Terrence McNally morre aos 81 anos por complicações causadas pelo coronavírus

Aclamado dramaturgo ganhou quatro prêmios Tony, os principais do teatro americano, e escreveu musicais como versão de ‘O beijo da Mulher Aranha’.

Por G1

O aclamado dramaturgo americano Terrence McNally morreu nesta terça-feira (24) aos 81 anos de idade por complicações causadas pelo novo coronavírus em um hospital na Flórida.

McNally ganhou quatro estatuetas do Tony, o principal do teatro americano, além de um prêmio honorário pela carreira em 2019.

Depois de estrear em 1965, ele ficou conhecido por peças como “Love! Valour! Compassion!” e “Master class” e musicais como “Ragtime” e uma versão do livro “O beijo da Mulher Aranha”.

O dramaturgo também foi indicado ao Pulitzer de drama em 1994 por “A perfect Ganesh”.

McNally já tinha enfrentado um câncer no pulmão. Ele deixa o marido, Tom Kirdahy.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Confinamento teria causado número recorde de divórcios em cidade da China

Muitos casais parecem não ter resistido à proximidade em tempo integral: após redução de transmissões do coronavírus, município de Xi’am registrou aumento drástico no número de pedido de divórcios.

Por BBC

Enquanto o Ocidente começa a viver a experiência claustrofóbica do confinamento — medida necessária para conter a disseminação da covid-19 —, os relatos vindos da China pintam um quadro de que a vida está, aos poucos, voltando ao normal.

Mas a quarentena forçada deixou algumas consequências inesperadas. Muitos casais parecem não ter resistido à proximidade em tempo integral. A mídia chinesa identificou uma corrida aos cartórios por aqueles que não pretendem seguir juntos.

Xi’am, de 12 milhões de habitantes, capital da província de Shaanxi, região central da China, registrou um recorde no número de pedidos de divórcio nas últimas semanas, segundo o jornal chinês em língua inglesa The Global Times.

Em alguns distritos, todos os horários disponíveis para tratar do tema nos escritórios locais do governo estão tomados por semanas.

Outros sites também indicaram haver relatos de uma procura acima da média em cartórios de municípios de outras províncias, como a de Sichuan, por formulários de divórcio.

Nas redes sociais, a notícia não chegou a causar surpresa entre os chineses. “É muito tempo junto. Eu tenho visto cada vez mais histórias sobre separações. Muitas piadas também. Mas o problema parece sério”, disse à BBC News Brasil, Ge, uma professora de 29 anos. Ela própria não é casada. E diz imaginar o estresse de estar sob o mesmo teto neste momento de muito estresse econômico e perguntas sobre o futuro.

“Grandes episódios como este fazem as pessoas pensar mais nas suas vidas e o que realmente interessa”, afirmou à BBC News Brasil a escritora Lijia Zhang, autora de A garota da Fábrica de Mísseis: memórias de uma operária na nova China. “É verdade também que os casamentos que sobreviveram à quarentena devem seguir mais fortes!”, complementa.

Para a escritora Lijia Zhang, casamentos que continuarem após o coronavírus devem ficar mais forte. — Foto: Divulgação/BBC

Para a escritora Lijia Zhang, casamentos que continuarem após o coronavírus devem ficar mais forte. — Foto: Divulgação/BBC

É cedo para entender o que está acontecendo — e se o fenômeno se observará nacionalmente e mesmo em outros países que adotaram medidas de confinamento. Além disso, os cartórios estiveram fechados durante cerca de um mês, o que cria uma demanda reprimida. E os chineses já vinham se divorciando em um ritmo mais acelerado nos últimos anos.

Em 2016, o número de casais que se separou na China chegou a 4,2 milhões, um aumento expressivo em relação a 1985, quando a taxa não passava de 485 mil.

As leis mudaram no país nos últimos anos. Têm se adaptado aos novos tempos. Hoje, 70% dos divórcios já seriam pedidos por mulheres no país, segundo Zhou Qiang, presidente da Suprema Corte do Povo durante discurso proferido em novembro passado. Foi garantido esse direito às mulheres ainda em 1950, quando o partido comunista chinês criou a Nova Lei do Casamento.

“Fiz um brinde com a minha filha quando soube da notícia. Considero isso uma conquista de liberação das chinesas, porque elas estão mais assertivas ao buscar o que querem. Já não estão mais dispostas a aceitar um casamento infeliz, como as nossas mães fizeram”, disse Lijia Zhang.

Mas o fato é que os chineses também estão se casando menos. Apenas 7,2 pessoas em 1 mil resolveram juntar as escovas de dente oficialmente em 2018. Trata-se do índice mais baixo desde 2013, segundo o Escritório Nacional de Estatísticas do governo. Pesquisa realizada pelo Diário do Povo mostra que 29,5% dos entrevistados não tinha se casado porque não haviam encontrado a pessoa certa. Outros 23,4% afirmaram não estar preparados para assumir a responsabilidade de começar uma família.

Neste contexto, as separações provocadas pelo coronavírus certamente não ajudam o governo, que acabou, em 2016, com a longeva política do filho único, adotada na década de 1970. Pequim agora quer mais é que os chineses tenham mais filhos. O problema é que os jovens, e sobretudo mulheres, acham caro aumentar a família e estão mais preocupados em investir em suas carreiras profissionais.

Dados da Comissão Nacional de Saúde da China indicam que o país terá 487 milhões de idosos em 2050, cerca de 35% da população total. Em 2018, a taxa estava em 17,3%, ou 242 milhões de pessoas.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

PornHub doa 50 mil máscaras para socorristas que enfrentam coronavírus em Nova York

Site também vai liberar por um mês acesso no mundo inteiro a seu serviço Premium para que população permaneça em casa durante pandemia.

Por G1

O site PornHub anunciou nesta terça-feira (24) que vai doar 50 mil máscaras cirúrgicas para socorristas que ajudam no tratamento do novo coronavírus e para um hospital de Nova York.

Serão 30 mil máscaras para paramédicos e socorristas do Corpo de Bombeiros e 20 mil para o Mount Sinai South Nassau, parte de uma das maiores redes de hospitais da região.

O site também vai doar 50 mil euros para diferentes organizações da Europa para comprarem mais máscaras.

Além disso, como parte de seu esforço para que as pessoas fiquem em casa, o PornHub vai liberar por um mês acesso a seu serviço Premium em todo o mundo.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Trump espera pôr fim às medidas de isolamento nos EUA até a Páscoa

Com quase metade do país em isolamento para controlar a pandemia, presidente Donald Trump estima que quarentena termine na primeira quinzena de abril.

Por G1

O presidente dos Estados UnidosDonald Trump, disse nessa terça-feira (24) que deve pôr fim às medidas de isolamento por conta do coronavírus até a Páscoa, quando espera terminar a “batalha contra o inimigo invisível”. As restrições atingem quase a metade do país.

“Nossa meta é afrouxar as diretrizes e abrir grandes partes do país enquanto nos aproximamos do final desta histórica batalha contra o inimigo invisível. Estamos há um tempo nisso, mas vamos vencer, vamos vencer”, disse Trump.

O presidente dos EUA disse em entrevista coletiva na Casa Branca que as restrições devem cair até dia 12 de abril. Ele disse que sua equipe está “trabalhando duro” para cumprir com essa meta e liberar as restrições até a Páscoa.

“Minha prioridade é sempre a saúde e a segurança do povo americano”, disse Trump. Quero que todos entendam que estamos constantemente avaliando a situação. Nossa força-tarefa toma decisões com base no que é melhor para o interesse de nosso país fantástico.”

Novo epicentro

Os EUA registraram até o momento um total de 44.183 casos de Covid-19 e ao menos 544 mortes, segundo o balanço mais recente do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Ao menos 13 estados instauraram medidas de distanciamento social para conter o avanço do novo coronavírus, cerca de 45% da população americana já seria afetada, segundo a rede de notícias CNN.

A coordenadora da Casa Branca à resposta ao coronavírus, Debbie Birx, disse que um novo protocolo foi instaurado para pessoas que visitaram a região metropolitana de Nova York. Viajantes que passaram pela região mais afetada pelo surto no país deverão se isolar por 14 dias.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou nesta terça que está vendo “aceleração muito grande” em número de casos de coronavírus nos Estados Unidos, o que representa potencial para o país se tornar o novo epicentro da epidemia.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Justiça dos EUA fecha site que vendia ‘vacina’ fraudulenta do coronavírus

Site enganava as pessoas ao vender uma suposta vacina contra o coronavírus –o que ainda não existe.

Por France Presse

O Departamento de Justiça (DoJ) dos Estados Unidos anunciou no domingo (22) que fechou um site que vendia uma suposta vacina contra o coronavírus, em sua primeira ação deste tipo para combater uma fraude relacionada com a pandemia.

Em um comunicado, o DoJ informa que um juiz federal do Texas ordenou no sábado o fechamento do site coronavirusmedicalkit.com, que afirmava vender vacinas contra a Covid-19, algo que ainda não existe.

“Devido à recente epidemia de coronavírus (COVID-19), a Organização Mundial da Saúde está distribuindo kits de vacinas. Pague apenas US$ 4,95 pelo envio”, afirma o site, que pede os dados da conta bancária do interessado.

O Departamento de Justiça não informou quantas pessoas foram vítimas da fraude, mas a investigação continua para identificar quem está por trás da fraude e quanto dinheiro foi roubado.

A intervenção do sistema judicial federal é parte dos esforços das autoridades americanas para combater a propagação de informações falsas, algo que explodiu desde o início da pandemia.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Índia restringe movimentação de milhões de pessoas por causa do coronavírus

Pais colocou ao menos 80 distritos em bloqueio; país tem feito campanha pelo distanciamento social e para que as pessoas lavem as mãos.

Por G1

A capital da Índia, Nova Délhi, vai estar em isolamento até o dia 31 de março, anunciou no domingo (22) o governo do país. O plano é manter os cidadãos dentro de casa para evitar um agravamento da epidemia de coronavírus.

Para conter a pandemia, as autoridades começaram, gradualmente, a colocar em bloqueio uma parte da população do país, de 1,3 bilhão de pessoas: ao menos 80 distritos com casos detectados estão em bloqueio. Estima-se que ao menos 100 milhões estejam isolados com as novas medidas.

A polícia e profissionais da saúde estão operando, mas os estabelecimentos comerciais foram fechados. Os bancos pediram aos clientes para usar a internet.

O governo tem feito campanhas para incentivar o distanciamento social e para que as pessoas lavem as mãos.

Foi dada à polícia a autoridade para punir quem violar as novas regras.

As fronteiras do estado com os vizinhos vão ser fechadas e o transporte público vai ser suspenso, segundo o ministro-chefe da cidade, Arvind Kejriwal.

“Nós aprendemos do mundo que quanto menos se sai, menos contato há com o mundo e podemos nos salvar”, ele afirmou.

A ordem para isolar a capital foi dada horas depois que centenas de milhões de indianos atenderem voluntariamente um pedido do primeiro-ministro Narenda Modi para que as pessoas se isolassem por um dia para evitar o crescimento do contágio.

O país tem 425 casos de coronavírus, de acordo com informações da universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Alemanha proíbe encontros com mais de duas pessoas, contra o coronavírus

Restrição não vale para quem vive na mesma casa ou para reuniões de trabalho, se necessárias.

Por G1

A Alemanha proibiu encontros em público com mais de duas pessoas no país, em nova medida para lutar contra a propagação do coronavírus.

A determinação não se aplica a pessoas que moram na mesma casa ou estão no mesmo ambiente de trabalho, caso haja necessidade. A restrição vai durar por pelo menos duas semanas.

O anúncio foi feito neste domingo (22) pela chanceler Angela Merkel. “O grande objetivo é ganhar tempo na luta contra o vírus”, disse.

Ainda neste domingo, Merkel foi informada de que um médico que lhe deu uma vacina na última sexta-feira (20) testou positivo para o vírus. A chanceler, então, decidiu entrar em quarentena, em sua casa.

Alemanha tem poucas mortes por Covid-19 graças a exames precoces, dizem autoridades. Até sexta, eram 13 mil casos e 31 mortes.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Itália bate de novo recorde de mortos por coronavírus: 793 em 24 horas

Número total de mortos vai a 4.825. Na última quinta (19), o país europeu superou a China nesse registro.

Por G1

Itália tem mais 793 mortos pelo novo coronavírus em 24 horas

Itália tem mais 793 mortos pelo novo coronavírus em 24 horas

A Itália registrou um novo recorde de mortes por coronavírus em 24 horas, com 793 registros neste sábado (21).

Isso eleva a 4.825 o número de mortos pela pandemia na península em um mês, segundo dados da Proteção Civil.

Na última quinta (19), a Itália superou a China em número de mortos pela Covid-19. Até aquele dia, o país europeu contabilizava 3.405 mortes desde o início do surto, enquanto os chineses registravam 3.245.

Recorde também de novos casos

Ainda neste sábado, as autoridades italianas anunciaram 6.557 novos casos positivos, outro recorde.

O número total de casos subiu para 53.578, um aumento de 13,9%, informou a agência de proteção.

A região de Milão, Lombardia (norte), onde os serviços de saúde estão sobrecarregados, registrou a grande maioria das mortes (546) deste sábado e metade dos novos casos. Lá , o total chega a 3.095 mortes e 25.515 casos.

Das pessoas originalmente infectadas em todo o país, 6.072 haviam se recuperado totalmente até sábado, em comparação com 5.129 no dia anterior.

Havia 2.857 pessoas em terapia intensiva contra as anteriores 2.655.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Troca de guardas em palácio real na Inglaterra é suspensa por causa do coronavírus

Rainha Elizabeth II deixou o palácio de Buckingham e foi para o de Windsor; em mensagem, ela pediu união.

Por G1

As cerimônias de troca de guardas nos palácios da rainha Elizabeth II em Londres e no castelo de Windsor, que geralmente atraem turistas no Reino Unido, foi suspensa até uma nova decisão, afirmou, nesta sexta-feira (20), o palácio de Buckingham.

A decisão foi tomada depois de um conselho do governo para que se evite aglomerações para tentar conter o coronavírus.00:00/00:00

A rainha pediu união ao país e disse que cada indivíduo tem uma função importante nos próximos dias e meses para combater a pandemia do coronavírus.

O Reino Unido entra em um período de preocupação e incerteza, mas a história do país é de pessoas que se uniram, disse ela na quarta-feira (18).

A rainha Elizabeth II e o príncipe Philip deixaram o palácio de Buckingham Palace e foram para o de Windsor, que fica a 35 quilômetros de distância.

Até a sexta-feira (20), o Reino Unido tem 2.689 casos de coronavírus confirmados, segundo dados da universidade norte-americana Johns Hopkins. Morreram 137 pessoas em decorrência do Covid-19.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Mais de 10 mil mortes por Covid-19 no mundo, diz universidade

A maior parte das mortes está concentrada na Itália, que ultrapassou na quinta-feira a China, país que já foi considerado epicentro da doença; são ao menos 3.405 casos.

Por G1

Até o momento, há ao menos 10.031 mortos por complicações da Covid-19 em todo o mundo. Um levantamento da universidade norte-americana Johns Hopkins mostrou ainda que mais de 245 mil pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus até a manhã de sexta-feira (20).

O balanço apontou que a maior parte das mortes, cerca de 34%, está concentrada na Itália, o país europeu com mais casos confirmados da doença, já são mais de 41 mil infecções por Sars-CoV-2. O país mediterrâneo já tem mais da metade dos casos da China, que até o momento é o país com mais registros de Covid-19 em todo o mundo (cerca de 81 mil).

O número de mortes causadas pelo novo coronavírus na Itália ultrapassou na quinta-feira (19) o total de vítimas na China pela Covid-19.

Para conter a disseminação do novo coronavírus, o governo da Itália impôs restrições na circulação em todo o país. Italianos não devem sair de casa, a não ser em caso de extrema necessidade — na maioria dos casos, é preciso levar uma declaração de punho próprio para apresentar às autoridades, em caso de abordagem.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.