Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Carro-bomba explode em cidade controlada pela Rússia na Ucrânia, afirma agência russa

Segundo imprensa estatal do governo russo, ataque aconteceu próximo a centro de controle das forças de Moscou em Melitopol, no sul do país vizinho. Kiev ainda não se manifestou.

Por g1

Um carro-bomba explodiu nesta segunda-feira (30) no centro de Melitopol, uma das cidades do sul da Ucrânia ocupadas pela Rússia.

A informação é da imprensa estatal russa, que acusa Kiev de ter executado o ataque. A explosão aconteceu próximo a um prédio governamental onde as forças de Moscou estão operando.

O governo da Ucrânia não confirmou a explosão.

Segundo a agência de notícias russa RIA Novosti, três pessoas ficaram feridas.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Quadro da Monalisa é atacado por visitante no Louvre

O visitante, que estava em uma cadeira de rodas, lançou o que parece ser uma torta em direção ao quadro, que não foi danificado.

Do g1 / mundo

Uma das obras de arte mais famosas do mundo, La Gioconda (também conhecida como a Monalisa) sofreu um ataque de vandalismo neste domingo (29) no Museu do Louvre, em Paris.

Segundo informações do jornal El País, uma pessoa atirou o que parece ser uma torta no quadro. Ela usava uma cadeira de rodas, disfarçada com uma peruca. A sala onde fica uma das obras mais famosas de Leonardo da Vinci estava, como sempre, lotada.

Os seguranças expulsaram imediatamente a pessoa do museu e funcionários iniciaram a limpeza da sala. Não se sabe a identidade nem a motivação do ataque.

Diversos visitantes publicaram fotos e vídeos do ocorrido nas redes sociais. A pintura não sofreu danos, pois está protegida por uma placa de cristal.

Ainda segundo o jornal, este não é o primeiro ataque feito à obra. Em 2009, uma turista atirou uma xícara em direção ao quadro, danificando o vidro que a protege. Em 1974, enquanto era exposta no Museu Nacional de Tóquio, uma mulher tentou espirrar uma tinta spray vermelha na pintura, sem sucesso. Já em 1956, sofreu dois ataques: um com ácido, que danificou uma das partes inferiores do quadro e um com uma pedra, que causou um pequeno dano.

Em 1911 o quadro chegou a ser roubado por Vincenzo Peruggia, sendo resgatado somente dois anos mais tarde.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

OMS confirma 257 casos de varíola dos macacos em 20 países fora da África

Outros 120 casos suspeitos são investigados; nenhuma morte foi relatada. Brasil não tem casos confirmados.

Por g1

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou, neste domingo (29), que 257 casos de varíola dos macacos haviam sido confirmados, em 20 países fora da África, até o dia 26 de maio.

Outros 120 casos suspeitos estão sendo investigados. Nenhuma morte foi relatada. Até a semana passada, menos de 100 casos haviam sido confirmados pela organização.

Varíola dos macacos: veja 5 pontos sobre a doença

“A situação está evoluindo rapidamente e a OMS espera que haja mais casos identificados à medida que a vigilância se expande em países não endêmicos, bem como em países conhecidos como endêmicos que não relataram casos recentemente”, disse a entidade em comunicado.

A organização frisou que as as ações imediatas devem se concentrar em fornecer informações precisas para as pessoas que podem correr mais risco de contrair a doença; impedir a disseminação entre os grupos em risco; e proteger os profissionais de saúde da linha de frente.

Casos

Até agora, o Brasil não tem casos confirmados da doença. Na última semana, um caso suspeito na Bolívia, perto da fronteira brasileira, fez as autoridades ficarem em alerta.

Na América do Sul, já há ao menos um caso já foi confirmado – na Argentina. O levantamento da OMS, entretanto, contabilizou os casos relatados até o dia 26, e o caso argentino foi confirmado no dia 27; por isso, o país aparece como tendo apenas um caso suspeito.

Pelo mesmo motivo, o México – onde um caso foi confirmado neste sábado (28) – também não aparece no levantamento da entidade.

De acordo com a OMS, na região, apenas a Guiana Francesa tem casos sob investigação, com duas infecções suspeitas.

No resto do mundo, o Sudão – que fica no norte da África, mas onde a varíola dos macacos não é endêmica – também aparece como tendo um caso suspeito.

Até o dia 26, os casos confirmados estavam nos seguintes países, segundo a OMS:

  1. Alemanha
  2. Austrália
  3. Áustria
  4. Bélgica
  5. Canadá
  6. Dinamarca
  7. Emirados Árabes
  8. Eslovênia
  9. Espanha
  10. EUA
  11. Finlândia
  12. França
  13. Holanda
  14. Israel
  15. Itália
  16. Portugal
  17. Reino Unido
  18. República Tcheca
  19. Suécia
  20. Suíça

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

UE analisa proposta para desbloquear sexto pacote de sanções contra Rússia

Hungria, um país sem acesso ao mar, bloqueia essas novas sanções, pois depende do petróleo da Rússia através do oleoduto Druzhba, que fornece 65% de seu consumo.

Por France Presse

Os representantes dos 27 países membros da União Europeia (UE) vão analisar neste domingo (29) uma proposta para desbloquear o sexto pacote de sanções contra a Rússia, cuja principal medida é um embargo petrolífero até ao final do ano, segundo fontes europeias.

Hungria, um país sem acesso ao mar, bloqueia essas novas sanções, pois depende do petróleo da Rússia através do oleoduto Druzhba, que fornece 65% de seu consumo. A proposta inicial da UE incluía uma derrogação especial para a Hungria e a Eslováquia, até o final de 2023.

No entanto, ambos os países consideraram o prazo insuficiente e exigiram pelo menos quatro anos, em uma ação judicial que também contou com a participação da República Tcheca. Para adotar as sanções, é necessária a unanimidade dos 27 membros.

A solução que está sendo discutida em Bruxelas neste domingo seria excluir Druzhba do embargo de petróleo para limitar as sanções ao fornecimento de petróleo por navio, segundo fontes europeias.

Dois terços do abastecimento de petróleo russo à UE são transportados por caminhões-tanque e um terço por este oleoduto. A proposta permitiria o prosseguimento da sexta bateria de sanções da UE, que está em discussão desde o início de maio.

Este embargo às entregas por via marítima implicaria ao fim das compras de petróleo no prazo de seis meses e de produtos petrolíferos no final do ano. O pacote também inclui novas sanções contra bancos russos e a extensão da lista negativa da UE a novas personalidades russas.

Outra opção a ser considerada seria adiar a adoção de todo o pacote de sanções enquanto se encontra uma solução para o fornecimento de petróleo à Hungria, segundo as mesmas fontes.

Os chefes de estado se reunirão na segunda (30) e terça-feira (31) em Bruxelas.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Presidente Zelensky visita o leste da Ucrânia pela primeira vez desde o início da invasão russa

Zelensky ainda não tinha saído da região de Kiev. Neste domingo visita Kharkiv.

Por France Presse

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, visitou tropas na linha de frente na região de Kharkiv, nordeste da Ucrânia, neste domingo (29), sua primeira aparição oficial fora da região de Kiev desde o início da invasão russa em 24 de fevereiro.

“Vocês arriscam suas vidas por todos nós e por nosso país”, o site do gabinete do presidente o citou como tendo dito aos soldados, acrescentando que ele distribuiu elogios e presentes.

O chefe de gabinete de Zelensky, Andriy Yermak, escreveu no aplicativo Telegram que o presidente visitou prédios residenciais destruídos, observando que seus substitutos tiveram que ser construídos com abrigos antibombas.

Yermak acrescentou que 31% do território da região de Kharkiv está atualmente ocupado pela Rússia, e outros 5% foram retomados pela Ucrânia, tendo sido ocupados anteriormente.

“Há 2.229 casas destruídas em Kharkiv e em toda a região. Vamos restaurá-las, reconstruí-las e trazê-las de volta à vida. Em Kharkiv e em todas as outras cidades e vilas onde o mal veio”, declarou Zelensky em mensagem no Telegram.

Explosões na cidade

A agência de notícias Reuters informou que poucas horas após a visita de Zelensky à cidade, explosões foram ouvidas pelos moradores.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Biden visita Uvalde para consolar população traumatizada pelo massacre escolar

Tiroteio na escola do Texas matou 21 pessoas, entre elas 19 crianças.

Por France Presse

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e sua esposa Jill chegaram neste domingo (29) em Uvalde, a pequena cidade do Texas consternada após o massacre em uma escola de ensino fundamental que deixou 21 mortos.

À medida que surgiam depoimentos de crianças que sobreviveram ao ataque, o presidente pediu ações para evitar futuros massacres em um país onde os esforços para endurecer as regulamentações sobre armas de fogo falharam repetidamente.

“Não se pode tornar os dramas ilegais, eu sei. Mas é possível tornar os Estados Unidos mais seguros”, disse Joe Biden em um discurso no sábado, lamentando que “muitas pessoas inocentes tenham morrido”.

“Então, estou pedindo a todos os americanos agora que se unam e façam com que suas vozes sejam ouvidas e trabalhem juntos para tornar esta nação o que pode e deve ser”, disse o presidente.

Enquanto isso, histórias perturbadoras surgiam de crianças que sobreviveram ao massacre de terça-feira, quando Salvador Ramos, de 18 anos, abriu fogo com um fuzil semiautomático.

Ramos entrou em uma sala de aula, fechou a porta e se dirigiu às crianças: “Vocês todos vão morrer”, antes de abrir fogo, disse um sobrevivente, Samuel Salinas, de 10 anos, ao canal ABC.

A polícia admitiu ter tomado uma “decisão errada” ao adiar a sua entrada no centro educacional depois de ser alertada sobre o tiroteio.

De fato, levou cerca de uma hora para que o massacre terminasse, apesar de vários telefonemas de crianças pedindo intervenção. Os 19 agentes que estavam no local aguardavam a chegada de uma unidade especializada. No final, Ramos foi morto pela polícia.

Impulso de solidariedade

Desde quarta-feira, moradores desta pequena cidade e de outras cidades chegam ao memorial improvisado com 21 cruzes brancas de madeira instaladas na praça com os nomes de 19 crianças e dois professores mortos.

Os participantes silenciosos formam um círculo ao redor do memorial, dão as mãos e rezam. Eles também deixam flores e bichos de pelúcia que se juntam às inúmeras mensagens de carinho escritas nas cruzes, palavras como “eu te amo” ou “vou sentir sua falta”.

“É importante estar aqui, para oferecer condolências à comunidade”, diz Rosie Varela, 53, que viajou uma hora da cidade texana de Del Rio com o marido e o filho adolescente.

“Eles não estão sozinhos; estamos aqui para apoiá-los. Teria sido triste se ninguém viesse aqui”, acrescenta ela com lágrimas nos olhos. “Temos que ajudar essas crianças a sair desse trauma, dessa dor”, disse Humberto Renovato, 33 anos, nascido e criado em Uvalde.

“Ter coragem”

A vice-presidente Kamala Harris, que em meados de maio compareceu ao funeral de uma das 10 vítimas negras mortas em um tiroteio racista em Buffalo, Nova York, disse que “não permitiremos que aqueles motivados pelo ódio nos separem ou nos assustem”.

Ela também pediu aos legisladores que ajam.

“O Congresso deve ter a coragem de enfrentar o lobby das armas de uma vez por todas e aprovar leis razoáveis de segurança de armas”, tuitou, referindo-se à poderosa e influente National Rifle Association (NRA).

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Justiça do Reino Unido condena mulher que matou marido e mandou fotos dele amarrado para um outro homem com quem flertava

Charlotte Dootson foi condenada à prisão perpétua. O crime ocorreu em agosto de 2021. A mulher confessou que matou o marido.

Por g1

A Justiça do Reino Unido determinou a sentença de uma mulher de 25 anos que amarrou o marido de 53 anos com fios elétricos e o matou por estrangulamento em agosto de 2021. Charlotte Dooston, a criminosa, foi presa na terça-feira (24).

O crime aconteceu em agosto de 2021. A mulher tirou fotos do marido imobilizado pelos fios elétricos e enviou-as a um outro homem com quem ela estava flertando.

Dooston havia conhecido o outro homem na semana anterior. Ao receber a imagem, ele afirmou o seguinte: “Espero que você não faça isso comigo”.

Ela então respondeu: “Nunca amarrarei você”.

O marido, Mohammed Mukhtar, morreu enforcado.

De acordo com a polícia da cidade de Manchester, onde o assassinato ocorreu, Dooston tinha uma conduta abusiva e violenta com o marido.

Ela admitiu o crime e, ao confessar, descreveu o marido como um homem gentil e vulnerável.

O marido foi encontrado morto pelos serviços de emergência. Uma análise detectou que ele também tinha ferimentos no fígado que provavelmente foram causados por chutes.

De acordo com o Ministério Público, a relação durou quatro anos, e Dootson atacava o marido com armas como facas e fios elétricos.

Ela chegou a ser presa três vezes, mas o marido se negava a apoiar a promotoria.

O advogado da mulher afirma que ela tem problemas psiquátricos ligados a traumas que ela sofreu quando mais jovem.

A Justiça a condenou a prisão perpétua (ela pode diminuir a pena, mas terá que cumprir pelo menos 22 anos e meio).

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Avó de menina assassinada no Texas pede que governo ‘faça algo’ para evitar outra tragédia

A escola de ensino fundamental Robb, onde há dois dias um jovem matou a tiros 19 crianças e dois professores, tornou-se um local de recolhimento com cruzes para as vítimas e inúmeros buquês de flores.

Por France Presse

Dora Mendoza compareceu, nesta quinta-feira (26), à escola de ensino fundamental da cidade texana de Uvalde para homenagear sua neta de 10 anos, Amerie Garza, assassinada no mesmo local na terça-feira (24), e para pedir ao governo dos Estados Unidos que evite outra tragédia.

As autoridades “devem fazer algo sobre isso. Por favor, não se esqueçam das crianças. Não sabemos o que viveram. Por favor, eu imploro que escutem”, pediu entre soluços.

Atrás dela, a escola de ensino fundamental Robb, onde há dois dias um jovem matou a tiros 19 crianças e dois professores, tornou-se um local de recolhimento com cruzes para as vítimas e inúmeros buquês de flores.

Massacre no Texas: o que já sabemos sobre ataque em escola

“Minha neta estava lá dentro”, disse Mendoza, de 63 anos. “Ela era uma garota inocente que gostava da escola e estava ansiosa para o verão. E ela não poderá mais viver isso. Minha alma dói porque não poderei mais vê-la”.

Amerie vivia com os avós. Na terça-feira pela manhã, Mendoza foi para a escola assistir a uma cerimônia na qual vários alunos, inclusive sua neta, receberam um prêmio por suas boas notas.

Quando acabou a celebração, a menina quis ir embora para casa. O ano letivo estava prestes a acabar e o colégio estava realizando apenas eventos extracurriculares.

“Nós dissemos a ela: ‘não, minha filha, até sexta-feira você tem que ir'”, lamenta Mendoza.

Pouco depois, perto do meio-dia, um menino de 18 anos, Salvador Ramos, entrou na escola com um fuzil de assalto, se trancou em uma sala aula e abriu fogo, antes de ser morto pela polícia.

O massacre, o pior em uma escola dos Estados Unidos em uma década, comoveu Uvalde, uma cidade tranquila de aproximadamente 15 mil habitantes de maioria hispânica.

E reacendeu o debate sobre a necessidade de controlar melhor as vendas de armas no país, como ocorreu nos últimos anos, depois de cada tiroteio em um colégio americano.

Yaritza Rangel, 23 anos, foi à escola Robb nesta quinta-feira com seus quatro filhos, um deles um bebê em um carrinho, para colocar flores em homenagem às vítimas. Seu sobrinho está traumatizado, diz ela. O menino estava em uma sala de aula na terça-feira, onde o assassino tentou entrar, mas não conseguiu.

A poucos metros da escola, numa rua de casas simples de madeira, Rangel exigiu que as autoridades verificassem os antecedentes dos compradores de armas e avaliassem sua saúde mental.

“Isso não faz sentido. Você tem que esperar até os 21 anos para comprar álcool. Por que eles deixam jovens de 18 anos comprar fuzis ou qualquer tipo de arma?”, disse ele.

A jovem, que tem os filhos em outra escola de Uvalde, considerou que a escola Robb devia reforçar a sua segurança.

“Eles deixam todo mundo entrar e não deveria ser assim”, disse.

Rangel está preocupada que um de seus filhos vá para a escola Robb no ano que vem. “O que acontece se isso acontecer de novo?”, questionou.

Outro memorial foi celebrado não longe da escola, em uma praça no centro de Uvalde com 21 cruzes de madeira, enfeitadas com pelúcias, flores e velas.

Ali, Meghan Markle, esposa do príncipe Harry, foi apresentar suas condolências, para demonstrar seu apoio à comunidade enlutada.

“Te amo, prima, até a próxima”, escreveu uma novem em uma das cruzes representando uma das vítimas, Jackie Cazares.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Forças russas estão perto de cercar tropas ucranianas no leste

Três meses após a invasão da Ucrânia, a Rússia abandonou seu ataque à capital Kiev e tenta consolidar o controle da região industrial oriental de Donbass, onde apoia separatistas desde 2014.

Por Reuters

Russos tomaram 90% da província de Luhansk no Leste da Ucrânia

Forças russas aproximaram-se de tropas ucranianas no leste, ocupando brevemente, antes de recuarem, posições na última rodovia rumo a duas cidades cruciais controladas pela Ucrânia, disse uma autoridade ucraniana nesta quinta-feira (26).

Três meses após a invasão da Ucrânia, a Rússia abandonou seu ataque à capital Kiev e tenta consolidar o controle da região industrial oriental de Donbass, onde apoia separatistas desde 2014.

Milhares de soldados promovem ataques de três lados na tentativa de cercar as forças ucranianas em Sievierodonetsk e Lysychansk. Caso as duas cidades ao longo do rio Siverskiy Donets caiam, quase toda a província de Luhansk, em Donbass, estaria sob controle russo.

Nuvem de gás nítrico na região de Luhansk — Foto: Divulgação/Parlamento ucraniano

Nuvem de gás nítrico na região de Luhansk — Foto: Divulgação/Parlamento ucraniano

“A Rússia tem a vantagem, mas estamos fazendo tudo o que podemos”, disse o general Oleksiy Gromov, vice-chefe do departamento de operações do Estado-Maior da Ucrânia.

O governador de Luhansk, Serhiy Gaidai, afirmou que cerca de 50 soldados russos chegaram à rodovia e “conseguiram se firmar”, chegando a estabelecer um posto de controle.

“O posto de controle foi quebrado, eles foram mandados de volta… o Exército russo não controla a rota agora, mas eles estão bombardeando”, disse ele. É possível que as tropas ucranianas deixem “um assentamento, talvez dois. Precisamos vencer a guerra, não a batalha”, afirmou.

“Está claro que nossos rapazes estão recuando lentamente para posições mais fortificadas — precisamos conter essa horda”, afirmou Gaidai.

Analistas militares ocidentais veem a batalha pelas duas cidades como um potencial ponto de virada na guerra, agora que a Rússia redefiniu seu principal objetivo de capturar o leste.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Marido de professora assassinada em massacre no Texas morre de infarto

Atirador matou 19 crianças e duas professoras de uma escola na cidade de Uvalde, no Texas, EUA.

Por g1

Joe e Irma Garcia em foto sem data — Foto: Reprodução/Twitter/fuhknjo

Joe e Irma Garcia em foto sem data — Foto: Reprodução/Twitter/fuhknjo

Joe Garcia, marido da professora Irma Garcia, assassinada no massacre em uma escola do Texas, morreu de infarto nesta quinta-feira (26), mostram reportagens da imprensa americana.

Irma é a professora que se jogou sobre os alunos para protegê-los quando um homem chegou atirando contra as crianças em uma escola de ensino fundamental de Uvalde, no estado americano do Texas. O atirador matou 19 crianças e duas professoras.

A morte do esposo, dois dias depois do ataque, foi reportada inicialmente pela emissora local KAAB News, e depois confirmada por familiares de Irma.

Irma Garcia, uma das professoras que morreu no massacre a uma escola do Texas, em 24 de maio de 2022. Segundo seu filho, ela deitou em cima dos alunos para protegê-los — Foto: Divulgação/ Robb Elementary School

Irma Garcia, uma das professoras que morreu no massacre a uma escola do Texas, em 24 de maio de 2022. Segundo seu filho, ela deitou em cima dos alunos para protegê-los — Foto: Divulgação/ Robb Elementary School

Segundo o perfil assinado pela própria Irma no site da escola, ela tinha quatro filhos, um deles recruta do exército americano, e estava casada havia 24 anos com Joe. Fazer churrasco com o marido, ouvir músicas e fazer trilhas eram alguns hobbies da professora.

Massacre no Texas: o que já sabemos sobre ataque em escola

Ajuda para o funeral

Amigos e familiares organizaram uma vaquinha para ajudar no funeral da professora. Após a morte do marido, a campanha passou a arrecadar fundos para o funeral duplo.

Até a última atualização desta reportagem, mais de US$ 208 mil (cerca de R$ 991 mil), já haviam sido arrecadados.

Irma e Joe Garcia em foto sem data — Foto: Reprodução/GoFundMe

Irma e Joe Garcia em foto sem data — Foto: Reprodução/GoFundMe

Nesta quarta-feira (25), as vítimas começaram a ser identificadas por familiares. 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.