Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Sport tem retrospecto equilibrado contra Bragantino fora de casa, com última vitória em 2013

Em oito partidas, são três vitórias do Massa Bruta, três empates e dois triunfos rubro-negros; no primeiro, em 1994, o Leão tinha nomes como Juninho Pernambucano e Leonardo

Por Redação ge — Recife

Globo Esporte

Após ter a sequência de três vitórias seguidas quebrada e acumular três jogos sem vencer (um empate e duas derrotas), o Sport volta a campo nesta quinta-feira, às 19h, contra o Bragantino, em jogo antecipado da 32ª rodada. E para voltar a respirar na briga contra o rebaixamento, precisará voltar do Nabi Abi Chedid com um resultado que não acontece há oito anos.

Isso porque a última vitória do Rubro-negro pernambucano contra o Massa Bruta fora de casa ocorreu em 28 de setembro de 2013. Na ocasião, um triunfo de virada por 2 a 1, pela 25ª rodada da Série B, com gols de Oswaldo e Lucas Lima para o Sport, após Lincom abrir o placar para o Bragantino.

–:–/–:–

Os gols de Bragantino 1 x 2 Sport pela 25ª rodada da Série B do Brasileirão 2013

No geral, o retrospecto histórico dos confrontos entre os dois times é equilibrado no Nabi Abi Chedid, com três vitórias dos donos da casa, três empates e dois triunfos pernambucanos.

A outra vitória do Sport ocorreu há 27 anos. Pelo Campeonato Brasileiro de 1994 . O time do Leão na época tinha nomes como Juninho Pernambucano e Leonardo. O gol solitário da partida foi marcado pelo atacante Fábio.

Em 1994, Sport vence Bragantino por 1 a 0 em Bragança Paulista, pelo Brasileiro

O último encontro entre os dois times em Bragança Paulista ocorreu na Série A do ano passado, com triunfo do Massa Bruta por 2 a 0.

Os jogos entre Bragantino e Sport no Nabi Abi Chedid

  • Bragantino 2×0 Sport (Brasileiro de 2020)
  • Bragantino 1×1 Sport (Série B de 2019)
  • Bragantino 1×2 Sport (Série B de 2013)
  • Bragantino 3×2 Sport (Série B de 2011)
  • Bragantino 0x0 Sport (Série B de 2010)
  • Bragantino 3×1 Sport (Brasileiro de 1996)
  • Bragantino 0x1 Sport (Brasileiro de 1994)
  • Bragantino 0x0 Sport (Brasileiro de 1992)

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Diretor de futebol do Santa Cruz aponta “perfil parecido” entre Leston e novo executivo do clube

Marcelo Segurado assina contrato até 2023 e será o principal responsável pela montagem do elenco coral para a próxima temporada

Por Alexandre Ricardo — Recife

Globo Esporte

De olho no planejamento para a próxima temporada, o Santa Cruz colocou a montagem do departamento de futebol como prioridade. Após a chegada do técnico Leston Júnior, que comandou a equipe na seletiva para a Copa do Nordeste de 2022, o Tricolor anunciou recentemente a contratação de Marcelo Segurado como novo executivo de futebol do clube.

Com chegada ao Recife prevista para novembro, o profissional de 57 anos será o principal responsável pelas contratações do clube. No departamento de futebol coral, ele vai atuar ao lado de Diego Hydaldo, diretor de futebol da casa, e outros nomes que vêm colaborando diretamente como Albertino dos Anjos e Romerito Jatobá.

– Nós tínhamos conversas e mapeamentos com outros profissionais, mas escolhemos pelo histórico, pelo gabarito, e também pelo entendimento da proximidade de perfil que o Marcelo (Segurado) tem ao do Leston, para que pudéssemos fazer um modelo de gestão do futebol profissional do Santa Cruz coeso. Nós optamos pelo Marcelo nesse momento e temos certeza que ele vem com essa dedicação ímpar que ele tem, além da capacidade de transformar e remapear nosso departamento – destacou Diego Hydalgo.

Marcelo Segurado, ex-executivo do Goiás — Foto: Divulgação/Goiás

Marcelo Segurado, ex-executivo do Goiás — Foto: Divulgação/Goiás

Até o momento, 14 jogadores estão com contrato assegurado para 2022. Com a reapresentação do elenco marcada para 29 de novembro, dando início à pré-temporada, novos reforços só devem desembarcar no Arruda durante o mês de dezembro.

– Marcelo é um profissional com histórico muito positivo de acessos e títulos com Goiás e Ceará. É um profissional que vem de gabarito nacional muito bem referendado, mas que topou o desafio. Quando conversamos com ele, explicamos a realidade do Santa Cruz, o que seria o Santa Cruz para 2022. Ele abraçou a causa, a ideia – reforçou Diego Hydalgo.

Anúncio de Marcelo Segurado, novo executivo de futebol do Santa Cruz — Foto: Divulgação/Santa Cruz

Anúncio de Marcelo Segurado, novo executivo de futebol do Santa Cruz — Foto: Divulgação/Santa Cruz

Antes de iniciar o período de mapeamento de possíveis reforços, Marcelo Segurado deve atuar diretamente na análise dos atletas que encerram seus vínculos no final deste ano. Nomes como William Alves, Lucas Rodrigues, Maycon Lucas e Lelê devem ser procurados para uma possível renovação.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Por acesso, Náutico precisa inverter desempenho de reta final do primeiro turno da Série B

Nos sete últimos jogos da primeira metade, Timbu só teve uma vitória em sete jogos; agora, para atingir pontuação de acesso, precisa ganhar seis e só pode perder uma

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Náutico tem um grande desafio para conseguir o acesso à Série A. Com 45 pontos, na oitava posição, o time precisa somar cerca de 18 nos sete jogos que faltam, a fim de atingir uma pontuação segura para subir (63 pontos). Para fazer isso, porém, a equipe alvirrubra tem que inverter o desempenho que teve na reta final do primeiro turno.

Os sete jogos que o Timbu tem pela frente são os seguintes:

  • Brasil de Pelotas (fora)
  • Brusque (fora)
  • Coritiba (Aflitos)
  • Confiança (fora)
  • Sampaio Corrêa (Aflitos)
  • Avaí (Aflitos)
  • Cruzeiro (fora)

Foi nesta sequência, no primeiro turno, que começou a derrocada alvirrubra na competição. O Timbu até venceu o Brasil de Pelotas (2 a 1, de virada), em casa, mas não ganhou mais nenhuma partida até a virada do turno, que marcou a saída de Hélio dos Anjos do time, após derrota para o Cruzeiro. Ele voltou à equipe seis rodadas depois, substituindo o breve Marcelo Chamusca.

Nos sete jogos finais do primeiro turno, o Náutico teve uma vitória, um empate e cinco derrotas. Somou apenas quatro pontos em 21 possíveis. O aproveitamento foi de 19%, como você vê abaixo.

  • Náutico 2 x 1 Brasil de Pelotas (13ª rodada)
  • Náutico 1 x 1 Brusque (14ª rodada)
  • Coritiba 3 x 1 Náutico (15ª rodada)
  • Náutico 0 x 4 Confiança (16ª rodada)
  • Sampaio Corrêa 2 x 0 Náutico (17ª rodada)
  • Avaí 2 x 0 Náutico (18ª rodada)
  • Náutico 1 x 0 Cruzeiro (19ª rodada)

Olho nos números: acesso do Náutico é difícil, mas não impossível

Para conseguir o acesso, ele precisa inverter o que conseguiu lá atrás. Agora, o time precisa vencer seis e só pode perder uma.

O Náutico tem que obter um aproveitamento amplamente superior ao da reta final do primeiro turno. Se vencer seis em sete, ganha 18 pontos de 21 possíveis (85% do total, contra 19% que fez contra esses mesmos adversários).

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Derrota para Palmeiras reforça retrospecto ruim do Sport contra paulistas na Série A

Em oito jogos contra times de São Paulo, Leão soma quatro derrotas, três empates e apenas uma vitória; próximo compromisso será quinta-feira, contra o Bragantino, fora de casa

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

A derrota de virada para o Palmeiras por 2 a 1, no Allianz Parque, nesta segunda-feira, não apenas impediu mais uma vez o Sport de deixar a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, onde está há 12 rodadas seguidas, como também reforçou uma estatística negativa do Rubro-negro contra times paulistas nesta Série A.

Agora, em oito duelos contra equipes de São Paulo na competição, o clube pernambucano acumula quatro derrotas, três empates e apenas uma vitória. Número preocupante até porque o próximo adversário do Leão será o Bragantino, quinta-feira, no Nabi Abi Chedid, em jogo antecipado da 34ª rodada.

Vale ressaltar que São Paulo é o estado com mais representantes no Campeonato Brasileiro, com cinco times (São Paulo, Corinthians, Palmeiras, Santos e Bragantino). Em seguida aparece o Rio Grande do Sul, com três (Grêmio, Internacional e Juventude), seguido por Rio de Janeiro (Flamengo e Fluminense), Minas Gerais (Atlético-MG e América-MG) e Ceará (Fortaleza e Ceará).

Por fim, com apenas uma equipe surgem Paraná (Athletico), Bahia (Bahia), Santa Catarina (Chapecoense), Goiás (Atlético-GO), Mato Grosso (Cuiabá) e Pernambuco, com o próprio Sport.

Antes da virada no Allianz Parque, o Rubro-negro já havia sido derrotado pelo mesmo Palmeiras, no primeiro turno, por 1 a 0, em jogo realizado na Ilha do Retiro. Também como mandante, o Leão caiu frente o São Paulo pelo mesmo placar. O outro revés foi para o Corinthians, na Neo Química Arena.

Já dois dos empates contra os paulistas foram diante do Santos. Ambos por 0 a 0. Mesmo placar do primeiro encontro contra o Bragantino, na Ilha do Retiro, pelo primeiro turno.

Melhores momentos: Sport 1 x 0 Corinthians, pela 25ª rodada do Brasileirão

A única vitória leonina contra paulistas nessa Série A foi também a última vitória da equipe no Brasileiro, ao bater o Corinthians por 1 a 0, na Arena de Pernambuco, no último dia 9. De lá para cá, são três rodadas sem vencer na competição.

O último duelo do Sport contra times paulistas nesse Brasileiro está marcado para o dia 28 de novembro, na Ilha do Retiro, contra o São Paulo, pela antepenúltima rodada da competição.

Os jogos dos Sport contra paulistas:

Vitória

  • Sport 1×0 Corinthians

Empates

  • Santos 0x0 Sport
  • Sport 0x0 Bragantino
  • Sport 0x0 Santos

Derrotas

  • Corinthians 2×1 Sport
  • Sport 0x1 Palmeiras
  • Sport 0x1 São Paulo
  • Palmeiras 2×1 Sport

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Para subir, Vasco e Guarani precisam repetir arrancada rara; Náutico e CSA tentam feito inédito

Em 5º, CRB vive melhor cenário: 12 times em situação igual conseguiram acesso no passado; Cruzmaltino e Bugre precisam replicar Figueirense de 2013, único a subir com pontuação tão baixa

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

A matemática do acesso distribui chances para as equipes que lutam para subir na Série B. Os números frios, no entanto, nem sempre dizem muito. Na prática, o que as equipes que estão na luta, ali pertinho do G-4, precisam para conseguir subir de divisão? O ge pesquisou e traz respostas, baseadas na história da competição em pontos corridos, formato que começou em 2006.

É importante ressaltar que as equipes que compõem o G-4 atualmente (Coritiba, Botafogo, Avaí e Goiás) dependem apenas de suas forças para subir.

Já em relação aos que estão na perseguição ao G-4, o CRB, na quinta posição, é aquele que tem mais referências: 12 equipes subiram com pontuação semelhante aos 50 pontos que o Galo tem ou até menos (confira lista completa na parte final da matéria).

O Vasco (6º colocado com 47 pontos) e o Guarani (7º colocado com 46) só têm um espelho: o Figueirense de 2013, que tinha 46 pontos a esta altura da competição e conseguiu o acesso na quarta posição, com 60. Todas as outras equipes que subiram tinham pontuação superior à do Cruzmaltino e do Bugre.

Já CSA (8º) e Náutico (9º), ambos com 45, precisarão ser inéditos. Nenhuma equipe conseguiu o acesso, em 15 anos de formato pontos corridos, com tão poucos pontos após 31 rodadas.

Quem vem abaixo desses times, então, nem se fala. O Vila Nova, com 42 pontos, é o 10º (e já tem 32 jogos). Precisa ter 100% de aproveitamento nas suas seis últimas partidas para ter alguma chance.

Confira abaixo a pontuação que cada clube que subiu tinha na 31ª rodada de sua edição:

Rodada 31 – 2006

  • Atlético-MG – 57 pontos (campeão com 71)
  • Sport – 54 pontos (vice-campeão com 64)
  • Náutico – 49 pontos (3º colocado com 64)*
  • América-RN – 49 pontos (4º colocado com 61)*

Rodada 31 – 2007

  • Coritiba – 58 pontos (campeão com 69)
  • Ipatinga – 51 pontos (vice-campeão com 67)
  • Portuguesa – 52 pontos (3º colocado com 63)
  • Vitória – 50 pontos (4º colocado com 59)*

Rodada 31 – 2008

  • Corinthians – 67 pontos (campeão com 85)
  • Santo André – 55 pontos (vice-campeão com 68)
  • Avaí -56 – (3º colocado com 67)
  • Barueri – 51 pontos (4º colocado com 63)

Rodada 31 – 2009

  • Vasco – 63 pontos – (Campeão com 76)
  • Guarani – 59 pontos (Vice-campeão com 69)
  • Ceará – 56 pontos – (3º colocado com 68)
  • Atlético-GO – 53 pontos – (4º colocado com 65)

Rodada 31 – 2010

  • Coritiba – 60 pontos – (Campeão com 71)
  • Figueirense – 55 pontos – (Vice-campeão com 67)
  • Bahia – 55 pontos – (3º colocado com 65)
  • América-MG – 52 pontos – (4º colocado com 63)

Rodada 31 – 2011

  • Portuguesa – 64 pontos (Campeã com 81)
  • Náutico – 53 – (Vice-campeão com 64)
  • Ponte Preta – 54 – (3º colocada com 63)
  • Sport – 48 (4º colocado com 61)*

Rodada 31 – 2012

  • Goiás – 64 pontos – (Campeão com 78)
  • Criciúma – 65 pontos – (Vice-campeão com 73)
  • Athletico-PR – 58 pontos – (3º colocado com 71)*
  • Vitória – 63 pontos – (4º colocado com 71)

Rodada 31 – 2013

  • Palmeiras – 68 pontos (Campeão com 79)
  • Chapecoense – 59 pontos (vice-campeã com 72)
  • Sport – 50 pontos (3º colocado com 63)*
  • Figueirense – 46 pontos (4º colocado com 60)**

Rodada 31 – 2014

  • Joinville – 57 pontos – (Campeão com 70 pontos)
  • Ponte Preta – 60 pontos – (Vice-campeã com 69 pontos)
  • Vasco – 54 pontos – (3º colocado com 63 pontos)
  • Avaí – 52 pontos – (4º colocado com 62 pontos)

Rodada 31 – 2015

  • Botafogo – 59 pontos (Campeão com 72 )
  • Santa Cruz – 48 pontos – (Vice-campeão com 67)*
  • Vitória – 56 pontos – (3º colocado com 66)
  • América-MG 51 pontos – (4º colocado com 65)

Rodada 31 – 2016

  • Atlético-GO – 58 pontos – (Campeão com 76)
  • Avaí – 51 pontos – (Vice-campeão com 66)
  • Vasco – 54 pontos – (3º colocado com 65)
  • Bahia – 49 pontos – (4º colocado com 63)*

Rodada 31 – 2017

  • América-MG – 56 pontos – (Campeão com 73)
  • Internacional – 61 pontos – (Vice-campeão com 71)
  • Ceará – 55 pontos – (3º colocado com 67)
  • Paraná – 53 pontos – (4º colocado com 64)

Rodada 31 – 2018

  • Fortaleza – 57 pontos – (Campeão com 71)
  • CSA – 50 pontos – (Vice-campeão com 62)*
  • Avaí – 51 pontos – (3º colocado com 61)
  • Goiás – 53 pontos – (4º colocado com 60)

Rodada 31 – 2019

  • Bragantino – 62 pontos – (Campeão com 75)
  • Sport – 56 pontos – (Vice-campeão com 68)
  • Coritiba – 49 pontos – (3º colocado com 66)*
  • Atlético-GO – 50 pontos – (4º colocado com 62)*

Rodada 31 – 2020

  • Chapecoense – 62 pontos – (Campeão com 73)
  • América-MG – 60 pontos – (Vice-campeão com 73)
  • Juventude – 49 pontos – (3º colocado com 61)*
  • Cuiabá – 50 pontos – (4º colocado com 61)*

*Times com pontuação igual ou inferior à do CRB

**Time com pontuação igual ou inferior a CRB, Vasco e Guarani

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Erros individuais se acumulam e viram principal problema do Náutico na Série B

Contra o Vasco, dois gols do adversário surgiram em falhas de jogadores do Timbu, assim como havia acontecido contra Ponte Preta, Goiás e CRB

Por Rômulo Alcoforado — Recife

Globo Esporte

Náutico está há quatro jogos sem perder na Série B. Isso, no entanto, não significa que o time não cometa erros. Comete. Alguns deles, fatais. As falhas individuais têm se repetido nas últimas partidas e custaram caro ao Timbu.

Nos últimos cinco jogos, incluindo o de domingo passado, contra o Vasco, só em um o time alvirrubro não sofreu gols por um erro individual. Foi contra o Operário-PR, pela 28ª rodada. Ainda assim, o gol adversário na vitória do Náutico por 2 a 1 contou com uma contribuição de um jogador da equipe pernambucana: Hereda, em quem um chute de Djalma Silva desviou e “matou” Anderson.

Confira, abaixo, os jogos e as falhas que dificultaram a vida do Náutico ou lhe custaram pontos importantes.

Náutico 2 x 2 Vasco (24/10 – 31ª rodada)

Diante do Vasco, o Náutico teve que suar muito para empatar o jogo em 2 a 2. Isso porque o adversário abriu dois gols de frente. Ambos com contribuições determinantes de alvirrubros.

No primeiro, logo aos oito minutos, o zagueiro Rafael Ribeiro não conseguiu dominar uma bola simples passada por seu companheiro de setor, Yago. Nenê, do Vasco, aproveitou o cochilo e abriu o placar.

Aos 8 min do 1º tempo – gol de fora da área de Nenê do Vasco contra o Náutico

Dez minutos depois, aos 18, o goleiro Anderson saiu jogando mal e mandou a bola nos pés de Gabriel Pec, que iniciou um ataque rápido finalizado por Germán Cano. Naquele momento, o Vasco ampliava o marcador para 2 a 0.

Aos 18 min do 1º tempo – gol de dentro da área de Cano do Vasco contra o Náutico

Após a partida, o técnico Hélio dos Anjos admitiu que as falhas custaram cara ao time, que foi superior ao adversário no segundo tempo, mas não conseguiu ir além do empate. Hélio classificou os erros como “acidentes”.

Ponte Preta 2 x 3 Náutico (16/10 – 30ª rodada)

O segundo gol da Ponte, que levou o placar a 2 a 1, também foi fruto de uma falha individual, novamente do goleiro Anderson. Já nos acréscimos da primeira etapa, após escanteio do lado direito da defesa, o camisa 12 saiu mal do gol, não alcançou a bola, e Rodrigão ficou na boa para marcar para a Macaca.

Aos 46 min do 1º tempo – gol de cabeça de Rodrigão da Ponte Preta contra o Náutico

Muitos torcedores também ficaram na bronca pelo primeiro gol. Dois jogadores foram criticados pelo torcedor. O primeiro foi o atacante Jailson, que estava com a bola nas mãos quando o árbitro marcou uma falta para a Ponte Preta em seu campo de defesa. O alvirrubro entregou rapidamente a bola, o que permitiu que a Macaca repusesse o jogo rápido e armasse um contra-ataque que terminou em gol de Marcos Júnior.

O outro atleta envolvido na jogada foi o zagueiro Camutanga, que teve a oportunidade de fazer um corte dentro da área do Náutico, mas afastou mal, nos pés de Marcos Júnior. O adversário abriu o placar para a Ponte.00:00/00:00

Aos 32 min do 1º tempo – gol de dentro da área de Marcos Jr da Ponte Preta contra o Náutico

Náutico 3 x 2 Goiás (06/10 – 29ª rodada)

O Esmeraldino saiu na frente do Náutico nos Aflitos logo no início da partida após uma falha de Rafael Ribeiro. O zagueiro tentou um passe vertical na saída, mas errou a direção. Alef Manga interceptou, tabelou e aproveitou o espaço nas costas do defensor, entrando na área para fazer o primeiro do jogo.00:00/00:00

Aos 7 min do 1º tempo – gol de dentro da área de Alef Manga do Goiás contra o Náutico

Mais um jogo, assim como os dois acima, em que o Náutico saiu atrás e precisou trabalhar muito para conseguir o resultado.

Náutico 1 x 3 CRB (27/09 – 27ª rodada)

Se o jogo da 28ª rodada, contra o Operário-PR, em Ponta Grossa, não teve nenhum erro grosseiro que gerou gol do adversário, o duelo anterior – contra o CRB, na Arena de Pernambuco – teve logo dois.

Aos 15 do primeiro tempo, Hereda segurou demais a bola na saída, foi desarmado e gerou contra-ataque para o CRB, finalizado por Pablo Dyego.00:00/00:00

Aos 15 min do 1º tempo – gol de dentro da área de Pablo Dyego do CRB contra o Náutico

Depois disso, no segundo tempo, quando o Náutico perdia por 2 a 1, foi a vez do zagueiro Yago aparecer, não pelo lado positivo.

Após arremesso do lateral-esquerdo Guilherme Romão na área alvirrubra, Yago tentou recuar para o goleiro Jefferson, mas acabou mandando direto para o próprio gol.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Contra o Palmeiras, torcida do Sport quer Hernanes e Gustavo juntos e Moccelin no ataque

Formação teve a preferência da maioria dos rubro-negros que participaram do VC escala; entre todos os atletas do elenco, o mais escalado foi o zagueiro Sabino

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

A sintonia entre a torcida do Sport e o técnico Gustavo Florentín é grande, pelo menos em relação à escalação rubro-negra para o duelo com o Palmeiras. Ao que tudo indica, a diferença entre a equipe que a torcida deseja ver em campo e a formação titular do treinador deve ficar restrita a uma peça.

Isso tomando por base o VC escala do ge, no qual os torcedores puderam montar o Rubro-negro para o confronto desta segunda-feira, na Allianz Parque.

Os pontos em comum são predominantes. Entre eles, a presença de Hernanes, que volta após cumprir suspensão, no meio de campo, com Marcão e Zé Welison – e Gustavo um pouco mais avançado. Na defesa, há concordância com as presenças do goleiro Mailson, do lateral-direito Ewerthon e dos zagueiros Sabino e Rafael Thyere.

Sobre a presença do artilheiro rubro-negro Mikael também não há divergência. No setor ofensivo, porém, reside a discordância.

Para a torcida, a formação ideal teria Paulo Moccelin no setor ofensivo, com Luciano Juba na lateral esquerda – com uma formação mais próxima do 4-4-2. A alternativa é até uma possibilidade, mas a tendência é que o treinador opte por uma formação mais sólida defensivamente, com o zagueiro Chico improvisado na lateral esquerda e Juba mais avançado, atuando como um ponta – com Mikael centralizado.

O time escalado pela torcida foi: Mailson; Ewerthon, Rafael Thyere, Sabino e Luciano Juba; Zé Welison, Marcão, Hernanes e Gustavo; Paulinho Moccelin e Mikael.

Os mais escalados

O jogador mais escalado pelos torcedores rubro-negros foi o zagueiro Sabino. Imediatamente atrás, estão os meias Gustavo e Hernanes, e o atacante Mikael. O goleiro Mailson fecha o top-5. Confira os votos que cada jogador recebeu.

  1. Sabino, zagueiro – 641 votos
  2. Hernanes, meia – 639 votos
  3. Mikael, atacante – 638 votos
  4. Gustavo, meia – 636 votos
  5. Maílson, goleiro – 631 votos
  6. Rafael Thyere, zagueiro – 623 votos
  7. Ewerthon, lateral – 607 votos
  8. Zé Welison, volante – 595 votos
  9. Marcão, volante – 555 votos
  10. Luciano Juba, lateral – 489 votos
  11. Paulinho Moccelin, atacante – 350 votos
  12. Leandro Barcia, atacante – 309 votos
  13. Chico, zagueiro – 236 votos
  14. Everton Felipe, meia – 82 votos
  15. Hayner, lateral – 60 votos
  16. Tréllez, atacante – 37 votos
  17. Carlos Eduardo, goleiro – 21 votos
  18. Ronaldo, volante – 11 votos
  19. Betinho, meia – 9 votos

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

De fora de jogo final da temporada por precaução jurídica, reforços do Santa esperam por 2022

Marcos Martins, Maurício Barbosa e Mateus Anderson não entraram contra o Floresta, pelo pré-Nordestão, por receio jurídico do clube; todos os atletas têm contrato para a próxima temporada

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

A escalação do Santa Cruz para a partida contra o Floresta, na eliminação no Pré-Nordestão, pegou a todos de surpresa com a ausência dos três reforços do clube de olho na seletiva. Contratados após o rebaixamento para a Série D, o lateral-direito Marcos Martins, o zagueiro Maurício Barbosa e o atacante Mateus Anderson não foram nem para o banco de reservas.

A não utilização se deu por orientação do advogado do clube no Rio de Janeiro, Osvaldo Sestário, uma vez que os atletas foram regularizados e inscritos às vésperas da partida. Como o regulamento da competição apresentava trecho de dúbio entendimento a respeito de até quando poderiam ser regularizados – falando em “dia útil anterior ao início da Copa” – o clube optou pela segurança jurídica.

Isto porque a abertura do Pré-Nordestão aconteceu no dia 12 de outubro, com a primeira fase sendo promovida entre clubes de menor posição no Ranking Nacional de Clubes da CBF. O Santa estreou direto na segunda fase.

Com vínculos que vão até a próxima temporada, todos os três atletas vão precisar aguardar o início do Campeonato Pernambucano para poder realizar suas respectivas estreias. Cotado inclusive para ser o titular na lateral direita, contra o Floresta, Marcos Martins é o único com passagem anterior pelo clube. Em 2019, trabalhou no Arruda ao lado justamente do técnico Leston Júnior.

Após a desclassificação no Pré-Nordestão, o treinador coral se negou a falar sobre a não escalação dos atletas.

– É uma questão que eu não me sinto confortável para falar sobre, que diz respeito à parte diretiva do clube. Peço desculpas, mas é um assunto que eu não gostaria de me pronunciar.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Aproveitamento do Sport nas últimas cinco rodadas é igual ao do Galo e inferior apenas ao do Fla

Leão soma três vitórias, um empate e uma derrota, com rendimento de 66,6%, que se for mantido até a última rodada garante a permanência na Série A; time enfrenta Palmeiras segunda

Por João de Andrade Neto — Recife

Globo Esporte

Apesar de estar há 12 rodadas seguidas na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, é inegável o crescimento do Sport nas últimas partidas. Tanto que o aproveitamento do time nos últimos cinco jogos bate de frente com as duas equipes que estão disputando diretamente o título: Atlético-MG e Flamengo.

Com 10 pontos somados nos últimos 15 disputados, o Leão tem o rendimento exatamente igual ao do Galo, que também colecionou três vitórias, um empate e uma derrota. Nesse recorte – o momento mais empolgante sob comando do técnico Gustavo Florentín -, apenas o Flamengo é superior. E por apenas um ponto, já que a equipe carioca não perdeu nesse período, com três triunfos e dois empates.

Apesar de também estar na disputa pelo título, e vir de duas vitórias seguidas (sobre Internacional e Ceará), o Palmeiras, próximo adversário do clube pernambucano, tem um aproveitamento inferior nas cinco últimas rodadas. Isso porque, antes, o time do técnico Abel Ferreira vinha de um empate e duas derrotas.

Para se ter uma ideia do bom momento vivido pelo Leão, caso consiga a difícil missão de manter o aproveitamento de 66,6% registrado nas últimas cinco rodadas para o restante da competição, a equipe pernambucana somaria mais 22 pontos e estaria livre da queda, totalizando 49 ao final da Série A.

PVC analisa Palmeiras x Sport, pela 28ª rodada do Brasileirão

Mesmo quando se amplia o leque de jogos, fica claro a evolução do Sport. Isso porque o Rubro-negro possui a 10ª melhor campanha do returno (8 jogos), com três vitórias, um empate e quatro derrotas. Um aproveitamento de 41,6%.

No entanto, esse rendimento não garante ao Leão a fuga do rebaixamento, uma vez que isso representa mais 14 pontos na classificação, o que levaria o time a finalizar a competição com 41 pontos. De acordo com o departamento de matemática da Universidade Federal de Minas Gerais essa pontuação representa um elevado índice de 74,1% risco de queda.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Anderson explica passe que gerou gol do Náutico como parte de treino para ser “goleiro moderno”

Alvirrubro iniciou jogada de gol em vitória por 3 a 2 sobre a Ponte Preta com passe em profundidade perfeito para Jean Carlos, e lembrou treinamento específico no Athletico

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

A volta de Anderson ao Náutico foi uma das contratações mais comemoradas pela torcida. Ele havia se destacado na temporada passada, o contrato de empréstimo ao Athletico acabou não renovado, e agora, em 2021, ele reassumiu a titularidade na Série B. O Timbu tem um “goleiro moderno” embaixo das traves, que vai para seu quarto jogo na competição contra o Vasco, domingo, nos Aflitos.

A definição surgiu em resposta de Anderson durante entrevista coletiva remota. Na vitória alvirrubra sobre a Ponte Preta, na rodada passada, ele iniciou jogada do segundo gol na vitória por 3 a 2 com passe em profundidade perfeito para Jean Carlos municiar Jacob Murillo. A habilidade com os pés, segundo ele, é uma qualidade adquirida.

Aos 5 min do 2º tempo – gol de dentro da área de Jacob Murillo do Náutico contra a Ponte Preta

Da base do Palmeiras, Anderson chegou ao Tricolor do Arruda em 2019, por empréstimo, e se destacou. Acabou transferido em definitivo para o Athletico, mas com a forte concorrência no Furacão foi emprestado e jogou no Náutico em 2020 por 16 partidas na Série B, sendo importante na luta contra o rebaixamento.

Depois de uma nova passagem no Athletico no início do ano, onde atuou em oito partidas, o retorno ao Náutico traz um Anderson mais completo. De acordo com o próprio goleiro.

– Aqui dentro tem muitas características nossas que ficam escondidas dentro do jogo. Claro que aparecem muito mais quando a gente dá direto numa situação de gol, como aconteceu no último jogo, mas se pegar jogo a jogo meu tem outras que dá pra encontrar. Não precisa ser necessariamente um passe para gol, mas outras situações com os pés que podem facilitar o jogo.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.