‘Negra feia e desgraçada’: o ataque racista contra idosa dentro de avião que gerou enxurrada de críticas a companhia aérea

Por BBC

Insultos de passageiro contra idosa negra foram registrados em vídeo por outras pessoas a bordo da aeronave — Foto: Facebook/David Lawrence/BBC

Passageiros de um voo da companhia aérea de baixo custo Ryanair testemunharam a hostilidade de um homem que agrediu com insultos racistas uma mulher negra de 77 anos.

O ataque, ocorrido em um voo de Barcelona para Londres na última sexta-feira, foi registrado em vídeo por um dos passageiros, que compartilhou as imagens nas redes sociais.

O incidente gerou uma onda de críticas à companhia aérea, por não ter retirado o passageiro agressor da aeronave. Muitas pessoas ameaçaram, inclusive, boicotar a empresa, sediada na Irlanda.

A Ryanair afirmou, por sua vez, que “não vai tolerar comportamentos indisciplinados como esse (do passageiro)”. E avisou que notificou o caso à polícia britânica.

‘Muito agressivo’

No vídeo, visualizado mais de 1,8 milhões de vezes no Facebook, pode-se ouvir o homem insultando a mulher que estava sentada na mesma fileira dele e ameaçando “empurrá-la” para outro lugar.

“Não me importa se ela é uma pessoa com deficiência ou não. Não me diga o que eu devo fazer. Se eu digo a ela que ela tem que sair, ela tem que sair”, diz ele à filha da passageira, que está sentada ao seu lado.

A passageira, então, reage: “Você fede. Você precisa de um banho”.

Ele responde: “Estou dizendo a você. Se você não mudar de assento, eu vou empurrá-la para outro assento”.

E acrescenta: “Não fale comigo em uma língua estrangeira, sua vaca feia e estúpida.”

Um passageiro sentado na fileira de trás intervém e o homem diz: “Eu vou continuar por quanto tempo eu quiser com essa negra feia e desgraçada”.

A filha disse ao site The Huffington Post que a discussão começou porque sua mãe tem artrite e demorou para se levantar da poltrona, localizada no corredor, para que o homem sentasse na janela.

David Lawrence, que filmou o episódio, contou em entrevista à BBC Radio 5 Live o que testemunhou:

“Tudo estava tranquilo, estávamos nos preparando para decolar. Foi quando ele embarcou e ao chegar ao assento, falou asperamente com a mulher que estava sentada no corredor.”

“Foi isso que me chamou a atenção, ele estava falando muito alto e sendo muito agressivo.”

E começou a gritar com a mulher, dizendo “sai do caminho”, “tira os pés”, “você não deveria estar sentada aqui”.

Lawrence relatou que inicialmente os comissários de bordo não se envolveram. Segundo ele, a filha da senhora, que estava sentada em outra fileira, chegou e “iniciou uma discussão”.

“Ele passou por cima da mulher e sentou no lugar dele”, acrescenta.

Foi então que ele começou a registrar em vídeo o que veio a seguir, que descreve como uma “discussão repugnante de insultos raciais e linguagem grosseira”.

A filha contou que estava viajando de férias com a mãe, que imigrou da Jamaica para o Reino Unido na década de 1960, para marcar o aniversário de um ano da morte de seu marido.

“Sei que se eu ou qualquer outra pessoa negra estivesse se comportando como ele, teriam chamado a polícia e nos colocado para fora do avião”, disse ao The Huffington Post.

“Minha mãe ficou muito chateada e estressada com a situação toda, além da dor que já estava sentindo. Quanto a mim, também estou chateada com isso tudo: o fato de o passageiro não ter sido retirado do avião, e a forma como trataram a situação”, completou.

‘Situação horrível’

Um rapaz sentado na fileira logo atrás interveio, pedindo que o homem parasse de gritar. E recebeu elogios nas redes sociais.

Um comissário da Ryanair disse ao agressor: “Não seja tão grosseiro, você precisa se acalmar”.

Na sequência, ele avisa que vai reportar o incidente ao seu supervisor. E o homem responde: “Tudo bem”.

“Estou muito chocado”, desabafou Lawrence. “Não houve reação [da maioria dos outros passageiros]. Ninguém disse nada. O rapaz que realmente interveio… se viu obrigado a tomar uma atitude.”

Ele afirmou que foi uma “situação horrível” e que estava “chocado” com o fato de a Ryanair “permitir que algo assim não fosse controlado”.

O parlamentar Karl Turner está entre os que tuitaram sobre o incidente, dizendo que reforça “a tendência das companhias aéreas de ignorar esse tipo de comportamento”.

Ele também afirmou que o passageiro “deveria ter sido retirado do voo e entregue à polícia”.

Quem criticou o incidente e a forma como foi gerenciado concorda que o homem deveria ter sido colocado para fora do avião – em vez de a mulher ter mudado de lugar.

A Ryanair disse à BBC:

“Operamos diretrizes rígidas para passageiros que causam confusão e não vamos tolerar comportamentos indisciplinados como esse.”

“Vamos levar este assunto adiante e um comportamento abusivo ou que cause transtorno como esse fará com que passageiros sejam proibidos de viajar”, acrescentou.

A polícia britânica de Essex, onde fica localizado o Aeroporto de Stansted, destino do voo, está conduzindo a investigação.

“A Polícia de Essex leva a sério crimes relacionados a preconceito e queremos que todos os incidentes sejam denunciados. Estamos trabalhando em parceria com a Ryanair e as autoridades espanholas na investigação.”

O Departamento de Transportes informou, por sua vez, que “todos devem poder desfrutar de uma jornada segura e tranquila sem que seu voo seja estragado por uma minoria que causa confusão”.

E disse que trabalharia com as companhias aéreas e aeroportos “para ver o que mais pode ser feito para lidar com passageiros que geram transtornos”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Rússia diz que mundo será mais perigoso com saída americana de tratado nuclear e pede explicações

Por G1

O anúncio do governo dos Estados Unidos de que prevê a retirada de um acordo assinado durante a Guerra Fria sobre mísseis nucleares de alcance intermediário deixará o mundo mais perigoso, afirmou o Kremlin. Moscou espera “explicações” da parte de Washington, que alegou violações da Rússia para tomar essa decisão.

“As iniciativas deste tipo, caso aconteçam, deixarão o mundo mais perigoso”, afirmou segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

O ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse nesta segunda-feira que Moscou espera que os Estados Unidos expliquem seus planos, segundo a Reuters.

O Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), negociado pelo então presidente dos Estados Unidos Ronald Regan e pelo líder soviético Mikhail Gorbachev em 1987, estabeleceu a eliminação de mísseis nucleares e convencionais de alcances curto e intermediário por ambos os países.

“A Rússia não honrou, infelizmente, o acordo então nós vamos encerrá-lo e sair dele”, disse Trump a jornalistas no domingo (21).

As autoridades americanas afirmam que o sistema russo pode permitir ao país lançar um ataque nuclear contra a Europa com rapidez. A Rússia tem consistentemente negado qualquer violação do tratado.

Segundo Peskov, o presidente russo, Vladimir Putin, já disse repetidamente que o fim do tratado forçaria a Rússia a agir para restaurar o equilíbrio do poderio militar e proteger sua própria segurança.

“Isso quer dizer que os Estados Unidos não estão disfarçando, mas estão abertamente começando a desenvolver esses sistemas no futuro e, se esses sistemas estão sendo desenvolvidos, então ações de outros países são necessárias, neste caso da Rússia, para restaurar o equilíbrio nesta esfera”, disse Peskov.

Os Estados Unidos terão um período de seis meses para se retirar do tratado depois que Washington notificar oficialmente sua saída, disse Peskov, algo que ainda não fizeram.

Isso quer dizer que a possibilidade da Rússia desenvolver seus próprios mísseis de alcance intermediário –algo que Washington já acusa Moscou de fazer –não é “para hoje ou amanhã”, acrescentou.

União Europeia

A União Europeia pediu nesta segunda-feira a Estados Unidos e Rússia um diálogo para “preservar” um tratado de da Guerra Fria sobre os mísseis nucleares.

“Estados Unidos e a Federação Russa devem manter um diálogo construtivo para preservar este tratado e garantir sua plena e verdadeira aplicação”, disse a porta-voz da diplomacia europeia, Maja Kocijancic, em Bruxelas.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Morre aos 90 anos o Nobel de Química Osamu Shimomura

Por Agencia EFE

O químico e biólogo marinho japonês Osamu Shimomura, agraciado em 2008 com o Prêmio Nobel de Química pela descoberta e desenvolvimento da proteína verde fluorescente (GFP), morreu aos 90 anos, informou nesta segunda-feira (22) a imprensa local.

Shimomura, que ganhou o prêmio junto com os americanos Martin Chalfie e Roger Tsien, morreu na cidade de Nagasaki, no sudoeste de Japão, no dia 19 de outubro, segundo o jornal Asahi.

O japonês foi a primeira pessoa que em 1962 isolou e descreveu a proteína verde fluorescente de um exemplar de gelatina cristal (Aequorea victoria), uma medusa bioluminiscente.

A descoberta permitiu criar uma ferramenta que os pesquisadores usam para rastrear o movimento de moléculas dentro de uma célula.

Filho de um capitão do exército imperial japonês, Shimomura nasceu em 27 de agosto de 1928 na cidade de Fukuchiyama (centro), embora tenha sido educado na antiga Manchúria (nordeste da China), Osaka e Nagasaki, onde trabalhava em uma fábrica de munição quando a segunda bomba nuclear foi lançada pelos EUA no dia 9 de agosto de 1945.

Em 1951 se graduou na Escola de Farmácia de Nagasaki como o primeiro da sua turma. Quatro anos depois entrou para fazer parte como estudante pesquisador na Universidade de Nagoya (centro), onde seguiu sendo professor associado de Química até sua morte.

Em 1960 embarcou em uma viagem aos Estados Unidos que lhe levaria junto com sua mulher, Akemi Okubo (também química orgânica e companheira das suas pesquisas), à Universidade de Princeton e a sua revolucionária descoberta.

Após receber o Nobel, Shimomura continuou com sua pesquisa em sua residência nos EUA, mas nos últimos tempos tinha voltado a Nagasaki para se recuperar depois que sua saúde piorou no ano passado, segundo informou a emissora pública “NHK”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Tremores atingem o Canadá

Por G1

Um forte terremoto seguido de várias réplicas foi registrado no Canadá na segunda-feira (22), segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, da sigla em inglês). Não houve registro de danos ou vítimas. Também não houve alerta de tsunami.

O mais intenso dos abalos teve magnitude 6,8. Seu epicentro foi detectado a 197 km e 10 km de profundidade ao sul de Port Hardy, na região noroeste de Vancouver, na província de Columbia Britânica, que abrange toda a costa oeste do país.

Terremotos atingem o Canadá — Foto: Infografia: Editoria de Arte G1

Terremotos atingem o Canadá — Foto: Infografia: Editoria de Arte G

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Moda perigosa: cigarros eletrônicos viram caso de polícia nos EUA

Por Fantástico

Foi de repente que os professores de uma escola nos Estados Unidos perceberam que os alunos estavam pedindo demais para ir ao banheiro e não ficavam cinco minutos, mas 20 minutos, meia hora. Eles resolveram investigar e descobriram que os alunos se reuniam para fumar cigarros eletrônicos.

“A nicotina é a droga que provoca a dependência química mais escravizante que a medicina conhece. O cigarro eletrônico é um aparelhinho para administrar a nicotina. A diferença é que o cigarro comum contém alcatrão e outras substâncias cancerígenas. Mas a nicotina é a mesma, afirma Dr. Drauzio Varella.

Nos Estados Unidos, o governo está investigando várias marcas de cigarros eletrônicos que, segundo eles, têm como público-alvo exatamente os adolescentes. Principalmente por causa dos sabores, como: morango, chiclete e maçã.

No Brasil, a comercialização dos cigarros eletrônicos é proibida pela Agência Nacional de Saúde. A Anvisa diz que não há estudos que comprovem que esses dispositivos trazem menos risco à saúde.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Mergulhador ganha abraço de foca em arquipélago na Inglaterra

Por G1

Mergulhador britânico ganha abraço de foca nas Ilhas Farne

Mergulhador britânico ganha abraço de foca nas Ilhas Farne

Existe uma razão pela qual as focas são chamadas de “cachorros do oceano”. Basta ver o vídeo acima feito pelo mergulhador britânico Ben Burnville, e divulgado pela NBC, para entender.

Ben mergulhou nas Ilhas Farne, situadas no Mar do Norte na costa Leste de Northumberland, na Inglaterra. Ele contou que se tornou “amigo” de um grande número de focas. Uma delas, inclusive, foi gravada dando “um abraço” e interagindo de forma muito próxima.

E o carinho não é só com os humanos. Em 2013, o G1 mostrou uma foto feita pelo fotógrafo da agência Reuters Nigel Roddis. Nela, duas focas dão um “abraço submarino” nas mesmas ilhas inglesas. 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

China registra o menor crescimento trimestral em 9 anos

Por G1

China registra o menor crescimento trimestral em 9 anos — Foto: Reprodução/JN

China registra o menor crescimento trimestral em 9 anos — Foto: Reprodução/JN

O Produto Interno Bruto (PIB) da China subiu 6,5% no terceiro trimestre de 2018, na comparação com o mesmo período do ano anterior, informou nesta sexta-feira (19) o Escritório Nacional de Estatísticas (ONE) do país.

Apesar do crescimento estar em linha com a meta de crescimento estabelecida pelo governo para o ano, trata-se do pior resultado trimestral em nove anos. Foi o crescimento mais frágil registrado pelo país asiático desde o primeiro trimestre de 2009, quando a crise financeira atingiu os mercados mundiais, segundo a agência France Presse.

O crescimento da segunda maior economia mundial foi 0,2% menor que o registrado no segundo trimestre, e também desacelerou em relação ao resultado do 1º trimestre (6,8%).

Durante os três primeiros trimestres de 2018, o PIB da China acumulou um crescimento do 6,7% em relação ao mesmo período do ano anterior, com aumento anual de 3,4% no setor primário, de 5,8% no secundário ou industrial e de 6,5% no setor terciário ou serviços.

“A tendência de desaceleração está se fortalecendo apesar da promessa das autoridades chinesas de encorajar o investimento doméstico para sustentar a economia. A demanda doméstica está mais fraca do que as exportações inesperadamente sólidas”, disse à agência Reuters Kota Hirayama, economista sênior de mercados emergentes do SMBC Nikko Securities.

Na comparação com o trimestre imediatamente anterior, o crescimento desacelerou para 1,6%, ante 1,7% no segundo trimestre.

Outros dados divulgados simultaneamente pelo Escritório Nacional de Estatísticas da China também mostraram perda de ritmo da economia chinesa. A produção industrial votou a desacelerar em setembro a 5,8% em ritmo anual.

A única boa notícia foi o aumento das vendas no varejo, reflexo do consumo, com uma aceleração surpreendente de 9,2% em ritmo anual em setembro, dois décimos a mais que em agosto.

Efeitos da guerra comercial

A atividade chinesa sofre os efeitos da guerra comercial entre Pequim e Washington. O governo de Donald Trump adotou desde julho tarifas de importação para produtos chineses que alcançam 250 bilhões de dólares por ano, o que provocou represálias de Pequim sobre US$ 110 bilhões em bens americanos.

As exportações, no entanto, permanecem como um dos motores da economia chinesa e as taxas sobre automóveis, máquinas e eletrodomésticos chineses levaram diversas empresas a transferir a produção ou congelar os investimentos na China.

“Olhando à frente, o cenário econômico não é otimista com as exportações enfrentando mais obstáculos com as tarifas dos EUA e a demanda de países emergentes caindo. O crescimento do PIB deve desacelerar a 6,0-6,2% no próximo ano”, disse Nie Wen, analista do Hwabao Trust Shanghai.

A guerra comercial, acompanha de uma grande tensão política entre as duas potências, piora uma conjuntura já muito delicada, afetada pelos esforços do regime comunista para reduzir a dívida.

Com a meta de conter o aumento da dívida do país (mais de 250% do PIB), o governo se esforça desde o ano passado para endurecer as condições de crédito e pressiona as autoridades locais para reduzir os gastos públicos e os investimentos a crédito, destaca a agência France Presse.

Isto penaliza diretamente as grandes obras de infraestrutura e o setor imobiliário – pilares do PIB chinês – e complica o financiamento das empresas.

Sinal do esfriamento, os investimentos em capital fixo, termômetro dos gastos em infraestruturas, permanecem estagnados. Registraram um leve e inesperado crescimento, a 5,4% nos três primeiros meses do ano, depois de um aumento de 5,3% no período janeiro-agosto, mas permanecem perto do nível de alta mais frágil já registrado.

Em um movimento para TENTAR aumentar a confiança dos investidores, o presidente do Banco do Povo da China disse nesta sexta-feira que os valores atuais das ações da China não estão alinhadas com fundamentos econômicos sólidos e que o banco promulgará medidas direcionadas para ajudar a aliviar os problemas financeiros das empresas e encorajar bancos comerciais a aumentar os empréstimos à empresas privadas.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, fechou em alta de 3%, enquanto o índice de Xangai avançou 2,58%.

“Os dados do PIB confirmam a expectativa do mercado de desaceleração no desempenho econômico, e as autoridades estão fazendo grandes esforços para melhorar o sentimento do mercado”, disse à Reuters Josh Sheng, diretor de investimentos da Shanghai Tongshengtonghui Asset Management.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Trump diz que jornalista desaparecido em consulado deve estar morto

Do Jornal Nacional

O presidente dos Estados Unidos disse nesta quinta-feira (18) que o jornalista que desapareceu no consulado saudita na Turquia deve estar morto.

Pela primeira vez Donald Trump admitiu que ao que tudo indica, o jornalista do Washington Post está morto e que se isso se confirmar, as consequências para a Arábia Saudita vão ser severas.

No início desta quinta-feira (18), o secretário de Estado, Mike Pompeo, tinha aconselhado Donald Trump a dar mais alguns dias para os sauditas completarem um relatório sobre o desaparecimento do jornalista Jamal Khashoggi no consulado em Istambul.

A Casa Branca pode preferir a cautela, mas na Turquia existe pressa. A polícia diz que está procurando o corpo, ou partes do corpo, ao redor de Istambul.

Os serviços de segurança turcos afirmam que as imagens e o som gravados dentro do consulado mostram que os dedos de Khashoggi foram cortados, ele foi decapitado e o corpo foi desmembrado.

Coincidência ou não, um dos 15 homens que teriam participado da operação, Mashal Saad al-Bostani, morreu num acidente de carro na quarta-feira (17) na capital saudita.

A suspeita de que a família real sabia o que estava acontecendo com Jamal Khashoggi está custando caro à imagem da Arábia Saudita. A maior conferência econômica já planejada no país, que começa na terça-feira (23), tinha atraído nomes importantes do mundo inteiro.

Mas as desistências estão se acumulando. O secretário do Tesouro americano Steven Mnuchin não vai mais, nem a diretora do FMI, Christine Lagarde, ministros europeus e representantes de grandes empresas.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Forte turbulência deixa 15 feridos em voo entre Miami e Buenos Aires

Por G1

Passageiros observam objetos espalhados no chão de avião da Aerolineas Argentinas após forte turbulência em voo entre Miami e Buenos Aires, na quinta-feira (18) — Foto: Reprodução/Twitter/Martin Narducci

Passageiros observam objetos espalhados no chão de avião da Aerolineas Argentinas após forte turbulência em voo entre Miami e Buenos Aires, na quinta-feira (18) — Foto: Reprodução/Twitter/Martin Narducci

Uma forte turbulência durante o trajeto entre Miami e Buenos Aires deixou 15 feridos em um voo da Aerolineas Argentinas nesta quinta-feira (18). Oito pessoas chegaram a ser atendidas por serviços médicos, mas foram registrados apenas cortes e contusões sem gravidade.

De acordo com a companhia aérea, o incidente no voo AR-1303 aconteceu durante a fase de cruzeiro, quando a aeronave cruzava a região da Amazônia, com 192 passageiros a bordo.

A turbulência foi tão forte que fotos postadas por passageiros em redes sociais mostram o carrinho de bebidas e alimentos derrubado, além de comida e bebida espalhadas pelo chão. Os compartimentos de bagagem acima dos assentos se abriram e alguns objetos também caíram.

Após o incidente, o voo prosseguiu normalmente e o avião pousou no aeroporto de Ezeiza, na capital argentina, onde passageiros e tripulação foram recebidos por uma equipe da companhia aérea e passaram por uma avaliação médica.

Em seu comunicado, a Aerolineas explica que turbulências ocorrem quando duas massas de ar de diferentes temperaturas ou velocidades colidem, o que pode produzir movimentos bruscos e intensos na aeronave, sem comprometer necessariamente a segurança do voo.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Deputados uruguaios aprovam lei que garante direitos para transgêneros

Por Agencia EFE

A Câmara dos Deputados do Uruguai aprovou na madrugada desta sexta-feira (19) uma legislação que estabelece medidas para combater a discriminação contra trangêneros e avançar na garantia de seus direitos, como o acesso ao trabalho e à moradia. Já aprovada no Senado, a lei será promulgada pelo executivo.

Com apoio não apenas dos representantes da coalizão governamental Frente Ampla (FA, esquerda), mas também da oposição, a lei foi aprovada por 66 votos dos 88 em uma sessão que começou na quinta-feira (18) e durou mais de 10 horas. Pelo menos 40 parlamentares discursaram.

A lei estabelece facilidades para a mudança de nome das pessoas trans no Registro Civil e obriga aos poderes Legislativo, Executivo e Judicial, governos departamentais, entidades autônomas e outras repartições públicas que destinem, por ano, 1% de vagas de emprego para esta população.

Além disso, o Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional deve determinar uma cota “não inferior a 1%” dos seus programas de capacitação para esse grupo.

A deputada Manuela Mutti, do FA, afirmou disse à Agência Efe que a aprovação da lei faz com que o Uruguai avance não apenas “em direitos, em democracia” mas também “nas possibilidades de realmente ter uma sociedade mais participativa e mais justa”.

“Embora todos nós tenhamos direitos desde que nascemos, o país [se dá conta de que] ainda há um caminho muito longo para percorrer e que necessitamos legislar mais pontualmente em certas situações. Esta população tem permanentemente os direitos violados e não deveria ser assim. [E isso passa] pela sua condição de gênero”, afirmou Manuela Mutti.

Artigos polêmicos

Um dos artigos, que despertou polêmica na opinião pública e entre os legisladores, é o que estabelece que menores de 18 anos não necessitam da autorização dos pais para mudar seu nome ou receber tratamento hormonal.

“Pessoas menores de 18 anos de idade devem comparecer para solicitar a mudança de nome e sexo acompanhados de seus representantes legais, ou credenciado em seus conhecimentos da realização do trâmite”, prevê a legislação.

Em caso de não obter a autorização, o menor poderá recorrer ao estabelecido no artigo 110 do Código Civil e 404 do Código Geral do Processo onde deve ser levado em conta “o interesse superior do menor”.

Outro artigo que foi muito criticado é o que dita que as pessoas trans, nascidas antes de 31 de dezembro de 1975, que demonstrem ter sido vítimas de violência institucional ou privada da sua liberdade como consequência das forças de segurança, têm direito a uma reparação econômica.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.