Treinos fechados e mudanças… A estratégia do Santa Cruz contra o Fluminense

Por Daniel Gomes — Recife

Globo Esporte

Para enfrentar de igual para igual e tirar a vantagem do Fluminense, o técnico Leston Júnior vai comandar treinamentos fechados no Santa Cruz até o dia do jogo de quinta-feira, às 21h30, no Arruda. Apesar de sempre prezar pela repetição da base da equipe, o treinador coral pode apresentar algumas cartas na manga. Afinal, o Santa Cruz precisa de uma vitória expressiva contra um time de Série A para avançar às oitavas de final da Copa do Brasil.

Os cariocas venceram o primeiro jogo por 2 a 0 e agora os corais têm de devolver uma vitória por dois gols de diferença para levar a decisão para os pênaltis – ou por três para passar direto às oitavas de final. Caso consiga vencer por apenas um gol de diferença, o adversário passa.

O que pode ser feito?

Leston Júnior disse, ainda depois da derrota por 2 a 0 no Maracanã, que a transição – ou melhor, a falta dela – o preocupou bastante. É bem possível que o treinador mexa nesse setor, principalmente na cabeça de área. A dupla de volantes titulares contra o Fluminense, Charles e Italo Henrique, pode ser modificada. Difícil até agora é a participação de Danny Morais na partida. O zagueiro não treinou nesta segunda-feira porque ainda sente dores na coxa direita.

O treinador não deve confirmar nada. Mas se acontecer alguma mudança, Charles ou Italo Henrique podem dar lugar para Diego Lorenzi, antigo titular, mas que vem entrando em todos os jogos – também foi acionado no Maracanã.

Neste caso, o Santa Cruz pode ser escalado com Anderson; Marcos Martins, João Victor, William Alves e Carlos Renato; Charles (Diego Lorenzi), Italo Henrique e Allan Dias; Augusto, Dudu e Pipico.

Outra possibilidade é a entrada de Luiz Felipe, que também jogou contra o Fluminense no primeiro jogo, na armação de jogadas no meio de campo. Há uma chance de Allan Dias, que não rendeu tanto no primeiro jogo, ser deslocado para a sua posição de origem, ou seja, de segundo volante.

O time do Santa Cruz pode ficar com Anderson; Marcos Martins, João Victor, William Alves e Carlos Renato; Charles (Diego Lorenzi), Italo Henrique (Allan Dias) e Luiz Felipe; Augusto, Dudu e Pipico.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Sucesso no Maria Lenk respalda trabalho de Etiene Medeiros e garante vaga em Mundial e Pan

Por Sarah Porto — Recife

Globo Esporte

Dizer que Etiene Medeiros é o principal nome da natação feminina brasileira na atualidade não é novidade para ninguém. A nadadora pernambucana, porém, tem se reinventado. Única mulher brasileira campeã mundial – feito este alcançado em 2017, nos 50m costas –, Etiene tem se destacado em outras provas que não a que ficou nacionalmente conhecida. Isto ficou comprovado na participação no Troféu Maria Lenk, no último final de semana.

+ De férias no Recife, Etiene confirma foco nos 50m livre para Tóquio-2020

A atleta encerrou sua participação no Troféu com cinco medalhas: quatro ouros (100m costas, 100m livre, 50m costas e 50m livre) e um bronze (4x100m livre), além de um recorde mundial da temporada, quando atingiu o tempo de 27s36 nos 50m costas. Conseguiu, ainda, baixar seu tempo nas provas de 100m. Nos 100m costas, Etiene fez 1min00seg13, e ela não nadava nessa casa de 1 minuto desde que fez o índice para as Olimpíadas do Rio.

Ademais, a pernambucana garantiu vaga nas seleções brasileiras que irão disputar o Mundial de piscina longa em Gwangju, na Coréia do Sul (12 a 28 de julho), e para os Jogos Pan-Americanos em Lima, no Peru (06 a 10 de agosto).

– Teremos que olhar bem amplo como será o mundial, a programação de provas e também como será o Pan-Americano e a programação de provas. Sabemos que será um circuito muito intenso. Estou bem feliz. Algumas coisas me surpreendi, outras foram dentro do que eu esperava. Nadando na casa de 24.5 (nos 50m livre) foi muito bom, perto do meu melhor. Assim como as outras provas também – destacou Etiene.

O próximo desafio da nadadora será o Champions-Swim-Series, em Budapeste-HUN, no mês de maio. Uma vez que os 50m costas não estão presentes no programa olímpico, Etiene tem mirado novos desafios. Os resultados no Maria Lenk já são reflexos dessa dedicação. A atleta vinha buscando melhorar suas marcas nas provas de 100m há, no mínimo, três anos.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Leston traça meta para jogo contra Flu: “Chegar no segundo tempo vivo”

Por Daniel Gomes — Recife

Globo Esporte

A missão do Santa Cruz, na Copa do Brasil, é difícil. Afinal, tem de tirar os 2 a 0 feitos pelo Fluminense, no primeiro jogo, no Maracanã. Ao contar com a força da torcida, o técnico Leston Júnior sabe o que o time tem de fazer. Em termos de placar, o comandante vê, como ideal e possível, o Santa Cruz fazer um gol no primeiro tempo, na próxima quinta-feira, às 21h30, no Arruda. Assim, chega vivo na etapa final vivo.

– É manter o discurso e aquilo que nós temos de ideia de antes do jogo. O jogo é de 180 minutos. E você tem de buscar, chegar vivo no último tempo de 45 minutos. É a receita que entendo como real para termos credencial para se classificar. Significa fazer 1 a 0 no primeiro tempo? Sim. Mas, no futebol, pode acontecer muita coisa – disse o treinador.

Só o primeiro tempo terminar empatado, Leston Júnior não vê o cenário como o fim do mundo. Para o treinador, é possível fazer dois gols na etapa final – contando com o “abafa”, na parte final da partida. Só que, principalmente nesse caso, o Santa Cruz tem de estar duplamente ligado. Não pode vacilar defensivamente. A marcação, por sinal, foi um dos pontos falhos, no primeiro jogo.

– A gente pode fazer 1 a 0, aos 30 do segundo tempo, e depois partir para o abafa. O que não podemos é permitir que o Fluminense aumente essa vantagem, em cima da nossa afobação. Temos de buscar o equilíbrio e condicionar os caras a ter o entendimento, que é preciso ganhar com mais força, mas também com equilíbrio, senão eles aumentam a vantagem e aí fica quase irreversível.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Feliz com fase e xodó da torcida do Sport, Ezequiel se autointitula craque do Pernambucano

Por Lucas Liausu — Recife

Globo Esporte

A conquista do Sport do Campeonato Pernambucano no último domingo, ao bater o Náutico, deve dar muitos prêmios individuais a jogadores da equipe. Existe a expectativa para a divulgação da seleção do torneio, mas o posto de craque do campeonato parece já ter sido definido. Pelo menos isso é o que diz o atacante Ezequiel, um dos destaques do Sport no título.

Ainda na festa do título, ele brincou de entrevistar o atacante Hernane Brocador. Ao chamar o companheiro de ataque de craque, se corrigiu e puxou a responsabilidade.

“Craque não. O craque sou eu”, disse Ezequiel.

+ “Filho de Magrão”, Mailson é decisivo nos pênaltis em conquista do Sport

Ezequiel esteve em campo em todos os jogos do Sport do Campeonato Pernambucano — Foto: Marlon Costa/ Pernambuco Press

+ Artilheiro e decisivo, Hernane volta a dar sentido ao apelido: Brocador

Craque do Campeonato Pernambucano ou não, é certo que Ezequiel deixou o seu nome marcado na conquista do Sport. Ao lado de Adryelson e Guilherme, ele foi utilizado em todos os jogos. Nas finais, fez um gol no primeiro jogo. Ao todo no Pernambucano, Ezequiel marcou quatro gols e deu cinco assistências.

– Não esperava ter essa repercussão, esse carinho que eu tive com a torcida. Fico muito feliz e espero dar muitas alegrias como eu estou dando aqui.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Guto Ferreira dá nova cara a time e levanta taça após dois meses: “Sport precisava desse título”

Por Lucas Liausu — Recife

Globo Esporte

Um golaço. É assim que o torcedor do Sport pode considerar o movimento da diretoria do clube ao escolher o técnico Guto Ferreira para ser o treinador depois da saída de Milton Cruz. Exatamente dois meses depois de começar a trabalhar no Leão (chegou no dia 21 de fevereiro), o comandante viu os atletas vencerem o Náutico nos pênaltis, neste domingo, na Ilha do Retiro, e conquistarem o Campeonato Pernambucano. Uma conquista que tem muito dele – em sete partidas perdeu apenas uma.

+ Veja mais notícias do Sport

“Eu falei nos últimos dias que o título ia ser emblemático. Se ganhar ou perder faz parte do jogo, mas o Sport precisava desse título. Aí a diferença”, disse Guto Ferreira, que agora tem quatro Estaduais e uma Copa do Nordeste no currículo.

Guto Ferreira comandou o Sport pela primeira vez contra o Afogados. De cara, venceu por 3 a 1. Na sequência, bateu Salgueiro (4 a 0), Central (2 a 1), Petrolina (4 a 0), Salgueiro (3 a 1), Náutico (1 a 0) e, então, foi derrotado na final desde domingo por 2 a 1 pelo Timbu. Nos pênaltis, viu o goleiro que bancou como titular, Maílson, pegar duas cobranças.

Além dos resultados, Guto Ferreira transformou o Sport. Logo de cara, abriu mão do esquema com três volantes, adotado por Milton Cruz, e escalou o Sport com três atacantes. Kaio deixou a equipe para a entrada de Luan, importante na reta final do Pernambucano, com gols e assistências.

Após o título, Guto fez questão de lembrar do antigo treinador rubro-negro,

– Eu poderia esquecer e ser injusto com Milton Cruz. Todo trabalho de início é problemático. Até que você encontre uma linha de ação, um encaixe, é difícil. Da equipe titular dele, eu mudei uma peça. Fiz alguns ajustes, mas tive tempo para isso. E eu pude mudar porque eu encontrei uma boa base.

Guto mexeu na parte defensiva. A primeira e mais chamativa delas, no gol. Ídolo da torcida, Magrão vinha sendo criticado por algumas falhas, saiu para entrada de Mailson. Na lateral direita, confirmou Norberto como titular absoluto. Antes disso, havia um revezando com Raul Prata.

Dificuldades da decisão

Não foram só as peças que Guto Ferreira mexeu, no Sport. Com um time ofensivo, ele soltou a equipe, que passou a chegar mais no ataque e, consequentemente, fazer mais gols. Em sete confrontos, somou 18 marcados – número até a primeira parida da final. Além dos atacantes, outros têm tido participação efetiva na frente, como os laterais Sander e Norberto, além do volante Charles.

Neste segundo jogo da final, o técnico teve dificuldades por causa da expulsão de seu artilheiro, Hernane Brocador, aos 11 minutos do primeiro tempo. Além disso, Guilherme saiu machucado, também na primeira etapa.

– Foi um jogo difícil porque a expulsão de Hernane foi com dez minutos. E o jogo deixou de ter um dos nossos pontos fortes, que é o conjunto, e passou a ter outro tipo de formação. Mas continuamos fortes, trazendo Luan para a referência e abrindo Guilherme. E fomos velozes e consistentes. Graças isso conseguimos o gol. Mas perdemos Guilherme (machucadoa) no pênalti e aí começam os problemas. Perdemos nosso jogador de velocidade, eu precisava de alguém que articulasse.

Guto abordou a questão do gol irregular do Náutico. Lembrou da polêmica a respeito do gol do Leão no jogo da ida, nos Aflitos, mas disse que a balança pendeu a favor do Timbu.

– Todo mundo erra, infelizmente. No jogo passado, houve um debate grande sobre erros de arbitragem e há quem diga que o nosso gol lá foi legal ou ilegal. E aqui houve dois erros contra o Sport. Mas não vou superdimensionar isso porque tira o brilho da conquista. E eu valorizar isso não dá porque eu deixo de olhar alguns problemas que nós temos. E eu tenho de descobrir como solucioná-los até porque tivemos poucos jogos. E neles não tivemos situações como hoje.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Torcida do Sport vota em Leandrinho na vaga de Luan para final contra o Náutico

Por GloboEsporte.com — Recife

Na cabeça do técnico Guto Ferreira, em time que está ganhando não se mexe. E é por isso que ele deve escalar o Sport no próximo domingo, na Ilha do Retiro, com exatamente a mesma equipe que venceu o Náutico no primeiro jogo da final. Os atacantes Ezequiel e Luan deram sustos durante a semana, mas não devem ser problema para a decisão do Campeonato Pernambucano. Só que o torcedor do Sport pensa diferente. O GloboEsporte.com lançou o desafio para que eles escalassem o time que consideram ideal e o meia Leandrinho surgiu entre os mais votados.

+ Ainda com dores, Ezequiel não treina com bola pelo segundo dia no Sport

A escolha da torcida do Sport foi pela saída do atacante Luan e a entrada de Leandrinho. Com isso, o atacante Guilherme deixaria de fazer uma função no meio de campo e voltaria a atuar mais na frente, na ponta esquerda.

O restante do time na opção da torcida do Sport é exatamente o mesmo que Guto Ferreira vem escalando nos últimos jogos, com Maílson no gol, Norberto e Sander nas laterais, Adryelson e Rafael Thyere no comando da defesa e Ronaldo e Charles como volantes. Lá na frente, Hernane Brocador e Ezequiel também foram bem votados.

+ Torcida do Sport esgota ingressos para final em pouco mais de 24h

Torcida do Sport quer o time com Leandrinho no meio de campo e Guilherme na ponta — Foto: GloboEspote.com

Torcida do Sport quer o time com Leandrinho no meio de campo e Guilherme na ponta — Foto: GloboEspote.com

Pelo que vem fazendo nos treinamentos, Guto vai mandar para campo o time com Mailson; Norberto, Rafael Thyere, Adryelson e Sander; Ronaldo, Charles, Guilherme, Ezequiel e Luan; Hernane Brocador. Caso Ezequiel ou Luan não tenham condições de jogo, Leandrinho pode herdar uma vaga. A segunda ficaria com Alisson Farias.

+ Quer ver o jogo ao vivo e ainda ajudar seu time do coração? Clique aqui e assine o Premiere

Sport e Náutico se enfrentam às 16h deste domingo, na Ilha do Retiro. A partida terá transmissão da Globo, do Sportv 2 e do Premiere. Por ter vencido o primeiro jogo por 1 a 0, o Leão joga pelo empate para conquistar seu 42º título do Campeonato Pernambucano. O Náutico precisa vencer por dois gols de diferença para ser campeão. Caso vença por um, a disputa vai para os pênaltis.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Na mira de Santos e Chape, Brocador garante foco em final pelo Sport

Por Lucas Liausu — Recife

Globo Esporte

O atacante Hernane Brocador é um dos principais jogadores do Sport, que no próximo domingo decide o Campeonato Pernambucano contra o Náutico. E nesta quinta-feira ele concedeu uma entrevista coletiva onde o assunto foi muito mais sobre uma notícia que não tem nenhuma relação com a decisão. O GloboEsporte.com publicou mais cedo que ele está na mira de Chapecoense e Santos para jogar a Série A do Campeonato Brasileiro. De acordo com o artilheiro, não é momento para tratar desse assunto.

– Estou 100% focado na final. Não foi fácil o caminho até aqui e eu não poderia falar em outro assunto se não fosse Sport, Náutico e a final do Campeonato Pernambucano. Essa parte vai ficar com o meu empresário e posso falar desse assunto logo depois da final da competição.

+ Torcida do Sport esgota ingressos para final em pouco mais de 24 horas

Experiente, Hernane vê com naturalidade o assédio no seu futebol, mesmo com o Sport vivendo uma semana decisiva dentro do Campeonato Pernambucano.

– Eu estou sabendo a mesma coisa que vocês. Acabei de receber no meu celular no caminho vindo para cá. Isso é normal. O Sport está na final, eu estou fazendo gols e as propostas vão chegar. Isso é natural do futebol. Não vai ser só com jogador do Sport. É com todo clube.

+ Quer ver o jogo ao vivo e ainda ajudar seu time do coração? Clique aqui e assine o Premiere

No Sport desde agosto do ano passado, Hernane tem contrato até o final de 2019. Ele acertou a sua permanência no início depois de negociar uma readequação salarial com a diretoria que assumiu o clube.

– Estou feliz aqui. Nem pensei nisso. Agradeço ao apoio da diretoria para eu ter ficado. Falei que tinha dívida com o clube e estou muito perto de pagar, que é conquistar um título com a camisa do Sport. Não pensei ainda na minha saída do Sport. Eu não queria tirar o foco dessa final.

Depois de ter vencido o Náutico por 1 a 0 no jogo de ida, nos Aflitos, o Sport decide o título do Pernambucano na Ilha do Retiro. Na partida do próximo domingo, o time pode empatar para levantar sua 42ª taça estadual.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Náutico muda estratégia e tem semana mais aberta antes de volta da final

Por Rômulo Alcoforado — Recife

Globo Esporte

Náutico e Sport inverteram suas estratégias. O Sport fez vários treinos abertos na semana passada, enquanto o Náutico se fechou mais, diminuindo até as coletivas no CT. Após o 1 a 0 para os rubro–negros na primeira partida, tudo mudou. Na semana da volta, o Leão se fechou – e o Timbu decidiu expor um pouco mais o trabalho do dia a dia. O novo encontro é domingo, na Ilha, às 16h, com transmissão da Globo, Sportv2 e Premiere.

+ Márcio Goiano arma Náutico para final e dá ênfase a posse de bola

+ Jorge Henrique e Hereda desfalcam treino do Náutico; Maylson e Odilávio seguem fora

Na semana passada, por exemplo, o Timbu só fez um treino aberto (o primeiro, na terça-feira). Depois disso, todos os outros foram fechados à imprensa, com entrevistas antes. Na quinta-feira, a imprensa nem pôde ir ao CT Wilson Campos. Não houve entrevistas no local – embora, mais tarde, três jogadores falaram no lançamento dos novos padrões alvirrubros.

Agora, tudo mudou. Todos os treinos da semana foram abertos – exceção ao desta sexta, que será fechado. Esse é o procedimento padrão no Náutico. Normalmente, Márcio Goiano faz o último trabalho reservado, normalmente para ter mais privacidade para fazer cobranças mais duras aos atletas.

Apesar de ter aberto mais o dia a dia nesta semana, isso não significa que o Náutico não tem nenhum segredo para a final. Quando julgou necessário, o clube decidiu omitir algumas informações importantes.

A maior parte delas do departamento médico: por decisão da comissão técnica, o Náutico, por exemplo, não divulgou os resultados dos exames do volante Maylson e do atacante Odilávio. Ambos não devem jogar, já que estão com dores nas coxas esquerdas e não treinaram ainda nesta semana – mas o Timbu pretende esticar até o máximo a dúvida.

Em relação à escalação do time, é provável, também, que ela não seja aberta. Márcio Goiano nunca divulga os 11 antecipadamente. A chance de fazer isso nas vésperas da final é muito improvável.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Entrosamento de Hereda e Thiago é arma do Náutico para final do Pernambucano

Por Rômulo Alcoforado — Recife

Globo Esporte

Era difícil prever que, na final do Pernambucano, um jogador de 18 anos e outro de 20 fossem titulares do Náutico – e peças importantes da equipe. Mas foi exatamente isso que aconteceu. O atacante Thiago, 18, e o lateral-direito Hereda, 20, fazem uma dobradinha perigosa pelo lado do campo alvirrubro, algo que Márcio Goiano deve explorar na segunda partida da decisão Estadual – contra o Sport, no próximo domingo, na Ilha do Retiro -, já que o entrosamento que eles mostram não é de agora.

Segundo Hereda, os dois jogaram juntos na base do Náutico, no time sub-20, no ano passado. Ele explica como isso ajuda e como tenta explorar esse conhecimento.

+ Intensidade, saída de bola e pressão: Márcio Goiano exige em treino do Náutico

+ Odilávio e Maylson são dúvida; Wallace deve voltar ao Náutico na final

+ Cabral Neto “arma” Náutico ideal para final e vê chance de título estadual

“A gente jogou junto na base por um tempo. Conheço bem as características dele. Sei que Thiago é um jogador muito habilidoso, que vai para cima. Por isso, procuro fazer a ultrapassagem pelo lado sempre para ele dar a bola em mim”, disse Hereda.

O lateral quer, assim, fazer ainda mais na final do próximo domingo, contra o Sport, em que o Náutico precisa vencer por dois gols de diferença para ser campeão direto. Se ganhar por um, vai para os pênaltis (não tem critério de gol fora de casa). Empate ou derrota dão o título ao Leão.

Na opinião de Hereda, os treinos da semana apontam para uma evolução do time.

– É muito importante (fazer treinos pegados). Estamos mostrando que temos que dar nosso melhor sempre. Sabemos que não fizemos um bom jogo. Precisando melhorar sempre. É fundamental o treinador cobrar.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

No Sport, gol perdido contra Náutico “assombra” volante Charles

Por Lucas Liausu — Recife

Globo Esporte

Autor do gol da vitória do Sport contra o Náutico, no primeiro jogo da final do Campeonato Pernambucano, no último domingo, o atacante Ezequiel foi o protagonista nos Aflitos. Mas, por pouco, os holofotes não se voltaram para o volante Charles. Não por uma bola na rede, mas pelo lance que podia ter tornado negativa a participação dele na final. Aos 47 minutos do primeiro tempo, Charles pegou um rebote na pequena área, matou no peito e acabou mandando por cima.

+ Ezequiel dá susto, mas Sport garante atacante na decisão contra Náutico+ Guto Ferreira testa Sport com Leandrinho no time titular

“Estou até hoje olhando o vídeo do gol que perdi. Ia acabar o primeiro tempo ganhando e ia ser bom. Um gol daquele jeito não se perde, ainda mais numa final.”

Charles viveu angustiado os 15 minutos do intervalo, mais 35 do segundo tempo, até que Ezequiel tirou o zero do placar. E, de quebra, aliviou a pressão colocada nele, por ele mesmo.

– Tivemos muitas oportunidades, mas acabamos não fazendo. Fizemos um e deu um alívio. Ezequiel me ajudou ali com o gol.

Além do lance angustiante, Charles teve outra oportunidade para marcar, no clássico do domingo. Numa jogada mais difícil, chutou de fora da área, rente à trave direita de Bruno, depois de tabelar com Hernane. Essas chegadas dele estão se tornando cada vez mais comuns no Leão.

– Tenho essa característica desde a base. Faço essa função de homem-surpresa e gosto de subir para o ataque, quando o time está bem arrumado. Ronaldo está ficando mais e me ajudando, e eu venho tendo liberdade.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.