Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Vídeo que registrou queda do avião da Germanwings é achado, dizem jornais

Equipe de resgate segue em busca de destroços e restos mortais nos Alpes Franceses, três dias após a queda do avião da Germanwings que deixou 150 mortos (Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters)

Equipe de resgate segue em busca de destroços e restos mortais nos Alpes Franceses (Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters)

Dois veículos internacionais informaram, na tarde desta terça-feira (31), que tiveram acesso a um vídeo registrado dentro do avião da Germanwings, momentos antes de ele cair nos Alpes franceses. A revista “Paris Match”, da França, e o jornal “Bild”, da Alemanha, não divulgaram as imagens, mas afirmaram que tiveram acesso a elas, e publicaram descrições do que estaria registrado no material.

Segundo os dois veículos, a versão apresentada no vídeo pode ser confirmada com o áudio registrado na caixa-preta, que registra as vozes dentro da cabine dos pilotos. O arquivo do vídeo foi encontrado em um telefone celular resgatado entre os destroços do avião por “uma fonte próxima da investigação”, diz a “Paris Match”.

De acordo com a publicação francesa, que divulgou a informação em francês, espanhol e inglês, a cena é descrita como “caótica”, e nas imagens não é possível identificar as pessoas. “mas os sons dos passageiros gritando tornam perfeitamente claro que eles estão cientes do que estava para acontecer com eles”.

Ainda de acordo com a revista, “é possível ouvir gritos de ‘meu Deus’ em diversas línguas”.

“Batidas metálicas também podem ser ouvidas mais de três vezes, talvez do piloto tentando abrir a cabine com um objeto pesado. Perto do fim, após um forte chacoalhão, mais forte do que os anteriores, os gritos se intensificam. Depois, nada.”

O jornal “Bild” havia publicado no domingo as supostas conversas que estariam gravadas na caixa-preta do avião.

Segundo o tabloide alemão, antes mesmo da decolagem, em Barcelona, na Espanha, o comandante Patrick Sonderheiner disse para o copiloto Andreas Lubitz que não tinha tido tempo de ir ao banheiro. O voo partiu para Düsseldorf, na Alemanha, com 20 minutos de atraso, às 10h01.

Às 10h27, o piloto orienta Andreas a preparar o pouso. Andreas, segundo o jornal, diz: “você pode ir agora”. O piloto responde: “você pode assumir o controle”. O piloto sai da cabine. E ouve-se a porta fechando pela última vez.

Às 10h29, o controle aéreo detecta que o avião começou a descer. O piloto bate na porta e grita: “Pelo amor de Deus, abra a porta”. Ouvem-se os gritos dos passageiros.

Às 10h35 a caixa-preta registra sons de golpes com um objeto metálico na porta, era o piloto tentando arrombar a cabine.

Às 10h36, um alarme dispara um alerta em inglês: “Terrain, pull up”, o solo, levante. Em seguida, ouve-se uma nova batida forte na porta e mais um grito do comandante: “Abra a maldita porta”.

Às 10h38: enquanto o avião desce é possível ouvir a respiração calma de Andreas. Às 10h40: um som que parece ser o da asa direita raspando em uma montanha. Gritos dos passageiros são ouvidos uma vez mais. São os últimos sons registrados.

Copiloto de avião escondeu doença não identificada, segundo promotores alemães (Foto: Getty)
Copiloto de avião escondeu doença não identificada, segundo promotores alemães (Foto: Getty)

O voo da Germanwings caiu na última terça-feira (24), matando as 150 pessoas a bordo. O voo partiu de Barcelona (Espanha) para Düsseldorf (Alemanha) e, segundo os promotores franceses, foi derrubado pelo copiloto Andreas Lubitz “deliberadamente”.

Copiloto teria avisado sobre depressão
A companhia aérea Lufthansax informou nesta terça-feira (31) que o copiloto do avião da Germanwings que caiu nos Alpes franceses há uma semana informou à empresa que, em 2009, havia sofrido um episódio depressivo grave.

A companhia entregou documentos à procuradoria, incluindo e-mails de Andreas Lubitz a seus instrutores de voo. “Nesta correspondência, ele informou à Escola de Treinamento de Voo em 2009… sobre um ‘severo episódio de depressão”, afirma o comunicado.

No entanto, ele teria obtido um atestado médico de aptidão para pilotar, segundo a companhia, que é dona da Germanwings.

A empresa afirma ter enviado “no interesse da elucidação rápida e sem falhas” das circunstâncias da tragédia essas informações, obtidas “após uma investigação interna.”

Desta forma, a Lufthansa forneceu à procuradoria todos documentos referentes ao treinamento de Lubitz, seus “registros médicos” e “correspondência entre o copiloto e a escola de pilotagem”.

É nesta correspondência que o jovem forneceu em 2009 documentos médicos comprovativos de que era capaz de retomar a sua formação, apesar de já ter sofrido um “episódio depressivo grave.”

O presidente da Lufthansa, Carsten Spohr, que deve visitar o local da tragédia nesta quarta-feira, havia dito na semana passada não ter “nenhuma pista” sobre os motivos do copiloto, que teria deliberadamente lançado a aeronave contra os Alpes franceses, matando todas as 150 pessoas a bordo.

Tendências suicidas
Nesta segunda-feira (30), a promotoria de Düsseldorf, na Alemanha, afirmou que Lubitz passou por tratamento para tentar conter tendências suicidas no passado.

“Muitos anos atrás, antes de obter sua licença de piloto, o copiloto passou por um longo período de tratamento psicoterápico, com tendências suicidas visiveis”, disse o escritório da promotoria.

Segundo a promotoria, até agora não há sinais de que ele tinha tendências suicidas atualmente, segundo suas recentes idas ao médico.

Foto divulgada pelo Ministério do Interior da França mostra membros da equipe de investigação trabalhando nos destroços do Airbus A320 da Germanwings nos alpes franceses. O voo 4U9525 ia de Barcelona a Düsseldorf com 150 pessoas a bordo (Foto: F. Pellier/Dicom/Ministério do Inteior da França/Reuters)
Foto divulgada pelo Ministério do Interior da França mostra membros da equipe de investigação trabalhando nos destroços do Airbus A320 da Germanwings nos alpes franceses (Foto: F. Pellier/Dicom/Ministério do Inteior da França/Reuters)

A promotoria também afirmou que não vai entrar no mérito das especulações sobre os motivos do copiloto Andreas Lubitz, que segundo as autoridades teria derrubado deliberadamente o avião da companhia alemão. Segundo o órgão, não há pistas sobre o que teria motivado a ação do copiloto.

Problemas de saúde
Relatos da imprensa internacional apontam problemas enfrentados pelo copiloto que podem ter sido um fator na queda do avião.

Segundo o jornal francês “Le Parisien”, Andreas Lubitz, de 27 anos, sofria de transtorno de ansiedade generalizada (TAG).

Os médicos que o atenderam em 2010 aplicaram injeções de olanzapina, que tem efeito antipsicótico, e recomendaram que Lubitz praticasse esportes para recuperar a autoconfiança.

Lubitz também aparentava ter problemas com o sono, para o qual foi recomendado a usar o antidepressivo agomelatina.

A promotoria de Düsseldorf informou nesta sexta-feira (27) que encontrou documentos médicos “que apontam uma doença e o tratamento médico correspondente” na casa de Lubitz, em Düsseldorf, e na de seus pais, na cidade alemã de Montabaur.

O site do jornal alemão “Die Welt” informou na semana passada que agentes da polícia acharam vários remédios para tratar um grave “transtorno psicossomático” no apartamento em Düsseldorf.

Segundo o jornal americano “The New York Times”, Lubitz também tinha problemas de visão que poderiam ter colocado em risco seu trabalho.

 

 

Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Refugiados se escondem em caminhão-tanque e quase ‘se afogam’ em chocolate

Refugiado sírio conta como tentou escapar de acampamento na França: "Quando saímos, estávamos cobertos de chocolate da cabeça aos pés" (Foto: BBC)
Refugiado sírio conta como tentou escapar de acampamento na França: “Quando saímos, estávamos cobertos de chocolate da cabeça aos pés” (Foto: BBC)

Depois de meses vivendo em um precário acampamento para refugiados na cidade portuária francesa de Calais, um homem sírio fez sua 18ª tentativa de entrar ilegalmente no Reino Unidocomo clandestino num dos muitos caminhões que diariamente fazem a travessia pelo Eurotúnel.

Mas ele acabou entrando em um caminhão-tanque aquecido carregado de chocolate líquido. Veja abaixo o relato que ele deu à BBC, contando como ele e seus companheiros escaparam por pouco de morrer afogados:

“Encontramos o traficante de pessoas num posto de gasolina às duas da manhã. Os caminhões indo para a Grã-Bretanha estavam sempre estacionados ali, perto da estação de trem. Normalmente tentávamos entrar neles clandestinamente à noite, quando os motoristas estavam dormindo e não havia muita polícia à volta.

Éramos 25 pessoas, então o traficante nos dividiu em grupos. Cada grupo seria colocado num caminhão diferente. O traficante escolheu os sete mais altos. Cinco de nós éramos sírios e os outros dois, egípcios. Com 25 anos, eu era o mais novo do grupo.

Sabíamos que nosso veículo, um caminhão-tanque, estava indo para a Grã-Bretanha porque o traficante viu essa informação colocada no para-brisa do veículo. Ele é um iraquiano de origem curda e trabalha com isso há anos. Eu saí da Síria sem dinheiro algum, então trabalhei com ele em Calais por quase dois meses para pagar a minha “passagem”. O traficante já tinha me dito que caminhões que transportam líquidos entram direto nos trens (que cruzam o Eurotúnel) sem passar pelo raio-x.

Calor
O motorista do caminhão escolhido para o nosso grupo ainda estava dormindo na boleia, então subimos sobre o tanque em silêncio e o traficante cortou os arames que trancavam a escotilha. Não tínhamos ideia do que estava no interior, mas assim que a escotilha foi aberta o cheiro chegou até nós. Estávamos entrando num tanque cheio de chocolate líquido.

Fazia frio em Calais, então quando entramos no chocolate quente foi um sensação gostosa. Mas depois de 15 minutos o calor começou a ficar desconfortável.

Tenho cerca de 1,85 m de altura, mas não conseguia colocar os pés no fundo. Todos segurávamos o mecanismo de abertura da escotilha com uma das mãos enquanto apoiávamo-nos uns nos outros com a outra. Tudo isso com chocolate até o pescoço. Se um de nós perdesse o apoio, afundaria no chocolate e não poderíamos fazer nada para tirá-lo de lá.

Com a escotilha fechada, tínhamos pouco ar para respirar. O calor era terrível e precisávamos mexer as pernas constantemente para não ficarmos presos no chocolate.

Mas resistimos, na esperança de que o caminhão se movesse logo. Era uma jornada de até meia-hora do posto de gasolina até o trem e assim que passássemos o controle de segurança poderíamos sair.

Mas o caminhão continuou parado. Ficamos lá por mais de duas horas. Não havia o que dizer. Apenas xingamos (o presidente da Síria) Bashar al-Assad por nos colocar nessa situação.

Meus companheiros começaram a dizer que estava muito quente, que tínhamos de sair do tanque. Mas se qualquer um de nós deixasse caminhão, haveria marcas de chocolate do lado de fora. Seríamos todos descobertos.

‘Grude’
Um ou dois homens começaram a chorar. Decidimos que todos sairíamos, mas o chocolate era tão grudento que foram precisos vários de nós para ajudar a abrir a escotilha e sair.

O último foi o mais complicado, pois não havia ninguém para empurrá-lo para cima. Tentamos puxá-lo, mas ele estava sendo sugado pelo chocolate. Ele teve que se livrar dos sapatos para sair. Ficaram lá (no chocolate).

Foi uma longa caminhada para o nosso acampamento. Estávamos coberto de chocolate da cabeça aos pés – mãos, pés, cabelos e olhos. Mas ao menos era chocolate de qualidade. Ainda estávamos lambendo-o de nossa pele quando chegamos ao acampamento. Deixamos pegadas de chocolate na estrada.”

O narrador desta história acabou entrando na Grã-Bretanha posteriormente, escondido em uma carroceria carregando caminhões novos. Ele, se escondeu na boleia de um que estava com as portas destrancadas. O refugiado sírio hoje trabalha num restaurante árabe na cidade de Sheffield.

 

Da BBC

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Maduro decreta 9 de março como o ‘dia do anti-imperialismo’ na Venezuela

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, fala durante seu programa de TV nesta terça-feira (31) (Foto: Miraflores Palace/Reuters)
O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, fala durante seu programa de TV nesta terça-feira (31) (Foto: Miraflores Palace/Reuters)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou nesta terça-feira (31) que decretou que a cada 9 de março se celebre o “dia do anti-imperialismo bolivariano” em seu país, pois nesse dia o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, aprovou um decreto no qual se declara a Venezuela uma ameaça para a segurança americana.

“Não esqueceremos jamais e a cada 9 de março nós estaremos lembrando o dia do anti-imperialismo bolivariano na Venezuela”, disse o governante durante seu programa de rádio e televisão “En Contacto con Maduro”.

O líder comentou que “Obama quis em um dia 9 de março passar para a história da Venezuela como o primeiro chefe de um império” que declara seu país como uma ameaça aos Estados Unidos.

Maduro comentou ainda que, com o decreto americano, Obama conseguiu “que se erguesse uma onda de indignação mundial contra sua decisão errada, errática”.

Obama declarou no último dia 9 de março que a situação na Venezuela é “uma ameaça extraordinária à segurança nacional” dos EUA e anunciou também uma ampliação das sanções a sete funcionários do governo venezuelano considerados responsáveis de violações dos direitos humanos.

Por causa do anúncio de Washington, o governo venezuelano promove, desde meados de março, uma campanha para coletar a assinatura de pelo menos 10 milhões dos 30 milhões de habitantes da Venezuela para exigir a derrogação do decreto.

Maduro reiterou que entregará a Obama essas assinaturas quando ambos se encontrarem na Cúpula das Américas de meados de abril no Panamá.

 

Da EFE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Comissão confirma vitória de opositor na Nigéria

O general reformado Muhamadu Buhari, o principal candidato da oposição, venceu as eleições presidenciais deste fim de semana na Nigéria, superando o presidente em final de mandato Goodluck Jonathan. Buhari, 72 anos, venceu em 21 dos 36 estados que integram a Federação Nigeriana, obtendo uma vantagem de 2,57 milhões de votos sobre Jonathan, segundo a Comissão Nacional Eleitoral.

Antes da apuração total dos votos, o partido de Buhari Congresso de Todos os Progressistas (APC) já havia declarado vitória e outro porta-voz, Lai Mohamed, afirmou que “é a primeira vez na história da Nigéria que a oposição tira um governo do poder nas urnas”.

Eleitores do opositor Muhammadu Buhari celebram vitória dele nas eleições presidenciais em rua de Kano, na Nigéria (Foto: Goran Tomasevic/Reuters)
Eleitores do opositor Muhammadu Buhari celebram vitória dele nas eleições presidenciais em rua de Kano, na Nigéria (Foto: Goran Tomasevic/Reuters)

O presidente telefonou para parabenizar candidato opositor. “O presidente Jonathan telefonou às 17h15 (13h15 de Brasília)” desta terça-feira para reconhecer a derrota, disse à AFP Shehu Garba, diretor de campanha de Buhari. “O general Buhari aceitou e agradeceu”, acrescentou o porta-voz do partido Congresso Progressista (APC).

Jonathan também pediu aos seus partidários para seguir o “devido processo” ao canalizar suas frustrações em perder as eleições do fim de semana, tentando jogar água fria em qualquer potencial violência pós-votação.

“A ambição de ninguém vale o sangue de qualquer nigeriano”, disse ele em comunicado divulgado após sua derrota eleitoral. “A unidade, a estabilidade e o progresso do nosso querido país são mais importantes do que qualquer outra coisa.”

A alta diplomata europeia, Federica Mogherini, saudou Buhari pela vitória nas eleições, declarando que espera trabalhar com o presidente eleito.

“Eu agradeço ao presidente em fim de mandato, President Goodluck Jonathan, por sua grande colaboração na construção do país e por consolidar sua democracia nos últimos cinco anos e nós esperamos trabalhar com o presidente recém-eleito e seu governo no futuro”, declarou Mogherini em um comunicado.

O presidente Goodluck Jonathan ao lado do opositor Muhammdu Buhari em foto de arquivo de 26 de março de 2015 (Foto: AP Photo/Ben Curtis)

O presidente Goodluck Jonathan ao lado do opositor Muhammdu Buhari em foto de arquivo de 26 de março de 2015 (Foto: AP Photo/Ben Curtis)

Na Nigéria, o vencedor deve obter pelo menos 25% dos votos em dois terços dos 36 estados da federação, aos quais se soma o território da capital, Abuja.

A derrota de Jonathan e do Partido Democrático Popular (PDP) representa a primeira saída de um partido do governo de forma democrática na história da Nigéria.

‘Convertido à democracia’
Buhari, que governou a Nigéria em meados dos anos 1980 à frente de uma junta militar, garante ser “um convertido à democracia”. Ele é considerado por muitos o presidente que terá mão de ferro com os jihadistas.

Em Kano, um dos estados mais castigados pelo grupo jihadista Boko Haram, cuja revolta provocou mais de 13 mil mortos desde 2009, Buhari obteve 89% dos votos, com 1,9 milhão de votos a favor.

Neste estado, uma caravana de motocicletas saiu para percorrer as ruas em buzinaço. Muitos dançavam com vassouras, simbolizando a promessa de campanha do opositor de acabar com a corrupção no país.

Segundo a Comissão Eleitoral nigeriana, Buhari venceu amplamente no estado de Borno, epicentro dos rebeldes islâmicos.

“Espero com ansiedade o novo amanhecer da Nigéria. Espero que este seja o fim do Boko Haram e de toda a insegurança”, disse Jalid Isa Musa, estudante universitário de 25 anos.

“Mudança, mudança”, repetiam os partidários do candidato opositor nas ruas de Kaduna, uma das cidades mais importantes do norte do país.

As eleições presidenciais na Nigéria foram celebradas no fim de semana, após terem sido adiadas em 14 de fevereiro, devido à situação de insegurança.

Sequência mostra momento em que apoiadores do candidato à presidência da Nigéria Muhammadu Buhari atropelam um colega que também festejava nas ruas em Kano (Foto: Goran Tomasevic/Reuters)
Sequência mostra momento em que apoiadores do candidato à presidência da Nigéria Muhammadu Buhari atropelam um colega que também festejava nas ruas em Kano (Foto: Goran Tomasevic/Reuters)
Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Morre a pessoa mais velha do mundo, uma japonesa de 117 anos

Misao Okawa, a mulher mais velha do mundo (Foto: AFP Photo)

Misao Okawa tinha 117 anos. (Foto: AFP Photo)

A pessoa mais velha do mundo, a japonesa Misao Okawa, morreu nesta quarta-feira (1º) aos 117 anos por causas naturais, informou a emissora pública japonesa “NHK”.

Okawa morreu pouco antes das 7h (horário local, 19h de terça-feira, 31, em Brasília) no asilo de Osaka (oeste do Japão) onde residia, segundo disseram fontes médicas à emissora.

Desde fevereiro de 2013, Okawa era reconhecida como a mulher mais velha do mundo pelo Livro Guinness dos Recordes, e desde agosto desse mesmo ano como a pessoa mais velha.

A mulher tinha celebrado seu 117º aniversário há quase um mês, em cerimônia que atraiu grande atenção midiática e recebeu a visita de parentes, vizinhos e autoridades locais.

Okawa nasceu em 5 de março de 1898 em Osaka, e tinha três filhos, quatro netos e seis bisnetos.

Seus segredos para a longevidade eram viver sem estresse, dormir pelo menos oito horas diárias e comer o que gostava e de forma abundante, segundo explicou em várias ocasiões aos meios de comunicação japoneses.

Até os 110 anos, Okawa era capaz de caminhar e cuidar de si mesma, embora nos últimos anos de sua vida se deslocasse em cadeira de rodas e estivesse internada em um centro geriátrico.

O homem mais velho do mundo é também um japonês, Sakari Momoi, que comemorou seu 112º aniversário no último dia 5 de fevereiro.

A japonesa Misao Okawa, reconhecida pelo Guinness Book, o livro dos recordes, como a pessoa mais velha do mundo, come bolo durante comemoração de seu aniversário de 117 anos em Osaka, Japão (Foto: Reuters/Kyodo)
A japonesa Misao Okawa, reconhecida pelo Guinness Book, o livro dos recordes, como a pessoa mais velha do mundo, come bolo durante comemoração de seu aniversário de 117 anos em Osaka, Japão. (Foto: Reuters / Kyodo)
Da EFE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Austrália revelou dados pessoais de líderes do G20, diz jornal

Líderes do G20 durante a abertura da cúpula neste sábado (15) na Austrália (Foto: Kevin Lamarque/Reuters)
Líderes do G20 durante a abertura da cúpula do G20 em Brisbane, na Austrália (Foto: Kevin Lamarque/Reuters)

 

O Ministério da Imigração da Austrália divulgou acidentalmente os dados pessoais de todos os líderes do G20 que participaram da cúpula de realizada em novembro do ano passado, informou nesta terça-feira (31) a imprensa local.

Segundo a edição australiana do jornal ‘The Guardian’, um funcionário do ministério enviou por erro o número de passaporte, dados dos vistos e outros detalhes pessoais dos 31 dirigentes destes países aos organizadores da Copa da Ásia de futebol.

Entre os líderes cuja informação foi divulgada estão os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama; Rússia, Vladmir Putin; e China, Xi Jinping; além da chanceler alemã, Angela Merkel; e os primeiros-ministros da Índia, Narendra Modi; Reino Unido, David Cameron; e Japão, Shinzo Abe.

Edição australiana do jornal 'The Guardian' (Foto: Reprodução)
Edição australiana do jornal ‘The Guardian’ aborda tema (Foto: Reprodução)

O diretor do serviço de vistos do ministério informou no último dia 7 de novembro do ‘erro humano’ à Comissão Australiana de Privacidade para buscar conselhos, em uma mensagem em que assinalou ser ‘improvável que a informação seja de domínio público’.

Também disse que a ausência de outros dados pessoais ‘limita significativamente’ o risco de violação (da privacidade) e enfatizou que o destinatário errado apagou a mensagem e esvaziou o arquivo de documentos apagados.

O diretor recomendou que os líderes não fossem informados da violação de sua informação pessoal ‘dado que o risco é muito baixo e há medidas para limitar uma maior distribuição desta mensagem’.

Segundo o jornal, nesta terça-feira (31), o Ministro da Imigração pediu que o governo explique por que os líderes não foram notificados da violação no momento.

O mesmo ministério foi o responsável pelo maior vazamento de dados realizado por uma instância governamental da Austrália, quando acidentalmente revelou em seu portal de internet os dados pessoais de cerca de dez mil pessoas detidas, a maioria delas solicitantes de asilo, segundo denunciou o jornal em fevereiro.

 

Da Agencia EFE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Argentina inicia paralisação de 24 horas contra impostos

A greve geral de 24 horas liderada pelo setor dos transportes contra o aumento de impostos na Argentina teve início no primeiro minuto desta terça-feira (31), mas só deverá provocar reflexos ao amanhecer.

A paralisação de um dia foi convocada para pedir a redução ou a eliminação de um imposto aplicado sobre os salários.

O jornal “Clarín” dá como certa greve total nos transportes coletivos, como ônibus, metrô e trens, e também no serviço de caminhões. Os taxistas aderiram à paralisação parcialmente. O movimento afetará também a aviação comercial e de cargas. Segundo a Federação Marítima e Portuária, não haverá atividade nos portos.

O protesto deverá frear ainda os serviços de abastecimento de combustíveis, recolhimento de lixo, além dos setores médico, bancário e de alimentação, entre outros.

Devido à greve, as companhias aéreas TAM, Gol e Lan Chile anunciaram, na segunda-feira (30), o cancelamento dos voos procedentes e para a Argentina.

Um balanço vai ser divulgado pelos sindicatos que lideram as paralisações por volta de meio-dia. Outro balanço será finalizado no final da tarde desta terça.

Partidos de esquerda anunciaram que tentarão formar piquetes em acessos à capital federal, mas sem contar com o apoio dos sindicatos convocadores, que não farão comícios e passeatas.

Imposto

O governo diz que o aumento nos impostos é necessário. O chefe de Gabinete, Aníbal Fernández, criticou nesta segunda os grevistas. “Que país lindo seria se não houvesse nenhum imposto! Mas isso é impensável. Este imposto é cobrado no mundo todo”.

Segundo o ministro da Economia, Axel Kicillof, o imposto não será modificado porque “afeta uma minoria que ganha mais”, cerca de 850 mil trabalhadores sobre uma força de 11 milhões de assalariados, segundo estimativas oficiais.

O imposto é aplicado progressivamente sobre os salários superiores a 15.000 pesos (US$ 1.700) até uma alíquota máxima de 35%.

No fim do ano passado, o governo conseguiu que os sindicatos suspendessem uma greve parecida, ao anunciar que o rendimento médio de dezembro seria isento de imposto de renda.

O governo se reuniu nesta segunda-feira com empresários do transporte para obter a garantia de um serviço mínimo, sob a ameaça de sanções. Mas os sindicatos responderam com dureza contra o que entenderam como uma provocação e anunciaram que, se suas demandas não forem atendidas, será feita uma nova greve, desta vez por 36 horas.

“Precisamos de um espaço para o diálogo. E se continuarem com as provocações e sem dar respostas às reclamações, as medidas de força vão aumentar”, afirmou o líder do sindicato de caminhoneiros e integrante de uma central trabalhista opositora, Hugo Moyano.

 

Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Ônibus cai em abismo e mata 19 no Peru

Pelo menos 19 pessoas morreram e outras 37 ficaram feridas depois de um ônibus de passageiros cair, nesta segunda-feira (30), em um abismo na província de Lucanas, na região de Ayachuco, informaram fontes oficiais.

O representante da promotoria provincial de Puquio-Lucanas, Daniel Sotelo, explicou à agência oficial “Andina” que os 19 corpos já foram recuperados e transferidos para o hospital de Puquio, onde serão identificados por seus familiares.

Inicialmente, as autoridades informaram que 16 pessoas tinham morrido no acidente e outras 20 tinham ficado feridas.

O diretor da rede de saúde de Puquio, Carlos Saravia, declarou ao “Canal N” que foram 13 as vítimas fatais no local do acidente.

“É um abismo. Não podemos chegar lá porque tem cerca de 500 metros e não contamos com equipes de busca e resgate. É uma região que sempre ocorre esse tipo de acidente”, explicou Saravia.

O chefe da Polícia de Estradas, Orfiles Bravo, informou à rede de televisão “Latina” que já foram enviadas patrulhas de resgate até a zona, que foi afetada nos últimos dias por intensas chuvas. “O auxílio dos feridos é difícil pela mesma situação climatológica e a dificuldade do terreno”, confirmou.

As informações preliminares indicam que o ônibus caiu às 5h30 local (8h30, em Brasília) na altura do km 148.

Na semana passada, o choque entre três ônibus e um caminhão deixou pelo menos 37 mortos e 70 feridos em uma estrada a 270 km de Lima, capital do país.

Os acidentes desta magnitude são frequentes nas estradas do Peru, causados em sua maioria pela imprudência dos motoristas, o mal estado das estradas e das condições geográficas.

 

 

Da EFE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Menina de 4 anos pega ônibus sozinha de noite atrás de ‘raspadinha’

A garota, identificada apenas como Anabelle, escapou de casa, na Filadélfia (Foto: BBC)
A garota, identificada apenas como Anabelle, escapou de casa, na Filadélfia (Foto: BBC)

Uma menina de quatro anos fugiu de casa durante a madrugada e pegou um ônibus sozinha, alegando que queria uma “raspadinha”. Veja o vídeo.

A garota, identificada apenas como Anabelle, escapou de casa, na Filadélfia, caminhou calmamente pela rua e, às 3h da madrugada, entrou no ônibus.

O motorista, Harlan Jenifer, chamou a polícia, que levou a menina para um hospital.

Os pais de Anabelle, que não tinham notado a escapada da menina, foram buscar a criança e levá-la de volta para casa.

 

Da BBC

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Piloto capota carro, não dá a mínima e continua percurso durante rali

O piloto finlandês Jari Huttunen se envolveu em um acidente incrível no rali Runnirock, na Finlândia. Ele capotou o carro, mas não deu a mínima e continuou o percurso da prova, já que o veículo se desvirou sozinho após o capotamento. Assista ao vídeo.

Jari Huttunen continuou prova, pois carro desvirou sozinho (Foto: Reprodução/YouTube/Lamtex ky)
Jari Huttunen continuou prova, pois carro desvirou sozinho (Foto: Reprodução/YouTube/Lamtex ky)
Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.