Mulher finge passar mal em voo para ir para classe executiva e força avião a voltar

Por G1

Para ser transferida para uma classe mais alta no avião, uma mulher ainda não identificada fingiu que passava mal em um voo entre as cidades de Pensacola para Miami, nos Estados Unidos, na sexta-feira (29), o que forçou a aeronave a mudar de rota.

O piloto do voo da American Airlines decidiu que se tratava de uma emergência, e voltou para Pensacola depois que a mulher disse estar com dificuldade para respirar.

A tripulação chamou a polícia, e a mulher disse que inventou um problema médico para conseguir um assento melhor.

Inicialmente, ela se recuou a desembarcar quando a polícia chegou. O piloto, então, decidiu que todos teriam que descer. A mulher, então, resolveu obedecer a ordem para sair do avião.

Ela esteve sob custódia da polícia. Segundo a CNN, posteriormente ela foi levada a uma instituição para pacientes mentais.

Ela não foi acusada de nenhum crime, por enquanto.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Muro desaba e deixa mortos no sul da Índia

Por France Presse

Um grande muro desabou em consequência das fortes chuvas e matou 17 pessoas de quatro famílias morreram nesta segunda-feira (2) no sul da Índia.

As vítimas, incluindo duas crianças, moravam em um vilarejo de Tamil Nadu, que registrou chuvas torrenciais nos últimos dias.

O muro de seis metros de altura desabou durante a madrugada em um ponto a 50 km da cidade de Coimbatore, informou o jornal “Times of India”.

Os desabamentos de prédios e casas construídos em condições irregulares são frequentes na Índia na temporada das chuvas de monção.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Dados da avaliação mundial de educação serão divulgados nesta terça-feira

Por G1

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) vai divulgar, nesta terça-feira (3), os resultados de quase 80 países ou regiões na edição de 2018 do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês). Ele é realizado a cada três anos desde 2000 – o Brasil é um dos países que participaram de todas as edições do programa (veja mais no vídeo acima).

O Pisa tem o objetivo de ser um exame que qualquer estudante do mundo pode fazer. Ele não foca apenas em saber ou não se um estudante aprendeu um conteúdo na escola, mas também tenta ver se o jovem consegue aplicar esse conhecimento na vida real. Por isso, é possível comparar os níveis de aprendizagem de estudantes de países diferentes e entender o que os sistemas de ensino podem fazer para melhorar seu desempenho.

Leitura, matemática e ciências

A prova tem três disciplinas principais: leitura, matemática e ciências. A cada edição, uma delas recebe um foco maior. Em 2018, o foco é na leitura, e a prova foi aplicada para cerca de 600 mil estudantes de 15 anos de 79 países ou regiões diferentes.

Mas ela é amostral. Isso quer dizer que esse grupo de estudantes foi escolhido para que o resultado médio pudesse ser representativo de todo aquele país ou região. No total, o desempenho de cada país representa 32 milhões de jovens de 15 anos em todo o mundo.

No Brasil, quem coordena a aplicação do Pisa é o Instituo Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Em 2015, contou com a participação de 23 mil estudantes de 841 escolas de todo o país. Foi a primeira vez que a prova foi aplicada no Brasil inteiramente pelo computador, e não mais no papel.

Os resultados brasileiros, porém, ainda são pouco animadores. Em 2015, o Brasil ficou nas últimas colocações em todas as três provas, e ficou praticamente estagnado na última década. Além disso, na edição passada, a maioria dos estudantes brasileiros tinham um nível de proficiência abaixo do que é considerado o nível básico (veja abaixo).

Maioria dos brasileiros ficaram abaixo do nível básico de proficiência em todas as áreas do Pisa 2015 — Foto: Editoria de Arte/G1

Maioria dos brasileiros ficaram abaixo do nível básico de proficiência em todas as áreas do Pisa 2015 — Foto: Editoria de Arte/G1

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Tiroteio deixa 11 feridos em Nova Orleans, nos Estados Unidos


Por France Presse

Um tiroteio no bairro Francês de Nova Orleans, sul dos Estados Unidos, deixou 11 feridos na madrugada deste domingo (1º), informou a polícia local. Duas pessoas estão em estado crítico.

A troca de tiros aconteceu por volta das 3 horas da manhã em uma rua comercial do bairro histórico da cidade.

A polícia disse que respondeu rapidamente. Segundo a corporação, havia patrulhamento extra nas ruas em função de uma partida de futebol universitário, neste fim de semana de Ação de Graças.

“Tínhamos agentes neste mesmo quarteirão”, disse o superintendente de polícia Shaun Ferguson. “Infelizmente, tinha tanta gente ali que não conseguimos determinar quem estava atirando. Não sabemos como começou”, completou.

Em sua conta no Twitter, o Departamento de Polícia de Nova Orleans informou que ninguém foi preso e que o episódio está sendo investigado.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Os planos do menino de 9 anos que está terminando a faculdade: ‘Não tenho ideia de como cheguei aqui’


Por BBC

Laurent Simons vai se tornar em dezembro o mais jovem graduado do mundo — Foto: EVN

Laurent Simons vai se tornar em dezembro o mais jovem graduado do mundo — Foto: EVN

Laurent Simons tinha quatro anos quando entrou na escola primária, e antes de seus colegas chegarem ao ensino médio, ele chegou à universidade. Aos nove anos.

O jovem belga levou um ano para terminar o primeiro período da escola primária, como a maioria dos estudantes. Mas depois o ritmo acelerou e no ano seguinte ele concluiu de só uma vez o período que vai do segundo período ao sexto.

Aos seis, já na fase seguinte de sua formação, ele concluiu em 18 meses uma etapa na qual outros estudantes passariam seis anos.

E então ele decidiu descansar. Um pouco.

Aos oito, ele tirou uma “folga” de seis meses para passar um tempo em casa. Oito meses depois, se candidatou a uma gradução universitária.

Graduação em nove meses

Agora, após nove meses de estudo, ele vai se graduar aos nove anos em engenharia elétrica na Universidade de Tecnologia de Eindhoven, na Holanda.

Mesmo sem entender direito o que está fazendo.

Ao ser perguntado pelo programa Newsday, da BBC, por que ele buscava um diploma universitário aos nove anos de idade, Laurent Simons afirmou: “Não tenho ideia”.

Engenharia, medicina ou ambos?

Atualmente, o jovem belga está interessado em saber como a tecnologia pode ajudar o corpo humano: seu projeto de graduação passa pela conexão entre cérebro e chip.

Um dispositivo desse tipo poderia medir e monitorar milhares de neurônios ao mesmo tempo.

Oriundo de uma família de médicos, Simons agora quer estudar medicina e fazer um PhD, mas suas ambições vão bem além de qualificações acadêmicas.

“Meu objetivo é criar órgãos artificiais”, afirmou, em referência aos dispositivos que um dia podem substituir partes humanas, como um coração ou um rim, e eliminar a necessidade de transplantes.

“Na verdade, meu objetivo é estender a vida. De outras pessoas, incluindo a dos meus avós.”

Foram seus avós, aliás, que identificaram primeiramente o potencial do jovem, antes mesmo de ele ir à escola.

“Ele foi criado pelos avós, que notaram algo especial sobre ele. Mas pensávamos que, como outros, eles só estavam orgulhosos do neto, e não levamos muito a sério”, relembra o pai do jovem, Alexander Simons.

Mas quando os professores do ensino primário falaram a mesma coisa, os pais passaram a tentar entender por que ele era tão avançado.

Mesmo especialistas ficaram surpresos com o nível de evolução do garoto.

Além de ter memória fotográfica e um quociente de inteligência (QI) de 145, o jovem também tem boas habilidades analíticas. No início, ele amava matemática e ciência, mas não demonstrava muito interesse por letras.

Segundo o pai dele, o garoto se mostrou algumas vezes relutante em ir para a escola, querendo apenas ficar em casa para brincar ou ir à praia.

Mas passou a ser bastante metódico depois de chegar à universidade, adotando uma rotina intensa.

“Na segunda-feira, ele é apresentado à disciplina. Na terça, ele vai ao laboratório. A quarta é separada para estudos em casa, onde lê por oito horas. Ele usa a quinta para tirar dúvidas na faculdade e na sexta ele faz provas”, relata seu pai.

“Outros estudantes levariam de 9 a 12 semanas para completar esse ciclo.”

Infância

Para garantir que Laurent está confortável e aprendendo em seu próprio ritmo, na maioria do tempo ele é ensinado em uma sala separada dos outros graduandos, que acabaram de deixar a adolescência.

Seu pai afirmou, no entanto, que o filho não se afastou das alegrias da infância e não sofre qualquer tipo de pressão em sua trajetória acadêmica.

Ele já é famoso, com mais de 42 mil seguidores no Instagram, onde publica fotos passeando com o cachorro, nadando e concedendo entrevistas.

“Ele se gaba com os amigos quando aparece na TV”, disse seu pai.

Prodígio

Mozart compôs música aos cinco anos. Picasso concluiu sua primeira pintura aos nove. Mas muitas crianças-prodígios tornam-se pessoas “normais” quando chegam à idade adulta.

Isso será diferente com Laurent Simons?

“Ele sempre cumpre o que promete”, conclui seu pai.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Violência piora no Iraque em mais um dia de confrontos pelo país

Por G1

A violência nos protestos contra o governo do Iraque se acirrou nesta quinta-feira (28), com novos confrontos sangrentos entre manifestantes e forças de segurança. Segundo a agência Reuters, os conflitos desta quinta deixaram 35 mortos, enquanto a Associated Press fala em 27.

Os confrontos se intensificaram depois que manifestantes atearam fogo em um consulado do Irã na cidade de Najaf, considerada sagrada. Os ativistas protestam contra a suposta influência do país vizinho, que mantém boas relações com o atual governo iraquiano. Nenhum funcionário da representação iraniana se feriu na ação.

Segundo as agências de notícias, soldados têm utilizado munição letal contra os manifestantes. A Reuters diz que 29 pessoas morreram na cidade de Nassiriya, no sul do país, que estava sob toque de recolher.

Protestos no Iraque

O número de mortos nos protestos no Iraque supera os 350 desde o início das manifestações contra o governo de Adel Abdel-Mahdi, em 1º de outubro. Os manifestantes reclamam das más condições dos serviços públicos, além da corrupção na classe política iraquiana. Mais de 20% da população vive abaixo da linha de pobreza.

O governo propõe apenas reformas limitadas: uma nova lei eleitoral que patina no Parlamento e uma remodelação parcial do gabinete anunciada há semanas, mas que só serviria para se livrar de alguns sem mudar a face do poder, de acordo com especialistas.

O primeiro-ministro Adel Abdel-Mahdi disse que a prioridade agora era a votação do orçamento para 2020. Baseando-se quase inteiramente nas receitas do petróleo, esse orçamento é há anos o principal garantidor da paz social em um país devorado pelo clientelismo.

Mas com um terço do orçamento de US$ 111 bilhões em 2019 destinado aos salários dos funcionários públicos, os economistas dizem que o de 2020 deverá explodir, porque o governo anunciou milhares de contratações para tentar conter a contestação.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Acidente com avião de pequeno porte deixa mortos no Canadá


Por France Presse

Sete pessoas morreram na queda de um avião na região central do Canadá, anunciou na quinta-feira (28) a Agência Nacional de Segurança nos Transportes. As autoridades canadenses investigam as causas do acidente.

O avião monomotor do tipo Piper PA-32 decolou de um pequeno aeroporto na região de Toronto e caiu em uma área de floresta perto de Ontário na quarta-feira (27) à noite.

“Cinco americanos e dois canadenses viajavam no avião”, declarou Nora Vallée, porta-voz do organismo.

O ministério das Relações Exteriores do Uzbequistão informou que duas vítimas também tinham nacionalidade uzbeque e que os demais passageiros, incluindo três crianças, eram membros de sua família.

De acordo com fontes uzbeques, o avião pertencia a uma das vítimas, que pilotava o aparelho.

Avião cai e deixa mortos no Canadá — Foto: G 1

Avião cai e deixa mortos no Canadá — Foto: G 1

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Kim Jong-un supervisionou teste de ‘lançador de mísseis’

Por G1

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, supervisionou na quinta-feira um novo teste de um “lançador múltiplo de mísseis de grandes dimensões”, informou a agência oficial KCNA nesta sexta-feira (29). O teste acontece em um momento em que as negociações nucleares entre Pyongyang e Washington estão paralisadas.

Na quinta-feira (28), Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, a Coreia do Sul afirmou que a Coreia do Norte disparou “dois projéteis não identificados”, mas, até então, Pyongyang não tinha comentado.

A KCNA publicou fotos de Kim Jong-un, sorridente, durante o teste, diante dos aplausos dos soldados. Outra foto mostra um dos foguetes subindo em meio às chamas procedentes de um sistema de lançamento.

Para o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, os disparos de mísseis balísticos representam um “grave desafio” para a comunidade internacional.

‘Superioridade técnica’

Este foi o quarto teste de um lançador múltiplo de mísseis de grandes dimensões desde agosto. Ele representaria um avanço em comparação com o de setembro, quando a agência norte-coreana afirmou que ainda era necessário testar alguns pontos, segundo a France Presse.

O teste “demonstrou a superioridade militar e técnica deste sistema de armas e sua sólida confiabilidade”, afirmou a KCNA. Kim Jong-un expressou “sua profunda satisfação”.

As negociações pela questão nuclear norte-coreana entre Washington e Pyongyang estão paralisadas desde o fracasso da reunião de Hanói, Donald Trump e o dirigente norte-coreano, Kim Jong-un. A cúpula de fevereiro acabou antes do previsto sem nenhum novo tratado.

Trump disse, em coletiva de imprensa, que a Coreia do Norte exigia o fim de todas as sanções impostas ao regime de Kim. O presidente norte-americano não concordou e, portanto, decidiu não assinar o acordo.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Mulher tem carro esmagado por caminhão desgovernado, mas sobrevive


Por BBC

Caminhão que caiu sobre carro na África do Sul; motorista havia estacionado o veículo, mas ele desceu desgovernado por um morro — Foto: Netcare911/BBC

Caminhão que caiu sobre carro na África do Sul; motorista havia estacionado o veículo, mas ele desceu desgovernado por um morro — Foto: Netcare911/BBC

Uma mulher de 26 anos sobreviveu, embora com ferimentos graves, após um caminhão esmagar seu carro na cidade de Port Elizabeth, na África do Sul.

O caminhão estava estacionado enquanto o motorista buscava seus filhos na escola, mas o veículo desceu desgovernado por um morro e caiu em cima do Opel Adam dirigido pela mulher, segundo informações preliminares da polícia.

O Opel ficou amassado, e a vítima ficou presa dentro do carro por 40 minutos até ser removida pelas equipes de resgate.

A motorista sobreviveu, mas foi hospitalizada com múltiplas lesões e fraturas, de acordo com os paramédicos.

Resgate difícil

“O caminhão esmagava tanto ela quanto o carro. Tivemos que cortar partes do carro para libertá-la”, disse à BBC Shawn Herbst, porta-voz da empresa de ambulâncias Netcare 911, que participou do resgate.

O motorista do caminhão, cujo nome não foi divulgado, será investigado por direção negligente, afirmou a polícia.

“Quando ele regressou ao caminhão (depois de buscar os filhos na escola), notou que não estava mais estacionado onde havia deixado”, disse Sandra Janse, porta-voz da polícia, ao jornal HeralLive.

“Daí ele percebeu que o caminhão tinha descido e se chocado com o Opel Adam.”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Trump sabia que seria denunciado antes de liberar verba para Ucrânia, revela imprensa dos EUA

Por G1

O presidente dos EUADonald Trump, soube que seria denunciado por segurar a ajuda à Ucrânia antes de finalmente liberar a verba, segundo informações obtidas pelo “New York Times” e divulgadas pela imprensa americana nesta quarta-feira (27).

No final de agosto, o conselheiro da Casa Branca Pat Cipollone e John Eisenberg, advogado do Conselho de Segurança Nacional, avisaram ao presidente que suas negociações com os ucranianos e sua recusa em liberar os quase US$ 400 milhões em auxílio militar seriam reportados por um denunciante anônimo.

Os advogados explicaram a Trump que estavam tentando determinar se seriam obrigados legalmente a entregar essa reclamação ao Congresso. Sob pressão constante dos dois, o presidente liberou a ajuda à Ucrânia pouco depois, no dia 11 de setembro.

As informações foram transmitidas ao “NY Times” por dois funcionários que não tiveram suas identidades reveladas porque não estão autorizados a discutir publicamente o assunto.

Trump é acusado de ter bloqueado o auxílio militar aos ucranianos em troca de ajuda do presidente Volodymyr Zelensky para investigar Joe Biden e o filho dele, Hunter Biden (que trabalhou em uma empresa ucraniana). Em um telefonema de 25 de julho, Trump disse a Zelensky que “gostaria de pedir um favor”.

A acusação foi usada como motivo para a abertura de um inquérito de impeachment contra Donald Trump.

Linha de defesa ameaçada

A informação divulgada nesta quarta-feira compromete a linha de defesa do presidente porque ele sempre afirmou que havia liberado a verba para o governo ucraniano antes de saber de qualquer denúncia e que não havia nenhuma conexão entre os dois fatos.

Além disso, Trump também diz que nunca buscou nenhuma troca de favores (“quid pro quo”, na expressão em latim usada no processo) com Zelensky.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.