Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Oklahoma retoma execuções após polêmica por falha em injeção letal

Foto de Charles Warner de 29 de junho de 2011 (Foto: AP)

Foto de Charles Warner de 29 de junho de 2011 (Foto: AP)

O estado de Oklahoma, nos Estados Unidos, retomou nesta quinta-feira (15) a aplicação da pena de morte com a execução de Charles Warner, a primeira no estado desde que um condenado agonizou durante 45 minutos, em abril do ano passado, por uma falha na injeção letal.

Todos os olhares apontavam para Oklahoma depois da polêmica gerada em abril, mas, desta vez, não houve maiores contratempos. Warner, um afro-americano de 47 anos, foi atestado como morto às 19h28 locais (23h28 de Brasília).

Segundo Jerry Massie, porta-voz do Departamento Correcional de Oklahoma, o preso levou 20 minutos para morrer e não houve complicações.

Alguns jornalistas que testemunharam a execução reportaram que Warner afirmou sentir ‘ardência’ em seu corpo após a injeção, mas constataram que não houve contratempos.

No dia 29 de abril de 2014, Clayton Lockett recebeu uma injeção letal que apresentou falhas e levou 43 minutos para acabar com a vida do condenado, em um procedimento que não costuma durar mais de 15 minutos.

A agonia de Lockett foi tamanha que os funcionários fecharam a cortina da sala de execuções antes de sua morte, para evitar que os presentes assistissem.

Naquela mesma noite, duas horas depois, seria a vez de Warner, mas a execução foi suspensa, como todas as demais previstas.

Warner foi condenado à pena capital por ter violentado e assassinado Adrianna Waller, um bebê de 11 meses que era a filha de sua companheira, em agosto de 1997 em Oklahoma.

Esta foi a terceira execução deste ano nos Estados Unidos e a de número 112 em Oklahoma, desde que a pena de morte foi reinstaurada em 1976. Estão programadas para os próximos dois meses as execuções de outros três presos nesse estado.

 

 

Da EFE

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Imprensa belga destaca operação que preveniu ataque contra polícia

Da Agência Brasil

Agentes policiais e das forças especiais participaram de operação antiterror / Foto: AFPAgentes policiais e das forças especiais participaram de operação antiterrorFoto: AFP

A operação antiterrorista realizada nessa quinta-feira (15) à noite em diversas localidades da Bélgica é destaque nesta sexta-feira (16) nas primeiras páginas dos jornais do país.

Ilustradas com fotos de agentes policiais e das forças especiais, encapuzados durante a ação em Verviers, no Leste da Bélgica, onde dois jihadistas foram mortos e um terceiro ferido, as manchetes da imprensa belga destacam que as autoridades “frustraram ataques iminentes” que tinham como alvo a própria polícia.

“Os jihadistas visavam à polícia”, escreve o diário Le Soir. Citando fontes da procuradoria federal, acrescenta que os terroristas, que regressaram recentemente da Síria e que tinham quatro metralhadoras kalachnikov e produtos destinados ao fabrico de bombas, visavam a praticar atentados contra comissariados da polícia.

Segundo o La Dernière Heure, “os terroristas tinham um único objetivo: chocar a Bélgica ao atacar a polícia”, disse Eric Van Der Sypt, porta-voz da Procuradoria Federal, que admitiu que a atenção dos suspeitos estava “centrada sobretudo na polícia”.

Citando “fontes judiciais próximas do processo”, o alvo principal era a nova sede da Polícia Federal em Bruxelas “e estava tambémplanejado um rapto”, provavelmente de alguém com alto cargo na hierarquia policial.

“Atentados iminentes prevenidos na Bélgica”, escreve o La Libre Belgique, que, em um dossiê especial de 12 páginas, destaca o fato de a localidade de Verviers, perto da fronteira com a Alemanha, ser, há vários anos, “um ninho de radicais”.

Entre os jornais francófonos, o La Capitale saúda a intervenção policial, com a manchete “A Bélgica atinge os terroristas”.

Entre os jornais da Flandres, em flamengo, o De Staandard assinala na manchete “Polícia (era o) alvo do terror”, enquanto o De Morgen adverte que “A Bélgica ainda receia ataques: o perigo ainda não passou”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Papa: liberdade de expressão não permite insultos à fé dos outros

Da Agência Brasil

Papa destacou que a liberdade de religião e de expressão são “direitos humanos fundamentais" / Foto: AFPPapa destacou que a liberdade de religião e de expressão são “direitos humanos fundamentais”Foto: AFP

O papa Francisco defendeu nesta quinta-feira (15) que a liberdade de expressão é um direito fundamental, que não permite “insultos à fé dos outros”. Ele acrescentou que “matar em nome de Deus” é “uma aberração”.

“Não podemos provocar, não podemos insultar a fé dos outros, não podemos ridicularizá-la”, disse aos jornalistas a bordo do avião que o levou de Colombo, no Sri Lanka, para Manila, nas Filipinas. Perguntado sobre as caricaturas do semanário satírico francês Charlie Hebdo, alvo de um atentado que causou 12 mortos, na semana passada, em Paris, o papa disse que a liberdade de expressão deve “exercer-se sem ofender”. Ele ressaltou que o direito de se expressar é “fundamental”.

“Todos têm não apenas a liberdade, o direito, como também a obrigação de dizer o que pensam para ajudar o bem comum. É legítimo usar esta liberdade, mas sem ofender”, insistiu, pedindo verdade, principalmente na atividade política.

O papa destacou que a liberdade de religião e de expressão são “direitos humanos fundamentais”. Francisco condenou os assassinatos cometidos em nome da religião. “Não podemos ofender, ou fazer a guerra, ou matar em nome da própria religião, em nome de Deus”, afirmou. Matar em nome de Deus “é uma aberração” e “é preciso ter fé com liberdade, sem ofender, sem impor, nem matar”, frisou.

“O que se passa atualmente [com os atentados] choca-nos, mas pensemos na nossa Igreja: quantas guerras religiosas tivemos, pensemos na noite de São Bartolomeu [massacre desencadeado pelos católicos contra os protestantes franceses e que marcou o início, no século 17, das guerras religiosas]. Também fomos pecadores”, lembrou. O papa já condenou os atentados de Paris, que causaram 20 mortos, na semana passada.

Francisco chegou hoje às Filipinas, único país asiático de maioria católica, para uma visita de cinco dias, depois de uma estada no Sri Lanka, de maioria budista.

Os sinos das igrejas saudaram a chegada do papa em Manila, onde milhares de pessoas se concentraram ao longo do percurso que Francisco fez entre o aeroporto e a representação do Vaticano, onde pernoitará.

O ponto alto da visita será a missa final, no Parque Rizal, em Manila, no domingo (18), para a qual os organizadores esperam 6 milhões de fiéis.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Manifestação no Peru deixa pelo menos 16 policiais feridos e 26 civis detidos

Da Agência Brasil

Participaram da manifestação cerca de 3.500 pessoas; polícia deteve cerca de 20 manifestantes / Foto: AFPParticiparam da manifestação cerca de 3.500 pessoas; polícia deteve cerca de 20 manifestantesFoto: AFP

Dezesseis policiais ficaram feridos, um deles com gravidade, e 26 civis detidos é o resultado de uma manifestação que reuniu milhares de pessoas no Centro Histórico de Lima, no Peru, contra a lei trabalhista para os jovens, aprovada em dezembro pelo governo.

O ministro do Interior, Daniel Urresti, disse aos jornalistas que os policiais agiram no Centro Histórico de Lima depois de terem sido atacados com paus e pedras.

Acrescentou que participaram da manifestação cerca de 3.500 pessoas, muitas ligadas a centrais sindicais, e que a polícia deteve cerca de 20 manifestantes.

O ministro acusou a Confederação Geral dos Trabalhadores do Peru, a Confederação dos Trabalhadores e o Movimento pela Anistia e Direitos Fundamentais, grupo vinculado ao Sendero Luminoso, de serem os causadores da violência.

A lei, aprovada em dezembro, gerou polémica no Peru, com críticas à vulnerabilidade dos direitos trabalhistas dos jovens entre 18 e 24 anos.

A lei prevê um salário mínimo e segurança social para os jovens, mas reduz as férias para 15 dias e não considera o pagamento de prêmios e compensações por tempo de serviço.

O presidente do Peru, Ollanta Humala, defende a lei, alegando que ela procura reduzir o mercado de trabalho paralelo, que afeta 1 milhão de trabalhadores nessa faixa etária, e incentivar a capacitação de jovens sem formação profissional.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Gato de rua salva vida de bebê abandonado na Rússia

Da AFP

Um gato de rua salvou a vida de um bebê abandonado perto de um contêiner de lixo em um edifício de Obninsk (oeste), ao protegê-lo do frio com seu corpo, indicou nesta quinta-feira o canal de televisão russo Zvezda.

Um menino com entre dois e três meses foi abandonado no sábado em uma caixa de papelão que servia de abrigo para o gato Macha, na entrada de um edifício nesta cidade da região de Kaluga. “O animal forneceu calor ao bebê durante várias horas com seu corpo”, informou Zvezda.

Quando o bebê começou a chorar, uma moradora local o encontrou ao lado do gato que não parava de lamber seu rosto e mãos. “Os moradores estão seguros: se o gato não tivesse cuidado do bebê, ele não teria sobrevivido” ao frio do inverno russo, segundo o canal.

O gato não quis deixar o menino, mesmo com a chegada de médicos, e o seguiu até a entrada na ambulância. Segundo testemunhas citada por Zvezda, o bebê estava bem vestido, com roupas novas e limpas, e enrolado em uma manta. O bebê, que segue internado no hospital, não corre risco de morte e as autoridades procuram seus pais.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Funerais de vítimas do ataque ao Charlie Hebdo ocorrem nesta quinta

Entre os mortos no ataque estão Bernard Marris, Georges Wolinski, Jean Cabu, Stéphane Charbonnier,  Bernard Verlhac (Tignous) e Philippe Honoré (Foto: AFP)

Entre os mortos no ataque estão Bernard Marris, Georges Wolinski, Jean Cabu, Stéphane Charbonnier, Bernard Verlhac (Tignous) e Philippe Honoré (Foto: AFP)

Os funerais de vários chargistas que morreram no ataque ao jornal satírico Charlie Hebdo no dia 7 de janeiro serão realizados nesta quinta-feira (15) em cerimônias privadas. Segundo o jornal “Le Monde”, o desenhista Georges Wolinski, considerado o rei dos chargistas franceses, será cremado no cemitério de Pere-Lachaise, em Paris, e suas cinzas descansarão em Montparnasse.

O chargista Tignous receberá uma homenagem pública às 11h30 local (8h30 Brasília), na prefeitura de Montreuil, cidade onde residia nos arredores de Paris, antes de ser enterrado em Père-Lachaise, às 15h30 local.

O famoso chargista Jean Cabu foi enterrado em uma cerimônia privada nesta quarta-feira (14), em sua cidade natal de Châlons-en-Champagne, no nordeste da França.

Nesta quinta também serão enterrados a doutora Elsa Cayat, uma psicanalista que trabalhava no jornal, o policial que protegia a sede do Charlie Hebdo, Franck Brinsolaro, e o economista Bernard Maris, que escrevia para a publicação.

Na sexta-feira (16) serão enterrados o diretor do jornal, Stéphane Charbonnier, mais conhecido como “Charb”, o chargista Honoré e do corretor Mustapha Ourrad.

O ataque, que deixou 12 mortos, foi reivindicado nesta quarta-feira pela Al-Qaeda no Iêmen, que atribuiu a ação a uma ‘vingança’ pelas caricaturas do profeta Maomé.

 

Da France Presse

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pai de jovem detido por querer atacar Congresso dos EUA defende filho

Christopher Cornell, preso por tentar atacar o Congresso dos EUA (Foto: Butler County Jail/Reuters)

Christopher Cornell, preso por tentar atacar o Congresso dos EUA (Foto: Butler County Jail/ Reuters)

O pai do jovem detido nesta quarta-feira (14) por planejar um atentado contra o Congresso dos Estados Unidos defendeu seu filho em uma entrevista à ‘CNN’ ao afirmar que ele não é perigoso e que nunca teria sido capaz de executar tal operação.

“Chris não é capaz de matar uma mosca. É uma pessoa adorável e amável. É impossível que ele pudesse realizar qualquer tipo de ataque terrorista. Acho que ele foi coagido”, explicou John Cornell à emissora americana.

O FBI prendeu Christopher Lee Cornell, de 20 anos e natural de Cincinnati (Ohio), sob a acusação de tentativa de assassinato contra funcionários do governo dos Estados Unidos.

O suspeito planejava detonar bombas caseiras no Capitólio e abrir fogo contra funcionários e congressistas que fugissem depois das explosões, de acordo com documentos judiciais aos quais teve acesso a imprensa local.

Cornell teria se inspirado, de acordo com essas mesmas fontes, nas ações do grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

Seu pai explicou à ‘CNN’ que o jovem tinha se interessado recentemente pelo Islã, mas que nunca tinha mencionado o EI ou qualquer outro grupo terrorista. “Ele me explicou, você sabe, que o Islã não é um grupo terrorista. Mas uma forma de vida”, relatou o pai à emissora.

O jovem, que vive com seus pais em Green Township (Ohio), chamou a atenção do FBI há vários meses, depois que um informante relatou que ele tinha expressado apoio à jihad, de maneira violenta, em uma conta no Twitter sob o pseudônimo de ‘Raheel Mahrus Ubaydah’.

Além disso, Cornell teria publicado declarações, vídeos e outros conteúdos de apoio ao EI. “Acho que deveríamos empreender a jihad sob nossas próprias ordens e planejar ataques e tudo”, escreveu Cornell em mensagem eletrônica enviada ao informante em agosto, segundo o FBI.

“Acho que devemos fazer nosso próprio grupo aqui, em aliança com o Estado Islâmico, e executar operações planejadas por nós mesmos”, acrescentou.

 

 

Da EFE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

EUA anunciam transferência de mais 5 presos de Guantánamo

Ala de celas comuns em uma das prisões da base norte-americana de Guantánamo, em Cuba, em foto de maio de 2013 (Foto: Bob Strong/Reuters)

Ala de celas comuns em uma das prisões da base norte-americana de Guantánamo (Foto: Bob Strong/Reuters)

O Departamento de Defesa dos Estados anunciou nesta quarta-feira (14) a transferência de mais cinco presos de Guantánamo. Todos os detentos são iemenitas e quatro deles serão levados para Omã e o outro para a Estônia. São as primeiras transferências do ano a países que ainda não receberam os presos da base cubana.

Os prisioneiros enviados a Omã são: Al Khadr Abdallah Muhammad Al Yafi, Fadel Hussein Saleh Hentif, Abd Al-Rahman Abdullah Au Shabati, e Mohammed Ahmed Salam, enquanto Akhmed Abdul Qadir foi levado para a Estônia. Eles foram presos no Paquistão por supostas ligações com o grupo terrorista Al-Qaeda.

Este é mais um passo na estratégia do governo Obama de fechar a prisão – que ainda abriga 122 presos -, uma de suas promessas de campanha de 2008 ainda não cumprida. O democrata corre contra o tempo para fechar o centro de detenção nos últimos dois anos de seu mandato, mas encontra forte oposição republicana, que tem o controle absoluto do Congresso.

No último mês, a Casa Branca transferiu 20 presos: além dos 5 anunciados nesta quarta, 6 foram enviados ao Uruguai, 4 foram repatriados para o Afeganistão e outros 5 enviados para o Cazaquistão.

Após os recentes ataques terroristas em Paris, a oposição republicana no Senado apresentou um projeto de lei para limitar a capacidade do presidente na hora de transferir prisioneiros de Guantánamo.

O centro foi criado pela administração de George W. Bush após os atentados de 11 de setembro de 2001 para abrigar suspeitos de terrorismo e já foi ocupado por cerca de 800 prisioneiros, a maioria deles sem acusações.

 

Do G1, em São Paulo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Boko Haram teria matado mulher em pleno parto na Nigéria, denuncia AI

Os combatentes islâmicos do Boko Haram mataram uma mulher em pleno parto, durante a mais ‘destruidora’ ofensiva em seis anos de atuação do grupo, no nordeste da Nigéria – denuncia a Anistia Internacional nesta quinta-feira (15).

Em um comunicado à imprensa, a organização de defensa dos direitos humanos divulga o relato de uma testemunha do ataque à cidade de Baga, às margens do lago Chade. A fonte, que não teve seu nome revelado, contou que uma mulher grávida foi morta durante o trabalho de parto, assim como várias crianças.

“Metade do bebê já havia saído, e ela morreu nessa posição”, afirmou a testemunha, citada pela Anistia.

Segundo a organização, centenas de pessoas podem ter sido assassinadas nesta ofensiva lançada em 3 de janeiro. O ataque parecia ter como alvo milícias civis de autodefesa que ajudam o Exército contra o Boko Haram.

Uma mulher entrevistada pela AI disse “que havia cadáveres para onde quer que eu olhasse”.

Um homem que conseguiu escapar da chacina de Baga, após permanecer escondido por três dias, contou ter ‘andado sobre os cadáveres’ por cinco quilômetros em sua fuga.

A Anistia também divulgou imagens de satélite de Baga e Doron Baga, a 2,5 km de distância, mostrando a extensão dos ataques. “Essas imagens detalhadas mostram as proporções catastróficas da devastação nas duas cidades; uma delas tendo quase sido varrida do mapa no intervalo de quatro dias”, declarou o investigador da ONG na Nigéria, Daniel Eyre.

Para a Anistia, os testemunhos e as imagens de satélite contribuem para provar que a ofensiva do Boko Haram é ‘a maior e mais destruidora’ já cometida pelo grupo em seu combate para estabelecer um califado islâmico no nordeste da Nigéria.

Mais de 3.700 estruturas foram danificadas, ou destruídas – 620, em Baga; e 3.100, em Doron Baga -, segundo estimativa da Anistia Internacional. A organização alerta que esse número pode ser bem maior.

Esta semana, o Exército nigeriano declarou que 150 pessoas foram mortas e rejeitou as estimativas ‘sensacionalistas’ de mais de dois mil vítimas fatais. Em geral, a tendência da corporação é minimizar os balanços das vítimas.

Os observadores avaliam que será quase impossível saber o número exato, já que o acesso à cidade de Baga e a seus arredores está sob controle rebelde.

Autoridades locais informaram que 16 povoados foram queimados, e 20 mil moradores fugiram da região. “Os assassinatos deliberados de civis e a destruição de seus bens por parte do Boko Haram constituem crimes de guerra e crimes contra humanidade e pedem uma investigação”, declarou a Anistia Internacional.

O ataque de Baga acontece a pouco menos de um mês das eleições presidencial e legislativas, previstas para 14 de fevereiro. A escalada da violência tem como objetivo desestabilizar o pleito.

 

Da France Presse

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Colômbia quer cessar-fogo bilateral e definitivo com as Farc, diz presidente

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse nesta quarta-feira (14) que deu instruções aos negociadores de paz em Havana para iniciar “o mais rápido possível” as discussões para avançar rumo a um “cessar fogo bilateral e definitivo” com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

“Dei instruções aos negociadores para que iniciem o mais rápido possível a discussão sobre um cessar fogo bilateral e definitivo”, afirmou o presidente em pronunciamento sobre o processo de paz na sede do governo colombiano.

Santos destacou que as Farc estão cumprindo o cessar-fogo unilateral e indefinido, iniciado no dia 20 de dezembro, e considerou que o gesto da guerrilha é “um passo na direção certa”. O presidente colombiano também garantiu que nos diálogos de Havana, que acontecem há dois anos, já estão sendo discutidos os dois últimos pontos da agenda, que são os Direitos das Vítimas e o Fim do Conflito propriamente dito.

“Já começamos a trabalhar nos acordos sobre a forma como a guerrilha deixará a luta armada e se reintegrará à vida civil”, disse Santos.

Além disso, Santos considerou ‘positivas’ as declarações do Exército de Libertação Nacional (ELN), a segunda guerrilha do país, que manifestou nos últimos dias sua disposição de também abandonar a luta armada.

Farc sinaliza acordo
As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) responderam em Havana ao presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos. Elas asseguraram que a guerrilha está pronta para discutir com o governo ‘o cessar-fogo bilateral’. O anúncio foi feito através de um comunicado assinado pela Delegação de Paz das Farc no país.

“Recebemos com consentimento a declaração do presidente Santos no sentido de enviar seus plenipotenciários a Havana para discutir imediatamente o cessar-fogo bilateral”, afirmaram as Farc em um documento divulgado em seu site.

As Farc acrescentaram que, apesar de Santos ter dito que a guerrilha está ‘no caminho correto’ ao declarar uma trégua unilateral e indefinida, as ordens do governo de continuar com sua ofensiva contra os guerrilheiros é contraditória.

 

Da EFE

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.