30.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Mulher é assassinada a tiros em comunidade de Olinda

Por G1 PE

Uma mulher de 37 anos foi assassinada a tiros na noite da segunda-feira (24), no bairro de Peixinhos, em Olinda. De acordo com a Polícia Civil, Janaína dos Santos Silva foi morta na Avenida Poeta Vinícius de Moraes, na Comunidade Arco Íris.

Informações iniciais obtidas pela polícia dão conta de que a vítima pode estar envolvida com o tráfico de drogas. Um inquérito foi instaurado para apurar a autoria e a motivação do crime.

Violência

Entre janeiro e maio de 2019, o estado registrou 1.505 homicídios. O número, segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), é 22,7% menor do que os 1.948 casos contabilizados nos cinco primeiros meses de 2018.

Somente em maio de 2019, Pernambuco contabilizou 299 homicídios, segundo o governo estadual. O número é 16% menor que os 356 casos de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) registrados em maio de 2018.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Esposa do deputado estadual Marco Aurélio presta queixa na polícia contra o marido por violência física e psicológica; ele nega

Por Marina Meireles, G1 PE

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar agressões sofridas pela esposa do deputado estadual Marco Aurélio (PRTB). Nesta segunda (24), a vítima prestou queixa e contou ter sido empurrada pelo marido na noite do domingo (23), quando machucou a cabeça e as costas, além de dizer ser alvo de agressões físicas e verbais constantes. O parlamentar nega as acusações.

“Estamos juntos há três anos e, nesse período, eu contabilizei dez agressões físicas. As psicológicas são incontáveis”, afirmou, sem preferir se identificar. A ida à Delegacia da Mulher, em Santo Amaro, no Centro do Recife, foi motivada por uma situação ocorrida na noite anterior.

“Eu tinha almoçado com meus filhos, como todo domingo, e, quando voltamos, perguntei onde ele teria almoçado. Ele me disse que foi em um canto, mas teria sido em outro. Eu questionei, mas, em nenhum momento, eu queria brigar. Ele já veio me agredindo, me xingando, botando o dedo na minha cara, dizendo que não era mentiroso e me deu um empurrão. Foi aí que eu caí”, contou.

Esposa do deputado Marco Aurélio (PRTB) prestou queixa contra agressões físicas e psicológicas contra o marido — Foto: Reprodução/TV Globo

Esposa do deputado Marco Aurélio (PRTB) prestou queixa contra agressões físicas e psicológicas contra o marido — Foto: Reprodução/TV Globo

Desta vez, a esposa do deputado machucou a cabeça e as costas, na área das nádegas. Em outros casos, ela já teve hematomas nos braços e no colo. “Faz um ano que eu saí de casa por cinco dias porque eu não aguentei mais, mas voltei achando que ele ia mudar”, declarou.

‘Eu pensei em desistir’

A esposa de Marco Aurélio alega ter procurado a polícia na noite do domingo (23), após a agressão. “Não tinham equipes de plantão porque eu vim às 21h, mas me pediram para vir hoje [segunda] pela manhã. Vendo os flagrantes aqui, eu pensei várias vezes em desistir”, contou.

Ainda segundo a vítima, a denúncia não foi feita antes por se sentir amedrontada devido à condição social do marido.

“Ele já me disse ‘ah, não acontece nada comigo, só em flagrante’ e eu disse ‘eu espero que a gente não chegue a esse ponto’. Ele dizia ‘você não tem influência’, sempre querendo me diminuir, me amedrontar. Por vezes eu aceitei, calei, perdoei, mas agora eu não consigo mais. Está doendo muito, muito”, disse.

Ainda de acordo com a esposa do deputado, “as atitudes não combinam com o discurso dele”. “É meio que um personagem. Ele se porta plácido, polido com as pessoas, mas, em casa, é a verdadeira pessoa”, afirmou.

Marco Aurélio foi eleito deputado estadual com 26.783 votos nas eleições de 2018. Ele é o líder da oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

Resposta

Por telefone, o deputado Marco Aurélio disse à TV Globo que está em um processo de desgaste da relação há muito tempo, mas que nunca agrediu a mulher.

O parlamentar confirmou que houve uma briga, durante a qual a mulher o chamou de mentiroso e cuspiu nele, “mas que nunca fez nada com ela”. O deputado alegou também que, depois da confusão, disse para a mulher que iria se separar e que foi surpreendido com a queixa prestada por ela.

“Ela veio com o cartão [de crédito] questionando se eu tinha ido a um bar. Me chamou de mentiroso. Começou com esculhambação em cima de mim. Veio em cima de mim e cuspiu em mim. Eu tinha dito a ela que se isso acontecesse seria o fim da relação. Afirmei que o advogado vai procurar ela, sentar e resolver, porque não dá mais”, declarou.

Na entrevista, o deputado declarou que fez as malas e deixou a casa. “Hoje, fui surpreendido por tudo. Eu não toquei, não gritei, não fiz absolutamente nada. Ela mesma diz que não tem nenhuma marca. Nunca agi com mulher nenhuma desse jeito, muito menos com ela, que é uma pessoa de que eu gosto”, acrescentou.

Dados

Segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), houve 3.439 casos de violência doméstica e familiar contra a mulher registrados em maio deste ano. Isso representa uma redução de 0,8% com relação a maio de 2018, quando houve 3.468 ocorrências.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.