Quatro bananas de dinamite e equipamentos usados em carros de polícia são apreendidos

Por G1 PE

Bananas de dinamite, sinalizadores luminosos e sirenes usados em carros de polícia foram apreendidos em Jaboatão, no Grande Recife — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Bananas de dinamite, sinalizadores luminosos e sirenes usados em carros de polícia foram apreendidos em Jaboatão, no Grande Recife — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Quatro bananas de dinamite foram apreendidas, na quinta-feira (5), no Conjunto Residencial Suassuna, na Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. De acordo com a Polícia Militar, as equipes também encontram oito equipamentos do tipo giroflex (sinalizadores luminosos) e duas sirenes, usados em carros de polícia. Ainda segundo a PM, não houve prisões.

A PM informou que as patrulhas receberam a informação de que bandidos estavam traficando drogas na comunidade e usando equipamentos da polícia em veículos para praticar assaltos. A corporação suspeita que as bananas de dinamite seriam utilizadas para explodir caixas eletrônicos.

Os criminosos, disse a PM, chegaram a ser localizados pelas equipes da patrulha, mas conseguiram fugir. A corporação informou, ainda, que levou o material apreendido para a delegacia de Prazeres, em Jaboatão, que vai ficar encarregada das investigações.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Jornalista Alexandre Farias recebe título de Cidadão Caruaruense

Por G1 Caruaru

Alexandre Farias vai receber o título de Cidadão Caruaruense — Foto: Joalline Nascimento/G1

Alexandre Farias vai receber o título de Cidadão Caruaruense — Foto: Joalline Nascimento/G1

O jornalista Alexandre Farias vai receber o título de Cidadão Caruaruense. A sessão solene para a entrega será realizada no dia 13 de dezembro, às 19h30, na Câmara Municipal de Caruaru, no Agreste de Pernambuco.

Natural do município do Cabo de Santo Agostinho, Alexandre Farias viveu parte da vida em Escada, na Mata Sul do Estado. Ele atuou como editor e apresentador do telejornal ABTV 2ª edição, da TV Asa Branca, por mais de dois anos.

No dia 16 de setembro de 2017, Alexandre foi atingido na cabeça por uma bala perdida quando voltava para casa, no bairro Alto do Moura, após apresentar o jornal. Ele passou oito meses internado no Hospital Esperança e segue em recuperação no Recife.

‘A Vida Venceu’

Alexandre Farias participa de evento em Caruaru — Foto: Divulgação

Alexandre Farias participa de evento em Caruaru — Foto: Divulgação

Antes da entrega do título, na sexta-feira (6), o jornalista Alexandre Farias vai ministrar a palestra “A Vida Venceu” em um evento beneficente no auditório da Fafica, a partir das 20h.

No encontro, o jornalista vai falar como está encarando a vida após ser atingido por uma bala perdida e sobre como usa a fé para evoluir a cada dia.

A ação quer arrecadar alimentos para cestas básicas que serão destinadas ao Natal das famílias carentes assistidas pela Paróquia São José. Para participar, o público precisa doar dois quilos de alimentos. As inscrições também estão sendo realizadas pela internet.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Panetone tem diferença de preço de até 251%, afirma Procon do Recife

Por G1 PE

Pesquisa do Procon do Recife mostra a diferença de preços de panetones — Foto: Reprodução/TV Integração

Pesquisa do Procon do Recife mostra a diferença de preços de panetones — Foto: Reprodução/TV Integração

Uma pesquisa realizada pelo Procon do Recife aponta que o preço de panetones pode variar até 251%. De acordo com o órgão de defesa do consumidor, foram avaliados valores de 22 tipos diferentes do produto, em 11 estabelecimentos da cidade.

A maior diferença foi detectada nos panetones de chocolate, de marcas diferentes. O tradicional panetone de frutas cristalizadas tem preços que variam até 44%.

O levantamento mostra também que pode ocorrer uma variação de valores no comparativo entre os produtos vendidos em lojas e no comércio pela internet. Nesse caso, o preço pode ter diferença de até 155%.

Ainda de acordo com o Procon do Recife, no caso dos produtos de chocolate e brigadeiro, de uma mesma marca, os preços podem variar até 66%, em lojas diferentes.

Segundo o levantamento, a maior diferença foi encontrada no panetone chocolate. Na embalagem do “Alpino” com 400 gramas, o maior preço foi de R$ 39,99 e o menor, de R$ 23,90. Isso significa uma diferença de R$ 16,09.

O panetone de brigadeiro com 400 gramas, da mesma marca, também obteve variação de 66%. O menor preço foi de R$ 14,90 e o maior, de R$ 24,75.

Procon informou que as variações de valores podem ocorrer por causa do período de realização da pesquisa

O órgão ressalta que os preços praticados podem ser diferentes, já que estão sujeitos a alterações, conforme a data da compra.Também foram analisados os casos de descontos especiais, ofertas e promoções.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Imóvel protegido pelo patrimônio histórico estadual é demolido por prefeitura

Por G1 PE e TV Globo

Um imóvel protegido pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) foi demolido pela prefeitura de Bom Jardim, no Agreste de Pernambuco. Por causa disso, o governo do estado notificou a administração municipal por dano ao Patrimônio Ferroviário Estadual, que está em processo de tombamento desde 2006.

Imagens enviadas ao WhatsApp registraram a demolição, que ocorreu na noite de terça-feira (3). O prédio demolido era um armazém, construído em 1937, que abrigava a Secretaria de Educação do município.

O imóvel fazia parte do conjunto arquitetônico da Estação Ferroviária de Bom Jardim. O patrimônio inclui, ainda, a antiga estação, onde atualmente funciona a sede da prefeitura, e um dique.

Prédio protegido por regime de tombamento foi demolido em Bom Jardim, no Agreste de Pernambuco — Foto: Reprodução/WhatsApp

Prédio protegido por regime de tombamento foi demolido em Bom Jardim, no Agreste de Pernambuco — Foto: Reprodução/WhatsApp

A gestão municipal alegou que o prédio tinha um alto custo de manutenção. Por isso, disse a administração pública, foi preciso fazer a demolição.

Além disso, a prefeitura afirmou que fez o serviço por causa da “construção de uma via que liga as rodovias PE-88 e PE-90, que não poderia ser concluída sem a derrubada do imóvel”.

A notificação do governo foi feita pela Secretaria Estadual de Cultura (Secult-PE) e pela Fundarpe. O governo solicitou, ainda, a abertura de um inquérito civil para a apuração da responsabilidade de dano ao Patrimônio Histórico de Bom Jardim à Promotoria de Justiça da cidade.

A destruição poderia ter sido evitada, segundo a Fundarpe. A fundação informou que a notificação para que a prefeitura não demolisse o imóvel ficou pronta na terça-feira (3), mas só foi enviada nesta quarta, depois que o prédio já estava no chão. A demora ocorreu por causa da falta de uma assinatura, de acordo com o órgão.

Tombamento

Segundo a gestora do Patrimônio Histórico da Fundarpe, Neide Fernandes, o prédio, apesar de não ser efetivamente tombado, está protegido sob regime de tombamento, por estar incluso no patrimônio da antiga Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA).

“O edital é de outubro de 2006 e é uma medida preventiva, sob uma proteção temática da rede ferroviária federal. Essa proteção abrange todo o patrimônio citado, sem especificar por edifício. Mas tudo está com o mesmo regime de tombamento, até a efetiva inscrição no livro de tombo”, declarou.

Edifício que foi demolido em Bom Jardim, antes da ação da prefeitura — Foto: Reprodução/Google Street View

Edifício que foi demolido em Bom Jardim, antes da ação da prefeitura — Foto: Reprodução/Google Street View

Reação

Quem mora no município alega que, no prédio, que já foi sede de um banco, funcionava uma estação ferroviária nos anos 1930.

“Essa estação tinha sido inaugurada em 1937, quando o trem chegou a Bom Jardim. Depois de muito tempo, passou a ser um banco e depois a Secretaria de Educação. Era um prédio tombado”, alegou o estudante de enfermagem Célio Borges.

Após a demolição, os moradores acionaram o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e a Fundarpe. Uma reunião foi marcada nesta quinta-feira (4) pela promotoria do MPPE no município com os vereadores de Bom Jardim sobre o assunto.

“Era um anexo da estação ferroviária. É o patrimônio histórico da cidade que está sendo usado para alargar uma rua”, disse um comerciante que preferiu não ser identificado.

Resposta

Procurada pelo G1, o secretário de Administração da prefeitura de Bom Jardim, Lúcio Mário Cabral, informou que os funcionários do prédio que foi demolido foram temporariamente levados para outro imóvel, antes de seguir para a futura sede da Secretaria de Educação.

Ele também informou que o município tem tido dificuldades de arcar com a manutenção de imóveis antigos. “São vários prédios centenários, mas manter esses prédios funcionando é difícil. Manutenção é cara”, declarou.

Ainda segundo Cabral, o município tem priorizado a reforma de outros prédios. “O cinema da cidade, que funciona como centro multicultural, foi reformado recentemente. O dinheiro é curto, não dá para fazer tudo”, afirmou.

Segundo ele, o imóvel foi demolido, também, porque ficava na rota de uma estrada que está sendo construída no interior do estado.

“Essa obra vai melhorar o trânsito na nossa cidade, que piora às quartas e aos sábados, quando é dia de feira em Bom Jardim”, disse o secretário.

G1 também entrou em contato com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), para saber se haverá punição ao município, mas, até a última atualização desta reportagem, não obteve resposta.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Conselho de Enfermagem proíbe profissionais de atuar em três blocos do Hospital Getúlio Vargas, no Recife

Por G1 PE

Parte da estrutura externa do Hospital Getúlio Vargas  — Foto: Reprodução/WhatsApp

Parte da estrutura externa do Hospital Getúlio Vargas — Foto: Reprodução/WhatsApp

O Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (Coren-PE) determinou, nesta quarta-feira (4), a interdição ética dos serviços de enfermagem do Hospital Getúlio Vargas (HGV), no Cordeiro, na Zona Oeste do Recife. Segundo a entidade, os enfermeiros, técnicos e auxiliares estão proibidos de trabalhar em três blocos da unidade, que teve uma área interditada pela Defesa Civil do estado, na sexta-feira (29), por causa de problemas na infraestrutura.

Segundo a assessoria de comunicação do Coren-PE, a interdição ética foi decidida por unanimidade em reunião do conselho, nesta quarta. A entidade alegou que não há condição de trabalho em áreas do hospital.

Com isso, informou a entidade, os trabalhadores não poderão atuar, por tempo indeterminado nos blocos G1, G2 e G3. Segundo o conselho, o G2 teve parte interditada e o G3 é o local em que foram encontradas as rachaduras e onde foram ouvidos os estalos.

No Getúlio Vargas, atuam 138 enfermeiros e 704 técnicos e auxiliares de enfermagem, segundo o Coren-PE. A entidade explicou que ficam proibidos de exercer as funções cerca de 200 profissionais que trabalham nos três blocos onde foi decretada a interdição ética.

Os profissionais, segundo a decisão, deverão comparecer ao hospital, nos horários determinados da escala, mas não poderão trabalhar nesses locais.

“Eles devem ser levados para outros locais onde não há risco. Todos os trabalhadores vão atuar para atender os pacientes, mas em outras áreas”, afirmou a chefe de Fiscalização do Coren-PER, Ivana Andrade.

Na noite desta quarta, a presidente do conselho, Marcleide Cavalcanti, esteve no HGV para informar aos chefes de plantão que a interdição ética já estava em vigor. Informativos sobre a decisão foram afixados no hospital.

“A interdição ética ocorre quando um profissional está em risco ou quando a enfermagem pode representar um risco à sociedade. Nós não podemos interditar o hospital, mas podemos proibir o trabalhador de atuar em área de risco”, explicou Ivana Andrade.

Ela disse que a interdição ética será mantida até que a segurança das áreas seja confirmada. “Nós queremos uma avaliação do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea). Nós não somos técnicos e precisamos de um laudo para saber qual é risco de trabalhar nessas áreas”, declarou.

Segundo ela, o hospital não pode obrigar o trabalhador a atuar nas áreas determinadas pela interdição ética. “O profissional que descumprir a determinação do conselho pode ser alvo de uma investigação ética“, observou.

Documento sobre a interdição ética foi afixado no HGV nesta quarta-feira (4) — Foto: Coren-PE/Divulgação

Documento sobre a interdição ética foi afixado no HGV nesta quarta-feira (4) — Foto: Coren-PE/Divulgação

Estado

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) lamentou a deliberação do Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (Coren-PE) sobre a interdição ética dos serviços de enfermagem no Hospital Getúlio Vargas (HGV).

A pasta disse que a “decisão foi tomada sem nenhum embasamento técnico da área de engenharia e que tomará todas as medidas administrativas e judiciais necessárias para garantir a assistência aos pacientes.”

A secretaria informou também que a “unidade continua atendendo a população nas mais diversas especialidades, como urologia, neurologia, neurocirurgia, cirurgia vascular e geral, ortopedia e clínica médica”

Sobre a interdição, a secretaria disse que ela ” tem alcance restrito ao trabalho dos enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, não alcançando os demais profissionais das equipes médicas.”

O governo ressaltou que a rede estadual de saúde tem dado o suporte necessário à unidade, “visando garantir a assistência aos usuários do SUS em Pernambuco”.

Além disso, informou a nota, a “direção do HGV ainda tem dialogado, permanentemente, com as equipes da unidade e suas lideranças sobre toda a situação.”

Estrutura

A Secretaria Estadual de Saúde disse, ainda, que, além do isolamento preventivo e provisório do Bloco G3, novas análises estão sendo realizadas por diversos órgãos, entre os quais o Crea, para “averiguar a situação e dar os devidos encaminhamentos”.

A pasta disse que está trabalhando em um estudo de intervenção para “resolver definitivamente os problemas de acomodação estrutural do Bloco G da unidade”. Informou que o cronograma será apresentado nos próximos dias para as entidades profissionais.

Por fim, a Secretaria Estadual de Saúde esclareceu que “continua monitorando permanentemente, por meio de contrato com empresa de engenharia especializada, a estrutura do prédio do HGV e todos os laudos apresentados atestam a segurança da estrutura”.

Inquérito

Nesta quarta, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) abriu um inquérito para apurar a situação no HGV. Pacientes relataram dificuldades para remarcar consultas e cirurgias na unidade de saúde localizada no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife .

Segundo a promotora Helena Capela, o objetivo da ação é garantir a assistência aos pacientes e a segurança dos funcionários, que relataram temor devido às rachaduras no prédio. Parte do prédio do hospital foi interditada pela Defesa Civil do estado, na sexta-feira (29), quando ocorreram os estalos.

Titular da Promotoria de Saúde, Capela explicou ao G1, nesta quarta (4), que vai inspecionar o hospital. Ela disse que agendou a ação, com o analista do MPPE em medicina e engenharia, para a sexta-feira (6).

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Suspeito de integrar grupo de extermínio e participar de ao menos 50 assassinatos é preso no Recife

Por G1 PE

Uniforme e distintivo da Polícia  Civil do Rio Grande do Norte, além de balaclavas, celulares e documentos falso, foram apreendidos Josenildo Vieira Júnior, no Recife — Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Uniforme e distintivo da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, além de balaclavas, celulares e documentos falso, foram apreendidos Josenildo Vieira Júnior, no Recife — Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Um foragido do sistema penitenciário do Rio Grande do Norte foi preso no Recife, com um uniforme e um distintivo da Polícia Civil daquele estado. Segundo a Polícia Civil de Pernambuco, Josenildo Vieira da Silva Júnior, de 34 anos, é suspeito de integrar um grupo de extermínio e de ter participação em ao menos 50 assassinatos, além de roubos e sequestros.

A prisão de Josenildo, conhecido como Júnior, ocorreu no bairro do Jordão, na Zona Sul do Recife. Considerado um dos alvos prioritários da polícia do Rio Grande do Norte, ele escapou de um presídio de Natal (RN), segundo a polícia pernambucana.

Em entrevista coletiva concedida na sede da Polícia Civil, na área central da cidade, nesta quarta-feira (4), a corporação detalhou a captura, ocorrida no dia 23 de novembro. Ela foi realizada em cumprimento a um mandado expedido pela Justiça do Rio Grande do Norte em uma investigação de roubo.

O delegado Alessandro Orico informou que Josenildo começou a ser investigado em Pernambuco a partir da denúncia de que havia um foragido do sistema penitenciário potiguar escondido no bairro do Jordão. As equipes localizaram o homem e fizeram buscas na casa onde ele estava.

Na residência, os policiais encontraram, além do fardamento e do distintivo da polícia, cinco toucas do tipo balaclava, cinco celulares e documentos pessoais falsos, como carteiras de identidade e habilitação.

A partir do levantamento do histórico e Josenildo, o delegado ressaltou a lista de crimes nos quais ele tem envolvimento.

“Ele responde a diversos processos por homicídio e tentativa de homicídio, roubo e sequestro mediante extorsão. Segundo informações, faz parte de um grupo de extermínio e agiu diretamente em homicídios de aproximadamente 50 pessoas”, declarou o delegado.

Ainda de acordo com o policial, Josenildo relatou os crimes, mas não repassou as informações de forma oficial. “Ele não fez isso de forma documentada”, comentou Orico.

Para o delegado, o foragido estaria envolvido em crimes em Pernambuco. “Com essas características dele, acredito que estaria cometendo crimes aqui. Estamos fazendo investigações para conseguir mais informações sobre esses novos crimes”, afirmou.

Umas dessas investigações seria o de um sequestro de um gerente de banco ocorrido em Gravatá, no Agreste pernambucano. “Essa é uma questão a ser investigada pela delegacia especializada”, disse. Segundo a polícia, Josenildo seguiu para o presídio no Rio Grande do Norte.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Hóspede discute com esposa e atira em funcionários de hotel em Boa Viagem, no Recife

Por G1 PE e TV Globo

Um homem discutiu com a esposa e atirou em dois funcionários do Mar Hotel, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, na noite da terça-feira (3), segundo a Polícia Civil. Os dois feridos foram socorridos. A mulher foi encaminhada à delegacia e prestou depoimento nesta quarta-feira (4)

O delegado Paulo Gustavo apontou que o casal veio do interior da Paraíba para trazer o filho deles, de 4 meses, para uma consulta no Recife. Os dois deram entrada no hotel na tarde da terça. O homem, identificado como João Raimundo, desceu do quarto e ficou até a noite no bar do local. “Ele passou boa parte do tempo ingerindo bebida alcoólica e recebeu a sua mãe”, relatou.

Por volta das 23h, o homem e a mãe subiram para o quarto onde estava a esposa de João Raimundo. “Os dois agrediram a Renata [esposa] verbalmente e também praticaram agressões físicas. Segundo a Renata, ela conseguiu acionar a recepção do hotel e, prontamente, chegaram dois funcionários”, detalhou.

Um dos seguranças trocou socos com João Raimundo, apontou o delegado. “Depois, os dois funcionários saíram, o João foi atrás e desferiu diversos tiros de pistola 380, atingindo cada um com três disparos. Na garagem, no térreo, ele ainda se deparou com um cozinheiro do hotel que estava largando e fez disparos contra ele, mas não o atingiu”, disse.

Após os disparos, o homem seguiu para a Rua Barão de Souza Leão, na frente do hotel. “Ele teria, então, roubado um carro e fugido do local”, relatou o delegado.

Funcionários feridos

Os dois baleados foram levados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Imbiribeira, também na Zona Sul, e depois transferidos para o Hospital da Restauração (HR), na área central do Recife. De acordo com o HR, José Edson Lima Júnior, 34 anos, e José Fernando Freire da Silva, 43 anos, foram levados para a Unidade de Trauma.

Ainda segundo o hospital, José Edson deu entrada à 1h58 com ferimento no abdômen e recebeu um dreno toráxico. Como teve fratura exposta na perna, foi submetido a uma cirurgia e tinha quadro clínico estável. O HR informou que José Fernando chegou no local às 2h40, sofreu lesão medular, estava consciente e orientado e tem quadro clínico estável.

A esposa do homem responsável pelos disparos prestou depoimento na Delegacia da Mulher, em Santo Amaro, no Centro do Recife, e foi liberada na manhã desta quarta (4). O delegado afirmou que João Raimundo vai responder por tripla tentativa de homicídio, lesão corporal, roubo, injúria e violência doméstica. Até as 12h30, ele não havia sido localizado pela Polícia Civil.

G1 entrou em contato com o hotel, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Motorista de caminhão carregado de gesso morre após veículo capotar na BR-232

Por G1 PE

Caminhão carregado de gesso capotou na BR-232 e motorista morreu no local do primeiro acidente — Foto: PRF/Divulgação

Caminhão carregado de gesso capotou na BR-232 e motorista morreu no local do primeiro acidente — Foto: PRF/Divulgação

O motorista de um caminhão morreu após perder o controle da direção e o veículo capotar na BR-232, na cidade de Pombos, na Zona da Mata de Pernambuco. O acidente aconteceu na madrugada desta quarta-feira (4), no Km 62,6, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O capotamento ocorreu por volta das 2h, no sentido Recife da pista, e o caminhão transportava gesso. Ainda segundo a PRF, o condutor do veículo tinha 49 anos e faleceu no local do acidente.

Outro acidente no local

Cerca de 10 minutos após esse capotamento, o motorista de outro caminhão perdeu o controle do veículo, saiu da pista e tombou a 100 metros do local do primeiro acidente. A PRF informou que o veículo também ficou no canteiro central.

Caminhão do segundo acidente tombou e ficou no canteiro central da rodovia — Foto: PRF/Divulgação

Caminhão do segundo acidente tombou e ficou no canteiro central da rodovia — Foto: PRF/Divulgação

O condutor do caminhão do segundo acidente fez o teste do bafômetro e o resultado foi normal, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal. Ele foi levado para o Hospital de Pombos.

“O segundo caminhão transportava produtos alimentícios (extrato de tomate e outros). A carga foi levada pela população”, informou a PRF em nota.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Tubarão sobe em pedras para pegar sardinhas em Fernando de Noronha

Por G1 PE

Um tubarão subiu em pedras, na Baía dos Porcos, em Fernando de Noronha, para pegar sardinhas. Um vídeo gravado nesta terça-feira (3) mostra o momento em que o animal, que media quase dois metros de comprimento, captura presas e volta para a água

O vídeo foi gravado pelo guia de turismo Carlos Dino. “Eu estava em cima da pedra, entre a Baía dos Porcos e a Cacimba do Padre, quando fiz o registro. O cardume de sardinha era muito grande e o tubarão estava se alimentando”, contou Dino.

O guia disse, ainda, que depois de voltar para o mar o tubarão tentou subir das pedras mais uma vez, mas acabou devorando os peixes dentro da água.

Carlos Dino estava acompanhando um grupo de turistas. Segundo ele, os visitantes pegaram as sardinhas que estavam na areia.

Tubarão sobe em pedras na Baía dos Porcos, em Noronha, para pegar sardinhas — Foto: Carlos Dino/Divulgação

Tubarão sobe em pedras na Baía dos Porcos, em Noronha, para pegar sardinhas — Foto: Carlos Dino/Divulgação

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Óleo no litoral: Ministério da Agricultura libera auxílio emergencial para 4,2 mil pescadores em PE

Por G1 PE

Pescadores de Pernambuco tiveram baixa nas vendas após óleo no litoral — Foto: Reprodução/TV Globo

Pescadores de Pernambuco tiveram baixa nas vendas após óleo no litoral — Foto: Reprodução/TV Globo

Em Pernambuco, 4.236 pescadores ativos no Registro Geral da Atividade Pesqueira (RGP), devem receber o auxílio emergencial pecuniário. O número de beneficiados foi divulgado na noite da terça-feira (3) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

governo estadual havia previsto que cerca de 8 mil pescadores receberiam o benefício, mas como o número de profissionais ativos é diferente do de inscritos, houve diferença na liberação. Pescadores que fazem parte da Colônia Z-1, do Pina, Zona Sul do Recife, relataram dificuldades para atualizar o cadastro desde outubro.

A liberação do auxílio ocorre depois que o governo editou uma Medida Provisória (MP) para garantir auxílio emergencial para pescadores profissionais artesanais que atuem nos municípios afetados pelas manchas de óleo. A edição da medida ocorreu em 29 de novembro.

Segundo a MP, o auxílio é direcionado a pescadores dos municípios de Barreiros, Cabo de Santo Agostinho, Goiana, Itamaracá, Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista, Recife, São José da Coroa Grande, Sirinhaém e Tamandaré. A MP, no entanto, limita o pagamento do auxílio aos profissionais inscritos no Regime Geral da Atividade Pesqueira (RGP) nos municípios atingidos pelo óleo.

A a relação dos beneficiados, disponível por número do RGP, está disponível no site do ministério.

O auxílio emergencial é de R$ 1.996 e o pagamento será feito em duas parcelas iguais a municípios relacionados no site do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) até a sexta-feira (6). O pagamento deve ser feito via Caixa Econômica Federal.

De acordo com o Ministério da Agricultura, o órgão encaminhou a relação dos pescadores ativos no sistema do RGP tomando como base a lista de municípios atingidos pelo óleo, conforme mapeamento do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Durante uma reunião com pesquisadores, a Marinha e representantes de outros estados do Nordeste, o governador Paulo Câmara (PSB) havia informado que o estado contabilizava, até 29 de outubro, mais de 10 mil pescadores prejudicados pelo desastre.

G1 entrou em contato com o estado para saber se os profissionais que não foram contemplados pelo Ministério da Agricultura vão receber auxílio, mas não obteve retorno até a última atualização desta matéria.

Cobranças

Na manhã da terça (3), pescadores de diversas colônias de Pernambuco participaram de uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) para cobrar respostas sobre a liberação da pesca e o pagamento do seguro-defeso para os profissionais prejudicados pelo óleo no litoral.

À tarde, o estado recomendou que a população evite o consumo, de forma temporária, de dois tipos de peixes: xaréu e sapuruna. O estado informou, ainda, que estão liberados camarão, marisco, sururu e ostra, além de outras 11 espécies de peixe

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.