Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Morte de policial rodoviário federal no Recife foi provocada por desentendimento em bar, diz Polícia Civil

Eduardo Souza de Lima Júnior tinha 37 anos e foi atingido na cabeça no domingo (10). Confusão teve início em um bar e assassinato ocorreu em uma lanchonete, após dois irmãos buscarem arma em casa. Dupla foi presa em flagrante na segunda-feira (11) e teve prisão preventiva decretada pela Justiça.

Por Marina Meireles, G1 PE

Irmãos presos pelo assassinato de policial rodoviário são levados para o Cotel

morte do policial rodoviário federal Eduardo Souza de Lima Júnior em uma lanchonete no Alto do Mandu, na Zona Norte do Recife, no domingo (10) foi provocada por um desentendimento entre o grupo de amigos dele e os dois irmãos presos em flagrante pelo crime. As informações foram divulgadas pela Polícia Civil em coletiva de imprensa nesta terça-feira (12).

Na tarde desta terça, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) informou que, na audiência de custódia, os dois irmãos tiveram prisões prisões preventivas decretadas. Eles seguiram para o Centro de Triagem e Observação Criminológica (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.

De acordo com o gestor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o delegado Bruno Magalhães,os dois homens presos, ao circularem pelo estabelecimento, estavam esbarrando em algumas mulheres amigas de Eduardo, o que incomodou o grupo.

“Esses dois suspeitos esbarravam nas meninas, claramente querendo arrumar confusão. Acionaram o chefe de segurança, e os dois suspeitos foram colocados para fora do bar. Não gostaram, reclamaram, e, lá fora do bar, houve uma nova discussão. Eles saíram xingando as vítimas e foram para casa, provavelmente já com a intenção de matar”, disse.

Após o desentendimento e a saída dos dois homens, o policial rodoviário federal e os amigos seguiram para um outro estabelecimento, uma hamburgueria perto do primeiro bar onde houve a discussão.

“As testemunhas foram claras em informar que não houve nenhum tipo de ameaça. Os suspeitos alegam que teriam sido ameaçados pelo policial, mas isso não foi confirmado nos depoimentos que foram colhidos”, afirmou Magalhães.

Na lanchonete, de acordo com os depoimentos colhidos pela Polícia Civil, foi constatado que os homens fingiram que pediriam um lanche. O objetivo, no entanto, seria verificar se Eduardo estava no local.

“Eles alegam que chegaram de imediato, só que os depoimentos foram claros que eles entram antes, olham a vítima, fingem que vão pedir um lanche, saem e já identificaram a vítima. Após alguns minutos, pegam a moto e o mais velho desce, saca a arma de fogo e efetua os dois disparos”, contou o delegado.

As imagens de câmeras de segurança que registraram o momento do homicídio ajudaram a polícia a entender a dinâmica do crime. “Nós já tínhamos a identificação dos suspeitos, então as imagens confirmaram que tinham sido esses dois irmãos, e gente vê que que o irmão mais novo fica na moto, aguardando, enquanto o irmão mais velho desce e efetua os disparos”, declarou o gestor do DHPP.

Ainda segundo o delegado, os homens presos pelo crime sabiam que a discussão no bar tinha envolvido um policial rodoviário federal e uma policial militar. “Eles sabiam porque, nos depoimentos, o chefe de segurança do primeiro bar informou que a vítima era policial rodoviário federal”, disse.

As imagens também diferem do que foi dito por um dos presos. “Um deles alega que tinha deixado a moto e que não sabia que o irmão mais velho iria praticar [o crime], mas, pelas imagens, percebemos que há um conluio, que os dois estavam juntos, sabiam e queriam ceifar a vida do policial”, afirmou Magalhães.

Eduardo foi atingido na cabeça, e outras duas pessoas ficaram feridas na ocorrência. Além do homem de 37 anos que já havia sido mencionado pela Polícia Civil no domingo (10), uma mulher amiga do PRF foi atingida de raspão na barriga. O estado de saúde deles não foi divulgado.

Os irmãos presos foram autuados por homicídio quadruplamente qualificado: por motivo fútil, por não ter dado à vítima a chance de defesa, pelo fato de a vítima ser agente de segurança público e pelo perigo comum causado às outras pessoas na hamburgueria.

Investigações

De acordo com o delegado Cláudio Neto, responsável por investigar o caso, as buscas começaram na própria região onde o crime ocorreu, no Alto do Mandu, comunidade em que o policial morto cresceu. “Fizemos um trabalho que contou com a participação de muitas equipes, incluindo da PRF, e identificamos que os suspeitos do crime estavam em Jaboatão dos Guararapes [na Região Metropolitana do Recife]”, contou.

Dois irmãos são presos por suspeita do assassinato de um policial rodoviário federal

Segundo Neto, a polícia entrou em contato com parentes e com a defesa dos dois irmãos. “Eles não viram outra alternativa a não ser se entregar. Por isso, primeiramente eles foram para a Divisão Sul de Homicídios e, em seguida, para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa”, contou.

A prisão aconteceu na segunda-feira (11). Um dos presos, o mais novo, foi indiciado pela Polícia Civil por dois homicídios cometidos no Vasco da Gama, na Zona Norte do Recife, em agosto de 2020. O mais velho, responsável pelos disparos, não tem antecedentes criminais.

PRF lamenta morte

De acordo com o superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Sávio Macedo, Eduardo Souza estava na corporação desde 2016. Ele havia sido transferido de Rondônia no fim do mês de dezembro de 2020 e assumiria um cargo na PRF em Pernambuco.

“Ele também tinha sido sargento do Exército e era músico formado pelo Conservatório Pernambucano de Música. Para conseguir pagar os estudos, ele vendia picolés e, por isso, era visto com muita admiração pelas pessoas da comunidade em que morava”, disse.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Inflação de dezembro de 2020 é a maior do ano no Grande Recife, diz IBGE

Segundo dados divulgado nesta terça (12), o IPCA ficou em 1,6%. No mês, foi a quarta maior alta em todo o Brasil. O grupo com maior reajuste foi o de “habitação”.

Por G1 PE

Dezembro de 2020 foi marcado pela maior inflação do ano, no Grande Recife, com 1,6%. Os dados foram apresentados, nesta terça (12), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na região metropolitana, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve a quarta maior alta para o mês, em todo o Brasil.

Ainda de acordo com o IBGE, a inflação de dezembro foi quase o dobro do segundo maior índice registrado no ano passado. Outubro de 2020 fechou com 0,82%.

No último mês do ano, o Grande Recife ficou atrás apenas de São Luís (2,18%), Porto Alegre (1,85%) e Rio de Janeiro (1,62%), entre 16 localidades pesquisadas.

IBGE divulgou ranking de inflação de dezembro e o acumulado de 2020 — Foto: IBGE/Divulgação

IBGE divulgou ranking de inflação de dezembro e o acumulado de 2020 — Foto: IBGE/Divulgação

Os dados do instituto também apontaram que o Grande Recife também teve IPCA superior à média nacional, que registrou 1,35%. Essa foi a maior variação mensal desde fevereiro de 2003 (1,57%) e o maior índice para um mês de dezembro, desde 2002 (2,10%).

Na região metropolitana da capital pernambucana, o resultado de dezembro apresentou a maior variação mensal desde fevereiro de 2015.

No acumulado de 2020, a inflação chegou a 5,66% na Região Metropolitana do Recife, contra 3,71%, em 2019.

A porcentagem registrada na RMR foi a quinta maior do país, superada apenas por Campo Grande (6,85%), Rio Branco (6,15%), Fortaleza (5,74%) e São Luís (5,71%). No Brasil, o acumulado do ano foi de 4,52%.

Grupos

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IPCA, entre 28 de novembro e 29 de dezembro, houve elevação nos preços em oito deles. O segmento de “educação” registrou queda de 0,01%, ficando perto da estabilidade.

No último mês de 2020, o maior reajuste ocorreu no setor de “habitação”. A alta foi de 3,70%, a maior do ano.

Em seguida, ficou o setor de “transportes”. Nesse segmento, o aumento foi de 2,4%, puxado pelo reajuste de 44,19% das passagens aéreas, o maior entre as cidades e regiões metropolitanas pesquisadas.

A área de Alimentos e bebidas deixou de ter a maior inflação entre os grupos pesquisados em novembro de 2020 para ocupar o terceiro lugar em dezembro, com avanço de 1,67%. Esse é o setor com maior índice no acumulado do ano, de 13,66%.

Os outros segmentos que apresentaram alta foram os de “vestuário” (1,28%), “artigos de residência” (0,84%), que incluem móveis, utensílios domésticos, aparelhos eletrônicos e serviços de conserto/manutenção, “saúde e cuidados pessoais” (0,71%), “despesas pessoais” (0,32%) e “comunicação” (0,22%).

Variação

Na inflação de dezembro, a maior variação de preço ficou por conta da passagem aérea, e, em segundo lugar, está o transporte por aplicativo. O reajuste foi de 19,5%.

A alface (13,23%), o melão (11,56%) e a maçã (10,42%) completam a lista dos cinco produtos e serviços com maior reajuste.

Já no acumulado do ano, a mercadoria que mais aumentou de preço foi o óleo de soja. O item mais que dobrou de preço entre janeiro e dezembro de 2020, registrando aumento de 104,40%. O arroz veio em seguida, com alta de 70,12%. O tomate, cujo avanço no preço foi de 62,66%, está em terceiro lugar.

Por outro lado, a maior queda de preço em dezembro ficou por conta da reforma de estofados, que passou a custar 10,10% a menos em relação a novembro.

Dois alimentos apareceram na sequência: fígado (7,28%) e alho (6,64%). Macaxeira (5,3%) e seguro de veículo (5,11%) ficaram em quarto e quinto lugar no ranking dos produtos e serviços com maior queda de preços no último mês de 2020.

No ano passado como um todo, a mercadoria que mais baixou de preço foi a mochila, com queda de 14,76%, seguida pelos remédios anti-infecciosos e antibióticos, com diminuição de 14,18% nos preços. Na terceira posição, apareceu o seguro voluntário de veículo, que passou a custar 13,74% a menos.

No país

O IPCA de dezembro subiu 1,35%, 0,46% acima dos 0,89% de novembro. No ano, o índice acumulou alta de 4,52%, 0,21% acima dos 4,31% registrados em 2019. Essa é a maior taxa acumulada no ano desde dezembro de 2016 (6,29%).

O grupo “habitação” teve a maior variação (2,88%) no mês. A segunda maior contribuição veio de “alimentação e bebidas”, com alta de 1,74%.

Na sequência, vieram os “transportes”. A variação de 1,36% ficou perto da do mês anterior (1,33%). Os demais grupos ficaram entre o 0,39% de “comunicação” e o 1,76%, de “artigos de residência”.

“alimentação e bebidas” apresentou a maior variação (14,09%) entre os grupos sobre o IPCA acumulado do ano, encerrando 2020 com a maior variação acumulada no ano desde dezembro de 2002 (19,47%).

IPCA

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange dez regiões metropolitanas, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís, Aracaju e Brasília.

Em virtude da pandemia de COVID-19, o IBGE suspendeu, no dia 18 de março, a coleta presencial de preços. A partir dessa data, os preços passaram a ser coletados por outros meios, como pesquisas realizadas em sites de internet, por telefone ou por e-mail.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Irmãos são presos em flagrante por suspeita de assassinato de policial rodoviário federal no Recife

Segundo a polícia, Sávio Norberto Holanda de Souza e Darlisson Lucas Holanda de Souza se entregaram à polícia nesta segunda (11). Crime ocorreu no domingo (10), num bar no Alto do Mandu, na Zona Norte.

Por G1 PE

Dois irmãos foram presos em flagrante, nesta segunda-feira (11), por suspeita de envolvimento no assassinato do policial rodoviário federal Eduardo Souza de Lima Júnior, de 37 anos. O agente de segurança foi morto na madrugada do domingo (10), em uma lanchonete no Alto do Mandu, na Zona Norte do Recife. Advogado disse que cliente confessou crime 

Os suspeitos um de 25 anos e outro de 19 anos, se apresentaram à Polícia Civil no Complexo Policial de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Na ação, outro homem ferido, também de 37 anos, foi encaminhado a um hospital não divulgado pela PRF. Por isso, não há informações sobre seu estado de saúde.

Os dois homens seguiram para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no Cordeiro, Zona Oeste da capital pernambucana. Eles foram autuados por tentativa de homicídio e homicídio qualificado, pelo fato de ter sido praticado contra um agente público de segurança, por motivo fútil e resultando em perigo a quem estava no local.

Eles serão encaminhados ao Instituto de Medicina Legal (IML), no Centro do Recife, onde devem passar por exame de corpo de delito. Posteriormente, serão submetidos a uma audiência de custódia para saber se responderão ao crime em liberdade ou se ficarão presos.

O advogado Fernando Coelho, responsável pela defesa dos dois irmãos, disse que Sávio confessou ter atirado no policial rodoviário. O defensor afirmou à TV Globo que o cliente chegou a trabalhar como recepcionista de hospital e agora estava estudando.

Segundo ele, o jovem afirmou que brigou com o servidor público em um bar e que foi ameaçado. Por causa disso, teria ido em casa buscar a arma, que, depois do crime, foi jogada no Açude de Apipucos, na Zona Norte.

O crime

A Polícia Civil informou que um inquérito foi aberto para investigar a autoria e a motivação do assassinato. O caso está sob responsabilidade do DHPP.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Eduardo Souza estava na corporação desde 2016. Ele atuou na delegacia de Ariquemes, em Rondônia, e havia sido transferido para atuar na sede da PRF em Pernambuco há poucos dias.

Imagens de câmeras de seguranças enviadas à TV Globo mostraram o momento em que o policial foi assassinado .

As imagens mostram várias pessoas na frente da lanchonete, algumas sentadas, outras em pé. Um homem de camisa azul, bermuda e capacete se aproxima do policial e faz disparos. Em seguida, ele sai rapidamente e foge na garupa de uma moto, ainda atirando.

Nas imagens, é possível perceber o desespero das pessoas que presenciaram o crime. Algumas se abaixam e outras saem correndo. A cena dura pouco mais de dez segundos.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Justiça Federal autoriza que jovem com câncer faça Enem em sala separada para evitar Covid-19

Estudante de 17 anos descobriu ter linfoma de Hodgkin Neoplasia Maligna, no dia 23 de dezembro de 2020, mas decidiu manter a prova. Mandado de segurança foi concedido nesta segunda (11).

Por Pedro Alves, G1 PE

Um estudante de 17 anos foi autorizado pela Justiça Federal em Pernambuco (JFPE), nesta segunda-feira (11), a realizar as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) numa sala separada dos demais candidatos, por causa do risco de contrair Covid-19. Em dezembro, o rapaz descobriu ter câncer e, mesmo assim, decidiu manter a rotina de estudos e a realização do vestibular.

O adolescente, que não teve o nome divulgado, tem linfoma de Hodgkin Neoplasia Maligna. O diagnóstico saiu no dia 23 de dezembro de 2020. Por causa da condição de saúde, que fragiliza o sistema imunológico, o médico que o acompanha recomendou que ele fizesse a prova isolado.

A família fez um pedido formal ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que negou. O próprio instituto prevê a realização da prova em salas isoladas para candidatos do grupo de risco para agravamento da Covid-19.

“A mãe do garoto fez um pedido administrativo. Ela juntou laudo médico e, inclusive, uma recomendação médica, em que o profissional é muito direto ao dizer que ele deveria fazer a prova separado dos outros candidatos. O Inep negou e disse que, devido à pandemia, já houve uma redução grande de candidatos por sala e isso seria suficiente”, disse o advogado Pedro Amorim de Almeida, que em nome do escritório Alirio Moraes de Melo e Associados ajuizou a ação.

O pedido foi feito na sexta-feira (8) e, nesta segunda, o mandado de segurança foi deferido pelo juiz federal titular da 3ª Vara da JFPE, Frederico Azevedo. As provas estão marcadas para serem realizadas nos dias 17 e 24 de janeiro e o estudante iniciará, na quarta-feira (13), as sessões de quimioterapia.

No mandado de segurança, mãe do rapaz anexou laudo médico que orienta que o estudante realize provas em regime especial “devido ao alto risco por conta da pandemia da Covid-19, além dos vários efeitos adversos ao tratamento, a exemplo da fragilidade do sistema imunológico”.

“Ressalte-se que sua condição de saúde exige a realização em sala separada, não observando este juízo razão plausível para a negativa do pleito na órbita administrativa, ressaltando que o impetrante está disposto a continuar com os seus afazeres de estudante mesmo passando por um momento turbulento de saúde”, disse o juiz federal Frederico Azevedo, na decisão.

O advogado Pedro Amorim de Almeida disse que o Inep será intimado a adotar as medidas necessárias para que a prova seja aplicada em regime especial.

“Ele vai fazer quimioterapia e, ainda que exista essa questão, a vida segue. Foi uma decisão do próprio rapaz de manter a prova. Nosso entendimento é de que não é o caso de fazer a prova com menos gente, mas, sim, de fazer isolado, numa situação separada”, declarou o advogado.

G1 questionou o Inep sobre o porquê da negativa para o regime especial, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem. A decisão judicial poderá ser alterada por meio de recurso.

Cronograma do Enem

  • Provas impressas: 17 e 24 de janeiro
  • Prova digital: 31 de janeiro e 7 de fevereiro
  • Reaplicação da prova: 24 e 25 de fevereiro (para pessoas afetadas por eventuais problemas de estrutura)
  • Resultados: a partir de 29 de março

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

UFPE oferece aos governos federal e estadual ultrafreezers e câmaras frias para armazenar um milhão de doses de vacina contra Covid-19

Universidade Federal de Pernambuco enviou ofício ao Ministério da Saúde e ao governo do estado disponibilizando oito ultrafreezers e dez câmaras frias para armazenar imunizantes em baixas temperaturas.

Por G1 PE

Universidade Federal de Pernambuco disponibiliza ultrafreezers e câmaras frias para armazenamento de um milhão de vacinas contra a Covid-19 — Foto: UFPE/Divulgação

Universidade Federal de Pernambuco disponibiliza ultrafreezers e câmaras frias para armazenamento de um milhão de vacinas contra a Covid-19 — Foto: UFPE/Divulgação

Para dar apoio ao Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) ofereceu aos governos federal e estadual sua infraestrutura para armazenar vacinas em baixas temperaturas. Segundo a instituição, a disponibilização de oito ultrafreezers e dez câmaras frias totaliza uma capacidade de receber cerca de um milhão de doses de imunizante contra o novo coronavírus.

A previsão da UFPE é que, até fevereiro de 2021, sejam disponibilizados oito ultrafreezers de 728 litros, certificados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com controle remoto da variação de temperatura de até -80°C, além de dez câmaras frias de 572 litros para acondicionamento de vacinas que demandam armazenamento entre 2°C e 8°C.

A oferta foi documentada em um ofício encaminhado, na sexta-feira (8), pelo reitor da UFPE, Alfredo Gomes, ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello; à superintendente do Ministério da Saúde em Pernambuco, Ana Paula Amorim Batista; ao governador do estado, Paulo Câmara (PSB), e ao secretário Estadual de Saúde, André Longo.

Em nota, a universidade se colocou à disposição para visitas, agendas, grupos de trabalho e reuniões que sejam necessárias para integrar a instituição “em mais esse esforço de enfrentamento dos graves problemas causados pela pandemia”.

No documento, foi disponibilizado o prédio que sedia o Laboratório de Campanha de Diagnóstico da Covid-19, no Campus da UFPE, onde “há salas apropriadas e disponíveis que poderão receber, no total, 22 ultrafreezers, com condições adequadas de biossegurança, bem como climatizadores, estabilizadores e gerador de energia”, informou a UFPE no texto.

Outras ações

De acordo com a UFPE, outras ações de enfrentamento à pandemia já foram realizadas pela instituição, como os mais de 64 mil testes diagnósticos do tipo RT-PCR realizados pelo Laboratório de Campanha da Covid-19 para 128 cidades pernambucanas. Além disso, divulgou que está em processo de autorização mais uma sala de vacinação na UFPE, além da existente no Hospital das Clínicas (HC).

A universidade também declarou que “está buscando reunir condições para novas aquisições e ampliação da capacidade, assim como tem articulado, junto a outros laboratórios institucionais, ações conjuntas”. No ofício, também colocou o quadro especializado da instituição a serviço do Ministério da Saúde e do governo de Pernambuco, para ratificar o compromisso com a saúde pública e com o Sistema Único de Saúde (SUS).

Covid-19 em Pernambuco

Pernambuco chega a 9.840 mortes e 232.037 casos de Covid-19

Com a confirmação de 1.146 novos casos e de 14 óbitos por Covid-19 em Pernambuco no domingo (10), o estado passou a totalizar 232.037 pacientes que receberam a confirmação da doença e 9.840 pessoas que faleceram após a infecção pelo novo coronavírus (veja vídeo acima)A contagem começou em março de 2020.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Homem faz mãe refém com faca no pescoço dentro de casa, leva tiro de bala de borracha em ação da PM e é levado a hospital

Caso ocorreu no distrito de Camela, em Ipojuca, no Grande Recife. Mulher foi resgatada na tarde desta segunda-feira (11).

Por G1 PE

Homem fez mãe refém em Ipojuca, no Grande Recife — Foto: Reprodução/WhatsApp

Homem fez mãe refém em Ipojuca, no Grande Recife — Foto: Reprodução/WhatsApp

Um homem fez a mãe refém com uma faca no pescoço, levou um tiro de bala de borracha em ação da Polícia Militar e foi socorrido, nesta segunda-feira (11), no distrito de Camela, em Ipojuca, no Grande Recife. De acordo com a corporação, o 18º batalhão foi acionado para resgatar a mulher, que estava sendo agredida dentro de casa.

Segundo a polícia, o homem e a mãe dele têm problemas psicológicos. Agentes da polícia foram até o local e a casa estava fechada.

O homem estava com um faca, ameaçando a mulher, e não permitiu a entrada dos policiais. Depois de algumas tentativas frustradas de negociação, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) foi acionado.

Filho deixou mãe em cárcere privado no distrito de Camela, em Ipojuca — Foto: Reprodução/WhatsApp

Filho deixou mãe em cárcere privado no distrito de Camela, em Ipojuca — Foto: Reprodução/WhatsApp

Cerca de 20 policiais participaram da operação, que durou cerca de uma hora e meia. O homem foi atingido por uma bala de borracha e a vítima, resgatada.

Ambos foram levados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência para a Unidade de Pronto Atendimento do Ibura, na Zona Sul do Recife. O estado de saúde deles não foi informado.

Segundo o delegado de Ipojuca, Ney Luiz Rodrigues, a mulher estava sendo mantida em cárcere privado pelo filho.

“A gente está esperando para ver se ele vai ser autuado ou não, para a gente ouvi-lo e saber se vai fazer o flagrante, ou não”, declarou.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Caixa misteriosa volta a ser encontrada em Noronha após mais de um ano

Objeto foi localizado na Praia do Leão. O ICMBio estuda alternativa para recolher o material, que é similar a um fardo de borracha. Caixas foram encontradas em 2019, na ilha e em outras praias do país.

Por Ana Clara Marinho, G1 PE

Depois de mais de um ano, um objeto similar a um fardo de borracha voltou a ser encontrado na Praia do Leão, em Fernando de Noronha. O fotógrafo Fábio Borges identificou a caixa misteriosa no domingo (10).

“Essa caixa está na areia, logo que termina a trilha. Eu imagino que deve ser recente, porque acredito que o Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio) deve remover esse objeto”, falou Borges.

O instituto já tem a informação sobre a existência da caixa, que está na área do Parque Nacional Marinho, região de responsabilidade do ICMBio. Os servidores do órgão deram início ao planejamento para remoção da caixa.

“Esse objeto é muito pesado, tem mais de 50 quilos. Nós acreditamos que é muito complicado remover pela trilha. Por isso, demos início ao planejamento para recolher esse fardo por mar. Devemos chegar com uma lancha, retirar da areia e recolher por via marítima até o Porto de Santo Antônio”, informou o chefe substituto do ICMBio em Noronha, Marcos Aurélio da Silva.

Segundo Marcos Aurélio, depois de recolher o material o registro e um relatório serão encaminhados para a direção do instituto, em Brasília.

O objeto vai ser guardado no almoxarifado. Nesse espaço estão outras três caixas do mesmo material, recolhidas em outubro de 2019 nas praias do Leão, Sueste e Atalaia.

Quando os primeiros objetos foram encontrados o coordenador de Pesquisa e Manejo do ICMBio, Ricardo Araújo, afirmou que os objetos eram fardos de borracha e que o material deveria ser de um navio que afundou nos anos 1940.

O material tem as mesmas características dos fardos encontrados em praias do litoral nordestino. Segundo pesquisadores do Instituto de Ciências do Mar (Labomar), da Universidade Federal do Ceará (UFC), os fardos encontrados em 2019 são de um navio alemão que naufragou no litoral do Nordeste em 1944.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Número de feminicídios aumenta 26,9% entre janeiro e novembro de 2020 em Pernambuco

Nos 11 primeiros meses de 2019, foram 52 casos do tipo e, no mesmo período de 2020, número subiu para 66. Para famílias com mulheres assassinadas, luto divide espaço com vontade de justiça.

Por Nathália Dielú, TV Globo

Feminicídios deixam marcas nas famílias de vítimas

De janeiro a novembro de 2020, o número de feminicídios em Pernambuco aumentou 26,9%. O total de 52 registros nos primeiros 11 meses de 2019 subiu para 66 no mesmo período do ano seguinte. Para as famílias que perderam filhas, mães, irmãs e sobrinhas, o vazio da ausência e o luto convivem com a vontade de que a Justiça cumpra seu papel 

Um desses casos é o de Josiane Oliveira. A saudade da filha, Leandra Gennifer da Silva, acompanha a autônoma desde fevereiro de 2020, e, para acalmar o coração, ainda em pedaços, restam apenas as fotografias.

“Sempre vem aquela imagem na minha mente e vai ser uma imagem que não vai acabar nunca. Você olhar para a foto e saber que só vai poder admirar através das fotos. É por isso que as fotos, hoje em dia, são muito importantes na vida da gente, porque acalmam muito o coração. A gente pensa que aquela pessoa está de viagem, pensa que vai voltar, mas a gente sabe que não vai”, disse.

Através de fotos, Josiane Oliveira alivia as saudades da filha morta pelo companheiro — Foto: Reprodução/TV Globo

Através de fotos, Josiane Oliveira alivia as saudades da filha morta pelo companheiro — Foto: Reprodução/TV Globo

Leandra tinha 22 anos quando foi assassinada a tiros pelo companheiro dentro de casa, no bairro da Madalena, na Zona Oeste do Recife. O filho do casal, na época com 1 ano de idade, estava no local na hora do crime. A jovem ainda deixou outro filho e, desde então, dona Josiane cuida dos netos.

“Hoje eles não são meus netos, são meus filhos. Na realidade mesmo, eu queria criar junto com ela, eu queria que a mãe ficasse presente, queria ajudar de uma forma diferente, como avó. Hoje eu estou como mãe”, contou a autônoma.

Enquanto luta para superar a dor, Josiane espera pelo julgamento de Raphael Cordeiro Lopes, que foi preso por feminicídio.

Josiane Oliveira se emociona ao falar da filha Leandra, vítima de feminicídio em fevereiro de 2020, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Josiane Oliveira se emociona ao falar da filha Leandra, vítima de feminicídio em fevereiro de 2020, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

“Eu quero, sim, que a Justiça faça o seu papel. Várias vezes eu já vi reportagem na televisão e eu nunca imaginei acontecendo comigo, então é uma dor que nunca mais você vai recuperar. Essa é uma dor que nunca vai cicatrizar, sempre vai estar aqui dentro”, afirmou.

Atendimento às vítimas

“Que minha solidão me sirva de companhia, que eu tenha a coragem de me enfrentar, que eu saiba ficar com o nada e, mesmo assim, me sentir como se estivesse plena de tudo.” A frase fica na recepção do Centro Especializado em Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência, no Recife, e emociona muitas delas, que vão até o local pedir ajuda.

“Nós acolhemos essas mulheres, preservando principalmente o sigilo de tudo que aqui é discutido, fazemos a escuta através do serviço social e, de acordo com o que ela traz, de acordo com a sua demanda, nós encaminhamos para o setor jurídico”, explicou a coordenadora do Centro Clarice Lispector, Avani Santana.

Existem, atualmente, mais de 10 mil prontuários ativos. Em cada envelope, há uma história de vida. “Para nós, não existe arquivo morto. Só saem prontuários de nossos arquivos quando acontecer, e se acontecer, de essa mulher vir a óbito. A qualquer momento da história da vida desta ou de qualquer mulher, ela está passível de sofrer uma violência”, declarou Avani.

Centro Clarice Lispector acolhe e orienta mulheres vítimas de violência, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Centro Clarice Lispector acolhe e orienta mulheres vítimas de violência, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Além de ser acolhida, a mulher que procura centros especializados como o Clarice Lispector também recebe ajuda para se proteger do agressor. A medida protetiva, concedida pela Justiça, é uma dessas formas de ajuda.

Para fazer com que ela funcione, o Centro Clarice Lispector trabalha de forma integrada com a Brigada Maria da Penha, que faz rondas pelo local onde mora a vítima, além de um monitoramento diário, por meio de ligações. Também é possível abrigar mulheres que estejam em risco elevado de morte de forma gratuita e sigilosa, junto com os filhos.

“Nós traçamos um plano de prevenção e segurança, junto com esta mulher, damos a orientação legal, dos dispositivos legais que estão à disposição e ela faz a opção, porque aqui nós escutamos a mulher, o desejo da mulher é preservado. Independente se ela faça a queixa, denuncie o agressor, nós a acolhemos do mesmo jeito”, afirmou a coordenadora.

Ainda de acordo com ela, as mulheres precisam ficar atentas aos vários sinais que caracterizam um relacionamento abusivo.

“Aquela pessoa que tenta te diminuir, te controlar, que cerceia teu direito de ir e vir, que escolhe tua maquiagem, roupa, essa pessoa está cometendo uma violência contra você. A pessoa que te xinga, maltrata e empurra está cometendo um crime contra você. É importante a mulher perceber os sinais. Depois chegam ações mais efetivas, as vias de fato, uma tapa, um empurrão. Esses sinais precisam ser vistos o tempo todo, porque isso pode chegar ao feminicídio, porque cão que ladra morde. Quem ameaça mata. É preciso buscar ajuda”, disse.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Suspeito de matar e roubar PM em Feira de Santana é baleado em confronto com a polícia na Bahia

Homem foi identificado após denúncias e ao ser encontrado por PMs, nesta segunda (11), revidou com tiros, informou a SSP-BA. Cabo da PM, lotado em Pernambuco, Washington Luís foi morto a tiros em um espaço de eventos.

Por G1 BA

Um dos suspeitos de atirar e matar o policial militar Washington Luís Lima Silva, dentro de um espaço de eventos de Feira de Santana, cidade que fica a 100 quilômetros de Salvador, foi encontrado pela polícia na tarde desta segunda-feira (11).

O homem trocou tiros com PMs, foi baleado e está internado, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA). Outra pessoa também é procurada pelo crime.

O policial Washington Luís atuava como Cabo na 4ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) de Petrolândia, município de Pernambuco. Ele foi morto a tiros na tarde de sábado (9), no bairro Sim, em Feira de Santana. Segundo a Polícia Civil, os suspeitos levaram a arma do policial, documentos e um celular. Imagens de câmeras de segurança registraram a ação.

Com relação ao suspeito encontrado nesta segunda, a SSP-BA detalhou que equipes das Rondas Especiais (Rondesp) Leste chegaram até o homem após denúncias anônimas. Ele foi encontrado no bairro de Aeroporto.

A SSP-BA ainda disse que na tentativa de abordagem, o suspeito disparou contra os policiais e acabou ferido no confronto. Ele foi socorrido para o Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana, onde está internado. Não há detalhes do estado de saúde dele.

De acordo com a polícia, o homem possui envolvimento com uma facção e era investigado por pelo menos três homicídios na região. Com ele, os policiais encontraram um revólver calibre 32, munições e celulares. O patrulhamento na cidade de Feira de Santana segue reforçado com unidades especializadas.

PM foi morto em espaço e eventos de Feira de Santana — Foto: Reprodução/TV Bahia

PM foi morto em espaço e eventos de Feira de Santana — Foto: Reprodução/TV Bahia

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Jornalista Raphael Acioli morre aos 36 anos após complicações devido à Covid-19

Profissional atuou com artistas como Joelma, Wesley Safadão e Gabriel Diniz. Ele estava internado há 46 dias, mas teve insuficiência renal e hepática agravadas pelo coronavírus, segundo família.

Por G1 PE

Jornalista Raphael Acioli morre aos 36 anos

O jornalista e produtor Raphael Acioli, de 36 anos, morreu no Recife no domingo (10). O profissional, que foi assessor de artistas como Wesley Safadão e Joelma, estava internado há 46 dias no Hospital Memorial São José e, de acordo com a família, o falecimento ocorreu por insuficiência renal e hepática, agravadas pela Covid-19.

O jornalista também trabalhou com artistas como Gabriel Diniz e Priscila Senna. O corpo dele vai ser cremado nesta segunda (11), às 14h, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista.

Pelas redes sociais, artistas lamentaram a morte de Acioli. A cantora Joelma agradeceu o amigo através de uma postagem: “É com muita tristeza que venho aqui deixar nossa última foto! Obrigada por tudo, meu amigo! Descanse em paz!”, escreveu.

Raphael Acioli tinha 36 anos e estava internado no Hospital Memorial São José, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Raphael Acioli tinha 36 anos e estava internado no Hospital Memorial São José, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

A cantora Priscila Senna, conhecida como Musa, também se despediu do jornalista. “Meu querido Rapha, não acredito que você se foi. Meu coração está despedaçado. Que dor que estou sentindo. Que Deus conforte sua família. Nunca vou te esquecer!”, disse, nas redes sociais.

A pernambucana Gerlane Lops escreveu uma homenagem ao jornalista. “Um amigo que se vai de uma forma estúpida. Que dor, meu amigo. Obrigada por tanto amor. Te amo pra sempre, irmão!”, publicou a artista.

Coronavírus em Pernambuco

Pernambuco chega a 9.840 mortes e 232.037 casos de Covid-19

Com a confirmação de 1.146 novos casos e de 14 óbitos por Covid-19 em Pernambuco no domingo (10), o estado passou a totalizar 232.037 pacientes que receberam a confirmação da doença e 9.840 pessoas que faleceram após a infecção pelo novo coronavírus . A contagem começou em março de 2020.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.