Ryrkaypiy, o vilarejo russo em alerta por causa de ‘invasão’ de ursos polares

Por BBC

05/12/2019 19h10  Atualizado há 14 horas


Ambientalistas contaram 56 ursos polares no vilarejo, incluindo filhotes — Foto: WWF

Ambientalistas contaram 56 ursos polares no vilarejo, incluindo filhotes — Foto: WWF

Mais de 50 ursos polares ocuparam um vilarejo no norte da Rússia. Todas as atividades públicas da pequena cidade, Ryrkaypiy, com pouco mais de 700 habitantes, foram canceladas.

Ambientalistas dizem que a culpa é do aquecimento global, que deixa o gelo na região da costa mais fino e fraco, forçando os ursos a procurarem alimento no vilarejo em vez de procurarem no mar.

Não é a primeira vez que a pequena comunidade passa por isso, e as visitas de ursos polares se tornaram tão frequentes que alguns especialistas dizem que Ryrkaypiy deveria ser permanentemente evacuada.

Tatyana Minenko, chefe do programa de patrulha de Ryrkaypiy, disse que 56 ursos, incluindo filhotes, foram contados na cidade.

“Os animais eram tanto adultos quantos jovens… Havia fêmeas com filhotes de diferentes idades”, disse ela. A maior parte deles aparentava estar muito magro.

Os ursos normalmente vivem em Cabo Schmidt, a apenas 2,2 km de Ryrkaypiy. Mikhail Stishov, da World Wide Fund for Nature (WWF), diz que a área tem tido temperaturas inesperadamente quentes.

“Se o gelo tivesse forte o suficiente para suportar os ursos, ou ao menos alguns deles, eles já teriam ido para o mar, onde poderiam caçar focas e lebres-do-mar”, diz Stishov.

Enquanto esperam que a água congele totalmente, eles vão até vilarejos em busca de comida, diz Stishov.

Na última semana, um especialista em ursos polares do Instituto do Norte, com sede nos EUA, disse que os ursos visitam a cidade com tanta frequência que Ryrkaypiy deveria ser permanentemente evacuada.

Anatoly Kochnev disse à agência de notícias Tass News que as visitas estão aumentanto muito e os ursos estão vindo em maior quantidade. Segundo ele, há apenas cinco anos, só cinco ursos chegavam perto do vilarejo.

“Como cientista eu acredito que [o vilarejo] não deve permanecer ali”, disse ele. “Tentamos controlar a situação, mas ninguém quer pensar no que poderia acontecer por lá em três ou quatro anos.”

O funcionário da agência de proteção animal Yegor Vereshchagin disse que se os residentes quiserem sair, “eles podem fazer um referendo [para decidir].”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Homem desmaia ao ser açoitado por fazer sexo antes do casamento na Indonésia


Por France Presse

Homem desmaia ao ser açoitado em Aceh Timur, nesta quinta (5)  — Foto: Cek Mad / AFP

Homem desmaia ao ser açoitado em Aceh Timur, nesta quinta (5) — Foto: Cek Mad / AFP

Um homem desmaiou nesta quinta-feira (5) ao ser açoitado por ter feito sexo antes do casamento na região de Aceh, na Indonésia. Ele foi reanimado para para receber o resto de sua punição antes de ser levado às pressas para o hospital, informa a agência AFP.

O castigo físico é a pena para uma série de infrações à lei islâmica local nessa região conservadora da ilha de Sumatra. Praticar jogos de azar, consumir álcool e manter relações sexuais com pessoas do mesmo sexo ou antes do casamento estão entre as infrações puníveis desta maneira.

Aceh é a única região da Indonésia, o maior país de maioria muçulmana do mundo, que impõe leis religiosas.

Na quinta-feira, o homem de 22 anos — condenado a 100 golpes — pediu que o executor da pena da Sharia, a lei islâmica em vigor ali, parasse de bater nas sua costas com uma vara de bambu bengala antes de desmaiar, segundo testemunhou um repórter da AFP.

Ele foi reanimado e recebeu uma breve atenção médica para, em seguida, seguir sendo açoitado. Mais tarde, ele foi levado para um hospital próximo para tratamento.

O homem foi considerado culpado de fazer sexo com uma mulher que também foi condenada a 100 chicotadas perto de uma mesquita no distrito de Aceh Timur, junto com outro homem com quem ela teve relações.

A mídia local informou que uma mulher que foi chicoteada em um caso separado em Aceh Tamiang na quinta-feira também desmaiou.

Mapa mostra localização de Aceh, na Indonésia — Foto: G1

Mapa mostra localização de Aceh, na Indonésia — Foto: G1

“O fato de duas pessoas terem ficado inconscientes hoje, em dois incidentes separados, é algo condenável para as autoridades que deixaram isso acontecer sob sua vigilância”, disse Usman Hamid, diretor da Anistia Internacional da Indonésia.

Ele acrescentou que os castigos “cruéis, desumanos e degradantes” representam tortura e instou as autoridades de Aceh e da Indonésia a acabarem com eles.

Cerca de 500 espectadores assistiram ao castigo em Aceh Timur. Alguns deles gritavam “mais forte, mais forte” durante o açoitamento.

“Esta é a consequência que eles têm que enfrentar por violar a lei”, disse Muhammad Yunus, uma das pessoas que assistiam à punição.

Mulher foi açoitada por manter relações com um homem com o qual não era casada — Foto: AFP/Cek Mad

Mulher foi açoitada por manter relações com um homem com o qual não era casada — Foto: AFP/Cek Mad

Em julho, três pessoas foram açoitadas 100 vezes cada uma por fazer sexo antes do casamento, enquanto dois homens pegos fazendo sexo com meninas menores de idade também foram açoitados 100 vezes no ano passado. Outras ofensas tendem a carregar dezenas ou menos chicotadas.

Em 2017, houve a punição a dois homens por terem praticado atos homossexuais.

Em outubro, as autoridades de Aceh anunciaram que os caçadores que ameaçam orangotangos, tigres e outros animais selvagens ameaçados podem receber até 100 chicotadas.

Grupos de defesa dos direitos humanos criticaram o consumo público como cruel, e o presidente da Indonésia, Joko Widodo, pediu que ele terminasse, mas a prática tem amplo apoio entre a população majoritariamente muçulmana de Aceh.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

A fantástica recuperação da recém-nascida enterrada viva em uma vala


Por BBC

A bebê foi levada ao hospital em estado crítico em outubro, mas agora está saudável — Foto: Dr. Ravi Khanna/BBC

A bebê foi levada ao hospital em estado crítico em outubro, mas agora está saudável — Foto: Dr. Ravi Khanna/BBC

Uma recém-nascida, que havia sido enterrada viva em uma panela de barro no norte da Índia, se recuperou totalmente, segundo o médico que a atendeu.

Em meados de outubro, a garota foi levada ao hospital em estado crítico, sofrendo de uma infecção grave. Além disso, ela tinha uma quantidade baixa de plaquetas no sangue.

“A criança ganhou peso e melhorou a respiração – a contagem de plaquetas também está normal”, disse o pediatra Ravi Khanna à BBC.

Seus pais não foram localizados e ela será adotada após um período de espera obrigatório.

Por enquanto, a garota está sob custódia das autoridades de bem-estar infantil no distrito de Bareilly, no Estado indiano de Uttar Pradesh.

Ela foi encontrada por acaso por um morador que estava enterrando sua própria filha, que tinha nascido morta. Os hindus geralmente cremam seus mortos, mas bebês e crianças pequenas são frequentemente enterrados.

O morador disse que havia cavado cerca de 90 centímetros abaixo da superfície quando sua pá bateu em um pote de barro, que se quebrou. Foi então que ele ouviu um choro de bebê. Quando ele puxou a panela, encontrou a criança ainda viva.

Inicialmente, ela foi levada ao pronto-socorro do governo local, mas, dois dias depois, foi transferida para o hospital pediátrico de Ravi Khanna, que possui melhores instalações.

Os médicos disseram que ela era um bebê prematuro, possivelmente nascido com 30 semanas de gestação. A garota pesava apenas 1,1 quilo. Encolhida, ela estava em estado de hipotermia e apresentava hipoglicemia (baixo nível de açúcar no sangue).

“Quando a entregamos às autoridades do hospital distrital, ela pesava 2,57 quilos. Ela está aceitando mamadeira e agora está totalmente saudável”, disse Khanna, nesta semana.

Não se sabe quanto tempo o bebê ficou enterrado. Os médicos dizem que não sabem exatamente como ela conseguiu sobreviveu.

Khanna disse que o bebê pode ter sido enterrado “de três a quatro dias antes de ser encontrada, sobrevivendo com sua gordura marrom”. Os bebês nascem com gordura no abdômen, na coxa e na bochecha e podem sobreviver em caso de emergência por algum tempo.

Mas outros especialistas dão uma estimativa mais conservadora: dizem que ela só se manteve viva porque ficou embaixo da terra por “duas a três horas”. Segundo eles, a garota poderia ter sobrevivido por “mais uma ou duas horas” se não tivesse sido resgatada.

Uma bolsa de ar dentro da panela deve ter fornecido oxigênio para ela. Ou o ar poderia ter entrado no solo através de uma rachadura, segundo especialistas.

Em outubro, a polícia iniciou um processo criminal para procurar os pais da recém-nascida ou alguma outra pessoa que possa ter enterrado o bebê.

A polícia afirmou acreditar que os pais da criança eram cúmplices do crime, porque, mesmo depois do caso ser amplamente divulgado na Índia, ninguém se apresentou para reencontrar o bebê.

As autoridades não especularam sobre possíveis motivos para o crime, mas a discriminação de gênero da Índia é uma das piores do mundo. As mulheres são frequentemente discriminadas socialmente e as meninas são vistas como um fardo financeiro, especialmente nas comunidades mais pobres.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Queda de helicóptero militar no Minnesota, nos EUA, mata três tripulantes

Por G1

Um helicóptero militar caiu no estado de Minnesota, nos Estados Unidos, informou a Guarda Nacional nesta quinta-feira (5). Os três ocupantes da aeronave morreram.

Até a última atualização desta reportagem, não se sabia a identidade dos tripulantes. Investigadores apuram o que causou o acidente.

Segundo a Guarda Nacional, o helicóptero era procurado desde as 15h na hora local. A instituição perdeu contato com a aeronave, baseada na cidade de St. Claude, pouco depois de ela decolar em um voo de teste após passar por manutenção. Nove minutos depois, a tripulação declarou emergência.

Momentos antes, os bombeiros da região informaram que estavam se deslocando para atender um chamado relacionado a uma aeronave em situação de emergência, mas não detalharam se seria o helicóptero.

Minnesota em luto

Por causa do incidente, o governador do Minnesota, Tim Walz, cancelou uma cerimônia para ligar as lâmpadas da árvore de natal. O político chegou a servir a Guarda Nacional por 24 anos.

O general adjunto da Guarda Nacional em Minnesota, Jon Jensen, lamentou as mortes.

“Nossa família de Guarda Nacional no Minnesota está devastada pelas mortes desses soldados. Nossa prioridade agora é assegurar que nossas famílias recebam os devidos cuidados”, disse.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Criança morre ao tentar salvar cachorro de incêndio na própria casa nos EUA

Por G1

Loki Sharp, de 1 ano e 10 meses, morreu ao tentar salvar seu cãozinho do incêndio no último sábado (30), no Arkansas. — Foto: Reprodução/Facebook KD Sharp

Loki Sharp, de 1 ano e 10 meses, morreu ao tentar salvar seu cãozinho do incêndio no último sábado (30), no Arkansas. — Foto: Reprodução/Facebook KD Sharp

Um menino de 1 ano e 10 meses morreu, no estado americano do Arkansas, depois de tentar resgatar seu cachorro de um incêndio na própria casa, no último sábado (30). Loki Sharp já havia saído da casa com a família quando voltou para salvar o cãozinho, de 6 meses, que também morreu.

Os pais de Loki – Deshay Wilson e Kurtis Sharp – disseram, em entrevista ao canal de televisão “5 News Online”, afiliado à CBS, que o filho era corajoso, feliz, e amava se divertir. Ele faria 2 anos no dia 3 de janeiro.

“Eu ficava com ele todos os dias”, relatou a mãe de Loki, Deshay. Ela lembrou da última coisa que eles fizeram juntos antes de o menino morrer. “Brincamos com galinhas, juntamos folhas. Ele estava aprendendo a falar”.

“Valorize seus filhos, você nunca sabe quando eles vão embora”, disse a mãe.

Loki com o pai e a mãe, Kurtis Sharp e Deshay Wilson. — Foto: Reprodução/Facebook KD Sharp

Loki com o pai e a mãe, Kurtis Sharp e Deshay Wilson. — Foto: Reprodução/Facebook KD Sharp

Os dois acreditam que, em meio ao caos de tentar apagar o fogo e pedir ajuda, Loki tenha voltado correndo para dentro da casa para tentar salvar o filhote. A família morava em Gentry, a cerca de 350km da capital do Arkansas, Little Rock.

“Tem marcas no carpete do lugar onde ela deitou ao lado dele, para tentar salvá-lo do fogo”, contou Deshay ao 5 News. “Eles basicamente tentaram salvar um ao outro”.

Loki Sharp, de 1 ano e 10 meses, tentou salvar seu cãozinho das chamas na própria casa, em Gentry, no Arkansas — Foto: G1

Loki Sharp, de 1 ano e 10 meses, tentou salvar seu cãozinho das chamas na própria casa, em Gentry, no Arkansas — Foto: G1

Loki tinha oito irmãos. “Está sendo um momento muito difícil para eles, eles estão se culpando muito”, relatou Deshay. “Não têm ido à escola. A irmã mais nova dele não tem nem um ano de idade ainda, e não consegue nem dormir mais a noite toda. Ela acorda tendo pesadelos, gritando e chorando pelo irmão”.

A família perdeu todos os pertences no incêndio – só a estrutura externa da casa ficou de pé. Os pais de Loki dizem que não querem mais voltar para lá, porque não conseguem olhar para o lugar sem chorar. “Eu quero queimá-la até o chão, sinceramente”, disse Deshay.

A causa do incêndio ainda está sendo investigada, mas a família disse ao 5 News que foi provocado por uma falha elétrica.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Marinheiro abre fogo em Pearl Harbor, mata dois e depois se suicida

Por G1

Um marinheiro abriu fogo na base aeronaval de Pearl Harbour, no Havaí, matando duas pessoas e ferindo uma terceira, e depois se matou, informou um funcionário da unidade.

As duas vítimas fatais eram funcionários civis do departamento de Defesa, assim como o ferido, que está internado em condição estável.

Segundo um oficial, “os serviços de segurança e investigação da base estão agindo e os nomes das vítimas não serão revelados até que os familiares sejam notificados”.

O incidente ocorreu por volta das 2h30 (21h30 em Brasília. Os acessos à unidade foram fechados. Duas escolas dentro da base e uma próxima à unidade foram fechadas.

Não há ainda informações sobre os motivos do ataque.

O governador do Havaí, David Ige, declarou que “se une à solidariedade do povo havaiano para expressar nosso pesar por esta tragédia e preocupação com os atingidos pelo tiroteio”. Ige afirmou ainda que a Casa Branca ofereceu a assistência das agências federais.

O site Hawaii News Now mostrou imagens de ambulâncias e veículos blindados mobilizados dentro da base.

Segundo uma testemunha, citada pelo Hawaii News Now, o tiroteio ocorreu no Dique Seco 2, próximo à entrada sul da base. A mesma testemunha disse que o atirador, que parecia usar um uniforme de marinheiro, disparou contra a própria cabeça.

A base é a sede da Frota do Pacífico e também abriga elementos da Força Aérea americana.

Ataque a Pearl Harbor

O tiroteio ocorre três dias antes do 78º aniversário do ataque japonês a Pearl Harbor, que matou 2.403 militares americanos em 1941 e provocou a entrada dos Estados Unidos na II Guerra Mundial.

Base onde ocorreu o tiroteio fica a cerca de 13 km de Honolulu, capital do Havaí — Foto: G1

Base onde ocorreu o tiroteio fica a cerca de 13 km de Honolulu, capital do Havaí — Foto: G1

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

OEA vê ‘ações deliberadas’ para manipular eleições na Bolívia

Por G1

A Organização dos Estados Americanos (OEA) afirmou nesta quarta-feira (4) que houve “ações deliberadas” para manipular os resultados das eleições na Bolívia ocorridas em outubro e que deram vitória a Evo Morales ainda no primeiro turno.

A declaração faz parte do relatório final da OEA divulgado nesta quarta-feira sobre a auditoria das eleições bolivianas, ocorridas em meio a denúncias de fraude. Após a votação, opositores e militares pressionaram a renúncia de Evo, que foi substituído pela senadora oposicionista Jeanine Áñez em novembro.

“São ações dolosas que tiveram a intenção de afetar o transcurso do processo eleitoral segundo o planejamento de maneira oficial”, diz o relatório.

O relatório menciona como ações deliberadas para manipular as eleições na Bolívia os seguintes fatos encontrados pela perícia:

  • Paralisação no sistema que transmitia os resultados apurados das urnas.
  • Adulteração ou manipulação de atas de sessões eleitorais.
  • Queima de atas de sessões eleitorais.
  • Introdução de servidores que não estavam previstos na infraestrutura original.
  • Acesso de uma pessoa que não fazia parte do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) às redes da transmissão dos votos.

Essas conclusões já estavam, em parte, no relatório preliminar divulgado pela OEA após a análise.

Irregularidades e erros

Além das ações que a OEA considerou intencionais para manipular a apuração dos votos das eleições bolivianas, o relatório apontou irregularidades graves — erros que, segundo a organização, não deixam claro se foram ou não propositais. São eles:

  • Não foram preservados metadados das imagens do Trep para que a autenticidade das imagens e a identificação da fonte dos arquivos pudesse ser determinada;
  • Ficou comprovado que imagens do Trep — que correspondem a fotografias das atas — foram enviadas diretamente ao órgão que fechava a contagem oficial. Isso descarta a garantia de que o Trep e o cômputo oficial são processos independentes.

O relatório ainda apontou uma série de erros “sem indícios de serem intencionais, mas que puderam facilitar ações que potencialmente enfraqueceram o processo eleitoral”.

Um deles é o registro de 37 atas com votos registrados no exterior e que apresentavam inconsistências com o número de cidadãos que votaram. Inclusive, foi justamente no exterior — com vitória por larga margem no Brasil e na Argentina, segundo a contagem oficial — que Evo ampliou a vantagem que o deu a vitória no primeiro turno. Porém, a OEA não apontou que a falha tenha ocorrido intencionalmente.

Novas eleições

Em 24 de novembro, a presidente interina Jeanine Áñez promulgou a lei que convoca novas eleições sem a participação de Evo Morales, que está em asilo político no México. A próxima votação ainda não tem data para ocorrer, mas candidatos já se preparam para entrar em campanha.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Alemanha expulsa diplomatas russos após crime em Berlim


Por Deutsche Welle

Alemanha anunciou nesta quarta-feira (04/12) a expulsão de dois diplomatas russos após promotores terem afirmado que há indícios de envolvimento de Moscou no assassinato de um ex-combatente rebelde da Chechênia em um parque em Berlim.

“O Ministério do Exterior declarou hoje dois funcionários da embaixada russa em Berlim como personae non gratae com efeito imediato”, afirmou o órgão alemão em comunicado. Os nomes e os cargos dos diplomatas não foram divulgados.

“Apesar das repetidas e persistentes solicitações de alto escalão, as autoridades russas não cooperaram o suficiente na investigação do assassinato”, concluiu a pasta.

O Ministério do Exterior russo prometeu “medidas de retaliação” à decisão de Berlim. “É inaceitável que haja uma abordagem politizada de questões de investigação”, disse o representante da pasta, acrescentando que as declarações do governo da Alemanha são “infundadas e hostis”.

Um cidadão checheno de origem georgiana de 40 anos foi baleado pelas costas, à queima-roupa, em plena luz do dia no parque Kleiner Tiergarten em 23 de agosto, por um atirador numa bicicleta.

A vítima atuou na Guerra da Chechênia ao lado de separatistas anti-Rússia e vivia como exilado na Alemanha desde 2016. Segundo promotores alemães, ele era procurado como terrorista pelas autoridades russas. O homem já havia sido ferido em 2015 por um atentado a bomba em Tbilisi, capital da Geórgia.

O suspeito de cometer o assassinato, um homem de 49 anos com passaporte russo, foi preso logo depois do crime, após ser visto por uma testemunha atirando num rio uma mochila contendo uma arma.

Ele foi identificado inicialmente como Vadim S. Entretanto, investigadores acreditam que o passaporte do homem seja falso e que ele seja “muito possivelmente” Vadim K., que é procurado pelas autoridades russas por um assassinato cometido em Moscou em 2013.

Promotores federais anunciaram nesta quarta-feira que assumiram a investigação sobre a morte – praxe adotada quando há suspeita concreta de envolvimento do serviço secreto de um país estrangeiro num crime.

“Há evidências factuais suficientes sugerindo que o assassinato foi realizado em nome de agências estatais da Federação Russa ou da República Autônoma da Chechênia”, afirmou o gabinete do promotor em comunicado.

O ministro alemão do Interior, Horst Seehofer, saudou a decisão de promotores federais de assumir as investigações. “Isso diz algo sobre o significado desse crime. Nós, como governo, estamos avaliando quais outras consequências serão tomadas”, acrescentou.

A Chechênia é liderada com mão de ferro desde 2007 por Ramzan Kadyrov, um aliado próximo do presidente russo, Vladimir Putin.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Mensagem misteriosa pintada em urso polar na Rússia alarma pesquisadores


Por BBC

Vídeo em circulação nas redes sociais mostra urso polar com pelo pichado; teme-se que isso dificulte a habilidade do urso de se camuflar e, consequentemente, de caçar alimentos — Foto: Sergei Kravy/Facebook/BBC

Vídeo em circulação nas redes sociais mostra urso polar com pelo pichado; teme-se que isso dificulte a habilidade do urso de se camuflar e, consequentemente, de caçar alimentos — Foto: Sergei Kravy/Facebook/BBC

Imagens compartilhadas por perfis russos nas redes sociais com um urso polar pintado em spray com o símbolo “T-34” ter alarmado especialistas.

Eles advertem que a pintura — cujas circunstâncias ainda não foram identificadas — pode afetar a habilidade do urso polar em camuflar-se em seu ambiente e, por consequência, sua capacidade de caçar e se alimentar.

Uma investigação está em andamento para localizar onde exatamente na região ártica da Rússia o vídeo do urso foi feito, e por quem.

O vídeo foi postado no Facebook por Sergey Kavry, membro da ONG ambiental WWF, e depois amplamente compartilhada por usuários e pela imprensa local.

Kavry, por sua vez, disse que recebeu o vídeo em um grupo de WhatsApp do povo indígena de Chukotka, do extremo leste da Rússia, e afirmou que cientistas que monitoram a vida selvagem na região não teriam motivo para pintar o urso de tal maneira.

O motivo da inscrição, em si, é um mistério. O T-34 era um tanque de guerra que teve papel vital na derrota da Alemanha nazista para a União Soviética na Segunda Guerra Mundial.

“Não sei de qual região, distrito ou vizinhança vieram essas imagens”, disse Kavry, acrescentando que se a pichação estiver de fato fazendo referência “a uma sigla militar (…). pode ser algum tipo de desrespeito perverso pela história”.

A porta-voz da WWF na Rússia, Daria Buyanova, disse à BBC que as imagens do urso causaram “um grande choque” e que a inscrição “parece ser uma piada de mau gosto”.

Anatoly Kochnev, cientista do Instituto de Problemas Biológicos do Norte, disse considerar improvável que o urso tenha sido pichado sem antes ter sido sedado.

Detalhe de inscrição num urso polar — Foto: Reprodução/Sergei Kravy/Facebook

Detalhe de inscrição num urso polar — Foto: Reprodução/Sergei Kravy/Facebook

Ele afirma ainda que pode levar semanas para que a pichação desapareça, o que pode causar problemas para o urso, que depende de sua pele branca para caçar na neve e no gelo do Ártico.

A imprensa russa especula que o ato contra o urso possa estar ligado à irritação de algumas comunidades no Ártico com o aumento no número de ursos polares em circulação.

Em fevereiro, foi decretado estado de emergência em Novaya Zemlya — região isolada no extremo leste da Rússia e um dos locais suspeitos de origem do vídeo em circulação atualmente — por conta do aparecimento de dezenas de ursos polares em diversas pequenas cidades e aldeias.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Granada é jogada contra patrulha da polícia na Irlanda do Norte


Por France Presse

Uma viatura da polícia que patrulhava a capital da Irlanda do Norte, Belfast, foi atacada com uma granada na madrugada desta quarta-feira (4). As autoridades afirmaram que o ato tinha o objetivo de ferir ou matar os policiais. Ninguém ficou ferido.

“Pouco depois das 2h (23h de terça-feira no horário de Brasília), um Land Rover da polícia foi atingido por um objeto”, explicou um comunicado da polícia. “Houve uma forte explosão e o Land Rover foi levado para um lugar seguro”.

“Felizmente, nenhum dos policiais dentro do veículo ficou ferido e o carro não foi danificado”, apontou.

A polícia encontrou “restos de uma suposta granada” e na quarta-feira revistava cuidadosamente o local para verificar se não há outros objetos perigosos.

“É inegavelmente uma tentativa de matar ou ferir policiais”, afirmou o superintendente Jonathan Roberts citado no comunicado.

O ataque ocorre a uma semana das eleições legislativas britânicas, muito centradas no Brexit, uma questão particularmente sensível na Irlanda do Norte, uma zona do país com um passado sangrento.

Por três décadas, republicanos católicos e unionistas protestantes se enfrentaram em um conflito que deixou 3,5 mil mortos e terminou em 1998 com o acordo de paz da Sexta-feira Santa.

O acordo estabeleceu uma divisão do poder local entre as comunidades e uma fronteira aberta com a vizinha República da Irlanda – país membro da União Europeia – cuja defesa é um dos pontos mais conflitantes do Brexit.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.