Concurso do Core-PE com salários de até R$ 5,1 mil tem 8 vagas imediatas e cadastro de reserva

Por G1 PE

Estão abertas as inscrições para um concurso público do Conselho Regional dos Representantes Comerciais de Pernambuco (Core-PE). São ofertadas oito vagas para contrato imediato de níveis médio e superior, além de 30 oportunidades de cadastro reserva. Os salários são de até R$ 5,1 mil. Há vagas para Recife e Caruaru, no Agreste.

As inscrições devem ser feitas exclusivamente online, através do site Inaz do Pará Concursos até o dia 24 de dezembro. A taxa de inscrição é de R$ 15 para os cargos de nível médio e R$ 16 para os de nível superior.

Entre as vagas de nível médio, há cinco para auxiliar administrativo, sendo quatro em Recife e uma em Caruaru, além de mais uma vaga para o cargo de fiscal, no Recife. Já para os concorrentes de nível superior, há uma vaga para assistente jurídico e uma para contador, ambas no Recife.

Os salários são de R$ 1.879,12 para os cargos de nível médio e de R$ 5.100,47 para os cargos de nível superior. A seleção é feita por meio uma prova escrita objetiva, aplicada para todos os cargos. Para os de nível superior também é realizada uma redação no mesmo dia e uma prova de títulos.

Nas provas objetivas para cargos de nível médio são cobradas questões de língua portuguesa, raciocínio lógico, informática e conhecimentos específicos. Já para os de nível superior, são cobradas questões de língua portuguesa, informática e conhecimentos específicos.

O certame conta com uma Central de Atendimento, que pode ser contactada através do e-mail [email protected] ou dos telefones (91) 3347.8376 e (91) 3347.5205. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 8h às 12h e das 14h às 18h – considerando o horário de Belém (PA).

Outras informações estão disponíveis no edital do concurso.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Três pessoas morrem e 20 ficam feridas após colisão entre ônibus, carro e caminhão em Gravatá; uma das vítimas estava grávida

Por G1 Caruaru

Colisão entre ônibus, caminhão e carro deixou três mortos e 20 feridos na BR-232, em Gravatá — Foto: PRF/Divulgação

Colisão entre ônibus, caminhão e carro deixou três mortos e 20 feridos na BR-232, em Gravatá — Foto: PRF/Divulgação

Três pessoas morreram na noite da segunda-feira (10) após um acidente de trânsito na BR-232, em Gravatá, Agreste de Pernambuco, em um trecho conhecido como Serra das Russas. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), um ônibus, um carro e um caminhão colidiram no sentido Caruaru-Recife. As três vítimas estavam no ônibus.

Ainda segundo a PRF, o ônibus transportava mais de 50 compradores compradores que vinham de Caruaru e Santa Cruz do Capibaribe, e iam para Olinda. O veículo apresentou problemas no freio e bateu em um carro. Em seguida, colidiu contra um caminhão de carga.

Acidente envolvendo ônibus, carro e caminhonete deixa três mortos e 11 feridos
Bom Dia PE
Acidente envolvendo ônibus, carro e caminhonete deixa três mortos e cerca de 20 feridos

Acidente envolvendo ônibus, carro e caminhonete deixa três mortos e cerca de 20 feridos

O motorista e duas passageiras, sendo uma grávida, morreram no local, conforme informou a PRF. Os passageiros informaram que após a colisão, o ônibus seguiu para uma ribanceira de quase 300 metros de altura, mas o motorista puxou o veículo para o acostamento da rodovia.

A PRF também informou que cerca de 20 passageiros ficaram feridos e foram levados para hospitais das cidades vizinhas. O estado de saúde deles não foi informado. O motorista do caminhão que se envolveu no acidente fugiu do local com o veículo.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Rescisão contratual atinge 1,2 mil trabalhadores de obra da Refinaria Abreu e Lima

Por G1 PE

Trabalhadores que atuam em uma obra na Refinaria Abreu e Lima (RNEST), no Grande Recife, estão sem trabalhar por causa da rescisão contratual entre a empresa Qualiman e a Petrobras. Segundo o sindicato, 1,2 mil empregados foram atingidos com o fim do contrato. A categoria, que realiza assembleia nesta terça (11), cobra informações sobre pagamento de 13º salário e férias.

Contratada para concluir as obras da Unidade de Abatimento de Emissões (SNOX) da refinaria, a empresa disse à Petrobras que a rescisão seria válida a partir da segunda (10). Segundo a estatal, a Qualiman informou que a decisão foi tomada devido a dificuldades financeiras para prosseguir com os trabalhos.

Funcionários que trabalhavam na SNOX alegam ter sido surpreendidos com a rescisão contratual, anunciada no domingo (9).

“Fizeram uma covardia com os trabalhadores, inclusive comigo. O contrato foi rescindido na calada da noite e ontem a gente foi mandado embora, sem saber se a empresa vai pagar o que deve, e a gente está a ver navios”, diz um ex-empregado que preferiu não ser identificado.

G1 entrou em contato com a Qualiman para questionar se os trabalhadoresque ficaram sem contratos receberão o 13º salário e aguarda retorno.

A Petrobras informou, em nota, ter cumprido “todos os requisitos e obrigações contratuais” com a empresa. A companhia também disse estar tomando “as medidas cabíveis e avaliando alternativas para a retomada das obras”.

Diante da incerteza do pagamento aos funcionários, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem em Geral no Estado de Pernambuco (Sintepav-PE) se reúne, nesta terça (11), para avaliar o que pode ser feito.

“Enviaram um comunicado dizendo que não era para ir mais para a obra. Os trabalhadores estão com carteira de trabalho e pertences pessoais na refinaria e precisam entrar. Eles também têm que receber”, afirma o diretor do Sintepav-PE, Rogério Leite.

Impasses trabalhistas anteriores

Em 2014, trabalhadores da empresa Alumini Engenharia, que também atuavam na Refinaria Abreu e Lima, realizaram vários protestos no Grande Recife devido a salários e benefícios atrasados. As manifestações ocorreram em ruas e em frente a empresariais com escritórios da estatal.

Em novembro do mesmo ano, a Justiça do Trabalho de Pernambuco determinou o bloqueio de ativos financeiros da Petrobras no valor de R$ 126,6 milhões. A decisão da juíza Josimar Mendes, titular da 1ª Vara do Trabalho de Ipojuca, teve o objetivo de garantir o pagamento das dívidas trabalhistas de mais de 4 mil trabalhadores envolvidos na construção da Refinaria Abreu e Lima.

No fim do mesmo mês, uma liminar revogou a ordem de bloqueio de ativos financeiros da Petrobras no valor de até R$ 126.667.733,89. A decisão monocrática foi do juiz Hélio Galvão, que atendeu a um pedido da petrolífera.

No início de dezembro de 2014, a Justiça determinou que a Petrobras depositasse em juízo valores devidos em contratos firmados com a empresa Alumini.

A decisão da magistrada Josimar Mendes foi tomada depois que a Petrobras entrou com petição informando, espontaneamente, que havia identificado valores devidos à empresa.

Após um acordo, o Sintepav e a terceirizada definiram que os funcionários prestaram serviço na obra da Refinaria Abreu e Lima, em Suape, Litoral Sul de Pernambuco, receberiam os salários no dia 19 de dezembro de 2014.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Dois suspeitos de tráfico são presos com drogas, metralhadora e máscara de palhaço em Ipojuca

Por G1 PE

Drogas e armas foram apreendidos em Ipojuca, no Grande Recife — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Drogas e armas foram apreendidos em Ipojuca, no Grande Recife — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Dois homens suspeitos de tráfico de drogas foram presos na comunidade de Salinas, em Porto de Galinhas, em Ipojuca, no Grande Recife, nesta segunda (10). Com eles, a Polícia Militar apreendeu drogas, armas, uma máscara de palhaço e cadernetas de anotações com detalhes sobre os crimes praticados na região.

A operação foi realizada pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar. Segundo a corporação, um dos homens seria o gerente de um ponto de tráfico de drogas na área.

Com a dupla, foram apreendidos um revólver calibre 32, uma metralhadora calibre 9 mm, algumas porções de maconha, um tablete da mesma droga, com cerca de um quilo, e 40 pedras pequenas e três maiores de crack.

Os homens presos e o material apreendido foram encaminhados para a Delegacia de Ipojuca, de acordo com a Polícia Militar.

Metralhadora foi apreendida com dupla preso em Ipojuca, no Grande Recife — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Metralhadora foi apreendida com dupla preso em Ipojuca, no Grande Recife — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pais de Beatriz vão solicitar ao MP acesso total ao inquérito sobre o assassinato da menina. Caso completa três anos

Há três anos, Sandro Romildo Ferreira da Silva e Lúcia Mota buscam explicações para o assassinato da filha do casal, de apenas sete anos de idade. No dia 10 de dezembro de 2015, Beatriz Angélica Mota Ferreira da Silva foi encontrada morta dentro de um colégio particular de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, com 42 facadas. A família participava da festa de formatura da irmã da menina. O crime continua sem solução. Os pais vão solicitar ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) acesso total e irrestrito ao inquérito do caso.

“Há um ano nós solicitamos a delegada anterior o pedido e ela nos negou. Vamos realizar outro pedido. Nós acreditamos que a delegada atual, doutora Poliana Nery, e o Ministério Público vão deferir nosso pedido. É um direito nosso. Já estamos há quase três anos investigando de maneira informal, ajudando de qualquer forma a polícia a apurar qualquer informação. Eu acredito mais ainda, se a gente tiver o inquérito na mão vamos nos dedicar de forma técnica e oficial. Vamos poder apresentar um profissional para contribuir junto ao inquérito e posteriormente no processo”, explica Lúcia Mota.

Segundo a mãe de Beatriz, ter acesso ao inquérito e poder ajudar nas investigações sobre a morte da filha será muito importante para a família. “Eu quero participar, nós queremos participar de todas as etapas porque Beatriz merece um inquérito justo. Beatriz merece um processo justo. E eu como mãe, Sandro como pai, nós podemos garantir isso a Beatriz. Essa justiça que está sendo negada a Beatriz até hoje, por parte do judiciário, por parte do estado de Pernambuco. Nós vamos garantir isso a Beatriz porque ela merece”.

Na próxima quarta-feira (12), os pais de Beatriz vão participar de uma manifestação em frente ao Tribunal de Justiça, em Recife. A intenção, segundo Lúcia, é cobrar um posicionamento do judiciário em relação ao homem suspeito de apagar imagens das câmeras de segurança do colégio particular onde a menina foi encontrada. Em julho, o casal lamentou o fato do pedido de prisão preventiva do homem que, segundo eles, era funcionário do colégio, ter sido negado pela justiça.

“Nós vamos participar firmes, fortes. Seremos uma voz muito gritante no dia 12. Não vamos desistir de Beatriz. Vamos cobrar das autoridades todos os dias por uma resposta. Queremos o caso solucionado”, diz Lúcia.

Transferência do corpo para Petrolina

Beatriz Angélica foi sepultada em um cemitério da família, em Juazeiro, no interior da Bahia. De acordo com Sandro Romildo, os restos mortais da menina serão transferidos para Petrolina. “Beatriz vai ter um relicário, uma homenagem que ela realmente merece”, disse Sandro, destacando que a transferência do corpo vai servir também para realizar perícias que possam ajudar na elucidação do caso.

“Vamos aproveitar a oportunidade para fazer uma exumação. Já fizemos o pedido a Polícia Civil. Outras perícias serão feitas, coleta de material genético. O exame toxicológico é bem representativo. A gente não sabe qual foi o tipo de abordagem que aquele monstro usou com ela”.

A mãe de Beatriz falou sobre a saudade da filha e o desejo de ver o caso solucionado.

“São três anos de muita saudade de Beatriz. Saudade de todos os momentos em casa. Do cheirinho dela, do toque, da voz de Beatriz. Hoje a gente consegue sentar em casa e falar de Beatriz sem ser de uma forma que antes nos rasgava por dentro. O amor por Beatriz nos fortalece, nos une cada vez mais. Nós temos hoje a certeza de que tudo isso será solucionado, que todos os culpados serão punidos por essa crueldade que fizeram com Beatriz e mais ainda, essa covardia que está sendo praticada com Beatriz no que se refere ao direito de um inquérito justo, de um processo justo”, afirma Lúcia, deixando um recado para todas as pessoas que esperam que o caso da morte de Beatriz seja solucionado.

“Nós, como pais, podemos reafirmar isso para o Vale do São Francisco: não vamos parar de lutar por justiça por Beatriz. Custe o que custar, doa em quem doer, nós vamos até o fim”.

A Polícia Civil e o Colégio onde Beatriz foi encontrada morta falaram sobre o caso através de notas. O G1 também entrou em contato com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) e com o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), mas, até a publicação da matéria não teve retorno. Confira as notas abaixo.

Polícia Civil

“A delegada Polyana Neri está exclusivamente na investigação do caso, com uma equipe de quatro policiais à disposição e estrutura necessária, além do apoio do Ministério Público e da Diretoria de Inteligência da PCPE. Durante o último ano foram escutadas 50 pessoas, que ainda não haviam sido ouvidas, e outras 30 testemunhas foram reinquiridas. Um pedido de prisão preventiva e um mandado de busca e apreensão foram solicitados à Justiça relativos a uma pessoa suspeita de ter atrapalhado o andamento das investigações. O pedido de prisão foi negado pela Justiça, porém o mandado de busca e apreensão foi cumprido. Aparelhos celulares, computadores, pen-drives e HDs foram recolhidos e perícias estão sendo realizadas pelo Ministério Público de Pernambuco. Parte do material também se encontra no Instituto de Criminalística sendo analisado. O inquérito que hoje conta com 19 volumes e mais de 4 mil páginas está atualmente no MPPE e a família da vítima terá acesso a todo material. A polícia trabalha incansavelmente na apuração do caso que é de extrema complexidade para responder a família e a toda sociedade pernambucana, apontando o autor dessa morte que tanto chocou a todos. Por fim, a PCPE reafirma sua confiança na elucidação do caso”.

Colégio

“Como já nos posicionamos em outras oportunidades, não houve manipulação de imagens pelo colégio. Não há comprovações das acusações de que houve, por parte de funcionários, a exclusão de imagens do circuito interno de câmeras da Instituição. Até o momento, o que se tem são especulações a este respeito, sem comprovações ou evidências expostas pelas autoridades policiais. As gravações foram entregues de forma completa e em originais à autoridade policial e uma eventual falta de imagens pode ter decorrido da tentativa de edição/melhoramento das mesmas, quando estas imagens encontravam-se acauteladas pela polícia. A unidade escolar disponibilizou para a Polícia Civil 3 (três) HDs com o conteúdo integral das imagens captadas pelos equipamentos.

Vale ressaltar também que as imagens, ora perdidas durante o processo, foram resgatadas com o custeio do Colégio Auxiliadora e entregues as autoridades que conduzem as investigações do Caso Beatriz. O CNSA reitera seus esforços para contribuir com a elucidação do crime”.

O Caso

Beatriz Angélica Mota — Foto: Arquivo pessoal

Beatriz Angélica Mota — Foto: Arquivo pessoal

Beatriz Angélica foi assassinada com 42 facadas dentro de um dos mais tradicionais colégios particulares de Petrolina. O crime ocorreu dentro da quadra onde acontecia a solenidade de formatura das turmas do terceiro ano da escola. A irmã da menina era uma das formandas. A última imagem que a polícia tem de Beatriz foi registrada às 21h59 do dia 10 de dezembro de 2015, quando ela se afasta da mãe e vai até o bebedouro do colégio, localizado na parte inferior da quadra. Minutos depois, o corpo da criança foi encontrado atrás de um armário, dentro de uma sala de material esportivo que estava desativada após um incêndio provocado por ex-alunos do colégio.

Em fevereiro de 2016 a Polícia divulgou um retrato falado do suspeito de matar a menina. Em março de 2017 a polícia divulgou um vídeo com imagens detalhadas do suspeito de cometer o crime. Até o momento, quatro delegados ficaram à frente das investigações do assassinato de Beatriz.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Acusados por morte de médico Artur Eugênio vão a júri popular no Grande Recife

Por G1 PE

Dois homens acusados pela morte do cirurgião Artur Eugênio de Azevedo, encontrado morto numa rodovia em maio de 2014, vão a julgamento nesta segunda (10), em Jaboatão dos Gaurarapes, no Grande Recife. Outras duas pessoas já haviam ido a júri popular em setembro de 2016.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), o júri tem previsão de durar cinco dias. Durante o período, o réu Cláudio Amaro Gomes vai ser julgado por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Já o réu Jailson Duarte César responde por homicídio duplamente qualificado em concurso material com o crime de dano qualificado.

Ao longo das sessões, a previsão é que, após a escolha de sete jurados entre 25 convocados, sejam ouvidas as testemunhas de acusação e defesa. Após a ouvida das testemunhas, será feito o interrogatório dos réus, com possível exibição de mídias contendo provas.

Em seguida, acusação e defesa devem apresentar os argumentos, com duas horas e meia para cada um dos lados. A réplica e a tréplica dão duas horas a mais para os advogados. Por fim, os jurados devem ser isolados numa sala para que seja tomada a decisão de absolvição ou condenação dos réus.

No início do julgamento, acusação pediu que fosse anexado um manifesto assinado por 1.037 médicos em apoio a Artur Eugênio e pedindo justiça.

Entenda o caso

Artur Eugênio de Azevedo tinha 35 anos quando foi assassinado em 12 de maio de 2014, no bairro de Comportas, em Jaboatão dos Guararapes. O médico era paraibano e atuava no Hospital de Câncer de Pernambuco, Hospital das Clínicas, Imip e Português. Ele era formado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e tinha família em Campina Grande, cidade em que foi sepultado.

A polícia concluiu que o mandante do crime foi um colega de trabalho, o cirurgião Cláudio Gomes, que contou com a ajuda do filho, Cláudio Amaro Gomes Júnior, para executar o plano. Em entrevista à TV Globoem junho de 2014, a viúva de Artur, Carla Azevedo, classificou o crime como bárbaro.

De acordo com a denúncia do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), recebida pelo TJPE, o crime teria sido motivado por desentendimentos profissionais entre Cláudio Amaro Gomes e Artur. Cláudio Júnior, por sua vez, teria chamado Jailson Duarte César para contratar os homens que cometeriam o assassinato: Lyferson Barbosa da Silva e Flávio Braz de Souza.

Jailson e Lyferson também responderão por homicídio duplamente qualificado, além do crime de dano qualificado. Flávio foi morto em uma troca de tiros com a Polícia Militar, em fevereiro de 2015. Cláudio, Cláudio Júnior, Jailson e Lyferson estão presos.

A juíza Inês Maria de Albuquerque Alves decidiu pela realização do júri popular, em agosto de 2015. A decisão foi tomada a partir dos laudos periciais e das audiências de instrução e julgamento, realizadas entre 14 de outubro de 2014 e 10 de junho de 2015. Ao todo, foram ouvidas cerca de 60 testemunhas, além dos quatro réus.

Durante os julgamentos, o Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) cassou o diploma de Cláudio Amaro Gomes.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Caminhão com cavalos tomba na BR-101 e interdita via local no Recife

Por G1 PE

Caminhão que transportava cavalos tomba na BR-101, no Recife — Foto: PRF/Divulgação

Caminhão que transportava cavalos tomba na BR-101, no Recife — Foto: PRF/Divulgação

Um caminhão que transportava cavalos tombou na altura do quilômetro 61 da BR-101, na Guabiraba, na Zona Norte do Recife, na manhã desta segunda-feira (10). A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que a via local, no sentido Paulista-Recife, ficou interditada, mas já foi liberada.

O caminhão levava três animais, que tiveram ferimentos leves, segundo a PRF. O motorista também se feriu levemente, foi atendido no local e liberado. Ele relatou aos policiais que um carro de passeio vinha a frente dele e freou de vez. Ao tentar desviar para não bater, ele perdeu o controle do veículo e tombou.

O acidente aconteceu por volta das 7h30 (horário local). Por volta das 10h (horário local), o trânsito era complicado na rodovia. Uma equipe da PRF acompanhava a ocorrência e retirada do veículo, que aconteceu por volta das 10h40.

Caminhão tombou na via local da BR-101, na altura da Guabiraba, Zona Norte do Recife, nesta segunda-feira (10) — Foto: PRF/Divulgação

Caminhão tombou na via local da BR-101, na altura da Guabiraba, Zona Norte do Recife, nesta segunda-feira (10) — Foto: PRF/Divulgação

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Lei proíbe uso de animais para testes de produtos em PE e prevê multas de até R$ 100 mil

Por G1 PE

Uma lei que proíbe a utilização de animais para testes de cosméticos, perfumes e outros materiais de higiene pessoal e de limpeza foi sancionada pelo Governo de Pernambuco. Descumprimentos podem render multa de até R$ 100 mil, além de suspensão temporária da atividade da empresa, cassação da licença do estabelecimento e apreensão dos produtos e animais utilizados.

A medida, que altera o Código Estadual de Proteção aos Animais do estado, foi publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (7) e entra em vigor em 90 dias.

A lei estipula que os valores arrecadados através das multas devem ser utilizados para custear ações e campanhas de conscientização da população sobre a guarda responsável e os direitos dos animais. Instituições, abrigos sanitários e programas estaduais de proteção, bem-estar e castração dos animais também devem ser beneficiados.

A notícia foi bem recebida pelos órgãos de proteção dos animais, como a Associação dos Protetores de Animais de Pernambuco (Apape) que luta pelos direitos dos bichos e resgata animais de rua, promovendo adoção através de uma rede de voluntários.

A Apape vem participando de debates com o poder público sobre o assunto e lançando campanhas de boicote a empresas que utilizam animais para testes. “Estamos em um mundo em que a tecnologia já está bem avançada e ela deveria ser utilizada para substituir essas formas de testes de produtos”, afirma a secretária executiva da associação, Mônica Almeida.

A representante da Apape acredita, ainda, que a punição pelo descumprimento da lei foi bem definida. O valor varia de R$ 1 mil a R$ 100 mil, a depender da gravidade da infração. Em casos de reincidência, a multa pode ser aplicada em dobro.

“É muito sofrimento para os animais passarem por esses testes, que são sempre feitos na pele ou nos olhos. Causam feridas, machucados e muitas vezes necrose. Até que, finalmente, a empresa encontre o seu produto ideal. Por isso essa lei é uma vitória. É um degrau que estamos subindo em uma longa escala pela causa animal”, aponta.

Outras mudanças

Apesar de comemorar a lei, a Apape afirma que ainda existem outros direitos dos animais que precisam ser atendidos pelo poder público. Um deles é a proteção e o cuidado com os animais de rua. “Hoje os protetores estão fazendo o serviço que é do poder público. Tem protetor que cuida de mais de 100 animais. Isso é dever do governo”, afirma a secretária-executiva da Apape.

Uma das ações necessárias para proteção dos animais de rua, segundo Mônica Almeida, é a aplicação das vacinas AV-8 e AV-10 para animais de rua. “Eles já vacinam contra raiva, mas ainda não fazem contra várias doenças. A AV-8 e AV-10 são vacinas que protegem contra dois conjuntos de oito e 10 doenças, entre elas sinomose, hepatite e leptospirose”, destaca Mônica.

Outra lei que a Apape luta para que seja aprovada é a proibição de carroças de tração animal. O grupo, no entanto, aponta que essa é uma medida que deve ser realizada progressivamente e com um programa maior, que envolve oportunidade e assistência aos carroceiros.

“Tem carroceiro que viveu a vida inteira em cima de uma carroça. A gente não quer tirar o ganha pão da família deles. Mas é preciso uma solução que ajude os dois lados. É preciso talvez um programa de profissionalização que os ajude a conseguir outras profissões ou incentivar a devolução expontânea do animal pelo dono, com a oferta de uma carroça com bicicleta e cestas básicas para ajudar”, exemplifica a secretária executiva.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Homem é preso por decapitar, esquartejar e queimar corpo de vizinho após convite para fazer sexo

Por G1 PE

Delegada de Aliança, Maria de Lourdes Andrade, está à frente do caso — Foto: Reprodução/Google Street View

Delegada de Aliança, Maria de Lourdes Andrade, está à frente do caso — Foto: Reprodução/Google Street View

Um homem foi preso em flagrante depois de ter assassinado um vizinho com golpes de enxada e facão, na Zona rural de Aliança, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. Segundo a polícia, ele confessou o crime e detalhou como esquartejou, decapitou e queimou partes do corpo.

“O autor do crime disse que matou porque a vítima queria manter relações sexuais com ele”, afirmou a delegada de Aliança, Maria de Lourdes Andrade. Quando foi preso, o homem ainda estava sujo de sangue, de acordo com a policial.

O assassinato ocorreu no fim da noite de quarta-feira (5), em Vila Lindaura, na localidade de Chã do Esconso. A prisão aconteceu horas depois, na manhã de quinta (6), na casa de Ítalo Araújo dos Santos, o homem que confessou o crime.

“Na delegacia, ele contou com detalhes como foi o assassinato, ocorrido durante uma bebedeira, na frente da casa da vítima. Em 18 anos de polícia, nunca vi um caso assim”, declarou a delegada.

Maria de Lourdes contou que tudo começou quando Ítalo bebia cachaça com Rafael Leopoldino da Silva, de idade não informada. “O rapaz disse que a vítima começou a fazer gracinhas e disse que queria fazer sexo com ele. Então ele disse que ‘era homem’ e pegou a enxada e o facão”, relatou a policial.

A delegada disse, ainda, que no primeiro momento Ítalo atingiu Rafael com o instrumento usado na agricultura e cortou a cabeça do vizinho. Depois, pegou o facão e retirou os braços e os pés. Em seguida, juntou mato e botou fogo nas partes do corpo.

Na sequência, relatou a delegada, o autor confesso do crime colocou a cabeça de Rafael em um saco e levou até a casa de outro vizinho. Ele bateu na porta e acordou o homem.

“Quando a pessoa perguntou o que estava acontecendo, Ítalo mostrou o saco com a cabeça e disse que havia matado o homem. O vizinho mandou ele correr”, declarou a policial.

Pouco antes da prisão, na manhã de quinta, policais militares e civis chegaram à vila onde ocorreu o crime e cnocontraram os restos mortais. “Ainda tinha coisa pegando fogo”, disse a delegada.

Ao fazer rondas na área, os policias chegaram até a casa do vizinho que tinha sido acordado por Ítalo e visto o saco com a cabeça de Rafael. “Essa pessoa contou tudo e a gente foi até a casa do autor do crime. Até a maçaneta da porta estava suja de sangue”, contou Maria de Lourdes.

A delegada informou também que Ítalo comentou que mantinha um relacionamento com uma mulher de 72 anos e que já tinha sido responsável por outros três assassinatos em Camaragibe, no Grande Recife.

Ítalo também teria envolvimento em assaltos e tráfico de drogas no Grande Recife, segundo a polícia. “Ele disse que tinha decidido morar em Aliança para fugir do Grande Recife”, afirmou a delegada.

De acordo com a polícia, Ítalo deveria ser encaminhado na manhã desta sexta (7) para a audiência de custódia, no Fórum de Nazaré da Mata, também na na Zona da Mata Norte.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pesquisador brasileiro preso na Rússia com ayahuasca vai cumprir resto da pena em liberdade condicional

Por G1 PE

O pesquisador brasileiro Eduardo Chianca, condenado a três anos de prisão pela justiça da Rússia por tráfico de drogas em 2016, foi sentenciado a cumprir o restante da pena em regime de liberdade condicional. A decisão foi tomada em audiência na manhã desta sexta (7), na sede da Justiça Federal em Pernambuco (JFPE).

Com a decisão da 36ª Vara Federal, Chianca deve cumprir, até o dia 30 de agosto de 2019, condições restritivas como o comparecimento mensal à Justiça Federal e solicitar autorização para viagens nacionais e internacionais. Também é preciso comunicar mudanças de endereço e voltar para casa até as 22h diariamente.

O paraibano foi preso em 2016 no Aeroporto de Moscou com quatro garrafas contendo Ayahuasca, um chá utilizado em rituais indígenas. A bebida contém uma substância alucinógena considerada ilegal pelas leis russas.

Após a prisão, o réu chegou a cumprir pena em regime fechado na Rússia por dois anos e quatro meses. Nesse período, a família buscou a transferência de Chianca para o Brasil. O presidente Michel Temer também interveio no caso.

Depois de sair de Moscou e fazer uma conexão em Lisboa, em Portugal, o avião em que Chianca estava seguiu para Pernambuco, chegando ao Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre, na Imbiribeira, na Zona Sul da capital, por volta das 21h30 da quinta (6).

Após passar por exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, no Centro do Recife, foi levado para a sede da Polícia Federal, no Bairro do Recife, também na área central da cidade, onde fica sob custódia. Ao chegar no local, ele leu revistas com notícias sobre o país e falou, por telefone, com a esposa.

Entenda o caso

Considerada ilegal pelas leis da Rússia, mas aprovada no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a dimetiltriptamina (DMT) é uma substância com efeitos psicodélicos pertencente ao grupo das triptaminas, semelhante à serotonina. A DMT é o princípio ativo da ayahuasca e utilizada nos rituais do Santo Daime e da Jurema.

O pesquisador partiu para a Europa a convite de cientistas e estudiosos. Após passar pela Rússia, ele ainda faria palestras na Ucrânia, Suíça, Holanda e Espanha, de onde retornaria para o Brasil, no dia 17 de outubro do ano passado.

Família enfrentou burocracia para libertar pesquisador preso na Rússia — Foto: Reprodução/Facebook

Família enfrentou burocracia para libertar pesquisador preso na Rússia — Foto: Reprodução/Facebook

Engenheiro eletrônico, Chianca abandonou uma carreira na área para se dedicar às terapias holísticas. Em 2006, desenvolveu uma técnica que lhe rendeu reconhecimento internacional: a Frequência de Luz, que trabalha os diagnósticos a partir da leitura dos chacras e seu equilíbrio.

No tribunal, antes de ser condenado, o pesquisador disse que não sabia que o chá não poderia ser usado na Rússia. Em setembro deste ano, a Justiça da Rússia autorizou que o paraibano fosse transferido ao Brasil para cumprir o restante da pena.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.