Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Dal Pozzo lembra desconfiança sobre jogadores e vê Sport fortalecido para 2022: “Orgulho”

“Se serve de consolo nesse momento, é ver uma projeção e ver uma luz”, diz treinador sobre evolução da equipe após vice-campeonato na Copa do Nordeste

Por Camila Alves — Recife

globo esporte

Gilmar Dal Pozzo chegou ao Sport há menos de um mês, apresentado no dia 14 de março. Assinou o contrato sob críticas da torcida e com a missão de assumir uma equipe que vinha de uma eliminação precoce, na estreia da Copa do Brasil – pelo quarto ano seguido. Eram obstáculos impostos ao treinador mesmo antes de entrar em campo, mas que agora começam a ser quebrados.

Após o vice na Copa do Nordeste – com a derrota para o Fortaleza, no domingo -, Dal Pozzo lembra a desconfiança sobre os jogadores ainda na chegada ao clube e diz que agora vê a equipe fortalecida para a continuidade da temporada.

– Peguei um grupo que veio de uma temporada ruim, começou oscilando e veio o golpe da queda na Copa do Brasil. Tinha muita desconfiança por parte de vários jogadores, mas eles compraram a ideia do técnico. Tenho muito orgulho desse grupo pelo que apresentou e me dá muita confiança de fazer uma sequência de temporada muito boa – afirma.

Dal Pozzo estreou pelo Sport no dia 16 de março, na quarta partida disputada pela equipe desde a queda na Copa do Brasil – as três anteriores foram comandadas pelo auxiliar César Lucena.

Agora, o treinador tem seis duelos disputados – sendo quatro eliminatórios – e 61% de aproveitamento neste período. Foram três vitórias, dois empates e uma só derrota – justamente na segunda final da Copa do Nordeste, contra o Fortaleza.

Dói muito, odeio perder. Mas se serve de consolo nesse momento, é ver uma projeção e ver uma luz. É nesse sentimento que saio desse jogo.— diz o treinador em referência à perda do título do Nordestão.

Cabral Neto analisa desempenho do Sport e polêmicas da final da Copa do Nordeste

Sport empatou o primeiro confronto na Arena de Pernambuco, mas terminou derrotado por 1 a 0 no Castelão e perdeu o título do torneio regional.

Sem tempo para lamentações, a equipe agora se prepara para enfrentar o Salgueiro nas quartas de final do Pernambucano – às 20h desta quarta-feira – e para a estreia na Série B – no sábado, diante do Sampaio Corrêa.

– Falei para os atletas no vestiário que é dolorido e que essas lágrimas de tristeza, porque o torcedor pode ter certeza que está doendo para nós também, na sequência da temporada vão ser lágrimas de alegria. Esse grupo tem comprometimento, alma e caráter. E eles sabem das responsabilidades que temos na temporada.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Análise: trabalho de Leston rende frutos e oferece ao Santa Cruz um norte para a Série D

Mesmo após a queda no Pernambucano, técnico matura elenco para Brasileiro e dá boas perspectivas para o Tricolor disputar o acesso; ge projeta segundo semestre coral

Por Camila Sousa — Recife

globo esporte

A eliminação nos pênaltis para o Náutico, minando a chance do Santa Cruz de voltar a uma disputa por título do Pernambucano e, de quebra, uma vaga direta na Copa do Brasil 2023, naturalmente é incômoda. Mas, em uma análise fria, fugindo da ‘romantização’ pela derrota, é preciso olhar além e perceber que o contexto do Tricolor não é de terra arrasada pela queda no Estadual.

Diante do aperto financeiro e do calendário enxuto, atrativos que poderiam seduzir atletas, mesmo que para disputar uma Quarta Divisão do Brasileiro, Leston Júnior obteve êxito em montar um elenco que entende e executa seus conceitos de jogo, extraindo o melhor possível para o que hoje tem em mãos. Como reforça o comentarista da Globo, Danny Morais.

– O elenco foi difícil de montar, pela questão financeira, pela questão de estar jogando uma Série D, sem Copa do Brasil e Copa do Nordeste, e ele (Leston) conseguiu buscar alguns atletas que são a espinha dorsal da equipe. O Santa Cruz se mostrou todo o campeonato um time equilibrado, organizado. Leston tem um modelo de jogo que foi bem entendido e executado pelos atletas – explica.

Ainda que em um cenário desfavorável na semifinal, sem sua torcida e em um confronto único, o Santa Cruz desenhou bem sua estratégia. Sem a bola, igualou-se ao Náutico, anulando as referências técnicas do rival, como Jean Carlos; com ela, saiu para jogar, mas pecando na definição e melhor construção das jogadas. Comportamento, no geral, bastante elogiado pelo técnico Leston Júnior.

Leston Júnior, técnico do Santa Cruz, durante semifinal do Campeonato Pernambucano contra o Náutico — Foto: Marlon Costa/Pernambuco PressFomos eliminados, mas temos que enaltecer o brio desses atletas, parabenizar pelo trabalho e evolução. Nossa postura deixa uma perspectiva boa para a sequência da temporada.— destaca Leston Júnior

No segundo tempo, contudo, o contexto do jogo mudou: o Santa Cruz caiu de rendimento, principalmente após as substituições de Rafael Furtado e Mateus Anderson, referências do ataque, ambos com cansaço. O que permitiu ao Náutico chegar mais ao campo de defesa tricolor. Sobre isso, o comentarista da Globo, Cabral Neto, avalia.

“Seu sistema defensivo precisa evoluir. Ainda sofre com a síndrome do cobertor curto: quando prioriza a marcação tem dificuldade em criar volume ofensivo. Mas criou mais virtudes que defeitos”, diz.

Em suma: ainda que apresentando lacunas naturais de um elenco que tem suas limitações, o Santa Cruz de Leston já mostrou que oferece perspectivas de crescimento para disputar bem a Série D, principal competição do ano para o clube. Mesmo com a eliminação para o Náutico na semifinal do Pernambucano, o trabalho do técnico não deve ser apagado. Inclusive porque superou as expectativas, de acordo com o próprio Leston.

Entretanto, a diretoria tem a missão de entregar ao treinador mais alternativas para qualificar o elenco, visando o Brasileiro, que já começa no dia 17 ou 18 deste mês, diante do Lagarto, fora de casa. Em pauta, no mínimo três reforços são esperados pelo clube.

– Seria muito injusto cobrar uma entrega maior do que a que vem sendo feita com tão pouco tempo de trabalho e a eliminação na semifinal do Estadual não diminui a análise sobre o rendimento da equipe. Além disso, o grande alvo do clube não deve ser o Campeonato Pernambucano. A meta é chegar mais forte no segundo semestre, a Série D não comporta um clube desse tamanho – acrescenta Cabral Neto.

– O trabalho do Leston deve seguir. Essa sequência é muito importante, junto com a vinda de alguns jogadores para agregar tecnicamente e também com experiência. Com esse modelo de jogo e o entendimento dos jogadores crescendo, além da identificação com o clube aumentando, pode ser sim uma fórmula de sucesso para o Santa Cruz conseguir o acesso à Série C nesse ano – conclui Danny Morais.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Após retorno ao time, Kieza mira voltar a ter sequência de jogos pelo Náutico durante a Série B

Atacante de 35 anos vem de duas lesões graves e disputou cinco jogos nos últimos oito meses: “Quando estou bem, sou um jogador que dificilmente se tem no Campeonato Brasileiro”, afirmou

Por Redação ge — Recife

globo esporte

No último sábado, na semifinal do Campeonato Pernambucano contra o Santa Cruz, o atacante Kieza voltou a disputar uma partida pelo Náutico após 45 dias se recuperando de uma lesão muscular de grau 3 na coxa. Foi apenas o quinto compromisso do K9 na temporada, uma vez que ele passou por uma cirurgia no ano passado após sofrer uma ruptura no tendão de Aquiles no dia 24 de julho, contra o Brusque. Agora, enfim, o ídolo alvirrubro espera voltar a ter uma sequência de jogos.

Classificado para a final do Estadual, o Náutico ainda aguarda a definição do seu adversário entre Salgueiro, Sport e Retrô. Enquanto isso, o elenco volta suas atenções para a disputa do Campeonato Brasileiro. A estreia será no próximo domingo, às 11h, contra o Londrina, no estádio do Café.

– Sei do tempo que fiquei fora e do que um jogo pede. Temos essa semana toda para se preparar um pouco mais e estar um pouco melhor na parte física e também na parte técnica – iniciou o atacante.

Kieza, por sinal, admitiu que houve uma precipitação no seu primeiro retorno ao time neste ano, quando disputou quatro jogos em um intervalo de 15 dias. Até por conta disso, vem procurando trabalhar essa nova volta à equipe com mais paciência. Até porque, segundo o próprio K9: “Quando estou bem sou um jogador que dificilmente se tem no Campeonato Brasileiro”.

Cabral Neto analisa clássico sob a perspectiva dos desafios futuros de Náutico e Santa

– Me cobro sempre, sou um cara que não gosta dessa situação. Se for parar para ver, são praticamente dez meses sem ter um ritmo de jogo. Eu me machuquei, fiz uma cirurgia e fiz de tudo para voltar antes, mas não deveria ter voltado. Eu acabei voltando antes e me machucando novamente – admitiu.

– Preciso de ritmo, de tempo para voltar a ter a melhor condição. Sei que quando estou bem sou um jogador que dificilmente se tem no Campeonato Brasileiro. Quero voltar agora muito bem fisicamente e mentalmente – concluiu.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Felipe Conceição espera contar com reforços no Náutico antes da estreia na Série B do Brasileiro

Treinador espera que clube anuncie de duas a três contratações ao longo da semana para “encorpar” elenco; alvirrubros estreiam no próximo domingo, contra o Londrina, fora de casa

Por Redação ge — Recife

globo esporte

Ainda sem data para as finais do Campeonato Pernambucano, o Náutico inicia a semana 100% focado na estreia da Série B, no próximo domingo, às 11h, no estádio do Café. Até lá, o técnico Felipe Conceição espera ganhar mais alguns reforços para o elenco.

Apesar de seguir a linha de elogiar o atual grupo de jogadores, o treinador alvirrubro admitiu a necessidade de reforços para “encorpar” o elenco visando a maratona do Campeonato Brasileiro.

– Acho que a diretoria tem consciência disso (necessidade de reforços) e está correndo atrás. O mercado não é fácil, e o orçamento do Náutico não é o orçamento de boa parte da Série B, a verdade é essa. Neste ano, a Série B será muito pesada, com várias equipes grandes. Se essas equipes estão pedindo reforços, não sou eu que não vou pedir também, né? – indagou Conceição.

– A gente precisa (contratar) e isso está claro, encorpar um pouco o elenco, mas eu sei do esforço da diretoria. A gente sempre se reúne, eu peço, a gente especifica, vê e analisa atletas no mercado. Não é fácil, mas tomara que a gente consiga ao menos duas ou três peças antes do início da competição que possam nos ajudar – completou.

Para Felipe Conceição, o atual elenco do Náutico já é competitivo para o início do Campeonato Brasileiro. Porém, para uma disputa de 38 rodadas é preciso repor alguns setores da equipe. Entre as prioridades de contratações estão mais um lateral esquerdo e zagueiros.

– Eu acho que hoje a gente já tem um time competitivo para enfrentar qualquer equipe dentro da Série B. Isso eu não tenho dúvidas. Agora, com os reforços e mais tempo de trabalho, a gente tem a expectativa e a esperança de buscar algo mais dentro da competição. Temos vários atletas que disputaram a Série B no ano passado, estão acostumados a competição e sabem o nível dificílimo. E cada ano que passa está mais difícil – concluiu.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Leston faz balanço positivo de primeiro trimestre e diz que Santa Cruz superou expectativas

Técnico repassou dificuldades enfrentadas pelo clube na montagem do elenco, mas comemorou “amadurecimento” da equipe para o restante do ano

Por Camila Sousa — Recife

globo esporte

Remontar um elenco do zero era uma tarefa difícil. O calendário enxuto e sem grandes atrativos, consequência da queda para a Série D e do drástico corte financeiro, apresentou-se como realidade para o Santa Cruz. O saldo do primeiro trimestre da temporada, mesmo após a eliminação para o Náutico na semifinal do Pernambucano, é positivo, de acordo com Leston Júnior.

Ao fazer a análise, o técnico revisitou as dificuldades no início da montagem do time, desde a reapresentação para a temporada 2022, ainda em novembro, com apenas 14 atletas, citando que as expectativas em relação ao grupo estão, hoje, bem acima do que se esperava.

– Analisando a perspectiva do clube quando nos apresentamos, hoje a perspectiva é muito superior, porque estávamos montando o elenco do zero, vindo em um cenário terrível. Hoje já temos uma estrutura de time, um elenco que conseguiu evoluir, amadureceu”, disse.

– Acredito que a primeira parte da temporada, inclusive, é superior à expectativa de muita gente, porque o cenário era muito difícil por tudo que viveu o clube. E a gente conseguiu através do trabalho, atletas, comissão, pessoal do apoio, conduzir de uma forma muito bacana. Aumentou nossa perspectiva para conquistar o principal objetivo do ano, que é o acesso à Série C – destacou Leston.

Desde a queda para a Quarta Divisão, o Santa Cruz desfez praticamente o elenco completo, sem mencionar peças do departamento de futebol: o técnico Roberto Fernandes, o executivo Fabiano Melo e o coordenador técnico Givanildo OliveiraNo total, foram 43 saídas ao longo do ano e apenas Tarcísio, entre os titulares da temporada passada, permaneceu.

– Nossa postura é algo que precisamos enaltecer, porque para os objetivos que nós temos na temporada, e o principal deles o acesso à Série C do ano que vem, esse tipo de comportamento é muito importante. A gente ser consistente, a gente incomodar o adversário ofensivamente, mesmo jogando fora de casa. Então, acredito que o saldo é positivo nesse sentido, como equipe a gente vem crescendo muito e isso dá perspectiva boa para a sequência da temporada – encerrou.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Final da Copa do Nordeste tem confusão entre comissões de Fortaleza e Sport

Nos acréscimos de partida no Castelão, uma pessoa jogou bola dentro de campo durante ataque do Rubro-negro, e preparador de goleiros do time pernambucano arremessou uma toalha

Por Redação do ge — Recife

globo esporte

Comissões de Sport e Fortaleza brigam após pessoa em campo jogar bola durante ataque do Rubro-negro

A segunda partida da final da Copa do Nordeste terminou com confusão entre membros das comissões técnicas de Fortaleza e Sport, na noite deste domingo. O desentendimento aconteceu já nos acréscimos, e pouco depois de os ânimos se acalmarem o jogo terminou com vitória por 1 a 0 do Fortaleza – que garantiu o bicampeonato.

Uma pessoa próxima ao banco de reservas do Fortaleza jogou uma bola em campo no momento de ataque do Sport, que tentava empate com um a mais em campo. O preparador de goleiros do Rubro-negro, Jorcey Anisio, aparece na sequência jogando uma camisa na pessoa em questão – ele acabou sendo expulso pelo árbitro Marielson Alves da Silva.

O Leão do Pici marcou gol com Yago Pikachu, nos acréscimos do primeiro tempo. O jogo foi marcado por ânimos exaltados e lances capitais do VAR – um deles anulou um pênalti marcado a favor do Sport, assinalando falta próxima à área do Fortaleza, e outro gerou expulsão de Robson, do time cearense, por agressão.

Preparador de goleiros do Sport joga toalha em pessoa próxima ao banco do Fortaleza — Foto: Reprodução

Preparador de goleiros do Sport joga toalha em pessoa próxima ao banco do Fortaleza — Foto: Reprodução

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Choro de Bill ao dedicar gol a ucranianos viraliza e emociona até rivais: “De cortar o coração”

Atacante que saiu do Dnipro-1 para o Sport por conta de guerra com a Rússia empatou partida pela final do Nordestão contra o Fortaleza e deu entrevista aos prantos

Por Redação do ge — Recife

globo esporte

Gol do Sport! Aos 46′ do 2º tempo, Juba cobra falta na cabeça de Bill para empatar o jogo

O gol, por si só, já deu o que falar. Bill marcou nos acréscimos e garantiu o empate por 1 a 1 do Sport contra o Fortaleza, na Arena de Pernambuco, nesta quinta-feira, pela ida da final da Copa do Nordeste. Mas a entrevista pós-jogo tornou a história maior. Aos prantos, o atacante dedicou o feito ao povo ucraniano e aos companheiros do Dnipro-1, time que defendia até sair por conta da guerra contra a Rússia.

Nas redes sociais, a imagem e as palavras de Bill emocionaram os internautas. Tanto torcedores do Sport como de outros clubes repercutiram a entrevista do jogador de 22 anos, que chegou ao Leão na metade de março e só nesta quinta estreou oficialmente.

“Emocionante a entrevista do atacante Bill do Sport. Ele estava na Ucrânia e dedicou o gol aos ucranianos. De cortar o coração!”, publicou um torcedor do Santos.

Uma torcedora do Santa Cruz, rival do Leão, também elogiou o momento emocionante:

– Eu TRICOLOR me EMOCIONEI com a comemoração do jogador do Sport. O gol do Bill foi de salvar o Sport e a comemoração dele foi tão forte q eu QUASE chorei

Em seu discurso, Bill falou da dificuldade de sair do Brasil para tentar realizar seu sonho e ter que voltar em meio a uma guerra. E dedicou o gol aos companheiros do Dnipro-1.

– Eu passei por um momento difícil. Vocês sabem. Saí de uma guerra… É muito difícil pra nós. A gente sai de casa em busca de nosso sonho. E passa por uma situação dessa. É muito triste. E eu pedi tanto a Deus pra me abençoar com esse gol, para dedicar a meus companheiros que estão lá. Não só à minha equipe, mas todo o povo ucraniano que está passando por essa situação muito ruim. Dedico a eles – disse o jogador, em entrevista à ESPN.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Além de presença na final, Náutico e Santa Cruz disputam vaga na Copa do Brasil de 2023; entenda

Alvirrubros e tricolores se enfrentam no próximo sábado, nos Aflitos, valendo classificação para a decisão do Campeonato Pernambucano e uma das vagas do estado na competição nacional

Por João de Andrade Neto — Recife

globo esporte

O clássico do próximo sábado entre Náutico e Santa Cruz vale a vaga na final do Campeonato Pernambucano, mas também uma parte importante do calendário de 2023 para os dois clubes. Quem avançar para a decisão garante uma vaga na próxima Copa do Brasil, competição que os tricolores deixaram de disputar na atual temporada – e os alvirrubros no ano passado.

Isso porque Pernambuco tem direito a três vagas diretas na competição nacional. Uma delas já foi conquistada pelo Retrô, que terminou como primeiro colocado na fase classificatória do Estadual. Já as outras duas ficam com o campeão e o vice.

Para a equipe eliminada, a presença na Copa do Brasil de 2023 ainda não fica totalmente descartada, mas se torna mais difícil de ser viabilizada. Isso porque a competição reserva dez vagas a serem distribuídas via ranking da CBF, entre clubes de todo o País. E nem o Náutico, em 2021 (após ser eliminado pelo Tricolor na semifinal), nem o Santa Cruz, este ano (após cair para os alvirrubros também na semifinal), conseguiram se classificar por essa via.

As estatísticas que marcam a história do clássico entre Náutico e Santa Cruz

Em 2022, o último clube a conseguir a vaga na Copa do Brasil pelo ranking da CBF foi o Ituano, 43º colocado. O Santa ocupa atualmente a 46ª posição na lista. Já o Náutico, que disputou a competição nacional pelo título estadual do ano passado, teria herdado essa última vaga por ocupar atualmente o 38º lugar.

Por outro lado, em 2021, quando o Santa Cruz disputou a Copa do Brasil por ter sido vice-campeão pernambucano, o Náutico não conseguiu a vaga pelo ranking, uma vez que o último a ocupar esse posto foi o Vila Nova – que na época estava na 34ª posição, enquanto o Timbu ocupava o 39º lugar. O Tricolor estava em 41º.

Goleiros de Náutico e Santa Cruz falam sobre expectativa para o clássico

A presença na Copa do Brasil significa também um reforço no caixa dos clubes. Na atual temporada, só pela participação, o Náutico embolsou uma cota de R$ 620 mil, e caso tivesse avançado para a segunda etapa (foi eliminado pelo Tocantinópolis) teria direito a mais R$ 750 mil. No ano passado, o Santa Cruz faturou ao todo R$ 1,23 milhão por ter disputado as duas primeiras fases da competição (caiu para o Cianorte).

Times com vaga na Copa do Brasil via ranking em 2022

  • Santos (6º lugar)
  • Goiás (23° lugar)
  • Vitória (25º lugar)
  • Coritiba (26º lugar)
  • Ponte Preta (29º lugar)
  • Paraná (33º lugar)
  • Guarani (35º lugar)
  • Criciúma (36º lugar)
  • Brasil de Pelotas (37º lugar)
  • Oeste (43º lugar)

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Sport x Fortaleza: final da Copa do Nordeste registra recorde de público na Arena de Pernambuco

Partida de ida de decisão teve 42.544, maior marca em partidas envolvendo clubes disputada no estádio; última era do Pernambucano 2018, com 42.352 pessoas

Por Camila Alves — São Lourenço da Mata

globo esporte

A promessa era de estádio cheio. E a torcida do Sport cumpriu. A multidão rubro-negra invadiu a Arena de Pernambuco nesta quinta-feira, diante do Fortaleza, para a primeira final da Copa do Nordeste, e quebrou o recorde de público entre clubes no estádio. Foram 42.544 torcedores e torcedoras presentes, com R$ 1.897.145,00 de renda. Nomes que agora estão colocados na história.

A última marca na Arena – envolvendo clubes – pertencia à final do Campeonato Pernambucano de 2018, quando o confronto entre Náutico e Central registrou 42.352 pessoas presentes.

Naquela época, os números haviam derrubado a marca que pertencia ao próprio Sport, inclusive. O Leão registrou públicos acima dos 40 mil em duas ocasiões na Série A do Brasileiro. A maior em 2017, diante do Palmeiras, com 42.025 torcedores, e a segunda em 2015, com 41.994 pessoas, no duelo com o São Paulo. Mas o Rubro-negro queria o recorde.

A carga de ingressos oficial esgotou em menos de 24h. Foram cerca de 38 mil comprados ainda na terça-feira, com as bilheterias abertas desde às 9h e acumulando filas nos arredores da Ilha do Retiro. Sport, contudo, queria mais.

Após a intensa procura da torcida, a diretoria abriu uma carga extra de ingressos – apenas para sócios e proprietários de cadeiras. Essas entradas, por sua vez, vieram de uma negociação com o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz. Ele reduziu as entradas liberadas para o Leão do Pici, porque previa a chegada de duas mil pessoas para o confronto na Arena. Sobrariam ingressos, portanto.

Sport anuncia 42 mil ingressos vendidos para a final; e ainda tem bilhetes para sócios

A estratégia do Sport funcionou. Até a manhã desta quinta-feira, 42.977 ingressos haviam sido vendidos. A expectativa era de que os números correspondessem em campo.

Mesmo em plena noite de quinta-feira, a multidão rubro-negra invadiu a Arena de Pernambuco. Foi a segunda vez em menos de uma semana, após a semifinal contra o CRB. Agora, com o dobro de pessoas no estádio, as estradas foram congestionadas pelo volume de pessoas chegando em São Lourenço da Mata.

A decisão da Copa do Nordeste, inclusive, tornou-se a primeira partida no estado com 100% do público liberado pelo Governo de Pernambuco desde o início da pandemia da COVID-19.

Os maiores públicos na Arena Pernambuco

O maior público geral da Arena de Pernambuco pertence ao confronto entre Brasil e Uruguai, que aconteceu em 2016, durante as Eliminatórias da Copa do Mundo. Foram 45.010 presentes na ocasião – quando o estádio recebeu divisórias menores entre as torcidas.

  1. 45.010 – Brasil 2 x 2 Uruguai: 25 de março de 2016, nas Eliminatórias da Copa do Mundo
  2. 42.544 – Sport x Fortaleza: 31 de março de 2022, na final da Copa do Nordeste
  3. 42.352 – Náutico 2 x 1 Central: 08 de abril de 2018, no Campeonato Pernambucano
  4. 42.025 – Sport 0 x 2 Palmeiras: 23 de julho de 2017, na Série A do Brasileiro
  5. 41.994 – Sport 2 x 0 São Paulo: 19 de julho de 2015, na Série A do Brasileiro
  6. 41.876 – Alemanha 1 x 0 Estados Unidos: 26 de junho de 2014, na Copa do Mundo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

CBF garante permanência da Copa do Nordeste no calendário de 2023, diz presidente da Liga

Segundo Alexi Portela, garantia da manutenção foi dada pelo novo presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, que tomou posse na semana passada como o primeiro nordestino a ocupar o cargo

Por João de Andrade Neto — Recife

globo esporte

Às vésperas da decisão da Copa do Nordeste, com as finais entre Sport e Fortaleza sendo realizadas nesta quinta-feira, na Arena de Pernambuco, e no próximo domingo, no Castelão, o presidente da Liga do Nordeste, Alexi Portela, assegurou a permanência da competição para o próximo ano.

Em entrevista ao ge nesta quarta-feira, o dirigente afirmou que a garantia da continuidade do Regional foi dada pelo próprio presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, que tomou posse na semana passada como o primeiro nordestino a ocupar o cargo. Tanto Alexi Portela, quanto Ednaldo Rodrigues são baianos.

A edição de 2022 é a última da Copa do Nordeste a ser realizada após acordo judicial entre a CBF e a Liga do Nordeste, no qual a confederação aceitou a organização de dez edições seguidas para não pagar uma indenização de aproximadamente R$ 30 milhões devido à retirada do torneio do calendário oficial em 2003. Por isso, existia a dúvida com relação à continuidade da competição a partir do próximo ano. Receio que cai por terra a partir de agora, segundo Alexi Portela.

“Não haverá descontinuidade da competição, tanto que inclusive já estamos pensando na fase pré (da edição de 2023). O presidente Ednaldo garantiu (a permanência da Copa do Nordeste). Não estou preocupado com isso. A questão realmente é só formalizar. Mas já tenho a palavra do presidente da CBF”, iniciou Alexi Portela.

Camila Alves fala sobre como chega o Sport para a final da Copa do Nordeste

Ainda segundo o presidente da Liga, a ideia é, mais uma vez, ter o aval junto à CBF para manutenção da Copa do Nordeste no calendário das competições nacionais por vários anos. De forma aberta ou velada, os principais clubes da região são favoráveis ao Regional. Vale lembrar que todos os contratos firmados se encerram este ano, justamente pela, até então, falta de garantia da continuidade do torneio.

– Queremos fazer o mesmo acordo para frente também. É isso que estamos estudando. Se mais cinco ou dez anos, ainda não se sabe. Mas do jeito que a competição é, que todos os clubes da região gostam de disputar, e as federações, não têm porque parar. Ednaldo sempre foi um defensor da Copa do Nordeste e é graças a ele que existe a competição. Todos os nossos contratos se encerram e não podíamos negociar porque não tínhamos a garantia. Agora temos uma tranquilidade maior – reforçou Portela.

Otimista, o presidente da Liga trabalha, inclusive, com a possibilidade de ampliação de datas da competição. Algo que vai de encontro ao desejo das federações, que atualmente precisam ceder espaço no calendário para o Nordestão. Segundo Alexi Portela, a ideia é manter o atual regulamento, ampliando os mata-matas.

– Queremos conseguir mais uma ou duas datas porque ai colocaríamos as quartas de final e as semifinais também em jogos de ida e volta, como acontece nas finais. A fase pré também será mantida, com 24 clubes. Mas essa questão de datas ainda não foi discutida com a CBF – afirmou.

A expectativa para os dois jogos finais entre Sport e Fortaleza é da presença de mais de 100 mil torcedores nos estádios somando as duas partidas. O campeão levará uma premiação acumulada (somando todas as fases) de R$ 3,56 milhões. O vice ficará com R$ 3 milhões.

O que falam os presidentes dos clubes:

Yuri Romão, presidente do Sport

“Sou favorável à continuidade da competição. Ela é muito boa, rentável e competitiva. Mas entendo também que se precisa rever alguns aspectos referentes as datas disponíveis no calendário”

Marcelo Paz, presidente do Fortaleza

“Confio muito que a competição vai seguir. É um sucesso de campeonato, não faz o menor sentido parar. Quem for contrário, está na contramão do que é bem feito, e vai sofrer uma pressão das torcidas, certamente”

Guilherme Bellintani, presidente do Bahia

“Sou completamente favorável, acho que é um campeonato bem organizado. Na verdade, é o nosso principal campeonato do primeiro trimestre. Para mim, o mundo ideal era fazer com que os estaduais fossem seletivas para o Nordestão, porque a gente não suporta mais jogar tanta competição. O primeiro semestre é trágico para todos os clubes, por conta de tanta competição que a gente tem. Então o ideal é sair do estadual e transformar o estadual em acesso para o Nordestão.”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.