Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Água invade casas e ruas ficam alagadas após chuvas intensas no Grande Recife

Apac registrou mais de 30 milímetros em seis horas, considerado ponto de alerta, e informou que dia pode ter chuva forte. Trânsito ficou complicado na capital, nesta quarta (14).

Por G1 PE

Chuvas mais intensas voltaram a ser registradas no Grande Recife nesta quarta-feira (14), com alagamentos em diferentes localidades e água invadindo casas. No final de semana e na segunda-feira (12), deslizamentos de barreiras transtornos foram registrados na Região Metropolitana.

A Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) registrou mais de 30 milímetros de chuva em alguns pontos da Região Metropolitana em seis horas, o que é considerado um ponto de alerta. Com isso, a agência emitiu um informe para possibilidade de chuvas de moderadas a fortes ao longo desta quarta.

Segundo a prefeitura do Recife, da terça (13) para esta quarta, foram registradas chuvas de até 38 milímetros em alguns pontos da cidade e a Defesa Civil recebeu 13 chamados, entre vistorias e colocação de lonas.

Trânsito

Engarrafamento é registrado na manhã desta quarta-feira (14), na Avenida Sul, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Engarrafamento é registrado na manhã desta quarta-feira (14), na Avenida Sul, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

A Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) registrou pontos de congestionamento na Avenida Sul, na altura do Viaduto Capitão Temudo. A água ocupava parte das faixas, dificultando a circulação dos veículos.

Na Avenida Doutor José Rufino, a TV Globo mostrou alguns motoristas retornando perto das 6h. Na Avenida Norte, também por volta das 6h, os carros passavam por apenas uma das faixas no sentido Centro, próximo ao cruzamento com a Avenida Cruz Cabugá. Mais perto das 8h, o trânsito era melhor após a água baixar.

Em outros locais como a Avenida Recife, importante ligação da Zona Sul com a Zona Oeste, e a Avenida Dois Rios, no bairro de Ibura, também na Zona Sul, o cenário registrado nesta quarta foi diferente do visto na segunda-feira (12), quando havia água acumulada nas vias. Não foram registrados trânsito ou alagamentos nesses locais nesta quarta.

Casas alagadas

Rua Gratuliano Glasner, localizada no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife, na manhã desta quarta-feira (14) — Foto: Reprodução/WhatsApp

Rua Gratuliano Glasner, localizada no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife, na manhã desta quarta-feira (14) — Foto: Reprodução/WhatsApp

Na Rua Gratuliano Glasner, no Cordeiro, na Zona Oeste da capital, a água entrou na casa de Elienay Cristina, que contou deixar o carro em outra rua para evitar prejuízos em tempos de chuva.

“A gente fica muito preocupado porque a água vai entrando em casa. Meu carro não está na garagem mais porque é prejuízo, eu deixo na outra esquina. Aqui é asfaltado, mas as galerias são obstruídas. Esse problema é constante”, relatou.

Morador da Rua Hélio dos Anjos, no Arruda, Zona Norte do Recife, Robson Santos contou que viu água entrando em residências de vizinhos.

“Não chegou a entrar água na minha casa hoje [quarta], mas tem casa mais baixa que entrou. Em tempo de chuva, a gente já fica apreensivo e com medo. Não tem como correr dessa água suja”, relatou Santos.

Quarto inundado em casa localizada na Vila João de Barros, em Ipojuca, no Grande Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Quarto inundado em casa localizada na Vila João de Barros, em Ipojuca, no Grande Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Em Ipojuca, também no Grande Recife, a água entrou na casa de Almir Santos devido a fortes chuvas na madrugada. “Durante o final de semana, a gente não dormiu porque a água também entrou em casa. Há mais de dez anos, moro na mesma rua e toda vez que chove é assim”, disse.

De acordo com o meteorologista da Apac Romilson Ferreira, as chuvas desta quarta são devido à Zona de Convergência Intertropical (ZCIT).

“É uma junção de sistemas, mas a priori a causa é uma instabilidade devido a ZCIT, que é um sistema de grande escala comum de acontecer nessa época, é o principal indutor de chuvas do nosso estado”, explicou.

Entre a sexta-feira (9) e a segunda-feira (12), diversas cidades da Região Metropolitana sofreram com as fortes chuvas.

Por meio de nota a prefeitura do Recife informou que em cinco dias, desde a sexta-feira (9), a quantidade de chuva acumulada chegou a 330 milímetros, superando a média história do mês de abril, que é de 326,3 milímetros.

De acordo com a Defesa Civil do estado, nos quatro dias de precipitações, 270 pessoas ficaram desalojadas em onze cidades e também foram registrados 78 deslizamentos de barreiras, nove quedas de árvores em vias públicas e cinco quedas de muros e tetos, além de uma área inundada.

Defesa Civil

As Defesas Civis dos municípios do Grande Recife seguem de prontidão para atender aos chamados da população. O atendimento acontece 24 horas por dia. Os números disponibilizados por município são:

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Manifestantes interditam rodovias em Olinda pedindo renda básica durante a pandemia

PE-15 e PE-01 tiveram trechos bloqueados na manhã desta quarta-feira (14). Trânsito ficou complicado até as 9h, quando vias foram liberadas.

Por G1 PE e TV Globo

Manifestantes interditaram os dois sentidos da PE-01, em Olinda, pedindo renda básica para as pessoas afetadas financeiramente pela pandemia de Covid-19. O protesto começou por volta das 8h desta quarta-feira (14) e, minutos depois, outro grupo fechou os dois sentidos da PE-15, outra rodovia que liga a cidade ao Recife.

O protesto na PE-01 é realizado nas imediações da comunidade Ilha do Maruim. Na PE-15, a parte interditada fica perto da Ponte Preta. Às 9h, o trânsito foi liberado

De acordo com Cristiano Silva, um dos representantes da manifestação, a reivindicação é por um auxílio da prefeitura.

“Estamos numa jornada de luta cobrando uma política de renda básica em Olinda e reivindicando o auxílio emergencial que foi anunciado aqui na cidade. Foi anunciado com R$ 200, mas está beneficiando pouquíssimas categorias. A maioria dos comerciantes informais de Olinda não está recebendo, não recebeu cestas básicas, nem outro tipo de auxílio”, afirmou.

No fim de março, a prefeitura de Olinda anunciou um auxílio de R$ 600, em três parcelas de R$ 200. Segundo a gestão municipal, o benefício é destinado a diversos setores, como tapioqueiras, artesãos, barraqueiros da praia, condutores escolares e guias turísticos.

Nas duas rodovias, o trânsito ficou complicado. Os manifestantes atearam fogo a pneus e entulhos. Somente as motos conseguiam passar pelo bloqueio imposto pelo protesto. A Polícia Militar foi acionada para apaziguar a situação nos dois locais.

O Corpo de Bombeiros também foi acionado para apagar o fogo. Por volta das 9h, os manifestantes seguiram para a prefeitura de Olinda.

Os manifestantes também levaram cartazes pedindo cestas básicas e auxílio financeiro para as pessoas afetadas pelas medidas restritivas impostas para conter o contágio pela Covid-19.

Resposta

Por meio de nota, a prefeitura de Olinda não respondeu às reivindicações de que o auxílio municipal não seria abrangente o suficiente, e afirmou que os beneficiários “já constam no banco de dados da prefeitura e estão sendo convocados para apresentação dos documentos para ter direito ao benefício”.

A gestão disse, ainda, que “as categorias não incluídas no auxílio devem procurar o Centro de Referência da Assistência Social mais próximo de sua residência”, para ingressar no Cadastro Único (Cadúnico) e passar a constar na base de dados para receber auxílios governamentais, como Bolsa Família, Benefício de Prestação Continuada e cestas básicas.

“Olinda dispõe de mais de 30 mil pessoas que recebem cestas básicas repassadas por programas assistenciais do governo federal”, afirmou a prefeitura.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Com 68 mortes e 2.531 casos de Covid-19, PE tem 12.905 óbitos e 372.756 confirmações da doença

Do total de novos registros, 178 foram de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e 2.353 de pacientes com quadros leves.

Por G1 PE

PE confirma 2.531 casos de Covid-19 e 68 mortes em 24 horas

A Secretaria Estadual de Saúde contabilizou, nesta terça-feira (13), 2.531 casos da Covid-19 e 68 óbitos de pacientes com a doença. Com isso, Pernambuco totalizou 372.756 infectados pelo novo coronavírus e 12.905 mortes.

O número de confirmações em 24 horas é o sexto maior desde o início da pandemia, em março de 2020. Desses 2.531 novos registros, 178 foram de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), ou seja, de pessoas que precisaram ser internadas ou, ainda, de pacientes que morreram com a doença.

Teste rápido para detectar Covid-19 sendo realizado — Foto: Reprodução/TV Globo

Teste rápido para detectar Covid-19 sendo realizado — Foto: Reprodução/TV Globo

Outros 2.353 foram de pessoas com quadros leves da doença e não precisaram ser internados. Esses casos englobam, também, pessoas que foram assintomáticas ou que descobriram ter tido a doença depois de curadas, por meio de testes sorológicos.

Durante toda a pandemia, o estado teve 37.924 pacientes graves e 334.832 leves. Além disso, Pernambuco chegou a 315.417 pacientes recuperados da doença. Destes, 22.254 tinham casos graves, e necessitaram de internamento hospitalar, e 293.163 apresentaram quadros leves.

Mortes

As 68 mortes contabilizadas nesta terça-feira (13) ocorreram entre 23 de outubro de 2020 e a segunda-feira (12). As vítimas foram 37 homens e 31 mulheres, com idade entre 33 e 89 anos, nas seguintes faixas etárias: 30 a 39 (5), 40 a 49 (5), 50 a 59 (8), 60 a 69 (25), 70 a 79 (14), 80 ou mais (11).

Esses pacientes moravam em Afrânio (1), Água Preta (1), Altinho (1), Amaraji (1), Araripina (1), Arcoverde (1), Bezerros (2), Bom Jardim (1), Brejinho (1), Buíque (1), Cabo de Santo Agostinho (1), Cabrobó (2), Caetés (2), Camutanga (3), Caruaru (1), Cumaru (1), Custódia (1), Escada (1), Garanhuns (2), Igarassu (1), Ipojuca (2), Itaquitinga (1), Jaboatão dos Guararapes (6), Lagoa Grande (1), Lajedo (1), Manari (1), Olinda (1), Panelas (1), Paulista (2), Pedra (1), Petrolina (2), Recife (12), Salgueiro (1), São Bento do Una (1), São Lourenço da Mata (1), Serra Talhada (2), Serrita (1), Timbaúba (1), Trindade (2), Vitória de Santo Antão (1), Xexéu (1).

Entre eles, 42 tinham doenças pré-existentes: doença cardiovascular (24), diabetes (27), hipertensão (10), etilismo/histórico de etilismo (1), doença renal (3), doença hepática (2), imunossupressão (2), tabagismo/histórico de tabagismo (1), obesidade (4), doença respiratória (1), histórico de AVC (1) – um paciente pode ter mais de uma comorbidade. Os demais casos seguem em investigação.

Ocupação de leitos

Nesta terça-feira (13), a taxa global de ocupação dos 2.839 leitos para pacientes com Srag na rede pública era de 90%. Havia doentes em 97% dos 1.593 leitos de UTI e em 82% dos 1.246 leitos de enfermaria.

Na rede privada, a taxa global de ocupação dos 785 leitos para pacientes com Srag era de 81%. Havia doentes em 87% dos 510 leitos de UTI e em 68% dos 275 leitos de enfermaria.

Testes

Foram feitos, desde o início da pandemia até esta terça-feira (13), 1.523.192 testes para detecção do novo coronavírus em Pernambuco.

Com relação à testagem dos profissionais de saúde com sintomas de gripe em Pernambuco, até esta terça-feira (13), 28.091 casos foram confirmados e 47.501 foram descartados.

As testagens entre os trabalhadores do setor abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, sejam da rede pública (estadual e municipal) ou privada.

Vacinados

Até esta terça-feira (13), Pernambuco aplicou 1.435.231 doses da vacina contra a Covid-19, das quais 1.104.112 foram primeiras doses e 331.119 foram segundas doses.

Ao todo, receberam a primeira dose: 224.286 trabalhadores de saúde; 25.073 povos indígenas aldeados; 28.469 em comunidades quilombolas; 6.170 idosos em instituições de longa permanência; 269.137 idosos de 64 a 69 anos; 364.606 idosos de 70 a 79 anos; 98.329 idosos de 80 a 84 anos; 86.153 idosos a partir de 85 anos; 908 pessoas com deficiência institucionalizadas; além de 981 trabalhadores das forças de segurança e salvamento.

Em relação à segunda dose, foram imunizados: 172.887 trabalhadores de saúde; 24.633 povos indígenas aldeados; 22 em comunidades quilombolas; 4.518 idosos institucionalizados; 4.771 idosos de 64 a 69 anos; 87.598 idosos de 70 a 79 anos; 29.749 idosos de 80 a 84 anos; 6.189 idosos a partir de 85 anos; além de 752 pessoas com deficiência institucionalizadas.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Motorista de carro roubado bate em dois veículos para fugir de fiscalização da PRF no Recife

Colisão com uma moto e um caminhão aconteceu na BR-101, no Ibura, na Zona Sul, nesta terça (13). Segundo a polícia, condutor desobedeceu ordem de parada e fugiu em alta velocidade.

Por G1 PE

Carro roubado em Gravatá em março foi apreendido no Recife nesta terça-feira (13) — Foto: PRF/Divulgação

Carro roubado em Gravatá em março foi apreendido no Recife nesta terça-feira (13) — Foto: PRF/Divulgação

O motorista de um carro roubado provocou um acidente nesta terça-feira (13), na BR-101, no Ibura, na Zona Sul do Recife, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Enquanto fugia em alta velocidade, ele bateu em uma moto e em um caminhão na rodovia, mas não houve feridos, ainda segundo a corporação.

A PRF informou que o condutor do veículo roubado desobedeceu ordem de parada de policiais rodoviários federais durante uma fiscalização realizada no quilômetro 69 da BR-101.

No carro roubado, também havia um passageiro. Quando chegaram na entrada do bairro do Ibura, ele e o motorista desceram do veículo e correram para dentro de uma comunidade existente no local.

Buscas foram realizadas na área, mas a dupla não foi encontrada. O carro havia sido roubado no dia 25 de março deste ano em Gravatá, no Agreste do estado, de acordo com a PRF.

Após ser recuperado, o veículo foi encaminhado ao Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), no bairro de Afogados, na Zona Oeste do Recife, para ser devolvido ao proprietário.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Detento é morto e outros três ficam feridos durante briga no Presídio Frei Damião de Bozzano, no Recife

Sindicato dos Policiais Penais afirmou que vítima teve o corpo queimado. Tumulto ocorreu nesta terça-feira (13) e foi controlado, segundo a Secretaria Executiva de Ressocialização.

Por G1 PE

Peritos foram acionados após confusão entre detentos no Complexo do Curado, na Zona Oeste do Recife — Foto: Reprodução/WhatsApp

Peritos foram acionados após confusão entre detentos no Complexo do Curado, na Zona Oeste do Recife — Foto: Reprodução/WhatsApp

Um homem foi morto e outros três ficaram feridos após um tumulto entre detentos do Presídio Frei Damião de Bozzano (PFDB), no Complexo Prisional do Curado, no bairro do Sancho, Zona Oeste do Recife, na madrugada desta terça-feira (13).

De acordo com o Sindicato dos Policiais Penais (Sinpolpen) de Pernambuco, após ser assassinada, a vítima teve o corpo queimado pelos presidiários.

A Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) informou que a confusão ocorreu entre grupos rivais de detentos e que o detento assassinado foi identificado como Antônio Flávio Alves da Silva, de 38 anos.

Testemunhas relataram ter ouvido tiros vindos de dentro do presídio. A Gerência de Operações Especiais foi acionada para conter o tumulto e conseguiu controlar a situação, segundo a Seres.

O Instituto de Medicina Legal (IML) esteve no presídio e levou o corpo para a sede do instituto. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil ficou responsável pelas investigações do crime.

Os três homens que ficaram feridos foram atendidos na enfermaria do PFDB. A Seres informou que os detentos identificados como participantes da confusão foram transferidos para outras unidades prisionais, por medida de segurança.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Profissionais de saúde enfrentam dificuldades para vacinar idosos na zona rural de Belo Jardim

Casas afastadas em morros, terrenos íngremes, com acesso complicado estão entre as complicações.

Por G1 Caruaru

Vacinação na zona rural de Belo Jardim — Foto: Prefeitura de Belo Jardim/Divulgação

Vacinação na zona rural de Belo Jardim — Foto: Prefeitura de Belo Jardim/Divulgação

A vacinação contra a Covid-19 tem sido um desafio em Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco. Os profissionais de saúde enfrentam diversas dificuldades para imunizar os moradores das áreas rurais do município.

Casas afastadas em morros, terrenos íngremes, com acesso complicado até para chegar a pé, pois de carro não entra, são algumas das rotas enfrentadas pelos vacinadores que fazem a cobertura de vacinação através do Programa de Agentes Comunitário de Saúde Rural Itinerante – PACS Rural Itinerante.

“Ao me juntar aos Agentes Comunitário de Saúde (ACS) começamos a atender por livre demanda e em domicílio. As rotas que fazemos são de difícil acesso e se chover é impossível ir, por isso um dia antes a ACS me avisa se choveu ou não. Estradas íngremes, onde só é possível subir se a caminhonete tiver tração nas quatro rodas. Além disso, existem casas afastadas onde subimos e descemos morros a pé levando todo material necessário para prevenir e detectar patologias e comorbidades”, explicou a enfermeira, Vivianny Nogueira.

Além dos distritos de Xucuru, Água Fria e Serra do Vento, equipes de Saúde da Família cobrem 11 comunidades na zona rural. São elas Sítio Palha, Vila Nova, Sítio Gravatá, Sítio Campo Novo, Vila Raiz, Santa Luiza, Taboquinha e Sítio Fundão. Estes sítios possuem, em média, mais 20 comunidades adjacentes, por isso, a Secretaria de Saúde tem equipes itinerantes para atender estas localidades.



_

Publicidades:

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Moradores pegam peixes nas ruas após fortes chuvas no Recife;

Com poças formadas no meio das vias e junto à calçada, homens levaram rede e balde para recolher peixes no Ipsep. Na tarde da segunda (12), ruas do bairro estavam tomadas pela água.

Por G1 PE e TV Globo

Moradores do Ipsep, no Recife, recolhem peixes no meio da rua em poças deixadas pela chuva

Após dias de chuvas e alagamentos no Grande Recife, moradores do Ipsep, na Zona Sul da capital pernambucana, conseguiram pegar peixes em poças formadas nas ruas do bairro. O flagrante do cinegrafista da TV Globo Elvys Lopes foi feito na manhã desta terça-feira (13) .

O pescador Cleosson Pereira disse que encontrou “esse presente de Deus” perto da casa onde mora. Com rede e balde, eles foram recolhendo os peixes em diferentes ruas do bairro.

“A primeira [volta pelo bairro] foi às 4h. Levei uns 20 quilos de peixe. [Eles estavam] no meio-fio, na rua. [A chuva] na minha casa não entrou, mas na casa dos vizinhos… Foi muita tristeza”, contou.

Ao lado de pelo menos outros três conhecidos, Cleosson jogou redes de pesca na Rua Abdias Cabral de Moura, na Vila Maria Lúcia. “Ontem [segunda], deu uma estiada, mas do sábado para o domingo, misericórdia. Ilhou isso tudinho […] Aqui na Vila, o pessoal só teve prejuízo”, contou o morador.

Entre a sexta (9) e a segunda-feira (12), choveu no Recife o equivalente a 89% do previsto para todo o mês de abril, de acordo com a Defesa Civil do município. Nesta terça-feira (13), apesar do tempo nublado, não havia registro de chuva intensa.

A água causou estragos e deixou 270 pessoas desalojadas em onze cidades da Região Metropolitana e da Zona da Mata.

Carros tentaram passar em área alagada após fortes chuvas no bairro do Ipsep, na Zona Sul do Recife, na segunda-feira (12) — Foto: Reprodução/TV Globo

Carros tentaram passar em área alagada após fortes chuvas no bairro do Ipsep, na Zona Sul do Recife, na segunda-feira (12) — Foto: Reprodução/TV Globo

Para Cleosson e seus vizinhos, no entanto, a manhã após o período intenso de chuvas foi farta. “Encontrei tilápia e cascudo [espécies de peixe]. Não esperava achar no meio da rua”, contou.

O bairro do Ipsep fica a cinco quilômetro da praia mais próxima, a de Boa Viagem, também na Zona Sul. Para o meteorologista da Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac) Romilson Ferreira, é difícil precisar a origem dos peixes.

Uma pista da origem é um canal, braço do Rio Tejipió, localizado a cerca de 600 metros da rua em que o grupo de moradores estava “pescando”.

“A gente não tem como saber a origem clara desses animais. A gente teria que fazer um estudo para saber onde extrapolou a água, quais são as espécies encontradas e investigar mais a fundo”, declarou Ferreira.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pernambuco tem mais 738 casos e 34 mortes por Covid-19; um dos óbitos é de um recém-nascido

Recém-nascido que faleceu devido à doença é do sexo masculino. Desde março de 2020 até esta segunda-feira (12), PE totalizou 370.225 confirmações da doença e 12.837 óbitos.

Por G1 PE

Mais 738 casos de Covid-19 e 34 mortes de pacientes com a doença, incluindo a de um recém-nascido, foram confirmados nesta segunda-feira (12) em Pernambuco (veja vídeo acima). De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), o estado chegou a 370.225 pessoas infectadas e 12.837 óbitos desde o início da pandemia, em março de 2020.

Do total de novos casos confirmados nesta segunda-feira, 108 foram de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), ou seja, de pessoas que precisaram ser internadas ou, ainda, de pacientes que morreram com a doença. Essas ocorrências somaram 37.746 do total de toda a pandemia.

Outros 630 pacientes tiveram quadros leves da doença e não precisaram ser internados. Esses casos englobam, também, pessoas que foram assintomáticas ou que descobriram ter tido a doença depois de curadas, por meio de testes sorológicos. Foram 332.479 pacientes assim em toda a pandemia.

Além disso, o boletim desta segunda-feira (12) registrou um total de 312.677 pacientes recuperados da doença em Pernambuco. Destes, 22.074 tinham casos graves e precisaram de internamento hospitalar, enquanto 290.603 apresentaram quadros leves da Covid-19.

Mortes

Os 34 óbitos confirmados nesta segunda-feira ocorreram entre o dia 12 de julho de 2020, nove meses atrás, e o domingo (11). As vítimas foram 27 homens e sete mulheres, com idade entre 17 e 86 anos, além de um recém-nascido do sexo masculino. As faixas etárias são: 0 a 9 (1), 10 a 19 (1), 20 a 29 (2), 30 a 39 (3), 40 a 49 (4), 50 a 59 (9), 60 a 69 (3), 70 a 79 (5), 80 ou mais (6).

Os pacientes que faleceram moravam em Aliança (1), Brejão (1), Cabo de Santo Agostinho (1), Carpina (1), Gameleira (1), Goiana (1), Igarassu (1), Ipojuca (1), Ipubi (1), Jaboatão dos Guararapes (4), Lagoa dos Gatos (1), Machados (1), Olinda (2), Orocó (1) , Paulista (1), Pesqueira (1), Petrolina (1), Recife (6), São Vicente Ferrer (1), Sirinhaém (1), Surubim (1), Tabira (2), Timbaúba (1) e Vicência (1).

Entre eles, 26 tinham doenças pré-existentes: doença cardiovascular (15), diabetes (12), hipertensão (5), etilismo/histórico de etilismo (4), doença renal (4), tabagismo/histórico de tabagismo (4), obesidade (2), doença respiratória (2), histórico de AVC (1) e câncer (1) – um paciente pode ter mais de uma comorbidade. Os demais casos seguem em investigação.

Ocupação de leitos

Nesta segunda-feira (12), a taxa global de ocupação dos 2.829 leitos para pacientes com Srag na rede pública era de 90%. Havia doentes em 97% dos 1.594 leitos de UTI e em 81% dos 1.235 leitos de enfermaria.

Na rede privada, a taxa global de ocupação dos 815 leitos para pacientes com Srag era de 80%. Havia doentes em 87% dos 509 leitos de UTI e em 66% dos 306 leitos de enfermaria.

Testes

Foram feitos, desde o início da pandemia até esta segunda-feira (12), 1.513.835 testes para detecção do novo coronavírus em Pernambuco.

Com relação à testagem dos profissionais de saúde com sintomas de gripe no estado até esta segunda-feira (12), 28.042 casos foram confirmados e 47.421 foram descartados.

As testagens entre os trabalhadores do setor abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, sejam da rede pública (estadual e municipal) ou privada.

Vacinados

Até esta segunda-feira (12), Pernambuco aplicou 1.409.013 doses da vacina contra a Covid- 19, das quais 1.086.058 foram primeiras doses e 322.955 foram segundas doses.

Receberam a primeira dose: 223.739 trabalhadores de saúde, 25.073 povos indígenas aldeados, 26.195 em comunidades quilombolas; 6.162 idosos em instituições de longa permanência, 257.224 idosos de 64 a 69 anos, 361.957 idosos de 70 a 79 anos, 97.899 idosos de 80 a 84 anos, 86.114 idosos a partir de 85 anos, 908 pessoas com deficiência institucionalizadas, além de 787 trabalhadores das forças de segurança e salvamento.

Em relação à segunda dose, foram imunizados no estado: 172.673 trabalhadores de saúde, 24.633 povos indígenas aldeados, 22 em comunidades quilombolas, 4.511 idosos institucionalizados, 4.675 idosos de 64 a 69 anos, 80.713 idosos de 70 a 79 anos, 28.936 idosos de 80 a 84 anos, 6.040 idosos a partir de 85 anos, além de 752 pessoas com deficiência institucionalizadas.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Motoristas e cobradores de ônibus fazem paralisação em protesto por vacina contra a Covid, no Centro do Recife

Por volta das 7h, veículos foram estacionados na Avenida Conde da Boa Vista, Ponte Duarte Coelho, entre outras vias. O trânsito foi liberado logo após as 8h. Trabalhadores pediram prioridade na imunização.

Por G1 PE

Rodoviários pediram prioridade na vacinação contra a Covid-19 no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Rodoviários pediram prioridade na vacinação contra a Covid-19 no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Motoristas e cobradores de ônibus do Grande Recife paralisaram as atividades na manhã desta terça-feira (13), na Avenida Conde da Boa Vista, no Centro da capital pernambucana. O ato pediu a antecipação da vacinação da categoria contra a Covid-19. Por volta das 7h, eles estacionaram os coletivos na via, que é um dos principais corredores viários da região. Ato foi finalizado às 8h.

Os rodoviários fecharam a avenida no sentido Bairro do Recife. Eles interromperam o fluxo das duas faixas desde o início da via, na esquina com a Rua da Aurora. Alguns trabalhadores ficaram no cruzamento entre as duas vias com cartazes com a frase “Vacina já”. Um carro de som também foi levado para o local.

De acordo com a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), o protesto também afetou a Rua do Sol, a Avenida Guararapes e a Ponte Duarte Coelho, onde os ônibus também foram estacionados. Com isso, os coletivos não estavam circulando nessas áreas.

Rodoviários paralisaram atividades pedindo vacina contra a Covid-19 no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Rodoviários paralisaram atividades pedindo vacina contra a Covid-19 no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

A vacinação dos trabalhadores do transporte coletivo, de acordo com o plano de operacionalização da vacinação em Pernambuco, está prevista para a quarta etapa da campanha, depois dos idosos, trabalhadores de saúde, indígenas, deficientes, professores, policiais e pessoas com doenças crônicas.

Há, nessa categoria, cerca de 22.912 profissionais. De acordo com o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco, Aldo Lima, o protesto não foi organizado pela entidade que representa os trabalhadores.

“Estamos de acordo com a exigência e estamos fazendo manifestações nesse sentido, para que a categoria seja vacinada. Tivemos mais de 30 mortes de profissionais e sabemos que desempenhamos um trabalho essencial. É obrigação do estado garantir a vacinação e, por isso, estamos em contato com o poder público fazendo essa cobrança”, afirmou Lima.

O Grande Recife Consórcio, que gerencia o transporte coletivo na região, afirmou que “foi surpreendido” pelo protesto e que “o que se sabe até o momento, extraoficialmente, é que a ação foi organizada por um grupo de oposição ao sindicato da categoria”.

O Consórcio informou que, os ônibus que vinham do Corredor Leste/Oeste em direção ao Centro do Recife foram desviados a partir da Praça do Derby. Os que saíram do Corredor Norte/Sul foram desviados na Avenida Cruz Cabugá, na altura do Shopping Tacaruna, no bairro de Santo Amaro.

O órgão disse, também, que os coletivos que em direção ao Terminal de Santa Rita não sofreram alteração.

G1 também entrou em contato com a Secretaria Estadual de Saúde e foi informado que os trabalhadores “serão contemplados de acordo com a disponibilidade de doses da vacina, que estão sendo adquiridas e encaminhadas aos estados pelo Ministério da Saúde (MS)”.

A secretaria afirmou, ainda, que “tem pactuado com os municípios pernambucanos, na Comissão Intergestores Bipartite (CIB), o público prioritário da vacinação contra a Covid-19 neste primeiro momento da campanha” e que, com isso, “estão sendo contemplados trabalhadores de saúde, população indígena, idosos, idosos em instituições de longa permanência, pessoas com deficiência institucionalizada, povos quilombolas e forças de segurança e salvamento”.

“Com o envio de mais doses pelo Ministério da Saúde, será dado seguimento ao plano”, disse a SES. Por fim, a secretaria também disse que “tem feito todas as ações que lhe cabe para acelerar o processo”.

Vacinação

Até a segunda-feira (12), Pernambuco aplicou 1.409.013 doses da vacina contra a Covid- 19, das quais 1.086.058 foram primeiras doses e 322.955 foram segundas doses.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Água invade casas e alaga ruas em quarto dia de chuvas fortes e transtornos no Grande Recife

Na capital, entre a sexta (9) e a madrugada desta segunda (12), choveu o equivalente a 89% do previsto para abril. Em Olinda, moradores de Jardim Fragoso ficaram sem ter como sair de casa.

Por G1 PE

Ciclista passa com água quase na cintura em avenida alagada no Recife

Após um final de semana de transtornos devido às chuvas, a segunda-feira (12) começou com alagamentos e mais problemas no Grande Recife. Em Olinda, houve moradores sem ter como sair de casa no começo da manhã e, na capital pernambucana, ruas e avenidas ficaram tomadas pela água, que também invadiu residências.

Uma câmera de monitoramento localizada no bairro do Ibura, na Zona Sul da capital pernambucana, mostrou um homem em uma bicicleta passando pelo trecho alagado da Avenida Dois Rios com água na altura da cintura..

A Defesa Civil do Recife informou que, desde a sexta-feira (9), foram registrados 292 milímetros de chuva, o que corresponde a 89% do previsto para todo o mês de abril, que tem média histórica de 326,3 milímetros.

No bairro da Cohab, vizinho ao Ibura, no final de semana, um homem desapareceu levado pela água. Por volta das 10h, os Bombeiros informaram que tinham retomado às buscas com auxílio de cães farejadores.

Caminhão teve problemas no meio da Avenida Recife, na Zona Sul do Recife, e não conseguiu sair de dentro da água — Foto: Reprodução/TV Globo

Caminhão teve problemas no meio da Avenida Recife, na Zona Sul do Recife, e não conseguiu sair de dentro da água — Foto: Reprodução/TV Globo

Na Avenida Recife, que corta as zonas Oeste e Sul, a água impediu a circulação de veículos próximo à entrada do Ibura. Uma equipe da TV Globo mostrou um caminhão que parou dentro d’água e não conseguiu sair do local.

Ainda na Zona Sul, moradores estavam com água na altura do joelho e reclamaram da falta de drenagem da Rua Hélio Brandão, no bairro do Ipsep.

O Túnel Felipe Camarão, no bairro do Jordão, na mesma área da cidade, também teve alagamento. O local é alvo constante de reclamações por problemas de infraestrutura.

De acordo com a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), a Central de Operações de Trânsito registrou pontos de alagamentos, por volta das 10h desta segunda, nas avenidas Dois Rios, no Ibura; Avenida Sul, sob o Viaduto Capitão Temudo; Avenida Recife, na altura da entrada e saída do bairro do Ibura, na mesma área; e Avenida Doutor José Rufino, na altura do Colégio Visão, na Zona Oeste.

O prefeito do Recife, João Campos (PSB), disse que o sistema de drenagem do Recife não foi projetado para suportar fortes quantidades de chuva, como ocorreu nos últimos quatro dias, que, segundo ele, foram um “fenômeno anormal”.

João Campos (PSB) afirmou que chuvas do fim de semana foram 'fenômeno anormal' — Foto: Reprodução/TV Globo

João Campos (PSB) afirmou que chuvas do fim de semana foram ‘fenômeno anormal’ — Foto: Reprodução/TV Globo

Ele disse, ainda, que há um projeto para dragagem do Rio Tejipió, que anualmente transborda e deixa moradores ilhados nas zonas Sul e Oeste do Recife, mas afirmou que ação é muito cara, pois custa R$ 100 milhões. Segundo ele, daria para construir 50 escolas na cidade com esse valor.

“O Rio Tejipió, que a gente sabe que é uma parte que tem um dano considerável, pega os bairros da Imbiribeira, Ipsep, Caçote, Areias, a Avenida Recife e Mascarenhas de Morais, é um rio que tem um projeto para fazer a dragagem, que custa R$ 100 milhões, e é a única forma de fazer uma mitigação efetiva. É um projeto muito robusto, que a gente está atualizando, e podemos colocá-lo numa linha de financiamento que a gente está desenhando”, declarou.

Na sexta-feira (9), a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) emitiu um alerta sobre chuvas com intensidades moderadas a fortes no Grande Recife e na Zona da Mata. No sábado (10) e no domingo (11), esse alerta foi prorrogado por mais 24 horas.

Na esquina da Avenida Visconde de Jequitinhonha com a Rua Professor Mário de Castro, em Boa Viagem, na Zona Sul, uma árvore caiu sobre a fiação de energia elétrica e bloqueou a passagem de veículos pela via local da avenida no começo desta segunda (12).

Entre pedidos de vistorias e colocação de lonas, 326 chamados até a madrugada desta segunda, segundo a Defesa Civil da capital. As equipes seguem de prontidão para atender aos chamados, que devem ser feitos pelo telefone 0800.081.3400. A ligação é gratuita e o atendimento acontece 24 horas por dia.

Olinda

No bairro de Jardim Atlântico, em Olinda, moradores contaram que ficaram ilhados em edifícios e casas localizadas próximo ao Canal do Fragoso durante a madrugada. A água tinha baixado durante a manhã, mas ainda entrava em imóveis e dificultava a circulação das pessoas e veículos.

Utilizando um megafone para se comunicar com a equipe da TV Globo, um morador que se identificou como André contou que o elevador do prédio estava sem funcionar, pois havia sido danificado pela água que invadiu o edifício.

Outro morador do mesmo local reclamou sobre a lentidão nas obras para alargamento do Canal do Fragoso, e contou que, toda vez que chove mais forte, a água sobe e eles enfrentam dificuldades.

As obras do canal do Canal do Fragoso começaram em 2013. A data de conclusão da obra já foi modificada diversas vezes e agora é prevista para 2022.

Segundo a prefeitura de Olinda, no final de semana, a Defesa Civil registrou 100 ocorrências, sendo 24 no sábado e 76 no domingo.

Foram registrados deslizamentos de barreiras nos bairros do Alto do Sol Nascente, Alto da Bondade, Águas Compridas e Sapucaia, com ações de vistoria e limpeza em 15 residências e duas pessoas levemente feridas – no entanto, a prefeitura não tinha informações sobre em que localidade ocorreu o incidente com feridos.

Em Olinda, a população pode entrar em contato com a Defesa Civil pelo 0800.281.2112. A ligação é gratuita.

Estradas

BR-408 registrou queda de vegetação no quilômetros 102, na altura do município de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife — Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação

BR-408 registrou queda de vegetação no quilômetros 102, na altura do município de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife — Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que uma queda de vegetação foi registrada no quilômetro 42 da BR-408, na altura do município de Jaboatão dos Guararapes, no sentido interior do estado. Uma das faixas da rodovia ficou interditada, mas carros passavam pelo local.

No quilômetro 10 da BR-232, no Recife, uma queda de barreira também foi registrada, mas não afetou a passagem dos veículos. Por volta das 7h30, não havia registro de alagamentos nas rodovias, segundo a PRF.

Metrô

Passageiros aglomerados a espera de ônbius no Terminal Integrado Camaragibe, no Grande Recife, na manhã desta segunda-feira (12) — Foto: Reprodução/WhatsApp

Passageiros aglomerados a espera de ônbius no Terminal Integrado Camaragibe, no Grande Recife, na manhã desta segunda-feira (12) — Foto: Reprodução/WhatsApp

O Metrô do Recife também registrou problemas devido à chuva. Na manhã desta segunda, o Ramal Camaragibe da Linha Centro não funcionou após uma árvore cair perto da Estação Curado, na Zona Oeste do Recife, e atingir a fiação. Pelo WhatsApp, telespectadores enviaram imagens da situação do Terminal Integrado de Camaragibe.

De acordo com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), o Ramal Camaragibe passa pelas estações Camaragibe, Rodoviárias, Curado e Alto do Céu, que ficaram fechadas.

Defesa Civil

As Defesas Civis dos municípios do Grande Recife seguem de prontidão para atender aos chamados. O atendimento acontece 24 horas por dia. Os números disponibilizados por município são:

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.