Operação ‘Capital’ busca suspeitos de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em Caruaru

Por G1 Caruaru

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quarta-feira (30) a operação Capital em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. O objetivo é prender suspeitos de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

De acordo com a polícia, as investigações referentes a esta ação começaram em agosto deste ano. Durante a operação, estão sendo cumpridos seis mandados de prisão, dois de restritivo de direitos e oito mandados de busca e apreensão domiciliar.

As investigações foram assessoradas pelo Laboratório de Tecnologia Contra a Lavagem de Dinheiro (LAB/LD) e pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (DINTEL).

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Menino de 9 anos é atropelado após sair de carro em Santa Cruz do Capibaribe

Por G1 Caruaru

Um menino de nove anos foi atropelado na tarde da terça-feira (29) em Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar, a criança saiu de um veículo, no bairro Bela Vista, quando foi atingido por uma motocicleta.

Ainda segundo a PM, Ele foi socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município, mas precisou ser transferido para o Hospital da Restauração, porque sofreu um traumatismo craniano.

O estado de saúde da criança ainda não foi informado pela unidade de saúde do Recife.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Feiras são antecipadas em Caruaru devido ao feriado de 2 de novembro

Por G1 Caruaru

A Unidade de Gestão da Feira de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, informou,na terça-feira (29), aos contribuintes, comerciantes e ao público em geral que, em virtude do feriado do dia 2 de novembro, a feira do bairro São Francisco será antecipada para a próxima quinta-feira (31). Já a feira do Parque 18 de Maio será realizada na sexta-feira (1º).

No sábado (2), no Parque 18 de Maio, só estará funcionando o Mercado de Carne e Setor de Flores, até às 12h.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pernambuco inicia emissão de nova carteira de identidade e cobra taxa antes do agendamento

Por Pedro Lins, TV Globo

Pernambuco inicia novo sistema para emissão de carteiras de identidade

Pernambuco inicia novo sistema para emissão de carteiras de identidade

Pernambuco passa a emitir, a partir desta terça (29), o novo modelo da carteira de identidade, que tem uma coleta 100% eletrônica de dados, como digital, assinatura e foto 3×4. Devido a denúncias de fraudes no sistema de agendamento pela internet, o governo estadual mudou a forma de marcar atendimento, que pode ser feito no Portal do Cidadão apenas após a taxa de emissão ser paga (

“A partir de agora, o documento pode ser feito apenas com o pagamento de documento de arrecadação. A partir disso, é aberta a possibilidade de o usuário fazer o agendamento. Ele vai ter que pagar antes que agendar. Quando houver a transferência, abre a possibilidade de fazer o agendamento na data e no horário que for melhor para o usuário”, disse o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, em entrevista ao Bom Dia Pernambuco

Pernambuco inicia emissão de novo modelo de carteira de identidade

Pernambuco inicia emissão de novo modelo de carteira de identidade

Os valores de R$ 22,61 (para 2ª via), de R$ 45,23 (3ª via) ou R$ 90,51 (4ª via em diante) podem ser pagos em agências bancárias ou pela internet. A primeira emissão é gratuita e também pode ser agendada no Portal do Cidadão.

Esse formato visa impedir a venda de vagas no sistema de agendamento para tirar a carteira de identidade em Pernambuco, fraude investigada pela Polícia Civil desde abril deste ano.

Segundo o Instituto de Identificação Tavares Buril (IITB), a população enfrentava dificuldades para agendar o atendimento porque os horários disponíveis eram ocupados por pessoas que vendiam vagas a terceiros.

Antônio de Pádua, secretário de Defesa Social, falou sobre a nova carteira de identidade em entrevista ao Bom Dia Pernambuco — Foto: Reprodução/TV Globo

Antônio de Pádua, secretário de Defesa Social, falou sobre a nova carteira de identidade em entrevista ao Bom Dia Pernambuco — Foto: Reprodução/TV Globo

Tecnologia

A tecnologia mudou o processo de confecção da carteira de identidade, que utilizava a mesma metodologia de tintamento há 110 anos. Quem já tem a carteira de identidade não precisa substituir o documento, pois ela permanece sendo válida, de acordo com o secretário.

“O novo processo traz segurança, agilidade e uma nova identidade que vai ser colocada à disposição da população. Anteriormente, o processo poderia levar até 90 dias para a pessoa receber a identidade. Agora, na capital, esse tempo não demora mais do que cinco dias úteis. No interior, não demora mais de dez dias úteis”, declarou Antônio de Pádua.

Podem ser inseridos ao novo modelo de RG, informações como tipo sanguíneo, nome social e números de outros documentos, como passaporte, PIS-Pasep e Carteira Nacional de Habilitação (veja lista completa abaixo).

Dados que podem ser inseridos ao RG

  • Tipo sanguíneo e fator RH
  • Cadastro de Pessoas Físicas (CPF)
  • Número de passaporte
  • Título de Eleitor
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS)
  • Carteira Nacional de Habilitação (CNH)
  • Número de Identificação Social (NIS), Número de Inscrição do Trabalhador (NIT), inscrição no Programa de Integração Social (PIS) ou Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep)
  • Cartão Nacional de Saúde (CNS)
  • Identidade profissional
  • Certificado Militar (somente o Registro de Alistamento) – não é permitida a inclusão do número de identidade militar dos integrantes das Forças Armadas, Policiais Militares e/ou Bombeiros Militares
  • Nome Social
  • Condição Específica de Saúde

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Jovem escalpelada em kart se emociona ao voltar para casa e reencontrar gatos de estimação

Por Camila Torres, TV Globo

A volta de Débora Stefanny Dantas de Oliveira para casa aconteceu mais de dois meses após a jovem sofrer escalpelamento em um acidente de kart, na Zona Sul do Recife, no dia 11 de agosto. A ansiedade para voltar à rotina era tão grande quanto a vontade de ver seus três amores de quatro patas: Princesa Leia, Reiga e Caramelo.

Uma equipe da TV Globo registrou o momento em que Débora, de 19 anos, reencontrou seus gatos. Antes mesmo de chegar ao local, ela já chorava de alegria pelo que estava para acontecer. “São a minha família. Quanto tempo eu esperei por isso”, disse.

Débora reencontrou os gatos três meses após sofrer acidente no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Débora reencontrou os gatos três meses após sofrer acidente no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Enquanto estava internada, o noivo Eduardo Tumajan contou que uma das maiores preocupações de Débora eram os animais que tinham ficado em casa. A jovem pedia que levassem comida para os gatos todos os dias.

Após receber alta da unidade de saúde onde estava internada, em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, Débora se prepara para voltar às atividades normais até que precise passar por novas cirurgias, em 2020. Dessa vez, serão procedimentos estéticos.

“Não adianta ficar ansiosa com tratamento médico porque é tudo muito lento, com resultados demorados. Ano que vem vão colocar minha sobrancelha com 3% do couro cabeludo que sobrou. Estou ansiosa por isso porque a sobrancelha dá um formato ao rosto, mas nada absurdo. Estou tranquila. Todo tratamento vai ser em São Paulo”, contou em entrevista .

Longe dos hospitais, o próximo desafio de Débora tem data marcada. Ela se organiza para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no domingo (3).

Débora deve passar por novas cirurgias em 2020 — Foto: Reprodução/TV Globo

Débora deve passar por novas cirurgias em 2020 — Foto: Reprodução/TV Globo

“Não estou me cobrando, mas o que puder fazer, revisar de última hora, farei. Vou dar o meu melhor mesmo que eu tenha passado um tempo sem ter esse estudo mais constante”, disse.

O noivo Eduardo não esconde a felicidade em acompanhar a recuperação de Débora. “Eu estou muito feliz de ver ela sorrindo o tempo todo. Poucas vezes eu vi ela entristecida, mas vi entediada por estar dentro de um quarto, sem poder passear. Ela gosta de sair, ver o sol, ver a natureza. Para ela foi muito difícil passar dois meses dentro de um quarto sem ver a luz. Estou muito feliz de estar agora aqui para descansar”, afirmou.

Jovem escalpelada em kart fala sobre superação e planos no Encontro com Fátima

Jovem escalpelada em kart fala sobre superação e planos no Encontro com Fátima

Em participação no Encontro com Fátima Bernardes, na segunda-feira (28), Débora falou sobre todo o processo após as cirurgias por consequência do acidente. “Eu sempre pensei que, se alguma coisa é inevitável, por exemplo, meu couro cabeludo não vai crescer, então por que vou sofrer por isso?”, questionou.

Segundo a estudante, o acidente a fez querer, ainda mais, tornar-se médica. “Já queria ser médica e isso me fez querer mais ainda, por ver que as pessoas precisam de humanidade. Às vezes, você vai ao médico e ele não te toca, não olha para você. É simplesmente a receita pronta, algo mecânico. Sei que toda profissão tem suas dificuldades, mas você tem que amar as pessoas para fazer isso. E eu amo as pessoas”, afirmou.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Cachorro é flagrado “pilotando” moto no Sertão de Pernambuco

NE10 INTERIORPor Antonio Virginio Neto

No vídeo, o animal aparece guiando uma moto
No vídeo, o animal aparece guiando uma moto (Reprodução/NE10 Interior)

O cachorro é conhecido por ser o melhor amigo do homem. Leal a todo momento, o bichinho faz companhia, protege a casa e até… guia motocicletas? Um flagra inusitado da cidade de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, chamou atenção ao mostrar dois homens em uma moto, transportando um cachorro que coloca as patas no guidão do veículo. Em um determinado momento, o condutor retira as mãos da peça que orienta a direção e dá a impressão de que o cachorro  está pilotando. 

Um motorista que passava durante o acontecimento filmou toda a cena, que chamou a atenção desde o domingo (27), quando viralizou nas redes sociais. Até o momento da publicação desta reportagem o vídeo original possui mais de 200 mil visualizações, 30 mil curtidas e 400 compartilhamentos.

De acordo com o especialista em trânsito Alex Monteiro, o vídeo é a prova de uma infração de trânsito média. Em entrevista ao portal NE10 Interior, o consultor explicou que o art. 252 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) pune quem dirige veículos transportando pessoas, animais ou volumes entre os braços e pernas. A infração é punível com multa e o condutor pode perder até 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Ainda segundo Alex Monteiro, o ideal é que animais sejam transportados em compartimentos seguros e isolados que não ofereçam riscos ao condutor do veículo ou aos bichinhos. “O que vemos no vídeo é a forma dispersa com que o condutor se apresenta. Além de estar com o animal entre as pernas ele solta a mão do veículo. Qualquer situação de risco, como uma pedra ou algo que passasse em frente ao veículo, acabaria por derrubá-lo e machucaria não só duas pessoas como um animal”, explica. 

Segundo o especialista, o motorista do veículo também errou em filmar a ação. O condutor não só utilizou o celular enquanto dirigia, como também distraiu a outros e a si mesmo durante o trânsito. 

Veja vídeo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Tartaruga é encontrada morta na Praia de Casa Caiada, em Olinda

Por G1 PE

Uma tartaruga foi encontrada morta, na manhã desta terça-feira (29), na Praia de Casa Caiada, em Olinda. Segundo a Secretaria Executiva de Planejamento Ambiental de Olinda, não havia manchas visíveis de óleo no corpo do animal (veja vídeo acima).

A Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH) foi acionada para analisar a causa da morte do bicho, informou o secretário executivo de Planejamento Ambiental da cidade, Wolney Queiroz.

“Visualmente, não tem sinal de óleo. Não podemos afirmar se foi ou não. Todos esses animais silvestres, quando encontramos na praia, nós notificamos a CPRH e o Ibama. Eles vão levá-la para o Cetas [Centro de Triagem de Animais Silvestres, da CPRH], onde deve ser feita a necropsia e identificada a origem do falecimento do animal”, disse.

A tartaruga foi vista logo no começo da manhã por moradores do bairro que costumam caminhar na orla. Ela estava virada de barriga para cima, na areia. O funcionário público Arnaldo Nogueira Ramos Filho mora na cidade há cerca de 30 anos e nunca tinha se deparado com bichos mortos na área.

“Eu fui andar na praia e vi a tartaruga, por volta das 6h, próximo ao Colégio Dom, em Olinda. Procurei óleo e não vi, mas notei que o casco estava arrebentado”, afirmou o funcionário público.

Tartaruga foi encontrada por quem caminhava na areia na manhã desta terça-feira (29) — Foto: Reprodução/WhatsApp

Tartaruga foi encontrada por quem caminhava na areia na manhã desta terça-feira (29) — Foto: Reprodução/WhatsApp

O local onde a tartaruga foi encontrada também faz parte do percurso da jornalista Gabrielle Takahashi, que corre todos os dias pela manhã. Segundo ela, a primeira reação foi ligar para as entidades responsáveis para que o animal fosse retirado da areia.

“Caminho diariamente, por volta das 5h50, e hoje me deparei com isso. Não vi óleo, mas vi que a tartaruga estava machucada na barriga. Eu tenho andado alerta para não pisar em manchas de óleo, mas hoje foi esse animal que chamou minha atenção”, contou.

G1 entrou em contato com a CPRH para questionar sobre a morte do animal, mas não recebeu resposta até a última atualização desta reportagem.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Venezuelano é preso com 69 cápsulas de cocaína no estômago, no Aeroporto do Recife

Por G1 PE

29/10/2019 07h16  Atualizado há 2 horas


Cápsulas de cocaína engolidas por venezuelano preso no Aeroporto do Recife — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Cápsulas de cocaína engolidas por venezuelano preso no Aeroporto do Recife — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Um venezuelano de 34 anos foi preso em flagrante pela Polícia Federal com 69 cápsulas de cocaína no estômago. A prisão, divulgada nesta terça-feira (29), aconteceu no Aeroporto Internacional dos Guararapes/Gilberto Freyre, na Zona Sul do Recife. Após expelir o entorpecente, o peso bruto totalizou 930 gramas.

Durante abordagem de rotina no aeroporto, ocorrida no sábado (26), o homem apresentou nervosismo e dificuldade para virar o corpo. Ao ser separado para entrevista, o venezuelano respondeu “com bastante insegurança” e entrou em contradição, momento em que passou mal e acabou confessando aos policiais federais ter engolido cápsulas com drogas.

O preso foi socorrido para o Hospital da Restauração (HR), no Derby, na área central do Recife, e expeliu o entorpecente que estava no estômago.

Cocaína encapsulada foi engolida por venezuelano que pretendia levar droga para a França — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Cocaína encapsulada foi engolida por venezuelano que pretendia levar droga para a França — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Ainda aos policiais, ele relatou que o destino final da droga seria Paris, na França, e que teria sido aliciado por colombianos. O homem ainda afirmou que estava traficando porque precisava de dinheiro e que era a primeira vez que engolia as cápsulas.

Ao ter alta médica, o venezuelano foi preso em flagrante por tráfico internacional de drogas. Caso seja condenado, ele pode pegar penas que variam de cinco a 15 anos de reclusão.

Depois de passar por audiência de custódia, em que foi confirmada a prisão preventiva, ele foi encaminhado ao Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.

Outras prisões no aeroporto

Segundo a PF, essa é a nona apreensão de drogas no Aeroporto dos Guararapes neste ano. Desde o dia 1º de janeiro, dez pessoas foram presas, sendo quatro homens e seis mulheres e apreendidos 61 quilos de cocaína e 28,4 quilos de skunk.

No dia 26 de julho, um jovem de 20 anos natural de Manaus, no Amazonas, foi preso no mesmo aeroporto com 1,9 quilo de skunk, substância conhecida como “supermaconha”, enrolada no corpo. No dia 8 de agosto, uma mulher, de 29 anos, também de Manaus, foi presa em flagrante com 1,6 quilo da mesma droga fixado no corpo com fitas adesivas 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Protocolo internacional para limpeza de óleo nas praias traz alertas para 4 situações enfrentadas no Nordeste

Por Patrícia Figueiredo, G1

A Federação Internacional de Poluição por Petroleiros (ITOPF, na sigla em inglês) tem um guia público de boas práticas para a limpeza de locais contaminados. O órgão já atuou em mais de 800 vazamentos causados por navios em 100 países diferentes nos últimos 50 anos.

A federação foi procurada pelo Brasil por intermédio do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) após surgirem as manchas de óleo que poluem as praias do Nordeste. Desde 30 de agosto, mais de 200 locais foram afetados pelas manchas. O balanço mais recente, divulgado pelo Ibama em 28 de outubro, aponta 254 localidades.

O ITOPF enviou pelo menos três técnicos para o país. Apesar da parceria, ações de limpeza realizadas na costa brasileira não seguem os protocolos indicados pela entidade em pelo menos quatro pontos (leia mais sobre cada ponto abaixo):

  1. Contato com o óleo;
  2. Descarte dos resíduos;
  3. Óleo boiando no mar;
  4. Corais e mangues.

Questionado pelo G1, o diretor do ITOPF disse que foram feitos manuais com as recomendações em português. Esses guias foram distribuídos para a Marinha e o Ibama, que repassariam as informações a autoridades municipais e estaduais. A reportagem solicitou acesso aos manuais distribuídos no Brasil, mas não obteve retorno.

No entanto, há relatos de locais onde falta equipamento para todos os voluntários, que também não recebem instruções de como deve ser feita a limpeza. Segundo o diretor técnico da federação, a limpeza manual é a mais indicada para o caso das manchas de óleo no Nordeste.

“A melhor técnica aqui é a limpeza manual, para ser seletivo e reduzir o dano ambiental, considerando a natureza do óleo e dos substratos contaminados. Máquinas como tratores podem ser usadas onde for possível, mas é preciso levar em consideração os possíveis efeitos no meio ambiente, inclusive em ninhos de tartarugas”, diz Richard Johnson, diretor técnico do ITOPF.

G1 entrou em contato com o Ministério do Meio Ambiente, que não comentou as ações de limpeza e as orientações repassadas a grupos de ativistas até o momento. Em comunicados públicos, o governo fez alertas para o uso de equipamentos de proteção individual.

Veja, em quatro pontos, quais são as recomendações do principal guia da associação e o que está acontecendo, na prática, nas praias do Nordeste:

Contato com o óleo

Recomendação: O contato com petróleo sem equipamento de proteção deve ser evitado.

Na prática: Em ao menos dois estados, voluntários sofrem intoxicações após contato direto com a substância. Também houve relato de equipamentos insuficientes. O Ministério da Saúde nega situação crítica e pede que voluntários usem luvas.

O guia da ITOPF destaca as vantagens da limpeza manual de praias, porque ela produz menos resíduo para descarte do que a limpeza feita com tratores e máquinas, na qual muito material limpo é retirado junto com os rejeitos. No entanto, a associação destaca que “praias afetadas pela poluição podem ter de ser fechadas ao público durante as ações de limpeza” e alerta para os riscos que o contato com o óleo traz para a saúde.

“Um grande vazamento de óleo cru em centros populacionais potencialmente traz preocupações em relação à saúde, incluindo reclamações de dificuldades respiratórias, náuseas e dores de cabeça”, diz o relatório.

Há poucos registros de praias interditadas ao público por conta do óleo. No último dia 22, as manchas de óleo causaram a interdição de duas praias de Morro de São Paulo, na Bahia. As praias foram liberadas no mesmo dia, após a retirada de 1,5 tonelada de resíduo.

Civis que participam das ações de limpeza tiveram alguns dos sintomas que a entidade classifica como preocupantes em seu guia. Pelo menos 19 voluntários relataram náusea e queimação na pele após contato com o óleo em Pernambuco e no Ceará.

Há vários casos de ações de limpeza organizadas por moradores sem equipamento adequado: em Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, um voluntário retirou resíduos descalço e sem camisa, com o corpo e parte do rosto cobertos de óleo; na capital Recife, dezenas de voluntários atuaram com roupas de banho, em contato direto com a substância tóxica.

Também em Pernambuco, um menino de 13 anos foi fotografado na praia de Itapuama com o corpo coberto de petróleo, em imagem que viralizou na redes sociais.

Uma comerciante da região disse que o material distribuído para os voluntários não era o bastante para evitar contato com o óleo. “A luva é curta e a areia entra na bota, então só adianta se, na área em que você estiver, for pouco óleo para limpar”, disse a voluntária.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, negou uma situação crítica e disse que pessoas intoxicadas durante o trabalho de limpeza do óleo em praias do Nordeste usaram produtos “mais tóxicos que o petróleo” para limpar o material. Ele disse, ainda, que os voluntários devem usar equipamentos de proteção, como luvas.

Segundo um pesquisador brasileiro especialista em recuperação de áreas atingidas por petróleo, três compostos voláteis presentes no petróleo são extremamente perigosos a longo prazo – e o uso de luvas não é o bastante para evitar a exposição a eles. Além de alto potencial cancerígeno, o contato com benzeno, tolueno e xileno pode provocar doenças no sistema nervoso central.

Descarte dos resíduos

Recomendação: Resíduos devem ser armazenados em sacolas resistentes e posicionados em locais protegidos para evitar contaminação secundária.

Na prática: Voluntários recolhem óleo em baldes e sacolas plásticas. Há casos de sacos que estouram na praia e de vazamentos durante o transporte do resíduo.

A retirada de óleo deve ser feita com cuidado para evitar contaminação secundária, determina a organização internacional de poluição por petróleo.

A ITOPF destaca que o resíduo deve ser coletado em sacolas com limite de até 15 kg. Para suportar esse peso, as sacolas devem ser, idealmente, de borracha. Podem ser reutilizadas sacolas de fertilizantes, mas o ideal é que elas sejam feitas de material resistente, com pelo menos 500 gauges de suporte.

“Sacolas mais leves se deterioram rápido e podem explodir, causando contaminações secundárias”, indica a associação.

O relatório informa, ainda, que as sacolas cheias devem ser colocadas sobre mantas de plástico na areia, para evitar que o líquido delas vaze.

Em muitos locais, o resíduo foi armazenado em sacolas comuns, que estouraram e deixaram vazar óleo em locais não contaminados: na Praia do Paiva, em Cabo de Santo Agostinho, parte dos sacos plásticos não resistiu ao peso; na Praia de Itapuama, os sacos com resíduos ficaram espalhados em vários locais da praia sem nenhuma proteção entre eles e a areia, como recomenda a ITOPF.

Sacos espalhados em trecho da Praia de Itapuama, no Cabo de Santo Agostinho, onde voluntários ajudam na limpeza do óleo — Foto: Reprodução/TV Globo

Sacos espalhados em trecho da Praia de Itapuama, no Cabo de Santo Agostinho, onde voluntários ajudam na limpeza do óleo — Foto: Reprodução/TV Globo

Óleo boiando no mar

Recomendação: A remoção de manchas de óleo boiando perto da costa deve ser priorizada.

Na prática: Não se sabe a quantidade de óleo que foi retirada do mar antes de chegar às praias. Ações de limpeza se concentram na remoção de resíduos na areia. A Petrobras afirma que não tem equipamentos para limpeza no mar.

O guia da organização internacional determina que é essencial que a limpeza de manchas seja feita ainda no mar.

“Em todos os casos, a prioridade deve ser remover o óleo boiando perto da costa o mais rápido possível, para prevenir que ele atinja áreas novas ou já limpas”, explica a ITOPF.

No entanto, a maior parte das ações de limpeza no Nordeste se concentra na retirada do óleo que já chegou às praias. Isto ocorre porque o material viaja na subsuperfície e, portanto, as manchas só são visíveis quando chegam muito perto do litoral.

A Petrobras reconheceu na sexta-feira (25) não ter mecanismos técnicos para conter a substância no mar e precisa esperar que o material chegue às praias para fazer a limpeza.

“Fica praticamente impossível você pegar esse óleo e segurar com barreiras e outros instrumentos que a gente tem. Então, o mecanismo de captura tem sido no momento em que a maré e a corrente jogam para a praia”, disse o diretor de Assuntos Corporativos da companhia, Eberaldo Neto.

Em Pernambuco, uma mancha de óleo foi contida em alto mar em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, no domingo (20), por equipes do governo estadual.

A Marinha também realizou algumas ações pontuais de retirada de manchas na água: em Recife, uma das ações recolheu 700 kg de óleo no dia 22; outro barco, em Jaboatão dos Guararapes, coletou resíduos na água no dia 21; uma terceira embarcação tirou manchas do mar em Ponta de Serrambi no dia 18.

Apesar disso, diversas manchas que foram vistas no mar chegaram a tocar a costa antes de serem totalmente removidas. Em Pernambuco e em Alagoas, manchas de até 3 metros de diâmetro foram vistas no dia 17. Uma força-tarefa instalou boias e mantas para remover o material em alto mar, mas nos dias subsequentes o óleo chegou às praias da região.

Corais e mangues

Recomendação: Áreas sensíveis devem ser limpas naturalmente para evitar maiores danos.

Na prática: Ações de limpeza com voluntários estão retirando óleo de manguezais e recifes de corais.

O protocolo internacional recomenda que, na maior parte dos casos, áreas sensíveis como manguezais e recifes de corais sejam deixados intocados após o contato com o óleo.

“Quando as circunstâncias permitirem, a limpeza natural é a melhor opção para paisagens sensíveis como manguezais e recifes de corais. Ficou provado que, em muitas ocasiões, atividades para limpar a poluição resultaram em mais dano que o próprio óleo, devido a pisoteamento e erosão”, diz o guia.

O corte de estruturas contaminadas no mangue deve ser evitado por conta do longo tempo de recuperação da vegetação.

Em relação aos recifes de corais, a orientação é similar.

“Se corais forem atingidos pelo óleo é melhor deixá-los sem modificação e esperar que ocorra a recuperação natural. A limpeza natural pode ser auxiliada com uso de mangueiras de baixa pressão carregadas com água salgada”, explica a ITOPF.

No entanto, em atividades de limpeza no Nordeste, há voluntários retirando manualmente o óleo de corais e manguezais. Em Morro de São Paulo, na Bahia, foi feito um mutirão de limpeza no manguezal. Em Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, também houve limpeza no mangue.

Em Ipojuca, Pernambuco, mergulhadores voluntários e guarda-vidas removeram petróleo de uma área perto dos corais da praia do Cupe. Em Maracajaú, no Rio Grande do Norte, os corais também foram atingidos, mas a prefeitura não fez a limpeza dos parrachos por falta de pessoal e equipamentos.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pernambuco recolhe 1.500 toneladas de óleo nas praias, em 12 dias

Por G1 PE

Em 12 dias, foram recolhidas 1.500 toneladas de óleo em praias de Pernambuco, de acordo com o governo estadual. Nesta segunda-feira (28), 14 áreas apresentaram pequenos fragmentos da substância, segundo o balanço divulgado, à noite, por meio de nota. Uma delas foi em Ipojuca, que teve o registro pela primeira vez. Desde setembro, 13 cidades foram afetadas pelo desastre ambiental.

Ao todo, segundo o governo, foram atingidas, desde setembro, 43 praias e oito rios. O óleo recolhido foi entregue no Ecoparque Pernambuco, antigo Centro de Tratamento de Resíduos, localizado em IgarassuNo local, ele vira combustível para a indústria do cimento. Foram implementados 3.045 metros de barreiras de contenção em diversas praias e rios atingidos.

Foram atingidos os municípios de BarreirosCabo de Santo AgostinhoItamaracáIpojucaJaboatão dos GuararapesPaulistaRio FormosoSão José da Coroa GrandeSirinhaémTamandaréGoianaRecife e Olinda.

Mancha de óleo é encontrada em Suape, no Cabo de Santo Agostinho — Foto: Salve Maracaípe/Reprodução/WhatsApp

Mancha de óleo é encontrada em Suape, no Cabo de Santo Agostinho — Foto: Salve Maracaípe/Reprodução/WhatsApp

Justiça

Nesta segunda-feira (28), o Tribunal Regional Federal da 5º Região reconheceu uma decisão da Justiça Federal, que determinou que o governo federal e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibamaadotem uma série de medidas diante do surgimento de óleo nas praias de Pernambuco.

A decisão ocorreu após uma audiência que havia sido determinada a partir de uma liminar que obrigou a União a implementar medidas para recolher o óleo e proteger áreas sensíveis do estado. Essa reunião aconteceu na sexta-feira (25) e foi designada pelo juiz federal Augusto Cesar de Carvalho Leal.

Após uma audiência, ficou decidido que a União deverá, em 20 dias, realizar vistoria e estudo em todos os ecossistemas do litoral, além de verificar a eficácia das ações de prevenção.

Impacto

O desastre ambiental no litoral nordestino deixou o setor turístico apreensivo, com diminuição de reservas em hotéis de Pernambuco nos próximos meses. Pescadores também registraram uma queda significativa na venda de frutos do mar.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.